Você está na página 1de 28

CENA 1 - CASA DE HERMAN/SALA - INT - NOITE

Continuação da cena final do capítulo anterior. Herman encara


Valentina, que o olha sem entender o que está acontecendo.

VALENTINA
Herman... Isso aqui não era um
jantar para médicos? Onde estão os
outros?

HERMAN
Valentina, infelizmente eles não
puderam comparecer. Problemas...

VALENTINA
Entendo.

HERMAN
Mas eu ficaria feliz se ao menos
você ficasse. Já que teve o trabalho
de vir até aqui...

VALENTINA
Tudo bem, eu fico!

HERMAN
(sorrindo)
Vou avisar a Lori. Volto em um
minuto.

Herman sai. Valentina olha para os lados, desconfiada.

CORTA PARA

CENA 2 - CASA DE HERMAN/SALA DE JANTAR - INT - NOITE

Valentina e Herman jantam. Valentina não consegue disfarçar o


desconforto de estar sozinha com Herman.

HERMAN
Algum problema, Valentina?

VALENTINA
Não! Problema nenhum... Eu só acho
meio esquisito jantar só com você
num lugar tão grande, sabe?

HERMAN
Entendo.
2.

VALENTINA
(olhando no relógio de pulso)
Eu acho que já está muito tarde.
Prometi a Angie que não chegaria em
casa muito tarde.

Valentina se levanta da mesa. Herman se levanta e segura sua


mão.

HERMAN
Está cedo ainda!

VALENTINA
(afastando sua mão da de
Herman)
Mas eu prometi...

HERMAN
(interrompe)
Ela não está sozinha, está?

VALENTINA
Não, não está.

HERMAN
Então que mal há em ficar mais um
pouco, hã? Vamos tomar pelo menos
mais um drinque.

Valentina não responde. Herman serve dois copos de uísque e


oferece um deles a Valentina. Ela olha para o copo, indecisa.

CORTA PARA

CENA 3 - FLAT DE VALENTINA/QUARTO - INT - NOITE

Angela está sentada na cama, muito inquieta. Lucille está


ajoelhada ao seu lado, nervosa.

LUCILLE
Angie, meu amor... Já está na hora
de dormir!

ANGELA
Só vou dormir quando mamãe chegar!

LUCILLE
(impaciente)
Minha filha, já está tarde demais!
Só Deus sabe a hora que aquela
menina vai chegar...
3.

ANGELA
Ela prometeu que ia chegar cedo.

LUCILLE
Ela deve ter tido algum problema,
tentei falar com ela por todos os
telefones e não consegui falar. E
ela vai ficar muito brava se chegar
e ainda encontrar você acordada.
Vamos, Angela, você tem que ir à
escola amanhã!

ANGELA
Eu não vou!

LUCILLE
Angela...

ANGELA
(aborrecida)
Tá bom, tá bom! Eu vou dormir.

LUCILLE
(sorrindo)
Muito bem! Assim que eu gosto.
(beija a menina na testa) Boa noite.

Angela dá um beijo em Lucille, deita-se e fecha os olhos.


Lucille passa alguns instantes olhando para a menina,
sorrindo. Depois entra no banheiro. Ao ouvir o barulho da
porta fechando, Angela abre os olhos e fica olhando para o
teto. Sonoplastia: Inflammatory writ - Joanna Newsom.

CORTA PARA

CENA 4 - VIDEOCLIPE

Imagens de Londres e Recife, terminando com uma tomada do


Edifício Atlanta.

CORTA PARA

CENA 5 - AP DE LEON/SALA - INT - NOITE

Leon assiste televisão, com o olhar perdido, evidentemente


desinteressado com relação ao que se passa. Jerri entra
correndo, vindo do corredor, carregando uma caixa de câmera
filmadora.
4.

JERRI
Leon, você tem que ver a belezura
que eu comprei hoje! (senta ao lado
dele com a caixa no colo e retira
cuidadosamente a filmadora) Eis aqui
a nossa filmadora! É com ela que vou
fazer o filme que minha musa vai
estrelar.

Leon não olha para Jerri enquanto ele fala.

JERRI
Ei, tô falando com você, velho!

LEON
Ah, desculpa... Do que você tá
falando mesmo?

JERRI
Comprei uma filmadora pra trabalhar.

LEON
(desanimado)
Ah, legal...

JERRI
Eu faço a compra do século, que vai
resolver todos os meus problemas, e
você só diz "ah, legal"?

LEON
Falando em resolver problemas, viu
algum apartamento?

JERRI
Vi, só que todos eram mais caros que
esse aqui. Mas amanhã eu vou com um
camarada procurar melhor.

LEON
Tá certo.

JERRI
Mas muda essa cara, pô. Até parece
que morreu gente!

Leon se deixa afundar no sofá. Jerri olha carinhosamente para


a filmadora e a recoloca cuidadosamente na caixa.

CORTA PARA
5.

CENA 6 - CASA DE HERMAN/SALA DE ESTAR - INT - NOITE

Herman continua bebendo. Valentina está sentada numa poltrona


de frente para ele, com um copo de uísque vazio na mão. Seu
rosto traz uma expressão de angústia e preocupação.

HERMAN
(com a voz ligeiramente
embaralhada, denotando seu
estado de embriaguez)
Tem certeza que não quer mais uma
dose, Tininha?

VALENTINA
(levanta-se)
Não, não quero mais nada, obrigada.
Aliás, acho que você devia parar de
beber e eu devo ir embora.

HERMAN
(levanta-se com dificuldade)
Não, não vá, minha querida! Temos
tanto a conversar...

VALENTINA
Não é melhor deixar essa conversa
para amanhã? Está muito tarde...

HERMAN
(interrompe)
Nada de tarde! Preciso falar tudo
agora, porque amanhã pode ser tarde
demais.

VALENTINA
(baixinho)
Ai, meu Deus! O que pode ser tão
urgente que não pode esperar pra
amanhã? Lucille e Angie vão me
escalpelar!

HERMAN
Sabe, Tininha... Eu tenho muitas
coisas guardadas aqui dentro. (leva
uma das mãos em direção ao coração)
E nunca tive confiança suficiente
emm ninguém para contar tudo, nem
com Lori, que está aqui há mais de
30 anos. Mas agora eu encontrei a
pessoa ideal para compartilhar
minhas dores. É você!
6.

VALENTINA
(assustada)
Eu?

HERMAN
Não tenha medo... Meus segredos não
podem matar ninguém além de mim
mesmo. Sente-se, sente-se!

Valentina obedece, lentamente.

HERMAN
(sentando-se na poltrona e
servindo-se de mais uma dose de
uísque)
Sabe, Valentina, desde que eu me
tornei médico e comecei a
trabalhar... Trabalhei toda a minha
vida naquele mesmo hospital e por
ali passaram mulheres que deixaram
marcas profundas na minha alma. Mas
nenhuma delas ficou, todas passaram.

VALENTINA
(baixinho)
Quer dizer que ele nunca foi casado.
Mas onde ele quer chegar com isso?

HERMAN
De todas elas, a última quase me
desgraçou. Nem sei como consegui
sobreviver aos encantos dela!

Valentina olha para Herman, curiosa. Herman levanta-se e


caminha, trôpego, em direção a ela. Pára a pouca distância
dela e acaricia seus cabelos, ternamente.

HERMAN
Lembro como se fosse ontem o dia em
que ela apareceu no hospital. Era
fim de Abril de 1980. Ela tinha
cabelos negros, assim como os seus,
os olhos também eram escuros e
carregados de medo, de desespero e
ao mesmo tempo uma ternura
infinita... Trazia um menininho nos
braços, de um mês e algumas semanas
de vida.

VALENTINA
Alice!
7.

HERMAN
Sim, era Alice, sua mãe. Foi algo
arrebatador o que senti quando a vi
pela primeira vez. Não consegui mais
tirá-la do pensamento e cheguei até
a comemorar o fato de cuidar de
Leon, assim poderia vê-la sempre...
Sim, ela mexia comigo como nenhuma
outra mulher mexeu e eu daria
qualquer coisa para tê-la.

Valentina, impressionada, observa Herman silenciosamente.

HERMAN
Mas ela era casada... E contra isso
eu nada podia fazer. Ela ainda está
com Marcelo, não está?

VALENTINA
Sim, quando eu saí do Brasil eles
ainda estavam juntos.

HERMAN
Vê? Não era para mim. Alice estava
proibida para mim desde o primeiro
segundo e eu me condenei todos os
dias por adorá-la tanto! Mas mesmo
assim, nunca deixei de amá-la e de
ter esperança de que um dia, quem
sabe, ela viesse a ser minha.
(tempo) Deus acabou por ouvir as
minhas preces...

Herman segura a mão de Valentina com força e se ajoelha aos


pés dela.

HERMAN
Tininha, eu a amo. Com o mesmo
ardor, com a mesma devoção com que
desejei sua mãe um dia, eu a quero.

Herman beija várias vezes as mãos de Valentina, que o olha


espantada, sem reagir. De repente ele pára de beijar-lhe as
mãos, a abraça com força e a beija na boca, com violência.
Valentina, assustada, o empurra e ele cai no chão,
desmaiado. Valentina, ao ver que ele caiu desacordado,
levanta-se imediatamente e tenta acudi-lo.
8.

VALENTINA
(sacudindo-o de leve)
Herman! Herman, acorde! Não foi
minha intenção... Acorde! (tempo)
Calma, Valentina... É melhor chamar
a governanta. (levanta-se) Lori!
Lori!

Os chamados de Valentina não surtem efeito. Desesperada, ela


começa a correr por todos os lados da casa, sem encontrar
Lori.

VALENTINA
Era só o que faltava... Ela não
está! Agora vou ter que ficar aqui a
noite inteira presa nessa casa!

Valentina respira fundo, resignada, e volta a sentar no chão,


ao lado de Herman, tentando acordá-lo.

CORTA PARA

CENA 7 - VIDEOCLIPE

Imagens aéreas de Londres à noite e no começo da manhã.


Sonoplastia: Manhã de Londres - Taiguara.

CORTA PARA

CENA 8 - CASA DE HERMAN/SALA - INT - DIA

Herman continua adormecido. Valentina, acordada, demonstra


estar bastante cansada, como quem não dormiu a noite inteira.
Lori entra e se assusta ao ver a cena.

LORI
What happened here?

VALENTINA
(levantando)
Your boss drank too much last night.
Please take care of him, I have to
go now.

Valentina sai da casa correndo. Lori tenta acordar o patrão.


Ele acorda e tenta se levantar, mas não consegue.

HERMAN
Oh, my God! Where am I?

LORI
Be careful, Sir! I'll bring a cup of
coffee.
9.

Lori sai, apressada. Herman levanta do chão, e olha em volta.


Lori volta com o café.

HERMAN
What about Valentina?

LORI
She went out just two minutes ago.

HERMAN
(assustado)
Two minutes?

Lori olha para Herman, sem saber o que dizer. Herman bebe o
café rapidamente.

CORTA PARA

CENA 9 - FLAT DE VALENTINA/SALA - INT - DIA

Valentina entra caminhando na ponta dos pés. Lucille está


sentada em um dos sofá e a olha, com ar repreensivo.
Valentina, ao notar que Lucille está lá, a olha, sem graça.

VALENTINA
Bom dia!

LUCILLE
(irônica)
Chegou cedo, hein?

VALENTINA
É, eu posso explicar...

LUCILLE
Então comece.

VALENTINA
Eu fiquei presa na casa do Herman.

LUCILLE
E o tal jantar com médicos?

VALENTINA
Não teve. Ele disse que na última
hora os colegas não puderam ir e...

LUCILLE
(irritada)
E por que você não voltou?

VALENTINA
Ele pediu que eu ficasse lá para
jantar! Aí eu fiquei...
10.

LUCILLE
E por que não ligou para casa para
avisar?

VALENTINA
Meu celular tava descarregado, poxa!
E o telefone da casa dele não
funcionava. Estranho, mas é verdade.

LUCILLE
(olhando feio para ela)
Valentina...

VALENTINA
Eu tô bem, ó! Viva, inteira... Só
tive que passar a noite inteira
tomando conta de um bêbado, o que
não foi muito legal, mas sobrevivi.

LUCILLE
Tente explicar isso para sua filha.

VALENTINA
Ai, meu Deus! Angela deve estar
revoltada comigo...

LUCILLE
Com muito custo consegui fazê-la
dormir.

VALENTINA
Vou lá dentro acordá-la.

Valentina levanta e sai, rumo ao quarto. Lucille, sentada,


acompanha a saída de Valentina com um movimento de cabeça.

LUCILLE
Algo me diz que essa menina tá
escondendo coisa...

CORTA PARA

CENA 10 - FLAT DE VALENTINA/QUARTO - INT - DIA

Angela está dormindo. Valentina entra, tentando não fazer


barulho. Angela acorda repentinamente.

ANGELA
Mamãe!

VALENTINA
Bom dia, filha... Dormiu bem?
11.

ANGELA
Por que você não dormiu em casa?

VALENTINA
Ai, meu anjo... É história comprida,
depois eu conto, tá? Agora você tem
que se arrumar pra ir à escola.

ANGELA
Não quero ir hoje, tô com sono.

VALENTINA
Angie!

ANGELA
Não vou!

VALENTINA
Você foi dormir tarde esperando por
mim?

ANGELA
Foi.

VALENTINA
Não devia ter feito isso...

ANGELA
Mas você prometeu que ia...

VALENTINA
(interrompendo)
Eu sei, meu amor, eu prometi. Mas eu
não pude cumprir... Você perdoa a
mamãe?

ANGELA
Perdôo.

VALENTINA
Então vamos nos arrumar pra ir à
escola?

Angela se levanta, contra a vontade, e vai com Valentina até


o banheiro.

CORTA PARA

CENA 11 - CASA DE JAIRO/COZINHA - INT - DIA

Flora, Jairo e Talles estão tomando café.


12.

TALLES
Padrinho, minha mãe ligou pro
senhor?

JAIRO
Não, filho. E eu tô preocupado com
isso... Ela disse que não ia passar
muito tempo em Recife e ainda não
voltou pra te buscar!

FLORA
Tá querendo despachar o Talles, tio?

JAIRO
Não, não é isso! Só acho estranho
que depois de tanto tempo Luciana
não tenha ligado nem pra saber como
tá o menino! Tá certo que ele tá
sendo bem cuidado, e tal, mas ela
bem que podia ligar. (tempo) E
Marcela, cadê?

FLORA
Tá lá dentro, brigando com a
sombra...

Marcela entra correndo na cozinha, quase derrubando as


coisas.

TALLES
Cuidado, menina! Vai pegar o trem,
é?

MARCELA
Não enche, Talles.

JAIRO
Marcela! Isso é jeito de falar,
ainda mais a essa hora da manhã?

MARCELA
Levantei do lado errado da cama,
tio, é isso.

FLORA
Mas que lado errado é esse? As camas
são encostadas na parede, a gente
sempre levanta pelo menmo lado!
13.

MARCELA
É modo de falar! Tudo tá dando
errado pra mim hoje! Até a torrada
tá ruim.

TALLES
Assim, foi você quem preparou o café
da manhã.

MARCELA
(grita)
Cala a boca, Talles! (levanta) É
melhor eu ir logo pro colégio.

Marcela sai da cozinha às pressas.

FLORA
Ei, peraí! A gente vai com você!

Flora e Talles saem correndo atrás de Marcela.

CORTA PARA

CENA 12 - ESCOLA/SALA DA DIREÇÃO - INT - DIA

Leon está sentado à sua mesa, cercado por papéis. Ele tenta
se concentrar no trabalho, mas pára constantemente e fica com
o olhar perdido. Seu telefone celular toca, e ele atende sem
ver quem está chamando.

LEON
Alô. (tempo) Ah, oi, Jerri. (tempo)
Tá, por mim tá ótimo. Pode alugar.
(tempo) Não tenho tempo! (tempo) À
noite a gente conversa.

Leon desliga o aparelho e volta ao trabalho, apático.

CORTA PARA

CENA 13 - VIDEOCLIPE

Imagens de Recife e Salvador. O vídeo termina com uma tomada


aérea da casa de Fernando.

CORTA PARA

CENA 14 - CASA DE FERNANDO/SALA DE JANTAR - INT - TARDE

A família está reunida, almoçando. O clima é tranqüilo.


Fernando aparenta estar distraído.
14.

GABRIEL
Gente... Eu queria aproveitar que tá
todo mundo aqui pra dizer uma coisa.

BÁRBARA
É coisa boa ou coisa ruim?

