Você está na página 1de 15

1

Índice

1. Introdução............................................................................................................2
2. Catástrofes Naturais e Artificiais..........................................................................3
3. Poluição do Solo..................................................................................................4
4. Poluição da Água.................................................................................................5
5. Poluição da Atmosfera.........................................................................................6
6. Conclusão............................................................................................................7
7. Bibliografia...........................................................................................................8
8. Anexos.................................................................................................................9

2
Introdução

Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Ciências Naturais a pedido do


professor Lourenço, sendo realizado em grupo.
Neste trabalho gostaríamos de abordar as Perturbações no Equilíbrio dos
Ecossistemas, assim como os efeitos das catástrofes naturais e artificiais, a definição de
poluição, os diferentes tipos de poluição e os principais agentes poluentes.
Os objectivos deste trabalho são conhecer os fenómenos que contribuem para o
desequilíbrio dos ecossistemas, compreender o papel das catástrofes e da poluição
nesses desequilíbrios e assumir uma atitude crítica face aos comportamentos/fenómenos
que iremos descrever.
Diariamente, os jornais e outros meios de comunicação referem notícias graves
acerca da poluição, que nem sempre são observados mas sentidos nas águas dos
nossos rios, na qualidade do ar ou alterações do ruído no meio ambiente e até no estado
de saúde das populações

3
Catástrofes Naturais e Artificiais

As catástrofes naturais são qualquer acidente natural que ocorra sem intervenção
directa do homem e que coloque em perigo a existência de Vida.
As catástrofes naturais podem ser as tempestades (uma violenta perturbação da
atmosfera, que se manifesta por chuva intensa, acompanhada de vento e trovoada), as
inundações (a acumulação de grandes quantidades de água em locais habitualmente
secos, que causa graves danos em pessoas e bens), as secas (longos períodos de muito
baixa ou inexistente pluviosidade), as actividades sísmicas e vulcânicas (manifestações
da actividade interna da Terra que, em fracções de segundos, podem alterar
profundamente os ecossistemas) e os incêndios (pode resultar da presença simultânea de
três factores: fonte calorífica, oxigénio e combustível).
As catástrofes afectam muito a vida humana e estão na maior parte das vezes
associadas à desflorestação, à urbanização excessiva e ao aquecimento global.
Também há outras catástrofes mas são directamente causadas pela actividade
humana denominadas por Catástrofes Artificiais ou directamente provocadas pelo
Homem.
Estas catástrofes são, como por exemplo: as guerras (lutas entre grupos de
pessoas que gera todo tipo de sofrimento e morte, com causas variadas no ambiente), o
terrorismo (problema das sociedades modernas com múltiplas causas e consequências
nos seres humanos e no meio envolvente), a poluição (degradação do meio ambiente
pela sociedade em geral) e a desflorestação (destruição da floresta pela intensa
actividade humana).

Ilustração 2: A explosão de uma


Ilustração 1: O corte de bomba atómica
árvores numa floresta
tropical

4
Poluição do solo
A poluição do solo é qualquer alteração das suas características naturais atra-
vés da deposição, descarga, infiltração ou acumulação no solo de produtos poluentes.

PRINCIPAIS FONTES DE POLUIÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS

As principais fontes de poluição do solo são resíduos (lixos domésticos e indus-


triais) deitados no solo sem qualquer tipo de tratamento; os pesticidas e fertilizantes
utilizados na agricultura e os detritos da criação de animais.
Apesar do lixo doméstico ser uma pequena parte do total de resíduos sólidos
produzidos, ele é o mais desagradável e perigoso para a saúde pública quando se
acumula perto dos locais onde as pessoas vivem.
As lixeiras constituem um grave problema ambiental. Nelas são acumulados di-
ferentes tipos de resíduos: vidros, latas, plásticos, pneus, electrodomésticos, mobiliá-
rio, etc.
Diferentes produtos tóxicos aparecem misturados com o lixo. Quando acumula-
dos e com o passar do tempo infiltram-se no solo. Esta situação é agravada quando
chove. A água da chuva atravessa o lixo, dissolve os produtos tóxicos nele existentes
e, por infiltração ou escoamento, polui as águas subterrâneas (e a partir destas, as
águas de abastecimento), os ribeiros, os rios e os lagos.

Ilustração 3: Uma lixeira a céu aberto.

Poluição da água

5
A poluição da água é qualquer alteração das suas propriedades físicas, químicas
ou biológicas, que possa prejudicar a saúde, a segurança e o bem-estar das populações,
causar dano à flora e à fauna, ou comprometer o seu uso para fins sociais e económicos.

PRINCIPAIS FONTES DE POLUIÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS


As principais fontes de poluição dos rios, lagos, ribeiros e lençóis de água – águas
superficiais e subterrâneas, são as águas residuais resultantes da indústria, da agricultura
e das actividades domésticas. As águas residuais estão carregadas de sais minerais,
substâncias não bio-degradáveis, fertilizantes, pesticidas, detergentes e micróbios.
Tornam a água imprópria para abastecimento público e põe em causa a vida dos seres
vivos que habitam os rios, ribeiros e lagos.
Também os oceanos e mares são afectados pela poluição – os acidentes com
petroleiros que derramam petróleo para o mar e provocam as “marés negras”, a queima
de resíduos no alto mar, a lavagem de porões dos cargueiros e petroleiros, os
derramamentos tóxicos das indústrias feitos directamente para as praias ou costas, o
despejo de lixo radioactivo das centrais nucleares, o funcionamento dos barcos a motor…
Para além destes aspectos, devemos ter em conta que uma parte importante da
poluição do mar é consequência da actividade humana na terra, assim como:
• Os resíduos sólidos, plásticos, vidros, trapos e outros materiais, deixados nas
praias;
• Os pesticidas e adubos utilizados na agricultura, que através da acção da chuva e
da erosão do solo, contaminam as águas subterrâneas e os rios;
• Os produtos e as águas residuais não tratadas que são lançados directamente
para os rios, e através destes chegam ao mar.

Ilustração 4: Uma "lixeira"


num rio
Ilustração 5: Um esgoto
doméstico sem tratamento
que liberta as águas para
uma praia. 6
Poluição Atmosférica
A poluição atmosférica é qualquer alteração da composição
química do ar, seja pela variação importante na proporção dos seus
constituintes ou pela presença de substâncias estranhas, que possa
prejudicar a saúde, provocar perturbações nos seres vivos e no meio
ambiente. Ao alterar a composição natural do ar, os seres vivos são
afectados e pode ser posta em causa a sua vida.

PRINCIPAIS FONTES DE POLUIÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS


As principais fontes de poluição atmosférica são causadas pela actividade do
Homem.
A combustão incompleta do carvão e petróleo na indústria e refinarias, a
combustão em centrais eléctricas, os gases emitidos pelos escapes dos veículos
motorizados, lançam para o ar substâncias (dióxido de carbono, monóxido de carbono,
dióxido de enxofre e chumbo, entre outras) que alteram a composição natural do ar e
degradam a sua qualidade.
Entre as mais graves consequências da poluição atmosférica temos:
O “efeito estufa” - o aumento de dióxido de carbono na atmosfera, resultante das
combustões de produtos ricos em carbono em centrais eléctricas e no aquecimento
doméstico, provoca o aumento da temperatura da atmosfera uma vez que retém o calor e
impede que este se expanda para o espaço. Consequências: aquecimento global da
Terra, alterações no clima e a subida do nível do mar.
As “chuvas ácidas”- O dióxido de enxofre, resultante das combustões em
centrais eléctricas e dos gases emitidos pelos escapes dos veículos motorizados, quando
se dissolve na água presente na atmosfera forma gotículas de ácido sulfúrico. Quando
chove, estas substâncias são transportadas para a
superfície terrestre. Consequências: doenças respiratórias
graves, desflorestação, corrosão de materiais, alteração das
características naturais do solo e da água, podendo levar à
morte alguns seres vivos.
A diminuição da camada de ozono - O ozono constitui
uma barreira protectora das radiações nocivas do Sol
(radiações ultravioleta) e protege a vida na Terra. A
diminuição da camada de ozono deve-se fundamentalmente

7
à libertação de CFC (clorofluorcarbonetos), um composto químico utilizado nos
refrigeradores dos frigoríficos e arcas frigoríficas, aparelhos de ar condicionado e
aerossóis (sprays). Consequências: problemas respiratórios, queimaduras, cancro de
pele. Se sofrer danos é posta em causa a sobrevivência da vida na Terra.

Conclusão

8
Durante este trabalho quisemos alertar para os efeitos das catástrofes naturais e
artificiais, o que é a poluição e que tipos existem e as suas consequências.
Este trabalho alertou-nos para problemas cada vez mais importantes e actuais e
que devemos ter em muita consideração. Por vezes, um pequeno gesto no nosso dia-a-
dia pode ajudar a minimizar estes problemas e as consequências destes.
Esperamos que o tenhamos esclarecido sobre este tema.

Bibliografia

9
Sites consultados:
 http://cyberturma.no.sapo.pt/poluicao.htm#
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3º
 http://aprenderbrincando.no.sapo.pt/tipos_de_poluicao.htm
 http://web.educom.pt/~pr1305/agua_poluicao.htm
 http://www.rudzerhost.com/ambiente/introducao.htm

Outros locais:
 Diciopédia 2003;
 ANTUNES, Cristina et al, Descobrir a Terra e, Areal Editores, Porto, 2007

10
Anexo 1
Catástrofes Naturais e Artificiais

Vulcão Nyiragongo
Em Janeiro de 2002, o Vulcão Nyiragongo entrou de novo em erupção.
Uma torrente de pedra em fogo, com dois metros de altura, atravessou a cidade de
Goma, cortando-a a meio. Quarteirões inteiros desapareceram, engolidos pelo rio em
brasa. Do céu, cor de chumbo, caíam cinzas e o ar tremia com o ribombar da montanha
incandescente.
Um dia depois de o vulcão ter entrado em actividade já teriam morrido mais de 50
pessoas. As torrentes de lava deslizaram para o lago Kivu, situado na área fronteiriça
com o Ruanda.
O odor de enxofre estava por todo o lado e a terra tremia de 5 em 5 minutos. Abriram-se
fissuras no chão saindo delas vapores sulfurosos venenosos. A lava escorreu à
velocidade de 5 km/h.
Este vulcão, situado no monte Nyiragongo (3469 metros), em 1977 já tinha provocado a
morte a 2000 pessoas em 30 minutos, com torrentes de lava a velocidades entre os 60 e
os 180 km/h.
In: livro de Ciências Naturais do 7º ano, Autores? Editora?

11
Anexo 2
Fotos relativas à poluição do Solo

Anexo 3

12
Fotos relativas à poluição da água

Anexo 4

13
Fotos relativas à poluição atmosférica

Esquema da Composição do ar

Anexo 5

14
Esquema Resumo do efeito de estufa

15