Você está na página 1de 8
( ) Prova ( ) Prova Semestral Nota:

(

) Prova

( ) Prova Semestral

Nota:

(

) Exercícios

(

) Prova Modular

(

) Segunda Chamada

( ) Exame Final

(

) Prática de Laboratório

(

) Aproveitamento Extraordinário de Estudos

Disciplina:

Professor:

 

Turma:

Data:

 

Aluno (a):

Experiência 01: LEI DE OHM

1. Objetivo Geral Comprovar experimentalmente a 1a Lei de Ohm.

2.

Objetivos Específicos Analisar e entender a 1a Lei de Ohm;

Verificar com medições e com a interpretação de gráficos o funcionamento da 1a

Lei de Ohm.

3. RESUMO TEÓRICO

3.1 Resistor O resistor é um dispositivo físico cuja finalidade é limitar a corrente elétrica no circuito estabelecendo uma relação bem definida entre a tensão existente nos seus terminais e a corrente elétrica que o atravessa. Para identificação da resistência de um resistor é utilizado o Código de Cores, que indica o seu valor e a tolerância de fabricação, conforme a tabela 01. Em 1829, o físico George Simon Ohm realizou uma experiência onde demonstrou que, no resistor, é constante a razão entre a diferença de potencial nos seus terminais e a corrente elétrica que o atravessa, ou seja:

R =

V

I

(Equação 1)

Se, nesse resistor, o gráfico V x I for uma reta, dizemos que o resistor obedece à 1 a Lei de Ohm e podemos calcular sua resistência através da tangente do ângulo de inclinação da reta. Dizemos, neste caso, que a tangente desse ângulo é numericamente igual à resistência.

RQ 0501 Rev. 13 Página 1 de 8

Tabela 01 – Código de Cores

Tabela 01 – Código de Cores Fonte: www.eletronicadidatica.com.br/componentes/resistor/codigo_de_cores.png 3.2

Fonte: www.eletronicadidatica.com.br/componentes/resistor/codigo_de_cores.png

3.2 Multímetro O multímetro é um dispositivo eletrônico que permite mensurar várias grandezas elétricas, entre elas citam-se: tensão, corrente, resistência, capacitância e frequência. Para tal o multímetro possui uma chave seletora que possibilita mudar seu modo de operação. Tal chave pode ser visualizada na figura 01. Portanto para usar um multímetro é necessário usar a chave de seleção de função para escolher a escala e o tipo de grandeza a ser medido. Recomenda-se deixar o instrumento de medição desligado quando não estiver sendo utilizado.

RQ 0501 Rev. 13 Página 2 de 8

Figura 01 – Multímetro Digital O multímetro possui terminais onde se encaixam os bornes das

Figura 01 – Multímetro Digital

O multímetro possui terminais onde se encaixam os bornes das ponteiras de prova, através dos quais se conecta o mesmo ao circuito. O terminal COM é o terminal comum ou o terminal negativo. O terminal VHz é o terminal utilizado pata medir tensão, resistência ou frequência, portanto é o terminal positivo. O terminal mA é usado para medir corrente até um certo valor (normalmente 2 A). O terminal 20 A somente é usado para medir corrente na faixa de valores entre 2 a 20 A. O voltímetro é o modo do multímetro que mede tensão. Para medir a queda de tensão em qualquer componente, é necessário colocar as ponteiras de provas em paralelo com tal componente, conforme indicado na figura 02. Também é preciso selecionar a escala correta e o tipo de sinal: AC ou DC.

selecionar a escala correta e o tipo de sinal: AC ou DC. Figura 02 – Modo

Figura 02 – Modo de Medir Tensão

Fonte: http://www.profelectro.info

RQ 0501 Rev. 13 Página 3 de 8

O amperímetro é o modo do multímetro que mede corrente. Para medir a corrente de um circuito, é necessário abrir o mesmo e colocar as ponteiras de provas em série neste trecho do circuito, conforme indicado na figura 03, para que toda a corrente passe pelo instrumento de medição. Também é preciso selecionar a escala correta e o tipo de sinal: AC ou DC.

selecionar a escala correta e o tipo de sinal: AC ou DC. Figura 03 – Modo

Figura 03 – Modo de Medir Corrente

Fonte: http://www.profelectro.info

O ohmímetro é o modo do multímetro que mede resistência. Para medir a resistência de um circuito, antes é necessário retirar o componente do circuito para que não haja interferência na medição. Depois de alocar o resistor em local adequado, as ponteiras de provas devem ser colocadas em paralelo (uma ponteira em cada terminal do resistor), da mesma forma que se realiza a medição de tensão. Também é preciso selecionar a escala correta.

3.3 Fonte DC Fonte DC é um equipamento de alimentação que fornece uma tensão ou corrente contínuos ao circuito numa faixa ajustável. O laboratório está equipado com a fonte mostrada na figura 04: equipamento digital com dois displays de três dígitos (um para tensão e um para corrente) capaz de fornecer uma saída variável com tensão de 0 a 30 Vdc e corrente de 0 a 3 Adc. Esta fonte em particular possui dois botões: um para ajuste grosso e outro para ajuste fino, tanto para tensão quanto para corrente. Também possui dispositivos de proteção de sobrecarga e inversão de polaridade e três terminais de saída: terminal de saída positivo, terminal de saída negativo e terminal terra (ground).

RQ 0501 Rev. 13 Página 4 de 8

Figura 04 – Fonte DC Fonte: http://www.minipa.com.br Para maiores informações a respeito da fonte DC,

Figura 04 – Fonte DC

Fonte: http://www.minipa.com.br

Para maiores informações a respeito da fonte DC, recomenda-se a leitura do manual do fabricante.

4.

LISTA DE MATERIAL E EQUIPAMENTO 1 Protoboard Fonte de tensão dc variável Multímetros digital e analógico

10 resistores de 10 k

- 1%

10 resistores de 10 k

- 5%

10 resistores de valores e tolerâncias diversos

Jumpers

RQ 0501 Rev. 13 Página 5 de 8

5.

PROCEDIMENTO

5.1 Código de Cores e Medida de Resistência

a) Meça com o ohmímetro o valor de 10 resistores de 10 k Tabela 2;

- 5 % e anote as medidas na

b) Calcule a diferença porcentual entre o valor medido e o valor nominal para cada resistor, conforme a equação 02, completando a Tabela 2;

%

=

valormedido

valorno

min

al

valorno

min

al

x100%

c) Repita os itens a) e b) para 10 resistores de 10 k e calculados na Tabela 2, abaixo.

Tabela 2

(Equação 2)

- 1%, anotando os valores medidos

Resistor

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Média

10

k

- 5 %

                     
 

%

                     

10

k

- 1%

                     
 

%

                     

d) Para 10 resistores diferentes, anote na Tabela 3 o seu código de cores, o seu valor nominal e o seu valor medido.

Tabela 3

Resistor

1 a faixa

2 a faixa

3 a faixa

4 a faixa

5 a faixa (se existir)

Valor

Valor

%

Nominal

Medido

1

               

2

               

3

               

RQ 0501 Rev. 13 Página 6 de 8

4 5 6 7 8 9 10
4
5
6
7
8
9
10

5.2 Comprovação da Lei de Ohm

a) Monte o circuito abaixo:

5.2 Comprovação da Lei de Ohm a) Monte o circuito abaixo: Figura 05 b) Para R

Figura 05

b) Para R = 470 , varie a tensão na fonte para 3, 4,5, 6 e 12 V, respectivamente,

medindo a corrente correspondente (em mA). Realizando tal procedimento, complete a 1 a linha da Tabela 4.

c) Repita o item anterior para resistores de 1,5 k

preencha a tabela 4.

, 4,7 k

, e 10 k

. Da mesma forma,

Tabela 4 – Corrente em mA

Tensão (V)

3V

4,5V

6V

12V

470 R

1K5

RQ 0501 Rev. 13 Página 7 de 8

4K7

10K

d) Em um papel milimetrado, faça o gráfico VxI para cada resistor medido, segundo a Tabela 4. Calcule, a partir do gráfico, o valor da resistência e compare com o valor nominal.

6. REFLEXÕES Nesta experiência, estudamos as características quantitativas e qualitativas da primeira Lei de Ohm.

RQ 0501 Rev. 13 Página 8 de 8