P. 1
livre arbítrio e espiritualidade

livre arbítrio e espiritualidade

4.5

|Views: 612|Likes:
Publicado porMESSIAS

More info:

Published by: MESSIAS on May 30, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

07/24/2013

pdf

O ser humano em sua origem foi dotado como imagem e semelhança12

de

Deus. O Criador o colocou como sua representação magna no planeta terra. ―O

homem não é (e não se tornou) apenas uma imagem, mas uma imagem de

semelhança. Ele não é apenas representativo, mas representação‖13

. Sendo assim,

―é o representante visível, corpóreo, do Deus invisível, incorpóreo‖14

.

Não obstante, a estas nuances que retratam a singular importância do

homem em face de todo o restante da criação, isso o destaca como imagem de

Deus – a inexorável originalidade humana. Ou seja: foi facultado na criação do

homem, viver exclusivamente de sua origem em Deus.

A partir disto podemos afirmar categoricamente que Deus o Criador e

Senhor do homem, proporcionou ao mesmo viver da origem Divina. Isto por si só já

representa e expressa a Dádiva de Deus ao homem. Dotando-o na sua criação

como imagem e semelhança do próprio Criador; e para tanto o criou como um ser

perfeito e único capaz de se relacionar com seu criador em completa harmonia.

Tornando-o assim exclusivo e superior em meio a toda criação com privilégios

únicos e incomparáveis diante dos demais seres vivos.

No entanto, apesar de gozar de uma singularidade especial perante a

criação, o ser humano em si não era necessário para Deus ser o que é diante de

tudo que foi criado. Deste modo, a Bíblia diz que a humanidade foi criada com a

12

Segundo o Dicionário Internacional de Teologia do AT (1998, p. 316), ao verificar ―a relação entre
tselem (―imagem, q.v.) e demût (―semelhança‖) constata-se que em nenhuma outra passagem do
AT esses dois substantivos são paralelos ou relacionados um ao outro.[...]‖. Porém são feitas pelo
menos cinco sugestões – dentre elas a terceira diz: ― Não se deve procurar estabelecer nenhuma
distinção entre essas duas palavras. Elas são totalmente intercambiáveis.[...]‖‖

13

Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento, Harris, R., Laird, 1998, p. 317 (grifo
meu)

14

Ibid., p. 317

15

principal finalidade de glorificar o seu Criador15

. E sendo assim, por não haver

necessidade do homem existir por si só, logo o mesmo existe exclusivamente pela

dádiva da criação16
.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->