Você está na página 1de 4

Até que ponto as

pastilhas de metal duro


são aplicáveis?
Com mais e mais fábricas procurando possibilidades de usinar sem refrigerantes, é
freqüentemente levantada a questão sobre a capacidade das ferramentas de metal duro
suportarem ou não as altas temperaturas do processo. Como a zona de corte excede 1000°C, o
uso de refrigerantes parece necessário para que seja atingida uma vida útil razoável das
pastilhas. Mas isso está comprovado de fato? Esse é o caso? Staffan Söderberg, Chefe de
Desenvolvimento de Metal Duro da Divisão Coromant da Sandvik (Suécia), responde neste
artigo sobre as modernas pastilhas revestidas para a usinagem sem refrigeração.

excessiva preocupação com Como se chegou a

A as taxas de remoção de me-


tal durante os últimos cin-
co anos é resultado, princi-
palmente, das contínuas melhori-
as das tecnologias de metal duro
tanto nas duas
últimas décadas?
À primeira vista, o rápido de-
senvolvimento das classes de me-
tal duro com revestimento pode pa-
e de cobertura das ferramentas. recer surpreendente, uma vez que
Por outro lado, as novas tecnolo- as coberturas multicamadas usadas
gias de materiais e processos têm hoje permaneceram as mesmas por
permitido que as classes com co- mais de uma década. Uma pasti-
bertura também sejam aplicadas lha moderna com cobertura é feita
ampla e sucessivamente em ope- de combinações de óxido de alu-
rações onde se exige tenacidade. Staffan Söderberg, da Sandvik Coromant mínio (Al2O3), carboneto de titâ-
Não é de estranhar, portanto, nio (TiC), nitreto de titânio (TiN)
que a Sandvik desenvolva classes adicionais, sendo, por isso, otimi- e carbonitreto de titânio (TiCN).
e geometrias específicas, feitas zadas para aplicações ainda mais Isso implica novas tecnologias de
sob medida, cujo objetivo é pro- específicas. processo e um contínuo aperfeiçoa-
porcionar a melhor performance As classes de pastilhas assim mento dos métodos de fabricação.
em cada umas principais áreas de desenvolvidas já provaram ser, de É esta a chave para o sucesso das
aplicação em usinagem. Tais clas- longe, o melhor caminho para que atuais classes. Esse tipo de evolu-
ses também abrangem aquelas de- o usuário obtenha reduções signi- ção é o mesmo que tem sido bem
senvolvidas para usinar materiais ficativas de custos de produção em sucedido em muitos outros ramos
razão de produtividade mais alta, da engenharia, e um bom exemplo
Este artigo foi produzido pela equipe técnica da AB qualidade melhorada do produto e disso é o desenvolvimento de um
Sandvik (Suécia), Divisão Coromant. Tradutora: Vera
Lúcia Natale. Revisor Técnico: Aldeci Vieira dos Santos, uma vida útil confiável e previsí- motor de carro standard.
Instrutor Técnico da Sandvik do Brasil, Divisão Coromant. O óxido de alumínio, também
vel das ferramentas.

O Mundo da Usinagem – 1. 2000 • 25


chamado de alumina, é ideal para tenaz para fresamento de aço, com melhor protegido e menos afetado
muitas aplicações dentro da usina- cobertura — a GC 4040 —, é revesti- pelo processo de cobertura, ele pode
gem porque é, como a cerâmica, mui- da com óxido de alumínio para per- ser mais duro, o que, por sua vez,
to duro, portanto resistente ao des- formance máxima em usinagem tan- torna a pastilha menos propensa à
gaste; com baixa condutividade tér-
mica,ouseja,ofereceboabarreiratér-
mica;ealtaestabilidadequímica,não • Tecnologia de processo de cobertura
reagindo prontamente com os mate-
riais das peças. Embora sua resistên-
• Propriedades do substrato
cia às altas temperaturas seja digna
de nota, sua maior vantagem é ser
pouco quebradiço em volume. As ce- • Microgeometria da aresta
de corte
râmicas são por natureza quebradi-
ças e não mostram evidências de de-
formação plástica antes da quebra. • Material da cobertura
Como cobertura, porém, o óxido de
alumínio tem bom desempenho uma • Propriedades da zona de
vez que é suportado por um tenaz superfície do substrato
substrato de metal duro. A cobertura
de alumina tem sido aplicada em vá- • Macrogeometria da pastilha
rias gerações de classes tipo GC e
também é o principal material da
cobertura das classes série GC 4000, to com refrigeração quanto sem ela. deformação plástica e, consequente-
que hoje lideram a usinagem em ter- O motivo de o desenvolvimento mente, mais apropriada para traba-
mos de performance. de novas tecnologias de processo ser lhar sem refrigeração.
tão importante para a melhoria da
Os processos de capabilidade de performance das De que forma esse
fabricação estão classes com cobertura é que isso per- desenvolvimento
mudando muito? mitiu novos graus de controle da es- chega às indústrias?
Certamente.A maioria dessas clas- trutura, do estado de tensão e das in- Hoje nós trabalhamos muito per-
ses de pastilhas é revestida com Al2O3 terfaces de ligação entre o substrato to das fábricas usuárias para o desen-
pelo processo CVD (Chemical Vapour e a cobertura. Com isso, o óxido de volvimento de classes, porque esta é
Deposition, ou Deposição Química de alumínio, com todas as suas vanta- a melhor maneira de nos certificar-
Vapor) e é bom lembrar uma antiga gens, tem sido até mais aplicável en- mos de que obtivemos as especifica-
desvantagem sua: a alta temperatura quanto cobertura, já que os antigos ções corretas do produto e de que os
durante o processo de revestimento efeitos adversos relativos ao subs- resultados finais dos nossos próprios
poderia prejudicar o metal duro. Este trato e à qualidade da adesão foram métodos de testes são confiáveis.
problema já foi completamente supe- superados. Coberturas mais espes- As necessidades das fábricas e a
rado e a cobertura CVD pode ser apli- sas podem, assim, ser aplicadas, ge- direção para a qual elas irão no futu-
cada com alta sofisticação, permitin- rando maior proteção para a pasti- ro são um “input” muito importan-
do um controle total das propriedades lha e possibilitando que ela suporte te. Nossos métodos de testes em la-
da classe. Hoje há também novos pro- temperaturas mais elevadas em tem- boratório estão em constante evolu-
cessos, como, por exemplo, o CVD pos de corte mais longos. ção, para garantir que o desenvolvi-
por plasma em temperatura ambien- O substrato de metal duro não mento de nossas classes atenda a es-
te, que pode ser usado para aplicação ficou à margem desses desenvolvi- sas necessidades. A posição e abran-
de coberturas a baixas temperaturas. mentos tão positivos. Ao contrário, gência global de nossa empresa,
Atualmente, mesmo nossa classe mais também se beneficiou deles. Sendo como líder de mercado, juntamente

26 • O Mundo da Usinagem – 1. 2000


Melhora na topografia da cobertura de Al2O3 pelo controle da estrutura cristalina. São obtidas superfícies mais
uniformes nas pastilhas revestidas (à direita), o que lhes confere melhor performance quanto à velocidade de
corte e à vida útil

com seus técnicos especializados em desenvolvemos novas tecnologias a que dois tipos diferentes de subs-
diferentes mercados, fundamentam serem incluídas nessa gama. Isso é um trato são sinterizados juntos para
osucessodestetrabalho. desafio e tanto, porque a exigência otimizar a performance em diferen-
Muitos usuários finais nos per- básica para que uma nova classe seja tes áreas da face da ferramenta. Este
guntam sobre as classes apropria- validada é que ela tenha uma perfor- é apenas um dos casos de inovação
das para a usinagem sem refrige- mance pelo menos 30% melhor na da Sandvik, já que ela patenteia a
ração. E esta pergunta nos dá a usinagemqueasclassesjádisponíveis. cada ano uma série de conceitos
oportunidade de falar muito direta Embora haja a possibilidade de exclusivos e de aplicação imediata.
e positivamente das nossas novas inúmeros materiais de ferramentas e Aliás, este fato a coloca entre as
classes. A vantagem de ter desen- conceitos novos serem introduzidos no empresas “top” na Suécia também
volvido a capacidade de aplicar co- futuro,oprincipalmaterialparaferra- no quesito “número de patentes”.
berturas de óxido de alumínio mais mentas de usinagem continuará a ser
espessas da melhor maneira em o metal duro, e é possível refinar as Isso garante os meios
substratos melhores e mais resis- suas propriedades usando novas tec- para a usinagem sem
tentes à deformação plástica nos nologias de processo e de pó. A com- refrigeração?
proporcionou classes idealmente pleta inovação nessa área não corre o Hoje este tipo de usinagem é uma
apropriadas também para usina- riscodeestardescartada. exigência crescente das indústrias,
gem sem refrigeração. Um bom exemplo é a broca mas jamais se apresentou como um
TwinGrade (Classe Conjugada), em problema para as nossas classes por-
É possível desenvolver
mais os conceitos já
existentes?
Dispomos de uma gama de tec-
nologias de fabricação com as quais
podemos trabalhar para otimizar as
propriedades de cada classe para uma
certa área de usinagem. Partimos de-
las para refinar os conceitos que já
existem ao mesmo tempo em que

Torneamento de aço sem


nenhum refrigerante

O Mundo da Usinagem – 1. 2000 • 27


que os nossos materiais para ferra-
mentas são apropriados para essa
condição. Como permanentemente
realizamos testes em nossos labora-
tórios, por exemplo com pastilhas
para torneamento sem refrigeração,
e nunca abandonamos o princípio de
que nossas principais e mais amplas
classes de pastilhas devem ser capa-
zes de usinar tanto em condições
com refrigeração quanto sem ela,
não vemos necessidade de apontar
pastilhas específicas para torneamen-
to sem refrigeração.
Nosso desenvolvimento de cober-
turas de óxido de alumínio trouxe
muitos benefícios neste contexto. Por
exemplo, as pastilhas GC 4000 com
cobertura de Al2O3 foram validadas
como ideais para o aumento da per-
formance do torneamento sem refri-
geração. A difusão do material da A variação na temperatura é mais negativa para o metal duro que uma
pastilha no cavaco, na zona aquecida temperatura alta mas constante
de corte, é melhor combatida com
essetipodecobertura.Suficientemen- que ocorra o efeito de resfriamento sível que se obtenha similaridade
te espessa, ela permanece resistente na zona de corte é necessário apli- de resultados.
ao desgaste frente a temperaturas car uma grande quantidade de líqui- Além da performance signifi-
mais elevadas e protege o substrato do, sempre no ponto certo, durante cativamente melhorada das clas-
contraadeformaçãoplástica.Paraoti- a rápida movimentação da ferra- ses de metal duro convencionais,
mizar a adesão, aplicamos TiCN menta. Em segundo lugar, uma houve um desenvolvimento con-
como cobertura e também desenvol- zona de corte com temperatura mais siderável de outros materiais para
vemos processos que permitem a for- baixa não é necessariamente algo ferramentas — cermets, cerâmicas,
mação modificada de substrato-estru- vantajoso, tanto do ponto de vista nitreto cúbico de boro e diamante
turas de superfície para obter a pro- da aresta de corte quanto da forma- — para a otimização de várias
priedade de maior resistência neces- ção de cavacos. áreas, algumas das quais incluem o
sária a algumas pastilhas. Um terceiro ponto é que a osci- torneamento sem refrigeração. Os
lação da temperatura durante a usi- avanços tecnológicos dos revesti-
Por que se quer nagem não faz bem à aresta de cor- mentos também são importantes
tanto usinar sem te, como, por exemplo, no proces- para essas áreas.
refrigeração? so de fresamento, em que as pas- Como já tem ocorrido nessas úl-
Além de aspectos referentes ao tilhas entram e saem do corte. A timas décadas na indústria metalúr-
meio ambiente, à saúde humana e maior parte dos materiais das pe- gica, novos desafios surgirão, de-
ao custo, o uso de refrigerantes na ças pode ser usinada sem refrige- mandando novas soluções mas não
usinagem a altas velocidades ração se as operações forem adap- necessariamente novos conceitos. A
(HSM) nas atuais máquinas CNC é tadas para isso. Inicialmente é pos- variação da temperatura é mais ne-
questionável também no que se re- sível que os resultados sejam dife- gativa para o metal duro que a tem-
fere à performance. Primeiro, para rentes, mas também é bastante pos- peratura alta porém constante.

28 • O Mundo da Usinagem – 1. 2000