Você está na página 1de 17

estruturas de mercado

Um mercado é o ponto de encontro entre os produtores e os vendedores de um dado produto, isto é, entre a oferta e a procura desse bem. Correntemente, o termo é também utilizado para analisar a formação dos preços dos vários produtos objeto de troca. Consideram-se habitualmente, partindo do critério da atomicidade (respeitante ao número de vendedores e de compradores presentes no mercado), nove possíveis formas (ou estruturas) de mercado: concorrência, oligopólio, monopólio, oligopsónio, oligopólio bilateral, monopólio condicionado, monopsónio, monopsónio condicionado e monopólio bilateral. Focaremos de seguida, resumidamente, as quatro estruturas mais importantes. 1. Concorrência perfeita é, acima de tudo, uma estrutura caracterizada pela existência de inúmeros compradores e vendedores, de tal forma que nenhuma empresa consiga, por si só, ter influência sobre o preço de mercado (são aquilo a que se chama pricetakers). Outras características importantes são a inexistência da possibilidade de se diferenciar (real ou ficticiamente) o produto (que é, portanto, homogéneo), a livre entrada e saída de empresas do mercado (indispensável aos ajustamentos de longo prazo conducentes ao lucro nulo), a perfeita mobilidade dos fatores de produção a longo prazo, a ausência de influências governamentais e o perfeito conhecimento, por parte de todos os intervenientes, das condições do mercado. O mercado de concorrência é, na sua essência, totalmente aberto. 2. Num mercado monopolista, por seu lado, existem muitos compradores, mas apenas um vendedor do produto (que não apresenta sucedâneos próximos). É um mercado fechado, em que existem barreiras à entrada de novas empresas. Há várias causas conducentes ao aparecimento de um monopólio: a posse exclusiva de matérias-primas, autorizações governamentais para produzir, exclusividade da tecnologia de produção (que será ainda mais restritiva se estiver protegida por patentes), imposições governamentais quanto à dimensão do mercado (condicionamentos da dimensão da indústria) ou questões relacionadas com economias de escala (que geralmente levam à existência de monopólios naturais). 3. No oligopólio, existem poucas empresas e poucos consumidores. Há interação entre as empresas: as ações de umas são afetadas pelas (re)ações de outras, que por sua vez são afetadas pelas ações das primeiras. De facto, a característica central do oligopólio é a de que cada empresa toma em consideração o comportamento de todas

ao tomar as suas decisões quanto ao preço a praticar e ao volume da produção. aos quais se juntam o de liderança de preço (uma empresa líder e outra seguidora nos preços). a título de exemplo. a solução de conluio ou o modelo generalizante da variação conjetural. cada uma das quais a produzir um produto que é um substituto imperfeito dos das outras empresas. os mais importantes. . de entre os quais citaremos. na determinação do equilíbrio tem um interesse fulcral a estabilidade da atuação das empresas. o estado verificado quando terminam as reações de todas elas. existe (tal como em concorrência pura) um elevado número de empresas.infopedia. 2003-2012. de Bertrand (duas empresas seguidoras nos preços). In Infopédia [Em linha].as outras. Disponível na www: <URL: http://www. Logo. No estudo do oligopólio. [Consult. É um mercado em que também existe a possibilidade de entrada e saída de empresas. de Stackelberg (uma empresa líder e outra seguidora na quantidade).. 2012-11-02]. como a possibilidade de diferenciação do produto e a alteração dos gostos pela publicidade. 4. Como referenciar este artigo: estruturas de mercado. Porto: Porto Editora.pt/$estruturas-de-mercado>. Num mercado de concorrência monopolística. É neste contexto que surgem variadíssimos modelos.. isto é. como os clássicos modelos de Cournot (duas empresas seguidoras na quantidade produzida). considera-se em muitos casos a situação particular de duopólio (oferta formada por duas empresas). mas introduz dados novos. ver definição de monopolística. Os modelos de concorrência monopolística mais importantes são o de Chamberlin e os modelos espaciais. Esta estrutura está situada entre a concorrência perfeita e o monopólio.

