Você está na página 1de 18

A teoria do Big-Bang, explica a origem dos planetas, do Sol e das

estrelas!

A ORIGEM DO UNIVERSO
Já deves ter olhado
para o céu e
perguntado: de onde
vieram os planetas, o
Sol, as estrelas? Ou
olhado para a Terra e
perguntado de onde
vieram as rochas, os
animais, as plantas e
os seres humanos.
Para os cientistas,
tudo o que existe no
universo veio de uma
bolha que, há cerca de
14.500 milhões de
anos, surgiu numa
espécie de "sopa"
quentíssima e
começou a crescer,
dando origem a toda a
matéria que
conhecemos.
Essa bolha era formada por
partículas de luz (fotões) e outras
partículas minúsculas, que se
criavam e se destruíam. Os
cientistas chamam a essa teoria que
tenta explicar a origem de todas as
coisas de Big-Bang, expressão que
em inglês quer dizer "Grande
Explosão". À medida que crescia, a
bolha mudava: ela ficou, por
exemplo, bem mais fria. Quando o
universo completou 500 mil anos de
idade, a temperatura da bolha era
de 10 mil graus Celsius! Com o
tempo, as partículas começaram a
ficar diferentes umas das outras.
Essas partículas minúsculas foram-
se juntando e formando átomos
cada vez mais pesados.
Os primeiros átomos a surgir
foram os de hidrogénio,
elemento mais simples que
existe na natureza. Depois,
vieram os átomos de hélio e
assim por diante, à medida que
se iam formando elementos
mais complexos. Esses
elementos misturaram-se,
formaram "nuvens" e uma parte
delas deu origem às estrelas,
que formaram galáxias e onde
mais tarde surgiram os planetas
e seus satélites.
Inicialmente, os
planetas eram muito
quentes. A Terra, por
exemplo, não tinha
água líquida quando se
formou. Foram
necessários milhões de
anos para que
arrefecesse. Isso
permitiu a formação de
rios e oceanos, nos
quais os cientistas
acreditam que
surgiram as primeiras
formas de vida, e a
partir das quais vieram
os animais, as plantas e
o homem.
Estrutura interna da Terra

A estrutura interna
da Terra é composta
de:
- Litosfera ou
crosta (50 a 60 km de
espessura).
- Manto (4.600
km de espessura).
- Núcleo (1.700
km de espessura).
A EVOLUÇÃO DA TERRA
Supõe-se que a Terra tenha 4,6 bilhões de anos.
Um milhão de anos após sua formação, a
superfície da Terra já apresentava um aspecto
semelhante ao actual, com rochas, oceanos e
uma temperatura não muito diferente da que
existe na actualidade. Para estudar a longa vida
de nosso planeta, conhecida como tempo
geológico, dividiu-se o tempo em unidades
chamadas eras. As eras, por sua vez, foram
divididas em períodos, e os períodos em épocas.
Poder-se-ia comparar as eras, períodos e épocas
aos anos, meses e semanas de nosso tempo.
Cada era se caracteriza pela forma como se
encontravam distribuídos os continentes e os
oceanos, e pelo tipo de organismos que neles
viviam. As eras geológicas são: Pré-Câmbriana
(a mais antiga), Paleozóica, Mesozóica e
Cenozóica (a mais recente).
A Era Pré-Cambriana
compreende o tempo
transcorrido entre a
formação da Terra e o
início da Era Paleozóica,
há 570 milhões de anos.
Em algum momento
deste longo período de
tempo ocorreu o mais
importante fenómeno da
história terrestre: o
surgimento da vida. Os
primeiros fósseis
conhecidos têm dois
bilhões de anos, e
acredita-se que sejam
restos de antigas
bactérias.
A Era Paleozóica
ou Primária veio após a Pré-
Cambriana e durou 325
milhões de anos. Durante
esse tempo surgiram na Terra
inúmeros animais
invertebrados, como insectos
e escorpiões. Alguns deles,
como os trilobitas,
extinguiram-se ao término da
Era Paleozóica. Surgiram,
nesta ordem, os peixes, os
anfíbios e os répteis, e
também as primeiras plantas
terrestres, os fetos. Por volta
do final da Era Paleozóica,
todos os continentes estavam
unidos em um só, o Pangéia.
A Era Mesozóica
ou Secundária durou 160 milhões
de anos. Ao longo dela surgiram
numerosos grupos de répteis,
alguns dos quais eram terrestres
(dinossauros), outros voadores
(pterossauros) e outros viviam na
água (ictiossauros). Os
invertebrados mais abundantes
eram os amonites, moluscos
semelhantes aos actuais
calamares, mas dotados de
concha. As plantas com sementes
desenvolveram-se, formando
grandes bosques de coníferas e ao
final da era apareceram as plantas
com flores (angiospermas).
Pangéia fragmentou-se em
diversos blocos continentais que
progressivamente foram se
afastando uns dos outros, o que
permitiu que as águas oceânicas
penetrassem entre eles.
A Era Cenozóica
dura já 65 milhões de anos e se
divide em dois períodos: o
Terciário e o Quaternário. Ao
longo dessa era foram surgindo
todos os grupos de seres vivos
que existem actualmente.
Durante o Período Terciário,
após desaparecer a maior parte
dos répteis, os mamíferos
disseminaram-se por toda a
Terra. Surgiram também
numerosas aves voadoras e
corredoras. A espécie humana,
surgida nos finais do Terciário,
evoluiu durante o período
Quaternário até chegar às
formas modernas. Os
continentes e os oceanos já
ocupavam as posições actuais.
Eras

No decorrer do tempo, os continentes


foram mudando de posição, aproximando-
se e voltando a separar-se lentamente.
Durante a Era Paleozóica havia apenas três
grandes massas continentais, que se
uniram ao final dessa era dando origem ao
supercontinente Pangéia.
Durante a Era Mesozóica, o
supercontinente Pangéia se fragmentou
em diversos blocos, que começaram a
separar-se a partir do Período Triássico, até
chegar à actual distribuição de continentes
e oceanos.
Atmosfera
Troposfera
- É a camada da atmosfera que está
em contacto com a superfície
terrestre e que contém o ar que
respiramos.
- Tem altitude entre 8Km a 16Km
- É a camada menos espessa, mas é a
mais densa.
- O ar junto ao solo é mais quente,
diminuindo de temperatura com a
altitude até atingir -60º C.
- A zona limite chama-se tropopausa.
Aqui a temperatura mantém-se
constante.
Estratosfera
- Situa-se entre os 12Km a
50Km
- É aqui que está a camada de
ozono.
- Nesta camada a temperatura
aumenta de -60ºC a 0ºC. Este
aumento deve-se à interacção
química e térmica entre a
radiação solar e os gases aí
existentes.
-As radiações absorvidas são
as ultravioletas.
- A zona limite chama-se
estratopausa. Aqui a
temperatura mantém-se
constante.
Mesosfera
- Situa-se entre os
50Km a 80Km
- Trata-se da camada
mais fria da atmosfera.
- A temperatura volta a
diminuir com a
altitude, chegando aos
-100ºC aos 80Km.
- A absorção da
radiação solar é fraca.
- A zona limite chama-
se mesopausa. Aqui a
temperatura mantém-
se constante.
Termosfera
- É a camada mais extensa.
- Começa nos 80Km e vai para
além dos 1000Km.
- Trata-se da camada mais
quente da atmosfera.
- A temperatura pode atingir os
2000ºC.
- Absorvem-se as radiações
solares mais energéticas
(energia superior a 9,9 x10-19
J).
- Subdivide-se em duas partes a
ionosfera (entre 80 e 550Km) e
a exosfera (parte exterior da
atmosfera que se dilui no
espaço a partir dos 1000Km de
altitude).