Você está na página 1de 2

O rapto misterioso

Era uma vez um menino chamado Filipe que vivia numa casa com o pai na aldeia do reino
do Rei Manuel.
O pai do Filipe há muitos anos atrás tinha sido o braço direito do Rei e por isso o Rei
Manuel convidou o Filipe e o seu pai para o jantar especial que iria realizar no Palácio real.
No final do jantar houve um baile, mas como o pai do Filipe não gostava de dançar, foi dar
um passeio ao jardim do Palácio.
De repente, apareceu o Homem de Gelo, raptou o pai do Filipe e levou-o para as masmorras
do seu Castelo encantado.

O Filipe perguntou a alguns convidados onde estava o seu pai e um convidado disse-lhe
que ele tinha ido para o jardim. O Filipe foi lá ver se encontrava o seu pai mas não o viu. De
repente o menino olhou para o chão e viu pegadas de gelo e achou estranho, mas mesmo assim
seguiu-as e foi dar ao castelo encantado do Homem de Gelo.

Ele entrou e perguntou se estava alguém. De repente apareceu-lhe um anão ,


que vivia escondido no castelo e que não gostava das maldades que o Homem de Gelo fazia e
disse ao Filipe que o Homem de Gelo tinha o seu pai preso nas masmorras do castelo, para
pedir algo ao rei muito valioso, que era o tesouro real, senão, matava o amigo do rei, que era o
pai do Filipe. Mas o anão sabia de uma passagem secreta que iria dar as masmorras onde o pai
do Filipe estava preso e ensinou ao menino o caminho ate lá.
Quando chegaram lá a porta das masmorras estava fechada o anão com o seu cogumelo
mágico fez abrir a porta. O pai do Filipe saiu e o anão conduziu-os até a porta de saída do
castelo encantado do Homem de Gelo.
Antes de irem embora o anão deu-lhes um presente que era um frasco cheio de nevoeiro
que lhes podia ajudar no seu caminho até casa.
De repente, ao saírem do castelo do Homem de Gelo, este que estava a olhar por uma
janela viu-os a fugir e foi atrás deles.
Mas o Filipe lembrou-se que tinha o frasco cheio de nevoeiro e era a altura indicada
para o usar.
Abriu o frasco e pousou-o no chão e fugiu para a frente com o seu pai com toda a
velocidade em direcção do reino do Rei Manuel.
O Homem de Gelo que vinha atrás, deixou de os ver devido ao nevoeiro e como
ninguém fechou o frasco cada vez havia mais nevoeiro e o castelo encantado do Homem de
Gelo ficou cercado de nevoeiro.
Quando os dois chegaram ao palácio do Rei Manuel contaram tudo o que se passou e o
Rei deu-lhes uma grande recompensa em moedas de ouro em troca da sua valentia.

O Homem de Gelo nunca mais conseguiu sair do seu castelo, pois não via nada à sua
volta, devido ao nevoeiro e por isso, nunca mais fez maldades com os habitantes dos reinos
vizinhos.

EB1 de Santo Emilião


Turma nº 26
Professora Ana Maria Sortes
Alunos do 3º ano:
Márcia
Margarida
Hélder
Joana
Cristiana

Interesses relacionados