Organização administrativa brasileira: princípios, espécies, formas e características o Alguns serviços o Estado presta diretamente sem transferir a terceiros. Essa prestação é chamada de direta ou centralizada. São realizados por membros da administração direta. o A melhor forma para ser eficiente é a especialização e por isso o estado transfere a prestação do serviço para pessoa especializada. Por exemplo, a transferência do serviço portal para os Correios. A descentralização dá-se toda vez que o Estado transfere o serviço pública para outra pessoa jurídica. Ela pode acontecer de 2 formas:  Descentralização por serviço: Transferida para pessoas criadas pela própria administração, sendo elas autarquias, empesas públicas, sociedades de economia mista e fundações públicas;  Descentralização por colaboração: Transferido para pessoa de direito privado através de concessão ou permissão. o Entes Administração Direta  Mesmo quando o Estado presta serviços diretamente, ele tem que ser eficiente na prestação deste serviço e por isso ele se divide internamente entre órgãos da mesma pessoa jurídica, e divide a competência entre os órgão internos, com a finalidade de especializar a prestação do serviço mantendo a mesma pessoa jurídica.  Essa distribuição interna é chamada de desconcentração. Que é a forma de distribuir a competência sem sair da pessoa jurídica. A desconcentração pode acontecer tanto na administração direta quanto indireta.  Órgãos públicos não possuem personalidade jurídica e por isso não são titulares de direitos e obrigações. Não possuem patrimônio próprio, pessoal próprio, etc. Eles são partes integrantes de uma pessoa jurídica. Não possuem personalidade jurídica, embora possuam capacidade processual ativa. Os órgão possuem CNPJ, mas este tem a finalidade organização de arrecadação de tributos, mas possuí-los eles não possuem personalidade jurídica.  Classificação o Hierárquica – Refere-se à características de comando e subordinação.  Independentes – São aqueles órgãos que representam os poderes: Executivo (Presidência da República), e Judiciário. Ele é independente hierarquicamente, ou seja, para suas decisões não cabem recursos. Em relação à administração eles são o ápice da hierarquia.  Autônomos – Não tem independência hierárquica, são subordinados aos órgãos independentes, mas possuem autonomia administrativa e financeira. Possuem orçamento definidos para eles. Ex. Ministérios

o Superiores – São órgãos subordinados aos autônomos. Entes Administração Indireta  . o Âmbito de atuação – Relaciona-se à competência na estrutura administrativa. Não possuem autonomia. sua atuação é restrita ao que lhe compete. Não se relaciona com jurisdição. Ex.  Local – Exerce competência somente em parte da pessoa jurídica. Não estabelecem normas ou dão ordens.  Central – É aquele que exerce competência em todo o âmbito da pessoal jurídica que atual. Secretaria da Receita Federal. mas conservam poder de decisão no exercício da atividade.  Subalternos – São subordinados aos superiores e são de mera execução de atividade administrativa e não possuem poder de decisão.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful