Você está na página 1de 6

TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS

(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)


Sinopses dos Espectáculos
20/05/08 (3.ª feira) RTX 78/24 é a estreia de António Gedeão como autor dramático. Esta obra “procura
10H00 esclarecer e ampliar uma das constantes mais angustiosas da sua poesia: a inadaptação da
“RTX 78-24” de António Gedeão (adaptação) inocência à estrutura cruel da sociedade. O homem só, personificado em António,
Escola Secundária Jaime Moniz protagonista da peça, percorre sucessivamente os representantes universais da sociedade, em
(Clube de Teatro O Moniz – Carlos Varela) busca de aconchego que o realize e justifique, como criança perdida no labirinto da multidão
(55 m) hostil. Nos pobres e nos ricos, nos fracos e nos pobres, nos subordinados e nos dirigentes, em
todos os tempos e em todos os lugares, se lhe depara a mesma fermentação do vício, a mesma
potencial violência, a mesma mistificação, o mesmo desprezo pela verdade, pela razão e pela
justiça. Na sua ingénua compleição mental António espera que o Amor possa salvar os
homens. A sua esperança é uma sede de esperança.”
20/05/08 (3.ª feira) Um dos Poemas:
11H15 Sim, só mais esta vez!
Declamação de alguns poemas do livro Prometo que volto a mim
“Mágoas” de Fernando Torga, Pois sinto a opressão assim
heterónimo de André Perdigão Flagrante e imperatriz
Associação Académica da Universidade Dói-me pensar sério
da Madeira Fere-me o tédio
(15 m) De não ser
Como o meu ser
Inacabado e austero
Com presságios atrozes
De mim para……

20/05/08 (3.ª feira) Funchal. Época Pascal. Várias personagens “desesperam” num autocarro superlotado, dado o
14H00 trânsito congestionado. Entre homens e mulheres do povo, destacam-se pela sua
“Doce Vida” de Grupo TeatroZarco excentricidade, uma idosa burguesa, D. Quitéria, uma freira e um jovem efeminado. Logo se
Escola Bás. e Secundária Gonçalves Zarco instala a confusão, os empurrões, os apupos e a “bilhardice”. Após um episódio burlesco, no
(40 m) qual D. Quitéria sente-se mal e é roubada, a “trupe” é encaminhada para a esquadra local –
acto II.
Depois de algumas peripécias, o chefe da esquadra acaba por controlar a situação,
descobrindo que o ladrão é do tipo cleptomaníaco. Esta comédia põe a ridículo os chamados
“novos ricos”, a “fragilidade” da Igreja e o consumismo desenfreado generalizado.

1
TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)
Sinopses dos Espectáculos
20/05/08 (3.ª feira) Os idosos não são uns coitadinhos e muito menos incapacitado, nem velhos como trapos.
15H00 Apesar da idade avançada continuam vivos e merecem o respeito que, às vezes, não têm dos
“Velhos? Quem? Não!” de Grupo de Teatro mais novos.
da APEL À sua maneira, continuam a querer viver, continuam a sonhar e a sentir. Nesta peça, três idosos
Escola da APEL bem-humorados desabafam sobre a incompreensão de que muitas vezes padecem, apelando à
(Grupo de Teatro da APEL) mudança de mentalidades. Ao cruzarem-se com a geração mais nova, fazem de tudo para fazê-
(35 m)
la acreditar que a única coisa que os torna diferentes são as rugas, sendo a vontade de viver
aquilo que os torna iguais.
20/05/08 (3.ª feira) Uma agente da polícia é baleada, tomba inconsciente e vê-se subitamente noutra dimensão.
16H00 Passageiros humanos chegam ao Mar Vermelho do Purgatório e dali querem embarcar na
“A Xavelha do Purgatório” de José “Xavelha do Purgatório” que os levará às portas do Paraíso, onde será feito o seu julgamento
Bernardino G. Corte final. São eles Ossama Bin Laden; um médico cirurgião; uma agente da polícia; uma mulher do
Escola Básica e Secundária Padre Manuel povo; um bancário; o ministro José Sócrates; um dentista; alguns idosos e uma professora.
Álvares O inconformismo dos passageiros, que não querem ficar no “Mar Vermelho do Purgatório” e a
(Grupo de Teatro Voo à Fantasia)
audácia dos três anjos que comandam a Xavelha originam o debate em volta da questão: Quem
(60 m)
merece embarcar?
21/05/08 (4.ª feira) Este trabalho, intitulado Histórias Impossíveis, articula episódios ficcionados da vida de três
10H00 compositores – Joseph Haydn (séc.XVIII), Alma Mahler e Jean Sibelius (sécs. XIX – XX).
“Histórias Impossíveis” de Ron Butlin
(adaptação) Histórias Impossíveis resulta de uma adaptação de três contos retirados da obra Vivaldi and The
Escola Secundária Francisco Franco Number Three and other Impossible Stories, do escritor escocês Ron Butlin, em que grandes
(Oficina de Teatro Corpus) compositores do passado são capturados em momentos críticos da sua existência, com a
(50 m)
precisão de uma fotografia. Estas histórias reflectem sobre a natureza da criatividade e da
inspiração, iluminando o acto criador e o seu impacto no homem de génio, com humor,
inteligência e empatia.

Em Histórias Impossíveis, as figuras históricas contracenam com personagens fantásticas, em


situações e cenários de contornos surrealistas, que reinventam o registo biográfico.
21/05/08 (4.ª feira) Conversa de dois bonecos obre os sentimentos e o lugar de guardá-los, o coração. Será que
11H15 todos falamos do e com o coração?
“Antes de começar” de Almada Negreiros
(excertos)
Direcção Regional de Qualificação
Profissional
2
TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)
Sinopses dos Espectáculos
(Coração de Seda)
(15 m)
21/05/08 (4.ª feira) O professor de informática tem um leitor de MP3 que faz um grupo de 3 alunos viajarem no
14H00 tempo, vivendo situações diversas em cada espaço/época. Retrata a evolução da Escola em
“Educação.mp3” de Manuel Duarte Silva Santana, desde a escola das irmãs até à actualidade. Procura retratar relatos de pessoas antigas,
Ferreira de situações particulares, espaços diversos de aprendizagem e sobretudo dificuldades e
Escola B+S Bispo D. Manuel Ferreira Cabral problemas dos alunos dessas décadas.
(50) m
Esta peça foi escrita para os 25 Anos da Escola de Santana, do chamado “Liceu”, que se
comemorou a 11 de Outubro de 2007.
21/05/08 (4.ª feira) Uma mulher que depois de ser traída pelo marido decide vingar-se com uma atitude macabra
16H00 matando os dois filhos.
“Medeia” de Eurípedes (adaptação)
Escola Básica e Secundária de Ponta do Sol
(Núcleo Teatro ao Sol)
(50 m)
23/05/08 (6.ª feira) Este texto conta a história de uma criança que vive numa aldeia e que um dia decide roubar
15H00 uma estrela. A mensagem transmitida pelo conto é que não devemos desistir dos nossos sonhos,
“A estrela” de Virgílio Ferreira mesmo que nos pareçam difíceis de alcançar.
Exercício Teatral
Escola B. dos Louros
(Núcleo de Teatro da Escola dos Louros)
(25m)
23/05/08 (6.ª feira) Dois pastores desembarcados num arraial
16H00 Guardam o bazar, rebanhos e poesia.
“Mééééé...tudo é como é” Sem ambições no seu historial
Textos de Alberto Caeiro e Fernando Pessoa Escancaram a vida com euforia.
(Teatro Experimental do Funchal)
(50m) Areiam os tachos da alma,
Acompanhados dum belo jaqué.
Vamos lá é ter calma:
Mééééé… Tudo é como é

ou

3
TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)
Sinopses dos Espectáculos

Dois actores que se encontram


«Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda»∗
23/05/08 (6.ª feira) “Línguas de trapo - O Regresso” é o segundo formato de um programa televisivo a várias
17H30 vozes, com vários contextos e muitas piadas de mau gosto. O pior canal televisivo do país!
“Línguas de Trapo-O regresso” de Grupo de Galardoado internacionalmente com o prémio “Bota abaixo” e recomendado a várias estações
Teatro Juvenil do GCEA televisivas como um exemplo a não seguir. Qualquer semelhança será pura coincidência mas
Gabinete Coordenador de Educação Artística enfie o barrete, quem lhe servir!
(50 m)
26/05/08 (2.ª feira) Quem é que nunca passou por uma crise de adolescência? Provavelmente quem ainda não
10H00 chegou a essa idade.”
“MSN (Memórias só nossas)”de Grupo de Um diálogo entre 7 adolescentes onde se abordam questões próprias da adolescência, vivências,
Teatro “Flores de Maio” experiências e até mesmo conselhos. Um diálogo do “interior” para o “exterior”, de dentro para
Associação Grupo Cultural “Flores de Maio fora. Vivido. Sentido. Representado e apresentado.
(40m)
26/05/08 (2.ª feira) Algures num local e num tempo o amor é proibido. Mas um homem e uma mulher conhecem-se
11H15 e procuram contrariar ordens superiores e instituições.
“ A invenção do Amor” de Daniel Filipe A sociedade manifesta-se contra o casal, que infringe a lei; faz mobilizar forças contrárias e
Conservatório - Escola Profissional das Artes opressoras.
(45 m) Este homem e esta mulher são procurados por todas as avenidas, ruas e becos da cidade como
se fossem criminosos.
Serão encontrados? O amor vencerá o medo, a opressão e a tirania?

4
TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)
Sinopses dos Espectáculos
26/05/08 (2.ª feira) Consultório de astrologia, bruxaria e ciências afins. Em palco, mestre Pipicula e sua
14H00 empregada. Enlace perfeito entre a intrujice e a ganância.
“Pipicula pimpinela, uma no cravo, outra na Recorrem aos serviços do Mestre vários grupos sociais – do simples agricultor, ao rico
canela” empresário, passando pelo prestigiado político entre outros – que pretendem, através da
Escola Bás. e Secundária da Calheta sabedoria do bruxo (Pipicula é doutorado!), alcançar determinados objectivos.
(Núcleo de Teatro Musical) A crença e a superstição caminham de mãos dadas nesta peça, em que o conflito de interesses
(50 m)
entre Pipicula e um religioso, que, tal como o mestre, também afirma ser capaz de curar todos
os males, serve de remate final.
Em Pipicula pimpinela, uma no cravo outra na canela! qualquer semelhança com a realidade
será pura coincidência.
26/05/08 (2.ª feira) Trata-se de uma rapariga simples e com algumas dificuldades financeiras, que após um
16H00 luxuoso baile decide mudar a sua vida, escolhendo outro caminho.
“Ser e parecer” de Sofia de M. Breyner
(adaptação do conto “A Gata Borralheira”)
Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo
Augusto da Silva
(O comboio)
(35m)
26/05/08 (2.ª feira) Um grupo de amigos encontra-se frequentemente num pátio escolar onde debatem as
17H00 trivialidades do quotidiano.
“Socorro! Tenho SIDA” adaptação de Gil Entre a amizade, a cumplicidade, o namoro, a inveja, o ciúme, este grupo vai-se debater com
Antunes um problema mais sério e complexo; a SIDA.
Escola B. e S. do Carmo Começam então, a surgir os preconceitos entre o grupo, mas também o espírito de luta e força
(Clube de Teatro Os Lobitos) interior com que o grupo se debate para minimizar o sofrimento da Patrícia.
(50 m) Sendo um drama com excertos de comédia, esta peça tenta caracterizar uma situação que não
sendo real, é perfeitamente susceptível de acontecer em qualquer outro grupo de jovens.
27/05/08 (3.ª feira) “Brincadeiras em Teatro” é um pequeno trabalho ainda em construção, tal como todo o
10H00 trabalho em teatro deve ser.
“Brincadeiras em Teatro” Grupo de Teatro da
Escola Básica do 2ª e 3ª Ciclos de S. Roque
Constituído por duas lengalengas e pela adaptação de dois pequeno contos tradicionais, este
(25m) trabalho mais não é do que uma leitura dramatizada de textos e de algumas brincadeiras que
fizemos em conjunto a partir deles e de contos que lemos ao longo dos nossos encontros
semanais.
Vamos continuar a construir e a enriquecer esta nossa apresentação e a imaginar um mundo de
imaginação onde podemos criar, imaginar, ser e, acima de tudo, nos divertir muito.
5
TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(20, 21, 23, 26 e 27 de MAIO)
Sinopses dos Espectáculos

27/05/08 (3.ª feira) NÓS E OS POETAS é um exercício de poesia que permite aos alunos um contacto
11H15 expressivo(vocal e corporal), com a poesia de alguns dos nossos grandes poetas portugueses
“Nós e os poetas” Exercícios de poesia de (Camões, Pessoa, Sá Carneiro, Césariny, Sophia de Mello Breyner e Herberto Hélder),aliado à
Paula Rodrigues música de Bethânia e Rodrigo Leão)
Escola Bás. e Sec. D. Lucinda Andrade
(LuAndrade Teatro)
(20m)
27/05/08 (3.ª feira) Em “Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim” temos presentes dois mundos diferentes, onde
16H30 se fantasiam amores, paixões, ciúmes e ódios… segundo as experiências de dois seres, em
“Amor de Dom Perlimplim com Belisa em universos e com idades diferentes. Um velho, dedicado à leitura e aos estudos, e uma jovem, que
seu jardim” de Federico Garcia Lorca descobre o seu corpo e os encantos das paixões na sua adolescência.
Direcção Regional de Educação Especial e Juntos por um casamento forçado (ele pela sua criada, ela pela sua mãe), o velho acaba por
Reabilitação – DAC descobrir o amor lascivo e carnal, e a jovem, ávida por novas experiências, deixa-se seduzir por
(Oficina Versus) todos os que a assediam, assumindo um profundo desinteresse pelo marido, velho verde e
(60m)
cansado.
Perlimplim, ama tanto a Belisa, que se faz passar por outros, para controlar a sua atenção e
interesse. Mas, cansado desta múltipla personalidade, e desiludido, porque afinal não é por ele
que ela suspira, desiste, deixando-a livre para amar. E como a ama, para não a matar por ciúme,
mata-se ele por amor. Resignado, confessa-lhe - “Como sou um velho, quero sacrificar-me por
ti... Isto que eu faço nunca ninguém o fez. Mas eu já estou fora do mundo e da ridícula moral dos
outros.”
O universo de Perlimplim é rodeado por Marcolfa, a criada que sempre o acompanhou, mas que
não consegue demovê-lo do seu plano maquiavélico. A mãe de Belisa, que acredita apenas no
poder do dinheiro que dá formosura, sendo esta o isco cobiçado pelos homens. Por cinco
Duendes, que no original são dois, e que aqui se desdobram tanto na ingenuidade de Perlimplim
como na sua perversa loucura.
O espectáculo desenrola-se na construção e desconstrução das cenas e nos picos ora cómicos,
ora dramáticos, ou trágicos de um texto simples considerado pelo autor como uma farsa para
bonecos.