Você está na página 1de 32

a b r m a i j

Teatro
da Cerca

u
de São
Bernardo

n
2010
José Rubem Fonseca. Um nome para os três espectáculos
que marcam de forma muito forte a programação deste
trimestre. Encerrando o ciclo de co-produções com a
Companhia de Teatro de Braga, A Escola da Noite propõe
agora TRILOGIA 1José 2Rubem 3Fonseca, a partir
de duas dezenas de contos do autor brasileiro, que estreia
em Abril e regressa em Junho. Solidão, sexo e violência
constituem apenas uma das chaves possíveis para entrar
no universo particular daquele autor, pela primeira vez
adaptado ao teatro em Portugal. Exigente para quem o faz
e apresenta ao público, este conjunto de espectáculos é
também um convite e um desafio ao espectador – para que
se deixe embrenhar na profunda humanidade das histórias
urbanas magistralmente contadas pelo escritor, distinguido,
entre outros, com o Prémio Camões em 2003.

Em Junho voltamos a receber Vera Mantero, desta vez com


convidados. Na sequência da residência aqui realizada no
ano passado, Vera Mantero & Guests traz-nos agora
“Vamos sentir falta de tudo aquilo de que não precisamos”,
precisamente o espectáculo que estava a preparar na al-
tura e a propósito do qual exibimos o documentário “Let’s
Make Money”, uma das suas fontes de inspiração (agora re-
exibido também). Uma excelente oportunidade para con-
tinuar a acompanhar de perto o percurso criativo de uma
das mais importantes coreógrafas e intérpretes da dança
portuguesa contemporânea.

A programação encerra em festa, com o IV Festival das


Companhias. Depois de Faro (2005), Braga (2008) e
Campo Benfeito, Castro Daire e Lamego (2009), chegou
a nossa vez de acolher a iniciativa da Plataforma das Com-
panhias (A Escola da Noite, ACTA, Cendrev,Teatro das Bei-
ras,Teatro de Montemuro e CTB) e do novíssimo projecto
Culturbe – Braga, Coimbra e Évora (que liga o Theatro
Circo, o Teatro da Cerca de S. Bernardo e o Teatro Garcia
de Resende). Para além de oferecer a oportunidade para
rever Sabina Freire e um dos momentos de TRILO-
GIA1José 2Rubem 3Fonseca, o programa inclui O
Fim, de António Patrício, Georges Dandin, de Molière,
e dois espectáculos no Pátio da Inquisição: Cirineu, de
Fernando Paulouro Neves, e Presos por uma cor-
rente de ar, de José Carretas. Haverá ainda espaço para
debates, mesas-redondas e conversas com o público, numa
celebração do teatro em companhia que queremos parti-
lhar com o espectador.

A Escola da Noite, Abril de 2010


a b r
Nesta inédita incursão teatral pela obra de Rubem Fonseca,
A Escola da Noite e a CTB apresentam ao público um con-
junto de três espectáculos construídos a partir de mais de

jun
vinte contos que oferece uma mostra alargada do universo
literário deste consagrado escritor brasileiro.
Em todos eles é possível encontrar os traços que distinguem
a escrita de Rubem: o quotidiano nas grandes cidades, a vio-
lência, o sexo, a solidão. A adaptação cénica que construímos
aposta na valorização da narrativa presente nas obras origi-
nais e assenta sobretudo no trabalho dos actores, num es-
paço cénico despojado e comum aos três espectáculos (que
podem ser vistos autonomamente mas que garantem a quem
assiste à trilogia outras articulações e leituras da obra).

textos Rubem Fonseca encenação António Augusto Barros elenco


António Jorge | Allex Miranda | Carlos Feio | Igor Lebreaud |
Lina Nóbrega | Maria João Robalo | Mário Montenegro | Miguel
Magalhães | Rogério Boane | Sílvia Brito | Solange Sá figurinos
Ana Rosa Assunção desenho de luz Jorge Ribeiro som Eduardo
Gama vídeo Luís Lopes grafismo Ana Rosa Assunção fotografia
Augusto Baptista assistência de encenação Sílvia Brito | Sofia Lobo
operação de luz Danilo Pinto operação de som Eduardo Gama
3 0 m a i 01
abr 2 9
jun 03 04 ciais para os
três espe
21h30
ctáculos
preços espe
teatro
TRILOGIA1José
A ESCOLA DA NOITE
COMPANHIA DE TEATRO DE BRAGA