Oligopólio. a enciclopédia livre. Duopólio. oligopólios. Portanto algumas estruturas podem servir somente como ponto de referência para avaliar outros mercados no mundo real. um caso especial de um oligopólio com duas empresas. controlam a maioria da quota de mercado. Os elementos da estrutura do mercado incluem o número. Monopsônio. condições de entrada. pesquisa Na economia as estruturas de mercado ou formas de mercado descrevem os mercados e seus componentes. quando há apenas um comprador no mercado. e a extensão da diferenciação de seus produtos. e duopolistas existem e dominam as condições de mercado. [editar] Formas de mercado         Concorrência monopolística. onde há um grande número de empresas. a distribuição. o tamanho das empresas. Estas preocupações um tanto quanto abstratas tendem a determinar alguns. mas não todos os detalhes de um concreto e específico sistema de mercado onde compradores e vendedores realmente conhecem e comprometer-se ao comércio. mas encontram poucos compradores. monopólios. Oligopsônio. existindo muito poucos mercados com o pleno poder. onde muitos vendedores podem estar presentes. onde alguns concorrentes monopolistas. onde existe apenas um fornecedor de um produto ou serviço. A competição é útil. O estudo das formas de mercado avalia o tamanho e a capacidade que tem uma empresa para deter poder de mercado e definir o preço de um produto homogêneo. Monopólio natural. definindo a capacidade e a possibilidade de se operar tais em concorrência ou não no mercado. A estrutura de concorrência imperfeita é bastante idêntica às condições de mercado realistas. Ir para: navegação. cada uma com uma pequena proporção da participação de mercado e produtos ligeiramente diferenciados. pois revela a demanda . Monopólio. Uma empresa é um monopólio natural se ele é capaz de servir toda a demanda do mercado a um custo menor do que qualquer combinação de duas ou mais empresas menores e mais especializadas.(Outro Site) Forma de mercado Origem: Wikipédia. também chamado mercado competitivo. Concorrência perfeita é uma estrutura de mercado teórica descreve mercados em que nenhum participante tem tamanho suficiente para ter o poder de mercado para definir o preço de um produto homogêneo. em que um mercado é dominado por um pequeno número de empresas que. juntas. um mercado. um monopólio em que economias de escala para aumentar a eficiência causar continuamente com o tamanho da empresa. As vezes as condições para a deter poder de mercado são restritas.

três abordagens básicas podem ser adotadas para lidar com problemas relacionados ao controle do poder de mercado e a assimetria entre o governo e o operador em relação aos objetivos e informações: (a) sujeitando o operador às pressões da concorrência. e o grau em que a informação possa fluir livremente. Na ausência de concorrência perfeita. concorrência imperfeita. e (c) aplicação de regulação por incentivos. Buscar arquivos. Os principais critérios pelos quais se pode distinguir entre diferentes estruturas de mercado são: o número eo tamanho dos produtores e consumidores no mercado.[1] Quick Reference to Basic Market Structures Barreiras de Barreiras de Número de entrada á entrada á vendedores vendedores compradores Não Não Sim Não Sim Não Muitos Muitos Poucos Muitos Um Muitos Não Não Não Sim Não Sim Estruturas de Mercado Concorrência perfeita Concorrência monopolística Oligopólio Oligopsônio Monopolio Monopsônio Número de compradores Muitos Muitos Muitos Poucos Muitos Um A seqüência correta da estrutura de mercado do maior até a de menor concorrência é a que segue concorrência perfeita. pessoas. o tipo de bens e serviços comercializados. a concorrência pode alinhar os interesses do vendedor com os interesses do comprador e pode causar ou revelar seu verdadeiro custo e outras informações privadas do vendedor. tipicamente sujeitos à necessidade financeira do vendedor para cobrir seus custos.real do cliente e induz o vendedor (operador) para fornecer níveis de serviço de qualidade e níveis de preço que os compradores (clientes) querem. oligopólio e monopólio puro. cursos…   Login Cadastro . (b) coleta de informações sobre o operador e do mercado. Em outras palavras.

