Você está na página 1de 12

EDSON XXXXX XXXXX RA: XXXXX

FÁBIO LUIZ PONTES RA: 90911488


GABRIEL VAZ RA: 909114603
GIRLAN DE OLIVEIRA MOREIRA RA: 909114109
JOÃO PAULO JUSTINO CHAVES RA: 909114888
LUIZ CARLOS COELHO DAVID RA: 909115040
THIAGO DA SILVA RA: 908201586

EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO


SÃO PAULO - 2010

1
EDSON XXXXX XXXXX RA: XXXXX
FÁBIO LUIZ PONTES RA: 90911488
GABRIEL VAZ RA: 909114603
GIRLAN DE OLIVEIRA MOREIRA RA: 909114109
JOÃO PAULO JUSTINO CHAVES RA: 909114888
LUIZ CARLOS COELHO DAVID RA: 909115040
THIAGO DA SILVA RA: 908201586

EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Trabalho apresentado como exigência parcial, do 4º


semestre, no curso de Ciência da Computação, da
Universidade Nove de Julho (UNINOVE).

Orientador: Prof. Marcos Ribeiro

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO


2
SÃO PAULO - 2010

Introdução

Educação à distância

A Educação à Distância vem se tornando uma boa opção para quem quer complementar os
estudos, aumentar as chances de arrumar um emprego, crescer na carreira e ter um diploma. A
característica básica da Educação a Distância é o estabelecimento de uma comunicação de dupla
via, na medida em que professor e aluno não se encontram juntos na mesma sala, sendo a
comunicação feita por meios, como por exemplo, a Internet – o meio mais usado atualmente. Em
alguns casos, como a graduação tecnológica ou o bacharelado, exigem-se alguns encontros
presenciais. O EAD é um modo diferente de ensino, que possibilita a auto-aprendizagem. O perfil dos
alunos de cursos à distância normalmente são pessoas com mais idade e maturidade e o EAD é
indicado para quem não consegue ir regularmente à escola ou cujo horário livre não bate com o dos
cursos presenciais.

Enquanto modelo de educação, não há diferença entre o modelo de Educação à Distância e o


modelo Tradicional, segundo especialistas. O contato face a face pode ser mais rico, mas o aluno de
EAD tem que fazer a diferença para amenizar este fator. Ele precisa ter disciplina, dedicação,
organização e motivação. Tanta dedicação no final pode fazer a diferença, sendo um ponto positivo
aos olhos do mercado de trabalho. Especialistas garantem que Ensino à Distância é uma grande
oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Cursos de Educação à Distância são ainda uma
ótima oportunidade para os que moram longe de grandes centros e querem, por exemplo, fazer
cursos mais especializados. Ainda há a questão dos custos que são bem menores do que os de
cursos presenciais.

A interligação (conexão) entre professor e aluno se dá por meio de tecnologias, principalmente as


telemáticas, como a Internet, em especial as hipermídias, mas também podem ser utilizados o
correio, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax, o celular, o IPOD, o notebook,
entre outras tecnologias semelhantes

O ensino à distância vem crescendo no Brasil e cada vez mais há a presença de boas escolas e
faculdades de renomes oferencendo mais essa opção para os alunos. Porém, assim como acontece
no sistema de educação presencial, ao optar por fazer um curso à distância é preciso estar atento. Na
hora de escolher o curso, avalie o programa, confira as aulas que terá, quem serão os professores,
quais são os requisitos e qual é o histórico da instituição. Busque ainda informações na Internet e
procure saber se alguém já fez o curso que deseja. Para cursos de graduação o MEC (Ministério da
Educação) orienta quem pode oferecer educação à distância no Brasil e os futuros alunos podem
conferir no site www.mec.gov.br se o curso é autorizado para tal finalidade. Ainda, é importante ver se
o MEC fez alguma avaliação do curso que escolheu.

