Fundação de Desenvolvimento Educacional de Guaraí – FUNDEG Faculdade Guaraí – FAG Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias – A.R.M.D.

GUIA

PARA

APRESENTAÇÃO

GRÁFICA

DA

PRODUÇÃO

ACADÊMICA (TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR – TGI, MONOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES E TESES) NA FACULDADE GUARAÍ – FAG.

F a

c

3ª edição

u

ld

a

d

Geraldo Santos da Costa (Organização)

Guaraí 2008

Fundação de Desenvolvimento Educacional de Guaraí – FUNDEG Faculdade Guaraí – FAG Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias – A.R.M.D.

GUIA

PARA

APRESENTAÇÃO

GRÁFICA

DA

PRODUÇÃO

ACADÊMICA (TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR – TGI, MONOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES E TESES) NA FACULDADE GUARAÍ – FAG.

F a

3.ª edição

c

u

ld

a

d

Organização de Geraldo Santos da Costa Revisão de Profª. Esp. Gilsa de Oliveira Mendonça

FUNDEG

FAG

Guaraí 2008

Ficha Catalográfica elaborada por Geraldo Costa Bibliotecário/Documentalista CRB2 / 1038 Digitação, Diagramação e Organização. Geraldo Costa

001.42 G943

Guia para apresentação gráfica de trabalhos acadêmicos (Trabalho de Graduação Interdisciplinar – TGI, Monografias, Dissertações e Teses) na Faculdade Guaraí – FAG / Organização de Geraldo Costa. – Guaraí – TO: FUNDEG/FAG, 2008. 59 p. 1. Publicações - Normalização. 2. Teses Normas. 3. Redação Técnica 4. Metodologia Científica. 5. Dissertações - Normalização. 6. Trabalhos Monográficos Normalização. 7. Documentação - Normalização. I. Costa, Geraldo Santos da (org.).

das bibliotecas e do prazer da leitura e da pesquisa. amigo. conselheiro. exemplo. incentivador.Ao meu pai. mestre e guia na descoberta dos livros. . in memorian.

A todos os usuários da Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias. Ao corpo docente da FUNDEG/FAG. que queiram utilizar os serviços de orientação para a normalização e padronização de trabalhos acadêmicos. .AGRADECIMENTOS A Deus.

mas .“Alguns livros parecem ter sido escritos não para neles algo se aprender.

para que se saiba que o autor conhecia algo”. (Goethe) LISTA DE TABELAS Tabela 1 – Disposição dos Elementos .

Figura 25 – Citação direta com mais de três linhas.Resumo em Língua Estrangeira (Opcional) Figura 12 – Lista de Ilustrações (opcional) Figura 13 – Lista de Tabelas (opcional) Figura 14 – Lista de Abreviaturas e Siglas (opcional) Figura 15 – Sumário (obrigatório) Figura 16 – Folha de Introdução Figura 17 – Folha de Desenvolvimento Figura 18 – Folha de Conclusão Figura 19 – Referências (obrigatório) Figura 20 – Apêndice (opcional) Figura 21 – Anexo (opcional) Figura 22 – Glossário (opcional) Figura 23 – Espaçamento entre texto e subseção e/ou vice – versa. no texto.LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 – Capa (obrigatório) Figura 2 – Lombada (opcional) Figura 3 – Folha de Rosto (anverso .obrigatório) Figura 5 – Errata (opcional) Figura 6 – Folha de Aprovação (obrigatório) Figura 7 – Dedicatória (opcional) Figura 8 – Agradecimento (opcional) Figura 9 – Epígrafe (opcional) Figura 10 – Resumo na Língua Vernácula (obrigatório) Figura 11 . .obrigatório) Figura 4 – Folha de Rosto (verso – ficha catalográfica . Figura 26 – Citação direta. Figura 24 – Citação de citação. de até três linhas.

NBR – Norma Brasileira Registrada. UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. EDUFBA – Editora da Universidade Federal da Bahia. . TGI – Trabalho de Graduação Interdisciplinar. FAG . UNB – Universidade de Brasília.LISTA DE SIGLAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.Faculdade Guaraí FUNDEG – Fundação de Desenvolvimento Educacional de Guaraí IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. URCAMP – Universidade da Região da Campanha. PUCMINAS – Pontifícia Universidade Católica de Minas. CRB2 – Conselho Regional de Biblioteconomia Segunda Região.

............................................. 13 2 OBJETIVO .........................................................................................................................................................................................4 APÊNDICE (s) ..................................................... 16 4................................................................................... 16 4...........................................................................................................................................5 CAPA ........ 12 1 INTRODUÇÃO ........8 DISSERTAÇÃO ..................... 14 3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS ...................................................... 16 4.............................................................................................................. 16 4.................................................................................................................................................... 16 4............................... 16 4............................................................................................................................................. 16 4..................................................... 15 4 DEFINIÇÕES ............................................................................................................................................SUMÁRIO APRESENTAÇÃO .................................2 AGRADECIMENTO (S) .................................3 ANEXO (s) ................................................................................... 10 PREFÁCIO .................................................6 CITAÇÃO .......7 DEDICATÓRIA (S) ...........................................................................................................................................................................................................................................................................9 ELEMENTOS PÓS TEXTUAIS .......................................................................................... 16 4..............................................................................................................1 ABREVIATURAS ..... 16 4.....................

........................................................................................................21 BIBLIOGRAFIAS ........................... 16 4................................. 17 4....................................................................................................... 18 4................................................... 18 4.....................15 FOLHA DE ROSTO .14 FOLHA DE APROVAÇÃO .............................................................................................................................................16 GLOSSÁRIO .........................18 ÍNDICE ........ 17 4................................ 17 4.................................10 ELEMENTOS PRÉ TEXTUAIS ........................................................................................................................................................................... 17 4.. 17 4....17 ILUSTRAÇÃO ...................................................................................... 16 4....................................11 ELEMENTOS TEXTUAIS ................................................................. 17 4.................................................................................................................................................................................................................................................................................. 16 4....................................................................................... 17 4.....................22 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA .........19 LOMBADA .........................................................................................................................................................................................................................................................24 RESUMO EM LÍNGUA VERNÁCULA ...................... 17 4........................................12 EPÍGRAFE .............................23 RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA ... 16 4......................................... 17 4........................25 SIGLA ................................................................................................................................................................................................ 17 4.........................................................................................................................13 ERRATA ............................................................................................................................................. 18 .......20 REFERÊNCIAS ....................................................................................................................................

................................................................................................................1...........................1.......................................................................................................................................................................1. 21 5......... 21 5.......................................................................................................................... 21 5.............................. 20 5...................................................................................................................................................................... 18 4........................................................ 18 5 ESTRUTURA ........ 18 4...................................................................... 19 5.....1................1....................................29 TESE ............ 18 4...... 20 5............30 TRABALHOS ACADÊMICOS – SIMILARES (TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO – TCC.......7 Agradecimento ( s ) ..... TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO E/OU APERFEIÇOAMENTO E OUTROS). 21 5.....................................................................1 Anverso da folha de rosto ....................26 SÍMBOLO ..............................1......................................................27 SUMÁRIO ........................................................28 TABELA ...............................................................................................................1 Capa ..............................................................................................................................................................................................................4.....................................4 Errata .6 Dedicatória ( s ) ....8 Epígrafe ................................................................... 20 5............................. TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR – TGI.............................. 19 5...............................5 Folha de aprovação ...........................................................................................................................................3 Folha de rosto ......................................................... ............................. 18 4..................1.............................................................2 Lombada .......... 19 5..3.......1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS .............................................................................1......................................................1......

................................................3................................ 22 5......................................................2 ELEMENTOS TEXTUAIS ......... 22 5.......................................................................................1................................................................................................................................................................................................................................................2 Glossário ......... 21 5...........................2 Desenvolvimento .....................4 Anexos (s) ...........................................3. 22 5........3...1.................................................................................................... 22 5................ 21 5................................. 21 5.........................................12 Lista de tabelas ............. 22 5....................................................3..................... 22 5......................1..............................................................3 Apêndice (s) .......................................................................................................................................................................... 22 5.....1....10 Resumo em língua estrangeira .................................................................................................2.. 21 5........................................................................................................................1 Referências ................................................................................................... 23 .......................1......................................................................................................................3 Conclusão ...................................................................................................... 22 5................................................................................... 23 5....................................11 Lista de ilustrações .............. 22 5..............................13 Lista de abreviaturas e siglas ...........................................1....................... 22 5..................................9 Resumo em língua vernácula .....3 ELEMENTOS PÓS – TEXTUAIS .......................................2......................................15 Sumário .................. 22 5..............................2.................................................................................1...............................1 Introdução ..........................................................................................................14 Lista de símbolos ...................................................................

.............................................................................5 Índice ........................ 25 6.....................................2 MARGEM .................................... 27 8 CONCLUSÃO ...................................................................................................................................................................... 25 6................................................... 26 7 REFERÊNCIAS ELABORAÇÃO ............................................................................................................................................................................................................3 ESPAÇAMENTO .................................................................................................................... 23 6 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO 24 6..........4 PAGINAÇÃO ...................................................5 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA ...................................................................................................................................................................................................................................................................3.. 25 6.........................5.......................................2 Indicativos de seção ............... 25 6................................................................................8 EQUAÇÕES E FÓRMULAS ..................... 24 6......... 47 ....6 CITAÇÕES ........ 24 6...................................................................................................................................................................... 24 6............................................7 SIGLAS ...................1 Notas de rodapé ............................................................................................................................................3.........................................................9 ILUSTRAÇÕES ................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 25 6......................................................... 24 6..... 24 6.....3 Títulos sem indicativo numérico .................................................3.......10 TABELAS ........................................................3............ 25 6.........1 FORMATO ...................... 24 6...........................

....................................................................................................................................................... 51 ............... 49 APÊNDICES .................................................REFERÊNCIAS ......................................

num universo considerável de alunos regularmente matriculados. ainda que nem sempre tenha sido satisfatoriamente disseminado ao longo dos tempos. a idade contemporânea trouxe–lhes novos focos. bem como de que maneira são registradas fontes consultadas durante o processo de pesquisa. Mais recentemente. colocando fim a uma parlenda que vinha se arrastando há algum tempo. encurtando o tempo entre a geração e a apropriação. a Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias oferece este importante instrumento para normalização e padronização de trabalhos acadêmicos. intelectual e de sua produção acadêmica. o conhecimento científico. Tal ferramenta facilitará a comunicação científica. volumes. sobretudo a disseminação e socialização do saber. Espera–se que com essa ferramenta.10 APRESENTAÇÃO A produção do conhecimento deve ser seguida de divulgação. estantes e bibliotecas. pesquisa. científico e literário conheceu outras renovações: o Iluminismo condensou–o em enciclopédias. em diversas áreas. Nesse sentido. permitindo que a produção de novos conhecimentos encontre caminhos mais homogêneos de divulgação e mais assegurados de apropriação. favorecendo assim a sua apropriação. utilizando–se de instrumentos que se ajustam e se superam. para ser expresso. a explosão do saber ultrapassou os limites de páginas. Agronomia. inerente às atividades exercidas no ambiente universitário. extensão e pós – graduação. e cursos de pós–graduação Latu Sensu. nos últimos anos. produzidos na Faculdade. O pensamento filosófico. a conquista dos métodos eletrônicos derrubou barreiras e. além de projetos de pesquisas e extensão. as dúvidas e outras interpretações sejam eliminadas. abordagens e meios de divulgação. deve atender às normas próprias. O trinômio produção–divulgação–apropriação do saber é pois. permitindo que o Renascimento. Assim. e ainda. ganhando espaços virtuais e ilimitados. Dispõe atualmente de cinco cursos de Graduação (Administração de Empresas. significasse. apresentando indicadores de crescimento físico. o que permite disseminá – la. Geraldo Costa Bibliotecário/Documentalista – CRB2/1032 . a Faculdade Guaraí (FAG) vem se expandindo e consolidando suas atividades de ensino. impressa e eletrônica. em cada domínio do conhecimento. O trabalho exclusivo do copista medieval deu lugar à capacidade multiplicadora do invento de Gutemberg. que foi elaborada de acordo com os princípios que regem as normas oficiais da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). o instrumento orienta como aplicar as normas brasileiras para documentação. coerente assim com as amplas possibilidades de expansão do pensamento humano. Letras e Pedagogia). A divulgação do conhecimento vem acompanhando a evolução do pensamento e da investigação. Em uma linguagem simples e acessível. Enfermagem. principalmente discentes e docentes. pela imprensa. as quais impõem padronização de apresentação segundo as diversas modalidades de trabalhos. Não obstante as diversas formas de divulgação. traz figuras ou modelos do formato de apresentação dos trabalhos acadêmicos. atendendo a solicitações de usuários da comunidade acadêmica.

onde normas não são vistas como restrições e uniformização. sentindo a necessidade de um mínimo de padronização e normatização desses documentos. este documento se insere no esforço de aumentar a qualidade dos trabalhos dos alunos através da divulgação das normas e orientações que lhes permitam apresentar trabalhos com mais esmeros e eficácia. 31 de outubro de 2007. A apresentação destas normas pode parecer excessivamente formal ou ainda pretensiosa. procura estabelecer critérios de padronização e. Seus objetivos são vários: de um lado. mas como fator de segurança e de garantia de melhores produtos. a Biblioteca Albina Dias decidiu pela elaboração deste guia. deseja facilitar o acesso e consequentemente o conhecimento das principais normais relativas à documentação da ABNT. procurou – se seguir as normas respectivas. ao mesmo tempo. Guaraí. dispersas em diversos instrumentos de normatização.11 PREFÁCIO Consciente das constantes dúvidas dos usuários da Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias (Docentes e Discentes) com relação aos aspectos formais e de apresentação da produção acadêmica da FAG. Ampliando o referencial. Trata – se. Em cada detalhe da apresentação do instrumento. inclusive na inserção deste prefácio e de sua assinatura. de outro. porém de transformar essa publicação numa amostra de documento elaborado segundo as normas da ABNT. da estruturação do texto e da formatação da página. Geraldo Costa Bibliotecário/Documentalista – CRB2/1032 .

