PERFIL PROFISSIONAL

Dan Porto

2

© Dan Porto, 2014
Capa: Arte sobre “Um Antônio”, desenho do autor.
Porto, Dan. Perfil Profissional / Dan Porto. Porto Alegre, 2014.
Produção independente.
Todos os direitos reservados ao autor.
É proibida a reprodução parcial ou total deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do
autor.

Perfil Profissional está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercialSemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://danporto.blogspot.com.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em
http://danporto.blogspot.com.

3

PRÓLOGO

muitos profissionais no mercado. As faculdades formam milhares todos os anos. Para

onde vão estes profissionais? Que diferença cada um faz na sua área de formação? Que novidades
apresentam? Essas perguntas enchem a mente de inúmeros formandos, assim como me preocupou e
ainda preocupa. Não há um planejamento, do mercado ou dos profissionais, tudo acontece à sorte, ao
sabor do vento que sopra.
Por isso a tentativa de oferecer algumas possibilidades, como o plano de formação consciente,
por exemplo, para jogar luz nessas mentes pensantes. O profissional que sai da faculdade, em geral, não
sai “pronto”, a experiência faz muita diferença, assim como uma especialização em alguns casos, para
“abrir a cabeça”, mostrar novas coisas, novos meios, dividir anseios e métodos. Nesse caminho é
preciso ter cuidado com as fórmulas, a maneira como eu cheguei até aqui pode não ser a mais correta
para você (e há grandes chances de que não seja). Para tudo há uma forma de fazer, não uma fórmula,
pois a fórmula enquadra, padroniza, e, na vida, a única coisa certa mesmo é a mudança.
Perfil Profissional é um livro com perguntas que ocupam as mentes de adolescentes e
universitários (e muitas vezes profissionais experientes em busca de recolocação). Os capítulos se
costuram pela reflexão que o leitor vai fazendo enquanto os lê, e daí vão surgindo as respostas para as
perguntas. É o leitor que gera uma resposta pessoal para cada pergunta.

4

1
PERFIL PROFISSIONAL

Percebo

em minha caminhada iniciada precocemente no mercado de trabalho, como

também no contato com amigos e pessoas próximas, a dificuldade em se responder a uma pergunta
simples, ‘qual é o seu perfil profissional?’.
Não sei se por medo de parecer sem modéstia, sendo honesto e descrevendo suas qualidades
profissionais, ou ao contrário, por medo de pecar deixando em segredo as verdadeiras potencialidades,
quando nos deparamos com essa pergunta – em geral ao enviar o currículo via internet – simplesmente
nos vemos incapazes de assumir quem somos. Sim, porque o perfil profissional é quem você é, e a
resposta para a pergunta, portanto, é quem você é enquanto profissional. E talvez não saibamos mesmo
definir nosso perfil profissional, não tenhamos consciência de nossa capacidade enquanto criadores.
Quando se consegue autoavaliar de forma imparcial os pontos positivos e negativos de nossa
formação (feedback) e suprir de algum modo as deficiências, alcançamos um estágio onde seremos
capazes de filtrar de forma mais eficiente as vagas para as quais poderemos nos candidatar, com
possibilidade de êxito, e os projetos nos quais poderemos nos envolver. Isto é, creio que seremos
capazes de nos conhecer melhor, definir nossa capacidade atual e projetar objetivos para maximizá-la.
Perfil tem a ver com essência. De fato, quando encerramos o indivíduo em um conceito há uma
limitação, porque depois será difícil para nosso entendimento qualquer atitude que denote discrepância
desse perfil. Porém, a essência é por si só a definição de cada indivíduo, e não há como ser vários sem
ser um. Ou seja, o dinamismo do profissional – a flexibilidade com que se adapta a novos sistemas,
tecnologias e esquemas de trabalho – está relacionado com sua identidade, é sua capacidade de se (re)
fazer. E para se fazer outro é preciso que haja um modelo influente, isto é, a essência do humano é a
influência para a (re) criação, seja do perfil, seja do produto.