A Educação à Distância tornou-se uma modalidade de ensino importante e necessária, uma vez
que possibilita que muitas pessoas tenham acesso à educação de qualidade. A EAD ainda tem
demonstrado um excelente desempenho no Brasil e o mercado de trabalho mudou sua maneira de
aceitar alunos provenientes de cursos à distância. A tecnologia ainda é uma grande aliada a
modalidades de ensino à distância, permitindo que os alunos tenham mais qualidade, diversidade e
interação em seus cursos e ainda diminuindo cada vez mais as barreiras para o acesso ao
conhecimento.

História

A educação a distância (EAD), em sua forma empírica, é conhecida desde o século XIX.
Entretanto, somente nas últimas décadas passou a fazer parte das atenções pedagógicas. Ela surgiu
da necessidade do preparo profissional e cultural de milhões de pessoas que, por vários motivos, não
podiam frequentar um estabelecimento de ensino presencial, e evoluiu com as tecnologias
disponíveis em cada momento histórico, as quais influenciam o ambiente educativo e a sociedade.

3
Gerações

O desenvolvimento da EAD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os


avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

• Primeira geração: Ensino por correspondência, caracterizada pelo material impresso


iniciado no século XIX. Nesta modalidade, por exemplo, o pioneiro no Brasil é o Instituto
Monitor, que, em 1939, ofereceu o primeiro curso por correspondência, de Radiotécnico. Em
seguida, temos o Instituto Universal Brasileiro atuando há mais de 60 anos nesta modalidade
educativa, no país.
• Segunda geração: Teleducação/Telecursos, com o recurso aos programas radiofônicos e
televisivos, aulas expositivas, fitas de vídeo e material impresso. A comunicação síncrona
predominou neste período. Nesta fase, por exemplo, destacaram-se a Telescola, em
Portugal, e o Projeto Minerva, no Brasil;
• Terceira geração: Ambientes interativos, com a eliminação do tempo fixo para o acesso à
educação, a comunicação é assíncrona em tempos diferentes e as informações são
armazernadas e acessadas em tempos diferentes sem perder a interatividade. As inovações
da World Wide Web possibilitaram avanços na educação a distância nesta geração do século
XXI. Hoje os meios disponíveis são: teleconferência, chat, fóruns de discussão, correio
eletrônico, blogues, espaços wiki, plataformas de ambientes virtuais que possibilitam
interação multidirecional entre alunos e tutores.

EAD Brasil

No Brasil, desde a fundação do Instituto Rádio Técnico Monitor, em 1939, o hoje Instituto Monitor,
depois do Instituto Universal Brasileiro, em 1941, e o Instituto Padre Reus em 1974, várias
experiências de educação à distância foram iniciadas e levadas a termo com relativo sucesso. As
experiências brasileiras, governamentais e privadas, foram muitas e representaram, nas últimas
décadas, a mobilização de grandes contingentes de recursos. Os resultados do passado não foram
suficientes para gerar um processo de aceitação governamental e social da modalidade de educação
à distância no país. Porém, a realidade brasileira já mudou e o governo brasileiro criou leis e
estabeleceu normas para a modalidade de educação a distância no país.

Em 1904, escolas internacionais, que eram instituições privadas, ofereciam cursos pagos, por
correspondência. Em 1934, Edgard Roquette-Pinto instalou a Rádio-Escola Municipal no Rio de
Janeiro no projeto para a então Secretaria Municipal de Educação do Distrito Federal dirigida por
Anísio Teixeira integrando o rádio com o cinema educativo (Humberto Mauro) a biblioteca e o museu
escolar numa pioneira proposta de educação à distância. Estudantes tinham acesso prévio a folhetos
e esquemas de aulas. Utilizava também correspondência para contato com estudantes. Já em 1939
surgiu em São Paulo (cidade) o Instituto Monitor, na época ainda com o nome Instituto Rádio Técnico
Monitor. Dois anos mais tarde surge a primeira Universidade do Ar, que durou até 1944. Entretanto,
em 1947 surge a Nova Universidade do Ar, patrocinada pelo SENAC, SESC e emissoras associadas.

