• Mandamentos dos Profetas (Recomendado pelo Presidente Reuben Clark Jr. Abril 1937) • bedi!ncia. • "#.

• Prepara$%o Pessoal e "amiliar para &i&er de maneira sensata e pre&idente ('er s(bio) prudente) fa*endo reser&as para o futuro en+uanto s%o satisfeitas as necessidades imediatas). • 'er autossuficientes e independentes. • 'e,uran$a econ-mica. • Auto Confian$a. • A.udar ao pr/0imo (1os tornamos pessoas mais caridosas e bondosas). • Para estarmos preparados para tempos dif2ceis.

“Preparai-vos”
'en3or nos pre&eniu ao di*er4 Preparai -&os para o +ue est( por &ir. (5 &C 1416). 7( mais de sessenta anos recebemos a instru$%o de nossos l2deres da i,re.a4 89ue todo c3efe de fam2lia cuide de dispor de suficientes mantimentos) roupas e se poss2&el tamb#m de combust2&el para um ano) pelo menos.: Presidente Josep3 ". 'mit3 e0plicou4 ;/s de&eis continuar tendo em mente +ue as coisas temporais e espirituais est%o li,adas. <ma n%o pode ser desen&ol&ida sem a outra) en+uanto esti&eres a+ui na mortalidade. Arma*enar de&e ser parte de nossa &ida di(ria. 1%o # somente al,o +ue fa*emos a fim de preparar=nos para uma crise. > &i&er de forma pre&idente) s(bia e obediente. presidente ?*ra @aft Aenson declarou4 8A re&ela$%o de produ*ir e estocar mantimentos poder( ser t%o essencial para nosso bem estar temporal 3o.e) como foi entrar na arca para os dias de 1o#.: ?ncora.amo=nos a se,uir este consel3o com a certe*a de +ue a+ueles +ue se prepararam atra&#s da obedi!ncia aos mandamentos de 5eus n%o precisam temer. (Carta da Primeira Presid!ncia) 6B de .un3o 19CC) 'e esti&erdes preparados) 1%o temereis (5 &C 3C43D) Presidente 7inckleE disse4 ?stou su,erindo +ue c3e,ou o momento de colocar a nossa casa em ordem. ?stamos proclamando a mensa,em de auto=sufici!ncia por toda a i,re.a. (5iscurso de Confer!ncia Feral de utubro de 19CC.) A auto=sufici!ncia n%o pode ser alcan$ada se ,randes di&idas pesarem sobre a sua fam2lia e se o arma*enamento n%o for praticado dentro dos lares. A >poca da "artura # a >poca do Arma*enamentoG 5e&emos fa*er o mel3or +ue pudermos para arma*enar) lembrando=nos de +ue # mel3or termos al,uma reser&a do +ue n%o termos nen3uma.

8Cinco Princ2pios de ConstHncia ?con-mica: 1I PAFAR 5JKLM 7 1?'@AM?1@? 6I ;L;?R C M M?1 ' 5 9<? FA17A 3I APR?15?R 5L'@L1F<LR 1?C?''L5A5? 5 5?'?J BI ?MAA RAR <M RNAM?1@ ? ;L;?R 5?1@R 5?M? OI '?R 7 1?'@ ?M @ 5 ' ' A''<1@ ' "L1A1C?LR '

Processo de Armazenamento de Cereais em Grãos
Todos os grãos devem ser de ótima qualidade e bem escolhidos, devem estar bem secos. Os grãos devem ser secos ao sol ou ao forno ligeiramente quente, sem tostar. Este processo é valido, para qualquer tipo de grão com casca (arroz, fei ão, ervilha, lentilha, trigo em grão, milho pipoca, so a, aveia, grão de bico, trigo para quibe, can ica, macarrão solto, etc...! "sar vasilhame seco e limpo, com tampa de rosquear ou alguma outra que feche bem. #o caso do vasilhame ser de lata, depois de lavada e seca deve$se passar as emendas do fundo e lados sobre a chama do fogo, para que fique bem seca. %ei&e esfriar e pincele com parafina derretidas nas emendas. %erreta a parafina em banho 'aria.

1º A Vácuo (Técnica conhecida como (lcool com chuma)o de algodão!
*oloca$se o cereal no vasilhame escolhido até faltar +cm para ench,$lo totalmente. - seguir faz$se uma conchinha com um peda)o de papel alum.nio, com um chumacinho de algodão no centro embebido em (lcool a /0,12, coloca$se a conchinha dentro do vasilhame, coloca$se fogo no algodão e tampa$se imediatamente o recipiente. O fogo consumir( todo o&ig,nio do interior do recipiente, impedindo, portanto o desenvolvimento de qualquer tipo de vida aeróbica. 3incela$se a seguir com parafina derretida as bordas da tampa do recipiente, se for um recipiente de rosca ou pl(stico, passa$se varias voltas de fita adesiva ao redor da rosca. (prefer,ncia fita crepe!, dispensando o uso da parafina.

2º Com Alho
4impar e secar os grãos e colocar dentro de uma garrafa pl(stica. -o encher uma altura de quatro dedos, socar bem os grãos e colocar 5 dentes de alho com casca sem cortar as pontas. - cada 6 dedos repete$se o processo até encher a garrafa totalmente sem dei&ar espa)o vazio entre os grãos e a tampa. -pós a garrafa bem cheia tampar e vedar bem com a fita adesiva. - conserva)ão é ótima (0 a 5 anos! Obs.7 - garrafa pl(stica em uso deve ser lavada com (gua morna e vinagre e depois deve estar totalmente seca. O "so de (lcool a /0,12 para secar a garrafa, mais r(pido, funciona.