GABRIEL
Boa, mãe. (tempo) Eu e a Darren...
Estamos namorando.

BÁRBARA
(sorrindo)
Sério? Que maravilha! (olha para
Fernando) Ouviu só isso, Fernando?

Fernando, completamente alheio ao que acontece, não responde.

BÁRBARA
(grita)
Fernando!

FERNANDO
(voltando a si)
O que foi?

BÁRBARA
Você não ouviu o que Gabriel disse,
não é?

FERNANDO
Desculpa, filho, eu não ouvi. O que
era?

GABRIEL
Darren e eu estamos namorando.

FERNANDO
Ah, que bom! Meus parabéns.

BÁRBARA
(baixinho)
Muito estranho... Esse Fernando tá
mais estranho do que nunca! Depois
Gabriel vem dizer que não tenho
razão em contratar um detetive.

O almoço continua. Fernando retoma o ar distante e todos os


presentes na mesa prestam atenção nele.

CORTA PARA
15.

CENA 15 - CASA DE JAIRO/SALA - INT - TARDE

Marcela está deitada no sofá, com uma bolsa de água quente na


barriga, vendo televisão. Flora e Talles entram e se
surpreendem ao vê-la.

TALLES
E aí, Cela? Tá doente?

MARCELA
É...

FLORA
(pondo a mão na testa de
Marcela)
Hum... Com febre não tá.

TALLES
É dor de barriga?

MARCELA
Mais ou menos.

TALLES
Eu, hein... Vou tomar um banho e
almoçar.

MARCELA
Ah, se vira que não tem almoço
pronto não!

FLORA
Na moral, Cela... O que é que tu tem
que teve que vir mais cedo pra casa?

MARCELA
(baixinho)
Menstruei... E tô morrendo de cólica
aqui.

FLORA
Quer que eu ligue pro tio? Aí ele
traz um remedinho...

MARCELA
Não! Não precisa ligar pra incomodar
ele com isso. A bolsa de água quente
já resolve.

FLORA
Dói muito?
16.

MARCELA
Mais do que eu pensei, sabe?

FLORA
Foi por isso que você tava tão mal
humorada hoje de manhã?

MARCELA
Aham... É a TPM. Um dia você vai ter
isso também.

FLORA
Eu, hein...

Flora pega sua mochila no chão e vai para o quarto.

CORTA PARA

CENA 16 - PRAÇA DE LONDRES - EXT - TARDE

Michael e Valentina caminham de mãos dadas pela praça. No


meio do caminho, eles param, se encostam a uma árvore e se
beijam.

MICHAEL
E pensar que até um dia desses eu
achava que isso fosse impossível...

VALENTINA
Pra você ver que coisas impossíveis
acontecem!

MICHAEL
Tininha... Ontem, antes de dormir,
Liv Helen me perguntou se você ia
ser a nova mãe dela.

Valentina ri.

MICHAEL
Eu expliquei a ela que mãe só existe
uma, que no máximo você ia ser
madrasta dela, mas...

VALENTINA
Mas...

MICHAEL
O nosso relacionamento é sério
mesmo, não é?

Valentina fica por alguns instantes séria. Em seguida, sorri


e faz um carinho no rosto de Michael.
17.

VALENTINA
Ah, Michael... Coisas sérias demais
tendem a ficar chatas um dia, sabia?
Digamos que seja só
"relacionamento", sem "sério", ok? E
assim todos ficam felizes!

MICHAEL
Mas...

Valentina o beija, impedindo-o de continuar a fala. Começa a


tocar Sedona sunrise - Aerosmith.

CORTA PARA

CENA 17 - VIDEOCLIPE

Tomada aérea de vários pontos da cidade de Londres, no fim da


tarde e começo da noite. O clipe termina com uma tomada do
apart hotel onde Valentina mora.

CORTA PARA

CENA 18 - FLAT DE VALENTINA/SALA - INT - NOITE

Lucille entra, vinda do quarto, e encontra Valentina deitada


no sofá, com ar pensativo.

LUCILLE
Você chegou quietinha... Aconteceu
alguma coisa?

VALENTINA
Nada... Quer dizer, aconteceu uma
coisa sim.

LUCILLE
(aproximando-se)
Quer me contar?

VALENTINA
Michael me fez uma pergunta que me
deixou um pouco preocupada. Ele
perguntou se o nosso relacionamento
era sério.

LUCILLE
E não é?

VALENTINA
Eu não sei se estou pronta pra
isso...
18.

LUCILLE
Minha filha, se o problema é o que
aconteceu entre você e o pai da
Angela...

VALENTINA
(interrompe)
É, depois que eu me envolvi com o
Vinícius, fiquei com um medo danado
de compromisso. Medo de que tudo dê
errado de novo.

LUCILLE
Mas você gosta do Michael, não é?

VALENTINA
Gosto.

LUCILLE
Então se você gosta, por que não se
esforçar para acreditar que tudo
pode ser diferente dessa vez?

Valentina não responde, mas apóia o queixo sobre uma das


mãos.

LUCILLE
Pense nisso, viu?

Lucille dá um beijo na testa de Valentina e sai.

CORTA PARA

CENA 19 - AP DE LEON/SALA - INT - NOITE

Leon entra, cansado, e encontra Jerri, operando a câmera de


vídeo. Jerri aponta a câmera para Leon.

LEON
Jerri, pára.

JERRI
Estou testando o equipamento.

LEON
Vai testar filmando qualquer coisa,
tá? Menos eu. Senão quebro essa
coisa na tua cabeça e ainda conto
pra Ana Paula que o filme não existe
e tu não és meu primo coisa nenhuma.
19.

JERRI
(desligando a câmera)
Pronto, parei. Tenho boas notícias
pra você!

LEON
Achou um apartamento longe daqui?

JERRI
Achei. É bem menor que esse aqui,
mas é baratinho e simpático.

LEON
Podemos nos mudar hoje mesmo?

JERRI
(espantado)
Hoje?

LEON
É, agora, já. Não quero ficar nem
mais um minuto nesse prédio.

JERRI
Como quiser...

Leon e Jerri saem, em direção ao quarto.

CORTA PARA

CENA 20 - AP DE LEON/QUARTO - INT - NOITE

Leon e Jerri colocam várias malas vazias sobre a cama. Leon


abre o guarda-roupa, começa a tirar as roupas e colocá-las
dentro de uma das malas. Jerri desocupa as gavetas do criado
mudo.

LEON
Você acha que vamos precisar de
caixas?

JERRI
Não sei... Por via das dúvidas vou
pegar umas duas caixinhas lá na
portaria. Volto logo.

Jerri sai. Leon continua colocando as roupas nas malas. De


repente ele pára e olha pela janela, pensativo. Lágrimas vêm
aos seus olhos, mas ele logo as enxuga com o dorso da mão e
volta à arrumação.

CORTA PARA
20.

CENA 21 - CASA DE JAIRO/SALA - INT - NOITE

Jairo chega em casa, carregando algumas sacolas. Flora e


Talles estão sentados no sofá, vendo televisão e comendo
pipoca.

JAIRO
Já jantaram, meninos?

TALLES
Isso é o jantar. Quer um pouquinho?

JAIRO
(surpreso)
O jantar é pipoca?

FLORA
É... Marcela tava com muita cólica,
não ia conseguir fazer nada direito.

JAIRO
Cólica? (tempo) Ela tá com o que eu
tô pensando?

FLORA
Se o que o senhor tá pensando é que
Cela teve a primeira menstruação,
pensou certo.

JAIRO
Ai, meu Deus! Onde ela tá?

FLORA
Lá no quarto, deitada.

JAIRO
Vou lá falar com ela.

Jairo sai pelo corredor, apressado.

FLORA
Mas não vai ligar pra... Ninguém.

TALLES
Vocês, hein? Qualquer coisinha já
ficam com frescura...

FLORA
Queria ver você no lugar da Cela.

TALLES
Acabou o comercial, ó.
21.

Os garotos voltam suas atenções para a televisão e continuam


comendo.

CORTA PARA

CENA 22 - CASA DE JAIRO/QTO DE FLORA E MARCELA - INT - NOITE

As luzes estão apagadas. Marcela parece dormir, mas na


verdade está só deitada, de olhos abertos. Jairo entra e
acende a luz.

JAIRO
Opa, Marcela! Cheguei.

MARCELA
Oi, tio.

JAIRO
Flora me contou o que aconteceu.

