Você está na página 1de 8

LISTA DE EXERCÍCIOS #2 - FÍSICA BÁSICA III

PROBLEMAS-EXEMPLO

1. A diferença entre os potenciais elétricos de uma nuvem e do solo numa dada região vale
∆V = Vnuvem − Vsolo = 1,2 × 109 V. Se um elétron se desloca do solo para a nuvem, qual
a variação na sua energia potencial elétrica?

Resolução 1. A variação na energia potencial elétrica é de

∆U = q∆V

ou

∆U = −1,6 × 10−19 × 1,2 × 109 = −1,92 × 10−10 J

Como

1 eV = 1,6 × 10−19 J

temos

∆U = −1,2 × 109 eV

2. Um anel de plástico de raio R possui cargas positivas distribuı́das de forma homogênea


sobre seu perı́metro, na forma de uma densidade linear de cargas λ. O anel é partido ao
meio. Determine o potencial elétrico no ponto P, o antigo centro do anel, conforme a figura
abaixo. As variáveis relevantes ao problema são sugeridas na figura.

Resolução 2. O potencial elétrico gerado pela carga dq na posição do ponto P é

1 dq 1 λdℓ 1 λRdθ λ dθ
dV = 2
= 2
= 2
=
4πε0 R 4πε0 R 4πε0 R 4πε0 R

onde usamos como referência para o cálculo do potencial elétrico da carga dq um ponto
muito afastado da mesma, supondo que o potencial elétrico vale zero nesse ponto. Então,

1
Z Z π
λ dθ λ
V = dV = =
0 4πε0 R 4ε0 R

3. Uma esfera isolante de raio R possui uma carga q distribuı́da de forma homogênea pelo
seu volume, definindo uma densidade volumétrica ̺. Pede-se

(a) Campo elétrico fora e dentro da esfera, utilizando a lei de Gauss.


(b) Utilizando como referência para o potencial elétrico fora da esfera (r > R) as condições
V = 0 para r → ∞, determine o potencial elétrico fora da esfera.
(c) Para determinar o potencial elétrico dentro da esfera, é preciso usar o potencial da
superfı́cie como referência. Use o potencial obtido no item anterior para determinar
o potencial na superfı́cie da esfera e, a partir dele, mostre que o potencial dentro da
esfera vale

q 3R2 − r 2
V (~r ) =
8πε0 R3

(d) Qual a diferença de potencial entre um ponto na superfı́cie da esfera e o centro dela?
Se q é positiva, qual dos dois pontos tem o potencial maior?
(e) Uma gota d’água esférica tem uma carga de q = 40 pC e gera na superfı́cie um
potencial de 300 V (usando como referência V = 0 em r → ∞). Qual o raio da gota?
Suponha que duas gotas iguais (mesma carga e raio) sejam reunidas para fazer uma
gota esférica maior. Qual o potencial na superfı́cie dessa nova gota?

Resolução 3.

(a) Para determinar o campo elétrico, usamos a lei de Gauss


i. Dentro da esfera, r ≤ R. Definindo uma superfı́cie esférica de raio r para efetuar
a integração, temos E~ k n̂, dq = ̺ dV e dV = 4πr 2 dr. Então,

1
I Z
~
E · n̂dS = dq
ε0 V
Z r
1
I
E dS = ̺4πr ′2 dr ′
ε0 0
4π̺ r 3
E 4πr 2 =
ε0 3
̺r
E = r≤R
3ε0
̺r
E~ = r̂ r≤R
3ε0
ii. Fora da esfera, r ≥ R. Definindo uma superfı́cie esférica de raio r para efetuar
a integração, temos E~ k n̂, dq = ̺ dV e dV = 4πr 2 dr. Então,

1
I Z
~
E · n̂ dS = dq
ε0 V
1 R
I Z
E dS = ̺4πr ′2 dr ′
ε0 0

2
4π̺ R3
E 4πr 2 =
ε0 3
̺R3
E = r≥R
3ε0 r 2
̺R3
E~ = r̂ r≥R
3ε0 r 2
(b) O potencial fora da esfera é obtido do campo fora da esfera através de
Z 2
V2 − V1 = − E~ · d~ℓ
1

onde o ponto 1 é a referência usada para o cálculo do potencial. No nosso caso, V1 = 0


e r1 → ∞. Além disso, o campo é radial, de modo que obtemos E~ · d~ℓ = E dr. Então,
Z r
V −0 = − E~ · d~ℓ
Z∞r
V =− E dr ′

Z r
̺R3
V =− dr ′
∞ 3ε0 r
′2

̺R3 r

V =
3ε0 r ′ ∞
̺R3
V (~r ) = , r≥R
3ε0 r

(c) Em r = R, temos o potencial na superfı́cie da esfera, isto é,

ρR2
V (R) =
3ε0

Usando esse ponto como referência, além do campo no interior da esfera, temos
Z 2
V2 − V1 = − E~ · d~ℓ
Z1 r ′
̺r ′
V − V (R) = − dr
R 3ε0
̺R2 ̺r ′2 r

V = −
3ε0 6ε0 R
ρR2 ̺r 2 ̺R2
V = − +
3ε0 6ε0 6ε0
̺R2 ̺r 2
V = −
2ε0 6ε0
̺
V (~r ) = (3R − r 2 ) ,
2
r≤R
6ε0

Agora, como a carga se distribui de forma homogênea,


q
̺= 4πR3
3

3
Assim,
q
4πR3
q 3R2 − r 2
V (~r ) = 3
(3R2 − r 2 ) = r≤R
6ε0 8πε0 R3

(d) Podemos obter a diferença entre os potenciais elétricos calculando o potencial no


centro da esfera, já que o potencial na superfı́cie já é conhecido. Assim,

3q
V (0) =
8πε0 R

Agora,
3
3̺ 4πR
3 ̺R2
V (0) = =
8πε0 R 2ε0

Então,

̺R2 ̺R2 ̺R2


V (R) − V (0) = − =−
3ε0 2ε0 6ε0

Se q é positiva, então ̺ é positiva, e o potencial no centro é maior que o potencial na


superfı́cie da esfera.
(e) Podemos obter o raio através de
q
R2
̺R2 4πR3
3
q
V (R) = = =
3ε0 3ε0 4πε0 R

ou seja,

q 40 × 10−12
R= = = 1,2 mm
4πε0 V (R) 4π × 8,85 × 10−12 × 300

O volume da nova gota será

4πR13 8πR13
V2 = 2V1 = 2 =
3 3
então,

4πR23 8πR13 √
⇒ R23 = 2R13
3
= ⇒ R2 = 2R1
3 3
Portanto,
q2 2q 2 q 2 2
V2 (R2 ) = = √ = √ = √ V (R) = √ 300 = 476 V
4πε0 R2 3
4πε0 2R1 3
2 4πε0 R1 3
2 3
2

4. Uma região possui um potencial elétrico dado por

V (x, y, z) = 5xy 2 z − 2xz

4
(a) Determine o campo elétrico na região.
(b) Determine a força que age sobre uma carga q colocada em ~r = x î + y ĵ + z k̂.

Resolução 4. (a) O campo elétrico é obtido através de E~ = −∇V , ou seja,


 
~ ∂ ∂ ∂
E = − î + ĵ + k̂ (5xy 2 z − 2xz) = −(5y 2 z − 2z) î − 10xyz ĵ − (5xy 2 − 2x) k̂
∂x ∂y ∂z

~ = QE~ , que fica, nesse caso,


(b) A força elétrica é dada por F

~ = −(5y 2 z − 2z)q î − 10xyzq ĵ − (5xy 2 − 2x)q k̂


F

5. Duas cargas Q e −Q estão situadas, respectivamente, nos pontos A(1, 3, −2) e B(−2, 0, 1),
e formam um dipolo elétrico. Sabe-se que Q = 3,2 µC. Determine

(a) Momento de dipolo p~.


(b) Torque gerado sobre o dipolo por um campo elétrico E~ = 2 î − 4 ĵ + k̂.
(c) Energia potencial armanezada no sistema devido à aplicação do campo elétrico sobre
o dipolo.

Resolução 5.

(a) O momento de dipolo p~ é dado por

~p = Qd~

onde d~ é o vetor que indica a posição relativa da carga positiva em relação à carga
negativa. Assim, temos

d~ = ~rBA = ~rA − ~rB = (1, 3, −2) − (−2, 0, 1) = (3, 3, −3) = 3(î + ĵ − k̂)

p~ = Qd~ = 3,2 × 10−6 × 3(î + ĵ − k̂) = 9,6 × 10−6 (î + ĵ − k̂) C.m

(b) O torque gerado sobre o dipolo pelo campo elétrico é dado por T~ = ~p × E~ . Portanto,

T~ = 9,6 × 10−6 (î + ĵ − k̂) × (2 î − 4 ĵ + k̂)


= −9,6 × 10−6 (3 î + 3 î + 6 k̂) = −28,8 × 10−6 (î + î + 2 k̂) N.m

(c) A energia potencial do sistema quando o dipolo fica sujeito ao campo elétrico é dada
por U = −~p · E~ , ou seja,

U = −9,6 × 10−6 (î + ĵ − k̂) · (2 î − 4 ĵ + k̂)


= −9,6 × 10−6 (2 − 4 − 1) = 28, 8 × 10−6 J

5
PROBLEMAS

1. Um átomo de hidrogênio possui um próton no núcleo e um elétron em movimento ao redor


dele, a uma distância média de r = 0,529 Å. Determine

(a) Potencial elétrico gerado pelo próton a uma distância igual à distância média do
elétron.
(b) Energia potencial elétrica do átomo. Obs.: determinar todas as energias em joules e
em elétrons-volt (1 eV = 1,6 × 10−19 J).
(c) Considerando que a força elétrica entre eles é a responsável pela órbita, suposta
circular, determine a velocidade escalar do elétron na órbita. Em seguida, determine
sua energia cinética.
(d) Qual a energia total do sistema? Essa é a energia necessária para ionizar o átomo,
ou seja, para separar o elétron do núcleo de modo que a distância entre eles seja
formalmente infinita. Essa energia também é conhecida como energia de ionização do
átomo.

2. O potencial elétrico numa região do espaço é dado por V (x, y, z) = 2x2 − 4xy 2 + 3z 5 (SI).
Determine

(a) Energia potencial elétrica do sistema quando uma carga q = 6,4 µC é colocada na
posição A(1, 2, 1).
(b) Variação do potencial elétrico e da energia potencial quando a carga é deslocada para
a posição B(2, −3, 0).
(c) Trabalho realizado pela força elétrica neste deslocamento.
(d) Campo elétrico gerado na região.
(e) Força elétrica sobre a carga na posição B.

3. A carga num cilindro de plástico de raio R e muito longo está distribuı́da de forma que a
densidade volumétrica de cargas segue uma função do tipo

̺ = kρ2 , ρ≤R

onde k é uma constante e ρ é a distância medida a partir do eixo do cilindro. Determine os


potenciais elétricos dentro e fora do cilindro usando como referência a superfı́cie do mesmo,
ou seja, V (ρ = R) = V0 , tanto para dentro como para fora dele. Em seguida, calcule a
diferença de potencial entre um ponto no centro do cilindro e um ponto situado na sua
superfı́cie. Inclua um esboço das superfı́cies equipotenciais e um gráfico V × r.

4. Considere o mesmo sistema do exercı́cio anterior, só que agora a referência será colocada
no eixo do cilindro, que terá um potencial V (ρ = 0) = V0 . Determine os potenciais dentro
e fora, e também a diferença de potencial entre um ponto no centro do cilindro e um
ponto na superfı́cie. Os potenciais são iguais aos do item anterior? Por que? A diferença de
potencial é igual? Por que? Inclua um esboço das superfı́cies equipotenciais e um gráfico
V × r.

5. Cargas Q e −Q formam um dipolo elétrico. As cargas estão localizadas em A(3, 0, −1) (Q)
e B(0, 1, 1) (−Q), sendo Q = 4,8 nC. Um campo elétrico E~ = −2 î + 3 ĵ − 2 k̂ atua sobre
esse dipolo. Todas as unidades são do SI.

6
(a) Obtenha o momento de dipolo p~.
(b) Determine o torque produzido sobre o dipolo.
(c) Ache a energia potencial do sistema.

6. Uma barra delgada de comprimento L está disposta como abaixo.

L
P
X L+X x

A barra possui uma carga total Q distribuı́da de forma homogênea, de modo a gerar uma
densidade linear de carga λ.

(a) Obtenha o potencial elétrico V gerado pela barra num ponto P do eixo x à direita
da mesma (x > X + L).
(b) Uma carga pontual q é colocada em xi = X + L + D, e transportada para xf =
X + L + 2D. Determine a variação de potencial elétrico sentida pela carga, a variação
de energia potencial do sistema e o trabalho realizado.

7. Um anel de plástico de raio R possui cargas positivas distribuı́das de forma homogênea


sobre seu perı́metro, na forma de uma densidade linear de cargas λ, conforme mostra a
figura. Determine o potencial elétrico gerado pelo anel no eixo z a partir de uma inte-
gração direta dos potenciais produzidos por elementos de carga. Em seguida, determine
o campo elétrico produzido pelo anel, através de E~ = −∇V , e compare com o resultado
obtido anteriormente para o campo do anel através de uma integração direta (lembre-se
de expressar r em termos de R e z para calcular as derivadas).

8. Uma esfera isolante de raio R é preenchida com cargas de modo que a densidade vo-
lumétrica de cargas segue a função

7
̺ = kr 2 , r≤R

onde k é uma constante e r é a distância de um ponto qualquer do espaço ao centro


da esfera. Determine o potencial elétrico dentro e fora da esfera, usando como referência
V (r → ∞) → 0 para fora e a superfı́cie da esfera para dentro.

9. Uma esfera metálica possui uma carga q distribuı́da sobre sua superfı́cie. A partir do
campo elétrico, considerando que V = 0 para r → ∞, determine o potencial fora da
esfera, para r > R. Em seguida, determine o potencial dentro da esfera. Inclua um esboço
das superfı́cies equipotenciais e um gráfico V × r.

10. Mostre que o potencial elétrico gerado por uma superfı́cie condutora plana de grandes
dimensões que possui uma densidade superficial de carga σ homogênea é dado por

σ
V (z) = V0 − z , z≥0
2ε0

onde foi admitido que o potencial elétrico na superfı́cie do plano vale V0 . Sugestão: calcular
inicialmente o campo elétrico. Quanto vale o potencial na região z ≤ 0?

11. Uma placa de material isolante tem espessura D na direção z e é muito longa nas outras
duas dimensões. Na placa foi colocada carga negativa, distribuı́da de forma que a densidade
volumétrica é constante. Determine

(a) Campo elétrico dentro e fora da placa. Inclua um esboço das linhas de campo e um
gráfico E × z.
(b) Potencial elétrico dentro e fora da placa, supondo que o potencial no centro da placa,
em z = 0, vale V (z = 0) = 0. Inclua um esboço das superfı́cies equipotenciais e um
gráfico V × z.

12. Uma esfera de raio R contém cargas que foram distribuı́das em seu volume de acordo com
a função
(
0, 0 ≤ r ≤ R1
̺(r) =
̺0 r, R1 ≤ r ≤ R

onde ρ0 é uma constante, e r é a distância de um ponto qualquer do espaço até o centro


da esfera. Determine o campo elétrico E~ gerado pela esfera nas várias regiões relevantes
e também o potencial elétrico considerando como referência V (r → ∞) → 0 para fora
da esfera, e referências apropriadas para as outras regiões. Inclua um esboço claro das
linhas de campo, gráficos de E × r e V × r para as várias regiões e também um esboço das
superfı́cies equipotenciais.