Trata – se. um volume incalculável de informações existentes. chegando a um produto tecnicamente normalizado e padronizado.12 1 INTRODUÇÃO A década de 90 revelou ao mundo. é amenizar a tarefa do pesquisador principiante. instrumentalizando – o de modo que. até a redação do seu trabalho final. Um dos objetivos deste guia. que visa a facilitar o trabalho do pesquisador no manejo das normas documentárias e também tornar a recuperação da informação mais rápida e precisa. desde os primeiros passos na sua jornada pelo mundo da investigação científica. mas as fragilidades do sistema de ensino. . por meio da Internet. já que o uso de metodologias mais dinâmicas de ensino sugere a necessidade de que o estudante – de graduação ou de pós-graduação – seja capacitado a transitar de forma autônoma no universo informacional. A urgência na mudança desse estado de coisas se faz sentir. pois. buscando e sistematizando as informações de sua área de interesse. no caso brasileiro. atue de forma racional e sistêmica. não só os avanços da Ciência & Tecnologia ficaram evidentes. cujo conteúdo flua sem obstáculos nos meios de comunicação científica. do docente e discente. de uma ferramenta de uso rotineiro. portanto.

Comissão Examinadora de professores. Dissertações.13 2 OBJETIVO Proporcionar a padronização das produções acadêmicas no âmbito da FAG. Aplica-se. Perante Banca. Monografia de Graduação. Monografia de Especialização. no que couber aos trabalhos intra e extraclasse de graduação. (Trabalhos de Graduação Interdisciplinar – TGI. . especialistas designados e outros. Teses e outros). ainda.

NBR 6024: 1989 – Numeração Progressiva das Seções de um documento Procedimento. já que a própria ABNT possui a informação das normas em vigor em um dado momento. São normas baseadas nas últimas edições da ABNT. o rol de normas utilizadas: NBR 6023: 2002 – Informação e Documentação – Referências – Elaboração.14 3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS As normas contidas neste documento tratam das disposições que. que é o Fórum Nacional de Normalização. NBR 6028: 1990 – Resumos – Procedimento. como toda norma está sujeita à revisão. NBR 6027: 1989 – Sumário – Procedimento. ao serem citadas no mesmo. NBR 12225: 1992 – Títulos de Lombada – Procedimento. . todavia. quando da elaboração desta publicação. 1983-1985. NBR 14724: 2002 – Informação e Documentação – Trabalhos Acadêmicos – Apresentação. aconselhamos àqueles que realizem uma constante verificação no site da ABNT ou no Boletim da Associação. Ed. São Paulo: FEBAB. constituem prescrições para ela. utilizamos as edições que estavam em vigor no momento. especificamente na área de documentação. no intuito de saber das últimas alterações nas normas. 2. CÓDIGO de Catalogação Anglo – Americano. NBR 10520: 2002 – Informação e Documentação – Apresentação de Citações em Documentos. Vale ressaltar que. A seguir. no nosso caso. NBR 6034: 1989 – Preparação de Índice de Publicações – Procedimento.

6 CITAÇÃO: Menção. citado por Santos (2000. 4.3 ANEXO: Texto ou documento não elaborado pelo autor. acompanhadas das respectivas definições. 4. com o objetivo de reunir.8 DISSERTAÇÃO: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo. comprovação e ilustração. que serve de fundamentação.2 AGRADECIMENTO (S): Folha onde o autor faz agradecimentos àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. 4. ordenadas segundo determinado critério.14 FOLHA DE APROVAÇÃO: Folha que contém os elementos essenciais à identificação do trabalho. p. 1) diz que: “referência bibliográfica é o conjunto de elementos que permite a identificação de publicações no todo ou em parte”. 4. 27 – Apêndice). relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho. 4.15 FOLHA DE ROSTO: Folha que contém os elementos essenciais à identificação do trabalho. 4.18 ÍNDICE: Lista de palavras ou frases. 4. imagem que acompanha um texto. que permite sua identificação individual”. que localiza e remete para as informações contidas no texto. 2) “Referência bibliográfica é o conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento.7 DEDICATÓRIA (S): Folha onde o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho. 26.4 APÊNDICE: Texto ou documento elaborado. pelo autor.11 ELEMENTOS TEXTUAIS: Parte do trabalho em que é exposta a matéria. ou seja. grampeadas. Apresenta-se quase sempre em papel avulso ou encartado acrescido ao trabalho depois de impresso.9 ELEMENTOS PÓS . 4. 4.12 EPÍGRAFE: Folha onde o autor apresenta uma citação. 4. 4.1 ABREVIATURAS: Representação de uma palavra por meio de alguma (s) de suas sílabas ou letras.19 LOMBADA: Parte da capa do trabalho que reúne as margens internas das folhas sejam elas costuradas. 4. analisar e interpretar informações. a fim de complementar sua argumentação. 4. 4.TEXTUAIS: Elementos que complementam o trabalho. gravura. 4.13 ERRATA: Lista das folhas e linhas em que ocorrem erros. 4. no texto. França (1986).17 ILUSTRAÇÃO: Desenho. 2002. visando à obtenção do título de mestre. Ver também figuras 24. é todo o material utilizado pelo autor de um trabalho. sem prejuízo da unidade do trabalho. de tema único e bem delimitado em sua extensão. seguidas das devidas correções.15 4 DEFINIÇÕES Para aplicação e melhor interpretação deste guia.20 REFERÊNCIAS: Segundo a NBR 6023 (ABNT. Nogueira (2002.10 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS: Elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização do trabalho. 4. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor).5 CAPA: Proteção externa do trabalho e sobre o qual se imprimem as informações indispensáveis à sua identificação. Obras Listadas no final do capítulo ou da obra e que foram citadas no texto pelo autor. de uma informação extraída de uma fonte (Ver NBR 10520. mostraremos algumas definições e no final. seguida de indicação de autoria. 4. figuras (ilustrações) de acordo com as recomendações da própria ABNT. 25. utilizadas no texto. coladas ou mantidas juntas de outra maneira. p. 4.16 GLOSSÁRIO: Relação de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro. . 4.

16

p. 45) afirma que: “É um elemento obrigatório, que consiste em um conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual, mesmo mencionado em nota de rodapé”. 4.21 BIBLIOGRAFIA: É todo o material sugerido para complementação do texto. É uma literatura recomendada. 4.22 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA: São obras consultadas, mas não citadas (utilizadas) no texto, tendo servido ou não para o desenvolvimento da pesquisa. Nogueira (2002, p. 45) afirma que: “bibliografia é a lista de obras sugeridas e/ou lidas, mas não citadas no trabalho”. França (1986), citado por Santos (2000, p. 1) diz que: “A bibliografia difere da lista de referências bibliográficas por se tratar de um levantamento bibliográfico sobre o tema ou com ele relacionado, incluindo documentos não consultados. Tem por objetivo possibilitar ao leitor condição para um aprofundamento maior no assunto”. 4.23 RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA: Versão do resumo para idioma de divulgação internacional. 4.24 RESUMO EM LÍNGUA VERNÁCULA: Apresentação concisa dos pontos relevantes de um texto, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho. 4.25 SIGLA: Reunião das letras iniciais dos vocábulos fundamentais de uma denominação ou título. 4.26 SÍMBOLO: Sinal que substitui o nome de uma coisa ou de uma ação. 4.27 SUMÁRIO: Enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede. 4.28 TABELA: Elemento demonstrativo de síntese que constitui unidade de autônoma 4.29 TESE: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa à obtenção do título de doutor, ou similar. 4.30 TRABALHOS ACADÊMICOS – SIMILARES (Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, trabalho de Graduação Interdisciplinar – TGI, Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização e/ou aperfeiçoamento e outros): Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser, obrigatoriamente, emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador.

17

5 ESTRUTURA A estrutura de tese, dissertação ou de um trabalho acadêmico compreende: elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais. Tabela 1 – Disposição dos Elementos. Estrutura Elemento Seção Capa (obrigatório) 5.1.1 Lombada (opcional) 5.1.2 Folha de rosto (obrigatório) 5.1.3 Errata (opcional) 5.1.4 Folha de aprovação (obrigatório) 5.1.5 Dedicatória (s) (opcional) 5.1.6 Agradecimento(s) (opcional) 5.1.7 Epígrafe (opcional) 5.1.8 Pré – Textuais Resumo em língua vernácula (obrigatório) 5.1.9 Resumo em língua estrangeira (opcional) 5.1.10 Lista de ilustrações (opcional) 5.1.11 Lista de tabelas (opcional) 5.1.12 Lista de abreviaturas e siglas (opcional) 5.1.13 Lista de símbolos (opcional) 5.1.14 Sumário (obrigatório) 5.1.15 Introdução 5.1.22 Textuais Desenvolvimento 5.1.23 Conclusão 5.1.24 Referências (obrigatório) 5.1.25 Glossário (opcional) 5.1.26 Pós – Textuais Apêndice (s) (opcional) 5.1.27 Anexo (s) (opcional) 5.1.28 Índice (s) (opcional) 5.1.29 Fonte: ABNT – NBR 14724. 5.1 ELEMENTOS PRÉ - TEXTUAIS: Os elementos pré - textuais são apresentados conforme 5.1.1. a 5.1.15. 5.1.1 Capa: Elemento obrigatório, onde as informações são transcritas na seguinte ordem: 5.1.1.1 Nome da instituição – Elemento opcional que deve ser digitado ou datilografado em caixa baixa (minúscula), sem recurso tipográfico (negrito, itálico, grifo), centralizado, tamanho 12 para fonte (letras) arial ou times new roman, com espaço de 1,5 entre linhas, caso a extensão do nome exceda mais de uma. 5.1.1.2 Nome do autor – Elemento obrigatório. Idem item 5.1.1.1. 5.1.1.3 Título – Elemento obrigatório, que deve ser digitado ou datilografado em caixa alta (maiúsculas), com recurso tipográfico (negrito, itálico, ou grifo), centralizado, tamanho 14 para fonte (letras) arial ou times new roman , com espaço de 1,5 entre linhas, caso a extensão do título exceda mais de uma. 5.1.1.4 Subtítulo se houver – Idem item 5.1.1.1.1 5.1.1.5 Número de volumes – Se houver mais de um, deve constar em cada capa a numeração do respectivo volume. 5.1.1.6 Local (Cidade da instituição onde deve ser apresentado) - Elemento obrigatório. Idem item 5.1.1.1. 5.1.1.7 Ano de depósito (da entrega) - Elemento obrigatório. Idem item 5.1.1.1.