5

O modelo influente é a união de todas as verdades individuais, é o passado de cada um
presente na personalidade. É a soma das convicções, das experiências, das vitórias e dos fracassos, dos
conhecimentos teóricos e práticos, das relações inter e intrapessoais. É o ‘nada se cria, tudo se
transforma’, quer dizer: mesmo o algo que desperta a potencialidade para criar ou se (re) fazer é uma
coisa que já existe. O modelo influente é, portanto, a essência. É o modelo influente que torna rica a
criação e/ou o trabalho de cada um, porque deixa impressa ali a história de vida do indivíduo.

Este livro trata de identidade, e é chegado o momento de encontrar ou definir o perfil
profissional com o qual você sairá pela porta e será vencedor. E isso será possível na medida em
que você reconhecer sua identidade, sua relevância, sua diferença. Aqui não encontrará respostas,
encontrará perguntas para as quais terá que encontrar respostas. A vida nem sempre dá as
respostas, mas dá perguntas para as quais você encontra respostas. Todo aprendizado é fruto de uma
pergunta respondida. Até mesmo as revelações que recebemos são frutos das respostas que damos às
situações que se apresentam.
Em vários trabalhos que realizei encontrei profissionais brilhantes, talentosos, com um currículo
excepcional, dominando mais de um idioma, com experiência internacional, para os quais eu olhava e
pensava ‘esse vai longe, pode conseguir o que quiser com esse perfil, gostaria de poder tê-lo (a)
trabalhando comigo no futuro’; e tempos depois, recebia a notícia que o mesmo encontrava dificuldade
para se estabelecer no mercado de trabalho. Não havia descoberto seu perfil profissional, tinha somente
uma profissão (era isso ou aquilo), mas não sabia quem era como pessoa, e por isso, não acreditando
em si mesmo, não transmitia confiança, pois quem vai acreditar em alguém que não acredita em si
mesmo?
Vi ainda colegas de faculdade que possuíam um grande talento e não sabiam disso. Quando
possível, tentava me aproximar e dizia ‘acho que você deveria investir nisso ou naquilo, pelo seu perfil
me parece que dará muito certo’. Evidente que muitas vezes a pessoa não está interessada naquele
campo de atuação, mas hoje passo por essas pessoas e de certa forma, fico triste de ver o talento
desperdiçado. Acredito que esforço é fundamental, mas talento é imprescindível.
6

Esse livro foi escrito quando descobri que não bastava ter uma profissão, precisava também ser
um profissional. Embora não seja adepto de criar expectativas, espero poder contribuir para o seu
encontro consigo mesmo, naquilo que lhe faz singular, espero contribuir para a definição do
profissional que você queira ser. É apaixonante ver alguém trabalhando naquilo que ama, empregando
seus talentos, sendo ali, a cada momento, uma pessoa melhor, mais realizada e mais feliz. E isso nada
tem a ver com imagem, mas sim com essência.

7

2
(PERFIL) PROFISSIONAL
E
(ATUAÇÃO) PROFISSIONAL

Vejamos

nesse capítulo a diferença entre (perfil) profissional e (atuação) profissional. As

duas coisas precisam estar atreladas, mas são diferentes. A atuação profissional está relacionada com
o campo de trabalho, a área de atuação, é o onde e com o que você trabalha, o espaço onde exerce
sua profissão (no escritório, na escola, etc.). O perfil profissional está relacionado com a pessoa que
você é e o como você trabalha (suas atitudes, crenças, perfil comportamental). O perfil profissional
está inteiramente ligado ao ser humano que você é, à sua personalidade.
Não é coerente que haja distorção entre o profissional que você é e quem você é como ser
humano. Só há verdade quando há verdade, ou seja, vale muito mais investir em um profissional de
cara limpa do que em um ator, a não ser, é claro, que esteja produzindo teatro! O profissional de
verdade é o que acredita no que fala e não apenas diz o que o outro quer ouvir. Você pode ser o

que quiser profissionalmente, mas o perfil profissional precisa ser um só. Suas
atitudes são o seu perfil, portanto, suas posições precisam ser coerentes em qualquer função que
desempenhe.
O trabalho reflete sua vida pessoal. Um profissional verdadeiro é organizado no trabalho na
medida em que é organizado em sua vida pessoal, isto é, cuide primeiro de você a fim de estar em
condições de cuidar de outros. Organize-se, começando pela sua casa, seu armário, suas roupas, sua
mesa.

8

É importante saber que encontrar seu perfil profissional é algo favorecido por sua maturidade.
Com o passar do tempo você vai se descobrindo e, através das experiências que vive, desenvolvendo
seu perfil, e o aplica de acordo com seus anseios e desejos.
Não é necessário ter tudo o que se deseja para só então se permitir a ser quem você quer ser.
Você pode ser o que você é agora, é isso que vai lhe garantir firmeza e confiança na definição de seu
perfil profissional (quem você é).

O Currículo

Muitas

vezes o currículo de um candidato é o retrato de suas ideias ou o processo de

formação que percorre, assim como pode indicar suas convicções e suas preferências. Lembro de uma
entrevista na qual, de posse do meu currículo, a entrevistadora me olhou e disse ‘você sabe que aqui
não encontrará a efervescência que vejo em seu currículo, não é?’. E ela tinha razão, era evidente que a
vaga não oferecia a possibilidade de desenvolver alguma coisa nova. Isso é o que poderíamos dizer de
uma vaga que exigia qualificações comportamentais diferentes das que eu apresentava. E de fato a
efervescência a que ela se referia sempre foi uma constante em minha vida. Sempre busquei atuar em
um campo muito amplo, por fruto de minha curiosidade, eu acho, e cada vez que queria resposta para
alguma pergunta ia pesquisar ou me envolvia em trabalhos voluntários que me possibilitassem aprender
uma nova função, ou então testar ideias que me caíam às mãos nas madrugadas insones. Portanto, se eu
não me adequava à vaga, não seria a vaga que iria se adequar a mim. Fui embora feliz e lisonjeado com
o elogio que a entrevistadora fizera a mim dizendo que meu currículo era uma efervescência.
Então, o currículo ideal se poderia dizer daquele conciso, objetivo, direcionado à vaga que você
deseja conquistar, mas, verdadeiro, sem esconder quem você é. Nem pense em mentir no currículo,
assim como na entrevista. Verdade acima de tudo! Se lhe parecer que as atribuições de uma vaga
estão em desacordo com você ou com o que você acredita, não hesite, desista e siga seu caminho sem
arrependimento.
9

Um determinante na formação de qualquer profissional, independente da área de atuação, é
investir na elaboração de um plano de formação consciente. Isso pode incluir o envolvimento em
projetos de cunho pessoal, que levem à realização de alguns objetivos, como correr uma maratona,
pintar quadros, escrever ou plantar uma horta. Mas como será elaborar um plano de formação
consciente?

O Plano de Formação Consciente

Um plano de formação consciente consiste em planejar minuciosamente o caminho
que você vai percorrer para alcançar seus objetivos profissionais. Por exemplo, eu acredito que é
praticamente impossível um indivíduo se envolver em um curso de mestrado na atualidade, mesmo no
Brasil, sem dominar um segundo idioma, geralmente o inglês. É certo que isso ocorre, mas me parece
insustentável do ponto de vista da complexidade que um curso de mestrado deveria ter. Portanto, todo
estudante de graduação que almeja esse tipo de carreira, precisa se programar desde o primeiro
semestre para fazer um curso de idiomas, pois do contrário será muito difícil “sobreviver” em um
mestrado, onde grande parte da literatura recomendada é em língua estrangeira.
Outro exemplo é que algumas vezes injetamos tempo e recurso financeiro em cursos,
encontros, palestras e coisas do gênero, com a intenção de potencializar o currículo e, no entanto,
acabam sendo atividades que não servem para muita coisa. Nessa questão muitos dos professores
podem contribuir para que o estudante se mantenha no caminho, ou seja, como os professores, em
geral, já conhecem os profissionais expoentes em cada área, são capacitados para orientar onde
podemos investir com eficiência e eficácia.
Nesse plano é preciso prever tempo e recurso financeiro para investir em atualização. O
profissional do futuro é o que estuda sempre. As interações pessoais e a troca de conhecimento teóricoprático são muito úteis para todo profissional, se configurando uma possibilidade de constante
10

atualização de sua ação profissional. Isso quer dizer que o profissional que destina tempo para
continuar estudando, será cada vez mais valorizado no mercado de trabalho. Portanto, se você está
saindo do trabalho e indo para casa ou para o happy hour, se reorganize e dedique algum tempo para
voltar aos bancos escolares, sempre há o que aprender, esteja certo que poderá aplicar os
conhecimentos adquiridos em seu trabalho, isso sem falar no ganho pessoal. Conhecimento é

poder!
Aqueles que não desejam retomar o estudo formal podem se envolver com cursos online. Há
muitas opções, inclusive gratuitas, de cursos que podem agregar conhecimento à sua carreira, valor ao
seu currículo e contatos à sua rede.
Ler um bom livro ou fazer uma pesquisa também ajuda. E muitas vezes o plano de formação
consciente pode, e deve, mudar durante o caminho. É preciso revê-lo sempre, repensar, e se nesse
exercício você se deparar com objetivos que não reconhece mais, ou que julga não serem
verdadeiramente seus, não hesite em alterá-los. Você é o ator e o diretor de sua vida, você manda.
Refaça seu plano e siga em frente.

O Profissional Ideal

Em geral, quando falamos de profissional ideal, é comum o pensamento no sujeito reto, sem
emoções, apenas cumpridor de tarefas e reprodutor de processos com eficiência. Mas fica faltando a
eficácia, pelo meu ponto de vista, algo fundamental para o profissional ideal. Como diz o Paulo Krieser
“eficiência é cavar, com perfeição técnica, um poço artesiano; eficácia é encontrar a água”.
O profissional ideal, na minha concepção, além da formação básica, é o indivíduo

realizado emocionalmente ou em vias de. Porque você ou eu podemos ter sonhado em cursar
Harvard e ser um executivo de sucesso no ramo da tecnologia, mas com isso realizado ou com

11

probabilidade de se realizar, é preciso haver outra coisa que nos motive a continuar, que nos dê prazer.
O ser humano precisa de desafios. Somos movidos pela paixão.
Outro exemplo é se você se forma na faculdade, escolhe um campo de trabalho para sobreviver
(o que hoje é muito comum) e investe tempo na realização de um sonho de infância, como pintar
quadros. Esse profissional pode ser tão bom quanto um outro mais qualificado porque
emocionalmente está mais preparado, ele se conhece mais a fundo, se experimentou mais.
Mas, acima de tudo, o profissional ideal é aquele que a qualquer momento, está

pronto a mudar tudo. Não se sobrevive mais engessado em um pensamento ou processo, o
profissional ideal é o sujeito flexível do ponto de vista do método de trabalho e das relações
interpessoais.

12

3
O DIFERENTE

A diferença em um mundo de corpos iguais é algo muito caro e arriscado. Há uma linha tênue,
muito fina mesmo, que separa diferença de excentricidade. E o mundo do trabalho, assim como o
consumidor, quer diferença, ou seja, criatividade e competência em um humano normal (com o
corpo igual). A diferença em ser diferente está na harmonia em emocionar sem agredir.
Você será diferente quando fizer algo que os outros não fazem, ou seja, quando você causar
emoção positiva no seu superior ou no cliente, quando você for além do que esperaram de você, quer
dizer: foi criativo e competente, aliou o cumprimento da tarefa com a eficiência poética possível.
Agora, sua tentativa de ser diferente poderia agredir caso fosse tão diferente a ponto de ser excêntrico,
se não fosse competente, ou se fosse criativo demais, poeticamente ineficiente.

Eficiência poética é ser capaz de identificar na tarefa o quanto de beleza ela precisa para
ser cumprida. Um relatório deve ser simples, por exemplo, conciso e objetivo. A apresentação de uma
campanha publicitária para o cliente não deixa de ser também um relatório das atividades da equipe de
produção, no entanto, necessita de muito mais poesia para ser emocionante. Portanto, eficiência
poética é encontrar o tom para cumprir a tarefa com o exato teor de beleza que ela necessita.
Ser diferente ainda compreende muito estudo, pois para oferecer um serviço ou produto
diferente você precisa conhecer os outros, ou seja, conhecer o mercado, a concorrência, e a partir disso,
desenvolver seu produto/serviço com valor agregado: preço, atendimento, fácil acesso, etc.
E como romper com a barreira para aceitação do novo/diferente?
Não lute. Junte-se aos outros. Fica muito mais fácil ir implantando suas ideias aos poucos, de
dentro do grupo, do que lutar radicalmente de fora, lutar contra.
“Mais difícil que aceitar o novo é abandonar o velho”.

13

Não vá de encontro à oposição, seja diplomático, faça alianças, contorne, recue se for preciso.

Só não desista! Nunca!

14

4
O EMPREENDEDOR

Empreender, do latim imprehendere. Tentar, experimentar, decidir-se a fazer alguma coisa,
resolver, pôr em execução.
Empreendedor é aquele que tenta, se experimenta, é capaz de sonhar, empenhar esforços e
realizar o que sonhou. Imagine o executivo de uma empresa multinacional e com a possibilidade de
promoção, ele tem o emprego dos sonhos de muitos colegas seus, mas ele não está feliz, falta alguma
coisa em sua vida, os desafios da empresa não são suficientes para seu espírito de aventura. Ele decide
então pedir demissão e partir para o próprio negócio, implantando mudanças significativas em sua vida,
e até radicais para alguns. Veja o risco presente nessa decisão. Se ele tivesse resolvido dar esse passo
apenas pela insatisfação com o cargo que ocupava, esse risco seria talvez em dobro. Mas não, ele se
movimentou para executar o passo depois de preparar bem o corpo, encontrar o ponto de equilíbrio,
avaliar o alcance de seu passo, ser criativo e descobrir que com um pequeno impulso poderia aumentar
esse alcance, e então, sem medo, se moveu e andou em frente – e mesmo assim o risco ainda estava ali.

O empreendedor sonha e realiza o sonho. Há muitos de nós capazes de sonhar e
imaginar negócios e possibilidades incríveis, mas quantos são capazes de realizar o que sonharam? Só
os empreendedores. O empreendedor é um indivíduo bem preparado, criativo – que pode ser uma
característica despertada pela necessidade –, consciente de seu potencial e corajoso o suficiente – que
acredita naquilo que faz – para assumir os riscos reais de empreender e chegar a criar alguma coisa que
lhe dê orgulho. O fruto do empreendimento vai além de retorno financeiro, é a obra de arte do
empreendedor, é o troféu do herói destemido que venceu.

15

16

5
PLANEJAMENTO

O planejamento é algo essencial em qualquer área e em qualquer projeto, inclusive o de vida.
Mas, para se elaborar um planejamento é preciso ter um objetivo a alcançar.
Qual o seu objetivo? Pode ser mais de um. Divida-o (s) em curto, médio e longo prazo.
De quais recursos dispõe? Sejam financeiros, intelectuais, etc., identifique-os. Muitas vezes é

preciso usar os recursos disponíveis para conseguir outros.
Quem pode lhe ajudar? Os contatos. Selecione pessoas, instituições, pessoas que conhecem
pessoas e vá à luta. Mas tão importante quanto selecionar as pessoas é saber como acessá-las. Muitas
vezes temos um contato útil, mas, por múltiplos fatores ou motivos, gastamos esse contato sem êxito,
e, evidentemente, não poderemos tornar a usá-lo. Então, antes de enviar um e-mail, marcar uma reunião
ou dar um telefonema, investigue como pode acessar esse contato (pessoa ou instituição) de forma
correta.
A forma correta: como a pessoa prefere ser tratada ou como deseja que os outros se aproximem
dela; quem na instituição de seu interesse pode lhe ajudar?
Em resumo, todo contato é uma pessoa. E tratar com pessoas requer muito tato.
Um conselho: faça o planejamento no papel, escreva seus objetivos, estratégias, ações e, muito
importante, estabeleça prazos. Isso é fundamental para que seu sonho se torne realidade. Quando
você começa a agir? Quando você pretende ter atingido sua meta?
Com seu planejamento pronto, arregace as mangas e mãos à obra!
Sucesso e, mantenha o foco.

17

6
A SÉTIMA BALA

A sétima bala é estar pronto (preparado) para a qualquer momento poder se (re) encontrar em
si mesmo, se (re) descobrir. Quem tem a sétima bala é o profissional que já descobriu sua identidade
(quem é) e aí sim, está pronto para arriscar tudo a qualquer momento para ser o que quiser. Esteja

pronto para mudar.
A sétima bala é a “carta na manga”, aquilo que ninguém sabe que você é capaz, é o elemento
surpresa. O profissional que possui a sétima bala, tem sempre algo pronto para surpreender, uma ideia,
um processo, uma solução a mais com um toque de genialidade que os demais não apresentaram. Mas
isso só consegue quem faz o que ama.

Dedique-se a desempenhar funções que você ame.
Deguste devagar o seu trabalho, sentindo bem o gosto. Estude às últimas a sua função ou área
de atuação, buscando sempre se atualizar e melhorar. Veja um exemplo nesse case:
Olimpíadas de Pequim 2008. Algum tempo antes a Speedo lança no mercado um maiô que
promete diminuir o atrito da água com o corpo do atleta, o que diminuiria os tempos em
segundos. Para competir de igual para igual, no momento que um atleta nadasse com esse
maiô os demais precisavam fazê-lo também.
Você só compete se estiver em condições, caso contrário, recue e recomece.
Com a televisão e as revistas, há muitas meninas sonhando em ser modelo-atriz. E em minha
opinião, elas não “emplacam” como grandes artistas, do quilate de Laura Cardoso, Fernanda
Montenegro, Bibi Ferreira, Paulo Autran, Tarcísio Meira e outros poucos, porque cansam da rotina de
artista, não estão dispostas a administrar uma carreira que possa ser consistente. A diferença está em
que o artista ama o palco enquanto a modelo-atriz ama as câmeras. E um artista não vive de câmeras
18

apenas, vive e ama viver de palco e público. A carreira do artista se faz de estudo, dedicação e paixão,
que se pode ver no palco, mas acontece mesmo é quando os holofotes se apagam, a cortina se fecha e
as máscaras caem.
Talvez você seja talentoso e saiba disso. Mas de nada adianta talento sem vontade. É preciso
somar ao talento, o sangue no olho, a vontade de fazer mais e mais, e melhor.

Não empenhe energia, tempo e recurso financeiro investindo em atividades nas
quais você não se sente bem.
O que mais vale para um profissional em início de carreira é energia, tempo e dinheiro. Precisa
sempre de uma reserva de energia para emergência ou para empreender. Quanto mais tempo dispor
tanto melhor, pois além de lhe possibilitar, às vezes, conciliar mais de um trabalho, pode proporcionar
momentos de profunda reflexão e planejamento, sem falar que quanto antes a carreira deslanchar
melhor! E o dinheiro, muitas vezes escasso, precisa ser investido com o máximo de planejamento.
Então só lance mão de energia, tempo e dinheiro frente a propostas de trabalho ou para
conquistar objetivos que você realmente está a fim de se envolver. Muitas vezes, até pela ânsia de
obter um trabalho remunerado, lancei mão de minhas muitas ideias e empreguei muita energia, tempo e
algum dinheiro (por vezes o único que restava) em trabalhos e/ou projetos que, no fundo, nada tinham
a ver comigo ou que eu não desejava mesmo fazer. Isso, em geral, gera fracasso; o serviço prestado
perde qualidade; a gestão não é eficiente; o atendimento não corresponde à expectativa dos clientes,
enfim, fiz isso e fracassei muitas vezes.
Hoje acredito que para me lançar em uma ideia, projeto ou trabalho novo preciso sentir que
acredito naquilo, precisa ter se tornado uma causa pela qual, decididamente, estou disposto a lutar por
muito tempo. Não me envolvo mais em atividades que não me tocam, não aceito trabalhos que de fato
não me realiza fazê-los. É certo que algumas vezes precisei assumir coisas que não estava de todo
interessado, mas só as mantive pelo tempo que podia manter, ou seja, enquanto não se tornaram
causadoras de stress ou sofrimento psíquico.
19

A deixa para parar de fazer alguma coisa é quando antes de dormir, à noite, já estamos
pensando o quanto será desagradável acordar na manhã seguinte e ter de enfrentar aquela função que nos
aborrece.
Conheço muitas pessoas de estômago forte que, diante de uma necessidade, vão lá e fazem o
que tem de fazer. Mas o trabalho desempenhado por esses não se aproxima em qualidade quando
comparado com o desempenhado pelos que são apaixonados por seu trabalho e por sua função. Então,
resumindo, mesmo que a dificuldade ou a necessidade se apresentem, não desperdice tempo, energia e
o dinheiro que lhe resta indo atrás de vagas para as quais você não tem o perfil exigido, se envolvendo
nas mais diversas atividades e não desempenhando bem nenhuma.
Trace um plano de ação para atingir os objetivos que fazem você se emocionar, para realizar
seus sonhos verdadeiros, para alcançar as metas que você precisa para se sentir vitorioso e vá, passo a
passo, pois, lembre-se: mais importante que a chegada é o caminho. A chegada só é a chegada, nesse
ponto o sonho acabou!

20

7

O QUE VOCÊ É?

O que você é diz respeito à sua área de formação (sua profissão), seu campo de trabalho, com
o que você trabalha. Note que o que você é por si só já é reducionista, enquadra você na profissão ou
na área de atuação. Mas é assim mesmo. Você é algo: agricultor, professor, empregada doméstica,
estudante, escritor, decoradora. Isso tudo se compra: diploma, títulos, conceitos, escritório. O que você
é, na verdade, é a realidade que os olhos enxergam. Tudo o mais é o quem você é, e isso não se
descobre com os olhos. Não há possibilidade de olhar para um indivíduo e saber se ele é justo, se gosta
de cozinhar, se tem animais de estimação, se é egoísta, ou mal-humorado.
Por isso, é mais fácil de analisar o que você é, um currículo diz isso fácil. Já as entrevistas,
existem para que se tente descobrir o algo mais, quem você é como profissional.
O currículo é importante nesse aspecto, sempre objetivo, conciso, prático, sem enfeites e
informações irrelevantes. A sua formação importa aqui, seu caminho profissional, potencialidades,
pontos fortes e fracos, seus objetivos profissionais. Não esconda isso.
O mais, a entrevista talvez revele: suas atitudes, crenças, preferências, etc. E com isso o
entrevistador avaliará se você se encaixa ou não na vaga.

Muitas pessoas, e eu por um tempo experimentei isso, ficam atreladas e reduzidas à profissão.
“Sou professor de Educação Física, então só posso atuar nessa área”, pensava, pelo pensamento que
me venderam. E onde ficava meu sonho de ser escritor? E o prazer de falar com as pessoas? Não
conseguia assimilar essa condição de ‘cada um na sua’. E foi só quando descobri meu perfil profissional
(quem eu sou) que fui forte e capaz para assumir meu sonho e lançar mão de um planejamento para
realizá-lo.

21

Contudo, é preciso tomar cuidado para não entender isso de forma equivocada. Nós vivemos
em um mundo em constante processo de mudança, e não serve mais um profissional bitolado, que só
sabe de sua profissão. Mas isso não quer dizer que todos devam saber e/ou fazer tudo.
Um profissional de muitas facetas (multiprofissional) é, acima de tudo, um indivíduo
extremamente estudioso, em constante atualização, dotado de uma capacidade ímpar, que é um amplo
conhecimento geral aplicado a alguns temas de seu interesse. No meu caso, por exemplo, sempre que
me lanço em um projeto novo, livro ou palestra, justamente por ser um profissional com esse perfil e
ainda um professor de Educação Física, que a maioria toma como pessoa com pouca inteligência, não
posso correr o risco de apresentar algo que deixe espaço para críticas influenciadas por pré-conceitos,
como a velha frase “quem sabe muito de muitas coisas, na verdade, não sabe de nada”. Por isso minha
preparação é intensa, procuro empreender sempre e fazer algo que acredito.

22

8

QUEM VOCÊ É?

O

quem você é não se compra e o que define o profissional que você é acaba sendo

justamente isso.
Então, você precisa se descobrir. Quem você é? Qual o seu perfil profissional?
Responda essas perguntas antes de continuar a leitura.

Os princípios que norteiam sua vida, como amor, paz, etc., precisam direcionar sua caminhada
profissional. Não tem sentido e não vai dar muito certo acreditar em um caminho e seguir por outro.
Cedo ou tarde algo dá errado, as pessoas descobrem sua incoerência, seu corpo adoece ou sua
consciência lhe condena. Vale bem mais assumir-se enquanto ser singular e individual do que investir
na farsa de ser igual aos outros.
Tudo isso determina, hora ou outra, sua “pegada” no trabalho. Suas atitudes são sua identidade
profissional, seu

perfil profissional. E isso independe de onde ou com o que você trabalha. Se

você é sério e justo, o será como catador de lixo, gerente, professor ou farmacêutico. Se você se diz
com preguiça porque está fazendo algo de que não gosta ou não acredita, imediatamente terei certeza
de que estou falando com um preguiçoso de marca maior. Que culpa tem seus clientes se você não é
bem remunerado ou está com problemas em casa? Nenhuma. Você só tem um perfil, em
qualquer profissão que desempenhe.

Quando você descobrir QUEM você é, O QUE você é deixa de importar. Porque
então, você vai poder ser O QUE quiser sendo QUEM você é.
Pessoas brilhantes deixam de fazer sucesso todos os dias por não saberem quem são.

23

DESCUBRA QUEM VOCE É E AÍ VOCÊ VENCEU.

Isso é algo que você precisa fazer sozinho, olhando sem pudor ou medo para dentro de si.

Não se julgue, se conheça. E se experimente. E se (re) conheça quantas vezes for preciso.

24

9
CRIE SUAS OPORTUNIDADES

Depois de descobrir quem você é e o que você é (qual a sua profissão) e assumir isso, depois
de traçar um bom planejamento e elaborar o seu plano de formação consciente é hora de agir.
Pare de esperar!
Pense grande!
Passe a ser titular, protagonista, faça o seu próprio jogo. Empreenda, seja com um negócio
próprio ou na forma como vai alcançar seus objetivos, mas não apenas reproduza fórmulas.
Não espere promoções. Crie condições que o leve a “autopromoção”. Demandas são criadas o
tempo todo. Estude, analise, crie, venda sua ideia, seu projeto, seu serviço!

Criar oportunidades envolve dois aspectos.

1. Esteja preparado
De que adianta todo o esforço e sacrifício, se não hora que sua oportunidade aparece você não
está preparado para agarrá-la?
Estude, crie sua sétima bala, conheça o mercado, estabeleça contatos sólidos, tenha um
planejamento, saiba o que quer e onde pretende ir.

2. Pense livremente
A mente humana não conhece obstáculos, são nossa cultura e nossas experiências que nos
limitam. Permita-se viver de “cabeça aberta”. Abra-se para a energia universal que flui. Sinta-se. Sinta a
vida e as pessoas. Olhe bem. Ouça bem. Seja sério e idiota. Para tudo há um tempo, então se deixe
também viver.

25

Você sabe tudo: onde quer chegar, como vai fazer isso e quem você é. Então se deixe ser você
mesmo!

QUEM SEGUE UM CAMINHO, UM DIA CHEGA.

26

O AUTOR

Dan Porto é gaúcho. Conheceu o mercado de trabalho aos dezessete anos e, desde então, nunca
parou. Formou-se em Educação Física e atuou nessa área por nove anos. Nesse caminho descobriu
quem era e então decidiu ser tudo o que queria. Traçou um planejamento e foi cumpri-lo.
Atualmente dedica-se integralmente à literatura, na tentativa de realizar o sonho de infância, ser
escritor. Além disso é professor e ministra palestras e workshops. Também atua como assistente
técnico na Universidade de Santa Cruz do Sul.
Seu planejamento ainda não foi totalmente cumprido. Ele precisou fazer adaptações pelo
caminho, como plantar flores, ter um bichinho de estimação, não fazer nada por um tempo, meditar e
amar. Por isso escreveu o livro, porque acredita no que faz.

Divulgação

Blog: http://danporto.blogspot.com
Facebook: www.facebook.com/DanPortoEscritor
Twitter: www.twitter.com/DanPorto10

27

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful