Você está na página 1de 7

PREPARATÓRIO PARA OAB

DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO


Professor: Dr. Carlos Zimmermann

Capítulo 1 Aula 13
DIREITO COLETIVO DO TRABALHO

Coordenação: Dr. Carlos Zimmermann


Capítulo 13

Direito Coletivo do Trabalho


Direito Coletivo do Trabalho que é o ramo do Direito do Trabalho constituído de princípios e normas que tem
por finalidade o estudo das relações de trabalho envolvendo grupos de trabalhadores e as empresa, dos
possíveis conflitos durante a relação de trabalho e suas soluções, das diferentes formas de organização
existentes e da forma de representação, além de outros aspectos relacionados.

A Constituição Federal regula o direito coletivo, também conhecido por direito sindical.

"Art. 8º - É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte:

I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado o registro no
órgão competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organização sindical;

II - é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria
profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos trabalhadores ou
empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um Município;

III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em
questões judiciais ou administrativas;

IV - a assembléia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional, será descontada
em folha, para custeio do sistema confederativo da representação sindical respectiva, independentemente
da contribuição prevista em lei;

V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato;

VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho;

VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais;

VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de direção
ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se
cometer falta grave nos termos da lei.

Parágrafo Único. As disposições deste artigo aplicam-se à organização de sindicatos rurais e de colônias de
pescadores, atendidas as condições que a lei estabelecer.

Art. 9º - É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de
exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”
www.r2direito.com.br

01
§ 1º - A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades
inadiáveis da comunidade.

§ 2º - Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei.

Art. 10. É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos
em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação.

Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos empregados, é assegurada a eleição de um representante destes
com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empregadores.

A Constituição Federal estabelece, no art. 8º, os princípios que orientam a criação, a organização, as
atividades dos sindicatos, como também os seus limites.

O sindicato é pessoa jurídica de direito privado e é o representante legal das categorias econômicas,
profissionais e diferenciadas.

Categoria é a expressão social daqueles empregadores, empregados, agentes, trabalhadores autônomos,


ou profissionais liberais, que exerçam, respectivamente, a mesma atividade ou profissão ou atividades ou
profissões similares ou conexas.(Art. 511 CLT)

Existem três tipos de categorias:


a) econômica;

b) profissional, e

c) profissional diferenciada.

Existem sindicatos que representam cada uma destas categorias:

a) sindicato patronal, dos empregadores;

b) sindicato profissional dos empregados, e

c) os que representam as categorias profissionais diferenciadas.

Categoria econômica: exemplo, as empresas que fabricam calçados e outros artefatos de couro, possuem
uma especialidade comum a todos eles.

Categoria profissional: exemplo, todos os trabalhadores que adotam profissões no ramo de tecelagem.

Categoria profissional diferenciada: exemplo: secretários, engenheiros, motoristas, etc.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”
www.r2direito.com.br

02
As negociações, convenções ou acordos celebrados entre o sindicato de empregadores da categoria
econômica dos metalúrgicos e o sindicato dos trabalhadores da categoria profissional dos metalúrgicos não
se aplicam aos químicos, os quais negociam suas condições de trabalho por meio do seu respectivo
sindicato de químicos. Trata-se, portanto, de uma exceção.

A Constituição Federal veda a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau,
representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos
trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um Município. Princípio da
unicidade sindical, isto é, um único sindicato por categoria e cada base territorial, que não poderá ser
inferior ao tamanho de um município.

Se a Constituição Federal estabelece o mínimo, não estipula o máximo, portanto, poderemos ter um
Sindicato com base territorial nacional.

Contrapondo-se ao princípio da unicidade sindical adotado pelo Brasil existe o princípio da pluralidade
sindical, no qual podem existir vários sindicais representantes da mesma categoria e na mesma base
territorial.

O sindicato é, ainda, uma entidade especial no sentido de que a característica da categoria profissional
enseja o efeito erga omnes ou seja, todos são atingidos pelo resultado das negociações coletivas das
condições de trabalho.

A filiação sindical é um ato de vontade do empregado, já a inclusão na categoria é algo natural e


independente de vontade própria. Convém registrar que ninguém é obrigado a se filiar ou manter-se filiado
ao Sindicato que representa a sua categoria, seja econômica, seja profissional, conforme garante a
Constituição Federal.

O modelo sindical brasileiro confederativo, pois são três as entidades que o compõem: Sindicatos,
Federações e Confederações.

A Confederação é o agrupamento voluntário ou associação de, no mínimo, três Federações da mesma


categoria profissional e econômica (CLT, art. 535). A confederação também é entidade sindical de grau
superior e se situa acima das Federações. Sua base territorial de atuação é nacional.

Federação é o agrupamento voluntário ou associativo de, pelo menos, cinco sindicatos da mesma categoria
profissional ou econômica. É entidade sindical de grau superior, situada acima dos sindicatos e,
normalmente, sua base territorial de atuação é estadual, nos termos do art. 534 da CLT.

Sindicato é a organização básica de toda a estrutura. Ela está diretamente ligada aos seus membros e
próxima da base e dos locais de trabalho. O sindicato trabalha com toda a categoria profissional da base
territorial. A organização interna do sindicato está estabelecida legalmente, estando prevista a eleição de
uma diretoria, que é escolhida por meio de votação aberta e democrática pela assembléia geral de
associados e também a de um conselho fiscal.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”
www.r2direito.com.br

03
Além da contribuição sindical, outras foram criadas, ao correr do tempo. São as seguintes as fontes de
receitas dos sindicatos de trabalhadores:

a) mensalidade dos sócios;

b) contribuição confederativa: instituída pela Constituição de 1988, art. 8º, IV, segundo o qual a Assembléia
Geral dos Sindicatos pode estipular uma contribuição destinada ao custeio do sistema confederativo. Há
controvérsia quanto à obrigatoriedade do pagamento pelos não filiados ao sindicato;

c) contribuição assistencial: estabelecida em convenções e acordos coletivos ou em sentenças normativas


para custeio de atividades do sindicato, é, ordinariamente, recolhida na data-base (o mês do ano em que as
categorias econômica e profissional se reúnem para discutir as condições de trabalho) da categoria, quando
se estipula o reajuste salarial. Como a contribuição confederativa, há controvérsias quanto à
obrigatoriedade do pagamento pelos não associados e o TST pronunciou-se contrariamente a tal cobrança,
por entender que fere o princípio da liberdade sindical individual.

A proteção não é concedida à pessoa do empregado, mas ao instituto da representação sindical, embora a
sua manifestação seja na forma de garantias pessoais de estabilidade no emprego e de condições de
desempenho das funções. São regras de garantia do exercício de mandato de representante sindical:

a) o empregado eleito como representante sindical ainda que como suplente - tem a sua estabilidade
garantida no emprego desde a sua candidatura para o cargo até um ano após o final do seu mandato, salvo
cometa falta grave (CF, art. 8.º, VIII);

b) não poderá ser impedido de exercer suas funções;

c) não poderá ser transferido de setor, departamento, unidade ou filial da empresa sem causa justificada, que
é uma forma de impedir o exercício da função;

d) não poderá ser despedido ou sofrer sanções menores.

As entidades sindicais possuem funções com as quais buscam atingir aos seus objetivos.

A primeira e prerrogativa básica do sindicato a de representar os interesses da categoria perante os


empregadores, autoridades e poderes públicos. Essa representação é uma função natural das Entidades
Sindicais.

A segunda é a atividade assistencial e pode ser ilustrada pelos vários serviços que o sindicato presta, tais
como assistência judiciária aos associados, serviços médicos e odontológicos, organização de cooperativas
de consumo, escolas, cursos profissionalizantes, creches para as trabalhadoras, entre muitos outros.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”
www.r2direito.com.br

04
Outra atividade é a política, embora, não seja esta a finalidade dos sindicatos, em princípio. O ordenamento
constitucional estabelece que toda atividade política deve ser prerrogativa dos partidos políticos. Entretanto,
o homem é um ser político. No âmbito do sindicato fala-se e faz-se política, como em qualquer outro
ambiente social, ou talvez, mais ainda do que nos próprios partidos políticos.

A CLT, art. 521, proíbe aos sindicatos as atividades político-partidiárias, mas não a atividade política junto
aos órgãos capazes de tomar deliberação. O sindicato funciona como grupo de pressão, o que acaba sendo
uma forma indireta de se fazer política. Então, pode-se dizer que a função política indireta ou secundária,
não partidária, é legítima para o sindicato.

É função das entidades sindicais a de negociação, que talvez seja a mais importante.
Essa função negocial pode ser dividida ainda em duas etapas: a função de negociação propriamente dita e
função conciliatória, que é o resultado eficaz da primeira.

As Entidades Sindicais exercem também uma função administrativa, na medida em que necessita, por meio
de sua diretoria eleita e nos termos de seus estatutos, a Administrar um sindicato.

A função econômica é outra exercida pelas Entidades Sindicais, cabendo-lhe distribuir e controlar os
recursos financeiros arrecadados. Quanto mais recursos possuir, melhor poderá ser o seu desempenho para
realizar seus objetivos.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”
www.r2direito.com.br

05