MARCELA
Ela queria ligar pro senhor pra
dizer, mas eu não deixei. Que
bobagem...

JAIRO
Está tudo bem, não é mesmo?

MARCELA
Está sim, pode ficar tranqüilo.

JAIRO
Você não se assustou quando viu...

MARCELA
Não, tio! Ficou tudo bem, palavra! O
problema é essa cólica, que vai e
volta...

JAIRO
Bom, é melhor você conversar com
alguém de mais experiência...

MARCELA
Mamãe já tinha me contado tudo. E
até me comprou umas revistas que
falavam sobre o assunto!

Marcela mostra ao tio uma revista para adolescentes. Jairo


olha para a menina, espantado. Em seguida, pega o celular e
liga para Aurora.
22.

MARCELA
Tio, eu já pedi pra Flora não ligar
pra ninguém; agora o senhor também!

JAIRO
Eu só vou ligar pra Aurora, meu
anjo! Ela precisa saber!

MARCELA
Ah, não! Nada disso. Eu não quero
ninguém sendo incomodado por causa
de uma bobagem que acontece com
bilhões de mulheres todos os meses.
Desliga esse telefone, por favor!

JAIRO
Tá chamando.

Marcela apóia o queixo sobre os punhos cerrados.

CORTA PARA

CENA 23 - QTO DO ALBERGUE DO SOL AZUL - INT - NOITE

Aurora está sozinha no quarto, deitada sobre a cama, com o


travesseiro sobre o rosto. Seu celular está tocando e ela
reluta em levantar-se para atender. Depois de alguns
instantes, ela levanta, irritada, e desliga o telefone para
em seguida, voltar a se deitar.

CORTA PARA

CENA 24 - CASA DE JAIRO/QTO DE FLORA E MARCELA - INT - NOITE

Continuação da cena 22.

JAIRO
Algo está errado aqui. Aurora não
atendeu a ligação!

MARCELA
Tio, eu tô dizendo... Não se
incomoda ninguém por causa disso!

JAIRO
Mas você precisa de orientação num
momento desses, minha filha. E esse
tipo de orientação eu não posso dar.
23.

MARCELA
Garanto que não precisa, tio. Eu sei
o que significa isso que tá
acontecendo e os cuidados que tenho
que tomar. Não vou sair por aí
fazendo bobagem.

JAIRO
É... Sua mãe disse a mesma coisa e
deu no que deu.

MARCELA
Mamãe e eu somos pessoas diferentes,
tá? Agora vá dormir sossegado.

JAIRO
Está bem... Boa noite.

MARCELA
Boa noite.

Jairo apaga a luz e sai do quarto.

CORTA PARA

CENA 25 - CASA DE JAIRO/QTO DE JAIRO - INT - NOITE/HORAS


DEPOIS

Jairo está dormindo, mas está muito inquieto, rolando de um


lado para o outro.

DISSOLVE PARA

CENA 26 - CASA DE JAIRO/SALA - INT - DIA

A cena não é muito nítida, pois trata-se de um sonho de


Jairo. Aurora, Jairo, Flávio, Cristina, Ana Paula, Flora e
Talles estão reunidos, em silêncio e apreensivos. Marcela
chega em seguida, séria, e pára diante deles.

MARCELA
Pessoal, tenho uma coisa muito
importante pra dizer. É que... Eu
conheci um cara há uns dois meses
e...

CRISTINA
(interrompe)
Você tá namorando!
24.

MARCELA
É, a gente tava namorando escondido
porque ele dizia que o tio Jairo era
bravo e ele tinha medo de vir aqui.

JAIRO
Marcela...

MARCELA
Aí eu... A minha...

AURORA
Menina, não arrodeia e conta logo!

MARCELA
A minha menstruação tá duas semanas
atrasada.

ANA PAULA
(levanta-se, aflita)
Ai, meu Jesus Cristinho! A gente tem
que comprar aquele teste de
farmácia...

MARCELA
(interrompe)
Eu já fiz esse teste.

AURORA
Não me diga que deu positivo.

MARCELA
Deu positivo.

AURORA
(levando as mãos à cabeça)
Oh, meu Pai! Eu disse que não era
pra dizer isso!

Jairo fica lívido e leva uma das mãos ao lado esquerdo do


peito.

FLÁVIO
O coração do velho! Ele tá tendo um
piripaque!

Todos correm para acudir Jairo.

DISSOLVE PARA
25.

CENA 27 - CASA DE JAIRO/QTO DE JAIRO - INT - NOITE

Jairo acorda de repente, suando frio, e começa a olhar para


os lados, assustado. Instantes depois, ele respira fundo e se
deita.

CORTA PARA

CENA 28 - VIDEOCLIPE

Tomada aérea de Recife no começo do dia. O clipe termina


mostrando o Edifício Atlanta.

CORTA PARA

CENA 29 - 3º ANDAR DO ED ATLANTA - INT - DIA

Milena sai furtivamente de seu apartamento, aproxima-se da


porta do apartamento ocupado por Leon e toca a campainha.
Fecha os olhos, aguardando a resposta. Instantes depois, ela
torna a tocar a campainha. Sem receber resposta, ela começa a
tocar a campainha repetidamente, com violência. Desesperada,
ela sai correndo e desce as escadas.

CORTA PARA

CENA 30 - TÉRREO DO ED ATLANTA - INT - DIA

Milena vai correndo até a portaria e cutuca o porteiro, que


está dormindo. Ele desperta, assustado.

PORTEIRO
Sim, minha filha?

MILENA
(quase chorando)
Sabe dizer pra onde Leon, o meu
namorado foi?

PORTEIRO
Ah, minha filha... Ele saiu de casa
com o primo ontem à noite. Era quase
meia noite quando ele saiu.

MILENA
E não voltou?

PORTEIRO
Não. Ele se despediu de mim e foi
embora com as malas.

MILENA
Quer dizer que... Ele não mora mais
aqui?
26.

PORTEIRO
É... Ele não disse a você pra onde
tava indo?

MILENA
Não... Obrigada.

Milena sai correndo, sem conter as lágrimas. Pára ao pé da


escada e começa a chorar convulsivamente.

CORTA PARA

CENA 31 - QTO DO ALBERGUE DO SOL AZUL - INT - DIA

Cristina se arruma para sair.

AURORA
Vai pra onde, Cristina?

CRISTINA
Vou comprar minha passagem pra
Salvador.

AURORA
(surpresa)
Salvador?

CRISTINA
É, Salvador. Decidi que vou estudar
lá pra ver se minha carreira militar
acontece.

AURORA
Não sei o que seu pai vai dizer
disso...

CRISTINA
Ele só precisa saber que eu tô
estudando.

AURORA
Você é quem sabe... Agora eu vou
ligar pro seu pai e saber o que ele
queria ontem.

CRISTINA
Ele ligou, foi?

AURORA
Sim. Mas eu tava morrendo de dor de
cabeça e não atendi.
27.

Aurora pega seu celular e busca o número da casa na agenda.

CORTA PARA

CENA 32 - CASA DE JAIRO/SALA - INT - DIA

O telefone da casa toca. Marcela atende.

MARCELA
Alô? (tempo)Oi, tia! Tio Jairo tá lá
fora. (tempo) Ele queria que eu
falasse com a senhora, porque
menstruei ontem e ele queria que...
(tempo) Foi, tia. Ele queria que eu
falasse com alguém mais experiente.
Eu disse que não precisava incomodar
ninguém, mas...

Marcela fica por alguns instantes apenas ouvindo e acenando


afirmativamente com a cabeça. Jairo entra repentinamente na
casa, tremendo e pálido, com uma carta na mão.

MARCELA
(olhando para Jairo)
Tia, espera um pouquinho só. (coloca
a mão no bocal do telefone) O que
foi, tio?

JAIRO
(com a voz embargada)
Dá uma olhada nisso aqui.

Jairo dá a carta a Marcela, que a lê rapidamente, em


silêncio, e ao terminar, torna a olhar para Jairo, espantada.

MARCELA
Quem entregou isso?

JAIRO
Aqui diz que era um amigo dela, de
Recife.

MARCELA
Pode ser mentira, não é?

JAIRO
Não, não é mentira, minha filha... A
descrição da mulher morta bate
perfeitamente com a descrição de
Milena.

MARCELA
E agora, meu Deus?
28.

Jairo e Marcela se olham, comovidos.

********** FIM DO CAPÍTULO 37 **********