Você está na página 1de 6

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS PROF.

ARMANDO DE LUCENA

CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS PROFª DEOLINDA REIS

Introdução

O Centro de Recursos é um espaço que pretende facultar o acesso, por parte da


comunidade escolar, a um conjunto de equipamentos, materiais e recursos fundamentais para o
bom funcionamento da vida escolar, podendo os seus potenciais utilizadores deles usufruir de
acordo com as normas deste regulamento.
A Coordenação deste sector é assegurada por uma equipa constituída por um
Coordenador e vários Co-coordenadores sectoriais (CEI, Material-livro, Ludoteca, Videoteca e
Manutenção).
O Centro de Recursos (CR) resulta da articulação das seguintes valências:

Biblioteca

Espaço onde se encontra o acervo bibliográfico da Escola, organizado por sectores


temáticos e catalogado segundo as normas CDU - Classificação Decimal Universal (catalogação
em curso). Está especialmente vocacionada para a leitura, quer com um fim específico em vista,
quer informal ou lúdica, para a consulta, pesquisa ou recolha de informação.

Hemeroteca
Valência da Biblioteca, constituída pelo acervo de revistas e jornais e ainda por dossiers
temáticos, destinada a consulta presencial ou utilização em contexto de sala de aula.

Centro Escolar de Informática


Espaço onde se encontra o equipamento informático (hardware) e material de suporte
(software) destinado à preparação e realização de trabalhos escolares. Disponibiliza também o
acesso à Internet exclusivamente para os mesmos fins, dispondo ainda de uma área destinada a
utilização de carácter lúdico.

Videoteca
Estrutura que engloba o acervo videográfico e equipamento de TV/VHS/DVD,
destinado ao visionamento de filmes e outros videogramas com finalidade didáctica, cultural ou
lúdica. Funciona no espaço da Ludoteca.

Audioteca
Estrutura que engloba o acervo em suporte discográfico. A sua disponibilização, face
aos meios técnicos disponíveis, carece de autorização da Coordenação.

Ludoteca
Espaço destinado ao lazer e à ocupação dos tempos livres dos alunos e que põe à sua
disposição jogos requisitáveis consoante a disponibilidade. O espaço físico é o mesmo da
Videoteca.
A utilização dos espaços e valências do conjunto do CR obedece a normas de carácter
geral e ainda a normas específicas para cada um desses sectores ou valências que se encontram
definidas em Regulamento próprio .

REGULAMENTO

I
Disposições Gerais

1. São utentes do CR todos os alunos, professores e funcionários da Escola e ainda outros


elementos da comunidade escolar, desde que devidamente autorizados. Esta autorização
compete ao Conselho Executivo ou à Coordenação do Centro.
2. São responsáveis pelo bom funcionamento, manutenção e desenvolvimento do Centro:
a. uma equipa de professores coordenadores;
b. o conjunto dos docentes aí destacados, a quem cabe assegurar o bom
funcionamento do Centro, o acompanhamento, encaminhamento e orientação
pedagógica dos alunos;
c. os funcionários aí destacados;
d. todos os seus utentes, enquanto cidadãos e membros da comunidade escolar.
3. Os utentes poderão utilizar as valências do CR dentro do horário afixado, salvo quando
aí estiverem a decorrer actividades lectivas, de formação ou dos Clubes da Escola.
4. Os alunos devem identificar-se à entrada de cada um dos pisos do Centro mediante a
entrega do cartão de estudante ao responsável de serviço, que o devolverá à saída após
verificação do material e equipamento utilizados.
5. Todos os utentes se comprometem a deixar o espaço, materiais e equipamentos que
vierem a utilizar nas mesmas condições em que os encontraram, bem como respeitar as
mais elementares regras de higiene e limpeza das instalações.
6. Os utentes devem manter um comportamento adequado à conservação de um bom
ambiente de trabalho e respeitar as indicações do responsável de serviço.
7. Nenhum aluno poderá frequentar o CR estando a faltar às aulas, o que deverá ser
verificado pelo responsável de serviço através do cartão de aluno ou de outro meio de
confirmação.
8. Na Reprografia poderão ser feitas fotocópias pagas dos materiais em consulta a partir
do espaço da Biblioteca, com a autorização do responsável de serviço, desde que tal não
seja vedado pelo regulamento do sector a que pertencem.
9. Os espaços do CR são passíveis de utilização pelos Clubes, projectos e outras estruturas
da Escola, que concordem em observar o disposto neste Regulamento.
10. Os espaços do CR poderão ser requisitados para aulas. Para tal, o professor da disciplina
deverá preencher uma requisição em formulário próprio e entregá-la com 48 horas de
antecedência. Deve igualmente zelar para que a actividade da sua aula não prejudique o
funcionamento dos restantes sectores.
11. Os coordenadores das estruturas que utilizam o Centro, os professores que o utilizam
como sede de aula, bem como os responsáveis de serviço devem assegurar-se do estado
dos equipamentos e materiais após a sua utilização.
12. O não cumprimento deste regulamento por parte de qualquer dos seus utentes poderá
implicar a interdição da frequência do CR por tempo determinado ou com carácter
permanente. Dependendo da gravidade da infracção, poderá ser instaurado processo
disciplinar.