Dezembro de 2009 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Fabio Renato Rossi do Nascimento Organização Industrial: .Oligopólio .Estruturas de Mercado row Enviado por: Fabio Renato Rossi do Nascimento | 10 comentários Arquivado no curso de Engenharia de Produção na UNICEP Download denunciarrow Creative Commonsrow ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Fabio Renato Rossi do Nascimento Organização Industrial: Estruturas de Mercado: .Concorrência Monopolística .Monopólio .Concorrência Perfeita São Carlos.

1 Definição e causas do Oligopólio 3. MONOPÓLIO 2.Monopólio .3 Formas de Oligopólio 10 1 1 1 1 .2 Tipos de Oligopólio 3. Dezembro de 2009 LISTA DE TABELAS LISTA DE FIGURAS RESUMO ABSTRACT 1.Concorrência Monopolística .Oligopólio .2 Vantagens e desvantagens do monopólio 08 2. Unidade São Carlos São Carlos.3 Controle sobre o monopólio 09 2.Concorrência Perfeita disciplina de Organização Industrial Trabalho acadêmico apresentado à Centro Universitário Central Paulista. INTRODUÇÃO 2.5 Exemplos de empresas monopolistas 3.4 Discriminação de preços no monopólio 09 2. OLIGOPÓLIO 3.Estruturas de Mercado: .1 Definição e Causas do monopólio 04 04 05 06 07 08 08 2.

..... forms and market. o objetivo da empresa é sempre maximizar o lucro total... Preços........ etc.. No mercado de bens e serviços. Quanto aos seus objetivos. Mercado... according to these five characteristics are: perfect competition. Market structures are models that capture aspects of organizing markets. Comparação das Estruturas de Mercado 07 Figura 1. the goals of participants.. a diferenciação dos produtos..2 Características da Concorrência Perfeita 15 6.. enhancing features such as the size of companies.. Este trabalho acadêmico visou apresentar de uma forma sistêmica estas quatro estruturas de mercado dando definições e exemplos reais de empresas atuais.4 Exemplos de oligopólio 4. Palavras-Chave: Estrutura de Mercado....... as formas e mercado.. monopoly..2 Exemplos de Concorrências Monopolísticas 13 5. Produto. concorrência monopolística (ou imperfeita) e oligopólio...... Existe uma série de modelos sobre o comportamento das empresas na formação de preços de seus produtos. CONCORRÊNCIA MONOPOLÍSTICA 12 13 4. Dentro da teoria neoclássica ou marginalista......3. maximizar participação no mercado....... a transparência do mercado. CONCLUSÃO 16 SUMÁRIO REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS. A number of models on the behavior of companies .. os objetivos dos participantes. são as seguintes: concorrência perfeita..... realçando características tais como: o tamanho das empresas. product differentiation.. Serviços... segundo essas cinco características. A diferença maior entre esses modelos está condicionada ao objetivo ao qual a firma se propõe: maximizar lucros. Empresas.1 Definição e causas da Concorrência Monopolística 13 4. Monopólio preço único e discriminação 10 Estruturas de mercado são modelos que captam aspectos inerentes à organização dos mercados... as empresas defrontam-se com duas possibilidades principais: maximizar lucro e maximizar mark-up (margem sobre os custos diretos).. Lucros. access to new businesses.. monopólio. In the market for properties and services..1 Definição e causas da Concorrência Perfeita 14 5..17 Tabela 1.. CONCORRÊNCIA PERFEITA 14 5....... market transparency.... maximizar margem de rentabilidade sobre os cursos. monopolistic competition (or imperfect) and oligopoly.. o acesso de novas empresas..

Na análise das estruturas de mercado avaliam-se os efeitos da oferta e da demanda. Company. Product. Estruturas de Mercado Número de Empresas Diferenciação do Produto Condições de Entrada e Saída Controle sobre o Preço Exemplo Monopólio Só há uma empresa Produto Único Bloqueada Forte Petrobrás Oligopólio Poucas Diferenciado ou Padronizado Difícil Considerável . entretanto. O preço e a quantidade. Profits. se ele é competitivo. INTRODUÇÃO A partir da demanda e da oferta de mercado são determinados o preço e quantidade de equilíbrio de um dado bem ou serviço. The major difference between these models is subject to the objective which the firm are: to maximize profits. Services. the company's goal is to maximize its total profit. Market. dependerão da particular forma ou estrutura desse mercado.. Key words: Market Structure. 2007). This academic work was to present a systemic form of these four market structures giving definitions and examples of companies today. 2007). tanto no mercado de bens e serviços quanto no mercado de fatores de produção. maximize profitability margin on the courses. Prices. As for its goals. (WAGNER. As estruturas do mercado de bens e serviços são as relacionadas na tabela 1 disposta abaixo: (WAGNER. ou seja. companies are faced with two main possibilities: maximizing profit and maximizing mark-up (margin on direct costs). maximize market share. com muitas empresas produzindo um dado produto.in pricing their products. 1. ou concentrado em poucas ou uma única empresa. etc. Within the neoclassical or marginalist.

2002). oligopólios. onde é possível observar algumas situações em que os preços são determinados através de distorções provocadas em mercados distintos. As várias formas ou estruturas de mercado dependem fundamentalmente de três características: (KUPFER. • O número de empresas que compõem esse mercado. 2002). Volkswagen Concorrência Monopolística Considerável Produto Diferenciado Relativamente Fácil Leve Restaurantes Concorrência Perfeita Muitas Produtos Padronizados Fácil Nenhum Não existe na prática Tabela 1. concorrência monopolista e concorrência perfeita. Chevrolet. . (KUPFER. • Se existem ou não barreiras ao acesso de novas empresas nesse mercado. Roberto Machado Wagner Há de se destacar que no estudo microeconômico é analisado as imperfeições observadas no mercado. • O tipo do produto (se as firmas fabricam produtos idênticos ou diferenciados). Comparação das Estruturas de Mercado – Fonte Prof. tais como: monopólios.Ford. Fiat.

Também se assinala que a ausência de concorrência pode incidir negativamente sobre a redução dos custos e levar à subutilização dos recursos produtivos. 2002). o que torna possível o planejamento a longo prazo e introduz maior racionalidade nas decisões sobre investimentos. dos preços e das quantidades de bens ou serviços oferecidos aos usuários e consumidores. 2002). especialmente estrangeiros. por um só produtor. algumas políticas.3 Controle sobre o monopólio . pois a tecnologia de produção impõe que a operação eficiente tenha economias de escala substanciais. (VASCONCELLOS. graças a seu poder sobre o mercado. 2004). • Propriedade exclusiva de matérias-primas ou de técnicas de produção. • O caso do monopólio natural quando o mercado não suporta mais do que uma única empresa. O preço cobrado pelo monopolista será sempre maior do que em competição perfeita e a quantidade vendida sempre menor. Também se afirma que os monopólios podem racionalizar as atividades econômicas. 2. • Patentes sobre produtos ou processos de produção. As principais causas apontadas pela teoria econômica neoclássica são: (KUPFER.2 Vantagens e desvantagens do monopólio Os argumentos favoráveis aos monopólios concentram-se principalmente nas vantagens da produção em grande escala. prejudica o consumidor ao restringir a produção e a variedade. e ao obrigá-lo a pagar preços arbitrariamente fixados pelo monopolista. • Licença governamental ou imposição de barreiras comerciais para excluir competidores. (VASCONCELLOS.2. eliminar os excessos de capacidade e evitar a concorrência desleal. MONOPÓLIO 2. 2004) Os argumentos contrários estão centrados no fato de que o monopólio. Isso faz com que o monopolista opere sempre com lucros extraordinários. outras econômicas e outras técnicas. (KUPFER. As causas da existência do monopólio são várias. Outra das vantagens que lhes são atribuídas é a garantia de um determinado grau de segurança no futuro. Estes usuários e consumidores não possuem alternativas senão comprar do monopolista. como a elevação de rendimento propiciado pelas inovações tecnológicas e a redução dos custos. 2.1 Definição e Causas do monopólio Monopólio é uma condição de mercado caracterizada pelo controle.

O monopolista vai procurar segmentar a sua curva de demanda em diferentes elasticidades. o mesmo para todos os produtos vendidos. (KUPFER. eletricidade. Cada consumidor paga o máximo que está predisposto a pagar. • O monopolista vende diferentes unidades do produto a preços diferentes. O custo de produção é o do monopolista. representaria um esbanjamento de recursos em infra-estrutura. isto é. pelo preço máximo que ele está disposto a pagar. . esgoto. para criar mercados distintos para o seu produto. da localização e da facilidade de encontrar substitutos para o produto. estudantes. como norma geral. Esta é a forma mais comum de discriminação de preços que se aplica bastante nos descontos para idosos. O fornecimento de gás aos consumidores por companhias concorrentes. A discriminação de preços vai depender da renda dos consumidores. a inconveniência dos monopólios e a necessidade de estrito controle sobre eles. (KUPFER. se adotem medidas de proteção ao consumidor.A economia de livre empresa afirma. (MANKIW. não há perda peso-morto e o excedente total vai para o monopólio na forma de lucro.4 Discriminação de preços no monopólio O poder monopolista permite que ele tenha uma política de discriminação de preços voltada para extrair o máximo possível de excedente do consumidor e para aumentar a sua receita total. (MANKIW. O monopolista extrai todo o excedente do consumidor. O preço por unidade não é constante. depende da quantidade que o consumidor compra. Um exemplo da utilidade dos monopólios é o fornecimento de gás canalizado a um centro urbano. 2005). além disso. 2002). Embora acentue as vantagens do fornecimento monopolizado em determinadas áreas específicas. A Figura 1 ilustra o processo de discriminação perfeita de preços. Cada unidade é vendida ao consumidor. 2005). (VASCONCELLOS. ou as diferentes classes de tarifas aéreas. mas cada unidade vendida para um grupo de compradores é vendida ao mesmo preço. 2005). 2. É a discriminação perfeita de preços. 2002). (MANKIW. 2004). mas todos os compradores que adquirem a mesma quantidade pagam o mesmo preço. Para que haja discriminação de preços de preços o mesmo produto tem que ser vendido a diferentes preços para diferentes compradores. das suas preferências. Existem três tipos para discriminação dos preços: • O monopolista vende cada unidade do produto a preços diferentes. Não há excedente do consumidor neste mercado. por meio de gasodutos e sistemas de distribuição paralelos. exige que os monopólios se restrinjam aos setores nos quais sejam absolutamente necessários e que. todas as trocas (livres) têm lugar. • O monopolista vende o produto para diferentes compradores por preços diferentes. Exemplos são os prestadores de serviços de água.

as decisões de uma quanto a preços.1 Definição e causas do Oligopólio Designa-se por oligopólio a situação de um mercado com um número reduzido de empresas. 2005). • O SAAE no que tange a distribuição de água e esgoto em São Carlos/SP. nos bairros mais afastados. A característica fundamental do oligopólio é a existência da interdependência entre as empresas. (MANKIW. . controlar o preço dos produtos por ela vendidos.Figura 1: Monopólio preço único e discriminação – Fonte: VASCONCELLOS. • A CPFL no que tange a distribuição de energia elétrica em São Carlos/SP.5 Exemplos reais de empresas monopolistas Segue abaixo alguns exemplos reais de empresas monopolísticas: • A Petrobrás no que tange a exploração do petróleo em águas profundas no Brasil. O mesmo acontece na maioria das concessões de linhas entre cidades no país. que presta o serviço àquela comunidade ou bairro. onde há apenas uma linha de ônibus (uma única viação). afetam o comportamento das demais. Esta empresa produz diamantes e ela controla 80% da produção mundial. A DeBeers paga milhões em publicidade. OLIGOPÓLIO 3. se quisesse. Normalmente isso acontece em grandes centros urbanos. 2004 2. propaganda. o que pode parecer estranho.. Dado a importância de cada empresa no setor. • A DeBeers na África do Sul. mesmo que a legislação já permita que outras empresas explorem petróleo no Brasil a Petrobrás é grande o suficiente para que. etc. De certa forma. • Determinada empresa de ônibus que serve a um determinado bairro. de tal forma que cada uma tem que considerar os comportamentos e as reações das outras quando toma decisões de mercado. qualidade. 3.

• Truste: Reunião de empresas que perdem seu poder individual e o submetem ao controle de um conselho de trustes. • Holding: Empresa. etc. Considerado uma das formas mais avançadas do capitalismo. nos mercados oligopolistas a concorrência incide em características dos produtos distintas do preço (p. pois permite uma determinada estrutura controle investimentos muitas vezes superiores e em outros países. aço. os cartéis começaram na Alemanha no século XIX e tiveram seu apogeu no período entre as guerras mundiais.As causas típicas do aparecimento de mercados oligopolistas são a escala mínima de eficiência e características da procura. Surge uma nova empresa com poder maior de influência sobre o mercado. 2005). Geralmente tais organizações formam monopólios. centralizando o controle de um complexo de empresas. sendo em geral administradas por uma holding. aprovada pelos norte-americanos em 1890. Tipicamente. ex. 2002). 3. No seu sentido pleno.3 Formas de Oligopólio Existem quatro formas básicas de oligopólio: (TOSCHI. Tendem a durar pouco devido ao conflito de interesses..2 Tipos de Oligopólio O oligopólio pode ser dividido em dois tipos conforme descritos abaixo: (Paulo Nunes. qualidade. que é uniformizado geralmente em nível alto. Os cartéis prejudicam a economia por impedir o acesso do consumidor à livre-concorrência e beneficiar empresas não-rentáveis. mantém o controle e administra outras empresas (subsidiárias). e quotas de produção são fixadas para as empresas membro. (MANKIW. que pela posse majoritária das ações. mas as quantidades produzidas são menores e os preços maiores do que nos mercados concorrenciais (ainda que relativamente ao monopólio as quantidades sejam superiores e os preços menores). • Cartel: Associação entre empresas do mesmo ramo de produção com objetivo de dominar o mercado e disciplinar a concorrência. como a Lei Sherman. fidelização). O Holding geralmente nada produz. 3. de cigarros. 2007) • Oligopólio Puro: Neste tipo de oligopólio os produtos são homogêneos (substitutos perfeitos) como por exemplo: indústria de cimento. • Conglomerados: várias empresas que atuam em setores diversos se unem para tentar dominar determinada oferta de produtos e/ou serviços. imagem. informática. • Oligopólio Diferenciado: Neste tipo de oligopólio os produtos são diferenciados como por exemplo: indústria automobilística. Os trustes surgiram em 1882 nos EUA. As partes entram em acordo sobre o preço. e o temor de que adquirissem poder muito grande e impusessem monopólios muito extensos fez com que logo fossem adotadas leis antitrustes. Um exemplo são as grandes . etc. Em tais mercados existe ainda alguma concorrência. alumínio.

pelas seguintes características: (KUPFER. porém com segmentos de mercados e produtos diferenciados. Trata-se de uma estrutura de mercado intermediária entre a concorrência perfeita e o monopólio. Um exemplo de conglomerado é a empresa Mitsubishi.4 Exemplos reais de Oligopólios Segue abaixo alguns exemplos reais de Oligopólios: • Empresas aéreas: TAM. • Empresas de telefonia móvel e celular: Vivo. Oi. ou seja. • Indústria de Bebidas: Guaraná Antártica. como diferenciação do produto. Guaraná São Carlos. 4. os bens e serviços são heterogéneos. mas que não se confunde com o oligopólio. GOL.1 Definição e causas da Concorrência Monopolística A concorrência monopolista (também chamada de concorrência imperfeita) é uma estrutura de mercado em que são produzidos bens diferentes. canais de distribuição (quanto mais controlada a distribuição no atacado e no varejo mais difícil é à entrada de novos concorrentes. entretanto. com substitutos próximos passíveis de concorrência. Ford.corporações que dominam desde a extração da matéria-prima como o transporte de seu produto já industrializado. • Existem barreiras de entrada. • Número relativamente grande de empresas com certo poder concorrencial. 3. um truste. AZUL. . • Montadoras de veículos: Fiat. ou seja. embalagem ou prestação de serviços complementares. Volkswagen. que fabrica desde carros até canetas. Tubaína. Chevrolet. Oximil. • Empresas de Gases Industriais e hospitalares . daqueles produzidos pelos seus concorrentes diretos. Air Liquide. uma vez que existem produtos substitutos no mercado. • Consumidores têm as suas preferências definidas e vendedores tentam diferenciar os seus produtos. • Margem de manobra para fixação dos preços não muito ampla.White Martins. CONCORRÊNCIA MONOPOLÍSTICA 4. Tim. 2002). • Muitos compradores e muitos vendedores. Claro. Coca-Cola. seja por características físicas.

como também pelas inúmeras conseqüências derivadas de suas hipóteses. (Paulo Nunes. sempre parece existir certo grau de imperfeição que distorce o seu funcionamento. Cia Sul-americana de Tabacos. Portanto o conceito de concorrência perfeita é usado apenas por seu valor analítico. Um grande número de compradores e vendedores se refere não a um valor acima de uma determinada quantidade.Essas características acabam dando um pequeno poder monopolista sobre o preço de seu produto. 4. • Os produtos são homogêneos. • Entrada e saída de firmas no mercado são livres. Isso permite que as empresas menos eficientes saiam do mercado e que nele ingressem firmas mais eficientes. Bobs • Empresas de Informática: Apple. Esta hipótese também é conhecida como livre mobilidade.2 Exemplos reais de Concorrências Monopolísticas Segue alguns exemplos de Concorrências Monopolísticas: • Lanchonetes: MacDonalds. (Paulo Nunes. posto que. porque os mercados altamente concorrenciais existentes. (Paulo Nunes. que é empregada em muitos estudos que procuram descrever o funcionamento econômico de uma realidade complexa. Giraffas. • Existe completa informação e conhecimento sobre o preço do produto. 5. isto é. não havendo barreiras. que condicionam o comportamento dos agentes econômicos em diferentes mercados. Habib´s. pois não existe na prática. CONCORRÊNCIA PERFEITA 5. Burguer King. 2002). dessa forma não pode haver preços diferentes no mercado. 2007). na realidade. são apenas aproximações desse modelo. As hipóteses do modelo de concorrência perfeita são: • Existe um grande numero de compradores e vendedores. Compac. (Paulo Nunes. esta hipótese é conhecida como transparência de mercado. embora o mercado seja competitivo (daí o nome concorrência monopolista).1 Definição e causas da Concorrência Perfeita A estrutura de mercado caracterizada por concorrência perfeita é uma concepção mais teórica. Sony • Fabricantes de Cigarros: Souza Cruz. ideal. (Paulo Nunes. são substitutos perfeitos entre si. 2007). em condições normais. . O seu conhecimento é importante não só como estrutura ideal. mas sim a que o preço do e dado para as firmas e para os consumidores. 2007). (KUPFER. (Paulo Nunes. 2007). 2007). Philip Morris. HP. 2007).

foi possível verificar que a economia se resume basicamente em conseguir os preços certos através da quantidade certa vendida. Além disso.2 Características da Concorrência Perfeita A característica do mercado em concorrência perfeita é que. que pode ser associado a uma espécie de rentabilidade média de mercado). A hipótese de que a empresa. A permanência da hipótese de perfeito conhecimento e maximização de lucros nos modelos de monopólio e competição monopolística. quando a receita total iguala o custo total. Disponível em: <http://w. Em concorrência perfeita. leva a que todas as modificações teóricas feitas a seguir continuem a se construir como um caso especial.net/cienceconempr/economia/concorrperfeita. Economia. e consequentemente os lucros extras. ou seja. isto é.5. a competição perfeita. CIÊNCIAS ECONOMICAS EMPRESARIAIS. individualmente. seja incapaz de alterar o preço do produto tem uma conseqüência importante. pois que também não há barreiras ao acesso. embora existam lucros normais. Concorrência Perfeita. Oligopólio. isso atrairá novas firmas para o mercado. 2007 6. a longo prazo. não existem lucros extras ou extraordinários (onde as receitas superam os custos). se existirem lucros extraordinários. ou o que ele ganharia se aplicasse seu capital em outra atividade. até chegar a uma situação onde só existirão lucros normais. o que inclui os lucros normais. 2007). como o mercado é transparente. pois nos custos totais estão incluídos os custos implícitos (que não envolvem desembolso). os preços de mercado tenderão a cair. o lucro extraordinário é zero. mas apenas os chamados lucros normais. a racionalidade perfeita do tomador de decisões. (Autor: Paulo Nunes) . que representam a remuneração implícita do empresário (seu custo de oportunidade. cessando o ingresso de novas empresas nesse mercado . Assim. Com o aumento da oferta de mercado (devido ao aumento no número de empresas). no longo prazo. Tudo mais que não se enquadre nas hipóteses básicas do modelo é considerado uma falha ou imperfeição de mercado. porque implica a curva de demanda do produto ser perfeitamente elástica. (Paulo Nunes.knoow. CONCLUSÃO Este trabalho acadêmico visou apresentar de uma forma sistêmica as estruturas de mercado Monopólio.htm> acessado em 18/1/2009 às 10h07min. Figura 2: Demanda da Concorrência Perfeita – Fonte: Paulo Nunes. Concorrência Monopolística e Concorrência Perfeita de forma a compará-las mostrando exemplos reais do mercado nacional e internacional. do caso geral. horizontal (Figura 2).

html> acessado em 30/1/2009 às 12h40min. David. Oligopólio. 2002. (Autor: Emerson Luis Toschi) KUPFER. Acadêmico. 2007. Fundamentos de economia. Gregory. VASCONCELLOS. Edição própria.net/teoria_escolas/oligopolio. MANKIW.net/cienceconempr/econom ia/oligopolio. Marco Antônio S. Conceitos de Oligopólio. WAGNER. Introdução à Economia: Princípios de micro e macroeconomia.htm> acessado em 30/1/2009 às 12h07min. Economia. Rio de Janeiro: Campus. 2004. Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticos no Brasil. São Paulo: Saraiva. Manuel E. Roberto Machado.knoow. Disponível em : <http://w. . e GARCIA.economiabr.CIÊNCIAS ECONOMICAS EMPRESARIAIS. Economia I – Apostila. (Autor: Paulo Nunes) ECONOMIA. Rio de Janeiro: Campus. Disponível em: <http://w. 2005. Teorias. N.