Durante a década de 1960, com o Movimento de Educação de Base (MEB), Igreja Católica e
Governo Federal utilizavam um sistema radio-educativo: educação, conscientização, politização,
educação sindicalista etc.. Em 1970 surge o Projeto Minerva, um convênio entre Fundação Padre
Landell de Moura e Fundação Padre Anchieta para produção de textos e programas. Dois anos mais
tarde, o Governo Federal enviou à Inglaterra um grupo de educadores, tendo à frente o conselheiro
Newton Sucupira: o relatório final marcou uma posição reacionária às mudanças no sistema
educacional brasileiro, colocando um grande obstáculo à implantação da Universidade Aberta e a
Distância no Brasil.

Na década de 1970, a Fundação Roberto Marinho era um programa de educação supletiva à


distância, para ensino fundamental e ensino médio. Entre as décadas de 1970 e 1980, fundações
privadas e organizações não-governamentais iniciaram a oferta de cursos supletivos a distância, no
modelo de teleducação, com aulas via satélite complementadas por kits de materiais impressos,
demarcando a chegada da segunda geração de EAD no país. A maior parte das Instituições de
Ensino Superior brasileiras mobilizou-se para a EAD com o uso de novas tecnologias da
comunicação e da informação somente na década de 1990. Em 1992, foi criada a Universidade
4
Aberta de Brasília (Lei 403/92), podendo atingir três campos distintos: a ampliação do conhecimento
cultural com a organização de cursos específicos de acesso a todos, a educação continuada,
reciclagem profissional às diversas categorias de trabalhadores e àqueles que já passaram pela
universidade; e o ensino superior, englobando tanto a graduação como a pós-graduação. Em 1994,
teve início a expansão da Internet no ambiente universitário. Dois anos depois, surgiu a primeira
legislação específica para educação à distância no ensino superior. As bases legais para essa
modalidade foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases na Educação Nacional n°9.394, de 20
de dezembro de 1996, regulamentada pelo decreto n°5.622 de 20 de dezembro de 2005, que
revogou os decretos n°2.494 de 10/02/98, e n°2.561 de 27/04/98, com normatização definida na
Portaria Ministerial n°4.361 de 2004. No decreto n°5.622 dita que, ficam obrigatórios os momentos
presenciais para avaliação, estágios, defesas de trabalhos e conclusão de curso. Classifica os níveis
de modalidades educacionais em educação básica, de jovens e adultos, especial, profissional e
superior; Os cursos deverão ter a mesma duração definida para os cursos na modalidade presencial;
Os cursos poderão aceitar transferência e aproveitar estudos realizados em cursos presenciais, da
mesma forma que cursos presenciais poderão aproveitar estudos realizados em cursos à distância.
Regulariza o credenciamento de instituições para oferta de cursos e programas na modalidade à
distância (básica, de jovens e adultos, especial, profissional e superior).

Em Maio de 2009, a ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância organizou o 7º


SENAED - Seminário Nacional ABED de Educação a Distância totalmente online, envolvendo nas
atividades palestrantes do Brasil, Portugal e outros países de língua portuguesa.

Secretaria de Educação a Distância

A Secretaria de Educação a Distância – SEED – foi oficialmente criada pelo Decreto nº 1.917, de
27 de maio de 1996. Entre as suas primeiras ações, nesse mesmo ano, estão a estreia do canal Tv
Escola e a apresentação do documento-base do “programa Informática na Educação”, na III Reunião
Extraordinária do Conselho Nacional de Educação (CONSED). E após uma série de encontros
realizados pelo País para discutir suas diretrizes iniciais, foi lançado oficialmente, em 1997, o Proinfo
– Programa Nacional de Informática na Educação –, cujo objetivo é a instalação de laboratórios de
computadores para as escolas públicas urbanas e rurais de ensino básico de todo o Brasil.

Dessa forma, o Ministério da Educação, por meio da SEED, atua como um agente de inovação
tecnológica nos processos de ensino e aprendizagem, fomentando a incorporação das tecnologias de
informação e comunicação (TICs) e das técnicas de educação à distância aos métodos didático-
pedagógicos. Além disso, promove a pesquisa e o desenvolvimento voltados para a introdução de
novos conceitos e práticas nas escolas públicas brasileiras.

Programas e ações

Domínio Público – biblioteca virtual


Com um acervo de mais de 123 mil obras e um registro de 18,4 milhões de visitas, o Portal Domínio
Público é a maior biblioteca virtual do Brasil (dados de junho de 2009).
Lançado em 2004, o portal oferece acesso de graça a obras literárias, artísticas e científicas (na
forma de textos, sons, imagens e vídeos), já em domínio público ou que tenham a sua divulgação
autorizada.

e-Proinfo
O Ambiente Colaborativo de Aprendizagem (e-Proinfo) é um ambiente virtual
colaborativo de aprendizagem que permite a concepção, administração e
desenvolvimento de diversos tipos de ações, como cursos a distância,
complemento a cursos presenciais, projetos de pesquisa, projetos colaborativos e
diversas outras formas de apoio a distância e ao processo ensino-aprendizagem.

e-TEC
Lançado em 2007, o sistema Escola Técnica Aberta do Brasil (e-Tec) visa à oferta de educação
profissional e tecnológica a distância e tem o propósito de ampliar e democratizar o acesso a cursos
técnicos de nível médio, públicos e gratuitos, em regime de colaboração entre União, estados, Distrito
Federal e municípios. Os cursos serão ministrados por instituições públicas. O MEC é responsável
5
pela assistência financeira na elaboração dos cursos. A estados, Distrito Federal e municípios cabem
providenciar estrutura, equipamentos, recursos humanos, manutenção das atividades e demais itens
necessários para a instituição dos cursos. A meta é estruturar mil pólos e atender 200 mil alunos até
2010.

O Programa Banda Larga nas Escolas (PBLE)


Tem como objetivo conectar todas as escolas públicas à internet, rede mundial de computadores, por
meio de tecnologias que propiciem qualidade, velocidade e serviços para incrementar o ensino
público no País. O Programa Banda Larga nas Escolas foi lançado no dia 04 de abril de 2008 pelo
Governo Federal, por meio do Decreto nº 6.424 que altera o Plano Geral de Metas para a
Universalização do Serviço Telefônico Fixo Comutado Prestado no Regime Público – PGMU (Decreto
nº 4.769). Com a assinatura do Termo Aditivo ao Termo de Autorização de exploração da Telefonia
Fixa, as operadoras autorizadas trocam a obrigação de instalarem Postos de Serviços Telefônicos
(PST) nos municípios pela instalação de infraestrutura de rede para suporte a conexão à internet em
alta velocidade em todos os municípios brasileiros e conectar todas as escolas públicas urbanas até o
ano de 2010, mantendo o serviço sem ônus até o ano de 2025. A gestão do Programa é feita em
conjunto pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Agência Nacional de Telecomunicações
(ANATEL), em parceria com o Ministério das Comunicações (MCOM), o Ministério do Planejamento
(MPOG) e com as Secretarias de Educação Estaduais e Municipais.

Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo) É um programa educacional com o


objetivo de promover o uso pedagógico da informática na rede pública de educação básica. O
programa leva às escolas computadores, recursos digitais e conteúdos educacionais. Em
contrapartida, estados, Distrito Federal e municípios devem garantir a estrutura adequada para
receber os laboratórios e capacitar os educadores para uso das máquinas e tecnologias.

Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado)


O ProInfo Integrado é um programa de formação voltada para o uso didático-pedagógico das
Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no cotidiano escolar, articulado à distribuição dos
equipamentos tecnológicos nas escolas e à oferta de conteúdos e recursos multimídia e digitais
oferecidos pelo Portal do Professor, pela TV Escola e DVD Escola, pelo Domínio Público e pelo
Banco Internacional de Objetos Educacionais.

CURSOS OFERTADOS

• Introdução à Educação Digital (40h): Curso básico para professores que não têm o domínio
mínimo no manejo de computadores/internet. O objetivo deste curso é possibilitar aos
professores e gestores escolares a utilização de recursos tecnológicos, tais como:
processadores de texto, apresentações multimídia, recursos da Web para produções de
trabalhos escritos/multimídia, pesquisa e análise de informações na Web, comunicação e
interação (e-mail, lista de discussão, bate-papo, blogs).

• Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC (100h) - visa oferecer


subsídios teórico-metodológicos práticos para que os professores e gestores escolares
possam: compreender o potencial pedagógico de recursos das Tecnologias de Informação e
Comunicação (TIC) no ensino e na aprendizagem em suas escolas;
planejar estratégias de ensino e de aprendizagem, integrando recursos tecnológicos
disponíveis e criando situações para a aprendizagem que levem os alunos à construção de
conhecimento, ao trabalho colaborativo, à criatividade e resultem efetivamente num bom
desempenho acadêmico;
utilizar as TIC nas estratégias docentes, promovendo situações de ensino que focalizem a
aprendizagem dos alunos e resultem numa melhoria efetiva de seu desempenho.

• Elaboração de Projetos (40h): visa capacitar os professores e gestores escolares para que
eles possam desenvolver projetos a serem utilizados na sala de aula junto aos alunos,
integrando as tecnologias de educação existentes na escola.

6
• Curso Especialização de Tecnologias em Educação (400h): a proposta principal do curso
tecnologias em educação é propiciar a formadores/multiplicadores dos programas ProInfo
Integrado, TV Escola, Mídias na Educação, Formação pela Escola e Proinfantil e a
professores efetivos da rede pública de ensino e gestores escolares especialização,
atualização e aprofundamento nos princípios da integração de mídias e a reconstrução da
prática político-pedagógica.

Podem participar: professores e gestores das escolas públicas contempladas ou não com laboratórios
de informática pelo ProInfo, técnicos e outros agentes educacionais dos sistemas de ensino
responsáveis pelas escolas. Os professores interessados podem procurar a secretaria de educação
do seu estado ou município.

Sistema Universidade Aberta do BrasiL (UAB). O programa busca ampliar e interiorizar a oferta de
cursos e programas de educação superior, por meio da educação a distância. A prioridade é oferecer
formação inicial a professores em efetivo exercício na educação básica pública, porém ainda sem
graduação, além de formação continuada àqueles já graduados. Também pretende ofertar cursos a
dirigentes, gestores e outros profissionais da educação básica da rede pública. Outro objetivo do
programa é reduzir as desigualdades na oferta de ensino superior e desenvolver um amplo sistema
nacional de educação superior a distância. Há polos de apoio para o desenvolvimento de atividades
pedagógicas presenciais, em que os alunos entram em contato com tutores e professores e têm
acesso a biblioteca e laboratórios de informática, biologia, química e física. Uma das propostas da
Universidade Aberta do Brasil (UAB) é formar professores e outros profissionais de educação nas
áreas da diversidade. O objetivo é a disseminação e o desenvolvimento de metodologias
educacionais de inserção dos temas de áreas como educação de jovens e adultos, educação
ambiental, educação patrimonial, educação para os direitos humanos, educação das relações étnico-
raciais, de gênero e orientação sexual e temas da atualidade no cotidiano das práticas das redes de
ensino pública e privada de educação básica no Brasil.

Banco Internacional de Objetos Educacionais: o Banco Internacional de Objetos Educacionais é


um portal para assessorar o professor. No banco, estão disponíveis recursos educacionais gratuitos
em diversas mídias e idiomas (áudio, vídeo, animação/simulação, imagem, hipertexto, softwares
educacionais) que atendem desde a educação básica até a superior, nas diversas áreas do
conhecimento.

Portal do Professor: O Portal do Professor é um espaço para troca de experiências entre


professores do ensino fundamental e médio. É um ambiente virtual com recursos educacionais que
facilitam e dinamizam o trabalho dos professores. O conteúdo do portal inclui sugestões de aulas de
acordo com o currículo de cada disciplina e recursos como vídeos, fotos, mapas, áudio e textos. Nele,
o professor poderá preparar a aula, ficará informado sobre os cursos de capacitação oferecidos em
municípios e estados e na área federal e sobre a legislação específica.