3º Gelo Seco
%entro do vasilhame, colocar uma por)ão de grãos (até atingir uns + cm de altura do vasilhame! coloque uma colher de gelo seco, ou um peda)o de mais ou menos 8cm quando usar uma garrafa de refrigerante de 0 litros (9:; de < a => gramas!. "ma colher de sopa para cada quilo de grão até =>?g. 3ara mais de =>?g de grão a quantidade de gelo sempre ser( => colheres. Em seguida feche o recipiente com a tampa sem pression($la por 8 horas. - seguir, pressione a tampa fortemente e sele as bordas com parafina. *aso a tampa se a de atarra&ar, feche bem e lacre com fita adesiva. Este método é bom para armazenar em grandes quantidades de grãos. (0+> gramas de gelo seco para cada +>?g até =>>?g!.

4º Com Óleo
Todos os ?g de grão deve ser misturado bem com uma pequena quantidade de óleo vegetal comest.vel (+ml @ equivalente a uma colher de sopa!. Asto impede o crescimento de insetos nos grãos, mas não impedem que eles brotem se forem plantados depois de armazenados. 3ode ser usado qualquer tipo de óleo comest.vel, os grãos ficam brilhantes e bonitos depois de tratados. Buarde os grãos ( misturados com óleo em sacos pl(sticos. Os sacos pl(sticos devem ser colocados em recipientes mais dur(veis (pl(sticos ou latas!, para evitarem serem novamente, presas dos insetos e roedores.

5º Pasteuriza ão
3ara fazer as conservas caseiras são necess(rios utens.lios apropriados tais como7 3anelas grandes, panela de pressão => ou 0> libras, facas de a)o ino&, colheres, conchas, arras para sucos e molhos, pegadores para vidros e tampas, que tenham madeira na parte que se pega, para não queimar as mãos. Cunil comum para sucos, peneira pl(stica de boa qualidade, panos de nDlon para coar, etc... Eidros apropriados para conservas podem ser reaproveitados, tais como, vidros de palmito, azeitona, p,ssego, etc. #ão se pode aproveitar para conservas vidros com tampa pl(stica. Os vidros não devem estar com boca trincada, lascadas ou com pequenas quebraduras, pois sua veda)ão não se torna perfeita. Os vidros devem ser lavados com (gua e sabão, inclusive no fundo de seu interior, depois de bem lavados, colocar de boca para bai&o para escorrer. -s tampas devem ser lavadas e colocadas em uma panela com (gua para esterilizar, isso deve ser feito no momento em que for engarrafar as conservas. Os vidros são colocados no forno de boca virada para a porta do mesmo, em duas ou tr,s fileiras e dei&ados por => minutos no forno médio. Fe forem fazer muitos vidros de conserva, retirar os ( esterilizados do forno com um pegador que também ( foi esterilizado em (gua fervendo e colocar os vidros em uma mesa coberta com uma toalha e cobrir os mesmos com outra toalha em que se passou a ferro quente por + minutos. Todos os ob etos que serão usados para acondicionar os alimentos nos vidros devem ser esterilizados. %eve$se esterilizar um pano de prato ou bande a onde se coloca a arra quando não estamos enchendo os vidros de suco, molho ou calda. Fobre a mesma bande a dei&a$se o pegador concha ou funil. 3rocessamento ou pasteuriza)ão em si7 é o tempo que a conserva precisa ser fervida depois do vidro tampado para fazer o v(cuo, é contado o tempo a partir do momento de fervura, dependendo do alimento a ser conservado, pode variar o tempo de processamento. Os gargalos dos vidros depois de cheios devem ser limpos com um pano que se esterilizou em (gua fervente o qual é e&primido com au&ilio de um garfo ou faca, em seguida tampa$se o mesmo e coloca$se em uma panela com (gua morna para processar. Os vidros devem ficar cobertos com (gua 5 cm acima da tampa, par o banho$maria. #os processos de pressão, não é necess(rio cobrir os vidros com (gua e deve$se tampar a panela o tempo todo do processamento. Guando usamos panelas de 6> ou +> litros para acelerar a fervura não havendo fogão industrial, deve se ascender os 6 bicos do g(s. - (gua deve ser mantida no mesmo n.vel o tempo todo do processamento, tenha sempre (gua quente preparada. #ão encher os vidros até a boca, dei&ar 5cm abai&o para não estourar ao processar. Fempre que fizer uma conserva e demorar algumas horas para engarrafar, ferver novamente no momento em que for engarrafar, por uns => minutos. %epois de pronto rotule com o tipo de conserva, e&.7 geléia de p,ssego, dia m,s e ano em que foi engarrafado.

Produtos
Cei ão 'ilho Ervilhas Ieterraba *enouras 3imentJes Iatatas -bóbora *ebola Fo a Eagem Tomates pelados Fuco de tomate sem tempero *ompotas de frutas Beléias Tomates com temperos (cebolas etc! Fucos *arnes 3ei&es

Banho-maria
5 horas 5 H horas 5horas 0 horas 0 horas 0 horas 0 horas 5 horas 5horas 5 H horas 5 horas 5+ minutos 5> minutos 0> minutos => minutos 6+ minutos 5> minutos 5 H horas 6 horas

Pressão 10 libras
8> minutos 1+minutos +> minutos 6> minutos 6> minutos 5+ minutos 5+ minutos 6> minutos 5> minutos 1> minutos 0+ minutos 0> minutos 0> minutos =+ minutos => minutos 5> minutos 0> minutos <+ minutos /> minutos

!º "m#ala$em de Alum%nio &Sache de Gás Car#'nico(
Escolher e secar os grãos, na quantidade de mais ou menos 5 a 6 ?g, encher a embalagem de alum.nio lembrando$se de dei&ar uma borda de mais ou menos uns => cm para poder selar, acrescentar o sache e vedar (Felar! na m(quina. -o pisar no pedal apenas toc($lo uma Knica vez e retirar o pé em seguida. -pós selar verificar se as laterais estão realmente seladas uma a outra. *olocar a embalagem pronta em uma superf.cie plana e alinh($la espalmando com delicadeza. %ei&ar em repouso nesta posi)ão sem me&er no m.nimo 06hrs. Eerificar após esse tempo, se o sache realmente absolveu todo o o&ig,nio da embalagem dando um aspecto de fechada a v(cuo. Os botJes da m(quina devem estar regulados Recycle no 0, Congealing no 8, Sealing no 6, e Action Seletor posicionado no botão manual. #ão dei&ar crian)as pequenas pró&imas da m(quina quando estiver em uso. Lisco de queimaduras. 4igar a m(quina 5> minutos antes de come)ar a usar para aquec,$la. #unca us($la direto por mais de 06 horas. Lemova da embalagem de saches no m(&imo => saches por vez, para trabalhar nos 5> minutos subseqMentes, e assim que, remover os saches selar a embalagem retirando com as mãos o e&cesso de ar antes de selar. 3ara que a mesma não perca a validade.

Produtos A)ro*ados
4eite Carinhas Brãos 4eguminosos 'assas Crutas e Eegetais -)Kcar 'iscelNneas 4eite em pó e chocolate em pó Carinha de trigo, comum e especial #ão mo.dos ou quebrados (farelo! s: semente c: casca oleosa Ervilhas secas, fei ão etc.. 3rodutos que não contenham ovos (F,molas! 3rodutos desidratados7 e&.7 ma)as, bananas, batatas, milho Branulado, cristal ou em pó Guei o ralado, gelatina, sopas mistas etc...

Produtos não A)ro*ados
Brãos misturados Brãos: sementes oleosas Iolachas 'iscelNneas Branola, cereal matinal, fub( #ozes, arroz integral, cevada e gergelim Iiscoitos recheados -)Kcar mascavo, balas, doces

Produtos de*em ser armazenados em sua )r+)ria em#ala$em Cermentos $ misturas contendo fermento tais como bolo e biscoitos variados. 'iscelNneas $ temperos, óleos, caldo de carne, carne seca, a)Kcar mascavo, a)Kcar cristalizado. ,ota- .e)ois de /echar o reci)iente0 eti1uetar anotando conte2do0 data0 1uantidade se )oss%*el0 ti)o de armazenamento0 e *alidade3

"4em)lo de tem)o 1ue os )rodutos )odem ser armazenados nas em#ala$ens de alum%nio
=> anos -rroz -)Kcar 1 anos Trigo 'assas + anos -veia 3olvilho = ano Cei ão 0 anos =$1 anos 4eite em pó Crutas secas Iatatas Anstant.

5$ua

Lecomenda$se armazenar (gua para duas semanas pelo menos. - quantidade recomendada para 0 semanas é de 5>litros por pessoa para beber e outros 5>litros para asseio pessoal (mãos, dentes e lavar a lou)a! total 8> litros por pessoa para 0 semanas. Esterilize o recipiente, coloque a (gua no recipiente. -dicione 0 gotas de Oipoclorito de Fódio (alve ante ou cloro! para cada litro de (gua ou H colher de ch( para 0> litros de (gua. Eerifique a concentra)ão do cloro (+2! para estar seguro de quanto se deve usar. Outra maneira de purificar a (gua é utilizar OA%LOFTELA4. "ma gota de Oidrosteril para cada litro de (gua.

6*os
=$ "sar ovos bem frescos para armazenar. *ompre$os diretamente da gran a. -rrume os ovos com cuidado num recipiente de vidro e cubra$os com uma solu)ão de cal virgem. 01>gr de cal para cada 6 litros de (gua durante 8 meses. %epois deste tempo os ovos ainda estarão frescos. 0$ -rrume os ovos frescos num recipiente de vidro. Cerva H ?g de sal em 0 litros de (gua. %ei&e esfriar depois despe e encima dos ovos. %epois de 5> dias, retire os ovos da salmoura e guarde$os na geladeira. %ura)ão de um ano.

Receitas
3ara se fazer compotas, lavar bem as frutas passando por mais de uma vez na (gua para tirar toda a su eira, em seguida descascar se for necess(rio. -lgumas frutas como p,ssego se estiver no ponto certo de matura)ão pode$se mergulhar por um minuto em (gua fervendo e em seguida na (gua fria, assim tira$se a pele com facilidade. *ortar as frutas em fatias ou em peda)os e colocar na calda dese ada. *alda rala *alda média *alda grossa 0 copos de a)Kcar 6 copos de (gua 5 copos de a)Kcar 6 copos de (gua + copos de a)Kcar 6copos de (gua %( + copos de calda %( + H copos de calda %( mais ou menos < copos da calda

'isturar a (gua fervendo com a)Kcar e me&er até dissolver o a)Kcar. 3ode$se colocar a calda sobre as frutas cruas ( nos vidros e ferver depois de tampadas para processar ou então ferver as frutas por =+ minutos na calda e então engarrafar. #o caso de frutas cruas apertar bem as frutas no vidro e untar a calda. 4impar sempre o gargalo dos vidros com pano esterilizado em (gua fervendo, tampar e processar de acordo com a tabela. 3or esse mesmo processo pode$se fazer compotas de p,ssego, goiaba, carambola, abaca&i etc...

Geléias O que faz a geléia endurecer é uma substNncia chamada pectina, encontrada nas frutas, quanto mais pectina tiver em uma fruta, mais r(pido a geléia engrossa. *omo algumas frutas tem pouca pectina pode$se acrescentar a mesma, para que o sabor se a natural e renda mais a fruta. Guando adicionamos pectina em uma geléia, o tempo de cozimento é menor a cor e o sabor da geléia é bem melhor. Sucos -baca&i, descascar a casca dura, bem fina, repassar tirando a casca branca com os olhos do abaca&i, colocar, em uma panela separada, ferver, coar em tecido de nDlon ou peneira de nDlon, aproveitar o baga)o para fazer bananada com abaca&i ou docinho de cPco. O suco da casca branca com os olhos e o restante do abaca&i deve ser misturado, ferver, engarrafar fervendo o tempo todo, limpar os gargalos, tampar e não é necess(rio processar. Outros sucos como manga, p,ssego, devem ser processados por 5> minutos depois de tampados, por conterem muita acides.

Carnes -lmPndegas, fazer sua receita favorita cozinhar no molho, engarrafar, limpar os gargalos, tampar e processar pela tabela de carnes. Crango assado, temperar o frango e dei&ar na vinha de alho algumas horas, assar, se a ave for grande assar em fogo moderado. %epois cortar em peda)os como se fosse para servir, colocar nos vidros adicionar o liquido que ficou na forma, não mais que 0:5 do vidro, limpe o gargalo muito bem, tampe e processe pela tabela de carnes.

Armazenamento Básico
O que devemos armazenarQ • • • • • • • • • • • • Brãos $ *ereais, leguminosos (trigo, arroz, milho, aveia, so a, fei ão, ervilha, lentilha! 4eite em pó desnatado ou integral -)Kcar (cristal mascavo! e mel Fal e outros temperos (sal marinho é mais adequado para armazenar! 3ei&e seco Rleo $ Bordura vegetal Sgua @ (H colher de ch( de cloro para 0>l de (gua ou 0 gotas de cloro para cada litro de (gua. O cloro deve ter +2 de hipoclorito de sódio! Eitaminas 'edicamentos e esto o de primeiros socorros Eestu(rio Loupas de camas e cobertores *ombust.vel @ (carvão, lenha, querosene, velas, parafina sólida: l.quida, g(s, (lcool, fósforo!

Armazenamento Ampliado
Esse tipo de armazenamento inclui g,neros e outros produtos ess,ncias para suprir todas as necessidades nutricionais além de assegurar variedades e prefer,ncias pessoais na dieta e no viver. • • • • • • *onservas, enlatados, desidratados, defumados, salgados, congelados 3rodutos de higiene pessoal -rtigos de costura (linha, agulha, botJes, tesoura e tecidos! Ladio de pilha com pilhas e&tras guardadas na embalagem 4anterna com pilhas e&tras guardadas na embalagem 4uzes fluorescentes de impacto.

Itens que sugerimos para armazenar
Sgua @ 8> litros por pessoa para 0 semanas

Fardinha em conserva em óleo -tum *arnes enlatadas (fiambre, presunto, ?itut! 4eite condensado 4eite evaporado *reme de leite 'elado -)Kcar mascavo Uaro 3asta de amendoim 'io o Fopa $ cozinha f(cil -rroz $ cozinha f(cil *aldos granulados -veia

#eston Carinha l(ctea 'acarrão Crutas secas (uva passas, amei&a, p,ssego, damasco, ma)ã! Boiabada 'armelada 'arrom glac, Belatina Iolachas de trigo integral Temperos variados *ebola e alho em flocos Cermento fermi& Einagre Iaunilha Eitamina * e 'ulti vitaminas

A78A9",A8",:6
",."7";6S <:"=S Baldes Pl,sticos com $am-a
3roduto *irKrgicos 3itta Lua *onego Ealadão, 660 Cone7 066>$<6+/ 066>$++05 &lcool "t/lico 012 + 3333333333333333R4 5,10 &lcool 'so-ro-/lico +333333333333333R4 15,00

.idros e $am-as
Emba @ Eidros Embalagens 4tda -v. Fanta 'arina, 0++ $ Sgua Iranca Cone7 51<5$5611 ('arcio Buedes! .idros R4 $am-as 670ml3333333R4 0,8633367 uni -9 c:333R4 0,(( (50ml3333333R4 0,;833367 uni -9 c:333R4 0,(( 100ml3333333R4 0,8033315 uni -9 c:333R4 0,(( Cai:a com 15 ou 67 <idros

Panelas )a= Conser<as
*rista 'ar (Eitor! Lua Fão Ienedito, 01 @ Fanto -maro Cone7 ++05$<>88 Panela de -ressão 60l Rochedo 33333333333333333333333R4 (;5,00 )ulgor com cabo33333333333333333R4 765,00 Panela de -ressão 10l "irelar 3333333333333333333333333R4 101,50

Pectina
Endofarma Lua 3inheiros, +/8 *entro @ F3 Cone7 5>86$0=8/ 100gr > R4 80,00 +igar e encomendar com anteced?ncia

Gelo Seco
Fupra Fumo L Toao Eeloso da Filva , 5/> , *umbica, Buarulhos $ F3 Cone7 5150$081= 1@g 33333333333333333R4 10,00

AR A!"#A "#$% B&S'C% PARA (

"S"S PARA )A *+'A

A" 7 P"SS%AS PARA S"R R"A+'!AA% " 1 BC'#!"#AS D( "S"SE
1F Buin=G Hunho 1 a 15 + ?g LV 6?g LV 6F Buin=G Hunho 11 a (0 +?g LV 6?g LV 1?g LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV 0?g LV = pct (+>>gr! LV = c& (+>>gr! LV =?g LV 0?g LV =?g LV 0latas (6>>gr! LV 0latas (6>>gr! LV 0latas (6>>gr! LV 0latas (6>>gr! LV 0?g LV 0?g LV 0?g LV = pct (+>>gr! LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV 0?g LV = pct (+>>gr! LV = c& (+>>gr! LV = pct (+>>gr! LV (F Buin=G Hulho 1 a 15 =>?g LV 6?g LV 7F Buin=G Hulho 11 a (1 +?g LV 6?g LV 1?g LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV 0?g LV = pct (+>>gr! LV = c& (+>>gr! LV =?g LV 0?g LV =?g LV 0latas (6>>gr! LV 0latas (6>>gr! LV 0?g LV = pct (+>>gr! LV 5F Buin=G Agosto 1 a 15 +?g LV 6?g LV 1F Buin=G Agosto 11 a (1 =>?g LV 6?g LV 1?g LV 5lt LV 6latas (6>>gr! LV

*$"#S ARR%! )"'HI% AJKCAR CR'S$A+ L+"%

+"'$" "

PL

)AR'#MA A" $R'G% ACARRI% S" %+A

"N$RA$% A" $% A$" SA+

CAR#" A" B%' %C )RA#G% S%HA GRA#C+AAA ACM%C%+A$AA%

$%$A+ "S$' AA% P%R BC'#!"#A

R4

R4

R4

R4

R4

R4

OARR%! O)"'HI% OAJKCAR
CR'S$A+9R")'#AA%

G"+P'A A" %RA#G% )AR'#MA +AC$"A

A#$"'GA

OL+"% O+"'$" "
$R'G% PL

O%.%S
SCC%S

O)AR'#MA A"
BC"'H% RA+AA%

O

ACARRI% S" %+A

'+M% "#+A$AA%

"N$RA$% A" $% A$"

G"+A$'#A '#C%+%R

OSA+
CAR#" A" B%' %C )RA#G%

$" P"'R%S

ABS%R."#$"S

+"'$" S%HA ACM%C%+A$AA% A%S PA'S A%S )'+M%S

OPAP"+M'G'"#'C% OSAB%#"$"
NA PC A"S%A%RA#$" R" PA'%S Q'$ PR' "'R%S S%C%RR%S

OC".AAA

O."+AS
)%S)%R%S A+C%%+

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnicaPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Etiqueta: PIMACO nº6181 com 20 unidades

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Armazenamento de Diversos Com!otas"
?mb.PPPPPPPPPPQ6DPPP;alidade porPPPanos
@#cnica Pasteuri*a$%o PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

Etiqueta: PIMACO nº6181 com 20 unidades

'S$CRA PARA B"B'AA ACM%C%+A$AAA = &.cara de gla)Kcar H &.cara chocolate em pó W de &.cara de sal 0 X de &.cara de leite em pó = colher de sopa de cevada instantNnea (opcional! 3asse todos os ingredientes por uma peneira. -crescente uma &.cara de marschmalloY. *oloque em um recipiente e feche bem. 'odo de fazer quando for usar7 'isture de 5 a 6 colheres de (sopa! da mistura em uma &.cara de (gua quente me&a e Firva$seZ P%#CM" A" ABACAN' = abaca&i grande maduro descascado tirando os olhos e bem picadinho em quadradinhos. 0 copos de a)Kcar 0 l de (gua => cravos da .ndia + gravetos de canela em pau 0 l refrigerante Fprite ou soda limonada + ma)as descascadas e picadas (Fó na montagem do ponche! Cerver os 8 primeiros itens até formar um ch( saboroso. Escorrer o ch( da polpa. %ei&ar esfriar e engarrafar em 3ets e colocar no congelador depois de congelado cortar ao meio a pedra de gelo eliminar o pl(stico e colocar em uma poncheira acrescentar o refrigerante soda ou sprite e as ma)as e servir. [ uma bebida bem geladaZ 'uito saborosaZ 3s.7 - polpa que sobra pode ser usada para fazer geléia

PI% A" AB%BR'#MA Iata7 5 ovos, = &.cara de óleo, 0 &.c. de a)Kcar, 3eneire7 5 &.cara de farinha de trigo integral = colher de (ch(! de bicarbonato = colher de (ch(! de pó LoDal = colher de (ch(! de sal 5 colheres de (ch(! de canela em pó 'isture todos acima e acrescente7 5 &.cara de abobrinha italiana descascadas e ralada = &.cara de nozes. 3ode ser castanha do 3ar( (ou amendoim torrado, descascado e mo.do! 5 colheres de (ch(! de baunilha -sse em 5 formas pequenas de bolo ingl,s por uma hora em forno médio ou até come)ar a dourarZZZ E bom apetiteZ

G"+P'A A" )RC$A D)ruta em -astaE

3roduto aliment.cio, doce obtido pela coc)ão de frutas inteiras ou em peda)os, polpa ou suco de frutas, com (cido orgNnico e ou pectina. [ concentrado até a consist,ncia gelatinosa. -s geléias são conservas de frutas ou outros vegetais, como o tomate e a cenoura, ou seus sucos, cozidos em a)Kcar e levados \ consist,ncia geleificada apropriada, provocada pela combina)ão do a)Kcar, pectina e (cido contido nas frutas. [ o equil.brio destas substNncias que ir( garantir a consist,ncia ideal para obter as geléias. - pectina é uma substNncia que todas as frutas cont,m, em maior ou menor quantidade e que determina a quantidade de a)Kcar que deve ser utilizada e o tempo de apura)ão. -ntes de fazer a geléia, é importante verificar qual o teor de pectina e acidez da fruta que ser( usada, pois dependendo, da sua composi)ão, a adi)ão de mais pectina e de (cido poder( ser necess(ria (ve a tabela abai&o!. Guanto ao a)Kcar, sempre ser( preciso adicion($lo, pois as frutas não o possuem em quantidade suficiente para a geleifica)ão.

A Pectina
3ara a forma)ão da geléia, as frutas t,m que conter uma substNncia conhecida por pectina. Esta substNncia se forma pela decomposi)ão da protopectina (hidrato de carbono presente nas frutas! pela a)ão de enzimas. - pectina, quando combinada com uma por)ão adequada de a)Kcar na presen)a de (cidos e sais minerais, precipitar$se$( formando a geléia. Encontra$se na polpa das frutas perto da casca, ao redor das sementes e nos caro)os, principalmente em frutas mais verdes do que maduras. ] medida que as frutas amadurecem, a pectina se transforma em (cido péctico. O (cido péctico é solKvel em (gua, razão pela qual tem capacidade de gelatiniza)ão. 3ara e&trair a pectina é necess(rio ferver as frutas rapidamente até ficarem um pouco macias. *oc)ão prolongada destrói a capacidade da pectina de formar geléia especialmente em frutas muito (cidas. 3ouca pectina dar( uma geléia mole. Guando não estiver segura da presen)a e qualidade da pectina no suco é aconselh(vel fazer o teste para determinar a sua presen)a.

$este -ara determinar a -resenRa de -ectina no suco das SrutasT =. #um copo despe e 0 a 5 colheres (sopa! de (lcool^ 0. %espe e devagar no (lcool, igual quantidade de suco (frio! da fruta^ 5. 'isture, balan)ando a &.cara levemente de um lado para o outro com movimentos rotativos^ 6. %ei&e repousar = minuto. ResultadosT a! Fe o suco de fruta é rico em pectina forma$se uma massa sólida. b! Fe o suco é moderadamente rico em pectina, a massa se quebra em peda)os. c! Fe o suco é pobre em pectina, a massa se quebra em pedacinhos pequenos. Recomenda-se o uso das seguintes -ro-orRUes de suco e aRVcar nos casos acimaT Lico em pectina $ X de &.cara padrão de a)Kcar para cada &.cara de suco. 'oderadamente rico $ H a X &.cara de a)Kcar para = &.cara de suco. 3obre em pectina $ o suco não poder( ser usado para fazer geléia, a menos que se adicione suco de

frutas ricas em pectina, pectina e&tra.da em casa, da casca da laran a ou de ma)ãs ou pectina comercial. -s laran as e ma)ãs são as frutas mais ricas em pectina..

%bser<aRUes
- pectina somente dever( ser colocada quase no fim da coc)ão e misturadas com a)Kcar. Fe não procedermos assim, a pectina empola. Blicose7 [ uma substNncia ótima para colocar nas geléias, doces em pasta e caldas, e evitar a cristaliza)ão dos doces. - glicose é um a)Kcar menos doce do que o a)Kcar cristal e refinado. 3odemos substituir +>2 dos a)Kcares comuns das receitas, por glicose. - glicose é vendida por representantes de produtos aliment.cios, sendo encontrada com facilidade no vare o. )rutas Ricas em PectinaT 'a)a, amei&a, goiaba, marmelo, limão, laran a, uvas pretas, damasco, tangerina, p,ssego, abuticaba e p,ra. )rutas Pobres em PectinaT 'orango, figo e abaca&i.

% &cido %rgWnico O (cido é também necess(rio para dar forma e sabor \ geléia. O teor (cido das diferentes frutas é vari(vel decrescendo \ medida que a fruta amadurece. - quantidade e o tipo de sais minerais presentes nas frutas afetam a acidez e, conseqMentemente, a facilidade de a pectina precipitar$ se para formar a geléia. Fempre que a fruta tiver bai&o teor de acidez, adicione o suco de limão na quantidade de 0 colheres (sopa! de suco para todos os ?g de fruta. ":em-los de Srutas ,cidasT 'a)ã, laran a, pitanga, limão, abaca&i, abuticaba etc... )rutas com bai:a acide=T 3,ra, morango, p,ssego, banana, ca u, amei&a preta seca e rosa. *aso a pectina não se a suficiente, ela poder( ser obtida através do processo industrial ou caseiro. #o processo caseiro sua e&tra)ão é feita do baga)o das frutas c.tricas e da polpa da ma)ã ou é comercializada sob forma de pó, e usada na propor)ão de >,+g para =U de fruta. 3ara obt,$la pelo processo caseiro cozinha$se em fogo bai&o =? de ma)ãs verdes (sem casca nem caro)os!, em 6 &.caras de (gua, durante = hora (contando a partir da fervura!. %epois de pronta, coe a pectina através de saquinhos de musselina, cuidando para que não se a espremida. Asto a dei&aria turva. -que)a$a até a fervura, guarde$a em frascos aquecidos e esterilizados, conforme o procedimento usado para a própria geléia. #ormalmente, usa$se 8> a =0> ml de pectina para +>>g de frutas. Fua durabilidade é de apro&imadamente 6 meses, e não convém que se a utilizada após este prazo. Como Sa=er geléia Todos os tipos de frutas macias podem ser usadas para fazer geléia (ma)a, laran a, uva, manga, morango, goiaba, por e&emplo!. Fe poss.vel, use receitas ( definidas, que lhe digam e&atamente quanta fruta, a)Kcar e (gua devem ser usados para cada tipo de fruta. #o entanto, se voc, não puder encontrar nenhuma receita, aqui estão alguns princ.pios gerais sobre a produ)ão de geléia7 = $ Todos os materiais de uso devem ser esterilizados7 panos de prato, colher de pau, escumadeira ino&, copos ou &.caras para medidas, vidros ou copos para armazenagem.

Também podemos preparar geléias com as cascas e caro)os que tirados das frutas para fazer compota, como p,ssegos, goiabas, ma)ãs, p,ras, etc... Cicam ótimasZ 0 $ Felecione as frutas, escolhendo as de boa qualidade. -s frutas destinadas \ produ)ão de geléias devem estar maduras (mas não demais!, quando apresentam seu melhor sabor, cor, aroma e, são ricas em a)Kcar e pectina. -s frutas muito verdes, além de apresentarem defici,ncia nas qualidades anteriores, podem ocasionar um tom amarronzado no produto final e as demasiado maduras, além de sofrerem perda de pectina por a)ão das enzimas pécticas, são suscept.veis de maior contamina)ão de fungos e leveduras. 5 $ 4impe as frutas7 Tire os cabinhos, lave$as com bastante (gua. #ão descasque as frutas (porque a pectina se encontra na casca e pró&ima dela!. *orte as frutas sólidas (p,ssego, ma)ã, p,ra, etc...! em peda)os pequenos. "se só faca ino&id(vel.. -s mais tenras (morangos, uva, abuticabas, etc...!, esmague levemente. 6 $ 'e)a as frutas em &.caras ao coloc($las em um tacho de cobre ou numa panela grande para cozinhar. - geléia formar( muitas bolhas ao cozinhar, por isso, não use um tacho ou panela muito pequenos. + $ 3ara cada 0 &.caras de frutas usem apenas =:6 de &.cara de (gua (menos, se a fruta tiver bastante suco como o abaca&i, a framboesa e o morango!. 8 $ *ozinhe as frutas até que fiquem bem macias7 Crutas tenras de 0 a 5 minutos. Crutas firmes de =+ a 0> minutos. 4aran a de 5> a 8> minutos. < $ Fe não quiser que a geléia tenha peda)os da fruta, coe a mistura numa peneira, espremendo bem a mistura para tirar o m(&imo de sumo poss.vel. 1 $ -crescente, então, = &.cara de a)Kcar para cada 0 &.caras de fruta. 'isture bem e dei&e ferver durante mais =+:0> minutos, até ficar firme. Eerifique se est( firme despe ando uma quantia pequena de geléia sobre um prato frio. -pós alguns minutos, empurre$a com o dedo. Fe ela enrugar e formar uma crosta, ela est( pronta. *aso contr(rio, ferva durante mais tempo e tente novamente. Eoc, poder( precisar acrescentar mais a)Kcar. O a)Kcar a ser utilizado, deve se boa qualidade e é bom que se a peneirado antes de sua adi)ão. [ conveniente, também, que a adi)ão se a lenta para evitar carameliza)ão nas bordas do tacho de cozimento ou que o a)Kcar fique preso na colher ou esp(tula com que o doce est( sendo me&ido. / $ Letire as espumas que se formarem em algumas geléias com uma escumadeira. =>$ Letire do fogo e envase imediatamente. AicaT Guando fabricadas com frutos verdes ou vermelhos, deverão ser cozidas em fogo lento^ quando utilizadas as frutas brancas, o fogo deve ser forte. Obs7 "m bom livro de Leceitas sempre a mão. "m livro e&clusivo para o armazenamento de prefer,ncia.

Dicas importantes:
• • • • -rroz tem validade permanente assim como a)Kcar. 'as e&istem e&ce)Jes como no caso da técnica do alho. -rroz na Técnica do alho na garrafa dura apenas dois anos. -)Kcar não se armazena mais apenas o a)Kcar cristal, mas o refinado também. E os dois, t,m validade permanente. Cei ão carioca famoso fei ão branco ou preto como é mais conhecido por nós tem durabilidade de no 'a&imo um ano na técnica a v(cuo ou (lcool, pois endurece ao ponto de ser intoler(vel o consumo. 4eite em pó pode ser armazenado tanto integral como desnatado, os dois ran)am, então sua validade ser( de no m(&imo um ano, sugestão leite em pó #estlé em lata. 'acarrão sempre sem ovos se for usar alguma técnica ensinada pela igre a. Fe for usar na própria embalagem pode ser com ovos. -lgumas empresas ( oferecem macarrão com ovos com validade de até dois anos na própria embalagem dela. Fal pode ser armazenado o refinado. 'as a igre a aconselha o armazenamento de ao menos um pacote de sal marinho. 3elas suas propriedades de cura. Técnica da pasteuriza)ão, no caso das compotas (doces, geléias e frutas! são necess(rio tr,s itens7 acidez, a)Kcar, pectina e processar no tempo certo. (banho 'aria e ou pressão! #o caso das conservas é necess(rio7 acidez, (gua, sal e processar no tempo certo. (banho 'aria e ou pressão!. Fem nunca se esquecer da 4impeza e higiene de modo geral. Técnica do chuma)o de algodão com (lcool, o (lcool deve ser et.lico e sempre a /0,1_ ou a mais. -mendoim, nunca armazen($lo cru. (Ele desenvolve uma enzima venenosa podendo matar! -s Etiquetas devem ser completas7 %atas por e&tenso da Embalagem e Ealidade, #ome do produto mesmo que a embalagem se a transparente, Técnica usada. -limentos %esidratados7 Falsa, cebolinha, alho. Evitar armazenar. 3ois concentram grande umidade e necessitam de Ladia)ão para secarem. 3rodutos que não da para -rmazenar7 -lface, Irócolis, *ouve$manteiga, salsinha, cebolinha, folhas em geral deve$se fazer uma mini horta. (*omo fazer esta no 'anual `Elementos Essenciais da 3rodu)ão e do -rmazenamento %omestico a*ódigo 50011>+/!. 'edicamentos7 -rmazenar itens de 3rimeiros Focorros, dentro da validade da própria embalagem. Técnica do Fal7 3rodutos armazenados com sal, como *arnes e 3ei&es não devem ser envasados com tampas. 'elhor ao ar livre. 3ois o sal liquidifica. E&7 *arne de Fol, Iacalhau, *amarão, etc.7 *ama, 'esa e Ianho7 Ancluir no armazenamento, cobertores, len)Jes, fronhas, toalhas de banho e de mesa, panos de pratos, etc.7 *ostura7 4inha, agulhas, tesouras, retalhos e tecidos e o curso b(sico de costura. Loupas7 Barments novos, roupas intimas, roupas de inverno e verão, etc.7

• •

• •

• • • • • • •

• •

• • •

'ateriais de Escritório7 Colhas Fulfite, cadernos, l(pis, canetas, borrachas, etiquetas, etc.7 Obs7 #unca se esque)a que o -rmazenamento não é só para EO*b. Gue em caso de Emerg,ncia qualquer pessoa pode desfrutar do -rmazenamento, tal que ela precisa conseguir ler o que esta nas Etiquetas.

B43 c B(s 4iquefeito de 3etróleo. B(s de cozinha conhecido também como 3=5 por conter =5 quilos de g(s. • • • • • • • • • • • • • • • [ altamente inflam(vel. E&plode por todo o ambiente onde est( espalhado, em contato com fa.sca, fagulha, calor ou atrito. O g(s é mais pesado que o ar se houver vazamento, abrir apenas anelas não resolve. #ecess(rio abrir portas anelas e tudo que for poss.vel. Em caso de vazamento primeira coisa a se fazer é desligar o dis untor geral de luz e&terno segunda ligar =/5. [ inodoro, ins.pido, incolor. (#ão tem cheiro, sabor e cor!. 3or ser sem cheiro é adicionado ao g(s um produto chamado mercapitam para seguran)a do comprador. Em caso de cheiro muito fraco ou ausente efetuar troca do boti ão. *ongela em contato com o&ig,nio. Transportado e vendido em boti Jes. *ada boti ão contém uma v(lvula de pressão interna. E uma v(lvula de FEB"L-#d- e&terna. #a aus,ncia desta v(lvula devolver o boti ão \ empresa. 3ara funcionamento em fogJes necess(rio outra v(lvula de controle de pressão e&terna, com clique de liga e desliga. #ecess(rio também um mangueira apropriada, transparente de tar a amarela de calibre grosso ou preta para uso em tubula)ão interna. Ioti ão deve ser armazenado fora de casa ao ar livre, apenas coberto e preso. *idade de -ru ( autoriza armazenamento domestico de no m(&imo cinco boti Jes por resid,ncia. Fu eito a puni)ão penal se ultrapassar. Tamais em hipótese alguma deitar o boti ão para aproveitar o m(&imo de g(s, a v(lvula de pressão interna perde sua fun)ão ao deitar$se o boti ão. 3ode causar danos graves. 3ois se torna imposs.vel calcular a pressão ainda restante no boti ão. -ntes de coloc($los em local apropriado para armazenamento, testar boti Jes assim que comprados.

3ara test($los, retirar lacre de veda)ão superficial ou de rosca, (se de rosca reserve para voltar a usar! com au&ilio de uma caneta bic com tampa, inserir caneta no local da rosca em linha reta e centralizada, segurando com uma mão e com outra dar um tapa suave, for)ando v(lvula de pressão interna entrar em movimento e e&pelir qualquer su eira (poeira, sei&o, pedrinha! que possa vir a ter. Ter cuidado para não danificar borracha de veda)ão interna. Em seguida com uma espon a embebida em detergente de pia cobrir local com espuma, se levantar bolhas de ar, limpe o local e repita o processo por até tr,s vezes, se não resolver ligar para empresa e pedir troca do boti ão. Fe resolver limpe local e isole com a tampa novamente. Fe não tiver por ser de pl(stico

cobrir com dure& largo ou fita crepe. Guando for usar o boti ão não se esquecer de repetir o processo. E realizar a coloca)ão da espuma na v(lvula e&terna do boti ão com a v(lvula de liga e desliga aberta. Obs7 #eO "TA4Af-L #E#O"' O"TLO TA3O %E -*EFFRLAO #O 4"B-L %- *-#ET-, 3OAF 3O%E %-#ACA*-L - IOLL-*O- %E EE%-deO E -FFA' 3EL%EL - B-L-#TA- %O IOTATeO.

=. Slcool Et.lico a /0,12 (4embre$se que na falta de (gua e e&trema emerg,ncia banho só de (lcool. - não ser que tenha (gua armazenada o suficiente para banho. 0. Slcool isoprop.lico, conhecido como (lcool para cereais, comprado em farm(cia de manipula)ão. 5. Guerosene, para uso em lamparina e candeeiro, que ( deve e&istir em seu armazenamento. 6. 'adeiras, para forno ou aquecimento interno. +. Tornais enroladinho e em ma)os para ser utilizado como madeira. 8. Eelas em grande quantidade, parafinas comest.veis e não comest.veis. <. Cósforos em grande quantidade, isqueiros. 1. B(s, até cinco boti Jes. Fe necess(rioZ /. *arvão vegetal ou mineral (-quele de churrasco!. =>. 3ilhas comuns e pilhas recarreg(veis e recarregador, e mant,$las recarregadasZ ==. 4anternas de d.namo, recarreg(veis, ou a pilha. =0. 4uzes fluorescentes de impacto. =5. -quecedor Folar. E&7 YYY.belosol.com.br Iai&o custo. =6. Basolina: Slcool: B#E g(s natural veicular (-3E#-F T-#G"E E *A4A#%LOF %O *-LLO %EEE FEL '-#TA%OF FE'3LE *OEAOFZ! #-%- %E -L'-fE#-L E' *-F-.

Combustível Para Emergência
"ma lata de #eston bem limpa e seca, um rolo de papel higi,nico (#eve!, H litro de (lcool isoprop.lico ((lcool para cereais, comprado em farm(cia de manipula)ão! *oloca$se o papel higi,nico dentro da lata sem o miolo, acrescenta$se o (lcool coloca$se fogo tampa$se e veda$se com fita crepe. Est( pronto um valioso utens.lio para aquecer o ambiente ou aquecer um alimento... %urabilidade do produto para armazenar indeterminada, tempo de utiliza)ão do produto de <hs ( 1hs. Ou se a, se usar 0> minutos para aquecer uma mamadeira, por e&emplo7 ainda restam mais ou menos <hs6>min. [ só tampar e vedar novamente.

• •

*ai&a de 3apelão, -rm(rios, 'aleiros, %ispensas, etc.7 O local deve ser are ado. Onde não reflete a luz solar. #unca em contato direto no chão.

• •

'adeiras são bons isolantes térmicos. E que não tenha umidade. 'as tenha ventila)ão.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful