Você está na página 1de 4

Os Recursos Hídricos

A humidade atmosférica

Humanidade Absoluta: é a humidade que um determinado volume de ar


contém num determinado momento.
Humidade máxima ou ponto de saturação: é a humidade máxima que um
determinado volume de ar pode conter a uma dada temperatura. O ponto
de saturação varia na razão directa da temperatura. Quanto mais alta a
temperatura mais alto o ponto de saturação.
Humidade relativa: é a relação entre a humidade absoluta e o ponto de
saturação.
HR = HA x 100 %
PS

Rosa: Amarelo:
Temperatura = 10o Temperatura = 10o
HA = 9,4 gr/m3 HA = 4 gr/m3
PS = 9,4 gr/m3 PS = 9,4 gr/m3
HR = 100% HR = 42,55%

Rosa: Azul:
Temperatura = 20o Temperatura =300
HA = 10 gr/m3 HA = 10 gr/m3
PS = 17,2 gr/m3 PS = 30 gr/ m3
HR = 58,13 % HR = 33,33 %

Conclusão: A Humidade relativa varia na razão inversa da temperatura,


quando mais alta é a temperatura, mais baixa é a humidade relativa.
(Ver Ficha Informativa sobre A Humidade Atmosférica)

Pressão atmosférica
* É o peso que o ar exerce sobre a superfície. A pressão é normal se for de
760 mm de mercúrio ou de 1013 milibares ou 1013 hPa (Hecto Pascal).

Centros de altas pressões Centros de baixas pressões


Ou anticiclone (A ; +) ou ciclone (B ; D ; -)
Ar descendente e divergente Ar convergente e ascendente

Estados de tempo
Num centro de altas pressões o ar é descontente, ao descer a
temperatura aumenta, a humidade relativa diminui e por isso não pode
haver saturação do ar, logo, um centro de altas pressões é sinónimo de bom
tempo com sol.
Num centro de baixas pressões o ar é ascendente, a temperatura
diminui, a humidade relativa aumenta e pode atingir-se o ponto de
saturação, logo, um centro de baixas pressões é sinónimo de mau tempo
com precipitação.

A distribuição dos centros de pressão à superfície

Centros de origem térmica:


1- Centros de baixas pressões
equatoriais;
2- Centros de altas pressões polares;

Centros de origem dinâmica:


3- Centros de altas pressões
subtropicais;
4- Centros de baixas pressões
subpolares.

A circulação do ar à superfície

Os ventos

1. Ventos alísios: são ventos que


sopram das altas pressões
subtropicais para as baixas pressões
equatoriais.
2. Ventos de oeste: são ventos que
sopram das altas pressões
subtropicais para as baixas pressões
subpolares.
3. Ventos de este: são ventos que
sopram das altas pressões polares
para as baixas pressões subpolares
4. CIT – Convergência Intertropical: é o encontro dos ventos alísios no
equador.
5. Doldrums ou calmarias: são as zonas onde não existem ventos e
acontecem quando os alísios enfraquecem.
6. Jet Stream: é uma corrente de ar em altitude que pode ter uma extensão
de 1000 km (superior ao comprimento de Portugal) e atingir grandes
velocidades e pode ainda provocar alterações no estado do tempo à
superfície.

As massas de ar: são volumes de ar com


características semelhantes de
temperatura, humidade e densidade.
Tipos de massas de ar:
 Tc – Tropical continental (quente e seca)
 Tm – Tropical marítima (quente e húmida)
 Pc – Polar continental (fria e seca)
 Pm – Polar marítima (fria e húmida)
As frentes
Frente quente: céu nublado, chuvas contínuas e
de longa duração (chuviscos) ou chuva de molha-
tolos. As temperaturas são baixas com tendência
para subir, o vento é fraco.

Frente Fria: grande nebulosidade, com nuvens de


grande desenvolvimento vertical, as chuvas são
intensas (aguaceiros), pode haver trovoadas e o
vento é mais forte.

Frente oclusa: é a dissipação das frentes, isto


é, estão a terminar a sua acção e vão
desaparecer. Isto acontece porque a frente fria
desloca-se com maior rapidez e apanha a
frente quente, o ar frio fica à superfície e o ar
quente em altitude, pode ainda haver
precipitação, mas a chuva vai desaparecer
dando lugar ao bom tempo, embora com
temperaturas baixas. (As frentes desapareceram).

As Perturbações frontais
Perturbação Frontal: é a associação entre as frentes e um centro de baixas
pressões.

1. Descrever o ciclo hidrológico


2. Reconhecer o papel do ciclo hidrológico na manutenção do equilíbrio
da Terra
3. Referir a importância da água como componente essencial dos
sistemas naturais e como recursos insubstituível na quase totalidade
das actividades humanas
4. Relacionar a variação da humidade atmosférica com a temperatura
5. Calcular a humidade relativa
6. Relacionar a variação da pressão atmosférica com a altitude e com a
temperatura
7. Identificar os centros de pressão atmosférica
8. Esquematizar a circulação do ar, à superfície e em altitude nos
centros de pressão
9. Caracterizar o estado de tempo associado aos centros de pressão
10.Justificar o estado do tempo
11.Esquematizar a circulação geral do ar à superfície do globo
12.Identificar os ventos
13.Identificar as massas de ar
14.Identificar as frentes
15.Caracterizar os estados de tempo associados às frentes
16.Justificar os estados de tempo.

Evapotranspiração: libertação de água para a atmosfera, sob a forma de


vapor de água com origem na respiração e transpiração dos seres vivos,
bem como na evaporação da água existente nos solos e nas superfícies
líquidas.
Escorrência: modo de deslocação da água, superficial ou subterrânea, difusa
ou organizada, ramificada ou concentrada.
Infiltração: movimento de água por acção da gravidade e pelo potencial
capilar para o interior do solo.
Balanço hídrico: balanço hídrico é o resultado da quantidade de água que
entra e sai de uma certa porção do solo em um determinado intervalo de
tempo.
Isóbaras: (ou linhas isobáricas) são linhas que unem pontos com igual valor
de pressão atmosférica.
Altas pressões: As altas pressões resultam da descida do ar frio. A rotação
da Terra faz o ar, ao descer, circular à volta do centro de alta pressão.
Quando o ar quente se eleva cria, por baixo dele, uma zona de baixa
pressão. Baixas pressões, normalmente significam mau tempo. No
hemisfério Norte o ar desloca-se no sentido horário e, no hemisfério Sul, no
sentido anti-horário. Quanto mais baixa a altitude, maior a pressão.
Baixas pressões: As baixas pressões são causadas pela elevação do ar
quente. Este circula no sentido horário no hemisfério Sul e no sentido anti-
horário no hemisfério Norte. A medida que o ar, ao subir, arrefece, o seu
vapor de água transforma-se em nuvens, que podem produzir chuva, neve
ou tempestade. Simultaneamente, ao nível do solo, há ar que se desloca
para substituir o ar quente em elevação, o que dá origem a ventos.
Anticiclone: o valor da pressão de cada uma das isóbaras que o constitui é
superior ao valor da pressão normal (1015 mb milibares) e esta aumenta da
periferia para o interior. Representa-se pela letra A ou pelo sinal +.
Depressão barométrica/ciclone: o valor da pressão de cada uma das
isóbaras que o constitui é inferior ao valor da pressão normal e esta diminui
da periferia para o interior. Representa-se pela letra B ou pelo sinal -.