Você está na página 1de 9
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Administrar P ODC - PLANEJAR No

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Administrar

ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Administrar P ODC - PLANEJAR No planejamento, define-se onde a

PODC - PLANEJAR No planejamento, define-se onde a organização pretende chegar e como isso será feito. Devem ser estipulados:

- Objetivos e Metas

- Meios de Realização (Atividades e Recursos)

- Meios de Controle

PODC - ORGANIZAR Corresponde a constituir a própria organização, por meio de sua estrutura, de forma a permitir a divisão do trabalho entre diversas unidades administrativas, equipes e pessoas. Inclui também a alocação de equipamentos, pessoas e recursos produtivos em geral, de forma a permitir a constituição de processos produtivos racionais e eficientes, em função dos resultados planejados.

PODC - DIRIGIR Trata dos esforços de liderança e coordenação das pessoas, das equipes e dos processos produtivos que elas realizam, de forma a assegurar o melhor aproveitamento possível dos recursos, sempre com foco nos resultados organizacionais.

PODC - CONTROLAR

Significa verificar se os planos e programações estão sendo executados da maneira adequada, permitindo identificar de forma tempestiva correções necessárias. Engloba:

- Definição de padrões

- Medição do que está sendo realizado

- Comparação entre realizações e padrões

- Adoção de medidas corretivas

realizações e padrões - Adoção de medidas corretivas Departamentalização ORGANIZAR! Definindo a estrutura

Departamentalização

ORGANIZAR!

Definindo a estrutura organizacional: 1. Analisar os objetivos 2. Dividir o trabalho segundo critérios adequados
Definindo a estrutura organizacional:
1.
Analisar os objetivos
2.
Dividir o trabalho segundo critérios
adequados
3.
Definir responsabilidades
4.
Definir níveis de autoridade
5.
Desenhar a estrutura da organização
Divisão do Trabalho
Processo por meio do qual as atividades são
divididas em partes e as partes são atribuídas
a pessoas ou equipes
O trabalho é dividido em unidades, de acordo
com critérios adequados a cada caso.
Cargos e Responsabilidades
CARGO:
Menor unidade de trabalho da estrutura
organizacional, correspondendo a um conjunto
de atividades que seu ocupante deverá
realizar.
RESPONSABILIDADES:
Deveres das pessoas para a realização de
atividades. A descrição do cargo corresponde
ao conjunto das responsabilidades a ele
atribuídas.
Hierarquia e Amplitude (1)
do cargo corresponde ao conjunto das responsabilidades a ele atribuídas. Hierarquia e Amplitude (1) www.cers.com.br 1
do cargo corresponde ao conjunto das responsabilidades a ele atribuídas. Hierarquia e Amplitude (1) www.cers.com.br 1

www.cers.com.br

1
1
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Hierarquia e Amplitude (2) Estrutura Linear

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Hierarquia e Amplitude (2)

Estrutura Linear

Albernaz Hierarquia e Amplitude (2) Estrutura Linear Estrutura ACHATADA: Grande número de subordinados por

Estrutura ACHATADA:

Grande número de subordinados por chefe Pequeno número de chefes

Estrutura AGUDA:

Pequeno número de subordinados por chefe Grande número de chefes

Hierarquia e Amplitude (3) FATORES (de Bardkull) para determinar a amplitude de controle ideal:

Vantagens responsabilidades; constante; de autoridade em poucas turbulentos; A a rigidez das relações
Vantagens
responsabilidades;
constante;
de
autoridade
em
poucas
turbulentos;
A
a rigidez das relações hierárquicas;
A

Similaridades das funções supervisionadas Proximidades dos funcionários Complexidades das funções Grau de controle e direção requeridos Grau de coordenação requeridos Relevância e complexidades das tarefas Centralização e Descentralização

Estrutura simples e de fácil compreensão, pois a estrutura é claramente expressa no organograma. Clara definição das atribuições e

Facilidade de implantação; Estabilidade, pois, como as relações de autoridade e as funções são bem definidas, a

Estrutura CENTRALIZADA:

organização tende a um funcionamento

Concentração

pessoas

Ideal para pequenas empresas: fácil operacionalização e pela economia que sua estrutura simples pode oferecer;

Estrutura DESCENTRALIZADA :

Distribuição do poder de decisão, mediante delegação de atribuições e autoridade A delegação pode se dar entre pessoas e entre unidades organizacionais

Ideal para situações de permanência e estabilidade.

