Você está na página 1de 122
RADIESTESIA E SAUDE Kathe Bachler Virioe io os ftores que podem perturba a harmonin ds via Entre eles un fator importants, 40 qual bose tem dado a devia ten. (fo. 2 inuénca nocva dat sons de prtrbasZo ov de radiga0 do $515 cauada peo rustmento de ves de dg subterrineos, 1 selidede 8 pretenga deses cncamentor poder obsra dang ob aae pewows, mas também as plans © nos amas. Emboes ‘ao sjam a eaun ita de doeneas, como or gees eos bacls, qua. ‘dose pees ao podem evar ess zons de petubagdo, sus dete ‘= enlaguecem sbrindo camiaho pare lgum enfermidade de ocdem fic ou pacolgia, ‘Autora d tm trabalho sro de pesquisa nesse campo ~ tanto que foi eneanegaa pelo Inston Redapopco de Slsburgo ce estul 3 {ello ent chamiadas zai de perturbapfo e 0 buixo fendines, fo evcolar dos slunor ~, 4 rietessts Kathe Baclerexpbe nese liza ‘tesla que chegn depos de anos de trabalho, Segundo autor, mutos problemas de sade podem ser rl dos mudandose simplemente de lugar una mes, uma cima ou 2 ca fea do studante dat, Por iso, pete lwo, 4 radlesteta € apr Sentada como um vaio toxins da modiein Ao detectar, atavls do pendulo © ds focqulhs, etn 2onas de intereénea, o rests in pede que a pecam durante noite & freas que, durante di, 0 me {io procure fet com wo de medcaneatos, mes RADIESTESIA BUD Cen Sore Ue erent CMe etteary Gre Oe Mnd are mee Reece On Eo Bs iS] m w 3 m B ey m © Pa ¢ is] m Conn KATHE BACHLER RADIESTESIA E SAUDE Influéncas Geobiologicas sobre os Seres Vivos ‘Teatson smn ints Lavina roiToRs CuLTRIX Sto Palo hae “iad oni: ce, Berge ser Rutgers Goole Epis en esten copii © VERITAS, 42000 La naa es egreen Nota da ediggoosiina 8 Preficio do Dr. Lothar’. v. Rottssher. 9 refécio complementar do Dr. Matthias Lairetes, 10 Lema do livzo, 11 arcebisbo de Salzburge, 16 Explicagio para as abreviagdes e simbolos, 18 PARTE: GENERALIDADES, 1, RadiagSes, “radagies teliricas”, sensibidade a radiagoes, radiestesa, 21. 2. Como as plantas eos animais reagem as correntes aqustices subterrineas?, 23. 3. Coma as pessoas eagem as correntes aquiticassubterrinast, 28. 4. Constataso de comentes aquitias subterrineas?, 32. 5. Outras influén- tins do solo, 34.6. O que dizem os cientists e 08 médicos, 40, 17) O que dizem os médicos e clentstas sobre minhas expe- rendias?, 46. b) O radiestessta, um auxilar do médico, 33. 2) Formagio. de radiesessts.praticos que trabalham nen: falmente, #44) Formagto de radiestestas ue tabalham com & Thica,55:¢) © conhecmento empirico gefalmente € levado srio,'36. 8. As ertias e sa explicaso.58.9. Quais as provas Sobre a existéncia de influéncas teliricas?, 68. 10. Dez sinais ‘quase certos para a ocorréncia de zonas patogénicas no locals fama, 7. 11. Depois de quanto tempo 4 mudanea do local da fama’ tae beneficios?, 72.12. Tedas as pesoas deram noticias ‘sobre 0 efeitos da mudanga do local da cama?, 73.13. S50 deslocamento da cama € suiclente para a cura dO doente?, 74, s 14, Asinfluéncits do solo sforeconhecias pela medicna of como fatores desencadeadores de doengas?, 75. IS, Aura, f0t0s Kiran, 7" 16, Profundidade, quantidadee diego do fluxo da 17, Os acidentes automobilsticos podem ser pro eles radiagdes, Jo s0l0", 79. 18. Exlstem “interfe 4 “blindagens”?, 80. 19. Temos de levar em conto ‘Sutras influéncis do meio ambiente?. 81. 20. Vener a roting ‘iia com fucldade, 83. 21. O orgulho © a indecsio muitas exes fo. obsticulos para uma modificasSo neceséria, 84 22 "iso €inconcebtvel!™, 86 U PARTE: A EVASAO ESCOLAR COMO CONSEQUENCIA POSSIVEL DE ZONAS DE PERTURBACKO GEOPATICA NA, CASA PATERNA OU NA ESCOLA 1. Relatorio sobre “zonas de perturbacio no ambiente esco- lac", 93.2. Crsula,cxianga problema para pais e professors, 93."A Bpocs Pré-Bicoler, 98. 1 Inugncias no vente mater. 0, 95. 2, Danos cerebrais no nascimento, 95.3. Influéneas sobre lctentese eriangas pequenas, 95. A Idade Escolar, 97 1 Diferentes reagdes em zonas de perturbaggo, 97.2. Loca liaglo das amas de estudantes sobre onat de forte turbagdo: possvels conseqhéncias, 98. 3. Outras conseqlen clas, 103, "4" local de estudo na cass, 103. 