Você está na página 1de 21

1

INTRODUÇÃO

- A palavra de Deus: fonte e sentido de nossa vida, nossa base e fundamento.

- Ter o coração aberto e estar sob a liderança de Cristo para ouvir o que o Senhor tem
para cada um conforme a Sua Palavra.

- Quando ouvir se converter à Palavra, reconhecer que é o Senhor falando pois


quando Ele fala é de acordo com nossa necessidade.

- No espírito a Palavra é sempre bem acolhida, mas a nossa alma é o elemento


principal para a Palavra ser praticada ou não. O problema está na alma.

- Voltar ao princípio para ver como o Senhor criou o homem e a mulher.

- Criou o homem do pó da terra e soprou para torná-lo alma vivente.

- O homem como criatura, mais a vida de Deus (se comesse da árvore da vida)
poderia tratar com Satanás que também é uma criatura.

- Mas uma criatura só não poderia fazer nada, por isso Deus decidiu fazer outra
criatura originada do homem e não mais do barro.

- O homem só não pode cumprir a vontade de Deus, o Senhor precisava criar outra
criatura para cooperar e colocar ordem no universo.

- Para criar a mulher o Senhor foi mais delicado, pois ela não é como o homem, tosco,
tirado do barro, a mulher foi edificada da costela do homem.

- Ela é mais complexa, mais detalhada que o homem.

- Para cumprir a vontade de Deus esses detalhes são necessários.

- O homem é mais racional, mais objetivo, mais sem flexibilidade.

- A mulher é emoção, subjetiva, flexível e intuitiva.

- Assim como Eva foi constituída como um complemento para Adão, para o
cumprimento da vontade de Deus, as irmãs foram dadas à igreja com o fim de
complementar as ações dos irmãos que lideram a igreja.

- A cooperação das irmãs está em todos os aspectos da vida da igreja: na vida de


reuniões, na vida familiar, na vida social e na batalha espiritual. Sem as irmãs, como
seriam as reuniões? Sem as irmãs, como estariam os maridos e filhos? Sem as irmãs,
como as pessoas seriam alcançadas? Sem a oração das irmãs, como o Senhor
poderia avançar com o Evangelho do Reino?.

- Deus tem um encargo particular para as irmãs, para que elas façam avançar o
cumprimento de Seu propósito sobre a terra. Deus criou um homem tripartido, com
corpo, alma e espírito. Essas três partes deveriam estar em harmonia e funcionar
normalmente, para que o homem fosse um vaso útil ao Senhor.

2
- Há, no entanto, diferenças relevantes na constituição da mulher, de seu corpo e sua
alma, que constituem uma vantagem estratégica para o Corpo de Cristo.

- O homem é visivelmente mais robusto, mais resistente e tem funções peculiares. A


mulher tem um corpo mais frágil e mais complexo. Até mesmo na questão hormonal,
há diferenças grandes.

- Os homens têm apenas um hormônio, o testosterona, reforçando suas


características corporais. A mulher, no entanto, tem pelo menos dois hormônios
determinantes: estrógenos e progesteronas, que têm comportamento cíclico,
causando variações perceptíveis nas funções corporais.

- Na alma, o homem é mais racional, arguto, astuto. A mulher tende a ser mais
emocional, intuitiva, dócil e terna.

- Todas essas características devem estar sob o governo de Deus. Não nos apegamos
às nossas características naturais, mas devemos buscar servir ao Senhor da melhor
maneira possível.

- As irmãs têm uma necessidade ainda mais forte de ter sua alma trabalhada, para que
suas características naturais sejam infundidas pelo Espírito de Deus. Quando o
Espírito está mesclado ao espírito das irmãs, todo o seu ser tripartido estará a serviço
do propósito esterno de Deus.

- Homem e mulher foram criados num contexto diferente. Na questão corporal, na


questão psicológica e até mesmo em sua função perante Deus.

- Deus é sábio. Ele falou conforme a nossa necessidade. Por isso disse aos irmãos
que amassem suas esposas, que exercitassem sua emoção para cuidar e suprir (Ef
5:25). Deus criou o homem com uma certa carência no aspecto emocional. Mas a
mulher foi criada para complementá-lo. Igualmente, a mulher não é completa sem o
homem. Mas quando os dois se unem, se tornam uma só carne, uma entidade perfeita
para o serviço a Deus (v. 31).

- Todas as nossas carências são supridas em Deus. O verdadeiro vazio é preenchido


pelo Senhor. Quanto a vários aspectos de nosso viver, no entanto, o Senhor nos deu
nosso cônjuge para sermos completados, para sermos aperfeiçoados. É por isso que
o homem precisa deixar pai e mãe e se tornar uma só carne com sua esposa (Gn
2:24).

- Precisamos perceber isso e ser norteados pela Palavra a fim de desempenhar bem
nosso serviço ao Senhor.

- O Senhor deu uma palavra específica para a mulher: o desejo da mulher é para o
seu marido, e ele a governará (Gn 3:16). Esse é um princípio espiritual inamovível,
assim como as características físicas e psicológicas. É uma palavra vinda diretamente
do trono de Deus. Precisamos nos adequar a ela a fim de prosseguir.

- O Senhor deseja levantar um exército de irmãs ativas e frutíferas para o Seu


propósito eterno. Ele deseja abrir os Seus celeiros, abençoar abundantemente às
igrejas. As irmãs precisam tomar essa palavra de maneira ativa e ardente.

3
- Precisamos perceber que há um princípio básico que rege a vida humana. Esse
princípio geral se aplica de maneira específica às irmãs. Essa aplicação diz respeito
ao modo de relacionar-se com o homem para o cumprimento da vontade de Deus.

PRINCÍPIOS BÁSICOS

- Ela foi concebida como complemento do homem, o varão sem a varoa está
incompleto.

- Se não houvesse homem não haveria mulher e sem mulher o homem não teria razão
de viver pois não pode fazer nada, Deus foi sábio nisso Depois que criou homem e
mulher (Gen 1:27, 28) a primeira coisa que Deus fez foi abençoar, sem a bêncão não
tem como prosseguir.

- Nós mulheres devemos a Deus e ao homem a razão de nossa vida.

- Não há igualdade de direitos na ordem governamental de Deus.

- Gal 3:26-28 - em Cristo não há homem nem mulher na igreja, temos todos direito
como membros do corpo de Cristo, mas existe uma ordem estabelecida pelo próprio
Deus.

- Ele criou o homem e a mulher para colocar ordem no universo e para envergonhar
aquele que trouxe o caos.

- 1 Co 11: 8 e 9 - seremos todas ativas e frutíferas se guardarmos os princípios da


ordem governamental de Deus.

- No universo há uma ordem clara 1 Co 11:3 "Quero, entretanto, que saibais ser Cristo
o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de
Cristo".

- Esse princípio também estabelece uma posição para a mulher e para o homem. A
mulher é encabeçada pelo homem, o homem por Cristo e Cristo é encabeçado por
Deus..

- O Senhor Jesus, embora sendo Deus, se fez escravo, submetendo-se ao Pai. Ele é
essencialmente igual ao Pai, mas, por conta de seu arranjo econômico, se submeteu
ao Pai (Fp 2:5)

- Precisamos ter o mesmo sentimento, a mesma mente do Senhor Jesus. O


posicionamento do Senhor, Sua submissão como Filho do Homem, resultou em Seu
Senhorio sobre todo o universo (vs. 6-11).

- O resultado de nos submetermos ao ordenamento de Deus é alcançar o reino


milenar.

- O Senhor tem uma bênção reservada para aqueles que se submetem à ordem que
Ele estabeleceu: a paz. Muitas vezes queremos alcançar os resultados, sem nos
submetermos ao processo. A ordem de Deus é para que Deus nos alcance como
graça.

4
- Esse que deu o primeiro exemplo = Cristo, está dentro de nós e é nossa vida de
submissão.

- Essa é a linha onde a bênção e a vida de Deus fluem - se essa ordem não é
cumprida a vida de Deus se estanca.

- A felicidade e a paz estão garantidas para aqueles que se submetem - esse é o


resultado.

- O inimigo quer que homem e mulher sejam independentes, e trilhem caminhos


diferentes. A sociedade prega igualdade de direitos, mas no fundo, a motivação e a
fonte é Satanás.

- O intento do inimigo não é igualdade, mas a independência. O resultado é que todos


se tornem independentes de Deus.

- Somos filhos de Deus, precisamos agir como filhos de Deus. Existe um


encabeçamento. Os irmãos representam o encabeçamento de Deus na igreja, e esta
ordem visa o fluxo normal da bênção de Deus.

- Quando a ordem estabelecida por Deus é ofendida, nossa vida se torna um caos.

- Quando não estamos sob a ordem de Deus, nossa vida está sob influência das
portas do Hades. Por isso, muitas vezes há a sensação de que nossa vida se tornou
um "inferno".

- Isso foi revelado pelas palavras do Senhor a Pedro em Mateus 16:19. Quando
rompemos com o princípio da ordem de Deus, o resultado é bebermos de outra fonte.

- A ordem de Deus é para o fluir de Deus. A ordem do inimigo trás o inimigo. Nossa
boca, nosso ser, pode abrir-se para o fogo do céu ou para o fogo do Hades (Mt 3:11 ;
Tg 3:6).

- No Éden havia duas árvores. Hoje também temos duas fontes. Temos a vida natural,
contaminada pelo pecado. Temos também a vida de Deus que recebemos na
regeneração. Os frutos que produzimos dependem da fonte que constantemente
bebemos.

- Podemos ser ativas e frutíferas dependendo da fonte que bebemos e da árvore que
escolhemos.

- Podemos ser um estorvo se estivermos tomando da fonte errada.

- A porção das irmãs é de auxiliadora idônea.

- Deus capacitou as mulheres, fomos criadas assim. Temos o potencial maior que o do
homem.

- Assim, mesmo sendo considerada como vaso mais fraco, há uma responsabilidade,
um potencial das irmãs (1 Pe 3:7). Esse potencial de cooperar é o que permite que o
homem possa avançar.

- O potencial do homem só vai adiante se o da mulher for um com o dele.

5
- Deus estabeleceu princípios para guardar as coisas. O princípio da gravidade
permite que as coisas permaneçam na terra e não sejam lançadas no vácuo. O
princípio governamental de Deus é para guardar os filhos de Deus.

- O Senhor nos capacitou para ser auxiliadoras idôneas, queremos aprender a ser
assim, fomos criadas para isso.

- Quando a mulher encabeça vira um caos porque o princípio é quebrado.

- Princípios não mudam.

- Quando princípio é quebrado, quebra a ordem e quando quebra a ordem quebra o


fluir.

- As irmãs são, geralmente, dois terços das igrejas. Elas são o dobro dos irmãos (Jo
11:1). Por isso, as irmãs constituem um peso muito grande no avanço do mover de
Deus. Não apenas porque são a maioria numérica, mas porque desempenham função
de apoio, de cooperação.

- O homem tem a função de encabeçar, dar direção. Mas as irmãs formam a


retaguarda. Permitindo a permanência dos soldados na frente de batalha.

- Na guerra a retaguarda é mais importante que a frente de batalha.

- Muita coisa restringe a mulher, mas foi o que o Senhor nos deu para sermos
retaguarda forte.

- A auxiliadora idônea pode determinar o avanço do propósito de Deus.

- A atitude das irmãs determina o quanto o Senhor pode avançar.

- As irmãs casadas devem cooperar, encorajando seu marido a prosseguir. Por um


lado, submetendo-se ao encabeçamento, por outro, ajudando-o a crescer, a tomar
posição e seguir o Senhor.

- A bênção de Deus reinará na nossa casa e na nossa vida se estimularmos o


encabeçamento de nosso marido.

- Porque existiu um *Adão, Deus fez uma Eva


(* coloque seu nome e de seu marido!).

- Existimos em função de alguém que Deus criou.

- Para as irmãs que ainda não encontraram seu marido: Esperar no Senhor porque foi
criada e tirada de uma pessoa que o Senhor criou.

- As irmãs são geralmente muito capazes. Isso deve ser aplicado na edificação.

- Por outro lado, todos precisamos submeter-nos àqueles que estão à frente. Muitas
vezes, as irmãs não entendem o porquê da maneira com que os irmãos responsáveis
agem. Não devemos criticar, mas orar e cooperar. O Senhor sempre faz os arranjos
corretos.

6
- Princípio 1 = Princípio da origem = A mulher saiu do homem, nossa vida é
recorrente do homem e ele sozinho não pode fazer nada. A origem do homem é Deus.

- Princípio 2 = Princípio da submissão = Encabeçamento dos irmãos na vida da Igreja


= Posição definida para a mulher por Deus - se submeter à ordem estabelecida por
Deus tendo Cristo como modelo de submissão.

CARACTERÍSTICAS DAS MULHERES NA BÍBLIA

- Eva = gerar vidas.

- Tinha uma função maravilhosa. A palavra de Deus, acerca da submissão, é para o


desempenho de sua função.

- Cuidado com os filhos também é inerente à condição feminina.

- Sara = crer na promessa e seguir o marido reconhecendo-o como Senhor.

- Tinha a função de gerar uma descendência a Abraão, conforme a promessa de


Deus.

- Sara sempre acompanhou seu esposo. A visão espiritual foi dada a Abraão. Sara
simplesmente seguiu e foi abençoada, ela também alcançou a terra prometida (Gn
12:5).

- Sara precisava crer e seguir a Abraão, para que se cumprisse a Palavra (Gn 18:12).
Ela chamou Abraão, seu marido, de 'meu senhor'. Isso não é uma questão de
hierarquia, mas uma questão de seguir.

- Todo o desejo do seu coração era para servir ao seu marido.

- Mas Sara questionou a possibilidade que Deus havia dado como promessa.

- O marido recebeu uma visão celestial de que seria uma bênção.

- Quando Deus dá uma proposta para o homem a mulher deve segui-lo.

- Condição desejável para todas as irmãs.

- Rebeca = ser pró-ativa, determinada - tomar parte governante do arranjo de Deus.

- Rebeca era jovem determinada, alegre, efusiva, despachada, pró-ativa e direta (Gn
24:23-15).

- Estava no lugar certo fazendo a coisa certa.

- Quando percebeu que a situação era espiritual respondeu: "irei", devemos ser assim.

- Rebeca não saiu correndo quando viu Isaque. Ela esperou que ele viesse ao seu
encontro. Ela cuidou de se guardar. Ela se dava valor e era prudente. Quando soube
que era ele, Rebeca se cobriu com o véu (vs. 63-65). O gesto de Rebeca, seu recato,
encantou ainda mais a Isaque.

7
- Raquel = cuidar, pastorear o rebanho.

- Jacó amou a Raquel. Raquel era pastora, cuidando das ovelhas de seu Pai (Gn
29:10, 18).

- Raquel gerou com Jacó 12 filhos para o propósito eterno de Deus.

- Ela colocou o nome de Deus nos filhos.

- Rute = consagrar-se e fazer a escolha certa para mudar a história.

- Livro intensamente voltado para as irmãs, mostra o coração de uma irmã que se
consagrou a Deus depois de vê-Lo.

- Noemi ganhou o coração das noras e as trouxe para junto de si para que os filhos
não sofressem pois pertenciam a um outro contexto.

- Por causa de seu viver e de seu testemunho a história do universo foi mudada.

- As duas noras tiveram que fazer uma escolha.

- Noemi não só deu suporte para a família dos dois filhos como ainda no contexto
trágico disse às filhas que fossem felizes.

- Beijou-as, despedindo-se de forma íntima e elevada.

- O choro compulsivo não demonstra o que está em nosso coração (Rute 1:7-14), a
hora da decisão é crucial (v. 16). Não podemos ser guiadas só pelo calor da emoção,
senão não dá certo.

- Era uma questão espiritual e Noemi estava testando os limites da fé e a percepção


que as noras tiveram (v. 14).

- Rute, porém, percebeu também quem era o Deus de sua sogra. Isto é, Rute
percebeu a condição espiritual adequada e o benefício que teria em seguir sua sogra,
pois lhe estava conduzindo ao povo de Deus.

- Rute ganhara uma visão governante de que aquela mulher era especial e o povo
dela era distinto, era de Deus.

- Ela deixou sua família e seu povo e se mesclou com outra família e outro povo.

- Fez uma escolha absoluta e marcou seus dias e os dias da humanidade, tomou a
posição que mudou a era.

- Quando a jovem está para casar-se deve ver tudo isso, está se casando com a sogra
e com a família, todo o seu povo.

- Rute foi enviada para buscar alimento para as duas quando chegou em Israel.

- Boaz percebeu que Rute não estava atrás de relação almática e sim, mesmo que por
pouco tempo ali, todos sabiam que era uma mulher virtuosa (3:10, 11).

8
- Ele quis se casar com ela, era um homem desembaraçado e pode suprir a ela e a
Noemi.

- Noemi na retaguarda estava suprindo sua antiga nora e agora parente por afinidade
e ganhou um descendente que substituiu os dois que perdeu (4: 13-17). Ela dava
suporte emocional e espiritual para a família de Rute (vs. 14-17).

- Isso resultou em algo maravilhoso: o filho que Rute teve era parte da genealogia de
Davi, rei de Israel, e do próprio Senhor Jesus.

- Noemi passou a cuidar dessa criança. Não havia um parentesco direto com Rute,
mas uma afinidade e uma visão espiritual (vs. 14-16).

- As vizinhas perceberam que Rute era, para Noemi, melhor que sete filhos. Isso
mostra o cuidado entre as duas. Havia nelas um caminho de bênção, tão maravilhoso,
que deu abertura para a vinda do Rei, do Senhor.

- Rute é uma expressão de como o Senhor tem caminho quando as irmãs se apegam
à Sua Palavra, quando as irmãs têm uma vida saudável de comunhão com o Senhor e
de segui-Lo
- Na nossa vida há momentos de escolha que determinará nosso futuro e o de toda a
nossa descendência.

- Todas as irmãs precisam perceber que suas escolhas e seus relacionamentos


determinam seu futuro e o futuro do povo de Deus. Se as irmãs tiverem uma vida
familiar cheia da presença e do amor de Deus, haverá um caminho para Seu Reino e
Seu retorno.

- Ana = orar.

- Mulher de oração, se sentiu afrontada e orou desesperadamente. Ela entregou todo


o seu ser à oração.

- Buscou o Senhor em oração, na sua casa, junto ao marido, no templo e até junto do
sumo sacerdote.

- Ela compreendia que o Senhor seria o único que poderia saciar o desejo de Seu
coração.

- Por outro lado, ela também percebia que deveria apresentar uma contrapartida, uma
resposta a Deus. Por isso ofereceu o fruto de sua oração a Deus (1 Sam 1:11). E
orava por Samuel continuamente.

- Ana fez uma oração com voto, o que apressa as coisas.

- O Senhor respondeu a oração de Ana, e o fruto dessa oração Lhe foi muito útil (1 Sm
1:10-14; 20-24).

- Temos que ter uma oração tão profunda que toque o coração e o trono de Deus
movendo-o por nossa família e pela igreja.

- O fruto de nossa oração deve ser compartilhada com Deus, nossos filhos devem ser
apresentados a Deus.

9
- Ela não esperou por Elcana para orar, ela orava.

- A mulher também tem mais facilidade de orar (Atos 12:12).

- Para romper cadeias só oração e quem estava orando eram as irmãs.

- O ministério de oração da igreja é das irmãs e precisa ser revigorado.

- Ester = manter um ambiente familiar na igreja.

- Assuero teve de divorciar-se de Vasti, por que esta fazia coisas em paralelo, tinha
um caminho diferente do de seu marido.

- Mordecai, que criara a Ester, percebeu que essa era uma oportunidade para Ester.

- Tinha um tio cuidando dela, devemos ter os irmãos mais crescidos cuidando de nós.
Devemos seguir a orientação e acatar o cuidado deles. Haverá uma situação
preparada pelo Senhor.

- Ester não precisou dizer que era judia, era especial. O rei a viu e a escolheu. E ela
desempenhou uma função crucial para o povo de Deus, negociando com o rei uma
maneira de permitir a continuidade do povo de Deus.

- O nome original de Ester é Hadassa, que significa murta, arbusto. Ela foi,
posteriormente, nomeada conforme seu marido. 'Ester' quer dizer estrela.

- Ester se tornou uma estrela, uma pessoa que brilhou em meio a uma época de
trevas e cooperou com o povo de Deus.

- Todas as irmãs devem perceber sua importância. Por um lado, elas tem uma raiz, há
uma família dando suporte, conduzindo. Por outro, ela deve brilhar, agir
oportunamente e cooperar com seu povo.

- Hoje, as irmãs, e especialmente as jovens, precisam valorizar o ambiente familiar


que têm, ambiente propício para preparar a jovem, com a mãe do lado.

- Cuidar de sua filha é uma atribuição que Deus deu. Prepará-la para esse evento que
vai marcar sua vida e a de seus descendentes - o casamento.

- Sem esse cuidado, sem essa preparação, a utilidade posterior estará comprometida..

- Ester por ter seguido a orientação do tio, teve sua posição no reino consolidada. Até
mesmo Mordecai foi elevado à segunda posição no reino.

- A preparação e o guardar das irmãs, influencia sua posição e de sua família no reino.

- Maria e Isabel = gerar Cristo e servir ao Senhor com as 3 partes do homem tripartido:
corpo, alma e espírito.

- Primeira condição das irmãs é de conceber Cristo, para que Cristo seja dado a luz
em cada reunião, fazer Cristo aparecer em cada reunião.

- Quando as irmãs têm comunhão com o espírito, Cristo aparece.

10
- Maria servia a Deus de corpo (achou-se grávida), de alma (engrandecia ao Senhor) e
de espírito (se alegrava) Lucas 1:39, 46, 47.

- Qualquer mulher que não seja salva não pode experimentar o que seja isso.

- Podemos tomar essa experiência para nortear nossa vida.

- Em nosso viver da igreja há muitos conflitos, muitos choques, muitos incômodos. As


irmãs têm um papel determinante em fazer com que, no meio dessas situações, o
Senhor seja engrandecido. As irmãs devem cuidar da alma das pessoas, de seus
familiares, para que cada alma engrandeça ao Senhor..

- Muitas vezes os conceitos da sociedade, tais como a busca pela igualdade pregada
pelo feminismo, levam as mulheres a travarem uma luta constante entre si. O Senhor,
no entanto, espera que todas as irmãs sejam como Maria, que foi ter com Isabel para
se confortarem mutuamente, fazendo com que o Senhor seja engrandecido. O amor
também diz respeito a suportar e cuidar uns dos outros.

- Outra característica das irmãs é o amor.

- O amor também diz respeito a suportar e cuidar uns dos outros. Maria, nos primeiros
meses de sua gravidez, foi ter com Izabel, para ser confortarem mutuamente. As
condições adversas durante a gravidez trazem vários problemas na alma, vários
incômodos.

- No meio dessa situação, Maria foi ali para dizer que a sua alma engrandece ao
Senhor (Lc 1:46).

- Em nosso viver da igreja há muitos conflitos, muitos choques, muitos incômodos. As


irmãs têm um papel determinante em fazer com que, no meio dessas situações, o
Senhor seja engrandecido.

- As irmãs devem cuidar da alma das pessoas, de seus familiares, para que cada alma
engrandeça ao Senhor.

- Muitas vezes os conceitos da sociedade, tais como a busca pela igualdade pregada
pelo feminismo, levam as mulheres a travarem uma luta constante. O Senhor, no
entanto, espera que todas as irmãs sejam como Maria, fazendo com que o Senhor
seja engrandecido.

- Maria e o frasco de alabastro = amar.

- Os irmãos precisam se esforçar e amadurecer para conseguir amar as pessoas. As


irmãs, no entanto, podem amar mais facilmente..

- Vemos essa característica do amor no testemunho de Maria, que derramou o


bálsamo precioso sobre a cabeça e os pés do Senhor.

- Esse foi um ato de amor elevado e precioso, que era necessário, para que o Senhor
fosse ungido para Sua morte (Mt 26:6-10).

- Aquela irmã derramou pelo Senhor o que lhe era mais precioso e caro. Os discípulos
a repreendiam, porque tinham uma visão pouco sensível.

11
- O Senhor, no entanto, precisava daquela boa ação. Foi uma atitude que o confortou,
no momento em que estava para se entregar. Ele estava para sofrer nas mãos dos
sacerdotes e anciãos, Ele se preparava para sofrer sozinho.

- Mas alguém se adiantou, amando o Senhor, e o preparou para Seu sepultamento


(vs. 11-12).

- Ela foi ao Senhor espontaneamente e demonstrou o quanto O amava.

- Está com as irmãs essa representação de amar, expressão afetuosa do amor cristão
por Cristo.

- Ninguém pode fazer isso melhor do que as irmãs.

- A mulher representou o amor do homem por Deus.

- Maria Madalena = entender o coração do Senhor e os encargos da igreja - comunicar


a ressurreição de Cristo.

- Na cruz e na ressurreição quem estava presente? As irmãs tinham algo que os


varões não tinham.

- Elas entendiam o coração do Senhor e os encargos da igreja.

- Junto à cruz só João que era mais afetuoso esteve (Jo 19:25).

- Maria Madalena com o coração tão cheio de amor estava junto ao sepulcro, por
causa desse coração o Senhor se revelou a ela e não aos outros.

- O Senhor deu um presente a ela pois ela o tratava de "meu" Senhor e não de mestre.

- Ela chegou esbaforida para falar com os discípulos e comunicar a ressurreição de


Cristo (Jo 20:16-18).

- Externar o amor, dizendo o quanto amam o Senhor também é uma função das irmãs.

A IMPORTÂNCIA DAS IRMÃS NA VIDA DA IGREJA

- Na vida da igreja há pelo menos quatro aspectos: a vida de reuniões, a vida familiar,
a vida social e a batalha espiritual. As irmãs têm importância fundamental para fazer
com que a Palavra possa penetrar no ambiente familiar e social. Também na pregação
do evangelho.

- Na vida familiar: aplicar a Palavra em casa é um negócio que deve ser bem
administrado pelas irmãs. Se a Palavra nortear nossa cozinha, nossas finanças, a
casa será certamente abençoada.

- O conteúdo exposto na vida de reuniões deve penetrar a vida familiar, por meio das
irmãs.

- Na vida social: as irmãs devem fazer com que sua casa seja uma expressão de
Deus. As pessoas precisam ver Deus, encontrar Deus.

12
- Na batalha espiritual: as irmãs são aquelas que dão suporte a seu próprio marido
para que este possa avançar.

- Muitas vezes há uma confusão e parece que marido e esposa estão em exércitos
diferentes. As irmãs precisam se esforçar para que ambos estejam unidos, lutando
pelo exército de Deus.

- Nas reuniões: a doçura das irmãs, em expressar seu encargo, seu amor, aviva as
reuniões. O Senhor apresentou-se a Maria. Ela conversou com Ele pensando que
fosse o jardineiro, mas, eventualmente o Senhor se revelou a ela. Ela foi escolhida
para dar uma notícia com emoção (Jo 20:17-18).

- O Senhor sempre se revelará àquelas que O amam. As irmãs não podem deixar de
liberar seu espírito e transmitir seu desfrute nas reuniões.

- As irmãs têm a função de liberar vida nas reuniões.

- Se as irmãs faltam, falta um pedaço muito grande da reunião pois a expressão do


louvor e da alegria está onde as irmãs estão.

- Por isso é importante tomarmos cuidado com nosso falar. Quando for falar algum
aspecto negativo

O CASAMENTO

- Deus tem um propósito nessa terra e conta com a participação do homem.

- Quando chamou a Abraão foi para fazer uma grande nação.

- Sara seguiu prontamente o marido e desde que estivesse com ele estaria satisfeita.

- Toda esposa que acompanha o marido que acompanha o Senhor será abençoada.

- Primeiro o Senhor chamou Abraão (Gn 12), depois reforçou a promessa (Gn 15),
cumpriu a promessa e Isaque nasceu (Gn 21), por fim já velho Abrãao nos apresenta
um princípio importantíssimo: como escolher a esposa para nossos filhos.

- Abraão tomou a questão do casamento de forma muito séria. Ele tratou essa questão
solenemente. Precisamos ser pessoas adequadas, que amem o Senhor e nossos
filhos. Isso é crucial e se faltar não podemos ter uma vida satisfatória.

- Não podemos tomar esse assunto de maneira leve. O casamento não pode ser visto
como a solução para um problema momentâneo.

- Não era qualquer uma que poderia casar-se com Isaque, o filho da promessa. Para
cada Isaque já existe uma Rebeca preparada. A Rebeca não pode ser dada ao
homem errado. Por outro lado, Isaque não pode casar-se com qualquer uma (Gn 24:2-
4).

- Deus dá exatamente a pessoa apropriada para nos aperfeiçoar (a fonte é sempre o


amor).

13
- Abraão mandou o servo ir até a parentela dele, uma distância como de Brasília à São
Paulo, mas de camelo. Para se submeter a isso e executar tem que ter visão.

- Imaginem por quantas o servo passou e não deu a mínima pois sabia que não
satisfaria à exigência de Deus ou de Isaque.

- Há que se considerar a parentela, a vida. Isaque precisa de alguém com uma vida
compatível. Rebeca precisa de Isaque, alguém que siga a promessa.

- Abraão (Pai) chama o servo (Espírito) e diz:: "cautela!". Muitas vezes, ao tratar do
assunto, os sentimentos cegam os envolvidos. Mas é necessário cautela pois só
podemos escolher uma vez, os frutos serão diários e os resultados por muitos anos.
Não podemos voltar atrás, por isso não podemos deixar de seguir a orientação do
Senhor (vs. 5-8).

- Escolha ponderada e regada a oração - o servo orou o tempo todo (Gn 24:10-12)
porque tinha muitas moças, se tivesse uma só seria mais fácil.

- O servo de Abraão também tomou a questão de maneira séria, ele orou para que a
pessoa certa fosse indicada (vs. 12-14).

- Há uma pessoa designada. Encontra-la depende da bondade do Senhor. Temos que


depender do Senhor e ser orientadas por Ele nesta escolha.

- Por causa disso foi que o servo observou atentamente. Além disso tem que estar
bebendo da fonte (vs. 14, 15)

- Rebeca deu de beber a Eliezer e também aos dez camelos. Dar água a um homem é
fácil, mas para 10 camelos? Tem que ser uma mulher especial. Uma mulher disposta
a agir.

- Você é especial? Você quer o Isaque, mas é especial? Consegue ser vista dentre
muitas ou se perde no meio do bando?

- O servo a observou atentamente. Assim como muitos estão observando cada


aspecto, cada atitude das irmãs. Ninguém está no anonimato. O Espírito vê todas as
coisas. O servo é um tipo do Espírito.

- A vida da igreja é o lugar apropriado para dar água para os irmãos.

- Isaque olha para quem está suprindo água aos filhos de Deus - todo mundo está
olhando para você, principalmente o Isaque.

- Ismael olha para o exterior, para o frisado do cabelo. Isaque não. Tem sempre um
arranjo divino por trás (vs. 28).

- Rebeca estava no lugar certo fazendo a coisa certa.

- Fazer a coisa certa é liberar o espírito. Por isso as irmãs precisam estar na igreja,
liberando o espírito.

- Quando as coisas estão orientadas, sob comunhão, não há o que esperar (vs. 57,
58).

14
- O Espírito fará com que Isaque encontre Rebeca. Quando isso acontecer, a resposta
será clara e rápida (vs. 55-61).

- Isaque estava meditando, não estava ansioso, ele confiou essa questão ao seu pai e
ai servo (vs. 64).

- Se alguém desfruta a primeira que vai embora é a ansiedade.

- Por outro lado, Rebeca não saiu correndo. Ela esperou que ele viesse ao seu
encontro. Ela cuidou de se guardar. Ela se dava valor e era prudente. Quando soube
que era ele, Rebeca se cobriu com o véu (vs. 63-65). O gesto de Rebeca, seu recato,
encantou ainda mais a Isaque.

- Se nos apressamos podemos abraçar a pessoa errada. Devemos nos cobrir, senão
quem vai nos achar será Ismael.

- Ela cobriu sua cabeça, por que encontrara seu cabeça. Num casamento só há uma
cabeça. As irmãs não podem entrar num casamento querendo encabeçar o outro.

- Isaque amou a Rebeca, e Rebeca o consolou (v 67). O casamento serve para que
um suporte, console e cuide do outro. Todas as vezes em que tivermos problema
perceberemos que o problema tem sua fonte na falta de encabeçamento. Quando o
homem não segue Cristo, ou quando a mulher não se submete ao marido muitos
problemas surgirão.

- Devemos nos voltar ao Senhor que é a fonte todas as vezes que tiver problema no
casamento, devemos nos voltar ao princípio, comer e beber do Senhor.

- Precisamos levar esse assunto mais à sério na vida da igreja e buscarmos aquele
que ame ao Senhor e não o bom partido.

- Na vida da igreja nossa comunhão tem que estar sob a orientação de Deus, dos pais
e dos irmãos que cuidam - isso é um princípio.

- Provérbios 30:18-19 da forma como deve ser a comunhão do homem com a donzela:
como águia no céu, permanecendo num viver celestial; como cobra na penha, que não
deixando rastro; e como navio no meio do mar, não tendo outra forma de se guiar a
não ser pelas estrelas, impulsionado pelo vento.

- O andar de uma donzela com o varão deve ser um andar segundo o espírito,
seguindo a orientação dos céus, a orientação de Deus e sem deixar rastro negativo,
assim haverá um desfecho adequado.

- Os relacionamentos de hoje deixam marcas e chagas.

- O que ouvimos aqui é o oposto do que se vê no mundo.

- O Senhor nos dá parâmetros, referência, modelo.

- E quer contar com cada um de nós.

- As irmãs mais velhas, as mães na igreja, têm a responsabilidade de ajudar as jovens


a tomarem esse caminho adequado.

15
O SINAL DE AUTORIDADE

- A ordem estabelecida por Deus foi preestabelecida na criação. Essa ordem foi
quebrada por um querubim que quis colocar seu trono na mesma posição de Deus.
Seu nome era Lúcifer (estrela da alva), pois era responsável por conduzir a criação a
Deus. Mas se tornou Satanás (inimigo) e Diabo (acusador). Ele conduziu a antiga
criação a rebelar-se, influenciando os seres preadâmicos. Os quais se tornaram os
demônios. Ele também conduziu a terça parte dos anjos em sua rebelião. Os anjos
caídos se tornaram os principados e potestades. Todos esses seres fizeram da terra
um caos, sem forma e vazio (Gn 1:1-2).

- O homem foi criado para libertar a terra da rebelião de Lúcifer. Mesmo antes de criar
o homem Deus estabeleceu uma ordem para os astros, para o curso dos rios e para
toda a criação. O homem foi criado nesse contexto para seguir uma ordem. Sem essa
ordem o homem não tem sentido. Sem essa ordem, o homem não tem utilidade. As
irmãs foram incluídas nessa ordem. Elas precisam se submeter para que essa ordem
seja estabelecida na terra. Sem essa ordem, a mulher também não tem sentido.

- Paulo usa um símbolo para mostrar a necessidade de submeter-se a essa ordem.


Ele fala do véu como sinal da submissão para a mulher. O homem é imagem,
expressão de Deus. A mulher, por sua vez, é glória do homem (1 Co 11:6-7). Assim
como os raios são a glória do sol.

- Se as irmãs, como raios de sol se apagarem, apagarão também seus maridos, pois
são sua glória.

- A mulher deve, por causa dos anjos, trazer o véu na cabeça como sinal de
autoridade (v. 10). Os anjos caídos se rebelaram contra a ordem, contra a autoridade
de Deus. Quando os anjos caídos encontram uma irmã submissa, representada pelo
véu, são envergonhados porque vêem que na terra tem um grupo de mulheres que
levam em altíssima conta o que Deus estabeleceu. Eles não foram capazes de se
submeterem, mas as mulheres submissas trazem a autoridade de Deus, lançando fora
de suas casas a rebelião e a influência negativa de Satanás. Os principados e
potestades não prevalecerão contra as irmãs que trazem a autoridade de Deus pelo
princípio de submissão..

- A submissão é uma arma para as irmãs pois impede que as potestades prevaleçam
sobre sua casa e contra elas mesmas.

- Na esfera da vida da igreja, esse princípio de submissão também se aplica (1 Tm


2:12-15). Existem responsabilidades específicas para todos os santos na vida da
igreja. A autoridade de homem é diferente. Precisamos manter a ordem, guardando a
responsabilidade destinada aos varões com os varões e as responsabilidades das
irmãs com as irmãs

OS PERIGOS DA INSUBMISSÃO

- O Senhor deixou fatos registrados na Bíblia para que sejamos ajudados e possamos
avançar. Precisamos aprender com os erros registrados e evitá-los. Miriã não quis
submeter-se à ordem estabelecida por Deus.

- Moisés cometeu um erro. Miriã tinha uma causa para lutar, mas sua motivação não
condizia à causa por que lutava. Ela queria falar no lugar de Moisés (Nm 12:1-2).

16
- Na rebelião, a ordem das pessoas é Miriã, Arão e Moisés (v. 1). Mas quando Deus
falou, para tratar a situação, a ordem das pessoas para Deus era Moisés, Arão e Miriã
(v. 4).

- Com respeito a conduzir o povo, a incumbência foi dada a Moisés. E Moisés tinha
por cooperador a Arão (Ex 4:16)

- Na rebelião, entretanto, Miriã quis tomar a posição que Deus deu a Moisés. Como
resultado, Miriã ficou leprosa e fez com que todo o povo ficasse parado por sete dias.
A rebelião de Miriã atrasou o mover de Deus (Nm 12:15).

- Toda vez que uma irmã resolve confrontar o que o Senhor determina o mover pára.

- As irmãs precisam perceber que sempre que quebram o princípio ordenado por
Deus, o mover de Deus é atrasado.

- O caminho para a lepra sair é o caminho de Naamã. Ele foi tomar banho. A questão
ali era submeter-se. A despeito de seu poder e posição, ele ouviu a pregação da
jovem israelita. Ele também obedeceu o falar do homem de Deus (1 Rs 5:1-3; 14). A
lepra, a morte vem pela rebelião. Por outro lado, a lepra é curada pela obediência. As
irmãs precisam aprender essa lição.

MODELOS DE SUBMISSÃO

- Débora foi um modelo. Mesmo tendo recebido um encargo, ela não quis fazer nada
sozinha. Ela buscou comunhão (Jz 4:4-6). A responsabilidade estava com Baraque. A
presença e o falar de Deus, com Débora.

- Essas coisas devem sempre estar juntas. As irmãs devem perceber sua porção. Não
devemos esperar reconhecimento. Débora não queria reconhecimento. Ela esperava
que Baraque fosse reconhecido por aquela conquista.

- As irmãs, igualmente, devem esperar que apenas o Senhor seja engrandecido pelo
sucesso de seu serviço. Mesmo que tenham um encargo muito forte e muita
capacidade.

- Débora abriu mão de qualquer glória. Ela não quebrou a ordem do encabeçamento
de Deus. Por isso, a vontade de Deus foi estabelecida naquela situação.

- O que fazemos deve ser conseqüência das Palavras de Deus.

- Abigail é outro modelo, uma mulher sensata. Embora Nabal, seu marido, fosse duro
e maligno (1 Sm 25:3).

- Nabal negou ajuda a Davi, que já fora ungido rei de Israel (vs. 9-11) e Davi estava
disposto a tratar com ele (v. 13).

- Avisada disso, Abigail, tratou da questão, de forma submissa. Ela não aproveitou da
situação para livrar-se de Nabal. Ela o protegeu, mesmo sendo mal (v. 23-28). Quão
rico o coração dessa mulher de cobrir o próprio esposo.

- Abigail foi sensata e soube aproveitar a ocasião para trazer paz e harmonia (v. 23).
Para estabelecer a paz estava disposta a pagar qualquer preço (vs. 25-31).

17
- A prudência de Abigail impediu o rei de fazer mal (vs. 33-34). Uma pessoa néscia,
imprudente jamais mudará o coração das pessoas. Mas a mulher sensata e prudente
mudou toda uma situação. O rei atendeu à sua petição (v. 35).

- Uma irmã prudente e sensata tem a capacidade de mudar o coração do rei.

- Depois de tudo calmo ela sentou-se com o marido e foi ajudá-lo (v. 38).

- Depois Nabal morreu e Abigail tornou-se viúva e foi desposada pelo rei Davi.

- Quando praticam a Palavra, sendo pessoas sensatas e prudentes, as irmãs


cooperarão com o avanço do mover de Deus e certamente terão parte no reino.

- Esperar para ouvir somente "servo bom e fiel, entra no gozo do Senhor".

- Há uma experiência de uma irmã, que expôs um erro grave de seu marido a toda a
igreja. Aconteceu que o irmão foi restaurado. Arrependeu-se e tentou voltar à vida
normal do lar. Mas estava nu diante de toda a igreja, por que foi exposto pela esposa.

TRANSMITIR OS PRINCÍPIOS RECEBIDOS

- A Palavra de Deus tem efeito eterno, os princípios não mudam. Temos que nos
adequar aos princípios. Nós é que temos que nos encaixar à realidade da Palavra.
Precisamos usar o manual, a Bíblia em todo o nosso viver.

- Por outro lado, quanto à igreja, precisamos nos unir ao Senhor. Precisamos nos
tornar uma auxiliadora idônea, para complementar e suprir o Senhor, conforme Seu
propósito eterno.

- Como um homem coletivo, como membros do Corpo de Cristo, devemos nos


preocupar com cada um. Não recebemos a Palavra apenas para nós mesmos. O
Senhor quer fazer-nos mestres do bem (Tt 2:2-5).

- Precisamos atentar à Palavra e receber cada princípio, mesmo que, aparentemente,


não se aplique a nós.

- As irmãs passarão por muitas experiências que os irmãos nunca passarão. Toda vez
que passamos por experiência não é só para nós e nunca é além do que suportamos -
tudo o que passamos vem graça junto e depois que passa sempre é útil para instruir a
outros.

- As casadas precisam ouvir acerca do procedimento das novas. As mães que já


casaram seus filhos precisam ouvir acerca de cuidar de filhos. Cada experiência deve
ser aliada à Palavra para que cada irmã seja uma instrutora daquelas que vêm após
ela.

- Tudo que o Senhor investiu em nós precisamos passar para os outros.

- As experiências das irmãs são para torná-las cooperadoras com o Senhor e com os
irmãos responsáveis, no cuidado das mais jovens. Por isso precisam ser temperantes,
respeitáveis, sensatas, constantes, sérias em seu proceder. Essas são características
das santas mulheres do passado, que se tornaram modelo para o povo de Deus. Por
outro lado, aquelas que não foram assim, tal como Miriã, se tornaram uma advertência

18
para o povo. Quem quer passar pela experiência de Miriã? Quem quer tornar-se um
estorvo para o povo e para o mover de Deus?

O TEMOR DO SENHOR É O PRINCÍPIO DA SABEDORIA

- As mulheres piedosas, as mulheres santas foram sempre pessoas claras acerca do


ordenamento de Deus, acerca de sua posição e função no propósito de Deus.

- Por isso precisamos de 1) clareza do governo de Deus; e 2) atitude que diz respeito
ao nosso modo de viver = temor ao Senhor.

- Quando tratamos com as pessoas precisamos exercitar fazer tudo no temor de


Cristo. Esse temor tem que reger nossas vidas.

- Quando abrir a boca colocar tudo sob o filtro do temor do Senhor. Exercitar o temor
antes de falar ou fazer qualquer coisa.

- Nossas atitudes no relacionamento humano, no trato com empregados, com


familiares, precisam estar cheias de temor ao Senhor. Precisamos de uma vida que
expresse a natureza de Deus. O temor de Deus é uma ferramenta, um princípio, que
deve nortear nossas vidas. Discussões, gritarias, desrespeito, tudo isso é falta do
temor de Deus (Pv 1:7; Pv 9:10; Sl 25:14). Temor não se refere a medo, mas a um
sentimento de respeito, de reverência, de perceber a posição do Senhor.

- Uma demonstração clara de que temos temor do Senhor é seguirmos o ordenamento


de Deus. Por isso Sara, que reconhecia seu marido como seu senhor, era um
testemunho de uma mulher que temia ao Senhor (1 Pe 3:6). Temer ao Senhor abre
caminho para que a intimidade do Senhor se torne conhecida (Sl 25:14). Temer ao
Senhor, guardando a ordem estabelecida por Ele, nos faz conhecê-Lo mais, nos faz
mais alinhados à Sua vontade.

- Abigail foi submissa, embora fosse ativa. Ela cuidou do problema, mas ainda assim
foi ter com seu marido. Ela temia ao Senhor, por isso não escondeu nada de seu
marido, nem o deixou sozinho em seu erro (1 Sm 25:36). Abigail, assim como todas as
irmãs, tinha um grande potencial. Se fosse usado erroneamente, causaria problemas e
morte. As irmãs precisam aprender a passar pelo filtro do Espírito, o filtro da
dependência e comunhão com Deus. Se tiverem temor de Deus, as irmãs não farão
nada sozinhas, por si mesmas.

- Se guardarem o temor do Senhor, as irmãs podem tornar-se mestres do bem (Tt


2:3). Por outro lado, as mais jovens precisam temer ao Senhor, ser humildes, e
receber ajuda. Essa ajuda não diz respeito a intrometer-se, a influenciar, mas a cuidar
(2 Tm 3:11). As jovens precisam aprender a respeitar as restrições impostas por meio
dos pais.

- Jovens, se querem a bênção, aprendam a ouvir seus pais

A PORÇÃO DAS IRMÃS NA FAMÍLIA

- As irmãs receberam a incumbência de cuidar de sua casa e dos seus filhos. Se


estiverem dispostas a seguir a Palavra, o Senhor lhes dará graça. Os maridos devem,
igualmente, viver a vida comum do lar, devem cooperar em cuidar das coisas práticas
(1 Pe 3:7).

19
- O homem é a cobertura da mulher, e a mulher a cobertura de sua casa, de seus
filhos. A irmã, na função de auxiliadora idônea deve cuidar de seu marido, para que
essa cobertura possa crescer.

- Esse cuidado da irmã com a casa é para que a Palavra de Deus não seja difamada
(Tt 2:5). Se a casa está bem cuidada, a Palavra pode avançar.

- A mulher que teme ao Senhor será louvada, a mulher que teme ao Senhor recebe
aprovação do Senhor (Pv 31:30). As coisas externas não são essenciais, não são
nossa maior necessidade. O traje exterior não é essencial, mas sim as virtudes
provenientes da vida de Deus, do temor do Senhor, que fazem da mulher um vaso útil
ao Senhor (1 Pe 3:3-4). O tempo anteriormente aplicado nas coisas exteriores pode
ser consideravelmente reduzido e aplicado na oração, na comunhão do Senhor.

- Ataviar-se decentemente, com modéstia e bom senso equivale a orar em todo lugar,
levantando mãos santas (1 Tm 2:8-10). Isso mostra que precisamos estar livres,
desembaraçados, para servir o Senhor. A sensatez e a coordenação dos cônjuges na
administração dos bens, dos gastos, do tempo, é extremamente necessária para que
vivamos uma vida piedosa, cheia de boas obras para com Deus.

- Maria tinha algo guardado para praticar uma boa ação para com o Senhor (Mt 26:10).
Muitas vezes somos incapazes de praticar uma boa ação para o reino por que
administramos mal aquilo que o Senhor nos confiou.

- Especialmente quanto ao tempo, as irmãs precisam aprender a aplicar-se no Senhor


(1 Tm 5:11-13).

- As irmãs precisam ser guardadas, ser salvas, preservadas, por meio de cumprir sua
missão de mãe, sendo boas donas de casa (1 Tm 2:15; Tt 2:4). Isso não diz respeito a
aplicar-se apenas aos afazeres de uma casa, mas a cuidar das coisas da casa de
maneira eficiente, aplicar bem o tempo, para que haja oportunidade de buscar e servir
ao Senhor. A missão de mãe e de dona de casa é, na verdade, a missão de cuidar
para que as coisas espirituais façam parte da vida comum do lar.

- Levar os filhos a ler a Bíblia, levar o marido a orar mais. Isso precisa ser feito de
maneira cortês, de maneira doce, como só as irmãs podem fazer (Tt 3:2).

- O nosso trabalho no Senhor não é vão (1 Co 15:58). O pão vivo, que as irmãs
lançam sobre as águas, será achado (Ec 11:1). A vida que as irmãs gerarem em suas
casas será uma bênção para elas mesmas, para a igreja e para o propósito eterno de
Deus.

- As irmãs podem gerar muita vida, participando do Projeto Vida para Todos, por
exemplo. As irmãs têm o potencial de envolver todos em sua casa nas coisas do reino.
Se uma irmã cuida de um ou mais banners do Projeto Vida para Todos, se aplica
tempo nisso, certamente será frutífera para o plano de Deus.

- A esposa piedosa deve ser aquela que leva o marido a cuidar das coisas do Senhor,
se não, ele estará dividido entre o Senhor e as coisas do mundo (1 Co 7:29-33). Se o
marido cuida bem da esposa, e a esposa do marido, ambos terão tempo para cuidar
das coisas do Senhor.

- A consagração da família depende da consagração das irmãs. O Senhor precisa de


uma geração de irmãs que se desgastem em favor do avanço do evangelho. Não é

20
uma questão de ditar a direção, ou liderar, mas de dar apoio, de motivar, suportar, de
se entregar.

- Cuidar do marido não é cuidar das coisas do mundo, mas sim dos interesses do
Senhor.

- As irmãs precisam ser mães para aqueles que pregam o evangelho (Rm 16:13). As
irmãs devem suprir, consolar, encorajar e participar conjuntamente com aqueles que
saem para propagar o evangelho do reino.

21