O que é a Rede Nacional de EAD

Criada em 2005 pela Senasp/MJ em parceria com a Academia Nacional de Polícia a Rede
Nacional de Educação a Distância é uma escola virtual destinada aos profissionais de segurança
pública no Brasil, que tem como objetivo viabilizar o acesso dos profissionais destes profissionais aos
processos de aprendizagem, independentemente das limitações geográficas e sociais existentes.

Com a implementação da Rede, iniciou-se novo paradigma, em que a Senasp passou a exercer o
papel de efetivo órgão condutor dos processos de educação em segurança pública, promovendo a
articulação das Academias, Escolas e Centros de Formação e Aperfeiçoamento dos Operadores de
Segurança Pública, obviamente em um quadro de respeito aos princípios federativos.

A Rede possibilita aos policiais civis, militares, bombeiros, guardas municipais, agentes
penitenciários, policiais federais e rodoviários federais, a educação continuada, integrada e
qualificada de forma gratuita.

7
A Rede está implementada nas 27 Unidades da Federação por meio de 270 Telecentros
já instalados nas capitais e principais municípios do interior.

Os cursos são disponibilizados através de ciclos. A cada ano realizam-se 3 ciclos de aulas dos
quais participam, aproximadamente, 200 mil alunos por ciclo. São mobilizados dois mil tutores ativos
para as mais de três mil turmas que contam com até 50 alunos por sala virtual.

A Rede é um salto qualitativo em termos de investimento no capital humano, na valorização do


profissional de segurança pública, na busca da excelência nas ações de formação e,
conseqüentemente, na melhoria das ações de segurança pública.

Com o fortalecimento da Rede, o Governo Federal estabelece uma política onde os processos de
aprendizagem são contínuos, sistêmicos e não excludentes, garantindo assim a coerência com as
demais políticas de melhoria da qualidade da educação em segurança pública.

Objetivos

• Dotar as Unidades Federativas de um ambiente de ensino, mediado pela tecnologia de TV


digital e Internet para comunicação e informação;
• Disseminar/compartilhar conhecimentos e informações para todos os profissionais da área de
segurança pública, estimulando doutrinas e práticas unificadas independentemente da
distância;
• Favorecer o diálogo social entre as diversas instituições que compõem o sistema de
Segurança Pública;
• Ampliar a rede de pessoas que pensam e fazem a segurança pública;
• Contribuir com a integração dos profissionais da área de Segurança Pública;
• Promover a consolidação das Políticas Públicas na Área de Segurança Pública;
• Implementar ações de formação permanente de forma sistematizada;
• Registrar o capital intelectual das instituições/profissionais da área de Segurança Pública.

Por que o EAD?

A utilização dos métodos tradicionais de acesso à capacitação – exclusivamente presenciais


dadas às restrições de custo, tempo, distância e disponibilidade, já não atendem aos desafios
educacionais e de treinamento da área de segurança pública brasileira.

Os elevados custos, diretos e indiretos, associados aos deslocamentos e hospedagens, e as


dificuldades relacionadas aos afastamentos dos locais de trabalho para participação em cursos
presenciais, restringem de forma dramática o acesso à educação a um grupo muito reduzido de
pessoas.

No sentido oposto, a utilização de novas tecnologias aplicadas à educação, notadamente a


televisão por satélite e a rede internet, proporcionam a disseminação do conhecimento para
contingentes cada vez maiores, com redução de custos na medida em que crescem o número de
participantes no aprendizado justificando, plenamente, o investimento inicial com equipamentos,
redes de comunicação e desenvolvimento de conteúdos

A estratégia do projeto

A estratégia adotada pelo Projeto foi a de integrar, através de uma rede nacional de
telecomunicações, as ações do sistema educacional presencial e a distância, em conjunto com as
Academias de Polícia, respeitadas as peculiaridades e a autonomia das instituições de segurança
pública nos vários níveis, já que o público-alvo a ser atingido, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária
Federal, as polícias civis e militares, os corpos de bombeiros e as guardas municipais, apresenta
grande diversidade nos seus focos e considerável abrangência geopolítica.

