Você está na página 1de 8

Sábado, 22 de julho de 2014

Sábado, 22 de julho de 2014 1 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

1

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu Nova Iguaçu, sábado 22
Estado do Rio de Janeiro
Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu
Nova Iguaçu, sábado 22 de julho de 2014
Estado do Rio de Janeiro
Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu
Atos Oficiais

2

2 Sábado, 22 de julho de 2014 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

Sábado, 22 de julho de 2014

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu ATOS DO PREFEITO PORTARIA

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

ATOS DO PREFEITO

PORTARIA Nº 495 DE 21 DE JULHO DE 2014.

O PREFEITO DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU, no uso

de suas atribuições que lhe confere a legislação em vigor,

RESOLVE:

Tornar sem efeito a portaria nº 493 de 18 de Julho de 2014 referente a designação de JOSÉ RENATO SODRÉ IGLECIA para exercer a Função Gratificada de Chefe de Divisão - Símbolo FG-1 - Secretaria Municipal de Governo – SEMUG, publicada no ZM notícias de 19 de Julho de 2014.

NELSON ROBERTO BORNIER DE OLIVEIRA Prefeito

PORTARIA Nº 496 DE 21 DE JULHO DE 2014.

O PREFEITO DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU, no uso

de suas atribuições legais,

RESOLVE:

Exonerar, RAFAELA BRAVO do Cargo em comissão de Diretor Adjunto da E.M. Flor de Lis – Símbolo DAS III e Nomear, RITA DE CÁSSIA PORTO DOS SANTOS, para ocupar o mesmo cargo em comissão na – Se- cretaria Municipal de Educação – SEMED - a contar desta publicação.

NELSON ROBERTO BORNIER DE OLIVEIRA Prefeito

SEMUG - SUBSECRETARIA DOS CONSELHOS MUNICIPAIS - CME

DELIBERAÇÃO CME Nº 02/CME/2014

Fixa normas para autorização de funcionamento de instituições privadas de Educação Infantil, no Sis- tema de Educação da Cidade de Nova Iguaçu e dá outras providências.

O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO da Cidade

de Nova Iguaçu, no uso de suas atribuições legais e,

CONSIDERANDO a Constituição Federal, em especial

a emenda Constitucional nº 53

CONSIDERANDO as disposições da Lei de Diretrizes e

Bases da Educação Nacional nº 9.394/96 ;

CONSIDERANDO a Resolução CNE/nº01/99, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação

Infantil;

CONSIDERANDO as disposições das Leis nº 11.114/2005

e nº 11.274/2006;

CONSIDERANDO a Lei nº 3.881/2007, que cria o Siste- ma Municipal de Educação; CONSIDERANDO que cabe ao Município autorizar, credenciar e supervisionar as Instituições de Ensino,

de 2006;

segundo a LDBEN nº 9.394/96; CONSIDERANDO que o Sistema Municipal de Educação abrange as instituições de Educação Infantil mantidas

pelo Poder Público e as criadas e mantidas pela iniciativa privada, conforme termos dos artigos 18, 19, e 20 da LDBEN n.º 9.394/96; CONSIDERANDO o Estatuto da Criança e Adolescente, Lei nº 8.069/90; CONSIDERANDO a Lei nº 12.796, que altera a LDBEN

nº 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da

educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. DELIBERA:

CAPÍTULO I Da Educação Infantil - Finalidades e Objetivos

Art. 1º. - A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, direito constitucional da criança de 0 (zero) até

5 (cinco) anos e 11 (onze) meses de idade, tem como finalidade seu desenvolvimento integral, considerando os aspectos físico, psicológico, intelectual e social, abrangen-

do o educar e cuidar, complementando a ação da família

e da comunidade, com base:

I - No respeito à história da criança, em suas caracterís- ticas individuais, sociais, econômicas, culturais, étnicas

e

religiosas;

II

- Na valorização da cultura infantil e na democratização

do acesso aos bens culturais;

III - Na garantia de acesso a atividades culturais e artísti- cas que envolvam as diferentes linguagens, entre outras formas de expressão humana;

IV - Na concepção da ludicidade e, em particular, da

brincadeira como forma privilegiada de expressão, de

pensamento e de interação da criança.

Art. 2º. - São objetivos da Educação Infantil:

I - Possibilitar o desenvolvimento social da criança para sua plena integração nos diferentes ambientes sociais

baseando-se no educar e no cuidar, tendo por objetivo ampliar as experiências da criança e estimular seu inte- resse pelo processo de conhecimento do ser humano, da natureza e da sociedade.

II - Promover condições adequadas para a aquisição de

conhecimentos, visando contextualização dos mesmos nos diferentes ambientes sociais; Art. 3º. - A Educação Infantil será oferecida em:

I - Creche, para crianças de 0 (zero) até 3 (três) anos e 11(onze) meses;

II - Pré-Escola, para crianças de 4 (quatro) até 5 (cinco) anos e 11(onze) meses;

§1º. A creche organiza-se, conforme a faixa etária esta- belecida pela LDB.

a) 0 (zero) até 11(onze) meses;

b) 1 (um) ano até 1(um) ano e 11(onze) meses;

c) 2 (dois) anos até 2 (dois) anos e 11(onze) meses;

d) 3 (três) anos até 3 (três) e 11(onze) meses.

§2º. A pré-escola organiza-se, conforme a faixa etária:

a) 4 (quatro) anos até 4 (quatro) anos e 11 (onze) meses;

b) 5 (cinco) anos até 5 (cinco) anos e 11 (onze) meses.

CAPÍTULO II Da Vinculação Sistêmica

Art. 4º - As Instituições Privadas de Educação Infantil, mencionadas abaixo, integram o Sistema Municipal de

Educação:

I – Centros de Educação Infantil Comunitários ou Escolas Comunitárias de Educação Infantil, mantidos por entida- des comunitárias, por meio de parcerias e/ou convênios com o poder público municipal e/ ou iniciativa privada, com atendimento a creche e pré-escolas, às crianças de 0 (zero) até 5 (cinco) anos e 11 (onze) meses de idade;

II – Escolas de Educação Infantil Privadas com atendi-

mento a crianças de 0 (zero) até 3 (três) anos e 11(onze) meses de idade em creche e de 4 (quatro) até 5 (cinco) anos e 11 (onze) meses de idade em pré-escola;

Art. 5º. - Entende-se por Instituição de Educação Infantil

privada:

a) as particulares;

b) as comunitárias;

c) as confessionais;

d) as filantrópicas.

Art. 6º - As Instituições de Educação Infantil obrigam-se às condições de:

I- Autorização para funcionamento e avaliação de quali- dade pelo Sistema Municipal de Educação;

II- Cumprimento das normas gerais da Educação Nacio-

nal e do Sistema Municipal de Educação de Nova Iguaçu.

III - Capacidade de autofinanciamento.

Art. 7º. - As instituições de Educação Infantil, mantidas

pela iniciativa privada, poderão, mediante abertura de processo, protocolado na Secretaria de Educação (SEMED), incluir adjetivo em sua denominação que as identifique como pertencentes à mesma mantenedora ou rede. Porém, ocorrendo alteração da denominação adotada pela instituição, esta deverá ser comunicada a SEMED no prazo de 15 (quinze) dias, antes da mudança, de forma expressa, com a cópia do ato oficial que criou ou modificou a denominação.

CAPÍTULO III Autorização de Funcionamento.

Art. 8º - Entende-se por autorização de funcionamento o ato pelo qual o órgão próprio do sistema de ensino per- mite o funcionamento da instituição de educação infantil, enquanto atendidas as disposições legais pertinentes. Parágrafo Único – A autorização para funcionamento da Educação Infantil, aprovada pelo CME e concedida pela Secretaria Municipal de Educação, através de Portaria, consiste na comprovação de que a Instituição de Edu- cação Infantil reúne condições de infraestrutura, admi- nistrativa e pedagógica estabelecidas nesta Deliberação. Art. 9º - As instituições privadas de Educação Infantil, vinculadas ao Sistema Municipal de Educação, deverão

requerer autorização de funcionamento a SEMED com antecedência mínima de 120 (cento e vinte) dias, antes do prazo previsto para início das atividades do ano letivo subsequente. Parágrafo único - A aprovação para o ato autorizativo de funcionamento para a oferta de Educação Infantil é ato de competência do Conselho Municipal de Educação. Art. 10 – Deverá ser autuado um processo na Divisão de Protocolo da SEMED, com os seguintes documentos:

I - Requerimento (anexo I) dirigido a(o) Secretária(o) Municipal de Educação, subscrito pelo Representante

Sábado, 22 de julho de 2014

Sábado, 22 de julho de 2014 3 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

3

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu Legal da entidade mantenedora,

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

Legal da entidade mantenedora, contendo:

III-

Conceder prazo de 20 dias úteis prorrogáveis por mais

respectivos acessos, não podem ser de uso comum em domicílio ou estabelecimento particular, respeitando as normas de acessibilidade vigente. §3º. - Os espaços serão construídos e organizados de acordo com os parâmetros básicos de infraestrutura, devendo apresentar condições satisfatórias de acesso, higiene, sonorização, ventilação, insolação, iluminação natural e artificial.

a)

nome e qualificação do requerente, inclusive com

20 dias para cumprimento das exigências.

telefone (s) e endereço eletrônico (e-mail);

IV

- Retornar para verificação do cumprimento de exi-

b)

nome, CNPJ e endereço de funcionamento da insti-

gências.

tuição de ensino;

V-

Emitir Parecer sobre as condições para deferimento ou

c)

especificação do nível e modalidade de educação que

indeferimento do pedido de autorização de funcionamento.

pretende ofertar;

VI – Atender ao pedido de recurso, quando necessário.

d)

declaração de conhecimento da legislação de edu-

VII – Emitir parecer técnico para CME.

cação vigente e a obrigação de cumpri-la sob as penas

Art. 12 - O Conselho Municipal de Educação incumbir- -se-á de:

§4º. - A organização do espaço físico deverá ser coerente com a proposta pedagógica da unidade. §5º. - Os espaços deverão ser adequados às carac- terísticas dos educandos com deficiências, conforme legislação própria. Art. 16 - As Instituições de Educação Infantil devem dispor de espaços físicos, onde se desenvolvem as ati- vidades de cuidado e educação, garantindo às crianças:

da

lei.

– Cópia autenticada do contrato social da entidade

mantenedora e ou a cópia da última ata de alteração contratual ou documento de empresa individual caso a

II

– Avaliar o processo de autorização de funcionamento apresentado pela Comissão Verificadora;

I

II

– Deliberar sobre a autorização de funcionamento.

instituição não possua sócios, registrada na junta comer- cial ou no Cartório de Registro de Títulos e Documentos.

III

– No caso de Parecer favorável, o Conselho Municipal

de

Educação deve dar ciência ao requerente no corpo do

III

– Certidão Negativa, solicitada em Cartório de Registro

processo de que a Instituição está autorizada a funcionar

de

Títulos e Documentos.

a

partir da emissão do ato autorizativo pelo Poder Público,

I

- um ambiente amplo, tranquilo e aconchegante, para o

IV

– Cópias autenticadas dos documentos de todos os

que

deverá ser entregue ao representante legal da mante-

convívio das crianças e dos profissionais da Instituição.

dirigentes que subscrevem o ato constitutivo da entidade mantenedora, RG, CPF, comprovante de residência (ex.:

nedora mediante recibo no corpo do processo.

II

- mobiliário adequado às atividades pedagógicas com

IV

– No caso de Parecer desfavorável, o Conselho Munici-

tamanho proporcional à faixa etária e quantidade ade- quada ao espaço e alunos.

contas de light, água ou telefone atualizadas).

pal

de Educação deve dar pronta ciência de seus termos

V-

Comprovante de inscrição da mantenedora da institui-

ao

requerente, fornecendo-lhe cópia da conclusão dene-

III

- acesso dos educandos com deficiências, com su-

ção, no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) indicando os fins educacionais, fazendo referência à Educação Infantil.

gatória, mediante recibo no corpo do processo, informando

pressão de barreiras arquitetônicas através de instalação

o

prazo de 30 dias para interposição de recursos.

de

rampas, ou outras formas que ofereçam segurança.

V

– Esclarecer quanto à impossibilidade de funcionamen-

IV

- disponibilidade de jogos, brinquedos e objetos pe-

VI

- Designação do Responsável Técnico e Corpo Do-

to

até decisão do Conselho Municipal de Educação em

dagógicos, próprios à faixa etária da clientela atendida, com número suficiente, em local de fácil alcance, não

cente, (anexos II e III) anexando cópias autenticadas

contrário.

dos documentos:

VI-

No caso de Parecer favorável ou desfavorável, será

oferecendo perigo ao ser manuseado.

a) Identidade e CPF;

publicado nos Atos Oficiais do Município. Art. 13 - As Instituições de Educação Infantil privadas estarão sujeitas a avaliações periódicas para verificação dos padrões de qualidade e do cumprimento das exigên-

V

- ambientes com boas condições de higiene, seguran-

b) Comprovante de residência;

ça,

salubridade, ventilação e iluminação.

c) Comprovante de habilitação para o exercício da

VI

- área coberta e área livre, atendendo ao quantitativo

 

função;

de

alunos por turno.

VII

- Cópia do Regimento Escolar registrado no Cartório

cias legais. Art. 14 - A Instituição de educação infantil deverá comu- nicar, mediante processo, protocolado na SEMED, as seguintes alterações:

Art. 17 - As Instituições de Educação Infantil devem conter espaços construídos ou adaptados, atendendo

de

Títulos e Documentos.

VIII- Cópia da Proposta Pedagógica.

as

especificidades de atendimento, tais como:

IX

- Declaração de capacidade máxima de matrículas

I

- salas para atividades pedagógicas, administrativas

(anexo IV);

I

- mudança de endereço de funcionamento;

e

de apoio;

X

– Alvará definitivo de funcionamento;

II - abertura de endereços complementares;

- salas para atividades pedagógicas (salas de aula), com área mínima de 1 metro quadrado por aluno com

II

XI-

Certidão de Regularidade Tributária

III - alterações no contrato social;

XII- Documento que autoriza o uso do imóvel, compro- vado por um dos seguintes documentos:

IV - alterações na oferta, a saber: faixa etária, regime de

iluminação ventilação direta, mobiliário e equipamentos próprios para a idade e compleição física que possibilitem trabalho pedagógico diversificado;

funcionamento e capacidade de matrícula;

a)

título de propriedade em nome da pessoa jurídica

V - mudança no corpo técnico-administrativo e/ou docente;

mantenedora do estabelecimento de ensino, registrado

VI - alteração no Regimento Escolar;

III

- no que diz respeito às salas de aula, considerar o

no

Registro Geral de Imóveis ou Certidão de Ônus Reais;

VII - alteração no Projeto Político-Pedagógico;

limite de ocupação de 80%(oitenta por cento) da capa-

b)

contrato de locação, ou cessão de uso ou comodato, a

VIII - suspensão temporária das atividades pelo prazo má-

cidade física;

favor da pessoa jurídica mantenedora do estabelecimento

ximo de três anos, garantindo o cumprimento do ano letivo,

IV - berçário, para o atendimento das crianças de 0(zero)

de

ensino, registrado no Cartório de Registro de Títulos e

IX

- encerramento das atividades, garantindo o cumpri-

a 1(um) ano e 11(onze) meses de idade, equipado com

Documentos ou Registro Geral de Imóveis, onde conste expressamente a finalidade educacional, com prazo igual

mento do ano letivo;

berços e colchonetes individuais;

X

- retorno das atividades após suspensão temporária.

V

- dependências destinadas ao armazenamento de

ou

superior a 03 (três) anos, com período a vencer de, no

gêneros (despensa) e preparo de alimentos (cozinha)

mínimo, (02) dois anos na data da autuação do processo

CAPÍTULO IV Da Infraestrutura da Instituição de Educação Infantil

que atendam às exigências de nutrição, equipamentos

de

requerimento.

utensílios adequados à conservação de alimentos e refeitório quando oferecer refeições.

e

XIII

- Atos autorizativos de outras modalidades de ensino.

 

Art. 11. Cabe a Secretaria Municipal de Educação no prazo de 30 dias úteis após a entrada do processo de autorização de funcionamento designar Comissão de Vi-

Art. 15 - O prédio destinado ao funcionamento da Edu- cação Infantil deve adequar-se ao fim a que se destina

VI

- banheiros com vasos sanitários, bancadas de la-

vatórios e chuveiros em tamanho próprios para a idade

atender, respeitando às normas e especificações técnicas

e

compleição física e suficiente de acordo com as ca-

sita composta por 3 (três) supervisores escolares lotados

da

legislação pertinente, podendo ser próprio, locado ou

racterísticas dos alunos, atendendo às especificidades relacionadas às idades, gênero (masculino e feminino)

na

Secretaria de Educação para:

cedido. §1º. - O prédio deve apresentar condições adequadas de localização, acesso, salubridade e segurança, estando equipado com extintores de incêndio, conforme prevê legislação pertinente. §2º. - Os ambientes destinados à educação infantil e seus

I - Verificar a documentação presente no processo, ob- servando o disposto nesta Deliberação;

e

aos educandos com deficiências;

VII

- banheiros específicos para adultos;

II

- Verificar in loco as condições de funcionamento da

VIII - sistema de filtragem de água com certificação.

instituição com vistas às normas presentes nesta Deli-

IX-

ao adotar o regime integral, a instituição deve prover

beração;

de

local para repouso.