Desvantagens A estabilidade das relações formais dificulta a ocorrência de transformações e mudanças, de forma que não é adequada para ambientes

Departamentalização

Principais critérios:

Funcional Geográfico Produto Cliente Áreas de conhecimento Projetos Processos Unidade de negócios

autoridade linear, baseada no comando

único, pode tornar-se autocrática, aumentando

unidade de comando torna o chefe um

generalista, pois pelo chefe, transitam todos os

produtos de seus subordinados; Com o crescimento da organização, conduz ao congestionamento das linhas formais de relacionamento e comunicação, devido à centralização da supervisão.

Estrutura Linha-Estafe

de relacionamento e comunicação, devido à centralização da supervisão. Estrutura Linha-Estafe www.cers.com.br 2
de relacionamento e comunicação, devido à centralização da supervisão. Estrutura Linha-Estafe www.cers.com.br 2

www.cers.com.br

2
2
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Vantagens Inclui assessoria especializada

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Vantagens Inclui assessoria especializada e potencialmente inovadora para a organização, mas preservando o princípio
Vantagens
Inclui assessoria especializada e
potencialmente inovadora para a organização,
mas preservando o princípio da unicidade de
comando;
Permite a atuação conjunta e coordenada de
órgãos de linha e de estafe.
Desvantagens
Possibilidade de conflito entre órgãos de linha
e de estafe;
Dificuldades na obtenção e manutenção do
equilíbrio entre linha e estafe.
Pode
resultar
em
confusão
quanto
aos
objetivos.
Especialização
Estrutura Funcional
Estrutura Matricial
Organização Funcional
Consiste em determinar as unidades
responsáveis pelas funções organizacionais
Pode ser usado sucessivamente dentro dos
departamentos
Pode ser usadas em pequenas e grandes
organizações
Nem sempre haverá um departamento
exclusivo para cada função
Vantagens
Proporciona o máximo de especialização;
Permite melhor supervisão técnica, devido à
especialização;
Permite o desenvolvimento de comunicações
diretas;
Proporciona a segregação das funções de
planejamento e de controle das funções de
execução.
Desvantagens
Resulta na diluição da autoridade, com
situações de múltipla supervisão;
Pode ocorrer uma tendência de concorrência
entre os especialistas;
Pode resultar em excessiva especialização;
Vantagens
Combinação dos benefícios e minimização das
desvantagens referentes às estruturas
funcionais e por projeto / produto;
Combinação de esforços de especialização e
coordenação;
Facilita o foco no lucro e no aproveitamento
dos recursos;
É uma possível resposta à crescente
complexidade das organizações;
É uma possível resposta à turbulência do
ambiente em que as organizações estão
inseridas.
É uma possível resposta à turbulência do ambiente em que as organizações estão inseridas. www.cers.com.br 3

www.cers.com.br

3
3
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Desvantagens Ocasiona dupla subordinação,

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Desvantagens

Ocasiona dupla subordinação, encerrando a unicidade de comando; Enfraquece a coordenação vertical;

O êxito depende essencialmente da

coordenação e colaboração das unidades.

Estrutura em Rede

interativos, que se reúnem visando à obtenção de um determinado objetivo.” O conceito proposto engloba grupos formais, que são definidos pela estrutura da organização; e grupos informais, ou seja, alianças que se formam de maneira natural no ambiente de trabalho e não são determinadas pela estrutura ou pelas normas da instituição, com propósitos de trabalho ou não.

da instituição, com propósitos de trabalho ou não. Grupos x Equipes Para Robbins: Grupos x Equipes
Grupos x Equipes Para Robbins: Grupos x Equipes
Grupos x Equipes
Para Robbins:
Grupos x Equipes
ou não. Grupos x Equipes Para Robbins: Grupos x Equipes Flexibilidade: Redes Organizacionais • São constituídas

Flexibilidade: Redes Organizacionais

São constituídas por um conjunto de unidades ou organizações com atividades coordenadas, por meio de contratos, acordos ou relações interpessoais

“Um grupo de trabalho interage basicamente para compartilhar informações e tomar decisões para ajudar cada membro em seu desempenho na sua área de responsabilidade.” “Uma equipe de trabalho gera uma sinergia positiva por meio do esforço coordenado. Os esforços individuais resultam em um nível de desempenho maior do que a soma das contribuições individuais.”

Surgem como alternativa às estruturas hierárquicas rígidas e formais

Proporcionam flexibilidade e dinamismo estrutural

Caracterizam-se pela descentralização da autoridade

Apresentam maiores níveis de democracia nas decisões (o que pode resultar em lentidão nos processos decisórios)

Proporcionam alto grau de autonomia aos seus membros

Modelo Mecânico Adequado a ambientes estáveis Trabalho especializado Papéis determinados Padronização de tarefas Hierarquia reforçada Centralização da autoridade Controles burocráticos fortes Organização informal: símbolos de status

Modelo Orgânico Adequado a ambientes turbulentos Equipes multifuncionais Papéis complexos e dinâmicos Integração complexa Descentralização da autoridade Autonomia Controles burocráticos fracos

Baseiam-se no compartilhamento de informações, conhecimentos e diversas formas de recursos

Podem dificultar a prestação de contas e a responsabilização dos atores participantes

Requerem um equilíbrio preciso entre integração e independência dos participantes da rede

Demandam formas eficientes de comunicação e coordenação

Requerem novos métodos de gestão e controle

Trabalho em Equipe: Grupos

Para Robbins:

“Um grupo é definido como o conjunto de dois

ou mais indivíduos, interdependentes e

Para Robbins: “Um grupo é definido como o conjunto de dois ou mais indivíduos, interdependentes e

www.cers.com.br

4
4
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Organização informal: baseada em

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Organização informal: baseada em COMUNICAÇÃO: FUNÇÕES competência • Informação: a comunicação tem
Organização
informal:
baseada
em
COMUNICAÇÃO: FUNÇÕES
competência
• Informação: a comunicação tem também
como função passar informações para
tomada de decisões.
• Controle: toda organização tem hierarquias
e orientações formais e informais, que
controlam o comportamento dos
funcionários. A comunicação formal de
controle refere-se às regras formais
comunicadas verbalmente ou por escrito, e
a comunicação informal de controle refere-
se às regras não verbais.
Motivação: o estabelecimento de metas e o
feedback dos progressos são exemplos do
uso da comunicação para motivar e reforçar
o comportamento desejável nos
funcionários.
Expressão emocional: para muitos, o grupo
de trabalho é uma fonte primária de
interação social, de maneira que as
pessoas se utilizam do grupo para
expressar sentimentos, (in)satisfações e
necessidades.
COMUNICAÇÃO: PROCESSO
COMUNICAÇÃOORGANIZACIONAL
Comunicação entre pessoas!
• Comunicação como mecanismo de
integração nas organizações
COMUNICAÇÃO: ELEMENTOS
• Transmissor
• Receptor
• Canal de Comunicação
• Mensagem
• Codificação
• Transmissão
• Recepção
• Decodificação
• Feedback
• Mensagem • Codificação • Transmissão • Recepção • Decodificação • Feedback www.cers.com.br 5

www.cers.com.br

5
5
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz Barreiras à Comunicação • Escolha

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

Barreiras à Comunicação

Escolha de Canais Inadequados

Escolha de Linguagem Inadequada

Limitação de Expressão Relacionada às Emoções

Desatenção ao Feedback

Percepção Seletiva

Filtragem

Tipos de Falhas no Processo de Comunicação

Questões de Prova

01. Selecione a opção correta.

a) A departamentalização funcional tem como

principal característica a existência de uma estrutura funcional por produto.

b) A departamentalização por produto foca o

desempenho técnico, financeiro e econômico dos nichos de mercado. c) A departamentalização por clientes concentra competências semelhantes do seu corpo de funcionários em uma mesma unidade. d) A departamentalização geográfica pode apresentar a duplicação de atividades funcionais e concentra a sua atenção em cada território de atuação da organização. e) A departamentalização por fases do processo produtivo facilita o monitoramento das tendências do mercado e garante a verticalização da organização.

02. estrutura a) matricial b) por equipes c) hierárquica d) em redes e) Adhocrática (
02.
estrutura
a) matricial
b) por equipes
c) hierárquica
d) em redes
e) Adhocrática
(
equipes c) hierárquica d) em redes e) Adhocrática ( FALHAS • Complete a frase com a

FALHAS

Complete a frase com a opção correta: A

essência da organização que adota uma

é combinar duas

A sobrecarga ocorre quando a fonte envia uma quantidade de informação superior à capacidade de processamento do receptor. Assim, o destinatário não será capaz de receber e decodificar de forma adequada a mensagem, tornando a comunicação ineficaz.

formas de departamentalização a funcional com a de produto ou projeto. Isso significa que há um balanço delicado de dupla subordinação.

A omissão ocorre quando a mensagem transmitida contém lacunas. Nesse caso, nem todo o conteúdo desejado irá chegar ao receptor, também limitando a eficácia do processo de comunicação.

A distorção ocorre quando a mensagem chega à fonte, mas por alguma razão sofre alterações que a tornam diferente do que pretendia o emissor. Ou seja, não há lacunas, mas sim desvios de significado.

03. Assinale como verdadeira (V) ou falsa (F) as afirmativas a respeito dos tipos tradicionais de organização.

) A estrutura funcional é caracterizada por

uma autoridade funcional ou dividida de acordo

com as funções exercidas por cada um dentro

da organização

( ) Na estrutura linha-staff a especialização é substituída por uma abordagem holística da organização onde cada setor é simultaneamente operação e assessoria.

( ) A estrutura linear é baseada na autoridade linear, que significa que cada superior tem

assessoria. ( ) A estrutura linear é baseada na autoridade linear, que significa que cada superior

www.cers.com.br

6
6
ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz autoridade única e absoluta sem reparti-la

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

autoridade única e absoluta sem reparti-la com ninguém ( ) Na estrutura linha-staff as áreas responsáveis pelos objetivos vitais da empresa estão ligadas em linha enquanto os órgãos de assessoria não possuem uma autoridade linear ( ) A estrutura linear é caracterizada por uma ênfase na especialização. Cada órgão contribui com sua especialidade para a organização sem diluição da unidade de comando.

diversas empresas em diferentes mercados, sendo marcada pela individualidade das organizações.

07. Organizações horizontais e não

burocráticas se utilizam, mais comumente, de uma estrutura linear, basicamente caracterizada por flexibilidade estrutural, favorecimento do trabalho em equipes de cooperação e descentralização de autoridade/responsabilidade.

08. a 09. matricial é evitar a ambigüidade. 10. 11.
08.
a
09.
matricial é evitar a ambigüidade.
10.
11.

Escolha a opção correta.

a) V, F, V, V, V

b) F, V, F, V, F

c) V, V, F, F, V

A estrutura organizacional que

d) V, F, V, V, F

subordina um funcionário a dois chefes simultaneamente se denomina estrutura linear.

e) F, F, V, V, V

04.

optou por desenvolver

A empresa Soluções Inovadoras S. A.

Uma das conseqüências da estrutura

departamentalização por projetos, onde ocorre a combinação de estruturas por função e por produto. Foi solicitado a você que apresentasse um organograma da nova

Se, no Ministério das Comunicações,

estrutura. O organograma escolhido foi:

existir um servidor que esteja subordinado direta e unicamente a um chefe, mas receba orientações técnicas de outro órgão, essa situação caracterizará uma estrutura linha- estafe.

A) matricial

B) de linha

C) BCG

D) cruzado ou conjugado

E) linha x staff

Caso o Ministério das Comunicações

busque contemplar uma estrutura que disponha seus órgãos componentes em áreas especializadas em assuntos específicos e que possua servidores especialistas nestes temas, essa disposição caracterizará uma estrutura funcional.

05. Quando a Administração Pública, diante da complexidade das atividades por ela desenvolvidas, distribui competências, no âmbito de sua própria estrutura, a fim de tornar mais ágil e eficiente a prestação dos serviços, ocorre a técnica administrativa intitulada:

12. As equipes são vantajosas porque rompem a rigidez hierárquica das empresas baseadas em compartimentos, facilitam o processo de comunicação interna e reúnem pessoas com conhecimentos de várias áreas, aproximando-as.

a) descentralização.

b) desconcentração.

c) delegação.

d) privatização.

e) desburocratização.

06. A organização em rede tem sido um

instrumento facilitador na formação de monopólios sobre tecnologias e meios de

produção, assim como na exclusão de

13. A estrutura organizacional que possui

apenas três grandes áreas e nelas enfatiza as chefias das áreas específicas como

que possui apenas três grandes áreas e nelas enfatiza as chefias das áreas específicas como www.cers.com.br

www.cers.com.br

7
7
pessoas, finanças e produção é um exemplo de estrutura matricial. 14. Nas organizações estruturadas verticalmente,

pessoas, finanças e produção é um exemplo de estrutura matricial.

14. Nas organizações estruturadas verticalmente, o excesso de subdivisões hierárquicas constitui uma barreira à fluidez da comunicação, retardando as reações da empresa aos estímulos levantados pelo ambiente externo.

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

15. No processo de comunicação, a percepção e interpretação, por parte do receptor, do significado
15.
No processo de comunicação, a
percepção e interpretação, por parte do
receptor, do significado da mensagem
recebida é denominada
(A)
codificação.
(B)
feedback positivo.
(C)
decodificação
(D)
tautologia.
(E)
resposta.
16.
Para reduzir as dificuldades de
comunicação nas organizações públicas
derivadas do padrão burocrático de gestão
é recomendável
(A)
Investir
em
novas
tecnologias
da
informação.
(B)
Incentivar
fluxos
descendentes
de
informação.
(C)
concentrar o fluxo de informação oficial na
intranet.
(D) fortalecer os fluxos laterais ou horizontais
de informação.
(E)
Eliminar
os
fluxos
informais
de
comunicação.
laterais ou horizontais de informação. (E) Eliminar os fluxos informais de comunicação. www.cers.com.br 8

www.cers.com.br

8
8
GABARITO 01. D 02. A 03. D 04. A 05. B 06. Errado 07. Errado

GABARITO

01. D

02. A

03. D

04. A

05. B

06. Errado

07. Errado

ISOLADA – “COMEÇANDO DO ZERO” Administração Geral Leonardo Albernaz

08. Errado 09. Errado 10. Certo 11. Certo 12. Certo 13. Errado 14. Certo 15.
08. Errado
09. Errado
10. Certo
11. Certo
12. Certo
13. Errado
14. Certo
15. C
16. D
Albernaz 08. Errado 09. Errado 10. Certo 11. Certo 12. Certo 13. Errado 14. Certo 15.

www.cers.com.br

9
9