8
O modelo funcional

A atenção com o conteúdo pedagógico está presente em toda a arquitetura do Projeto. Equipes
especializadas de educadores, conteudistas e pedagogos, conhecedores dos temas e da
problemática da segurança pública elaboram e acompanham o desenvolvimento e a implantação de
todas as etapas do Projeto Seat.

A solução tecnológica elaborada consiste na montagem de infra-estrutura de Tecnologia de


Informação baseada em rede, com telecentros instalados nas instituições de segurança pública de
cada Unidade da Federação. Os telecentros integram os recursos do canal corporativo de televisão e
da Internet, reunindo avançadas tecnologias aplicadas à educação e podendo, na sua expansão,
atender o acesso à educação continuada do contingente humano formado pelas mais de 500 mil
pessoas dedicadas à segurança pública no Brasil.

As antenas parabólicas, receptoras do sinal de satélite, instaladas em cada um dos telecentros,


viabilizam a ampliação da oferta dos cursos e programas para os mais distantes pontos do território
nacional e os cursos disponibilizados através da Internet capilarizam o acesso, permitindo que o
policial possa em qualquer lugar e no tempo que lhe for disponível, conectar-se e estudar os
conteúdos sem qualquer restrição.

Os telecentros são ambientes de treinamento compostos de telesala, sala web, ambiente de


tutoria e sala do servidor de rede, com a infra-estrutura e os meios necessários para teleconferências,
videoconferências, treinamento baseado em computador, e-learning, exibição de vídeos, filmes,
estando disponíveis tanto para treinamento corporativo, quanto para o treinamento de instituições
parceiras e também para a própria comunidade. A interatividade entre os alunos e professores é parte
fundamental na montagem da sua estrutura.

Instituições de Ensino que usam o EAD

Escola Virtual Bradesco

A Escola Virtual amplia o projeto pedagógico da Fundação Bradesco para além das fronteiras das
suas 40 unidades escolares.

Dedicado a oferecer cursos a distância - via Internet e semipresenciais nos segmentos de


Educação Básica, Educação Profissional e Educação de Jovens e Adultos - o portal de e-learning,
denominado Escola Virtual, está à disposição de alunos e ex-alunos, educadores e funcionários da
Fundação Bradesco, além de pessoas da comunidade e desempregados que desejem obter uma
nova especialização ou requalificação para o trabalho.

Cursos

O Portal Escola Virtual tem capacidade para atender até 150 mil alunos e foi desenvolvido a partir
de um conceito de mediação pedagógica que valoriza a interação e a colaboração dos alunos por
meio de ferramentas síncronas e assíncronas, com gerenciamento de campus virtual, conferência on-
line, exercícios on-line, chat e fórum. Além dos cursos oferecidos, os alunos podem constituir
comunidades de prática favorecendo a formação contínua.

Atualmente, estão disponíveis cursos das áreas Administração Financeira, Banco de Dados,
Aperfeiçoamento/Comportamentais, Governança de TI, Segurança, Tecnologia da Informação e de
formação continuada de profissionais da educação. Há também uma área exclusiva para as crianças.

O Portal da Escola Virtual também oferece suporte ao Projeto "Intel Educação para o Futuro"
como espaço virtual de comunicação e colaboração entre os participantes do projeto, voltado à
formação de profissionais da educação para o uso da tecnologia.

9
Universidade Braz Cubas

A Universidade Braz Cubas, uma das Instituições de Ensino Superior pioneira em Educação a
Distância, desenvolve disciplinas, programas e cursos, tanto de graduação como de Pós Graduação,
preocupada em garantir qualidade de ensino e em contribuir com as inovações no campo
educacional.

O melhor de tudo é que os diplomas e certificados dos cursos e programas EAD da Universidade
Braz Cubas são equivalentes aos diplomas e certificados de cursos presenciais.

Com o Aprendizado Expandido, você vai se aprofundar nos conhecimentos que mais o interessam
ou, até mesmo, que possam ser aplicados no seu dia a dia. Tudo isso com o apoio próximo dos
professores.

Graduação

• Administração;
• Ciências Contábeis;
• Gestão Ambiental;
• Gestão de Negócios;
• Gestão em Planejamento Financeiro;
• Gestão em Relações Humanas;
• Gestão Pública;
• Letras, com Habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa;
• Logística;
• Marketing;
• Pedagogia;
• Rede de Computadores;
• Segurança Pública;
• Serviço Social;
• Sistemas de Informação;

Pós Graduação

• Direito Público
• Docência do Ensino Superior
• Gestão de Negócios

SEBRAE- Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas


Educação SEBRAE – Cursos do SEBRAE

O SEBRAE, atualmente, oferece GRATUITAMENTE nove cursos pela internet: Aprender a


Empreender, Análise e Planejamento Financeiro, Como Vender Mais e Melhor, D-Olho na Qualidade,
Gestão de Cooperativas de Crédito, Atendimento ao Cliente, Boas práticas nos serviços de
alimentação: gestão da segurança, Empreendedor Individual e Iniciando um Pequeno e Grande
Negócio.
Ao final do estudo, estará à disposição dos concluintes o certificado de participação, que o aluno
poderá imprimir.

SENAC – São Paulo


10
Nosso método é totalmente flexível, desenvolvido segundo modernos modelos de ensino e de
tecnologia, sem perder o foco no aluno.

Trata-se de uma metodologia especial utilizada pelo Senac São Paulo. Por meio dela, aluno e
professor, embora separados presencialmente, trocam informações pelos recursos de comunicação e
de tecnologia, que favorecem a construção do conhecimento e facilitam a interação, que, inclusive,
pode acontecer em tempo real. Embora baseado em tecnologia, o e-Learning Senac São Paulo
mantém o foco no relacionamento humano, favorecendo a aprendizagem de forma autônoma e
respeitando o ritmo de cada um. Assim, o aluno pode escolher o melhor horário e o local para o seu
aprendizado.

O Senac São Paulo possui um excelente portfólio de cursos nas mais variadas áreas do
conhecimento. São cursos de pós-graduação, de extensão universitária e de aperfeiçoamento.

Há, ainda, a constante preocupação com a aplicabilidade dos conhecimentos obtidos, que visa
não só à atualização, mas também ao aprimoramento profissional dos alunos, de forma a
proporcionar novas oportunidades de trabalho, num mercado que tem se tornado altamente
competitivo.

O Senac São Paulo possui um excelente portfólio de cursos nas mais variadas áreas do
conhecimento. São cursos de pós-graduação, de extensão universitária e de aperfeiçoamento. Todos
os cursos oferecidos são certificados e contam com um sistema de tutoria, em que um especialista
faz a mediação da aprendizagem dos alunos em ambiente virtual colaborativo.

11
Referências Bibliográficas

RODRIGUES, Mariana (2010). Educação à distância. Disponível em


http://www.sucessonews.com.br/educacao-a-distancia-ead-o-que-e-e-como-funciona/. Acesso em 21
de novembro de 2010.

Fundação Bradesco. Escola Virtual. Disponível em http://www.fb.org.br/Institucional/EscolaVirtual/.


Acesso em 21 de novembro de 2010.

Ministério da Educação. Secretária de Educação a distância. Disponível em


http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=289&Itemid=356. Acesso em
21 de novembro de 2010.

SEBRAE. Educação SEBRAE. Disponível em http://www.ead.sebrae.com.br/hotsite/. Acesso em 21


de novembro de 2010.

SENAC – São Paulo.Educação à distância. Dispon´vel em http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?


newsID=a15572.htm&testeira=936&unit=GEAD. Acesso em 21 de novembro de 2010.

Segurança Pública. Ensino a Distância. Disponível em


http://portal.mj.gov.br/data/Pages/MJE9CFF814ITEMIDD9B26EB2E3CD49B79C0F613598BB5209PT
BRIE.htm. Acesso em 21 de novembro de 2010.

Universidade Braz Cuba. Ensino à Distância. Disponível em


http://www.brazcubas.br/hotsite/ead/sobre.html. Acesso em 21 de novenbro de 2010.

Wikipédia. Educação a distância. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Educa


%C3%A7%C3%A3o_a_dist%C3%A2ncia. Acesso em 21 de novembro de 2010.

12