5. O local das ules na escola, 108, 6, Incontinénci uriniria, 104.7. Di ferencas entre iiméor, 104, 8. Bom rendimenta escolir apesar| 4a influencia de zonas de perturbagio, 105.9. Exigese demais dos alunos, 105." 10, Uma entica, 105. 7. “Alunos exempla res", 106. 12. Jovens estudantes, 107. 13. Quas os beneicios auferdos pela mudanga dos locas de repouso e de esta?, 107 14. Porcentagem atribuia as zonas de pertubagdo, 108. 15 Auda através do professor (clases alternativas, aus), 108. Professores,instrutores © Dietores sob a Influencin de Zonas de Perurbagso. 112. Planejamento. para o Futuro, 114.0 prédio di escola © 0 mobilirio escolar, 115. Tamanho ade ‘quado do mobildrio escolr, 120, 6 III PARTE: CASOS VERIDICOS E ESTATISTICAS Fatos veriticos ovoridos com animals, 125. Uma viséo geral das reagdes em seres humans, 126. Fatos verdadetos ocor dos com lactentes e erianeas pequenss. 130. Fatos reals eco ridos com escolares e estudantes, 138.” Fatos coneretos ovon dos com instrutores, professors diretores, 157. Futos conete tos ¢ estatisticas a serem uilizados nos diversos dmbitos das artes e cura, 163. A= Neurologia (doeneas cerebral. nervous ¢ ‘spirituais), 163. Uma pigina da grande esatsies. 179. 8 Ofalmologia, 182. 'C * Otorsinolringolopa, 182, 183, D Odontologia. 183, 188. E- Dermatologta, 186, 187. F-Orto pedis, 187.” G - Pheumologia - 188. Hi - Medicina Interna 189. 190, 191, 192, 193, 194, 195, 1- Urologia, 195. 196. 197. J Ginecologa. 198, 199, 200. K - Cura de doengas re sméticas, 201, 202, 263, 204. Extatisticas resumidas(contagem) os trabalhos até 0 ndmero 1500, 204 Fatos concretos em fo. ‘als patogénieos de estar. 207 IV PARTE: CONCLUSYO 1A profiexa a presagso de ajuda através da radiestesia so de fo possiveis?, 215. 3. Utlizagdo nas eidncias scias. 216. 5° 0 problema do cincer. 217. 4 Sugestoes, 228 5” Uma perspectivaotimist, 27 Obras de imerese, que incentivam a vide natural © suudével 232 Notas (ontese referéncias) 234 Bibliogratia. 237 ‘Nota da Ego Original Durante sua pesquisa bisica,cujos resultados foram com- pilados neste lizo, 2 autora, Sra. Kithe Bachle, nfo ealizou frames em pessoas e, portanto, nunca estabelecey um di osteo. ‘A Sra. Bachler, em todos os casos citados, sempre se limitow s examinar os ambientes; fore iso, ela relata 0 que Ihe foi tranamitido pelas pessoas que solicitaram a sua ajud ‘A Faitora solicta 408 leitores que se abstenham de per. ‘punter a respeito de exames sobre locals de repouso. Os pro- fesores interessados poderiam talvez disigirse a0 conselho fseolar local, fim de convidars autora para palestas ou eur Sos para instrutoresinteressados senses ‘Or particilares somelhantes, podem dirgirse 3s escols piiblicas superores ou 4s asociagJes locas em cidales maio- fes, Como complementaga0. das pulesras, podem ser apon das as pesoas altamente sensvis, através de_experencas raiestéseas, que depois de um teinamento adequado for- ‘marse-iam como radistesistas ou rabdomantes ‘Desa maneira, também poderiam formar-se outras pes- seas, coma medicose professors. ‘Em poucos anos foram publicadas nove edigbes deste liv O tivo de Kithe Bachler @um best seller! Preficio Do Dr. Lothar R.v. Koltscher No mundo de hoje hé uma tendénciageral que nos im pele a nos libertarmos do ritmo sufocante atual © pariemos para aprendizado de um ‘entendimento do proceso global ‘qe rege a humanidade Desde 0 comego deste século encontramo-nos numa re- volugdo espiritual, completa em todos os campos Durante décadas, 2 medicina vem trabalhando com um esforgo louvével, no entanto, sem um plano de objetivos cons- lentes, sem métodos, seguindo ora uma diregf0 — © logo ‘p6s uma out ‘A ciéncia autentca nfo é, porém, um scimulo de fatos tsolados, mas antes 0 comhecimento. das telagdes etre lis © influéncias ‘No existe doenga sem influéncia do meio ambiente. O homer esté sempre em confronlo com seu ambiente, no ‘qual precisa sobreviver. Obseragdo, paciéncia, perseveranga, avaliagdo atin meditagdo slo os melhores msios auxiiares da verdadeira medica Devemos ser particularmente gratos & autora da_presen- te obra, que consegulu nos fomecer um quadro das infuen- as prejudiciais dos campos de_perturbagbes geopiticas s0- bre os estados de ““doena © sade” com descrigbes ab entes precisa