P. 1
Apostila de I.E I - Revisada 1

Apostila de I.E I - Revisada 1

|Views: 6.793|Likes:
Publicado poratlas_offzz

More info:

Published by: atlas_offzz on Apr 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/18/2013

pdf

text

original

Sections

FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA – REDE DE DISTRIBUIÇÃO
AÉREA – EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS.

1. CAMPO DE APLICAÇÃO:

A) Edificações individuais urbanas, residenciais, comerciais ou industriais, com
cargas instaladas ≥ 75 KW;
B) Estações de bombeamento de concessionária de serviço de água, com
demanda ≤ 150 KVA;

C) Campo de futebol, ginásios poliesportivos, clubes recreativos, com
demanda
≤≤≤≤ 150 KVA;
D) Panificadoras com demanda ≤ 75 KVA;
E) Bancas de jornal e lanchonetes em “trailers”, com carga instalada ≤ 75 KW;
F) Unidades consumidoras rurais, com carga instalada < 75 KW;
G) Exposições de feiras agropecuárias, industriais ou comerciais e parques de
diversões, com demanda ≤150 KVA, desde que enquadradas como ligações
provisórias;
H) Agrupamentos de unidades consumidoras em edificações sem áreas comuns
de circulação.

2. DEFINIÇÕES:

CONSUMIDOR: É a pessoa física ou jurídica, comunhão de fato ou de direito legalmente
representada, que solicitar a CEMIG o fornecimento de energia elétrica e assumir
expressamente a responsabilidade pelo pagamento das contas e pelas demais obrigações
regulamentares.

UNIDADE CONSUMIDORA: São as instalações de um único consumidor, caracterizadas
pela entrega de energia elétrica em um só ponto, com medição individualizada.

EDIFICAÇÃO DE USO COLETIVO: É toda e qualquer construção, reconhecida pelos
poderes públicos, constituídas por duas ou mais unidade consumidora, cujas áreas comuns,
como consumo de energia sejam juridicamente de responsabilidade do condomínio.

EDIFICAÇÃO INDIVIDUAL: É toda e qualquer construção, reconhecida pelos poderes
públicos, contendo uma única unidade consumidora.

ENTRADA DE SERVIÇO: É o conjunto constituído pelos condutores, equipamentos e
acessórios instalados entre o ponto de derivação de rede secundária da CEMIG e a
medição, inclusive.

74

A entrada de serviço abrange, portanto, o ramal de ligação e o padrão de entrada da unidade
consumidora.

PONTO DE ENTREGA: É o ponto até o qual a concessionária se obriga a fornecer
energia, com participação nos investimentos necessários, bem como, responsabilizando-se
pela execução dos serviços de operação e manutenção do sistema, não sendo
necessariamente o ponto de medição.

RAMAL DE LIGAÇÃO: É o conjunto de condutores e acessórios instalados pela CEMIG
entre o ponto de derivação da rede secundária e o ponto de entrega.

PADRÃO DE ENTRADA: É a instalação compreendendo o ramal de entrada, poste ou
pontalete particular, caixas, dispositivos de proteção, aterramento e ferragens, de
responsabilidade do consumidor, preparada de forma a permitir a ligação da unidade
consumidora à rede da CEMIG.
O consumidor fica obrigado a manter em bom estado de conservação os componentes de
seu padrão de entrada e é o responsável pelos equipamentos de medição da CEMIG
instalados em seu padrão e responderá pelos eventuais danos causados aos mesmos.

RAMAL DE ENTRADA: É o conjunto de condutores e acessórios instalados pelo
consumidor entre o ponto de entrega e a medição ou operação.

ASPECTOS GERAIS: As edificações individuais devem ser atendidas através de uma
única entrada de serviço.

LIMITES DE FORNECIMENTO: O fornecimento de energia deve ser sempre efetuado
em tensão secundária de distribuição às unidades consumidoras que apresentarem cargas
instaladas ≤ 75 KW, ressalvado os casos indicados anteriormente. A unidade com carga
instalada superior a este limite terá o fornecimento em tensão primária de distribuição.

3. TIPOS DE FORNECIMENTO

3.1 - Classificação:

TIPO A: Fornecimento de energia a 2 fios ( Fase – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras urbanas e rurais, com carga instalada ≤ 10 KW e
que não constem:
- Motores monofásicos com Pn > 2 CV.
- Máquina de solda a transformador com Sn > 2 KVA.

TIPO B: Fornecimento de energia a 3 fios (2 fases – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras urbanas, com carga instalada entre 10 KW e 15
KW, que não constem:
- Os aparelhos vedados aos fornecimentos do Tipo A, se alimentados em 127 V ;
- Motores monofásicos com Pn > 5 CV alimentados em 220 V.
- Máquina de solda a transformador com Sn > 9 KVA, alimentados em 220 V.

75

TIPO C: Fornecimento de energia a 3 fios (2 fases – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras urbanas, com carga instalada ≤ 75 KW, que não

constem:

- Os aparelhos vedados aos fornecimentos do Tipo A, se alimentados em 127 V ;
- Motores monofásicos com Pn > 5 CV alimentados em 254V,

TIPO D: Fornecimento de energia a 4 fios (3 fases – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras urbanas, com carga instalada ≤ 75 KW, que não
se enquadram no fornecimento tipo A, B e C e que não constem:
- Os aparelhos vedados aos fornecimentos do Tipo A, se alimentados em 127 V;
- Motores monofásicos com Pn > 5 CV alimentados em 220V;
- Motores de indução trifásicos com Pn > 15 CV;
- Máquina de solda tipo motor gerador com Pn > 30 KW;
- Máquina de solda a transformador com Pn > 15 KW, alimentados em 220 V – 2
fases.
- Máquina de solda a transformador com Pn > 30 KW, alimentados em 220 V – 3

fases.

TIPO E: Fornecimento de energia a 3 fios (2 fases – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras rurais, com carga instalada ≤ 37,5 KW, que não

constem:

- Os aparelhos vedados aos fornecimentos do Tipo A, se alimentados em 127 V;
- Motores monofásicos com Pn > 19 CV, alimentados em 254 V;

TIPO F: Fornecimento de energia a 4 fios (3 fases – Neutro)
• Abrange as unidades consumidoras rurais, com carga instalada ≤ 75 KW, que não

constem:
- Motores de indução trifásicos com Pn > 50 CV;
- Motores monofásicos com Pn > 10 CV, alimentados em 220 V;
- Máquinas de solda vedadas ao fornecimento tipo D.

4. CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

4.1 - Determinação da Carga Instalada (KW):
Somando-se a potência em KW dos aparelhos de iluminação, aquecimento,
eletrodomésticos, refrigeração, motores e máquinas de solda, ligados em uma unidade
consumidora. Os aparelhos com previsão a serem adquiridos e instalados futuramente
também devem ser computados. Não é necessário considerar aparelhos de reserva. Quando
não dispuser das potências, recorrer às Tabelas 10 e 11. Usar a Tabela 2 e fazer KW
=KVA.
4.2 - Cálculo da Demanda (KVA)

O dimensionamento da entrada de serviço das unidades consumidoras urbanas com carga
instalada superior a 15 KW deve ser feitos pela demanda provável da edificação, dada pela
seguinte expressão:

76

D = a + b + c + d + e + f (KVA) Onde:

a........Demanda referente a iluminação e tomadas, dadas pelas Tabelas 12 e 13 .

b ..... Demanda relativa aos aparelhos eletrodomésticos e de aquecimento. Os fatores de
demanda, dados pelas tabelas 14 e 15, devem ser aplicados, separadamente, às cargas
instaladas dos seguintes grupos de aparelhos:
b1...chuveiros, torneira e cafeteiras (F.P = 1);
b2...aquecedores de água por acumulação e por passagem (F.P = 1);
b3...fornos, fogões e aparelhos tipo “GRILL” (F.P = 1);
b4...máquinas de lavar e secar roupas, máquinas de lavar louças (F.P. =0,85) e ferro elétrico
(F.P. =1);
b5...demais aparelhos: [TV, conjunto de som, ventilador, geladeira, freezer, liquidificador,
batedeira, exaustor, etc.(F.P = 0,85)]; [ ebulidor e torradeira (F.P = 1)].

b = b1 + b2 + b3 + b4 + b5

c.......Demanda dos aparelhos condicionadores de ar determinadas, na falta de informações,
por:

- 100% para os primeiro 5 aparelhos;
- 86% para os demais;
- 100% no caso de condicionador central de ar.

d........Demanda de motores elétricos, dadas pelas Tabelas: 16 e 17.

e........Demanda de máquinas de solda a transformadores, determinadas por:
- 100% da potência do maior aparelho*;
- 70% da potência do segundo maior aparelho;
- 40% da potência do terceiro maior aparelho;
- 30% da potência dos demais aparelhos.

f........Demanda dos aparelhos de Raios-X, determinadas por:
- 100% da potência do maior aparelho*;
- 10% da potência dos demais aparelhos.

* ......Caso haja mais de um maior aparelho, considerar apenas um como sendo o maior
aparelho.

Usar a Tabela 15

77

TABELA 10 – POTÊNCIAS MÉDIAS DE APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS E
DE AQUECIMENTO

Aparelhos de Aquecimento e Eletrodomésticos

Tipo

Potência (w)

Tipo

Potência (w)

Até 80 L

1500

Freezer Horizontal

500

De 100 a 150 L

2500

Freezer Vertical

300

Aquecedor de água
por acumulação

De 200 a 400 L

4000

Geladeira

250

Aquecedor de Água por Passagem

6000

Liquidificador

200

Aquecedor de Ambiente

1000

Máquina de Costura

100

Aspirador de Pó

600

Máquina de Lavar louças

1500

Batedeira

100

Máquina de Lavar Roupas

1000

Uso Doméstico

600

Máquina de Secar Roupas

3500

Cafeteira
(Máquina de Café) Uso Comercial

1200

Rádio Gravador

50

127 V

4400

Secador de Cabelos

1000

Chuveiro

220 V

6000

Televisor Preto e Branco

150

Conjunto de Som

100

Televisor a Cores

300

Ebulidor

1000

Torneira

2500

Enceradeira

300

Torradeira

800

Espremedor de Frutas

200

Ventilador

100

Exaustor

150

Microcomputador

300

Automático

1000

Impressora

45

Ferro de Passar
Roupa

Simples

500

Fornos , Fogões e Grill

Fogão

1500/Boca

Grill

1200

Forno (de embutir)

4500

Forno de Micro - Ondas

750

TABELA 11 – POTÊNCIAS NOMINAIS DE CONDICIONADORES DE AR TIPO
JANELA

Capacidade

Potência Nominal

BTU/h

Kcal/h

V.A

W

8500

2125

1500

1300

10000

2500

1650

1400

12000

3000

1900

1600

14000

3500

2100

1900

18000

4500

2860

2600

21000

5250

3080

2800

30000

7500

4000

3600

Nota: Valores válidos para aparelhos até 12000 BTU/h, ligados em 127 V ou 220 V e para
aparelhos acima de 14000 BTU/h ligados em 220 V.

78

TABELA 12 – FATORES DE DEMANDA PARA ILUMINAÇÃO E TOMADAS –
UNIDADES CONSUMIDORAS RESIDENCIAIS

Carga Instalada - C I ( Kw)

Fator de Demanda

CI < 1

0,86

1 < CI <2

0,81

2 < CI <3

0,76

3 < CI <4

0,72

4 < CI <5

0,68

5 < CI <6

0,64

6 < CI <7

0,60

7 < CI <8

0,57

8 < CI <9

0,54

9 < CI <10

0,52

CI > 10

0,45

Notas: Para lâmpadas incandescentes, considerar: KVA = KW (fator de potência unitário).
Para lâmpadas fluorescentes, considerar: KVA = KW / 0,85.

TABELA 13 – FATORES DE DEMANDA PARA ILUMINAÇÃO E TOMADAS –
UNIDADES CONSUMIDORAS NÃO RESIDENCIAIS

Descrição

Fator de Demanda (% )

Auditórios, salão de exposição, cinemas e semelhantes.

100

Bancos, lojas e semelhantes.

100

Barbearias, salões de beleza e semelhantes.

100

Clubes e semelhantes.

100
100 para os primeiros 12 KVA

Escolas e semelhantes.

50 para o que exceder 12 KVA
100 para os primeiros 20 KVA

Escritórios e salas comerciais.

70 para o que exceder 20 KVA

Garagens comerciais e semelhantes.

100

Restaurantes, bares, padarias e semelhantes.

100
40 para os primeiros 50 KVA

Clinicas, hospitais e semelhantes.

20 para o que exceder 50 KVA

Igrejas, templos e semelhantes.

100
50 para os primeiros 20 KVA

Hotéis e semelhantes.

40 para o que exceder 20 KVA
100 para os primeiros 20 KVA

Oficinas, indústrias e semelhantes.

80 para o que exceder 20 KVA

Notas: Para lâmpadas incandescentes, considerar KVA = KW (fator de potência unitário)
Para lâmpadas de descarga (vapor de mercúrio, sódio e fluorescentes) considerar KVA =

KW / 0,85.

79

TABELA 14 – FATORES DE DEMANDA DE FORNOS, FOGÕES ELÉTRICOS - GRILL

Fator de Demanda (%)

Número de Aparelhos

Potência até 3,5 KW

Potência Superior a 3,5 KW

1

80

80

2

75

65

3

70

55

4

66

50

5

62

45

6

59

43

7

56

40

8

53

36

9

51

35

10

49

34

Notas: Considerar para a potência destas cargas KW = KVA (fator de potência unitário)

TABELA 15 – FATORES DE DEMANDA DE APARELHOS ELETRO-
DOMÉSTICOS,

DE

AQUECIMENTO,

DE

REFRIGERAÇÃO

E

CONDICIONADORES DE AR.

Número de aparelhos

Fator de Demanda (%)

Número de aparelhos

Fator de Demanda (%)

1

100

16

43

2

92

17

42

3

84

18

41

4

76

19

40

5

70

20

40

6

65

21

39

7

60

22

39

8

57

23

39

9

54

24

38

10

52

25

38

11

49

26 a 30

37

12

48

31 a 40

36

13

46

41 a 50

35

14

45

51 a 60

34

15

44

61 ou mais

33

Notas: Aplicar os fatores de demanda à carga instalada determinada por grupo de aparelhos
separadamente.

Considerar KW = KVA (fator de potência unitário) para aparelhos de aquecimento; para os
demais, considerar KVA = KW /0,85.
No caso de hotéis, o consumidor deve verificar a conveniência de aplicação desta tabela ou

de fator de demanda igual 100%.

80

81

82

5. EXEMPLOS DE DETERMINAÇÃO DE CARGA INSTALADA

5.1 - Residência Urbana

Potência (W)

Quantidade

Descrição

Unitária

Total

01

Chuveiro elétrico 127 V

4400

4400

05

Lâmpada incandescente

60

300

01

Ferro de passar roupa simples

500

500

01

Geladeira

250

250

01

TV preto e branco (previsão)

150

150

01

Conjunto som (previsão)

100

100

TOTAL GERAL 5400 W = 5,4 KVA

. Fornecimento deve ser a 2 fios, sendo a entrada de serviço dimensionada pela faixa A2 ( 5 < CI < 10 KW ).

5.2 - Residência Urbana ou Sítio.

Potência ( W )

Quantidade

Descrição

Unitária

Total

02

Chuveiro elétrico 127 V

4400

8800

07

Lâmpada incandescente

60

420

05

Lâmpada incandescente

100

500

04

Lâmpada fluorescente

40

160

01

TV colorida

300

300

01

Geladeira

250

250

01

Freezer vertical

300

300

83

01

Máquina de lavar roupas

1000

1000

01

Conjunto som

100

100

01

Liquidificador

200

200

01

Batedeira

100

100

01

Enceradeira

300

300

01

Ferro de passar roupa - automático

1000

1000

01

Condicionador de ar 8500 BTU / h

1300

1300
TOTAL GERAL 13230W = 13,23 KVA

. O fornecimento deve ser a 3 fios, sendo a entrada de serviço dimensionado pelo tipo B ou pelo tipo C faixa
C1 ( 10 < CI < 15 KW).

6. EXEMPLOS DE CÁLCULO DE DEMANDA
6.1 - Restaurante e Lanchonete

. Determinação da carga instalada

Potência ( W )

Quantidade

Descrição

Unitária

Total

10

Lâmpada incandescente

60

600

01

Torneira elétrica

2500

2500

01

Chuveiro elétrico 127 V

4400

4400

01

Grill

1200

1200

03

Cafeteira - uso comercial

1200

3600

02

Condicionador de ar ( 18000 BTU/h)

