Você está na página 1de 8

Milla Costa Garrido

Turma 0569. 23G

Trabalho apresentado à disciplina de ‘Computação Aplicada’, orientado pelo


professor Edeilson como requisito parcial de avaliação referente à primeira avaliação
quantitativa (G1).

Palmas – TO
5 de Setembro de 2009.
Introdução

Este trabalho vem ressaltar a importância dos computadores no nosso


dia-a-dia. Essas máquinas maravilhosas que nos permitem conectarmo-nos em
uma única grande rede mundial, diminuindo a distância, quebrando barreiras,
interligando os usuários de modo geral e transformando-nos em cidadãos
universais.
De fato, os computadores tornaram-se indispensáveis à parcela total da
população mundial, por esse motivo é um dos mais comuns meios de
informação da sociedade moderna pelo fato do fluxo informativo ser muito
veloz e eficiente.
É com o fluxo de informações e dados que isso é possível, e para isto
estudares a dinâmica dos computadores o que são eles, para que servem
como funcionam entre inúmeras informações utilíssimas a seguir.
Desenvolvimento

Computador.
O que é? como funciona?
O computador é uma máquina capaz de variados tipos de tratamento
automático de informações ou processamento de dados. Um computador pode
prover-se de inúmeros atributos, dentre eles armazenamento de dados,
processamento de dados, cálculo em grande escala, desenho industrial,
tratamento de imagens gráficas, realidade virtual, entretenimento e cultura.
No passado, o termo já foi aplicado a pessoas responsáveis por algum cálculo.
Em geral, entende-se por computador um sistema físico que realiza algum tipo
de computação. Existe ainda o conceito matemático rigoroso, utilizado na teoria
da computação.
Assumiu-se que os computadores pessoais e laptops são ícones da Era da
Informação.
Os computadores precisam ser gerenciados por um sistema operacional que
os auxilia a desempenhar suas funções, este é um exemplo de software.

Softwares.
O que são? Para que servem?
Software, como já havia dito anteriormente são sistemas internos que
auxiliam a entrada o processamento e a saída das informações em um
computador. Toda a massa não palpável em uma máquina constitui o software,
o sistema operacional os programas, jogos, enfim.
Os sistemas operacionais, por sua vez podem ser de dois tipos distintos:
livres e proprietários.

Software Livre - O que é?


O software livre foi criado por Richard Stallman, no final dos anos 80.
Este software permite ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído
sem nenhuma restrição. A forma usual de distribuição de software livre é
anexar a este tipo de software uma licença de software livre, e tornar o código
fonte do programa disponível. O software livre é também conhecido pelo
acrônimo FLOSS (do inglês Free/Libre Open Source Software).
Um software é considerado como livre quando atende aos quatro tipos de
liberdade para os usuários do software definidas pela Free Software
Foundation:
Liberdade para executar o programa, para qualquer propósito;
A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas
necessidades;
Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;
A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu
próximo;
A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de
modo que toda a comunidade se beneficie; Acesso ao código-fonte é um pré-
requisito para esta liberdade;
O software livre é um programa em que o código fonte está disponível
para que o utilizador possa alterá-lo com o fim de adequá-lo às suas
necessidades e aos seus interesses.
Software proprietário
Ao contrário do software livre o Software proprietário ou não livre é
aquele cuja cópia, redistribuição ou modificação proibida pelo seu criador ou
distribuidor. Normalmente, a fim de que se possa utilizar copiar, ter acesso ao
código-fonte ou redistribuir, deve-se solicitar autorização ao proprietário, ou
pagar para poder fazê-lo: será necessário, portanto, adquirir uma licença.
As empresas que produzem estes softwares proprietários normalmente
costumam planejar também as suas desatualizações de forma a poderem
aumentar o número de vendas, as versões novas nunca são compatíveis com
os formatos anteriores para obrigar à novos gastos. A Microsoft aos poucos tem
tentado mudar o esquema das licenças de software, ou seja, ao contrário de
vender as licenças e atualizações, esta empresa pensa já em introduzir o
aluguer do próprio software... Só quem paga pode usufruir deste software.

Ex. de softwares proprietários: Microsoft Windows, RealPlayer.

*Software Livre vs Software gratuito


Quando falamos em software livre devemos referir-nos à liberdade de utilização
desse mesmo software. Mas isso não impede que o proprietário cobre uma
taxa pela utilização desse mesmo software mesmo permitindo ao utilizador,
utilizar o software com toda a liberdade.

Arquitetura e componentes de Hardware

Os componentes básicos de um computador


A função de um computador é processar dados. Para processá-los é
preciso movê-los até a unidade central de processamento, armazenar
resultados intermediários e finais em locais onde eles possam ser encontrados
mais tarde e controlar estas funções de transporte, armazenamento e
processamento. Portanto, tudo que um computador faz pode ser classificado
como uma destas quatro ações elementares: processar, armazenar e mover
dados ou controlar estas atividades. Por mais complexas que pareçam as
ações executadas por um computador, elas nada mais são que combinações
destas quatro funções básicas.
A função de mover dados é executada através do fluxo da corrente elétrica ao
longo de condutores que ligam os pontos de origem e destino e não depende
de elementos ativos. As funções de controle são igualmente executadas
através de pulsos de corrente, ou "sinais", propagados em condutores elétricos
(estes pulsos são interpretados pelos componentes ativos, fazendo-os atuar ou
não dependendo da presença ou ausência dos sinais). Portanto estas duas
funções, transporte e controle, para serem executadas só dependem da
existência de condutores elétricos (fios, cabos, filetes metálicos nas placas de
circuito impresso, etc.) e não exigem o concurso de componentes ativos.
Restam as funções de armazenar e processar dados.
Processar dados consiste basicamente em tomar decisões lógicas do
tipo "faça isso em função daquilo". Por exemplo: "compare dois valores e tome
um curso de ação se o primeiro for maior, um curso diferente se ambos forem
iguais ou ainda um terceiro curso se o primeiro for menor". Todo e qualquer
processamento de dados, por mais complexo que seja nada mais é que uma
combinação de ações elementares baseadas neste tipo de tomada de decisões
simples. O circuito eletrônico elementar capaz de tomar decisões é
denominado "porta lógica" (logical gate), ou simplesmente "porta".
Armazenar dados consiste em manter um dado em certo local enquanto
ele for necessário, de tal forma que ele possa ser recuperado quando o sistema
precisar dele. O circuito lógico elementar capaz de armazenar um dado
(expresso sob a forma do elemento mínimo de informação, o "bit", que pode
exprimir apenas os valores numéricos "um" ou "zero" ou ainda os valores
lógicos equivalentes, "verdadeiro" ou "falso") é a célula de memória – um
dispositivo capaz de assumir um dentre dois estados possíveis e manter-se
nesse estado até que alguma ação externa venha a alterá-lo (dispositivo "bi-
estável").
Tendo isto em vista, pode-se concluir que todo computador digital, por
mais complexo que seja, pode ser concebido como uma combinação de um
número finito de apenas dois dispositivos básicos, portas lógicas e células de
memória, interligados por condutores elétricos.
Resta ver como é possível programar estes dispositivos usando
componentes eletrônicos.
Sistema binário
Os computadores utilizam internamente o sistema binário (sistema
numérico posicional de base 2). A característica mais notável deste sistema
numérico é a utilização exclusiva dos algarismos "1" e "0", os chamados
"dígitos binários". Através do sistema binário, todas as quantidades e todos os
valores de quaisquer variáveis poderão ser expressos usando uma combinação
de um determinado número de dígitos binários, ou seja, usando apenas os
algarismos "1" e "0".