18

5.1.2 Lombada: Elemento opcional, onde as informações devem ser expressas, conforme a NBR 1225. 5.1.2.1 Nome do autor, impresso longitudinalmente e legível do alto para o pé da lombada. Esta forma possibilita a leitura quando o trabalho está no sentido horizontal, com a face voltada para cima; 5.1.2.2 Título do trabalho, impresso da mesma forma que o nome do autor; 5.1.2.3 Elementos alfanuméricos de identificação, por exemplo: v. 2. 5.1.3 Folha de Rosto: Elemento obrigatório devendo estar conforme 5.1.3.1 e 5.1.3.2. 5.1.3.1 Anverso da Folha de Rosto: Os elementos devem figurar na seguinte ordem: 5.1.3.2 Nome do autor: responsável intelectual do trabalho (Idem item 5.1.1.1). 5.1.3.3 Título principal do trabalho: deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo, possibilitando a indexação e recuperação da informação (Idem item 5.1.1.1). 5.1.3.4 Subtítulo: se houver, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título principal precedido de dois pontos (Idem alínea “d”, item 5.1.1.1). 5.1.3.5 Número de volumes (se houver mais de um, deve constar um em cada folha de rosto a especificação do respectivo volume). (Idem alínea “e”, item 5.1.1.1). 5.1.3.6 Natureza (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso e outros) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido; área de concentração, sem recursos tipográficos. 5.1.3.7 Nome do orientador e, se houver, do co-orientador (incluso na ementa do trabalho). 5.1.3.8 Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado (Idem item 5.1.1.1). Ano de depósito (da entrega). (Idem item 5.1.1.1). 5.1.4 Errata: Elemento opcional que deve ser inserido logo após a folha de rosto, constituído pela referência do trabalho e pelo texto da errata e disposto da seguinte maneira (Ver figura 5 – Apêndice). 5.1.5 Folha de Aprovação: Elemento obrigatório colocado logo após a folha de rosto, constituído pelo nome do autor do trabalho, título do trabalho e subtítulo (se houver), natureza, objetivo, nome da instituição a que é submetido, área de concentração, data de aprovação, nome, titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e instituições a que pertencem. A data de aprovação e as assinaturas dos membros componentes da banca examinadora devem ser colocadas após a aprovação do trabalho (Ver figura 6 – Apêndice). 5.1.6 Dedicatória (s): Elemento opcional colocado após a folha de aprovação, sem recursos tipográficos, alinhada do meio da página para a direita, utilizando fonte 12 arial ou times new roman, em espaço 1,5 entre linhas (Ver figura 7 – Apêndice). 5.1.7 Agradecimento (s): Elemento opcional colocado após a dedicatória, utilizando fonte 12 arial ou times new roman, em espaço 1,5 entre linhas (Ver figura 8 – Apêndice). 5.1.8 Epígrafe: Elemento opcional colocado após os agradecimentos, utilizando fonte 12 arial ou times new roman, em espaço 1,5 entre linhas. Podem também constar epígrafes nas folhas de abertura das seções primárias (Ver figura 9 – Apêndice). 5.1.9 Resumo em língua vernácula: Elemento obrigatório constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 500 palavras, seguido, logo abaixo, das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras – chave,que devem ser separadas por ponto, e descritores, conforme a NBR 6028 (Ver figura 10 – Apêndice). 5.1.10 Resumo em língua estrangeira: Elemento opcional, com as mesmas características do resumo em língua vernácula, digitado ou datilografado em folha separada (em inglês Abstract, em espanhol Resumen, em francês Résumé, por exemplo). Deve ser seguido das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isso é palavra – chave,que devem ser separadas por ponto ,e descritores, na língua (Ver figura 11 – Apêndice).

1 Introdução: Parte inicial do texto. repercussão. fotografias. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo (Ver figura 14 – Apêndice). 5. (Ver figura 15 – Apêndice). Excepcionalmente.13 Lista de abreviaturas e siglas: Elemento opcional que consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto. 5. recomenda-se à elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos. acompanhado do respectivo número de página. esquemas.2. em cada um deve constar o sumário completo do trabalho. NOTA – É opcional apresentar os desdobramentos relativos à importância.12 Lista de tabelas: Elemento opcional elaborado de acordo com a ordem apresentado no texto. organogramas.3. elaborado conforme a NRB 6023 (Ver figura 19 – Apêndice).3 Conclusão: Parte final do texto.14 Lista de símbolos: Elemento opcional que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto. quando esgotadas as vinte e três letras do alfabeto (Ver figura 20 – Apêndice) 5. desenvolvimento e conclusão. com cada item designado por seu nome específico.19 5. com cada item designado por seu nome específico.3. gráficos. Os anexos são identificados por letras maiúsculas.3 ELEMENTOS PÓS – TEXTUAIS: Os elementos pós . 5. fluxogramas.3.2 Desenvolvimento: Partes principais do texto. 5.15 Sumário: Elemento obrigatório.3. .1.4 Anexo (s): Elemento opcional. na identificação dos apêndices.1. Quando necessário.5 Índice (s): Elemento opcional. na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses (Ver figura 18 – Apêndice).5. síntese.1 Referências: Elemento obrigatório. Divide-se em seções ou subseções.3 Apêndice (s): Elemento opcional. plantas. travessões e pelos respectivos títulos.3.1 a 5.textuais são apresentados conforme os itens 5. consecutivas.1. travessões e pelos respectivos títulos. elaborado conforme a NBR 6024. com o devido significado.1.11 Lista de ilustrações: Elemento opcional. onde deve constar: a delimitação do assunto tratado. 5. 5.2 Glossário: Elemento opcional. retratos e outros).3. conforme a NBR 6027. 5. 5. que variam em função da abordagem do tema e do método (Ver figura 17 – Apêndice). elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto. elaborado em ordem alfabética (Ver figura 22 – Apêndice). 5. consecutivas. objetivo da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho (Ver figura 16 – Apêndice). Excepcionalmente utilizam – se letras maiúsculas dobradas. 5.1.2 ELEMENTOS TEXTUAIS: Constituídos de três partes fundamentais: introdução. quando esgotadas as vinte e três letras do alfabeto (Ver figura 21 – Apêndice) 5. utilizam – se letras maiúsculas dobradas. quadros. cujas partes são acompanhadas do (s) respectivo (s) número (s) da (s) página (s). 5. seguidas das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. mapas.2. projeção. na identificação dos apêndices.2. acompanhado do respectivo número de página (Ver figura 13 – Apêndice). encaminhamento e outros. Havendo mais de um volume. 5.3. que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas.

separado por um espaço de caracteres. Recomenda . apêndice (s). centralizados em caixa alta com negrito. 6.1 FORMATO: Os textos devem ser apresentados em papel branco A4 (21 cm X 29. nome da instituição a que é submetida e a área de concentração devem ser digitados ou datilografados em espaço simples (1). direita e inferior de 2 cm. e índice (s)–devem ser centralizados conforme a NBR 6024.1 a 6. devem ser contadas seqüencialmente. deve ser mantida uma única seqüência de numeração das folhas. resumos. com exceção das ilustrações. lista de símbolos. notas de roda pé.3. O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho. tabelas e gráficos.6 CITAÇÕES: As citações devem ser apresentadas conforme a NBR 10520. mas não numeradas. 6. conforme a NBR 6024. no sumário e da forma idêntica. Na folha de rosto e na folha de aprovação.2 MARGEM: As folhas devem apresentar margem esquerda e superior de 3 cm. agradecimento. tabelas e gráficos. paginação e legenda das ilustrações. o objetivo. 6. a partir da primeira folha da parte textual. tamanho menor (10) para as citações de mais de três linhas. em algarismo arábicos. ou grifo redondo.3. ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha.1.3. Havendo apêndice e anexo. anexo (s). no canto superior direito da folha.3 Títulos sem indicativo numérico: Os títulos.5 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA: Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho. do primeiro ao último volume.3 ESPAÇAMENTO: Todo o texto deve ser digitado ou datilografado em espaço duplo (Ver figura 23 – Apêndice). 6. as suas folhas devem ser numeradas de maneira continua e sua paginação deve dar seqüência à do texto principal. 6. caixa alta ou versal. sumário. exceto na folha de rosto (ver 5. a natureza do trabalho. lista de abreviaturas e siglas. devem iniciar em folha distinta (ver 6.7 cm). Os títulos das seções primárias. deve–se adotar a numeração progressiva das seções do texto. para citações de mais de três linhas. a ficha catalográfica. por serem as principais divisões de um texto. Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede ou que os sucede por um espaço duplo (Ver figura – Apêndice). ficando separadas do texto por um espaço simples (1) de entre linhas e por filete de 3 cm. A numeração é colocada. alinhado a esquerda. glossário. a natureza do trabalho. as legendas das ilustrações. itálico.1 Notas de Rodapé: As notas devem ser digitadas ou datilografadas dentro das margens. no texto. no anverso das folhas. As referências. digitados ou datilografados na cor preta. a partir da folha de rosto. ou seja. No caso do trabalho ser constituído de mais de um volume.2 Indicativos de Seção: O indicativo numérico de uma seção precede o seu título. 6. a partir da margem esquerda. As citações de mais de três linhas. 6.se observar apenas o recuo a 4 cm da margem esquerda. Destacam-se gradativamente os títulos das seções.20 6 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO A apresentação de trabalhos acadêmicos deve ser elaborada conforme as seções 6. a utilização de fonte tamanho 12 para o texto e para os indicativos de seção. 6. as notas.2). utilizando os recursos de negrito. No caso de textos datilografados. as referências. o nome da instituição a que é submetida e a área de concentração devem ser alinhados do meio da página para a margem direita. lista de ilustrações.se para digitação. devem ser separadas entre si por um espaço duplo. ao final do trabalho. sem indicativo numérico – errata. 6. . o objetivo.3). deve .4 PAGINAÇÃO: Todas as folhas do trabalho. e outro.10. a 2 cm da borda superior. referências.3.

conforme o projeto gráfico. a forma completa do nome precede a sigla. Quando fragmentadas em mais de uma linha. 6.9 ILUSTRAÇÕES: Qualquer que seja o seu tipo (desenhos. conforme IBGE (1993). esquemas. Quando destacadas do parágrafo são centralizadas e.8 EQUAÇÕES E FÓRMULAS: Aparecem destacadas no texto. multiplicação e divisão. por falta de espaço. Na seqüência normal do texto. precedida da palavra designativa. se necessário. fluxogramas. 6. fotografias. índices e outros). mapas. dispensando consulta ao texto e da fonte. seguida de seu numero de ordem de ocorrência no texto. organogramas. devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição. A ilustração deve ser inserida a mais próxima possível do trecho a que se refere. Ex. deve – se numerá – las. de modo a facilitar sua leitura. x2 + y2= z2 (1) (x2 + y2)/5 = n (2) 6.10 TABELAS: As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente. é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes. retratos e outros) sua identificação aparece na parte inferior. plantas. em algarismos arábicos. colocada entre parênteses. subtração. gráficos.21 6. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).7 SIGLAS: Quando aparece pela primeira vez no texto. Ex. do respectivo título e/ou legenda explicativa de forma breve e clara. . quadros.

1 Dados essenciais: Autor da parte referenciada. Não devem ser referenciados documentos que não citados no texto.1 Dados essenciais: Título do periódico. se houver." (NBR 10719. 7.1 Dados essenciais: Título da publicação. Caso haja conveniência de referenciar material bibliográfico não citado. 2).2. Nota: "Constitui uma lista ordenada dos documentos efetivamente citados no texto.1 Dados essenciais: Autor..2..1 REFERÊNCIA: Referência é conjunto padronizado de elementos descritivos. Referência da publicação no todo (com os dados essenciais).3. Título do fascículo. Localização da parte referenciada (páginas inicial e final). editora. Edição (número).2.4. 7. dissertações.) coleção. Imprenta (local: editora e data). ISBN. editora.4 Fascículos.2. mês e ano e total de páginas. Série.3 Publicações periódicas ( revistas. seguidos da expressão "In:" ..2.2 Dados complementares: . data de inicio da coleção e data de encerramento da publicação. deve-se fazer uma lista própria após a lista de referências sob o título: Bibliografia recomendada.2. dimensão. 13). 2002.4. 7. ilustração. etc.) 7.2 Dados complementares: Descrição física. ISSN. Notas especiais. número. 7. suplementos. número especial. Série ou coleção. 7.1.2. revista. 7.1 Monografia no todo (livros. Título e subtítulo. p. boletim.2 Dados complementares: Periodicidade. Indicação do volume.2 Dados complementares: Descrição física (número de páginas ou volumes).2. que permite a sua identificação individual. 7.2 Partes de monografias (trabalho apresentado em congressos.. boletins.2.2 ELEMENTOS ESSENCIAIS & ELEMENTOS COMPLEMENTARES SEPARADOS POR TIPO DE PUBLICAÇÃO 7.2. capítulo de livro.3.2. retirados de um documento. (NBR 6023. indicação de índices). Título e subtítulo da parte referenciada. 7. ISBN.22 7 REFERÊNCIAS .2. números especiais com título próprio. 7. 7.2.2.1. Local de publicação.) 7. teses etc. suplemento. p. Notas especiais. etc. 1989.ELABORAÇÃO 7. Notas especiais (mudanças de título ou incorporações de outros títulos. Local de publicação.

usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las. quando houver (p. Caderno ou suplemento 7. quando publicadas independentes do texto. caderno ou parte.3.: ed. sugerimos a adoção da ordenação alfabética ascendente.1 Dados essenciais: Autor do artigo. 7.4. Nome do caderno ou suplemento.ex. 7. Título do periódico. Título do fascículo.2 Dados complementares: Nota indicativa do tipo de fascículo quando houver (p. .1 Espaçamento: as referências devem ser digitadas. após a editora.2. após o título. Título do jornal. Antecedendo resumos.2. mês e ano).1 As referências podem ter uma ordenação alfabética. No rodapé. (NBR 6028.ex. Título do artigo. Notas especiais. 1990).5 Partes de publicações periódicas (Artigos) 7. 7. Indicação do volume. antecedendo os anexos. 7.6. cronológica e sistemática (por assunto). revista ou boletim. 7. suplemento. entre datas de fascículos seqüenciais (ex: 1998-1999).4 ASPECTOS GRÁFICOS 7. 7. A vírgula é usada após o sobrenome dos autores.2. Local de publicação. O Ponto e vírgula seguido de espaço são usados para separar os autores.5.4. quando houver.3.2 Margem: As referências são alinhadas somente à margem esquerda. 7. Página ou páginas do artigo referenciado. especial). Local de publicação. antes da editora e depois do termo In:. resenhas e recensões. 7. Notas especiais.2 Autor repetido: Quando se referencia várias obras do mesmo autor. número. O hífen é utilizado entre páginas (ex: 10-15) e. Data( dia.3 Pontuação: Usa-se ponto após o nome do autor/autores. especial). a paginação do artigo precede a data.5.: ed. páginas da revista e após o título da revista.2. 7. Título do artigo. número especial (quando houver). subtítulo (se houver).6 Artigos em jornais 7.2 Dados complementares Seção. entre o volume e o número. Período e ano de publicação.3.2. substitui-se o nome do autor das referências subseqüentes por um traço equivalente a seis espaços.23 Nota indicativa do tipo do fascículo.1 Dados essenciais: Autor do artigo. No fim do capítulo. Nota: Quando não houver seção.2.3 ORDENAÇÃO DAS REFERÊNCIAS 7. Entretanto neste manual.3 Localização: As referências bibliográficas podem vir: Em listas após o texto. Os dois pontos são usados antes do subtítulo. subtítulo (se houver).6. mês e ano e páginas inicial e final.4. edição e no final da referência.

Tradução: Geraldo Costa Filho.5. London: McMillan. 1994. Ministério da Educação). 7.1. 7. seguidos de espaço" (NBR 6023) 7. 640 p. .5. Gerência da vida: reflexões filosóficas. Reengenharia mental: reeducação de hábitos e programação de metas.1 Autor Pessoal Nota: "Indicar o sobrenome. 3.1. Nomes científicos. São Paulo: Frase Editora. 6. Nota: Quando houver mais de três autores.4 Mais de três Autores ► BRITO. grau (nas monografias de conclusão de curso e especialização. Peter.6 Abreviaturas devem ser conforme a NBR 10522 7. 7. teses e dissertações) e para o título que caracteriza a função e/ou responsabilidade. Edgar.: O MARUJO) Entidades coletivas (na entrada direta) Nomes geográficos (quando anteceder um órgão governamental da administração: Ex: BRASIL.) As Reticências são usadas para indicar supressão de títulos. seguido do prenome.1 Um Autor ► SCHÜTZ. ed.) 7. International economics. itálico ou negrito para: Título das obras que não iniciam a referência Título dos periódicos. 7.1. WILTON. ed. Edson Vianna.1. 7. Quando o verdadeiro nome for conhecido. O termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido. Florianopolis: Insular.). indicar apenas o primeiro. porém são conhecidos (ex: [1991]). (Coord.2 Dois Autores ► SÓDERSTEN. abreviado ou não.. Alfredo (Org. atual.5 Grifo: usa-se grifo. Richard. que não aparecem na obra referenciada. quando esta inicia a referência ( ex. ► PROCURA-SE um amigo.4. 1990.3 Três Autores ► NORTON. 247.5. seminários etc. acrescentando-se a expressão et al. 3. Imposto de renda das pessoas físicas: livro prático de consulta diária. Ex: Anais. 714 p. deve-se indicá-lo entre colchetes após o pseudônimo. 104 p. Rio de Janeiro: Record.24 A barra transversal é usada entre números e datas de fascículos não seqüenciais (ex: 7/9. 1996. ed. O parêntese é usado para indicar série. Reed.5. 7. conforme norma própria. AITKEN. GEOFREY. desde que haja padronização neste procedimento. Peter Norton: a bíblia do programador. 212-213.. este deve ser considerado para entrada.5 Autor Desconhecido Nota: Em caso de autoria desconhecida a entrada é feita pelo título. 1997. O colchete é usado para indicar os elementos de referência. 288 p. Peter..4 Maiúsculas: usa-se maiúsculas ou caixa alta para: Sobrenome do autor Primeira palavra do título. Em casos específicos tais como projetos de pesquisa científica nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar autoria.4. 1994. In: SILVA. Org. Títulos de eventos (congressos.5. separados entre si por ponto e vírgula.5. Comp.1.1.5. p. de forma abreviada.6 Pseudônimo: Nota: Quando o autor da obra adotar pseudônimo na obra a ser referenciada.. Lenilson Naveira e. Bo. é facultado indicar todos os nomes. 7. et al. em caixa alta.4.5 AUTORIA 7. Rio de Janeiro: Campos. 1979/1981). Ex: BOSI.

São Paulo. vinculada a um órgão maior. 279 p. 1979.2 Dicionários ► AULETE. 124 p. ► SZPERKOWICZ. ilustrador. Classificação Nacional e patentes. Tristão de [Alceu Amoroso Lima]. Carlos H.1 Monografias consideradas no todo Nota: Monografia é um estudo minucioso que se propõe a esgotar determinado tema relativamente restrito. entrar diretamente pelo nome da entidade. Número de páginas ou volume.. ► BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Nota: Quando necessário. São Paulo: Cultrix. Bibliografia do folclore brasileiro. Jerzy. ► BRASIL. Antônio. usar a área geográfica. (Série). 1978. ► ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM. 82 p.5) ► BOSI. Instituto Astronômico e Geográfico. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações.6. 3. por extenso. Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional. local. Bibliografia Vicentina. considerando a subordinação hierárquica. ed.5. 293 p. Debates pedagógicos.6. em caixa alta. Lisboa: [s. Brasília: SEFOR. v. Varsóvia: Editorial Científica Polaca. tem uma denominação específica. 7. Nomes homônimos. ed. conforme aparece no documento. editores. 1988. adaptadores etc. ed. A fábrica automática e a organização do trabalho. Nota: Obras de cunho administrativo ou legal de entidades independentes.5. quando houver. a entrada da obra é feita pelo sobrenome. 1995.3 Autor Entidade Coletiva (Associações. Dicionário contemporâneo da Língua Portuguesa. Tradução de Victor M. Rio de Janeiro: Delta. ► UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Ferreras Tascón. seguido das abreviaturas correspondentes entre parênteses. 7.1. Título da obra: subtítulo. 1972.6. estado ou município). a entrada é feita diretamente pelo seu nome. 3. Educação profissional: um projeto para o desenvolvimento sustentado. Rio de Janeiro: Schmidt. ed. Informações pesquisas e pesquisadores em Enfermagem.5. 7. Instituições). 1980. Petrópolis: Vozes. etc.2 Organizadores. 7 7. 1916. Nicolás Copérnico: 1473-1973. 7. que a identifica. ano de publicação. 132 p. Empresas. O conto brasileiro contemporâneo. Caldas.). prefaciador. considerando a subordinação hierárquica. Secretarias e outros) entrar pelo nome geográfico em caixa alta (país. 24 p. Local de Publicação: Editor. 1987.1 a 5.]. Nota: Quando a responsabilidade intelectual de uma obra for atribuída a um organizador. 9.6 ELABORAÇÃO DE REFERÊNCIAS 7. compiladores.6. Número da edição. 3.4 Órgãos governamentais Nota: Quando se tratar de órgãos governamentais da administração (Ministérios. 1971. 7.3 Atlas . Anuário astronômico. coordenador etc. quando houver.25 ► ATHAYDE. editor. 1942. (cf. 7.5. 2. devem-se adotar as mesmas regras para autoria (itens: 5. Alfredo (Org.n. Nota: Quando a entidade. acrescenta-se informações referentes a outros tipos de responsabilidade logo após o título. Quando houver mais de um organizador ou compilador.1. 5 v. Rio de Janeiro. Novo dicionário da língua portuguesa. São Paulo. de León Aragón. 1986) AUTOR DA OBRA. ► BIBLIOTECA NACIONAL (Lisboa).1 Livros ► DINA. Ministério do Trabalho. Notas.5 Outros tipos de responsabilidade: tradutor. Centro de Estudos em Enfermagem. 1931. ► INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (Brasil).1. 7.

PI 8002090. 7.6. Cidade onde se realizou o Congresso. 1980. volume ou página (s). Belo Horizonte. Data de publicação.17. 1990.6. do depósito. Rio de Janeiro.6 Enciclopédias ► THE NEW Encyclopedia Britannica: micropaedia. Número de folhas ou volumes.11. Local. 175 p. Dispositivo numa usina de fundição de lingotes para o avanço do lingote fundido.1.6. JORNADA INTERNA DE INICIAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL. 1989. Simpósios.9 Patentes NOME e endereço do depositante.4 Bibliografias ► INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA.1.Faculdade de Ciências Econômicas. Carlos H. data da publicação do pedido de privilégio. Int CI3B22 D29/00. ► RODRIGUES. local. Notas (se houver). 1996. 527.11 Congressos.. 5.11. 7. Chicago: Encyclopaedia Britannica.6. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica. 7. V. Categoria (Grau e área de concentração) – Instituição.1. Bíblia sagrada. Rio de Janeiro. 2 abr. Washington. Classificação internacional de patentes. 7. Workshops. Indicação da publicação onde foi publicada a patente. 1972. 82 p.6. 822 p. 7.6. realizados simultaneamente. ► ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 7. 1967. 1980. Proceedings.1. Varsóvia: Editorial Científica Polaca. Jerzy. Conferências.8 Normas Técnicas ÓRGÃO NORMALIZADOR. 7. 1980.1.26 ► MOURÃO. Bertrand Reymont. M.10 Dissertações e Teses AUTOR. Título… Local de publicação: Editora.6. 1984. Den. Livro de Resumos do XVIII Jornada de Iniciação Científica e VIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural..7 Bíblias BÍBLIA.1. NBR 6028: resumos. 180 f. 7.2 Reuniões ► ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN SOCIETY OF INTERNATIONAL LAW.6. ano. Rio de Janeiro: UFRJ.. n. 1987 7. Jornadas e outros Eventos Científicos NOME DO CONGRESSO. Tradução ou versão.1. Sigla do país e n. Língua.1. 65.6. Data do depósito. Notas. ano.5 Biografias ► SZPERKOWICZ. Qualidade de vida no trabalho. Título: subtítulo. Nicolás Copérnico: 1473-1973. Número. Brasília: IBICT. Edição Ecumênica. Ronaldo Rogério de Freitas. Nota: Quando se tratar de mais de um evento. Revista da Propriedade Industrial. Atlas celeste.1..1. Português. Título: subtítulo. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueiredo. Petrópolis: Vozes. ► ALFRED WERTLI AG.6. Tradução de Victor M. Número de páginas ou volume.1 Jornadas ► JORNADA INTERNA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. ed. Bibliografia Brasileira de Ciência da Informação: 1984/1986. 227 p. 1989. Ferreras Tascón. Local: Editora. 7. data de publicação. 1967. número da Norma. 30 v. 1996. Total de páginas. 1986. 8.3 Conferências . ► BÍBLIA.6. Ano de apresentação. Dissertação (Mestrado em Administração) . Rio de Janeiro.11.Washington: ASIL. Título da obra.1. deve-se seguir as mesmas regras aplicadas a autores pessoais. Título da invenção na língua original. de León Aragón. 7. 3 p. do inventor e do titular. p. 25 nov. 18. Universidade Federal de Minas Gerais.

168 p. 4. de 4 de janeiro de 1984. jan. 7. mês e ano).6. l.]: OAB. tipo. Ementa (quando houver). Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência.6.1. 39 p.148. mês e ano) do parecer. 7. Portaria n. 38 p. 1. p. 6. Legislação Federal e marginália.11.14. 1972./abr. Relatório. Desliga a Empresa de Correios e Telégrafos ECT do sistema de arrecadação. 1. Ementa. Tipo de documento. Número de páginas ou volumes. Departamento de Pesquisa Científica e Tecnológica.6. Legislação Federal e marginália. 7. Relatório.2 Leis e Decretos PAÍS. data (dia. Local: Editor. v. 1984. Belém.1. Dispõe sobre documentos e procedimentos para despacho de aeronave em serviço internacional.994. São Paulo: Saraiva. 9273. 1984. 1.6.6. ed.5 Portarias ► BRASIL.6 Resoluções ► CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.4 Workshop ► WORKSHOP DE DISSERTAÇÕES EM ANDAMENTO. Aprova as instruções para escolha dos delegados-eleitores. 7.. Silvio Burratino.12 Relatórios oficiais ► COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR. Trim. Resoluções e Deliberações AUTOR.6. 7. São Paulo./mar. 7. 1. (Série Legislação Brasileira). 1990.27 ► CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. São Paulo. São Paulo. mês e ano)./mar.. 3. Organização do texto: Juarez de Oliveira. Lei ou Decreto. p. Relator: Ernani Garcia dos Santos.1. 3-4. 7. Rio de Janeiro. 1996.14.14.. Dados da publicação que publicou o parecer.1 Constituições PAÍS. 924 p. de 21 de março de 1996. 1.14.. Secretaria da Receita Federal.. ESTADO ou MUNICÍPIO.. Torna obrigatório a inclusão de dispositivo de segurança que impeça a reutilização das seringas descartáveis.6. Trim. Legislação Federal e marginália.1. 60. trim. Constituição (1988).4 Portarias. 1995. Título. 7. Do parecer no tocante aos financiamentos gerados por importações de mercadorias.. ESTADO ou MUNICÍPIO.1. Ementa. Lex: Coletânea de Legislação . de 29 de dezembro de 1982. São Paulo. Anais… São Paulo: ICRS. São Paulo.271. [1986?].1. 11. 1991. ► BRASIL. TT/PCC/01). MELHADO. 1986. Dados da Publicação que publicou. 742-743. (entidade coletiva responsável pelo documento). n.6. p.6. ► BRASIL. número e data (dia. de 3 de maio de 1996. Dados da publicação que publicou a lei ou decreto. Decreto n.14 Referências Legislativas 7. número e data (dia. Resolução n. de 2 de março de 1984.14. trim.6. p. 48. 1260.14. 12. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência.1. v. maio/jun. 2. 521-522. de 23 de março de 1984. ► BRASIL. efetivo e suplente à Assembléia para eleição de membros do seu Conselho Federal. mar.13 Relatórios técnico-científicos ► SOUZA. Ubiraci Espinelli Lemes de. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência. Parecer normativo. Lei n. ► BRASIL. Legislação Federal e marginália. 7. 1995. São Paulo: EPUSP. Anais…[S. 1996. 89. número. Notas. jan.1. Mimeografado.1. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência. Ano de publicação.1. Constituição (data de promulgação).3 Pareceres AUTOR (Pessoa física ou Instituição responsável pelo documento). cujo embarque tenha ocorrido antes da publicação do Decreto-lei n. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Subsídios para a avaliação do custo de mão-de-obra na construção civil. (Série Texto Técnico. Secretaria da Receita Federal. USP.

4 Partes isoladas ► MORAIS. In: OUTHWAITE. 7. Anais… Belo Horizonte: ANPAD. Data. DJ. Ação rescisória julgada improcedente. permanecendo subsistentes ou outros aspectos não impugnados pelo autor. habeas-corpus. 1989. v. Olga. Volume se houver.2.425-426. 96.6. AUTOR. 1990. Rio de Janeiro: Encyclopedia Britânnica. Budismo. v. de imprecisão na identificação e localização do imóvel objeto da demanda. 90. 1980. 7. Ementa (quando houver). p.14.2 Verbetes de Enciclopédias ► MIRANDA. 13. 1.2. P. Simpósios. jan. p. Coisa julgada. Páginas inicial e final da parte.6. 389-412.6.6. In: NOME DO CONGRESSO. Jorge. data de publicação. Tradução ou versão. Acórdão em ação rescisória n. 5. 5.6. data de publicação. 91. 7. p. Encontros e outros Eventos Científicos.6. Relator: Ministro Barros Monteiro.6. Trim. Cidade onde se realizou o Congresso. Ação de consignação em pagamento não decidiu sobre domínio e não poderia fazê-lo. T.6.. Língua. 47-49. Charles. 1987. São Paulo. Partes litigantes. Fadiga. Alegação de violação da lei e de coisa julgada repelida. 1989. 7.1. Edição Ecumênica. precedida da palavra (acórdão ou decisão ou sentença) Dados da publicação que o publicou. p. n. 1996. mandado de segurança. Local: Editora. Regulamento. Local de Publicação: Editor. 1989. Nome do relator precedido da palavra "Relator".6. Álvaro Cabral. 455-468.2 Partes de Monografias AUTOR da parte. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD.2. 266-278. 75-RJ.2. Número ou volume se houver páginas inicial-final da parte. Belo Horizonte. Termo In: Autor da obra. Título da obra. 20 nov. Superior Tribunal de Justiça. Legislação Federal e marginália. Rio de Janeiro: Zahar.2 Reuniões Anuais . 807-813. Jornadas.2. Voto vencedor e vencido. Bíblia. Conferências.. M. Páginas inicial e final do trabalho. p. Direito.5 Bíblia em parte Título da parte. Título (Anais ou Proceedings ou Resumos…). William.1 Encontros ► RODRIGUES.6. Título da parte. p. 1979. 7. 7. Ano de publicação. 7. de 1984. Fernando. p. Inexistência. e/ou isoladas. 175. Ciência Política. In: Título. embargo. Português. 185. In: Bíblia sagrada. ademais. Workshops. 1974. Economia.6.3 Verbetes de Dicionários: ► HALLISEY.2. Nome da Corte ou Tribunal. quando houver. 7. Tom. São Paulo. pois não é de sua índole conferir a propriedade a alguém./mar. 7. ► Jó.). In: FUNDACENTRO. ► BRASIL.1 Capítulos de livros ► NOGUEIRA.2. A. ano.28 e Jurisprudência. p. Local de publicação: Editora. jan. Tradução de Eduardo Francisco Alves.2. etc. Curso de médicos do trabalho. Tipo e número do recurso (apelação. Título do trabalho. Ação Rescisória que ataca apenas um dos fundamentos do julgado rescindindo. In: POLIS Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado: Antropologia. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueiredo. V. Uma investigação na qualidade de vida no trabalho. número.6 Trabalhos apresentados em Congressos. 7-14. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência. BUTTOMORE. Número da edição. Decisões. São Paulo. Manoel da Silva Abreu e Estado do Rio de Janeiro. São Paulo: Verbo. 7. Notas (se houver). Deliberações e Sentenças das Cortes ou Tribunais AUTOR (entidade coletiva responsável pelo documento).6. São Paulo: Alfa-Omega. Dicionário do pensamento social do século XX. 3. D.2.7 Acórdãos. Ocorrência. v.

1995. 17 mar. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. ► EXAME. p. I. Paulo. Título da Revista. jan. n. O Estado de Minas. 1979. p. USP. Arnold.6. 11. jul. dia.2 Artigo de jornal AUTOR DO ARTIGO. ISSN: 01033786 7.7. São Paulo: Abril. Título do Jornal. mês e ano. Caderno de esporte. a paginação do artigo precede a data. seu dinheiro. 1995. 7. seção ou suplemento e. São Paulo.2. p. ano do primeiro e último volume.3 Conferências ► ORTIZ. Campinas: PUCCAMP. n.7. 7. Local de publicação (cidade): Editora. 1989-1997. acrescenta-se o nome do estado ou país. Anais… [S. Formas alternativas de estruturação do Poder Judiciário. Belém.1 Artigo de Revista AUTOR DO ARTIGO. Repercussões da fadiga psíquica no trabalho e na empresa. volume. 7. caderno ou parte.6. Editora e Data) 7. 2. ► TRANSINFORMAÇÃO. mês e ano. 1998.7. 32.1.8 IMPRENTA (Local. In: ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN SOCIETY OF INTERNATIONAL LAW. 1997.7.2.2. ► OLIVEIRA.2 Fascículos TÍTULO DO PERIÓDICO. 37-45.. de. volume. 7. 1986.2 Partes de publicações periódicas 7.7. (abreviado ou não) Local de Publicação. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. Washington.1 Consideradas no todo 7. São Paulo. 17 ago. mês e ano. RN . 1981. 1.3 Fascículos com título próprio TÍTULO DO PERIÓDICO. v./dez. ► ESPOSITO. cad. Proceedings… Washington: Society of International Law. Balanço anual 1997. 61. mês e ano. número. Viçosa. 7. São Paulo: Abril. p. Páginas inicial-final. [1986?]. 9. Periodicidade. páginas inicial e final do artigo. p. Local de publicação (cidade): Editora.6. Nota: Os meses devem ser abreviados de acordo com o idioma da publicação. Notas ► GAZETA MERCANTIL.6.1 Local Nota: nome do local (cidade) deve ser indicado tal como aparece na obra referenciada. 21. 1967. 207-208. 1997. São Paulo. 1967. Interpolação de imagens médicas. 1.]: OAB. Alceu Loureiro. Título do artigo. Título do artigo. 31. ISSN (Quando houver). Anais…São Paulo: IMCS. Quando houver homônimos.1 1 Coleções TITULO DO PERIÓDICO. Número do Volume. v. 8.7. et al.29 ► FRALEIGH. Afonso Henrique Miranda de Almeida. out.7 PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS 7. The Algerian of independence. número.7. Quando não houver seção. Número do Fascículo. Suplemento. Suplemento. Local de publicação (cidade): Editora. 1995. ► SUA safra. Número ou Título do Caderno. 6-12.8. Quadrimestral. l. 2. Folha de S.4 Workshop ► PRADO. In: WORKSHOP DE DISSERTAÇÕES EM ANDAMENTO. 7. P.. Judô: Educação física e moral. São Paulo. 7. MG Viçosa.1. Titulo do fascículo. VEJA. p. conforme modelo anexo. n. Belo Horizonte.2.7. Local de Publicação. W. Melhores e maiores: as 500 maiores empresas do Brasil.

Marsílio.1 Abstracts ► BIER. Narcisa de Fátima. Cambridge. Dissertações e teses ► AMBONI. Florianópolis. 1990. In: SILVA. ed. n. indicar entre colchetes. Rio Janeiro: Record. São Paulo: Nobel 7. v. Nota: Em obras cuja autoria é desconhecida.9 SÉRIES E COLEÇÕES Nota : Ao final da referência indicam-se os títulos das Séries e Coleções e sua numeração tal qual figuram no documento.3 Data Nota: A data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos. Ohio: CAS. Quando a data não consta na obra. O defensor da paz. Autor desconhecido. ► PÁDUA. l. n. Aug. seja da publicação. ► [S. 143 f. Ethan. Cell. Petrópolis: Vozes. 1996. 1997. 701 p. 1995. sempre deve ser indicada uma data. não mencioná-lo como editor. Analogia e aprendizado evolucionário: aplicação em diagnóstico clínico. indica-se a que aparecer com maior destaque na folha de rosto. 179 f. Abstracts.10. : s. 409.2 Editora Nota: quando o editor é o mesmo autor. entre parênteses. Rodrigues de Souza. p. 1996. 7. Chemical abstracts.3. Gerência da vida: reflexões filosóficas. a entrada deve ser feita pelo título. introdução de José Antônio Camargo Rodrigues de Souza. Universidade Federal de Santa Catarina. 7. da impressão. ► Ex: São Paulo: Nobel ► Rio de Janeiro: Makron. 7. 7. Heitor Silveira.10 NOTAS São informações complementares acrescentadas no final da referência. Gregório Francisco Bertolloni. sem destaque tipográfico. as demais podem ser também registradas com os respectivos lugares. 1995.10. 5.Curso de Pós-graduação em Administração. do copirraite ou outra. Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina. 1978] data aproximada ► [199-] década certa ► [199?] década provável ► [19--] para século certo ► [19--?] para século provável 7. O termo anônimo nunca deverá ser usado em substituição ao nome do autor. Por se tratar de elemento essencial para a referência. ► LOPES. n. 89. Estratégias organizacionais: um estudo de multi casos em sistemas universitários federais das capitais da região sul do país. (Clássicos do pensamento político). 212-213. Dissertação (Mestrado em Administração) . Tradução e notas de José Antônio Camargo. 1997. v. Lenilson Naveira e.8.10. . registrar a data aproximada entre colchetes. Anti-neural inhibition: a conserved mechanism for neural induction.] 7. 1997. ► [ 1981 ou 1982] um ano ou outro ► [1995?] data provável ► [1995] data certa não indicada na obra ► [ entre 1990 e 1998] use intervalos menores de 20 anos ► [ca. Tese (Doutorado em Engenharia Elétrica) . 3.30 Nota: Quando o Local e a Editora não aparecem na publicação mas é conhecido.Curso de PósGraduação em Engenharia Elétrica. Quando houver mais de uma editora.2 Autor desconhecido ► PROCURA-SE um amigo. 6.8. 127. p. p. 681-684.

7.11. 1969. 1993. Título e data.10 Trabalhos não publicados ► ALVES. ano de fabricação. Produção científica. Trabalho não publicado.10. O local é designativo da cidade onde está sendo executado o convênio. Antônio Eduardo Costa. 1997.11. Reimpressão. Mimeografado. João Bosco da Mota.10. n. Transinformação. Ata da reunião realizada no dia 4 de julho de 1997. 7.1 Atas de reuniões NOME DA ORGANIZAÇÃO. ► UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA.. 399 p. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura. 26 f. n.3 Cartões Postais TÍTULO. 5-30 de set. data. ► MATSUDA. Lisboa: Islâmica Alqalam. Notas prévias. ► CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO . C. 20. p. Natal: Imprensa Universitária. Cometas: do mito à ciência. 7. Biblioteca Central.10. Livro 50. São Paulo: Ícone.10. Separação de isótopos de urânio conforme o processo Nozzle: curso introdutório. Resenha de: SANTOS. 7. São Paulo. W. 1 cartão postal: color. [198-].10.6 Notas de aula ► KNAPP.10. Linguagem Forte. Cometa: divindade momentânea ou bola de gelo sujo? Ciência Hoje. Mimeografado. 2. 7.5. 172 p. Título original: The dyer’s hand. Resenha. ► NOVALGINA: dipirona sódica. de 1977. número. 1986. 7.10.10. 5.135-137. 9. H. Facsimiles ► SOUZA. v. 7. inicial-final. 7. 1. Ensaio.4 Convênios NOME DA PRIMEIRA INSTITUIÇÃO. Livro.11. T. Número de unidades físicas: indicação de cor. Local: Editora. 7. João da Cruz. 404 p. p. ano.11. Original em Persa. Ulrich. maio/ago.4 Ensaios ► MELO.7 Reimpressões ► PUTNAN.12 Tradução feita com base em outra tradução ► MUTAHHARI. Os direitos das mulheres no Islã.10. Cambridge: Cambridge University. 7. Nota: A entrada é feita pelo nome da instituição que figura em primeiro lugar no documento.CNPQ. A mão do artista. Bula de remédio. São Paulo: Hoechst. Mind. v. 383 p. Edição fac-similar. language and reality: philosophical papers.11 OUTROS TIPOS DE DOCUMENTO 7. Notas preliminares do movimento messiânico de Pau de Colher: comunicação apresentada ao IV Colóquio Internacional de estudos Luso-Brasileiro. abril. 100 p. 1986. 7. Geraldina Porto (Org. Hilary. 7. São Paulo: Siciliano. Campinas. Uberlândia.). 1973. [199?]. Salvador. Tradução de José Roberto O’Shea. Responsável técnico (se houver).2 Bulas ( remédios) TÍTULO da medicação.8 Notas múltiplas ► DUARTE.31 7. 1995. Murtadã. local. Local: Laboratório. 1987. Título. PEREIRA. Veríssimo de. São Paulo: Mercador. Tradução por: Editora Islâmico Alqalam. Versão inglesa.Brasília. Evocações. SP. Termo de compromisso que entre si celebram o Conselho Nacional de . M.9 Resenhas ► WITTER. Raymundo. P. 1988. ► BRASIL turístico: anoitecer sobre o Congresso Nacional .11 Tradução do original: ► AUDEN. p. Bula de remédio. 30. LOCAL. v. Notas de Aula. 2. páginas. Ensaios de antropologia brasileira.

. produtor.10 Fotografias AUTOR (Fotógrafo ou nome do estúdio) Título. microssulcos. color. Ano. prayers & promises. entrar pelo título. (90 min. Coordenação (se houver). ► DENVER. Tucson: Lawuers & Judges Publishing.): estéreo.): VHS. 1996.11. color.): digital. São Paulo. 1 videocassete (40min. data. faz-se descrição física de acordo com o suporte adotado. ► NOME da rosa. 1986. Série. Local: Produtora e distribuidora. Entrevista concedida a João Gabriel de Lima. son.9 Filmes e Vídeos TÍTULO. ► PEDESTRIANT reconstruction.): 33 1/3 rpm.): digital. o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia . Número e tipo de fitas (duração): tipo de gravação Título de série. por intermédio de sua unidade de pesquisa. O passado no presente.CNPQ. 7.4049. 7. Para entrevistas publicadas em periódicos. estéreo. executor.): 33 1/3rpm. sulco ou digital. Parte integrante da revista Caras. Para referenciar entrevistas gravadas.11.11. realizador. São Paulo: Polygran. Veja. Manaus: Videolar Amazônica: [199?]. quando existir.8 Fitas Gravadas AUTOR (compositor. 7. estéreo.11. dimensões. 1 disco compacto (47 min.6 Discos Compactos (CD . 7. 1 disco (15 min. 1990. Produção de Jean-Jaques Annaud. Autor e indicação de responsabilidade relevantes (diretor. Local: Gravadora. 1974. Port. São Paulo: Tw Vídeo distribuidora. 7. n. . Notas especiais. roteirista e outros).5 Discos AUTOR (compositor.. ► PANTANAL.32 Desenvolvimento Científico e Tecnológico . ► JÓIAS da música. Título.): 33 1/3 rpm.Compact discs) Nota: A referência de discos compactos (compact discs) difere da do disco comum apenas pela indicação de compacto e pela forma de gravação. Ntsc. São Paulo: Elektra.. Número de unidades físicas: indicação de cor. legendas ou de gravação. Legendado. ano. número de rotações por minuto. estéreo. Eubanks. NTSC. ► LUDWIG.7 Entrevistas Nota: A entrada para entrevista é feita pelo nome do entrevistado.11. 1. 4 set.IBICT e a Universidade Federal de Santa Catarina .UFSC. The Grea test Classical Hits . A. microssulco. duração em minutos. Beethoven: com Pastoral Emporor Moonlight sonata. son. ► TRACY CHAPMAN. São Paulo: RCA Records. 1998. 1994. 1990. Referência da publicação. Título. Número do disco. 1 disco (38 min. 1 disco (45 min. Produção de Jerry J. Rio de Janeiro: Sony Music. intérprete). 1528. proceder como em documentos considerados em parte. Evaldo Cabral de. Suíte 1700: con The Royal Philharmoníc Orchestra. 188163/1-467603. sonoro ou mudo. São Paulo: movie Play: 1993. logo após a data.11. GCH 2404. estéreo. p 9-11. Didático. 1988. Título. Descrição física com detalhes de número de unidades. 670. Nota: Caso seja referenciado apenas 1 lado do disco. 1 cassete son. Florianópolis. 1 Videocassete (130 min. número de canais sonoros. L. v. Nota de entrevista ► MELLO. Van Beethoven. Direção artística (se houver). NOME DO ENTREVISTADO. Local: Gravadora. 7. Sem narrativa. a indicação deve ser feita pela abreviatura L. Quando o entrevistador tem maior destaque.4170-A. Intérprete).): VHS. DL: M-23206-94. estéreo. 1 disco compact (60 + min. se houver. entrar por este. ► COBOS. John. 104. microssulco. Poems. Em caso de coletânea. Luís. Os Clássicos dos clássicos.

95 min. 7. Estudo da motricidade articulatória e da memória auditiva em distúrbios específicos de desenvolvimento da fala. quando houver. jul. Acompanha texto. login: new. Curitiba. ► KELLO. 17. Número de slides: indicação de cor. 7. Apostila.12 Microfichas Nota: referenciar como a publicação original. 8283-8431. ► AMORIM. 1 mapa: 78 x 57 cm. 1. Rio de Janeiro: Sonoro-Vídeo. 3 microfichas. Título. 7.11. audiocassete. Florianópolis. ► SANTA CATARINA. [ Florianópolis]. Departamento Estadual de Geografia e Cartografia.11 Mapas e Globos AUTOR.cv.1 Arquivo em Disquetes AUTOR do arquivo. [197?]. Tipo de suporte. Hélio Mendes de.3 Base de Dados em Cd-Rom: no todo AUTOR.12.11. Viver ou morrer. Esta informação deve preceder o número de fotos. 35 m. 7. Login: lauch. 1958. ano.edu. login: . Escola Técnica Federal de Santa Catarina. ► A MODERNA arquitetura de Brasília. na dimensão.): color. Acesso em: 22 maio 1998.33 Nota: A fotografia de obras de arte tem entrada pelo nome do autor do original. 27. após o número de unidades físicas. Local: Editora. ► UNIVERSIDADE da Carolina do Norte. Word for windows 6. v. color. Sendo em negativo. 1973./dez. 7..12.11. 1 bobina de microfilme. 30 slides. Mapa geral do Estado de Santa Catarina. um álbum. transcreve-se primeiro a altura. Título.13 Microfilmes Nota: Referenciar como a publicação original. dimensões em cm.Packard. Endereço BBS: . 7. Foto & Vídeo. Local: Editora. n.. ► HEWLETT . 13 maio 1995. Lígia Leindorf Bartz. Disquete 3 1/2. 1996. ► SPINELLI. Título. data. color. data. Local. ► KRAEMER. 1 álbum (28 fot. São Paulo. CD-ROM. Data de acesso. Tratando-se de um conjunto de fotografias com suporte físico próprio como.hp. tipo de suporte. seguida da indicação de unidades físicas e da largura em milímetros. o diâmetro do globo em centímetros. Escala: 1:800:000. 1 arquivo (605 bytes). ano.5 x 13 cm.doc. Escala. Referenciar globos como mapas. 1997. Título do arquivo. n. ► ESTADO. usar a abreviatura neg.2 BBS TÍTULO do arquivo. mencionando-se ao final. Brasília.4 Base de Dados em Cd-Rom: partes de documentos . Notas. unc. precedido da abreviatura fot. Mauro. 7. 7. Bases de dados em Ciência e Tecnologia. Local: Produtor.14 Slides (diapositivos) AUTOR.11. 1941. Endereço BBS: launch pad.12. Extensão do arquivo. Acesso em: 22 maio 1998. [197?].12 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS 7. substituindo o número de unidades físicas pela designação globo e indicando. Endereço BBS: hpcvbbs. precedida de dois pontos. 10 slides. Washington: Pan American Development Foundation.com. altura x largura. Tese (Doutorado em voz) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. por exemplo. Características físicas.0. Número de unidades físicas: indicação de cor. seguido do título e da indicação do nome do fotógrafo. ► INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA IBICT. Notas. Nota: Ao indicar as dimensões do mapa.12. o número de microfichas e redução.

90>. 1996. Título do jornal. Título. Ciência da Informação. .34 AUTOR DA PARTE. Título da publicação seriada. ► MARINO. sempre que possível. Disponível em: <http://www1. Acesso em: data.12. Nota: Caso trate-se de resposta de terceiros. Disponível em: <endereço>. login: anonymous. 1997. seção. Disponível em: <Endereço>. Brasília. Mensagem recebida por <educatorinfo@gets.12. A internet e o valor da "internetização".2 Artigos de Jornais (On-line) AUTOR. Anne Marie.1. Nota: As informações devem ser retiradas.1 Artigos de Periódicos (On-line) AUTOR.10. 7. data de publicação.br> em: 22 maio 1998. caminho: Pub. data de acesso.9 Publicações Periódicas consideradas no todo (On-line) TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. v. Título do artigo. 7. ► UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. v.txt> 1 Oct. Current directory is/pub.br/redac/manual. 1. do cabeçalho da mensagem recebida.html>. Re ( Replay) deve preceder o título. Assunto da mensagem. São Paulo. volume. ► CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO.com. Manual de redação e estilo. ► GATES. data.12. Mensagem disponível em: <endereço da lista> data de acesso.org> em 12 maio 1998. local.7. TOEFL brienfieng number [mensagem pessoal].com. 3. 1997.5 E-mail AUTOR DA MENSAGEM.br/cionline/>. 1997. poderá ser acrescentado os demais destinatários após o primeiro. número.net/bard/muse. Tipo de suporte. Disponível em: <Endereço. 7. caminho:.12. Disponível em: < endereço>. login: . Biblioteca Universitária. Nome da lista (se houver). ano. n. 7 Listas de Discussões 7.estado. Brasília. In: AUTOR DO TODO.>. LOCAL (cidade): Editora.6 FTP AUTOR (se conhecido) . ► PEIXOTO. Título do artigo. 3. Paginação ou indicação de tamanho. volume. Garry. mês. Mensagem recebida por < e-mail do destinatário> data de recebimento. data. password: guest.162.1 Mensagem recebida AUTOR da mensagem. Quando tratar de mensagem . n.12. Notas. Título (Assunto).ibict. número. caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. ► BRAGA. Título do todo. Shakespeare and his muse. Disponível em : <http://www. Hudson. Título. 7. Acesso em: data. dia mês e ano.br/cionline>. a entrada dar-se-á pelo nome da mensagem original ou do autor da mensagem.12. Acesso em: 19 maio 1998. n.10. 7. Base de dados em Ciência e Tecnologia. mês ano. Acesso em: 18 maio 1998. Disponível em: <http://www. Quando o e-mail for cópia. <ftp:150.<ftp://ftp. Joel. Deus não se agradou dele e de sua oferta.guten. local: Editora.8 Monografias consideradas no todo (On-line) AUTOR.12.ibict. CD-ROM.10 Partes de Publicações Periódicas (On-line) 7. local. Acesso em: 19 maio 1998. Brasília: IBICT. 26. 7. Acesso em: data.12. 1996. Função citação como fator de recuperação de uma rede de assunto. In: IBICT. Acesso em: 19 maio 1998. Endereço ftp: . [mensagem pessoal]. 26. ► ESTADO DE SÃO PAULO. separados por ponto e vírgula. Local (cidade): editora. Título da parte. Acesso em: data.12. ► MALOFF. 7. Maria de Fátima Vieira. Disponível em: <Evangelicos-l@summer.reposta.

Rodrigo França. Título. . <Endereço>.ufsc. Universidade Aberta: online.. Rio de Janeiro.org>.com. Acesso em: 19 maio 1998.. Disponível em: <http://www.. Acesso em: 19 maio 1998..br>. Catálogos de Universidades. 7. apresenta. Ministério corta pagamento de 46. Biblioteca Universitária. desenvolvida por. Toefl on line: Test of english as a foreign language. Acesso em: 19 maio 1998.toefl. Acesso em: data. 19 maio 1998. Informações complementares (Coordenação.). quando houver etc..unaberta. Disponível em: < http://www.bu.br/>.11 Homepage AUTOR. Globo.br/novaua/index. Acesso em: 19 maio 1998. ► ETSnet. Disponível em: <http://www.html>. ► UFSC não entrega lista ao MEC. Disponível em:<http://www.oglobo. Serviço de Referência.5 mil professores.35 ► TAVES. ► UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Disponível em:.ufsc. Apresenta endereços de Universidades nacionais e estrangeiras.12.

coloca a cada instante. o gama de informações é muito grande. . é necessário ter essa rapidez na busca e na recuperação das informações. visto que. gerando certas discussões no meio acadêmico. o que veio a colaborar para a elaboração desse guia. área de documentação. É um instrumento para se obter uma publicação de conteúdo valioso e útil. chegamos à conclusão dessa terceira edição do guia para apresentação gráfica da produção acadêmica (monografias. esse guia não pode ser visto como fim em si mesma. Monografia de Especialização. o que facilitará sobremaneira o armazenamento e a recuperação da informação da produção acadêmica dessa Faculdade. que tem por objetivo especificar normas que tratam dos princípios de elaboração e padronização de trabalhos acadêmicos (Monografia de Graduação. pois muitas normas de outras instituições de nível superior estavam sendo utilizadas para aplicação das mesmas. dissertações e teses) na FAG. já que ele é todo elaborado com base nas normas da Associação. que vivemos numa sociedade altamente veloz e transformadora. Isso não quer dizer que ele seja um ser humano desinformado.se facilitar o armazenamento e a recuperação da informação de forma mais rápida e precisa. ao contrário. pois sabemos que a chamada “Era da Informação Globalizada”. comissão examinadora de professores. Neste sentido. Acreditamos que a partir desse.36 8 CONCLUSÃO A ABNT é o Fórum Nacional de Normalização no Brasil. perante banca. Dissertações. Diante disso. O outro propósito neste guia é eliminar ou amenizar as diversas interpretações equivocadas relativas às normas técnicas da ABNT. Teses e outros) no âmbito da Faculdade. Sendo assim. No nosso caso. uma gama de informações gigantesca e se o ser humano não estiver preparado. pretende . Todavia. várias são as normas publicadas objetivando padronizar os mais variados tipos de publicações elaboradas no País. não saber o quer e não saber selecionar as informações se tornará uma “vítima de excesso de informações”. a comunidade acadêmica da FAG estará respaldada para a elaboração e padronização de publicações acadêmicas com bastante requinte. Com isso. especialistas designados e outros. não há porque recalcitrar contra o guia de apresentação gráfica da FAG. haja vista. atuando em várias áreas do conhecimento humano.

1992. 07 p. 1990. SUSANA M. eletrônicas e demais formas de documentos). ______. de. ______. Rio de Janeiro: ABNT. Rio de Janeiro: ABNT. ______. Como fazer referências (bibliográficas. NBR 10524: Preparação de Folha de Rosto de Livro. . 1990. 2002. NBR 12225: Títulos de Lombada – Procedimento. NBR 6028: Resumos – Procedimento. NBR 6029: Apresentação de Livros e Folhetos. 1989. NBR 14724: Informação e Documentação – Trabalhos Acadêmicos .Apresentação. 1993. ______. Rio de Janeiro: ABNT. Rio de Janeiro: ABNT. ARRUDA. 2000. NBR 6027: Sumário – Procedimento. Rio de Janeiro: ABNT. 2002. Rio de Janeiro: ABNT. NBR 12256: Apresentação de Originais. ______. NBR 10719: Apresentação de Relatório Técnicos . Rio de Janeiro: ABNT. 1989. 13 p. 03 p. Rio de Janeiro: ABNT. NBR 6023: Informação e Documentação – Referências – Elaboração. 06 p. ______. 1992. ______. 1989. Rio de Janeiro: ABNT.Científicos. Rio de Janeiro: ABNT. NBR 6022: Apresentação de Artigos de Periódicos. NBR 10520: Informação e Documentação – Citações em Documentos – Apresentação. Rio de Janeiro: ABNT. Maria Bernadete Martins. 2003. Rio de Janeiro: ABNT. 1994. ______. ______. 13 p. ______. Florianópolis: UFSC/BU.37 REFERÊNCIAS ALVES. ______. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024: Numeração Progressiva das Seções de um Documento – Procedimento.

Débora de Moraes. Porto Alegre. 2000. março de 204. Belo Horizonte: PUCMINAS.Procedimento.. 10. 2002. 22 p. Bage: URCAMP. NOGUEIRA. Artigo de Publicação Periódica e Resenha na URCAMP. Manual de estilo acadêmico: Monografias. SP: Autores Associados. Maria Tereza Duarte (Org. VIEIRA. 2001. NBR 6034: Preparação de Índice de Publicações . LUBISCO. 2002. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS – PUCMINAS. 344. Dissertações e Teses. 1983 – 1985. p. 1993. 130 p. Salvador: EDUFBA. Waldir. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mundo Jovem. Normas de apresentação tabular. Gildenir Carolino. VIEGAS. Goiânia: UFG. 42. L. Ed. . Brasília: UNB. Nídia M. 2. 104 p. Monografia. Normas para apresentação de Trabalhos Científicos. São Paulo: FEBAB. 45 p.38 ______. Campinas. 1989. Guia para apresentação de trabalhos monográficos na UFG. 92 p. Orientações aos alunos na redação e apresentação gráfica de Monografias. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Sônia Chagas. UNICAMP. 1995. n. 11 p. COELHO. Rio de Janeiro: ABNT. Pára o mundo que eu quero descer ! Conversas sobre o excesso de informações. SANTOS. Rio de Janeiro: IBGE. Teses e Dissertações. Pró – Reitoria de Pesquisa e Pós – Graduação. Teses e Dissertações. CÓDIGO de Catalogação Anglo – Americano. Dissertação. 2001. Manual de organização de referências bibliográficas para documentos impressos e eletrônicos. Normas técnicas para apresentação da Tese.). v.

Figura 10 – Resumo em língua vernácula (obrigatório) APÊNDICE L .Figura 16 – Sumário (obrigatório) APÊNDICE R .Figura 23 – Apêndice (opcional) .Figura 5 – Errata (opcional) APÊNDICE G .Figura 22 – Glossário (opcional) APÊNDICE Y .Figura 3 – Folha de rosto (anverso .Figura 12 – Lista de ilustrações (opcional) APÊNDICE N .Figura 9 – Epígrafe (opcional) APÊNDICE K .obrigatório) APÊNDICE F .obrigatório) APÊNDICE E .Figura 17 – Folha de introdução APÊNDICE S .Figura 8 – Agradecimento (opcional) APÊNDICE J .Figura 14 – Lista de abreviaturas e siglas (opcional) APÊNDICE P .Figura 4 – Folha de rosto (verso – ficha catalográfica .Figura 20 – Referências (obrigatório) APÊNDICE V .Figura 21 – Anexo (opcional) APÊNDICE X .Figura 19 – Folha de conclusão APÊNDICE U .Figura 7 – Dedicatória (opcional) APÊNDICE I .Figura 6 – Folha de aprovação (obrigatório) APÊNDICE H .39 APÊNDICE A – Estrutura de Apresentação dos Trabalhos Acadêmicos APÊNDICE B – Figura 1 – Capa (obrigatório) APÊNDICE C .Resumo em língua estrangeira (opcional) APÊNDICE M .Figura 2 – Lombada (opcional) APÊNDICE D .Figura 13 – Lista de tabelas (opcional) APÊNDICE O .Figura 15 – Lista de símbolos (opcional) APÊNDICE Q .Figura 11 .Figura 18 – Folha de desenvolvimento APÊNDICE T .

sob a orientação do Especialista em Sistema de Informação.40 Faculdade Guaraí – FAG (Opcional) Geraldo Santos da Costa A AUTOMAÇÃO DA BIBLIOTECA ALBINA RODRIGUES DA MOTA DIAS Geraldo Costa A AUTOMAÇÃO DA BIBLIOTECA ALBINA RODRIGUES DA MOTA DIAS Guaraí 2008 Figura 1 – Capa (obrigatório).obrigatório). apresentado ao Diretor Presidente da FUNDEG. Faculdade Guaraí – FAG (Opcional) Geraldo Santos da Costa A AUTOMAÇÃO DA BIBLIOTECA ALBINA RODRIGUES DA MOTA DIAS Projeto de automação da Biblioteca Albina Dias elaborado por Geraldo Costa. Guaraí 2008 Figura 3 – Folha de Rosto (anverso . objetivando informatizar o acervo bibliográfico. Laudinatel Silva. Prof. Figura 2 – Lombada (opcional). .

Normalização. 2008.Normalização. 7. . Trabalhos Monográficos . 30 p. Dissertações e Teses) na Faculdade Guaraí – FAG. Teses . 2. 2007. Guia para apresentação gráfica de trabalhos acadêmicos (Trabalho de Graduação Interdisciplinar – TGI. Dissertações . 6.obrigatório). ERRATA Folha 32 Linha 3 Onde se lê publicao Leia-se Publicação Figura 5 – Errata (opcional). I. Geraldo Santos da (org). – Guaraí – TO: FUNDEG/FAG. Geraldo Santos da (org.Normalização. Monografias. Inclui bibliografia. COSTA. Monografias. Redação Técnica 4. Dissertações e Teses) na Faculdade Guaraí – FAG / Organização de Geraldo Costa.Normas. 3.). Metodologia Científica. Documentação Normalização.41 001. Costa. 1. 5. Publicações .42 G943 Guia para apresentação gráfica de trabalhos acadêmicos (Trabalho de Graduação Interdisciplinar – TGI. Guaraí – TO: FUNDEG/FAG. Figura 4 – Folha de Rosto (verso – ficha catalográfica .

Msc Sidnei Santana Pereira Examinador – FUNDEG/FAG Data de aprovação: ____/____/___ Guaraí 2008 Figura 6 – Folha de Aprovação (obrigatório) . Esp. Banca Examinadora __________________________________ Prof. objetivando informatizar o acervo bibliográfico. Pedro Pires Filho Examinador – FUNDEG/FAG __________________________________ Prof.42 Geraldo Santos da Costa A automação da Biblioteca Albina da Rodrigues Mota Dias Projeto de automação da Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias elaborado por Geraldo Santos da Costa. Laudinatel Silva. Laudinatel Silva Orientador – FUNDEG/FAG __________________________________ Prof. sob a orientação do Especialista em Sistema de Informação. Esp. Prof. apresentado ao Diretor Presidente da FUNDEG.

. que queriam (e querem) utilizar os serviços de orientação na normalização e padronização de trabalhos acadêmicos. conselheiro. o que resultou na elaboração deste guia Figura 8 – Agradecimento (opcional). amigo. das bibliotecas e do prazer da leitura e da pesquisa. A todos os usuários da Biblioteca Albina Rodrigues da Mota Dias. incentivador.43 Ao meu pai. in memorian. Ao corpo docente da FUNDEG/FAG. Figura 7 – Dedicatória (opcional) AGRADECIMENTO Ao nosso ser supremo. exemplo. mestre e guia na descoberta dos livros.

com base nas normas oficiais da ABNT. mas se saiba que o autor conhecia algo” (GOETHE) Figura 9 – Epígrafe (opcional). E por último. Normalização. eliminando as possíveis utilizações de outros manuais para normatização de trabalhos acadêmicos. Figura 10 – Resumo na Língua Vernácula (obrigatório). O segundo objetivo compreendeu o estabelecimento de uma metodologia de aplicação das normas técnicas para a apresentação de trabalhos acadêmicos.44 “Alguns livros parecem ter sido escritos não para neles algo se aprender. Palavras – Chave: Produção acadêmica. procurou respaldar a comunidade acadêmica com uma norma específica da FAG. O primeiro deles consistiu na tentativa de definir um marco referencial para a o desenvolvimento da produção acadêmica na Faculdade Guaraí. Normatização. Padronização. . pertinente com a teoria aplicada em sala de aula. Trabalhos Acadêmicos. pela professora especialista em Metodologia do Trabalho Científico. RESUMO Este trabalho buscou três objetivos.

Resumo em Língua Estrangeira (obrigatório). Competitivity. . Figura 11 . At last.obrigatório) Figura 4 – Folha de Rosto (verso . The first goal was to stabilish a theoretical approach for the research. Keywords: Agroindustry. This theoretical approach would articulate the neoschumpeterian school of industrial organization and the regional development one. Milk – Bahia. Brazil. This methodology would be conected with the theoretical approach. it was intended to diagnose the dynamic competitive conditions of the milk and orange supply chains. development regional policies were recommended to help the firms to achieve sustainable competitive advantages.45 ABSTRACT This thesis was intended to achieve three goals. and would be based upon the the local accumulation of technological capabilities.obrigatório) Figura 5 – Errata (opcional) Figura 6 – Folha de Aprovação (obrigatório) Figura 7 – Dedicatória (opcional) Figura 8 – Agradecimento (opcional) Figura 9 – Epígrafe (opcional) Figura 12 – Lista de Ilustrações (opcional). inthe state of Bahia. Based upon these condictions. Regional development – Bahia. LISTA DE FIGURAS (ilustrações) Figura 1 – Capa (obrigatório) Figura 2 – Lombada (opcional) Figura 3 – Folha de Rosto (anverso . Orange – Industry – Bahia. The second goal was to develop the methodology to do research.

LISTA DE SIGLAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. TGI – Trabalho de Graduação Interdisciplinar. FAG .46 LISTA DE TABELAS TABELA 1 – Disposição dos elementos TABELA 2 – Elementos pré – textuais TABELA 3 – Elementos textuais TABELA 4 – Elementos pós – textuais Figura 13 – Lista de Tabelas (opcional). Figura 14 – Lista de Abreviaturas e Siglas (opcional). EDUFBA – Editora da Universidade Federal da Bahia. UNB – Universidade de Brasília. UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina.Faculdade Guaraí IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. . URCAMP – Universidade da Região da Campanha. NBR – Norma Brasileira Registrada.

................................................................. 20 REFERÊNCIAS.............................................................................................................................................................................. 12 5. ................2................................................................................ 07 2 OBJETIVO....... 05 PREFÁCIO............................................................. 06 1 INTRODUÇÃO...........................................1. 13 5........................................................................................................... 13 6 REFERÊNCIAS – ELABORAÇÃO.................................................................................................. 14 7 CONCLUSÃO..............................................1 ELEMENTOS PRÉ – TEXTUAIS .........1 Introdução.................................47 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS LISTA DE ABREVIATURAS APRESENTAÇÃO...............2 ELEMENTOS TEXTUAIS............................................................................. 25 Figura 15 – Sumário (obrigatório)............................................................. 10 5.......... 24 ANEXO........................................... 12 5.............................................. 08 3 PREFERÊNCIAS NORMATIVAS.... 09 5 ESTRUTURA.......... 23 APÊNDICE..................................................................1 Capa....................................... 08 4 DEFINIÇÕES.........................................................................................

. não só os avanços da ciência e da tecnologia ficaram evidentes. um volume incalculável de informações existentes. quer de pós-graduação – seja capacitado a transitar de forma autônoma no universo informacional. no caso brasileiro. A urgência na mudança desse estado de coisas. buscando e sistematizando as informações de sua área de interesse. já que o uso de metodologias mais dinâmicas de ensino sugere a necessidade de que o estudante – quer de graduação. mas outros meios e áreas também.48 1 INTRODUÇÃO A década de 90 revelou ao mundo. por meio da Internet. 16 – Modelo de Folha de Introdução. se faz sentir.

qualidade. prestar segurança à vida. garantir maior economia de recursos. agricultura. No Brasil. imprimir qualidade a produtos/bens/serviços. só para citar algumas. que visam. ainda é desconhecida na sua extensão e utilidade. transporte.49 2 DESENVOLVIMENTO Toda a atividade humana de caráter repetitivo supõe o uso de normas. Figura 17 – Modelo de Folha de Desenvolvimento. . melhorar a comunicação. Na área de documentação. a normalização é uma prática usual nas áreas odonto – médica. sendo comumente alvo de muitas dúvidas por parte dos pesquisadores e professores. a simplificar procedimentos. de mineração. entretanto. segundo o caso. além de facilitar o intercâmbio de modo geral. petroquímica.

50 8 CONCLUSÃO A ABNT é o Fórum Nacional de Normalização no Brasil. haja vista. que vivemos numa sociedade altamente veloz e transformadora. várias são as normas publicadas objetivando padronizar os mais variados tipos de publicações elaboradas no País. Com isso. área de documentação. pretendemos facilitar o armazenamento e a recuperação da informação de forma mais rápida e precisa. Figura 18 – Modelo de Folha de Conclusão. . No nosso caso. atuando em várias áreas do conhecimento humano.

NBR 10524: Preparação de Folha de Rosto de Livro. SUSANA M.51 REFERÊNCIAS ALVES. 1989. 1983 – 1985. . Como fazer referências (bibliográficas. Ed. Florianópolis: UFSC/BU. eletrônicas e demais formas de documentos). NBR 10520: Informação e Documentação – Citações em Documentos – Apresentação. ARRUDA. Rio de Janeiro: ABNT. São Paulo: FEBAB. Figura 19 – Referências Bibliográficas (obrigatório). de. ______. CÓDIGO de Catalogação Anglo – Americano. 13 p. 2002. Maria Bernadete Martins. Rio de Janeiro: ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 2003. 2. 06 p.

Figura 20 – Apêndice (opcional).52 APÊNDICE A – Avaliação numérica da coleção de periódicos. ANEXO A – Representação gráfica em números do crescimento da coleção de periódicos ANEXO B – Representação gráfica em números do crescimento da coleção de livros. . APÊNDICE B – Avaliação numérica da coleção de livros. Figura 21 – Anexo (opcional).

DESCARTE – É a retirada total e definitiva de materiais da coleção. Figura 22 – Glossário (opcional). publicações e utilização. autorias. aos quais não possuem justificativa alguma para nela permanecerem.53 GLOSSÁRIO ACERVO BIBLIOGRÁFICO – Conjunto de documentos de um arquivo. BIBLIOMETRIA – Utilização de métodos estatísticos para analisar um tipo de literatura para estudar seu desenvolvimento histórico. . ACESSO LIVRE – Biblioteca com estantes de acesso aberto aos usuários. CAIXA ALTA/CAIXA BAIXA – Referem – se às letras maiúsculas e minúsculas.

centralizado. 5.1.1. com espaço de 1.54 5.textuais são apresentados conforme 5. . onde as informações são transcritas na seguinte ordem: a) Nome da instituição (Elemento opcional que deve digitado ou datilografado em caixa baixa (minúscula).1 ELEMENTOS PRÉ - TEXTUAIS: Os elementos pré .15. a 5. sem recurso tipográfico (negrito. tamanho 12 para fonte (letras) arial ou times new roman.5 entre linhas. itálico. caso a extensão do nome exceda mais de uma ).1.1.1 Capa: Elemento obrigatório. Figura 23 – Espaçamento entre texto e subseção e/ou vice – versa. grifo).

1993. (NICHOLS. Através de áudio – conferência. porque o dinheiro produzido pela empresa durante o ano era computado em valores nominais. . um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão. telefone e computador . Tipos comuns de teleconferências incluem o uso da televisão. 181). A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar o seu local de origem. __________ ¹ MARTINS. São Paulo: USP. afirma que as contas de origem e aplicação de recursos tem um poder de análise extraordinário. Contribuição à avaliação do ativo intangível.55 Martins¹ citado por Gomes (1986). Figura 24 – Citação de citação. Eliseu. p. utilizando a companhia local de telefone. 1972. Figura 25 – Citação direta com mais de três linhas.

35) descreve: “ O estudo da morfologia dos terrenos [. no texto. p.]” Figura 26 – Citação direta. p. 27): [. 72). BONNIN. . Ou ainda Segundo Sá (1995. ” Ou “ Não se mova.] ativos [.” (CLARAC. 1985.. p.... de até linhas..56 Barbour (1971.] “ por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte de nossa existência cotidiana [.. faça de conta que está morta..]..

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful