XVIII GOVERNO NSTIT ONAL X O CO TUCIO L 

   

eiro-ministr ro Prime José S Sócrates meiro primeiro o-ministro co dois nom próprios d história de Portugal to om mes da omará posse a e O prim 26 de Outubro, um segunda-f ma feira. É que aos domingo José Sócra a os ates só gosta de concluir as a , coisas, nunca de as começar.

Minist de Estad e dos Ne tro do egócios Est trangeiros Luís Am mado ndigitação qu provocou grandes fest ue tejos e enorm manifes mes stações de júbilo, gerando o Uma in mesmo um clima d euforia ge o de eneralizada muito pouco habitual para um ministr Claro que não m a ro. foi em Portugal que tudo isto a aconteceu, mas na Líbia e na Venezue anda tud maluco de m ela do e ação. satisfa Minist de Estad e das Fin tro do nanças Fernan Teixeira dos Santos ndo m primeiro ape enas das Fina anças e depo em acum ois, mulação, tamb bém da Foi um ministro – p Econom e da Ino mia ovação – com uma acção governativa sóbria, interventiva, det m o a terminada, flexíve serena e c el, competente. Não há outra forma de o dizer: para malta como nós, que go a osta de circ foi um mi co, inistro chato como o cara aças. Minist da Pres tro sidência Pedro Silva Pereira a o scrito sobre o Sócrates? Hein, este é o Silva Pereira? Ah, pron está nto, Já não tínhamos es explica ado. É consid derado o delf do prime fim eiro-ministro mas a verda é que subiu na vida p ade por mérito próprio: trabalhou muito para merec os 20% q lhe coub o o cer que beram na neg gociata do Freepo ort.

Minist da Defe Naciona tro esa al August Santos Sil to lva o ancisco Louç já treme: agora que A çã, Augusto Sant Silva vai tos A Direita, de Paulo Portas a Fra r o cto das, minas e metralhador ras, é que a malhação vai m passar a ter acesso fácil e direc a granad mesmo começar. o

Minist da Adm tro ministração I Interna Rui Pe ereira inistro que é agora recon nduzindo e cu maior mé ujo érito terá sid o de, apes de manda do sar ar Um mi nas po olícias e de estar num Go overno com a ‘cultura Sóc crates’, ter re esistido à ten ntação de manda prender e arrancar a lí ar íngua aos seus muitos críticos.

 

tro iça Minist da Justi Alberto Martins o conhecido co omo o estuda ante de Coim mbra que, ao pedir a pala avra, foi man ndado calar p por Ficou c Améric Thomaz. S co Sem dúvida uma experiência muito ú para um m útil ministro que terá de lidar r com A António Marin Pinto. nho

Minist da Econ tro nomia, da In novação e do Desenvo d olvimento José V Vieira da Silva a ectativa nas empresas: se lhes der be enefícios com o mesmo empenho com m e m Causa grande expe enquanto min nistro do Trabalho, retirou direitos ao trabalhado os ores, será lev vado em omb bros; que, e se atribuir esses be enefícios com a mesma arbitrariedade com que, e m a enquanto ministro da riedade Socia distribuiu o Rendimen Social de Inserção, te direito a uma estátua. al, nto erá u Solidar tro cultura, do Desenvolvimento Rur e das Pe ral escas Minist da Agric Antóni Serrano io dministrador hospitalar e foi escolhido para a past da Agricult o ta tura precisam mente por iss so, Era ad dado o estado com matoso em qu Jaime Silv deixa o se ue va ector. Muitos analistas co onsideram, porém que é algo fraco em termos físicos e que terá d ‘ganhar co m, de orpo’ para ag guentar os sopapo que Paulo Portas e Nu Melo não deixarão de lhe mandar os o uno o e r.

Minist das Obr Públicas Transpor tro ras s, rtes e Comu unicações Antóni Mendonça io um com futuro garantido nas obras públic s cas, mesmo que a sua ac cção resulte num Será u ministro c desast É que, se tre. endo indepen ndente, o PS não terá qu S ualquer probl lema em mandá-lo dar serven a pedreir nas obras do novo aer ntia ro roporto ou do TGV. o

tra biente e do Ordenamen do Terr nto ritório Minist do Amb Dulce Pássaro esidente do Instituto de Resíduos, o que a recom menda claram mente para um pasta cuj ma ja Era pre influên ncia na acção governativa nunca foi mais do que residual. Ah, nós aperceb o a m , bemo-nos do o potenc cómico d existir uma ministra do Ambiente q se chama Pássaro, mas o Gato cial de a o que a m Fedore ento antecipo ou-se... Minist do Trab tra balho e da S Solidariedad Social de Maria Helena Andr ré É espe ecialista em p políticas socia da União Europeia, o que pode vir a dar jeito, uma vez qu o ais , ue seu an ntecessor aca abou com tod as que existiam em P das e Portugal. Na Confederaçã Europeia de ão Sindica atos é respon nsável pelo D Diálogo Socia Europeu, o que faz des al sconfiar que José Sócrate só es a conv vidou para po oder utilizar mais uma ve a palavra ‘ ez ‘diálogo’ no s discurso de posse. seu

Minist da Saúd tra de Ana Jo orge s terior legislat tura e de ter obtido um c r considerável índice de Depois de entrar a meio da ant popula aridade, vere emos se será durante os próximos quatro anos qu será finalm ue mente revela ado que An Jorge é, n verdade, C na na Correia de Ca ampos disfar rçado com um máscara de mulher. ma

tra cação Minist da Educ Isabel Alçada É uma das criadora enquanto co-autora da colecção d livros infantis “Uma Av as, o d de ventura”, da nagem do cão Faial. No e entanto, só agora irá descobrir o que é mesmo um cão raivoso a m o, person quando tiver Mário Nogueira a morder-lhe nas canelas. o

Minist da Ciência, Tecnolo tro ogia e Ensino Superior Marian Gago no duzido no En nsino Superio é conheci por detes or, ido star os prime eiros dias de governação, por , Recond ter de aturar os no ovos ministro a gritarem que são «um malta do car****». Se lhes conse os m ma o S eguir aplicar umas multa jeitosas, d r as deve poder finalmente tra ansferir dinhe suficient para as eiro te universidades.

tra ura Minist da Cultu Maria Gabriela Can navilhas ta, dar mento pois v ocupar um pasta com vai ma mplexa, da qual Pianist vai ser forçada a mud de instrum se diz que obriga a ter unhas p para tocar gu uitarra. Sim, a piada é fra aquita, mas menos de 1% do m % ão mais! PIB nã dá para m

tro suntos Parla amentares Minist dos Ass Jorge Lacão r gurar as rela ações do Gov verno com a Assembleia da República e d a Vai ser o responsavel por asseg com os grupos par s rlamentares. Para tal, irá certamente usar a sua f famosa táctic de distrair os ca r oponentes através da exibição ostensiva da sua verruga facial. a a

 

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful