Você está na página 1de 3

KÓRI, a ÒRÌSÀ da juventude e das crianças órfãs.”

Kóri é uma ÒRÌSÀ, cultuada em muitas cidades Yorùbá.

Seu culto por algum motivo não sobreviveu no candomblé, porém em Cuba é cultuada em algumas casas ERRONEAMENTE como qualidade de Òsun.

Kóri é uma divindade muito importante, é a ÒRÌSÀ da juventude e das crianças órfãs e adotadas.

De acordo com o Corpo Literário de Ifá, Kóri era uma mulher que vivia na floresta, até que um dia encontrou uma criança abandonada e adotou a mesma.

Ensinou a essa criança todos os segredos da vida, fazendo com que a mesma se tornasse um ser muito bem sucedido.

Devido a isto, Kóri normalmente é apontada por Ifá (ÒRÌSÀ do destino) como aquela que deve ser cultuada pelas crianças abandonadas que foram adotadas por outra família.

Ajudando assim, a criança, a se desenvolver de forma sadia e possibilitando que a mesma seja um adulto próspero.

Kóri tem também, muita relação com os jovens e adolescentes.

Sendo essa fase de muita transformação e riscos, Kóri pode ser cultuada para que o jovem tenha um ORÍ mais equilibrado e supere essa fase de uma melhor forma.

Por isso Kóri é chamada de Òòsà Eléèwe.

Para os Yorùbá a palavra OMO quer dizer filho; OMODE criança; ÀGBÀ adultos e ÈWE são os jovens, que são considerados assim, dos 10 anos de idade até os 20.

Lembrando que esse “ÈWE” não tem nada haver com a palavra “EWÉ“que significam as folhas e nem EWE (grupo étnico de origem Fon).

OBS: a acentuação tonal é diferente, o que modifica a forma como a palavra é pronunciada.

Para o povo Yorùbá, as crianças não pertencem aos pais ou à família, e sim é um bem da comunidade em geral, pois representa a continuidade geral do grupo.

Para eles existem vários ÒRÌSÀ relacionados às crianças, como Ìbejì que é o protetor dos gêmeos, Egbé que é o grupo de espíritos amigos que temos no ÒRÚN que combate a ira dos Àbíkú e protegem as crianças da comunidade, Logolo e Kóri que protege as crianças adotadas e os jovens na fase da transformação.

Kóri é cultuada para que as desgraças ocorridas na vida dessas crianças sejam por elas ignoradas, e para que a mesma, no futuro, não venha a ter atitudes negativas motivadas por acontecimentos ruins do passado.

Apenas na iniciação de Ifá que será mostrada ou não, a necessidade de uma pessoa cultuar Kóri.

Por isso, é um risco evocar e alimentar uma energia que, muitas vezes não está relacionada ao nosso destino.

Segue um pequeno trecho de um ORÍKÌ de Kóri:

1-Kóri nrodo,

2-Òòsà èwe nrodo

3-Kóri o má je k’omo wá ò kú o!

4-Òrìsà èwe, má je kí

5-Orí wá, ò kú o!

6-Olú-òrún o, má pá wa lekun o

7-Òrìsà èwe, má pá wa lekun o! (

Tradução:

1-Kori a protetora!

)

2-Orixá que protege os jovens!

3-Kori que as crianças venham e não morram!

4-Orixá dos jovens, não há outro!

5-Cabeça venha, e não morra!

6-Senhora do céu, não mate nosso leopardo

7-Orixá dos jovens, não mate nosso leopardo! (

)

Essa evocação de Kóri deixa claro, o papel dela no panteão, proteger as crianças da morte prematura e apoiar os jovens, fazendo com que eles superem essa fase de tanto desequilíbrio.

Os devotos de Kóri, normalmente precisam cuidar muito de Egbé, Ifá e Egúngún.

Se deseja conhecer os EBO e segredos sobre o culto dessa ÒRÌSÁ é extremamente importante que você tenha SÚÙRÚ (Paciência).

CONHECIMENTO E A SABEDORIA VEM COM O TEMPO.

O culto aos ÒRÌSÀ é baseado em: ACEITAÇÃO, APRENDIZADO, DEDICAÇÃO, CONHECIMENTO, VIVENCIA, COMPREENSÃO, RESPEITO, VENERAÇÃO e HONESTIDADE; quem diz o contrário é porque de fato, NÃO CONHECE NADA; jamais teve em sua vida religiosa a transmissão e veiculação do verdadeiro ÀSE.

Continuo firme com o objetivo de trabalhar para que todos possam aprender mais sobre os nossos ÒRÌSÀ, sobre a tradição Yorùbá.

Falar de Kóri, me dá apenas a oportunidade de mostrar que há outros ÒRÌSÀ que podem ser cultuados em diversas situações na vida do ser humano e ter conhecimento deles é OBRIGAÇÃO de todos os Sacerdotes e Sacerdotisas (Bàbálóòrìsà e Ìyálóòrìsà)

Transmitir essas informações é o que me motiva e é o que me dá certeza de que nós brasileiros temos muito para aprender sobres os ÒRÌSÀ Yorùbá, e para ter conhecimento precisamos aprender mais, este é o primeiro passo, para que esse conhecimento chegue até nós