Você está na página 1de 5

TESTES DE MACROECONOMIA

Com os dados abaixo, responda as próximas duas questões supondo inexistência de transferências unilaterais: Produto Nacional Líquido a custo de fatores.. 1.500 Exportações de bens e serviços (preço-fatores)..100 Importações de bens e serviços (não-fatores).....200 Impostos Diretos ................................................150 Impostos Indiretos.............................................. 200 Depreciação...........................................................60 Saldo do governo em conta-corrente(déficit)......150 Subsídios governamentais.....................................80 Saldo do balanço de pagamentos em transações correntes (déficit)..................................................40 1) O Produto Interno Bruto, a preços de mercado é: a) 1.800 b) 1.620 c) 1.700 d) 1.660 e) 1.680 2) Uma das afirmativas abaixo é correta: a) A dívida bruta externa cresceu de 190, no período. b) O passivo externo líquido cresceu de 40, no período. c) Disponibilidade interna de bens e serviços é 1.820. d) A carga tributária bruta foi, aproximadamente 19% do PIB. e) A economia remeteu ao exterior poupança líquida igual a 40. 3) A carga tributária de um país é considerada progressiva quando: a) Realizada, principalmente através de impostos incidentes sobre a produção industrial. b) Onera todos os segmentos sociais na mesma proporção. c) Onera proporcionalmente mais os segmentos sociais de menor poder aquisitivo. d) Onera proporcionalmente mais os segmentos sociais de maior poder aquisitivo. e) É realizada principalmente através de impostos incidentes

1

4) Numa determinada economia (valores hipotéticos), o Produto Nacional Líquido a custo de fatores é 200. Sabendo-se que: Renda Líquida Enviada ao Exterior......................50 Impostos Indiretos.............................................. ..80 Subsídios...............................................................20 Depreciação.......................................................... 80 Calcule o valor do Produto Interno Bruto a preços de mercado: a) 310 b) 290 c) 230 d) 390 e) 270 5) a) b) c) d) e) O Produto Nacional Líquido exclui: depreciação transferências impostos diretos impostos indiretos n.d.a

6) O Produto Nacional Bruto é igual ao Produto Nacional Líquido mais: a) A depreciação b) As exportações c) As importações d) Os investimentos e) Impostos diretos 7) a) b) c) d) e) A Renda Nacional é igual : Ao Produto Interno Bruto a preços de mercado Ao Produto Interno Líquido a preços de mercado Renda Pessoal Disponível Ao Produto Nacional Líquido a custo de fatores Ao Produto Interno Líquido a custo de fatores

8) O Produto Interno Bruto, a preço de mercado, equivale: a) Produto Interno Bruto a custo de fatores + renda líquida enviada ao exterior. b) Produto Interno Líquido a custo de fatores + impostos indiretos + depreciação – subsídios. c) Produto interno líquido a preço de mercado + amortização de empréstimo externos. d) Produto nacional líquido a preço de mercado + dívida externa bruta.

