Você está na página 1de 5

TITULOS EM JORNALISMO Organização. Prof. Marconi Oliveira da Silva 1.

TÍTULO “Palavra ou frase, geralmente composta em corpo maior do que o utilizado no texto, e situada com destaque no alto de notícia, artigo, seção, quadro etc., para indicar resumidamente o assunto da matéria e chamar a atenção do leitor para o texto.” (DC, 577) “É o anúncio da notícia, concentrando no fato que provavelmente mais despertará atenção.” (MG,37) “Frase tipograficamente composta de letras grandes, que se dispõe acima, abaixo (excepcionalmente) ou ao lado do texto, com a finalidade básica de dar ao leitor uma orientação geral sobre a matéria e despertar o interesse para a leitura.” (DPJ, 312) Obs. Esta definição é de J. Douglas. “Ao lado da missão de atrair o leitor, interessando-se pela leitura da notícia, o título tem duas outras funções: a informativa e a estética. (PND,77) “Os títulos tentam mostrar que as notícias sobre as quais foram colocados são melhores que as outras, referentes ao mesmo assunto e que os vários jornais do dia também estão divulgando.” (JG,28) “O título deve ser uma síntese precisa da informação mais importante do texto. Sempre deve procurar o aspecto mais específico do assunto, não o mais geral.” (MFSP,168). 2.ANTETÍTULO – SOBRETÍTULO “Antetítulo (ou olho) – é formado com tipos menores, antes do título de uma notícia.”(JG,30) “Olho: pequeno trecho, em corpo tipográfico um pouco maior, colocado sobre o título, apresentado em corpo ainda maior.”(PND,80) “Título formado com tipos menores, antes do título principal de uma notícia.” (DPJ,38) “Olho: Pequeno título antetítulo.”(DPJ,225) que antecede o título principal, também chamado

“Palavra ou frase em corpo menor do que o utilizado no título e colocada antes (geralmente acima) dele, para introduzi-lo, indicar o assunto ou a pessoa nele focalizada, ou localizar a posição geográfica e temporal.”(DC,41) “Sobretítulo é o nome que se dá à linha-fina quando está diagramada acima do título e não abaixo, como de hábito. O recurso está em desuso na Folha.” (MFSP,165) “Chapéu – Palavra ou expressão curta colocada acima de um título. Usada para indicar o assunto de que trata o texto ou os textos que vêm abaixo dela.” (MFSP,130)

” (JG.INTERTÍTULO – ENTRETÍTULO “Colocado no meio de uma composição que se refira a um só assunto e que tem por finalidade tornar a leitura mais fácil. Não use com chapéu. mas sempre de corpo menor que o dos caracteres usados no título. que aparece abaixo do título e serve para completar seu sentido ou da outras informações.552). entrevista etc). A expressão provém do fato de ser o antetítulo. embora mais discretos e com excelente técnica.” “Como o nome diz. muitas vezes. Apresenta o inconveniente de não ter muito sentido prático.30). artigo.” (DC.80) “Titulo secundário colocado imediatamente após o título principal de uma matéria jornalística. menos cansativo e mais fácil de ler. pequeno título que parece no interior de textos muito longos e tem a função de arejar a leitura. “Sutiã – O mesmo que antetítulo.153) 4.“Boné – Nome dado pela Folha a uma vinheta identificadora do assunto ou gênero de determinado texto.” (DPJ. “Título secundário.134) “Cada um dos títulos que subdividem um texto extenso ( notícia. O boné é aplicado em espaço aberto no primeiro parágrafo do texto.” (JG.126) 2 “Vinheta – Originalmente. na gíria de jornalistas veteranos..169). A Folha de S.” (MFSP.SUBTÍTULO “Subtítulo”: colocado abaixo do título (PDN. pouco maior. “Gravata – É a palavra que vem logo abaixo do título de uma arte e que tem a função de explicar o que ela representa.OLHO 2 .147) “Linha-Fina – Frase ou período sem ponto final. O recurso é pouco usado na folha. Foi muito usado pelos jornais até 1960 aproximadamente. no mesmo corpo ou em outro. geralmente. sustentado por um fio. Funciona como subtítulo.] A expressão designa hoje a forma gráfica usada para caracterizar um seção na página de jornal ou revista. Usa letras menores que as do título e maiores que as do texto. as mesmas normas de redação deste. A divisão da matéria em vários trechos destacados por entretítulos é um recurso gráfico-visual destinado a tornar o texto mais atraente.”(MFSP. Também empregada em rádio e Televisão.” (MFSP. pequenos elementos decorativos desenhados por miniaturistas medievais nas margens dos manuscritos [. A palavra serve também para designar o fio que separa o título do corpo de uma tabela. 3.. em letras grandes. Serve para destacar algum detalhe que completa o sentido do título e segue. usualmente.” ( DC. É composto.550). subordinado a outro e composto em caracteres menores. (MFSP.Paulo porém.30) “Titulo intercalado na composição.”(MFSP) 5. voltou a emprega-los.

