Você está na página 1de 5
SINAIS VITAIS SSVV Enfº Carlos Rocha Especialista em Docência do Ensino Superior
SINAIS VITAIS
SSVV
Enfº Carlos Rocha
Especialista em Docência do Ensino Superior
Pulso  É a elevação palpável do fluxo sanguíneo percebido em vários pontos do corpo;
Pulso
 É a elevação palpável do
fluxo sanguíneo percebido
em vários pontos do
corpo;
 Para
que
as
celulas
funcionem
normalmente,
deve haver
um
fluxo
e
volume
contínuo,
e
distribuição apropriados .
Classificação  Frequência: representa o número de batidas do coração durante um minuto  Termo
Classificação
 Frequência:
representa
o
número
de
batidas do coração durante um minuto
 Termo técnico:
I. Normocádia
II. Bradicardia
III. Taquicardia

10/09/2014

PULSO (P)
PULSO (P)
Classificação  Frequência  Volume  Regularidade
Classificação
 Frequência
 Volume
 Regularidade
Classificação  Frequência verificada em 01minuto;  Valores normais: I. Lactentes: 120 a 160 bpm
Classificação
 Frequência verificada em 01minuto;
 Valores normais:
I. Lactentes: 120 a 160 bpm
II. Criança até 3 anos: 90 a 140bpm
III. Escolar: 80 a 100bpm
IV. Adolescente: 60 a 90bpm
V. Adulto: 60 a 100bpm
Classificação  Volume: reflete a ejeção do sangue contra a parede arterial a cada contração
Classificação
 Volume: reflete a ejeção do sangue contra
a parede arterial a cada contração
cardíaca, sendo classificado em:
I. Forte e cheio
I. Fraco e filiforme
Terminologia  Normocardia  Bradicardia  Taquicardia  Taquisfigmia  Bradisfigmia  Dicrótico
Terminologia
 Normocardia
 Bradicardia
 Taquicardia
 Taquisfigmia
 Bradisfigmia
 Dicrótico
Locais para verificação  Artéria radial (punho)  Artéria braquial (parte intena do braço –
Locais para verificação
 Artéria radial (punho)
 Artéria braquial (parte intena do braço –
região cubital)
 Artéria carótida (próxima a laringe)
 Artéria poplítea (atrás do joelho)
 Artéria pediosa ( dorso do pé)

10/09/2014

Classificação  Regularidade: Intervalo de tempo entre os batimentos normais e iguais, classificado em: I.
Classificação
 Regularidade: Intervalo de tempo entre os
batimentos normais e iguais, classificado
em:
I. Rítmico
II. Arrítmico
III. Intermitente
Fatores que influenciam  Idade  Atividade física  Emoções  Alimentação  Drogas
Fatores que influenciam
 Idade
 Atividade física
 Emoções
 Alimentação
 Drogas
Locais de verificações
Locais de verificações
Procedimento  HM;  Explicar procedimento ao paciente;  Manter paciente em posição de conforto
Procedimento
 HM;
 Explicar procedimento ao paciente;
 Manter paciente em posição de conforto
(sentado ou deitado) com local de
verificação apoiada;
 Posicionar os dedos médio e indicador
fazendo leve pressão sobre a aréria;
 Fazer a contagem,
 HM e realizar a anotação.
Pressão arterial  É a pressão que o sangue exerce contra as paredes das artérias
Pressão arterial
 É
a pressão
que o sangue
exerce contra as paredes das
artérias que o contêm;
 A medida da pressão arterial
compreende a verificação da
pressão máxima (sistólica) e a
pressão mínima (distólica).
Fatores que interferem  Idade  Peso  Emoções  Atividade física  Alimentação
Fatores que interferem
 Idade
 Peso
 Emoções
 Atividade física
 Alimentação

10/09/2014

PRESSÃO ARTERIAL
PRESSÃO ARTERIAL
Pressão arterial A PA para um equilíbrio adequado depende de:  Débito cardíaco: representa a
Pressão arterial
A
PA
para
um
equilíbrio
adequado
depende de:
 Débito cardíaco: representa a quantidade
de sangue ejetado do ventrículo esquerdo
para o leito vascular.
 Resistência vascular periférica:
determinada pelo calibre, elasticidade e
viscosidade do sangue.
Sons de Korotkoff FAS QUALIDADE DO BASE TÉCNICA E SOM 01 Som súbito, forte. A
Sons de Korotkoff
FAS
QUALIDADE DO
BASE TÉCNICA
E
SOM
01
Som súbito, forte.
A
pressão da bolsa iguala-se a pressão sistólica,
K
1
com passagem parcial da onda de pulso arterial.
02
Som soproso.
Decorre de mudança de calibre arterial, com
K 2
criação de fluxo turbilhonado.
03
Som nítido e intenso.
A
medida que a pressão na bolsa
K
3
adicionalmemte diminui, a artéria permanece
aberta na sítole mas permanece fechada na
diástole.
04
Som suave e abafado.
A
pressão da bolsa encontra-se no nível da
K
4
pressão diástólica intra-arterial.
05
Desaparecimento dos
A
artéria permanece aberta durante todo o
K
5
sons.
ciclo cardíaco.
Terminologias e valores TERMINOLOGIA PAS PAD Normotenso 90 a 140 mmHg 60 a 89 mmHg
Terminologias e valores
TERMINOLOGIA
PAS
PAD
Normotenso
90 a 140 mmHg
60
a 89 mmHg
Hipertensão leve
141
a 159 mmHg
90
a 99 mmHg
Hipertensão moderada
160
a 179 mmHg
100 a 109 mmHg
Hipertensão grave
> Ou = 180 mmHg
> Ou = 110 mmHg
Hipotensão
< que 90 mmHg
< que 60 mmHg
Importante OBS.: O limite normal de diferença entre a pressão sistólica e diastólica é de
Importante
OBS.: O limite normal de diferença entre a
pressão sistólica e diastólica é de 30 a
50mmHg. Passando desse valor ela poderá
ser classificada em:
 Pressão convergente: quando a sistólica e a
diastólica se aproximam. Ex.:90x80mmHg
 Pressão divergente: quando a sistólica e a
diastólica se distanciam. Ex.:120x50mmHg
Procedimento  Preparar o material;  Certifique-se de que o estetoscópio e o esfigmomanômetro estejam
Procedimento
 Preparar o material;
 Certifique-se de que o estetoscópio e o
esfigmomanômetro estejam íntegros e
calibrados;
 HM
 Informe ao paciente o procedimento;
 Posicione
o
paciente
em
posição
de
conforto, com o
membro
inferior
esquerdo apoiado ao nível do coração;

10/09/2014

Valores de acordo com faixa etária IDADE PAS / PAD RN 80 / 50 mmHg
Valores de acordo com faixa etária
IDADE
PAS / PAD
RN
80 / 50 mmHg
Escolar
100
/ 60 mmHg
Adolescente
110
/ 70 mmHg
Adulto
120
/ 80 mmHg
Idoso
140
/ 90 mmHg
Material
Material
Procedimento  Descubra o membro e observe o tamanho da bolsa de acordo com o
Procedimento
 Descubra
o
membro
e
observe
o
tamanho
da
bolsa
de
acordo
com
o
paciente,
 Envolva o manguito em torno do braço,
mantendo 2 a 3 cm de distância da
margem inferior a foss antecubital,
pocisionando o centro da bolsa inflável
sobre a artéria braquial, permitindo que
os tubos e conectores estejam livres e o
manômetro em posição visível;
Procedimento  Palpe a artéria bolsa inflável; braquial e centralize a  Com a mão
Procedimento
 Palpe a artéria
bolsa inflável;
braquial e centralize a
 Com
a
mão
não
dominante
palpe a
artéria radial e simultaneamente, com a
mão dominante feche a saída de ar
(válvula da pêra), inflando até que
desapareça a pulsação da artéria radial,
desinsufle o manguito;
 Some o valor que foi observado mais 30
mmHg;
Obrigadinha
Obrigadinha

10/09/2014

Procedimento  15 Aguarde de a 30 segundos para inflar novamente;  Posicione o estetoscópio:
Procedimento
 15
Aguarde de
a
30
segundos
para inflar
novamente;
 Posicione o estetoscópio: olivas no canla
auricular e diafragma na fossa cúbital (artéria
braquial),
 Abra a válvula vagarosamente em torno de
10 mmHg e auscute os sons de Korotkoff,
 Observe K-1 e K-5;
 Retire o material do paciente, higienizando o
esgmomanômetro e estetoscópio;
 HM e realize as anotações.