2600

5200

01

Conjunto som

100

100

03

Espremedor de frutas

200

600

02

Exaustor

150

300

01

Ebulidor

1000

1000

04

Freezer vertical

300

1200

02

Torradeira

800

1600

01

Geladeira

250

250

04

Liquidificador

200

800

02

Máquina de lavar louças

1500

3000

TOTAL GERAL CI 26250 W

. O fornecimento deve ser a 4 fios, tipo D . O dimensionamento da entrada de serviço feito pela demanda
provável.
. Cálculo da demanda – D.........D = a + b + c
• Demanda de iluminação – ver tabela 13 ........a = 100 % CI = 0,6 KVA
• Demanda de aparelhos eletrodomésticos e de aquecimento ... ver tabela 15:
- b = b1 + b3 + b4 + b5
. fator de demanda para b1 = 0,70 ( 5 aparelhos – chuveiro, torneira e cafeteira)
b1 = 0,70 ( 1 x 4400 + 1 x 2500 + 3 x 1200 ) = 7,35 KVA
. fator de demanda para b3 = 0,80 ( 1 aparelho : grill )
b3 = 0,80 x 1200 = 0,96 KVA
. fator de demanda para b4 = 0,92 ( 2 aparelhos – máquina de lavar louças).
b4 = 0,92 x 2 x 1500/0,85 = 3,247 KVA
. fator de demanda para b5 = 0,41 (18 aparelhos – demais eletrodomésticos)
b5 = 0,41 ( 3 x 200/0,85 + 2 x 150/0,85 + 4 x 300/0,85 + 1 x 250/0,85 + 4 x 200/0,85 + 1 x 1000+ 2 x 800 ) =
2,585 KVA
b = 7,35 + 0.96 + 3,247 + 2,585 = 14,142 KVA
* Demanda de condicionador de ar – ver tabela 15....2 aparelhos ....c = 0,92 % CI = 0,92.5,72 = 5,2624 KVA
* Demanda Total .... D = a + b + c = 0,6 + 14,142 + 4,784 = 20,0044 KVA.

A entrada de serviço deve ser dimensionada pela Faixa D2 (15,1 < D < 23,0 KVA)

84

6.2 - Residência

. Determinação da carga instalada – CI

Potência ( W )

Quantidade

Descrição

Unitária

Total

15

Lâmpada incandescente

60

900

05

Lâmpada incandescente

100

500

02

Aquecedor de água p/ acumulação de 80 L

1500

3000

01

Freezer vertical

300

300

01

Geladeira

250

250

03

TV em cores

300

900

01

Ferro de passar roupa - automático

1000

1000

02

Condicionador de ar tipo janela ( 8500 BTU/h)

1300

2600

01

Máquina de lavar roupas

1000

1000

01

Máquina de secar roupas

3500

3500

01

Máquina de lavar louças

1500

1500

01

Enceradeira

300

300

01

Exaustor

150

150

01

Conjunto som

100

100

01

Chuveiro 220 V

6000

6000

01

Aspirador de pó

600

600

TOTAL GERAL CI 22600 W

O fornecimento deve ser a 4 fios, sendo o dimensionamento de entrada de serviço feito pela demanda
provável.

. Cálculo de Demanda – D ....... D = a + b + c
• Demanda de iluminação – ver tabela 12 ...... a = 81% CI = 0,81 x 1,4 = 1,13 KVA.
• Demanda de aparelhos eletrodomésticos e de aquecimento – ver tabela 15:
• b = b1 + b2 + b4 + b5
. fator de demanda para b1 = 100% ( aparelho) .. b1 = 6 KVA
. fator de demanda para b2 = 0,92 ( 2 aparelhos – aquecedor de água)
b2 = 0,92 x 3000 = 2,76 KVA.
. fator de demanda para b4 = 0,76( 4 aparelhos – máquinas de lavar, secar e ferro elétrico)
b4 = 0,76 x (1500/0,85 + 1000/0,85 + 3500/0,85 + 1000) = 6,1247 KVA
. fator de demanda para b5 = 0,54 ( 9 aparelhos – demais eletrodomésticos)
b5 = 0,54 x (300/0,85+250/0,85+3.300/0,85+300/0,85+150/0,85+100/0,85+600/0,85) = 1,48 KVA.
b = 6 + 2,76 + 6,1247 + 1,48 = 16,3647 KVA.
Demanda de condicionador de ar – ver tabela 15 ..2 aparelhos....c = 0,92 CI = 0,92.3,0 = 2,76 KVA
D = a + b + c = 1,13 + 16,3647 + 2,76 = 20,2547 KVA .
A entrada de serviço deve ser dimensionado pelo Tipo D, Faixa D2 ( 15,1 KVA < D < 23,0 KVA)

6.3 - Oficina ( Serralheria )

. Determinação da carga instalada

Potência ( W )

Quantidade

Descrição

Unitária

Total

15

Lâmpada incandescente

60

900

01

Chuveiro elétrico 127 V

4400

4400

01

Compressor 10 cv - 3φ

9680

9680

02

Máquina de solda 9 KVA – 1 φ

9000

18000

01

Serra de fita 3 cv - 1φ

3070

3070

02

Máquina de corte 5 cv - 1φ

4910

9820

85

01

Esmeril 1 cv – 1 φ

1100

1100

04

Furadeira 2 cv – 1 φ

2070

8280

02

Dobradeira 7,5 cv – 3 φ

6900

13800

01

Geladeira

250

250

TOTAL GERAL CI 69300 W

. O fornecimento deve ser feito a 4 fios, sendo o dimensionamento da entrada de serviço feito pela demanda
provável.
.Cálculo de demanda – D...............D = a + b + d + e
• Demanda de iluminação – ver tabela 13
- a = 100% CI = 0,9 KVA
• Demanda de aparelhos eletrodomésticos – ver tabela 15
- b = b1 + b5 = 4,4 + 0,25/0,85 = 4,6941KVA
• Demanda de motores - ver tabela 16 e 17
- Total de motores: 11 unidades.
- Motor 3φ 01 x 10 CV ⇒ 1 x 6,46 = 6,46 KVA
02 x 7,5 CV ⇒ 2 x 4,87 = 9,75 KVA

01 x 3 CV ⇒ 1 x 1,92 = 1,92 KVA
- Motor 1 φ 02 x 5 CV ⇒ 2 x 3,13 = 6,26 KVA
01 x 1 CV ⇒ 1 x 0,89 = 0,89 KVA
04 x 2 CV ⇒ 4 x 1,46 = 5,84 KVA

D = 31,11 KVA
• Demanda de Máquinas de Solda ... e = 1,0 x 9,0 KVA + 0,7 x 9,0 KVA = 15,3 KVA
Demanda Total : D = a + b + d + e = 0,9 + 4,6941+ 31,11 + 15,3 = 51,9941KVA.
A entrada de serviço deve ser dimensionada pela Faixa D6 (47,1 < D < 57,0 KVA).

86

TRABALHO n° 7

USANDO A NORMA ND- 5.1 – CEMIG, DIMENSIONAR A ENTRADA DE SERVIÇO DAS
SEGUINTES UNIDADES CONSUMIDORAS E O SEU TIPO DE FORNECIMENTO:

1. Residência urbana ou sitio.

Quantidade

Descrição

Potência Unitária (W)

Potência Total (W)

1

Chuveiro elétrico 127 V

5

Lâmpada incandescente

40

6

Lâmpada incandescente

60

3

Lâmpada fluorescente

40

1

TV preto e branco

1

Geladeira

1

Freezer vertical

1

Máquina de lavar roupas

1

Conjunto de som

1

Liquidificador

1

Batedeira

1

Enceradeira

1

Condicionador de ar – 8500 BTU/h

1

Ferro de passar roupas – simples

1

Fogão – 2 boca

1

Chuveiro elétrico – 127 V

Total (W)

2. Oficina (serralheria)

Quantidade

Descrição

Potência Unitária (W)

Potência Total (W)

20

Lâmpada incandescente

100

35

Lâmpada fluorescente

40

5

Chuveiro elétrico – 220 V

2

Compressores – 10 CV -3φ

2

Máquina de solda – 9 KVA- 1φ

2

Serra de fita – 2CV - 1φ

2

Máquina de corte – 7,5 CV -1φ

4

Esmeril – 1,5 CV - 1φ

3

Furadeira – 3 Cv - 1φ

3

Dobradeira – 6 CV - 3φ

2

Geladeira

1

Aquecedor de água por passagem

1

Aspirador de pó

2

Cafeteira – uso comercial

2

Ferro de passar roupa – automático

1

Fogão de 4 bocas

10

Condicionador de ar – 8500 BTU/h

1

Liquidificador

Total (W)

87

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->