Agora você (ou José


e seus irmãos)
Passeio noturno I
Cobrador (I)
Raimundinha (I)
O Outro
O Cobrador (II)
A Escolha
O Cobrador (III)
Em “1José”, as diferentes formas de violência e
intervalo
do seu exercício adquirem especial significado,
não só através de “O Cobrador” (que per- O Cobrador (IV)
corre todo o espectáculo), como também, por Passeio noturno II
exemplo, através dos perturbantes “Passeio Raimundinha (II)
Noturno” (I e II) ou “Hildete”.
O Cobrador (V)
Hildete
M/16 > 2h45’ > 6 a 10€ O Cobrador (VI)
abr 22 237 2048
jun 0 21h30

teatro
TRILOGIA 2Rubem
A ESCOLA DA NOITE
COMPANHIA DE TEATRO DE BRAGA

O Buraco na Parede
intervalo

Caderninho de
nomes
Eu seria o homem
mais feliz do mundo
se pudesse passar
uma noite com você
intervalo

O sexo, o amor e, de uma forma geral, a Copromancia


maneira como queremos ou somos capazes Soma Zero
de nos relacionarmos com o outro e com o Ela
nosso corpo estão presentes nos cinco contos
que integram “2Rubem”. Crime, escatologia,
assédio, auto-mutilação. Loucura?
“Na cama não se fala de filosofia.”.

M/16 > 2h30’ > 6 a 10€


abr 15 16 1172
jun 11 21h30

teatro
TRILOGIA 3Fonseca
A ESCOLA DA NOITE
COMPANHIA DE TEATRO DE BRAGA

Agora você
(ou José e seus
irmãos)
Francisca
Mecanismos de
Defesa
Zezé
Passeio Noturno1
Sucesso
O último momento da trilogia - “3Fonseca” intervalo
- reúne nove “monólogos” retirados de outros Ganhar o Jogo
tantos contos. A partir das histórias que as
personagens nos contam ficamos a saber mais Orgulho
do que gostaríamos sobre as suas (nossas?) Vida
vidas. Mas elas podem ajudar-nos a celebrar, Entrevista
com Rubem Fonseca, o “pacto de incêndio
Um dia na vida de
contra esse espaço de rotina cinzenta entre a dois pactários
vida e a morte a que chamam vida”.
M/16 > 2h > 6 a 10€
jun m o s s e n t ir
“Va de tudo
falta e que
aquilo idsamos
não prec
jun
16
21h30
quarta

dança
“Vamos sentir falta de tudo aquilo de que não
precisamos”
VERA MANTERO & GUESTS
Vamos sentir falta de tudo aquilo de que não precisamos mostra-nos
objectos do mundo. Entre esses objectos e quem os manipula há um
efeito de ricochete, um movimento de revelação de sentidos outros,
inesperados. Entre esses objectos, quem os manipula e o espectador há
um triângulo – uma tensão que empurra as margens das ideias e das sen-
sações até à vibração dos símbolos. Perante estes objectos, as ideias são
caminhos para outras ideias e, como em todos os caminhos, há troços
que se abrem, se apertam e se bifurcam. Podemos percorrê-los com rit-
mos e respirações diferentes, como se os pensamentos ganhassem for-
ma pelo modo como pulsam e se friccionam. São objectos do mundo, em
contacto e em curto circuito, algures a caminho entre o lado material e
o lado etéreo das coisas, entre o quotidiano e o onírico, entre o genérico
e o excepcional. E, quem sabe, é nesse “trocar as voltas” ao mundo
de todos os dias – esse mundo de objectos genéricos para produção,
consumo e desperdício – que podemos tocar um outro lado das coisas.
Rita Natálio, texto no programa do espectáculo
direcção artística Vera Mantero interpretação e co-criação
Christophe Ives, Marcela Levi, Miguel Pereira e Vera Mantero
dispositivo cenográfico e figurinos Nadia Lauro colaboração
dramatúrgica Rita Natálio música e sonoplastia Andrea Parkins
desenho de luz Erik Houllier operação de som Rui Dâmaso
operação de luz Jean-Marc Segalen M/14 > 1h20 > 6 a 10€
TCSBar
A programação do Bar do TCSB tem consistido em lançamentos de li-
vros, conversas informais, debates e projecção de filmes e documen-
tários muitas vezes em articulação com as iniciativas apresentadas na
sala de espectáculos. Neste trimestre destacamos os filmes que a obra
de Rubem Fonseca sugere (tanto pela temática da obra deste autor
como pela ligação que tem com o cinema: a adaptação de textos seus
no filme “Cobrador: In God We Trust” e o argumento de “O Homem
do ano” que escreveu a partir de um conto de Patrícia Melo) ou ainda
a possibilidade de assistir ao documentário “Let’s Make Money” que
inspirou a criação do espectáculo que assinala o regresso de Vera Man-
tero a Coimbra. Todas as sessões têm entrada livre e decorrem no es-
paço do Bar que nestes dias está em funcionamento a partir das 20h.

25 de Maio, terça, 21h30 > El Rocío


de Fernando Ruiz Vergara. Espanha, 1980
documentário, 80 minutos
seguido de debate com o realizador e o historiador Francisco Espinosa
Maestre, organização do Núcleo de Coimbra da CULTRA

1 de Junho, terça, 21h30 > Onibus 174


de José Padilha e Felipe Lacerda. Brasil, 2002
documentário, 128 minutos
seguido de debate sobre a violência urbana, moderado por Tatiana
Moura do Núcleo de Estudos para a Paz do CES

9 de Junho, quarta, 21h30 > Cobrador: In God We Trust


de Paul Leduc. Argentina, 2006
a partir de textos de Rubem Fonseca, 92 minutos
10 de Junho, quinta, 21h30 > O Homem do ano
de José Henrique Fonseca. Brasil, 2003
argumento de Rubem Fonseca, 113 minutos

14 de Junho, segunda, 21h30 > Let’s Make Money


de Erwin Wagenhofer. Alemanha, 2008
documentário, 110 minutos, legendado em inglês
jun
s
Festivanlhdiaas
compa

A Escola da Noite acolhe, no TCSB, a IV edição do Festival


das Companhias, com a participação das seis estruturas
profissionais de criação teatral que constituem a Plataforma.
Seis espectáculos (incluindo dois ao ar livre, no Pátio da In-
quisição) em seis dias de intensa actividade, que incluem ainda
debates, mesas-redondas e conversas com o público no final de
cada sessão. Um momento de festa (que queremos partilhar
com a cidade) e de reflexão sobre o papel da criação artística
no desenvolvimento das cidades médias do nosso país.
Apoiado pela Direcção Regional de Cultura do Centro, o
Festival marca ainda o arranque da rede Culturbe – Braga,
Coimbra e Évora, integrada pelo Theatro Circo, o Teatro da
Cerca de São Bernardo e o Teatro Garcia de Resende, cujo
projecto foi objecto de candidatura ao QREN, no âmbito da
“programação cultural em rede”.
jun
22 a 27 terça
a domingo

teatro
Festival das Companhias

A ESCOLA DA NOITE / COMPANHIA DE TEATRO DE


BRAGA “Trilogia” Rubem Fonseca 22 JUN terça 21h30 TCSB
TEATRO DAS BEIRAS “Cirineu” de Fernando Paulouro 23
JUN quarta 22h00 Pátio da Inquisição
CENDREV “O Fim” de António Patrício 24 JUN quinta 21h30 TCSB
TEATRO DE MONTEMURO “Presos por uma corrente de
ar” de José Carretas 25 JUN sexta 22h00 Pátio da Inquisição
ACTA “Georges Dandin” de Molière 26 JUN sábado 21h30 TCSB
A ESCOLA DA NOITE / COMPANHIA DE TEATRO DE
BRAGA “Sabina Freire” de Manoel Teixeira-Gomes 27 JUN
domingo 21h30 TCSB

condições especiais para assistir aos espectáculos do festival


ACESSO
através do Pátio da Inquisição,
ou a partir da Rua da Sofia, pela
Ladeira do Carmo

Teatro
ESTACIONAMENTO nos Parques
do Mercado e do Bota Abaixo

da Cerca
AUTOCARROS 1A, 2A, 2F, 2T, 4, 5,
6, 7, 7T, 10, 11, 11C, 19, 24, 24T, 25,
de São 27, 28, 29, 30, 36, 36F, 42 e 103

Bernardo
CONTACTOS E RESERVAS
Teatro da Cerca de São Bernardo
3000-097 COIMBRA Portugal
tel. 351 239 718238
fax 351 239 703761
telm. 966 302 488
geral@aescoladanoite.pt
www.aescoladanoite.pt
4 11
Oficina de Artes 3Fonseca
EN/Estudos Artísticos EN/CTB
21h30

2 9 16
1José
EN/CTB
21h30

jun 6 13
Onibus 174 O Cobrador O Homem do Ano Let’s Make Money
TCSBar documentário TCSBar cinema TCSBar cinema TCSBar documentário
21h30 21h30 21h30 21h30

1José 2Rubem 3Fonseca Vamos sentir falta...


EN CTB EN CTB EN CTB VERA MANTERO & GUESTS
21h30 21h30 21h30 21h30
18 25
2Rubem 1José
EN/CTB EN/CTB.
21h30 21h30

23 30
El Rocío
TCSBar documentário
21h30

Oficina de Artes
EN/Estudos Artísticos

20 27
Festival das Companhias
Trilogia Rubem Fonseca O Fim Presos por uma corrente de ar
EN/CTB CENDREV TEATRO DE MONTEMURO
21h30 21h30 22h00 (Pátio da Inquisição)

Cirineu Georges Dandin Sabina Freire


TEATRO DAS BEIRAS ACTA EN/CTB
22h00 (Pátio da Inquisiçao) 21h30 21h30
jun
Cirineu
jun
23
22h00
quarta

teatro
Cirineu
TEATRO DAS BEIRAS

Ténue é a fronteira que distingue o justo do justiceiro num


mundo desigual.
Num tempo onde ser pobre era ser infame, Cirineu aparece-
-nos como um grito de revolta dos oprimidos, dos fracos,
dos mal-nascidos…
Esta é a história de um passado recente, dividida em ricos e
pobres; entre quem tem o poder e quem é subjugado e onde
a impunidade de quem manda contrasta com a fragilidade
de quem nada pode.
Ontem, como hoje (em que as desigualdades sociais são cada
vez mais acentuadas), é uma história para não esquecer.

texto Fernando Paulouro encenação Antónia Terrinha cenografia


Luís Mouro desenho de luz Joana Oliveira música original Rogério
Peixinho elenco Fernando Landeira, Pedro Damião, Pedro da
Silva, Rui Raposo Costa, Sónia Botelho e Teresa Baguinho
M/16 > 85’ > entrada gratuita (espectáculo ao ar livre no Pátio da Inquisição)
jun
O Fim
jun
24
21h30
quinta

teatro
O Fim
CENDREV

O Fim, de António Patrício (1878-1930), é uma fábula cénica alucinatória


na qual o dramaturgo transfigurou a iminente queda da monarquia
em Portugal, que aconteceria um ano depois da peça ser publicada
em 1909.
Uma velha Rainha louca num Paço arruinado que aguarda uma recepção
de aniversário que não se realizará; o país a ser invadido por potên-
cias estrangeiras que desembarcam em Lisboa; a resistência popular,
sacrificial e espontaneamente organizada, contra as forças ocupantes;
a perturbante personagem épica de um desconhecido que relata a
batalha mortal que ocorre nas ruas, à maneira de um mensageiro de
tragédia grega.
Obra polémica e paradoxal, “O Fim” é hoje a mais representada das
peças de António Patrício, após a sua tardia estreia cénica em 1971,
na Casa da Comédia, graças ao encenador Jorge Listopad, que então
a redescobriu.

texto António Patrício encenação Victor Zambujo versão


dramaturgica Armando Nascimento Rosa, Victor Zambujo
cenografia Acácio Carvalho figurinos Manuela Bronze desenho de
luz José Nuno Lima orgânica sonora David Martins elenco Álvaro
Corte Real, Jorge Baião, Maria Marrafa, Rosário Gonzaga e
Rui Nuno M/12 > 65’ > 6 a 10€
jun s o s p o r u ma
Pre n t e d e a r
corr e
jun
25
22h00
sexta

teatro
Presos por uma corrente de ar
TEATRO DE MONTEMURO

A história?
“Imaginem uma praça no meio da cidade. Uma banda filar-
mónica e um Presidente que quer lançar a primeira pedra
de uma grande obra. Imaginem quatro personagens, quatro
presos a cumprir a pena em serviço comunitário, com o
objectivo principal de “erguer” uma estátua integrada numa
candidatura a Património da Humanidade. Imaginem agora um
“deslize”no orçamento e uma necessidade urgente de termi-
nar e apresentar a obra aos cidadãos, que afinal se encontram
na praça para isso mesmo. De forma a “ocupar” o público até
que a obra termine, o “nosso” Presidente e Maestro da Banda
Filarmónica, composta pelo particular e potente número de
dois músicos, entretêm-se a criar e executar verdadeiros
momentos de entretenimento.
texto José Carretas, a partir de uma ideia de T.de Montemuro
encenação José Carretas cenografia e figurinos Kevin Plumb
desenho de luz José Nuno Lima direcção musical António Pedro
elenco Abel Duarte, Eduardo Correia, Daniela Vieitas, Paulo
Duarte, Giovanni Lourenço músicos interpretes André
Rocha, Marco Freire
P/todos > 60’ > entrada gratuita (espectáculo ao ar livre no Pátio da Inquisição)
Jun
Georges
Dandin
jun
26
21h30
sábado

teatro
Georges Dandin
ACTA

Aparentemente trata-se apenas de uma hilariante comédia


de costumes, cujo enredo assenta nos estratagemas de uma
jovem mulher para ludibriar o seu marido. Dá-se, porém, o
caso, de o enredo ter como pano de fundo o prenúncio da
Revolução Francesa: portanto, não é uma mera comédia de
costumes. E este aspecto, a nosso ver, absolutamente funda-
mental, foi o que levou Marx a estudar o texto de Molière e
a referi-lo como um documento exemplar no que respeita
à análise da aliança de classes; e o que nos leva a nós a pô-lo
em cena numa perspectiva de contemporaneidade no que
se refere os seus conflitos internos.

texto Molière concepção cenográfica e encenação Luís Vicente


elenco Afonso Dias, Bruno Martins, Elisabete Martins, Glória
Fernandes, Luís de A. Miranda, Mário Spencer, Pedro Mendes,
Tânia Silva
M/12 > 75’ > 6 a 10€
junb i n a F r e i re
Sa
jun
27
21h30
domingo

teatro
Sabina Freire
A ESCOLA DA NOITE / COMPANHIA DE TEATRO
DE BRAGA
Em Sabina Freire, sejamos claros, estamos numa verdadeira
luta de cabeças. E essa luta é uma luta de fêmeas! As mulheres
mandam. Os homens fazem parte do universo dos fantoches
(o bando, como lhes chama Sabina). Mesmo quando Júlio
se atreve a abandonar a dor de cabeça para o confronto
derradeiro com Sabina, o resultado é ficar finalmente a
conhecê-la.
Se analisado na época em que foi escrita e se analisado
hoje, passados quase 100 anos, deslumbramo-nos (se ainda
nos soubermos deslumbrar) com o material Sabina, que
Teixeira-Gomes nos legou. Nós, portugueses, tão velhos
como afirmamos e tão incapazes de nos descobrirmos na
modernidade que transportamos. [...]
Rui Madeira, excerto de texto no programa do espectáculo

texto Manoel Teixeira-Gomes encenação Rui Madeira elenco


André Laires, António Jorge, Carlos Feio, Jaime Soares, Lina
Nóbrega, Miguel Magalhães, Solange Sá, Sílvia Brito, Ricardo
Kalash, Tâmara Tháis cenografia Rui Anahory figurinos Sílvia
Alves desenho de luz Fred Rompante criação de som e imagem
Luís Lopes M/12 > 90’ > 6 a 10€
contacte-nos!

HORÁRIO DO TEATRO FICHA DE INSCRIÇÃO


O teatro está aberto ao Quer receber trimestralmente
público entre as 10h00-13h00 a Agenda do Teatro da Cerca
e as 14h00-19h00. de São Bernardo em sua casa?
BILHETEIRA Quer ser contactado pes-
A bilheteira funciona no soalmente (por um meio à sua
foyer do TCSB, durante o seu escolha: telefone, telemóvel,
horário de abertura e nos sms, e-mail) para informações
dias de espectáculo até ao sobre cada actividade? Inscre-
seu início. É possível adquirir va-se na nossa mailing-list.
bilhetes com antecedência.
É aconselhável a marcação MECENATO
antecipada de lugar. A sua instituição pode apoiar
A Escola da Noite e o TCSB
BAR
financeiramente — através de
O bar do TCSB funciona nos
donativos, bens ou serviços.
dias de espectáculo das
20h00 às 24h00. Seja um agente activo no
desenvolvimento cultural da
LIVRARIA cidade, da região e do país.
É possível adquirir nas instala-
ções do TCSB, para além das SERVIÇO EDUCATIVO
edições d’A Escola da Noite, Se é professor e quer organi-
outras publicações relaciona- zar deslocações de alunos ao
das com teatro. teatro, se procura formação
VOUCHERS especializada na área artística
E porque não oferecer ou pretende apresentar ou-
bilhetes a um amigo, familiar, tros projectos de colaboração,
colaborador ou cliente? tem um parceiro no TCSB.
Teatro
da Cerca
de São
Bernardo
propriedade
Câmara Municipal de Coimbra
companhia residente, gestão e programação
A Escola da Noite
direcção artística | programação
António Augusto Barros
administração | produção
Pedro Rodrigues
direcção técnica
Rui Valente
comunicação | mecenato | serviço educativo
Isabel Campante
imagem
Ana Rosa Assunção
assistência de produção
José Manuel Pinheiro
equipa técnica
Alfredo Santos, Carlos Figueiredo, Danilo
Pinto, Eduardo Gama, João Constantino
elenco
António Jorge, Maria João Robalo, Miguel Ma-
galhães, Sílvia Brito, Sofia Lobo
estagiários
José Diogo Silva, Marta Santos
bilheteira | bar | frente de casa
GATO, CRL.
serviços de limpeza
Cláudia e Sandra Natividade (Servilimpe)
grafismo Ana Rosa Assunção créditos Michel Filho (Rubem
Fonseca capa), Laurent Philippe (pág.8), Augusto Baptista
(pág.14), José Pedro Leal Salvado (Fernando Paulouro
pág.18), Paulo Nuno Silva (pág. 20), Lionel Balteiro
(pág.22), Verónica Guerreiro (pág.24), Paulo Nogueira
(pág.26). Agenda nº.6 | impressão FIG: 5000 exemplares.

mecenas para o serviço educativo:

apoios:

fornecedores oficiais do TCSB:

RESTAURANTE O PÁTIO COIMBRACÓPIA

agradecimentos:

Brigada de Intervenção-Exército Português, Câmara Municipal de


Montemor-o-Velho, Câmara Municipal de Tábua, Cena Lusófona
A Escola da Noite é uma estrutura financiada por:

A rede Culturbe - Braga, Coimbra e Évora é financiada por: