P. 1
Metodologia Científica - Princípios Básicos do SUS

Metodologia Científica - Princípios Básicos do SUS

|Views: 1.053|Likes:
Publicado porRicardoAzm

More info:

Published by: RicardoAzm on Mar 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/05/2013

pdf

text

original

Aspectos Históricos e Sociais da Saúde Coletiva no Brasil

Saúde: ´Estado de não doençaµ. no Rio de Janeiro. As únicas formas de assistência à saúde. febre amarela e peste bubônica. Principal justificativa das doenças: ´Miasmasµ. malária. limitavam-se aos próprios recursos da terra (ervas e plantas). . Criação das duas primeiras escolas de medicina no país: Colégio Médico .Cirúrgico (BA) e Escola de Cirurgia do Rio de Janeiro. Em 1789. àqueles que por conhecimentos empíricos (pajé e boticários) desenvolviam suas habilidades na arte de curar. e. haviam somente 4 médicos. Atenções voltadas somente para a cura de agravos à saúde. Principais doenças da época: varíola.

A morte Cólera .

A morte .

Passado Saúde: ausência de doença (aspecto físico) Ênfase somente. às ações curativas e necessárias para a reabilitação Gestão centralizada (Ministério da Saúde) Gestão centralizada (Ministério da Saúde) Gestão centralizada (Ministério da Saúde) Presente Saúde: completo bem estar físico. prevenção/proteção e reabilitação Descentralização para as demais esferas de governo (federal. mental e psicossocial Ênfase nos três níveis de atenção à saúde: promoção. estadual e municipal) Gestão centralizada (Ministério da Saúde) Gestão centralizada (Ministério da Saúde) .

estadual e municipal) Gestão centralizada (Ministério da Saúde) . mental e psicossocial Ênfase nos três níveis de atenção à saúde: promoção. prevenção/proteção e reabilitação Descentralização para as demais esferas de governo (federal.Época Século XVI No mundo Saúde: ausência de doença (aspecto físico) No Brasil Saúde: completo bem estar físico.

http://bvsms.br/conteudo/diretizes-e-princípios-dosus .pdf http://www.saude.sofi.gov.br/bvs/publicacoes/sus_principios .com.

.O que é? o O Sistema Único de Saúde é formado pelo conjunto de ações e serviços de saúde prestados por órgãos ou instituições federais. estaduais ou municipais.

De serviços .100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Fundo-a-fundo Rem.

Princípios o UNIVERSALIDADE o INTEGRALIDADE o EQUIDADE Diretrizes o DESCENTRALIZAÇÃO o HIERARQUIZAÇÃO o PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA .

é um princípio de justiça social que garante a igualdade da assistência à saúde. raça. sendo dever do Poder Público a provisão de serviços e de ações que garantam tal princípio.o acesso às ações e serviços deve ser garantido a todas as pessoas. devendo as ações de saúde procurar atender à todas as suas necessidades. A rede de serviços deve estar atenta às necessidades reais da população a ser atendida. independentemente de sexo. . sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie . EQUIDADE . INTEGRALIDADE . ou outras características sociais ou pessoais.significa considerar a pessoa como um todo.UNIVERSALIDADE . renda. ocupação.

individuais e coletivos. HIERARQUIZAÇÃO ² é um conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos.compreendida como a redistribuição de responsabilidades em toda a rede de serviços. devendo as ações de saúde procurar atender à todas as suas necessidades. estadual e federal).significa considerar a pessoa como um todo. . buscando um maior compromisso dos mesmos na solução dos problemas de saúde da população de sua responsabilidade. INTEGRALIDADE . em todas as esferas de governo (municipal. exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.DESCENTRALIZAÇÃO .

Rio de Janeiro: Graal. Mozart. Planejamento e gestão em saúde. . Instrução normativa número 01/97. 4. DONNANGELO.. ed. Lidia M. de estados e do distrito federal as condições de gestão criadas pela NOB SUS 01/96. 2) CAMPOS. Mozart. Lidia M. 1998. TONON. Brasília. ALBUQUERQUE. 6. Manoel Maurício. 1998. 178 p. TONON. de 15 de maio de 1997. 2. BRASIL. (Cadernos de saúde. Nilson Rosário. CAMPOS. 1998. OLIVEIRA. Belo Horizonte: Coopmed. Francisco E. Belo Horizonte: Coopmed. 1981. São Paulo: Hucitec. 174 p. Francisco E. (Cadernos de saúde. 1975. Políticas públicas: justiça distributiva e inovação. Legislação Básica do SUS. Pequena história da formação social brasileira. Maria C. OLIVEIRA. 102 p. instrumentos e fluxos do processo de habilitação de municípios. 161 p.. 3) COSTA. 3. Medicina e sociedade: o médico e seu mercado de trabalho.. Pioneira: São Paulo. F. 728 p.1. 5. Regulamenta os conteúdos. Diário oficial da união de 15/05/97.

Rio de Janeiro: Graal. Administração de saúde no Brasil. Maria J. In: GONÇALVES. cap.7. 324 p. LUZ. 1988. Rio de Janeiro. Graal. . 8. A crise da Previdência social. Previdência social no Brasil. As instituições médicas no Brasil: instituição e estratégia de hegemonia. 10. Saúde e trabalho ² a crise da previdência social. São Paulo: Pioneira. Luiz F. 1981. 1981. LEITE. 9. Florianópolis. GUIMARÃES. Cristina A. Reinaldo. 72 p. Madel F. 3. NICZ. Celso C. Rio de Janeiro. Graal. Saúde e Medicina no Brasil: contribuições para um debate. 1979. Planejamento Governamental. Ernesto L. 1974. POSSAS. UFSC. Rio de Janeiro: Zahar. 11. um instrumento a serviço do poder. Cadernos do curso de pós-graduação em administração. 225 p. 163197. 295 p. p. 12. MENEZES. 1979.

F. Sônia M. (Im)previdência social: 60 anos de história da Previdência no Brasil. 360 p. . 1985. de Araújo & TEIXEIRA. Jaime A. OLIVEIRA. Petropólis: Vozes. Teixeira.13.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->