Você está na página 1de 9

Y  

O Y  
j um estilo literário
literário,, do teatro e
das artes plásticas
j surgiu na França
França,,
j no final do sculo XIX,
XIX,
j oposição ao Realismo e ao
Naturalismo..
Naturalismo
’  

    
j× partir de 1881, na França,
j pintores, autores teatrais e
escritores,
j misticismo advindo do grande
intercâmbio com as artes,
pensamento e religiões orientais.
orientais.
j diferentes formas de olhar sobre o
mundo, de ver, e demonstrar o
sentimento.
x   

    
Y   
j interesse pelo particular e individual
j realidade focalizada sob o ponto de vista de
um único indivíduo
j × visão objetiva da realidade não desperta
mais interesse
j  uma poesia que se opõe à potica
parnasiana
j se reaproxima da esttica romântica,
j volta
volta--se para o coração,
j procura o mais profundo do "eu",
j o inconsciente, o sonho.
G   

j aproximação da poesia com a música,


ja aliteração:
aliteração:
j consiste na repetição sistemática de um
mesmo fonema consonantal,
ja assonância,
j caracterizada pela repetição de fonemas
vocálicos.
u     

j Yuger
ugere e atravs das palavras sem nomear
objetivamente os elementos da realidade.
j Enfa
nfatiza
tiza o imaginário e a fantasia.
j Interpreta a realidad
realidade
e atraves da intuição e
não da razão ou da lógica.
j Prefere o vago, o indefinido ou impreciso.
j palavras como:
j nvoa,
j neblina,
j bruma,
j vaporosa.
£   

  

j Os temas são místicos, espirituais.


j ×busa--se da     ºsensação produzida
×busa
pela interpenetração de órgãos sensoriais:
j "cheiro doce" ou "grito vermelho"),
j das      ºrepetição de letras ou
sílabas numa mesma oração:
j "Na messe que estremece") e
j das   ºrepetição fônica das
vogais:
j repetição da vogal "e" no mesmo exemplo de
aliteração) tornando os textos poticos simbolistas
profundamente musicais.
No Brasil
Brasil
j dois grandes poetas destacaram-
destacaram-se dentro
do movimento simbolista:
j Cruz e Yousa a angústia de sua condição,
reflete--se no comentário de Manuel
reflete
Bandeira:: "Não
Bandeira "Não há ºna literatura brasileira)
gritos mais dilacerantes, suspiros mais
profundos do que os seus".
seus".
j ×lphonsus de Guimarães