........60% 14) A diferença entre o Produto Nacional Bruto e o Líquido é formado por: a) impostos indiretos b) renda disponível c) depreciação do capital fixo d) impostos diretos e subsídios e) pelos impostos diretos e subsídios 15) A diferença entre Produto Interno Bruto e o Produto Nacional Bruto é: a) Valor das Exportações b) Valor das Importações c) Saldo da Balança Comercial do País d) Valor dos Investimentos Diretos no País e) Valor da Renda líquida Enviada ao exterior 16) Conhece-se os seguintes dados das contas nacionais do Brasil valores hipotéticos: I – Produto Interno Líquido a preços de mercado....9..............60 Estes dados permitem concluir que o produto nacional bruto a custo de fatores equivale a : a) 4.040 2 .......................100 Estes dados permitem calcular o índice de carga tributária bruta cujo valor..000 II – Imposto Indiretos........000 II – Impostos Indiretos.............................22% d) 14..5.100 V .......300 III ................ desprezando-se os algarismos a partir da terceira casa decimal é : a) 19.... c) Produto Interno Líquido a preço de mercado mais amortizações de empréstimos externos..... 500 IV ..............200 IV – Depreciação do Capital Fixo.Impostos Diretos...................... 400 VI – Depreciação do Capital Fixo... a preço de mercado.......................... 450 VII – Renda Líquida Enviada ao Exterior........740 b) 4...................00% c) 20.....750 III – Subsídios...........Subsídios........................... b) Produto Interno Líquido a custo de fatores mais imposto indireto mais depreciação menos subsídios........................................ d) Produto Nacional Líquido a preço de mercado mais dívida externa bruta...................... 13) As Contas Nacionais do Brasil fornecem os seguintes dados valores hipotéticos: I – Produto Interno Bruto a preços de mercado....860 c) 5... equivale a: a) Produto Interno Bruto a custo de fatores mais a líquida enviada ao exterior..350 V – Renda Líquida Enviada ao Exterior......Transferências .....10% b) 20............ 1.... ...................840 d) 4.....................TESTES DE MACROECONOMIA 9) As Contas Nacionais são estimativas elaboradas pelo: a) Banco Central b) IBGE c) IPEA e Banco Central d) IPEA e) FMI 10) São computados no Cálculo da Renda Nacional do País: a) Os impostos indiretos b) A compra de insumos industriais pela agricultura c) Os salários pagos pelo Governo a seus funcionários d) Os subsídios concedidos pelo Governo as empresas e) As importações de bens de capital 11) Segundo a Teoria Keynesiana.... a oferta global de moeda é : a) Crescente com a taxa de juros b) Decrescente com a taxa de juros c) Inelástica com a taxa de juros d) Crescente com a renda nacional e) Decrescente com a renda nacional 12) O Produto Interno Bruto...........

b) Contanto que a taxa de juros real não se altere. e) Elevação da taxa de juros com recessãodesemprego. e) Gerará um processo inflacionário. 19) Numa economia aberta a propensão marginal a consumir (PMC) é igual a 0. d) Decrescente da Taxa de Juros. c) É impossível conhecer o Produto de Equilíbrio. c) Contanto que a renda de equilíbrio esteja abaixo da renda de pleno emprego. Os efeitos reais prováveis serão: a) Aumento do Produto Interno e aumento do emprego. d) O nível de equilíbrio do produto é igual a 300. c) Do tamanho do multiplicador e dos requisitos de reserva monetária.TESTES DE MACROECONOMIA 17) Numa economia do tipo Keynesiana. Yd. um aumento do consumo governamental: a) Aumentará a renda em valor maior que o aumento dos gastos do governo. c) Crescente da Taxa de Juros. d) Contanto que a taxa de juros nominal não se altere. ao adotar-se uma política de manutenção de equilíbrio do orçamento do governo. pode-se ter certeza que houve inflação: a) Em qualquer hipótese. 22) Se todos os preços subirem. onde Y é a Renda ou Produto Nacional.2. Assinale a alternativa correta: a) O nível de equilíbrio do produto é aproximadamente. e) Crescente dos investimentos. b) Decrescente da Renda Nacional. 18) Segundo a Teoria Keynesiana a poupança é uma função: a) Crescente da Renda Nacional. Função Investimento: I = 20 + 0. Y. em regime inflacionário.3. e) Da posição do ramo da curva LM conhecida como Armadilha da Liquidez. c) Redução do Produto Interno e alta da taxa de juros. b) Redução da taxa de juros e aumento do produto. onde Yd é a Renda Pessoal Disponível.3 b) 2 c) 10 d) 5 e) 1. 3 . 21) Supondo-se uma economia onde se aplique o Modelo Keynesiano simplificado. b) A Função Consumo é C = 10 + 0. pois não foi dada a Função da Renda Pessoal Disponível. b) Aumentará a renda em valor menor que o aumento dos gastos do governo. d) Do tamanho do multiplicador e da elasticidade do investimento em relação a taxa de juros.4 20) A forma da curva IS depende: a) Da procura por preucação e especulativa por dinheiro. e) Contanto que este aumento faça parte de alta persistente no nível geral de preços.2.7 e a propensão marginal a importar é 0. 23) São conhecidas para uma economia fechada e sem governo e supondo que não haja Lucros retidos pelas empresas: Função Poupança: S = –10 + 0. Yd. d) Redução da taxa de juros e aumento do déficit do Balanço de Pagamentos em Conta Corrente. c) Aumentará a renda no mesmo valor do aumento dos gastos. o Governo reduz as despesas orçamentárias. d) Não aumentará a renda.2. e) O Multiplicador de Investimentos Autônomo é 5. O valor do multiplicador do Comércio Exterior é: a) 3.1. b) Da procura especulativa para transações por dinheiro. 14. reduz a oferta de moeda e mantém salários nominais.

em razão de provocar aumento na disponibilidade interna de bens e serviços. tudo mais constante. são dados: I – A Função Consumo. e) A propensão média a consumir é maior que a propensão marginal a consumir. sendo Y nível de renda. e) Um aumento nos níveis de investimento. e) redução das exportações de bens e serviços. provocaria inflação de demanda. 28) Numa economia fechada e sem Governo. c) maiores gastos do governo. menor tributação. tudo mais constante. e) Um aumento na oferta de meios de pagamentos. d) O produto estará em equilíbrio. de acordo com o pensamento Keynesiano: a) redução do déficit governamental. provocaria inflação de oferta. tudo mais constante. 25) São fatores que contribuem para a elevação do produto real. c) A propensão marginal a consumir é maior que a propensão média a consumir. b) A estabilidade do equilíbrio requer propensão marginal a consumir maior que 1. II – Nível de Investimento Autônomo = 40 Se o produto de pleno emprego for 300. é certo afirmar que: a) Um aumento nos impostos tem maior poder de diminuir o produto de equilíbrio de igual contração nos gastos do governo . 27) No modelo clássico. b) maiores exportações e menores importações de bens e serviços. tudo mais constante. em relação a determinação do equilíbrio da renda e do produto. tudo mais constante.TESTES DE MACROECONOMIA 24) No modelo Keynesiano. d) Um aumento nos salários nominais. tudo mais constante levaria a uma redução no produto real da economia. por induzirem a maior demanda agregada. maior poupança interna e menores níveis de tributação. d) Um aumento nos níveis de investimento. 26) Supondo que a economia se encontre a pleno-emprego: a) Um aumento nos gastos do governo . o aumento de nível de investimento necessário para que a economia esteja equilibrada em pleno emprego será: a) 0 b) 60 c) 45 d) 15 e) 30 4 . c) Uma expansão dos meios de pagamentos. quando o investimento realizado for igual à poupança realizada. c) Um aumento nos gastos do Governo. provocaria aumento do produto real e redução do nível geral de preços. pela equação: C=20 + 3/4. na economia.Y . tudo mais constante. enquanto a economia se encontra em nível abaixo do pleno emprego dos fatores. b) Uma redução na carga tributária. b) Uma redução nos tributos. o desemprego da mão de obra decorrente da rigidez dos salários nominais no sentido descendente será eliminado se ocorrer: a) Um aumento na taxa de câmbio. d) redução das barreiras alfandegárias às importações de bens e serviços. provocaria inflação de oferta.

em uma economia com desemprego da mãode-obra. sobre o nível de renda e emprego. d) Criação de demanda efetiva.50 d) – 5.50 b) –1. sobre o nível de renda e emprego. em uma economia com desemprego da mão-deobra. o efeito da : a) Ampliação da capacidade produtiva. a partir de um aumento nos investimentos autônomos.TESTES DE MACROECONOMIA 29) O modelo do multiplicador explica.00 e) – 2.75 c) –1.75 5 . em uma economia com pleno emprego de mão-deobra.1 o valor do multiplicador de carga tributária autônoma será: a) – 2. em uma economia com pleno emprego da mão-deobra. sobre o nível de renda e emprego. e) Ampliação da capacidade produtiva e de criação de demanda efetiva. em uma economia com pleno emprego de mão-de-obra. 30) Numa economia onde a propensão marginal a consumir é igual a 0.7 e a propensão marginal a importar é 0. b) Ampliação da capacidade produtiva. sobre o nível de renda e emprego. c) Criação de demanda efetiva. sobre o nível de renda e emprego.