379) “Título principal de uma edição. acima ou abaixo dela.204) “Título do mesmo comprimento da manchete. Segundo título em importância jornalística na mesma página.. colocado ao alto: a manchete da página. Indica o fato jornalístico de maior importância entre as notícias contida na edição. em tipos menores que os da manchete e acima ou abaixo dela.124) Também chamada de Manchete seca.MANCHETINHA “Titulo que ocupa toda a largura da página. geralmente no alto da primeira página de um jornal ou revista.425) “Olhos são títulos auxiliares ou pequenas frases postas no meio do texto. diagramado em corpo maior e colocado em janelas da composição corrida. 2. (MRSP.89) “É a principal notícia do dia e deve receber o título mais importante da Primeira Página.” (DC. título de maior destaque (em tamanho e importância jornalística) no alto de cada página de notícias. ‘A manchete.” (G. anunciando o assunto mais importante da edição. ext.30) “O segundo título. é a frase ou palavra que forma o título principal da primeira página do jornal.” (PDN.XIII) 7. nas quais se destacam frases relevantes e sugestivas do artigo. O assunto mais destacado de uma página deve merecer sua manchete. Para ganhar espaço. Em geral tem apenas três linhas de texto centralizadas. Servem para tornar mais leve o aspecto da página.” (MG.” (DPJ.MANCHETE “Titulo principal. é publicada no alto de um dos cantos. em tamanho e importância jornalística.” (MFSP. O assunto mais importante do dia ganha a manchete da primeira página do jornal. na primeira página ou nas páginas internas de um jornal.77) “Como todo mundo sabe. admitem-se alterações pequenas e supressão de palavras. destacando aspectos relevantes da matéria.”(JG.(MRSP. pode ocupar toda a sua extensão horizontal ou. composto em letras garrafais e publicado com grande destaque.” (DC. entrevista ou transcrição.3 “Recurso de edição mais usado na Folha para anunciar os melhores trechos de textos longos e arejar sua leitura.153) “Bandeira – Título sem texto de chamada com remissão para página ou caderno. que é o principal título da primeira página. porém em tipo menor. chamada de manchete interna.39) 6. quando não.157) “O mesmo que antetítulo.” (DC.” (MRSP.TÍTULO QUANTO AO ASSUNTO 3 .380) 8. P. Mas precisam também ser um foco para o interesse do leitor.”(DC.425) “Intertítulo ou pequeno trecho destacado da matéria. anunciando notícia de menor importância. A palavra também designa o título da principal matéria de cada página.

gráfico.“Legenda mais ampla. Título-Notícia – utilizado para identificar reportagens.. acima. DPJ. Vem geralmente abaixo da foto ou desenho. [. A legenda jornalística é uma frase curta.” (DPJ) “Texto-legenda – Nota que. explica ou comenta a ilustração com mais detalhes do que a legenda comum.312) 9. entrevistas e quaisquer outras matérias da redação e que não se incluam nas duas classificações anteriores. com maiúscula apenas na primeira letra. Deve ser curto. desenvolvida mas sem abertura de parágrafo. enxuta.285) Texto-legenda. 10.’ (G. A legenda não é colocada sob a foto apenas para descrevê-la. A boa técnica diz que a legenda deve ser informativa.FOTO-LEGENDA / TEXTO-LEGENDA Foto-legenda – “Fotografia acompanhada de um texto-legenda. e não apenas descrever a ilustração..” (DC. “ (MRSP. mas pode igualmente estar colocada ao seu lado. deve esgotar o assunto de que trata. pode remeter para o texto em página interna.151) “Texto em uma ou mais linhas que explica uma ilustração: foto. mapa. Quando aparece na Primeira Página do jornal.XII). publicada em página interna. contém um resumo da notícia. o título e o texto-legenda. quando não há mais informes a respeito. objetivo e combinar as qualidades do bom texto com as de boa legenda.” (JG. destinada a indicar ou ampliar a significação daquilo que a companha.LEGENDA “Texto jornalístico que acompanha uma ilustração.” (DP) “Texto-legenda – Também chamado de foto-legenda.Título-Assunto – que se coloca em artigos. Título-Fixo – o que designa seções.] Sua finalidade é interessar o leitor o suficiente para que volte a olhar a fotografia com maior atenção. Descreve. [. é colocado ao pé ou ao lado de uma foto.167) “Trovão.. Textos-legendas têm sempre título em maiúsculas” (MRSP.28. Pode ser também utilizada como chamada de primeira página.357) “Recurso essencial da edição.Legenda explicativa de foto que dispensa título e texto complementar. editoriais e colaborações. Legenda ampliada que.569) “Foto-legenda – Fotografia publicada com um texto geralmente maior do que o do costume e que a expalica.] Em alguns casos. com titulo ou não. desenho.” (DC.169) 4 4 . Usado também como chamada.”(MRSP.. de modo que o leitor compreenda o assunto apenas vendo a foto. para publicação em jornal ou revista. embora não possa deixar de cumprir essa função. quando a matéria está em outra página.”(DC. para atrair a atenção do leitor e remete-lo à leitura da notícia. com a abreviatura Pág. em combinação com a fato ou ilustração a que se refere. ou mesmo dentro do seu espaço. porém sem divisões em parágrafos. (Tom Fepersman).

Sugestivo. SP.1986.” Não: A palavra não só deve ser usada quando cause emoção ou alívio. ponto de exclamação. Ática. Ed.Revista Imprensa. travessão ou parênteses. Paulo.SP. Manoel Vilela de Magalhães. SP. Paulo “é proibido colocar dois pontos. Siglas: Só devem ser usadas apenas quando bastante conhecidas. GGlossário das redações. reticências.1981. Mário Erbolato. 11. Sonoridade. DPJDiccionario de Propaganda e Jornalismo. Rio. Mário Erbolato.BIBLIOGRAFIA DC – Dicionário de Comunicação. Informativo. MGManual de redação e estilo. SP. É proibido contornar a norma anterior através de colocação . Segundo o Manual da Folha de S.REDAÇÃO DO TÍTULO 5 Qualidades: Clareza. Defeitos: Palavras desnecessárias Ambigüidade Repetição de palavras Rimas Palavras de sentido indeterminado Abreviaturas Imprecisões Deve Conter: As respostas para o QUÊ e o QUEM Uso do verbo: Os verbos devem estar no PRESENTE DO INDICATIVO e de preferência na primeira linha e na voz ativa.1979. Objetividade.Atlas. chamada para reportagens internas editadas entre fios no alto da Primeira Página e das capas dos cadernos do jornal. Números: (vide apostila sobre números) Pontuação: O uso dos dois pontos é proibido em alguns jornais e em outros são permitidos quando usados em afirmações. Folha de S. Ed. 1992. Curto.de ponto e-vírgula no lugar de dois pontos e vírgula no lugar de ponto.1989 5 . Precisão. PDNProdução e Difusão da Notícia. Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Guimarães Barbosa. Ed.Novo Manual da Redação. Ritmo. JGJornalismo Gráfico.127) 11.1987. ponto.1992.Loyola. Verbos na forma composta não podem ser quebrados nos títulos de mais uma linha.Papirus.SP. MFSP. Ed.” (MFSP. Atraente. Jornal o Globo.“Caixa – na Folha. ponto de interrogação.