2
13. A danificação, extravio ou perca do material utilizado ou requisitado implicam, a sua
reposição por parte do utente, ou, sendo tal inviável, o pagamento do seu valor
comercial actual.

II

SECTORES

Biblioteca

1. Os utentes poderão fazer a pesquisa dos títulos a consulta directamente nas estantes ou
solicitando a pesquisa informática (por cota, apelido do autor ou título) ao responsável
presente. Será atribuída uma cor a cada uma das principais classes CDU, para facilitar o
acesso aos livros.
2. Os utentes devem respeitar silêncio absoluto na área de leitura.
3. É expressamente proibido sublinhar, escrever, dobrar, ou, de qualquer forma danificar
os materiais utilizados.
4. É expressamente proibido retirar ou apagar a sinalização aposta pelos serviços
(carimbos, cotas, outros sinais ou registos).
5. O computador da área de atendimento da Biblioteca destina-se apenas à gestão do
acervo, sendo vedada a sua utilização para outros fins.
6. É facultada aos utentes:
a) a requisição domiciliária;
b) a fotocópia dos materiais;
c) Não são permitidas, no entanto, as requisições ou fotocópias dos livros de
referência (dicionários, enciclopédias, atlas, etc.) e de todos aqueles cujas
características não o permitam. Todos estes títulos estão identificados com
autocolante próprio.
d) As fotocópias deverão ser solicitadas na Reprografia através do acesso próprio
da Biblioteca, após autorização do responsável de serviço, salvaguardando as
restrições impostas pelo presente Regimento, ou, em situações omissas, pelo
parecer da Coordenação.
7. Terminada a consulta, os livros devem ser arrumados na respectiva estante e no lugar
correcto ou, tal não sendo possível, entregues ao responsável de serviço.
8. As requisições para leitura domiciliária:
a) são feitas em impresso próprio, a preencher integralmente pelo requisitante;
b) deverá ser preenchido um impresso por título requisitado;
c) são válidas por oito dias, após os quais deverão ser devolvidos os títulos
requisitados;
d) Mediante a apresentação do material requisitado, poderá ser renovada a
requisição por prazos subsequentes de oito dias, devendo tal ser registado no
impresso da requisição.
9. A não devolução, dentro do prazo estabelecido, de qualquer título, pressupõe a
aplicação de uma multa de 0,30€, agravada semanalmente no mesmo montante. Esta
multa será estabelecida pelo coordenador para o sector.
10. Será feita uma notificação ao utente em falta no sentido da devolução do material
requisitado. Esta notificação indicará igualmente o montante da multa aplicada e deve
ser apresentada pelo requisitante no momento em que regularize a situação.

3
Hemeroteca

As publicações periódicas e dossiers temáticos que constituem o seu espólio destinam-


se apenas a leitura, fotocópia e consulta presenciais, só sendo passíveis de requisição por
docentes, para utilização em contexto de sala de aula.

Centro Escolar de Informática (CEI)

1. São utentes do CEI todos os elementos da comunidade escolar, embora se destine


prioritariamente aos alunos da Escola.

2. O CEI é uma valência do Centro de Recursos Profª Deolinda Reis e, nesse sentido, está
sujeito ao mesmo projecto de utilização pedagógica definido para o seu conjunto, com as
adaptações necessárias.

3. O CEI é um espaço de consulta, pesquisa e realização de trabalhos escolares dos alunos,


podendo, no entanto, ser utilizada por outros sectores da Escola, quando existirem postos de
trabalho livres.

4. Poderão decorrer actividades de ensino-aprendizagem ou de formação, com grupos-turma ou


grupos de formandos, quando devidamente solicitadas e autorizadas.

5. O CEI pode ser utilizado para actividades lúdicas dando-se prioridade aos alunos que
necessitem de realizar trabalhos escolares.

6. Só é permitido o uso de jogos didácticos e de recreio disponíveis no site da escola, ou


sugeridos pelo docente responsável de serviço.

7. O CEI é constituído por vários postos, cada um com um computador ligado em rede e com
acesso à Internet, para a realização de trabalhos de pesquisa, consultas, produção e edição de
textos e outros trabalhos solicitados pelos docentes.

8. A consulta ou utilização de conteúdos impróprios para a idade dos alunos, acarreta a imediata
sanção prevista neste regulamento.

9. Em cada posto não deverão estar mais de dois utentes.

10. Os utentes devem dirigir-se ao docente responsável de serviço e apresentar a sua


identificação, informando da natureza do trabalho a realizar.

11. Ao docente de serviço cabe atribuir um posto de trabalho ao utente que deve zelar pelo
equipamento à sua disposição.

12. Não são permitidas aos utentes quaisquer alterações aos programas e ficheiros instalados
nos computadores, bem como a utilização de software não pertencente ao CEI.

13. Não é permitido alterar as configurações previamente estabelecidas, nem mesmo o ambiente
de trabalho.

14. Para guardarem os seus trabalhos, os utentes deverão utilizar pen-drive, CD ou disquetes.
Excepcionalmente poderão guardá-los na pasta "Os Meus Documentos", não se
responsabilizando o CEI pela sua eventual alteração ou eliminação.

4
15. As impressões dos trabalhos serão restritas aos solicitados pelos professores - actividades
curriculares ou de complemento curricular - e serão feitas a preto e branco, mediante
autorização expressa do responsável de serviço.

16. Sempre que se verifiquem problemas com o software ou o equipamento informático, deve o
utente comunicar de imediato o facto ao responsável de serviço. Caso este verifique a
impossibilidade de resolver a anomalia detectada, deve proceder ao encerramento do posto e
comunicar de imediato a avaria ao responsável pela manutenção do equipamento.

17. O software instalado ou existente em suportes externos (disquetes, CD-ROMs) não poderá
ser requisitado para utilização externa ao CEI.

18. Os alunos não podem desligar os computadores.

19. O aluno que não cumprir as regras estabelecidas será sujeito a uma medida educativa
disciplinar prevista na lei.

Videoteca

1. A Videoteca funciona em regime de visionamento presencial.


2. Os videogramas são disponibilizados pelo responsável de serviço, após consulta do
catálogo.
3. Poderá ser solicitada a consulta informática segundo o género, título ou cota, junto ao
coordenador para o sector.
4. Só é permitida a requisição de um videograma de cada vez, podendo ser visionado por
um máximo de dois utentes, que deverão colocar os auriculares ou manter um volume
de som que não perturbe os restantes utentes do Centro.
5. Em caso de mau funcionamento do aparelho, o utente deve limitar-se a
comunicar o facto ao responsável de serviço.
6. Após o visionamento, a cassete deve ser rebobinada/ o DVD retirado com as devidas
precauções e entregue ao responsável de serviço.
7. O responsável de serviço deverá supervisionar as condições de funcionamento dos
equipamentos utilizados e igualmente verificar o estado dos videogramas quando da sua
devolução.
8. Não é permitida a utilização de videogramas pessoais, excepto para a edição de
trabalhos curriculares, situação requerida e comprovada por escrito pelo professor
responsável.

Ludoteca

1. Os jogos disponíveis na Ludoteca encontram-se identificados por uma cota e dispõem


de um catálogo próprio.
2. Após consulta do catálogo, os utentes devem pedir o jogo escolhido ao responsável de
serviço.
3. Após a utilização, os jogos devem ser devolvidos ao responsável de serviço, que
deverá verificar o estado em que se encontram.

5
Nota final

Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pela estrutura de coordenação do CR


ou pelo Conselho Executivo, à luz do Regulamento Interno da Escola e da legislação em
vigor.