O fluxo das informações em um computador


Velamos um procedimento comum de qualquer usuário de um
microcomputador: a digitação de um texto qualquer para posterior obtenção de
um resultado impresso em folha de papel:
Digitamos no teclado o texto da mensagem escrita que queremos enviar
para alguém. O teclado é, sem dúvida, o dispositivo de entrada mais comum
nos sistemas computacionais.
O programa de editoração de textos que estamos utilizando faz o
processamento do que estiver sendo digitado, aplicando diversos recursos à
escolha do usuário: caracteres em negrito, centralizações, tabulações, etc.
O resultado do processo pode ser visualizado na tela do monitor de
vídeo e impresso em folha de papel utilizando-se uma impressora instalada no
sistema computacional. O monitor de vídeo e a impressora são dois dos
principais dispositivos de saída.

Dispositivos de Entrada/Saída
ENTRADA - apenas fornecem dados ao computador.
Teclado
Mouse
Joystick
Scanner
Drives de CD-ROM (com exceção dos modelos que permitem gravação.)
SAÍDA - apenas recebem dados do computador, os envia ao usuário.
Monitor
Impressora
ENTRADA/SAÍDA - fornecem e recebem dados do computador.
Drive de disquetes
Disco rígido

Hardware
É o conjunto formado pelos componentes físicos do computador, chamados de
módulos, compostos de placas e circuitos eletrônicos que executam as
principais tarefas de entrada, processamento de dados e saída.
Todo o funcionamento do computador é controlado por uma unidade central de
processamento, chamada de CPU, usualmente confundida com o gabinete. É
um módulo bastante complexo, que controla outros módulos: as memórias
RAM e ROM, os drives de discos flexíveis e rígidos, controladores de vídeo e
etc.
Dispositivos (periféricos)
Processador: É o chip que realiza todo o controle do computador. Comanda a
leitura e gravação de dados nos discos, lê e grava dados na memória, executa
os programas, recebe dados de dispositivos como o teclado e o mouse, e
transmitem dados para dispositivos como o vídeo e a impressora. É
responsável também por operações matemáticas, lógicas e com caracteres.
Memórias: São nos módulos de memórias que ficam armazenados as
informações vitais (dados), para que o processador possa executar. Existem
alguns tipos distintos, bem como suas características.
Memória ROM: A sigla "ROM" significa READ ONLY MEMORY, ou seja,
memória apenas para leitura. Isso significa que esta memória é apenas lida, e
nunca gravada. Sua gravação já vem de fábrica. Outra característica das
memórias ROM, é que elas são NÃO VOLÁTEIS. Isto significa que seus dados
não são perdidos quando desligadas. As ROMs, pelo fato de não se apagarem,
são utilizadas para conter programas que deverão estar ativos, desde o
momento em que se liga o computador. Ao se ligar a máquina, verificamos
algumas operações sendo executadas, como a contagem de memória RAM,
um rápido acionamento dos drives e logo a seguir, a carga do sistema
operacional. Tudo isso é realizado por um programa chamado BIOS, que
significa Sistema Básico de Entrada e Saída).
Memória RAM: A sigla "RAM" significa RANDOM ACCESS MEMORY, significa
memória de acesso randômico. Sua principal característica, é que pode ser
usada para leitura e escrita. Por isso é usada para armazenar as instruções a
serem executadas pelo microprocessador, ou os dados a serem processados.
Este tipo de memória é uma memória VOLÁTIL, isto significa que quando o
micro é desligado, as informações nela contidas, são apagadas.
Disco rígido: É considerado como memória auxiliar, sendo as duas acima
mencionadas, memórias principais. Possui grandes capacidades de
armazenamento, pois é utilizada para armazenar os programas que são
utilizados com frequência em um computador. Pois os mesmos não caberiam
nas memórias RAM e mesmo se coubessem, teriam o inconveniente de terem
de ser carregados toda a vez que fossem ser utilizados, e ainda perderiam tais
informações com o desligamento do computador. O disco rígido possui a
principal característica de manter as informações ao se desligar o micro.
É assim chamado de memória auxiliar pelo fato de que ao se executar um
programa, o processador, para executar os dados, necessita de que as
informações estejam contidas na memória RAM, e esta, não tem a capacidade
de armazenar todo o programa, para a leitura do processador. Ela resgata do
disco rígido, apenas as informações necessárias para a execução de uma ação
por vez, o restante das informações permanece no disco rígido. Portanto o
disco rígido auxilia a memória RAM, na execução de uma ação.
Disco flexível: É também considerado como memória auxiliar e permite leitura e
gravação. Possui pequena capacidade de armazenamento, diante do tamanho
dos programas atuais. É acionado por um drive de dimensão normalmente de
3/½ polegadas, e tem a facilidade de ser portátil, pelo seu reduzido tamanho,
cabe em um bolso de camisa e permite o transporte de pequenos arquivos.
Funcionamento da memória
A memória do computador é divida em posições, sendo que cada posição tem
um endereço. Os dados são divididos em pequenas porções, e a cada vez que
uma operação será executada, a memória armazena cada porção de dados em
um endereço.
A menor porção de informação (dados) é chamada de BIT (binary digit ou dígito
binário). Os computadores apenas reconhecem informações, em formato de
BIT. E os BITs, possuem apenas dois símbolos: 0 e 1. O computador só
reconhece estes dois números 0 e 1. Para ele, estes símbolos representam o
semelhante a uma corrente elétrica, onde 1, significa passando corrente e 0,
não está passando corrente. Ou então, como uma lâmpada: 1 - acesa e 0 -
apagada.
O computador está baseado numa série de combinações destes números
(BITs).
Cada combinação possui 8 BITs, ou seja, 8 dígitos 0 e 1, que formam um
BYTE. Um caractere, seja ele uma letra ou um número, é formado por uma
combinação de 8 BITs ou 1 BYTE. E cada endereço da memória é ocupado por
8 BITs ou 1 BYTE apenas.
As unidades, comumente referenciadas em informática, abaixo relacionadas,
nada mais são do que múltiplos da nossa unidade básica, o BIT:
BIT = unidade básica de memória (menor porção de memória).
BYTE = 8 BITS.
KILOBYTE (Kb) = 1.204 BYTES.
MEGABYTE (MB) = 1.024 x 1.024 BYTES.
GIGABYTE (GB) = 1.024 x 1.024 x 1.024 BYTES.
Software
São os programas que são executados em um computador. É um conjunto de
instruções ou comandos, escritos em uma linguagem computacional, que
visam o processamento de dados para um determinado fim, sobre dados ou
informações nele inseridas.
Possuem algumas distinções:
Sistemas Operacionais: São os programas responsáveis pelo controle e
interface com o hardware na execução de todos os demais programas. Ex:
DOS, UNIX, WINDOWS, OS/2,...
Compiladores e Interpretadores: São os responsáveis pela tradução de
programas escritos em linguagens de alto nível e pela geração de código em
linguagem de máquina. Ex: interpretador BASIC, compiladores CLIPPER, C
etc.
Utilitários: São "ferramentas" que efetuam uma única determinada função. Ex:
compactadores de arquivos, diagnóstico do sistema, antivírus, etc.
Aplicativos: São programas desenvolvidos para a execução de específicas
funções, tais como: sistemas administrativos, financeiros, médicos,...
Editores de Texto: Como o nome já diz, esses programas permitem a criação
de qualquer tipo de documento, carta,... Permite a gravação em disco,
impressão em papel, verifica a ortografia e etc.
Gerenciadores de Bancos de Dados: São programas dedicados ao
arquivamento e manipulação de agrupamentos de dados (assim como um
arquivo de fichas em um arquivo.)
Planilhas Eletrônicas: São programas que manipulam dados numéricos,
executam cálculos, permitem o uso de fórmulas e etc.
Lazer: São programas voltados para a diversão, jogos, quebra-cabeças, etc.
Conclusão
Um sistema computacional é formado pela soma do Hardware e Software, um
não existiria sem o outro.