4

4 Sábado, 22 de julho de 2014 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

Sábado, 22 de julho de 2014

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu CAPÍTULO V em Nível

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

CAPÍTULO V

em Nível Médio, de formações de professores. Art. 27 - O profissional que atuar como auxiliar de turma deverá possuir escolaridade mínima de Ensino Médio Completo. Art. 28 – A Instituição de Educação Infantil que oferecer alimentação, manterá um nutricionista responsável pela elaboração de cardápios, pela orientação da higiene e preparação de alimentos, com vistas à efetivação de um programa de educação alimentar. Neste caso, caberá anexar cópia legível da habilitação do (a) Nutricionista. Art. 29 - A Instituição de Educação Infantil poderá orga- nizar equipes para fazer parte do quadro de funcionários, tendo atendimento específico nas turmas de sua respon- sabilidade tais como: Psicopedagogo (a), Psicólogo (a), Assistente Social, Pediatra ou outro (a) Profissional que se faça necessário, mencionando-os no Regimento Escolar.

estar disponíveis para a comunidade escolar e para as autoridades competentes. Art. 33 - Quanto à elaboração e execução do Projeto Político-Pedagógico, que deverá destacar:

Do Arquivo

Art. 18 - O arquivo da instituição de educação infantil deverá conter documentos das crianças matriculadas, tais como:

I

- os fins e objetivos do trabalho pedagógico, buscando

garantia da igualdade de tratamento, do respeito às diferenças, da qualidade do atendimento e da liberdade

a

I - cópia da Certidão de Nascimento;

II

- cópia da carteira de vacinação, devidamente atua-

de

expressão;

 

lizada;

II

- a filosofia da Instituição;

 

III

- a concepção de criança, de desenvolvimento infantil

III - ficha de matrícula, contendo os seguintes dados:

e

de aprendizagem;

a) nome dos pais e/ou responsáveis pelo (a) aluno (a);

IV

- as características da população a ser atendida e da

b) endereço completo;

comunidade na qual se insere;

c) telefone e endereço eletrônico, quando houver;

V - o regime de funcionamento;

d) dados e informações significativas sobre o (a) aluno

VI - as ações da Equipe Técnico-Administrativa-Peda-

(a);

gógica

IV

- cópia de documento de identidade e CPF do res-

 

VII

- a adequação do espaço físico, das instalações e

ponsável;

CAPÍTULO VII Regimento Escolar e Projeto Político Pedagógico

dos

equipamentos;

V

- documento comprobatório quanto ao tipo sanguíneo

VIII

- o nível de formação e a habilitação dos profissionais,

do

(a) aluno (a);

 

especificando cargos, funções e formas de atuação;

VI

- ficha individual do aluno;

Art. 30 - O Regimento Escolar é documento normativo da Instituição Educacional, sendo a sua elaboração de

IX

- os parâmetros de organização de grupos, relação

VII

- declaração de transferência para alunos da edu-

Profissional/criança e espaço físico, conforme modulação

cação infantil;

inteira responsabilidade das instituições, apoiando a im- plementação do Projeto Político Pedagógico, estando em consonância com os dispositivos legais vigentes, devendo ser registrado no Cartório de Títulos e Documentos. §1º. - Todas e quaisquer alterações na estrutura, com- posição e funcionamento da Instituição, deverão ser incluídas no Regimento Escolar sob forma de adendo ou de reformulação, devendo ser devidamente registradas em Cartório de Registro de Títulos e Documentos, e com validade para o ano letivo seguinte. §2º. - Caberá a instituição da rede privada a elaboração do seu próprio Regimento Escolar, em consonância com

definida no Anexo III;

VIII

– Documento que compreenda registros do acompa-

X

- a organização do cotidiano de trabalho com as

nhamento da vida escolar do aluno na Educação Infantil;

 

crianças;

IX

- laudo médico quando aluno com necessidades

XI

- a proposta de articulação da instituição com a família

educacionais especiais; Art. 19 - A frequência e a avaliação do aluno devem ser registradas em documento específico, de acordo com o Regimento Escolar da Instituição observados os parâmetros da lei quanto ao percentual de dias letivos e carga horária mínima.

e

com a comunidade;

XII

- o processo de avaliação do desenvolvimento integral

da

criança, explicitando suas práticas, instrumentos e

registros;

XIII

- o processo de planejamento geral e avaliação

institucional;

 

XIV

- o processo de articulação da educação infantil com

CAPÍTULO VI Profissionais da Educação Infantil

o

ensino fundamental.

a

legislação vigente.

Art. 34 - Na Educação Infantil, a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro descritivo do de- senvolvimento da criança, tomando como referência os objetivos estabelecidos para essa etapa da educação, sem o objetivo de promoção para o acesso ao ensino

Art. 20 - A Instituição de Educação Infantil deverá ter sua Equipe Técnico-Administrativo-Pedagógica. Art. 21 - Devem constar no Regimento Escolar, as Funções e Atribuições dos Profissionais da Instituição. Art. 22 - A função de Diretor (a) deverá ser exercida por profissional com formação em nível superior em Pedago-

Art. 31 - Ao elaborar seu Projeto Político-Pedagógico, deverão as Instituições de Educação Infantil:

valorizar o reconhecimento da identidade de cada uni- dade escolar;

I-

II-

promover a integração entre os aspectos físicos, cogni-

fundamental

tivos, afetivos, linguísticos e sociais proporcionando uma visão global da criança.

Art. 35 - O controle de frequência dos alunos da educa-

ção

pré-escolar deverá ser feito de acordo com legislação

gia

com Habilitação em Administração Escolar ou Gestão

Art.32 - Na elaboração e execução do Projeto Político Pedagógico será assegurado à Instituição de Educação

vigente.

Escolar, e/ou Pós-Graduação em Administração Escolar

 

ou

Gestão Escolar

Infantil na forma da lei, o respeito aos princípios do pluralis- mo de ideias e de concepções pedagógicas, garantindo-se

CAPÍTULO VIII Da Supervisão Escolar

A

partir de 150 alunos a instituição deverá possuir um

Diretor Adjunto.

a

participação da comunidade escolar.

 

Art. 23 – Para o cargo de Secretário Escolar será admiti-

§1º. - O Projeto Político Pedagógico da Instituição de Educação Infantil deverá explicitar o reconhecimento da

Art. 36 - Quanto ao papel do(a) Supervisor(a) no pro- cesso de autorização da Instituição de Educação Infantil privada, cabe:

da

a formação em curso Técnico de Secretário Escolar e/

ou

Pedagogia com habilitações em Administração, Ges-

importância da identidade pessoal de alunos, famílias, pro- fessores e outros profissionais, e sua própria identidade, considerando os diferentes contextos em que se situam

tão

Escolar ou Supervisão Escolar, a partir de 200 alunos.

I

- Compor comissão de verificação após designação

Art. 24 - A função de Orientação Pedagógica deverá ser exercida por um profissional com formação em Pedago- gia, com habilitação em Supervisão ou Administração

da

Secretaria de Educação através de publicação em

e

respeitando os seguintes fundamentos norteadores:

imprensa oficial;

I - princípios éticos da autonomia, da responsabilidade, da solidariedade e do respeito ao bem comum; II - princípios políticos dos direitos e deveres de cidada-

II

- Verificar toda documentação presente em processo

ou

Pós-Graduação em Gestão Escolar ou Supervisão

de

autorização e funcionamento da Instituição de Ensino.

Escolar. Art. 25 - Para Orientador Educacional, este deve pos- suir o curso de Licenciatura Plena em Pedagogia com especialização em Orientação Educacional ou Pós- -Graduação em Orientação Educacional. Art. 26 – O docente para atuar na Educação Infantil, será formado em curso de nível superior de Licenciatura em Pedagogia, admitida como formação mínima a oferecida

III

– Verificar espaço físico e infraestrutura da Instituição

nia, do exercício do espírito crítico e do respeito à ordem

a

que se pretende atender a Educação Infantil.

democrática;

IV - Analisar Regimento Escolar e Proposta Pedagógica.

III

- princípios estéticos da sensibilidade, da criatividade,

V - Emitir parecer favorável ou desfavorável a que se

da

ludicidade e da diversidade de manifestações artísticas

conceda o ato autorizativo pelo CME.

e

culturais.

§2º - O Projeto Político Pedagógico e o Regimento Escolar das Instituições de Educação Infantil privadas, deverão

CAPÍTULO IX Das Disposições Gerais e Transitórias

Sábado, 22 de julho de 2014

Sábado, 22 de julho de 2014 5 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

5

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu Art. 37 - As

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

Art. 37 - As Instituições de Educação Infantil privada já em funcionamento sem autorização para funcionar, no ato da publicação desta Deliberação, deverão protocolar processo de autorização, para fins de regularização junto ao Sistema Municipal de Educação e terão o prazo de 180 (cento e oitenta) dias a contar da data desta publicação. Art. 38 - A formação do profissional para atuar nas Insti- tuições de Educação Infantil da rede privada, obedecerá a todas as disposições apresentadas nesta deliberação. Art. 39 - A suspensão e o encerramento, total ou parcial, das atividades das Instituições de Educação Infantil já autorizadas poderão ocorrer por decisão da entidade mantenedora ou por determinação do Poder Público, através do seu órgão competente. Parágrafo Único - No caso de decisão da entidade mantenedora, a suspensão ou o encerramento serão comunicados ao Poder Público, com antecedência de 60 sessenta dias da data prevista para a cessação das ativi- dades, garantindo-se a conclusão do ano letivo em curso. Art. 40 - Esta Deliberação entrará em vigor a partir da data de sua publicação revogada as disposições em contrário.

Nova Iguaçu, 17 de julho de 2014.

Maria Aparecida M. Rosestolato Presidente do Conselho Municipal de Educação

Anexo I

EXCELENTÍSSIMO (A) SECRETÁRIO (A) DA SECRE- TARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMED

, (Nome completo do Requerente, Representante Legal ou seu Procurador, sem abreviação) portador da cédula de identidade nº

, inscrito no CPF nº

e- na condição de

-mail

Representante Legal da pessoa jurídica denomina-

da

mantenedora, conforme o Contrato Social), inscrita no

CNPJ sob o nº

dora da Instituição de Ensino Privado de Educação

Infantil, com o nome fantasia

(nome conforme Contrato Social) Localizado(a) na (citar o endereço completo)

no bairro Requer, na forma da

de

Deliberação CME/nº02/2014, ( ) autorização ( )

para(no) funcionamento da

Educação Infantil, ( )Creche ( )Pré-Escola ( ) Creche e Pré-Escola, em horário ( )parcial ( ) integral ( )parcial e integral. Declaro aqui o conhecimento da legislação de educação vigente e a obrigação de cumpri-la sob penas da Lei. Nestes Termos, Solicita Deferimento

alteração,

,mantene-

da

emitida pelo

, telefone

(nome

CEP

Nova Iguaçu,

de

de

Representante Legal

, telefone (nome CEP Nova Iguaçu, de de Representante Legal SEMAD PORTARIA SEMAD Nº 542 DE
, telefone (nome CEP Nova Iguaçu, de de Representante Legal SEMAD PORTARIA SEMAD Nº 542 DE

SEMAD

PORTARIA SEMAD Nº 542 DE 15 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso das atribuições que lhe confere a legislação em vigor,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO aos funcionários abaixo relaciona- dos:

LICENÇA-PRÊMIO aos funcionários abaixo relaciona- dos: CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD N.º 545 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE - INICIAL

NOME

MATRÍCULA

SEC.

PERÍODO

CRISTIANE LINO

10/698987-5

SEMED

19

dias a p/

ALVES RODRIGUES

26/06/2014

ELENICE DE ASSIS GONÇALVES

10/676887-3

SEMED

14

dias a p/

08/07/2014

EVA DE SIMAS GUARANHO

10/697657-5

SEMED

08

dias a p/

05/07/2014

HELLEN MOREIRA

10/698877-8

SEMED

24

dias a p/

NUNES

09/07/2014

LUCIA HELENA

10/702376-5

SEMED

15

dias a p/

BRAGA RIBEIRO

07/07/2014

LUZINETE DE

10/707449-5

SEMUS

07

dias a p/

AZEVEDO PINHEIRO

03/07/2014

RAPHAEL

PRISCILA

13/712835-8

SEMED

07

dias a p/

FERNANDA VIEIRA

02/07/2014

ALVES

PRISCILA MARIA DE FREITAS E MIRANDA

10/706586-5

SEMED

30

dias a p/

01/07/2014

PRISCILA MARIA DE FREITAS E MIRANDA

10/696214-6

SEMED

30

dias a p/

01/07/2014

SIMEA LEANDRO

10/693392-3

SEMED

30

dias a p/

ALVES

30/06/2014

SIMEA LEANDRO

10/696398-7

SEMED

30

dias a p/

ALVES

30/06/2014

THAÍS DE MOURA BRUNET

10/702204-9

SEMED

30

dias a p/

08/07/2014

WALQUIRIA BARBOSA DA SILVA

13/712927-3

SEMED

12

dias a p/

03/07/2014

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD N.º 546 DE 09 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

6

6 Sábado, 22 de julho de 2014 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

Sábado, 22 de julho de 2014

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu LICENÇA MATERNIDADE NOME MATRÍCULA

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

LICENÇA MATERNIDADE

NOME

MATRÍCULA

SEC.

PERÍODO

DANIELLE

13/712961-2

SEMED

183

dias a p/

BASILIO DA

03/07/2014

COSTA DIAS

MARGARETE

10/696847-3

SEMED

183

dias a p/

SANTOS

07/06/2014

FERREIRA

SIMONE SILVA

10/695097-6

SEMED

183

dias a p/

ESPERANÇA

01/07/2014

VIVIANE

13/712015-7

SEMAS

183

dias a p/

CORDEIRO

08/07/2014

MARQUES

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Matrícula nº 60/692.115-9

PORTARIA SEMAD Nº 547 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO a funcionária ROSELY LYDIO DA SILVA CARMO, matrícula nº 10/708.842-0, pelo período de 02 (dois) meses, com início em 01/09/2014 e término em 31/10/2014, processo nº 2013/248073, quinquênio:

2008/2013. Restando 01 (um) mês para usufruir.

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 548 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO a funcionária FERNANDA FLITES DE ALMEIDA MESSIAS, matrícula nº 10/691.824-7, pelo período de 02 (dois) meses, com início em 25/11/2014 e término em 24/12/2014 (1º período) e início em 02/03/2015 e término em 01/04/2015 (2º período), processo nº 2013/354251, quinquênio: 1996/2001. Restando 01 (um) mês para usufruir.

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 549 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO a funcionária LAIDIA LUIZA NOGUEI- RA, matrícula nº 10/704.979-4, pelo período de 01 (um) mês, com início em 01/10/2014 e término em 31/10/2014, processo nº 2013/354813, quinquênio: 2008/2013. Res- tando 02 (dois) meses para usufruir.

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 550 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO, no

uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO a funcionária ZENAIDE COSTA DE SOUZA, matrícula nº 10/687.489-5, pelo período de 03 (três) meses, com início em 01/05/2015 e término em 30/06/2015 (1º período) e início em 01/07/2015 e término em 31/07/2015, processo nº 2013/355474, quinquênio:

2008/2013.

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD N.º 551 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO, no

uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE - PROR- ROGAÇÃO

NOME

MATRÍCULA

SEC.

PERÍODO

ABIGAIL DOS

10/682203-5

SEMED

120

dias a p/

SANTOS DE

04/07/2014

SOUZA

ALESSANDRA

13/708838-8

SEMED

30

dias a p/

SAMUEL TUASCO

03/07/2014

VILLELA

ANA CRISTINA

13/710210-6

SEMUS

60

dias a p/

MONTEIRO DA

01/07/2014

SILVA

ANARTERCIA

13/701742-9

SEMAS

30

dias a p/

GONÇALVES

04/07/2014

FERREIRA

CARLOS

13/709156-4

SEMTMU

30

dias a p/

ALBERTO ALVES

16/06/2014

SANTOS JUNIOR

DANIEL

10/682182-1

SEMUG

90

dias a p/

FERNANDES

14/07/2014

BOMFIM

ELIZABETH

10/696479-5

SEMED

30

dias a p/

ROCHA

05/07/2014

GONÇALVES

AMENDOLA

ELIZABETH

10/694593-5

SEMED

60

dias a p/

TEIXEIRA

01/07/2014

MENDES

EVANGELINA DE

10/706881-0

SEMED

30

dias a p/

OLIVEIRA LUZIA

09/07/2014

FRANCISCA

10/682874-3

SEMED

60

dias a p/

DE OLIVEIRA

07/07/2014

SAMPAIO

HELIANA ALZIRA

13/707728-2

SEMUS

90

dias a p/

RODRIGUES

14/07/2014

IZAURA M.

13/713004-0

SEMED

30

dias a p/

TAAM SANTOS

25/06/2014

MONTEIRO

LUIZ CARLOS

10/682747-1

SEMUG

44

dias a p/

VIEIRA BARBOSA

01/07/2014

MAÍRA ANGELETI

13/712909-1

SEMED

60

dias a p/

DA SILVA

02/07/2014

MARCIA MARIA

10/683181-2

SEMUS

90

dias a p/

RAMOS JANINI

02/07/2014

MARINA DE

13/707369-5

SEMUS

50

dias a p/

LOUREIRO

15/07/2014

MAIOR

SANDRA SOUZA

10/673105-3

SEMED

90

dias a p/

MARIANO

28/06/2014

SILVIA MARIA

13/708288-6

SEMED

60

dias a p/

DOS SANTOS

16/06/2014

CRESPO

SILVIA MARIA

10/690795-0

SEMED

60

dias a p/

DOS SANTOS

16/06/2014

CRESPO

SIONE CRISTINA

10/696367-2

SEMED

120

dias a p/

SOUZA

10/07/2014

FERNANDES

TAIS FERRAZ

13/708850-3

SEMED

90

dias a p/

DUARTE

09/07/2014

WILMA DEL

10/678046-4

SEMED

90

dias a p/

GUERSO DA

16/07/2014

SILVA

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 552 DE 16 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso de suas atribuições,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO a funcionária ANA CLEIA SOARES DOS SANTOS, matrícula nº 10/695.597-5, pelo período de 01 (um) mês, com início em 01/09/2014 e término em 30/09/2014, processo nº 2014/001870, quinquênio:

2007/2012. Restando 02 (dois) meses para usufruir.

CELSO BARROSO VALENTIM Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 553 DE 17 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso das atribuições que lhe confere a legislação em vigor, com base especialmente no art. 115 da Lei 2.378 de 22 de dezembro de 1992,

RESOLVE:

INSTAURAR PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCI-

PLINAR para averiguação de possível abandono de cargo público, no prazo de 90 (noventa) dias a contar da instalação, em face da servidora JOICE CABRAL

DOS SANTOS, matrícula nº 13/706.421-5, conforme consta no processo nº 2014/384498, designando

como competente para conduzir os trabalhos a

Comissão Permanente de Inquérito Administrativo.

CELSO BARROSO VALENTIM

Secretário Municipal de Administração Mat. nº 60/692115-9

PORTARIA SEMAD Nº 554 DE 17 DE JULHO DE 2014.

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO,

no uso das atribuições que lhe confere a legislação

em vigor,

CONCEDE:

LICENÇA-PRÊMIO aos funcionários abaixo relaciona-

dos;

Sábado, 22 de julho de 2014

Sábado, 22 de julho de 2014 7 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

7

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu SEMOSP PORTARIA Nº. 053/SEMOSP/2014

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

SEMOSP

PORTARIA Nº. 053/SEMOSP/2014

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DA CIDADE, no uso das

atribuições legais conferidas pelo Art. 104, da L.O.M.

RESOLVE:

Art. 1º - DESIGNAR, nos termos do Art. 9º e 51 cc. 52, do Decreto Municipal 8.360/09, os servidores abaixo relacionados para integrarem a COMISSÃO DO ACEI- TE PROVISÓRIO, presidido pelo primeiro servidor, do Contrato Nº 018/CPL/2013, Processo Nº 2013/005.885, referente à CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIA- LIZADA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS DE CONSTRU- ÇÃO DA ESCOLA PADRÃO NO BAIRRO RODILÂNDIA, no Município de Nova Iguaçu. PARTES: PREFEITURA DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU

e RS RADIER ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA.

ISABELE SILVA MEDEIROS BLUM Matr. 60/712.255-9

FÁBIO BRUNO DE OLIVEIRA Matr. 60/713.930-6

Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. Revogando-se as disposições em contrário.

Carla Maria Lopes Neves Secretária Municipal de Obras e Serviços Públicos

PORTARIA Nº. 054/SEMOSP/2014

A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE OBRAS E SERVIÇOS

PÚBLICOS, no uso das atribuições legais conferidas pelo Art. 104, da L.O.M.

RESOLVE:

Art. 1º - DESIGNAR, nos termos do Art. 9º e 51 cc. 52, do Decreto Municipal 8.360/09, os servidores abaixo relacionados para integrar a Comissão de Fiscalização

e Acompanhamento, do Contrato Nº 041/CPL/14, PRO-

CESSO Nº 2013/352996 referente à CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS DE TELEFO- NIA MÓVEL PESSOAL – SMP, PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELEFONIA MÓVEL LOCAL, LONGA DISTÂNCIA NACIONAL E INTERNACIONAL E COMU- NICAÇÕES DE DADOS BANDA LARGA. PARTES: PREFEITURA DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU

e CLARO S/A.

GUILHERME DA SILVA GUIMARÃES Matr. 60/712.279-9

ALESSANDRA DE OLIVIEIRA ABDEL Matr. 60/695.539-7

Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. Revogando-se as disposições em contrário.

Carla Maria Lopes Neves Secretária Municipal de Obras e Serviços Públicos

HOMOLOGAÇÃO

PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2013/251439 – TO- MADA DE PREÇOS – LICITAÇÃO 048/CPL/13

Em conformidade com o parecer da Procuradoria Geral do Município (PGM), parecer da Comissão Permanente de Licitação (CPL) e da Secretaria Municipal de Controle Geral (SEMCOGER) e tendo em vista a delegação de competência constante do Decreto nº 9.748, de 01 de Fe-

vereiro de 2013 e publicada no Diário Oficial do Município de 02 de Fevereiro de 2013 HOMOLOGO a licitação na modalidade CONCORRÊNCIA, com fulcro na Lei Fede- ral 8.666/93 em sua atual redação; Decreto Municipal nº 8.360/2009; que tem por objeto CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZDA PARA A EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO PREVEN- TIVA DAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO

E ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO DA CIDADE

DE NOVA IGUAÇU, com valor total de R$ 1.496.242,45

(Hum milhão, quatrocentos e noventa e seis mil, duzentos

e quarenta e dois reais e quarenta e cinco centavos), ad- judicando o objeto em favor de EMPRESA FLUMINENSE DE SERVIÇOS LTDA.

Em, 21 de Julho de 2014.

Carla Maria Lopes Neves Secretária Municipal de Obras e Serviços Públicos

SEMTMU

PORTARIA N.º 154 / SEMTMU / 2014 “Altera Circulação de Veículos de Carga”

“DISPÕE SOBRE HORÁRIO DE CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA E OPERAÇÃO DE CARGA E DESCARGA NA AV. ABÍLIO AUGUSTO TÁVORA”

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTE, TRÂN- SITO E MOBILIDADE URBANA DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU, no uso de suas atribuições legais, e;

CONSIDERANDO o monitoramento que está sendo rea- lizado em decorrência do cumprimento do Decreto Muni-

cipal nº 9992 de 22 de Agosto de 2013 e o beneficio para

a fluidez do tráfego na região circunscrita pelo mesmo;.

CONSIDERANDO que a Av. Abilio Augusto Távora, apesar de não constar no referido Decreto, mas em toda sua extensão apresenta diversos empreendimentos que desenvolvem atividades relacionadas ao tráfego e opera- ção de carga e descarga, muitas das vezes na própria via; CONSIDERANDO que o tráfego e a operação são rea- lizadas, em sua grande maioria, por veículos de grande

porte os quais dificultam a fluidez no trânsito e até mesmo

o seu bloqueio parcial;

CONSIDERANDO ainda, que o ideal é que estas opera-

ções de carga e descarga sejam realizadas por veículos de pequeno e médio porte e que esta mudança melhorará

a fluidez na referida via; RESOLVE:

Art. 1º - Proibir a circulação de veículos de carga e a ope- ração de carga e descarga na Av. Abilio Augusto Távora, em toda sua extensão, de segunda a domingo para veí- culos com Peso Bruto Total acima de 11 (onze) toneladas; Art. 2º - As exceções a esta Portaria são aquelas cons- tantes do Art.2º do Decreto Nº 9992 de 22 de Agosto de 2013 a saber:

I – Aos veículos de socorro e emergência previstos no Art. 29, inciso VII do Código de Trânsito Brasileiro;

II – Aos veículos de transporte de valores;

III – Aos veículos destinados ao transporte de mudança

residencial;

IV – Aos serviços essenciais de utilidade pública, em

caráter excepcional, desde que autorizados previamente por esta Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana – SENTMU, por ato próprio; Art. 3º - Aos infratores dos dispositivos desta Portaria serão aplicadas as penalidades previstas no Art. 187,

inciso I, e Art. 181 incisos XVII, XVIII e XIX do Código

de Trânsito Brasileiro.

Art. 4º - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Afixe-se e cumpra-se,

Nova Iguaçu, 21 de julho de 2014.

RUBENS RODRIGUES BORBOREMA Secretário Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana

PREVINI

PORTARIA N.º 132/14, DE 21 DE JULHO DE 2014.

O Diretora Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Nova Iguaçu – PREVINI, usando das atribuições que lhe confere a legislação em vigor, RESOLVE:

PRORROGAR por mais 90 (noventa) dias a contar de 21

de julho de 2014, para aleitamento materno, por solicita-

ção médica, a Licença MATERNIDADE concedida a ser- vidora Aline Alvaro Araujo, matrícula n.º 10/100.026-9, através da Portaria nº 018/14, de 29/01/14, publicada no jornal ZM notícias – Atos Oficias de 30/01/14, conforme prevê o §1º do Art. 1º da Lei nº 4.058, de 31/08/2010.

Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Nova Iguaçu, 21 de julho de 2014.

Danielle Villas Bôas Agero Corrêa Diretora Presidente

HOMOLOGAÇÃO

PROCESSO Nº 2014/07/398 – DISPENSA DE LICI- TAÇÃO

Em conformidade com o parecer da Procuradoria do PREVINI e das análises da Comissão Permanente de

Licitação (CPL – PREVINI), Procuradoria e do Setor de Controle Interno – PREVINI, autorizo e homologo

a despesa, que tem por objetivo, a compra de passa-

gens aéreas para utilização de servidores do Instituto, no valor global estimado em R$ 294,80 (duzentos e noventa e quatro reais e oitenta centavos), em nome

da empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A., CNPJ

09.296.295/0001-60.

Em 21 de julho de 2014.

Danielle Villas Bôas Agero Corrêa Diretora Presidente

8

8 Sábado, 22 de julho de 2014 Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de

Sábado, 22 de julho de 2014

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu