Você está na página 1de 22

PROVA 435/11 Págs.

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO


12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto)
Cursos Gerais e Cursos Tecnológicos - Programa ajustado

Duração da prova: 120 minutos 1.ª FASE


2002 1.ª CHAMADA
VERSÃO 1

PROVA ESCRITA DE MATEMÁTICA


____________________________________________________________________________

VERSÃO 1

Na sua folha de respostas, indique


claramente a versão da prova.

A ausência desta indicação implicará a


anulação de todo o GRUPO I.

V.S.F.F.
435.V1/1
A prova é constituída por dois Grupos, I e II.

• O Grupo I inclui sete questões de escolha múltipla.

• O Grupo II inclui quatro questões de resposta aberta,


subdivididas em alíneas, num total de onze.

Na página 11 deste enunciado encontra-se um formulário que,


para mais fácil utilização, pode ser destacado do resto da
prova, em conjunto com esta folha.

435.V1/2
Grupo I

• As sete questões deste grupo são de escolha múltipla.

• Para cada uma delas, são indicadas quatro alternativas, das quais só uma está correcta.

• Escreva na sua folha de respostas a letra correspondente à alternativa que


seleccionar para cada questão.

• Se apresentar mais do que uma resposta, a questão será anulada, o mesmo acontecendo
se a letra transcrita for ilegível.

• Não apresente cálculos.

1. Na figura estão representadas, num referencial o. n.


BSC À
• parte do gráfico de uma função 0 , de domínio
‘€ , definida por 0 Ð B Ñ œ " € # ln B .
• a recta <, tangente ao gráfico de 0 no ponto de
abcissa "

Qual é o declive da recta <?

(A) " (B) # (C) $ (D) %

2. Seja 2 uma função contínua , de domínio ‘.


Qual dos seguintes conjuntos não pode ser o contradomínio de 2?

(A) ‘ (B) ‘ÏÖ!× (C) ‘• (D) Ó!ß"Ò

V.S.F.F.
435.V1/3
3. Na figura junta está representada parte do
gráfico de uma função 0 , de domínio ‘ .

Numa das alternativas seguintes estão os


quadros de sinais de 0 w e de 0 ww ,
respectivamente primeira e segunda
derivadas de 0 .

Em qual delas?

(A) B + - /
w
0 ÐBÑ € ! • ! € ! •

B , .
ww
0 ÐBÑ € ! • ! €

(B) B + - /
w
0 ÐBÑ € ! • ! € ! •

B , .
ww
0 ÐBÑ • ! € ! •

(C) B + - /
w
0 ÐBÑ • ! € ! • ! €

B , .
ww
0 ÐBÑ € ! • ! €

(D) B + - /
w
0 ÐBÑ • ! € ! • ! €

B , .
ww
0 ÐBÑ • ! € ! •

435.V1/4
4. O gráfico da função 0 , de domínio ‘, definida por 0 Ð B Ñ œ !," € ! ,# /! ,$ B , tem
uma única assimptota.

Qual das condições seguintes é uma equação dessa assimptota?

(A) C œ ! (B) C œ !,"

(C) C œ !,# (D) C œ !,$

5. Um saco contém cinco cartões, numerados de 1 a 5.


A Joana retira sucessivamente, ao acaso, os cinco cartões do saco e alinha-os, da
esquerda para a direita, pela ordem de saída, de maneira a formar um número de cinco
algarismos.
Qual é a probabilidade de esse número ser par e de ter o algarismo das dezenas também
par?

&G &G
(A) # (B) # (C) #‚ $x (D) #‚$x
&E &x &E &x
# #

6. A tabela de distribuição de probabilidade de uma variável aleatória \ é:

B3 " # $
T Ð \ œ B3 Ñ + #+ +
Qual é o valor de + ?

(A) " (B) " (C) " (D) "


& % $ #

7. Qual das seguintes condições define, no plano complexo, o eixo imaginário?

(A) D € D œ ! (B) Im ÐDÑ œ "

(C) k Dk œ ! (D) D • D œ !

V.S.F.F.
435.V1/5
Grupo II

Nas questões deste grupo apresente o seu raciocínio de forma clara, indicando todos os cálculos
que tiver de efectuar e todas as justificações necessárias.

Atenção: quando não é indicada a aproximação que se pede para um resultado, pretende-se
sempre o valor exacto.

1. Em ‚ , considere os números complexos: D" œ " € 3 e D# œ È # -3= $% 1

1.1. Verifique que D" e D# são raízes quartas de um mesmo número complexo.
Determine esse número, apresentando-o na forma algébrica.

1.2. Considere, no plano complexo, os pontos E , F e S em que:


• E é a imagem geométrica de D"
• F é a imagem geométrica de D#
• S é a origem do referencial.
Determine o perímetro do triângulo •ESF‘ .

2.
2.1. Seja W o espaço de resultados associado a uma experiência aleatória.
Sejam E e F dois acontecimentos possíveis ( E § W e F § W ).
Prove que
TÐE•FÑœTÐEÑ•TÐFÑ€TÐElFÑ‚TÐFÑ

( T designa probabilidade,
E e F designam os acontecimentos contrários de
E e de F, respectivamente, e TÐElFÑ designa a probabilidade de E , se F ).

2.2. Das raparigas que moram em Vale do Rei, sabe-se que:


• a quarta parte tem olhos verdes;
• a terça parte tem cabelo louro;
• das que têm cabelo louro, metade tem olhos verdes.

2.2.1. Escolhendo aleatoriamente uma rapariga de Vale do Rei, qual é a


probabilidade de ela não ser loura nem ter olhos verdes?
Sugestão: se lhe for útil, pode utilizar a igualdade enunciada na
alínea 2.1. para resolver o problema.

2.2.2. Admita agora que em Vale do Rei moram cento e vinte raparigas.
Pretende-se formar uma comissão de cinco raparigas, para organizar um
baile.
Quantas comissões diferentes se podem formar com exactamente duas
raparigas louras?

435.V1/6
3. Doses terapêuticas iguais de um certo antibiótico são administradas, pela primeira
vez, a duas pessoas: a Ana e o Carlos.
Admita que, durante as doze primeiras horas após a tomada simultânea do
medicamento pela Ana e pelo Carlos, as concentrações de antibiótico, medidas em
miligramas por litro de sangue, são dadas, respectivamente, por

E Ð > Ñ œ % > $ /• > e G Ð > Ñ œ # >$ /•! ,( >

A variável > designa o tempo, medido em horas, que decorre desde o instante em
que o medicamento é tomado ( > - Ò ! ß " # Ó ).

3.1. Recorrendo a métodos analíticos e utilizando a calculadora para efectuar


cálculos numéricos, resolva as duas alíneas seguintes.

3.1.1. Determine o valor da concentração deste antibiótico no sangue da


Ana, quinze minutos depois de ela o ter tomado. Apresente o
resultado, em miligramas por litro de sangue, arredondado às
centésimas.
Nota : sempre que, nos cálculos intermédios, proceder a arredondamentos,
conserve, no mínimo, três casas decimais.

3.1.2. No instante em que as duas pessoas tomam o medicamento, as


concentrações são iguais (por serem nulas). D etermine quanto tempo
depois as concentrações voltam a ser iguais. Apresente o resultado em
horas e minutos (minutos arredondados às unidades).
Nota : sempre que, nos cálculos intermédios, proceder a arredondamentos,
conserve, no mínimo, três casas decimais.

3.2. Considere as seguintes questões:

1. Quando a concentração ultrapassa 7,5 miligramas por litro de sangue, o


medicamento pode ter efeitos secundários indesejáveis. Esta situação ocorrerá,
neste caso, com alguma destas duas pessoas? Caso afirmativo, com quem? E
em quantos miligramas por litro o referido limiar será ultrapassado?

2. Depois de atingir o nível máximo, a concentração começa a diminuir. Quando fica


inferior a 1 miligrama por litro de sangue, é necessário tomar nova dose do
medicamento. Quem deve tomá-la em primeiro lugar, a Ana ou o Carlos? E quanto
tempo antes do outro?

Utilize as capacidades gráficas da sua calculadora para investigar estas duas


questões.

Numa pequena composição, com cerca de dez linhas, explicite as conclusões a que
chegou, justificando-as devidamente. Apresente, na sua resposta, os elementos
recolhidos na utilização da calculadora: gráficos e coordenadas de alguns pontos
(coordenadas arredondadas às décimas).

V.S.F.F.
435.V1/7
4. Na figura está representado um quadrado ÒEFGHÓ , de lado " .

O ponto I desloca-se sobre o lado ÒEFÓ , e o ponto J desloca-se sobre o lado


ÒEHÓ , de tal forma que se tem sempre EI œ E J .

Para cada posição do ponto I, seja B a amplitude do ângulo FIG


ŠB - Ó %1 ß #1 Ò ‹.

Recorrendo a métodos exclusivamente analíticos, resolva as três alíneas seguintes:

4.1. Mostre que o perímetro do quadrilátero ÒGIEJÓ é dado, em função de B , por


0 Ð B Ñ œ # • tg#B € sen
#
B

4.2. Calcule lim • 0ÐBÑ e interprete geometricamente o valor obtido.


BÄ 1#

4.3. Mostre que 0 w ÐBÑœ # • ##cos B e estude a função 0 quanto à monotonia.


sen B

FIM

435.V1/8
COTAÇÕES

Grupo I ................................................................................................................ 63

Cada resposta certa ..................................................................... +9


Cada resposta errada.................................................................... - 3
Cada questão não respondida ou anulada ...................................... 0

Nota: um total negativo neste grupo vale 0 (zero) pontos.

Grupo II ............................................................................................................. 137

1. ................................................................................................ 21
1.1. ..........................................................................11
1.2. ..........................................................................10

2. ................................................................................................ 32
2.1. ..........................................................................11
2.2. ..........................................................................21
2.2.1. ...............................................11
2.2.2. ...............................................10

3. ................................................................................................ 43
3.1. ......................................................................... 27
3.1.1. ...............................................13
3.1.2. ...............................................14
3.2. ..........................................................................16

4. ................................................................................................ 41
4.1. ..........................................................................13
4.2. ..........................................................................12
4.3. ..........................................................................16

TOTAL .............................................................................................................. 200

V.S.F.F.
435.V1/9
435.V1/10
Formulário
Áreas de figuras planas Progressões
H3+198+67+39<‚H3+198+67/89<
Losango: # Soma dos 8 primeiros termos de uma
F+=/7+39<€F+=/7/89< ?" € ?8
Trapézio: ‚E6>?<+
# Prog. Aritmética: ‚8
#
Polígono regular: Semiperímetro ‚ Apótema
Prog. Geométrica: ?" ‚ ""• <8
•<
Círculo: 1 <# (< •<+39)

Áreas de superfícies Regras de derivação


Área lateral de um cone: 1 < 1
Ð?€@Ñw œ ?w € @w
(< • raio da base; 1 • geratriz)
Ð?Þ@Ñw œ ? wÞ @ € ? Þ @w
Área de uma superfície esférica: % 1 <#
ˆ ? ‰w œ ? Þ @ •#? Þ @
w w
(< • raio) @ @

Volumes Ð?8Ñ w œ 8 Þ ?8•" Þ ?w Ð8 - ‘Ñ

Prisma: Área da base ‚ Altura Ðsen ?Ñw œ ? w Þ cos ?

Cilindro: Área da base ‚ Altura Ðcos ?Ñw œ • ?w Þ sen ?

Pirâmide: "$ ‚ Área da base ‚ Altura Ðtg ?Ñw œ ?w


cos # ?

Cone: "$ ‚ Área da base ‚ Altura Ð/? Ñw œ ? wÞ /?

Esfera: %$ 1 <$ (< • raio) Ð+? Ñw œ ? w Þ +?Þ ln + Ð+ - ‘€ ÏÖ"×Ñ

w
Ðln ?Ñw œ ??
Trigonometria
w
sen Ð + € , Ñ œ sen + Þ cos , € sen , Þ cos + Ðlog + ?Ñw œ ? Þ?ln + Ð+ - ‘€ ÏÖ"×Ñ

cos Ð + € , Ñ œ cos + Þ cos , • sen + Þ sen ,


Limites notáveis
tg + € tg ,
tg Ð + € , Ñ œ
"•tg + Þ tg ,
lim sen
B
B œ"
BÄ!
Complexos B
a3 -3= ) b Þ ˆ3 w -3= )w ‰ œ 3 3 w -3= ˆ) € ) w ‰
lim / B•" œ "
BÄ!

ˆ w‰
3 -3= ) 3 ln ÐB€"Ñ
3 w -3= ) w œ 3 w -3= ) • ) lim œ"
BÄ! B
a3 -3= )b8 œ 38 -3=Ð8 )Ñ
lim /B œ € _ Ð: - ‘ Ñ
È3 -3= ) œ 8
È3 -3=
:
8 )€ # 5 1 ß 5 - Ö ! ß Þ Þ Þ ß 8 • " × BÄ€_ B
8

435.V1/11
PROVA 435/C/12 Págs.

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO


12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto)
Cursos Gerais e Cursos Tecnológicos - Programa ajustado

Duração da prova: 120 minutos 1.ª FASE


2002 1.ª CHAMADA

PROVA ESCRITA DE MATEMÁTICA


_____________________________________________________________________________

COTAÇÕES

Grupo I ................................................................................................................ 63

Cada resposta certa ..................................................................... +9


Cada resposta errada.................................................................... - 3
Cada questão não respondida ou anulada ...................................... 0

Nota: um total negativo neste grupo vale 0 (zero) pontos.

Grupo II ............................................................................................................. 137

1. ................................................................................................ 21
1.1. ..........................................................................11
1.2. ..........................................................................10

2. ................................................................................................ 32
2.1. ..........................................................................11
2.2. ..........................................................................21
2.2.1. ...............................................11
2.2.2. ...............................................10

3. ................................................................................................ 43
3.1. ......................................................................... 27
3.1.1. ...............................................13
3.1.2. ...............................................14
3.2. ..........................................................................16

4. ................................................................................................ 41
4.1. ..........................................................................13
4.2. ..........................................................................12
4.3. ..........................................................................16

TOTAL .............................................................................................................. 200

V.S.F.F.
435/C/1
CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO

Grupo I

Deverão ser anuladas todas as questões com resposta de leitura ambígua (letra confusa,
por exemplo) e todas as questões em que o examinando dê mais do que uma resposta.

Pode acontecer que o examinando não respeite a indicação, expressa no enunciado, de


que deverá escrever apenas a letra correspondente à alternativa seleccionada. Por exemplo:
pode acontecer que ele apresente cálculos; pode acontecer que escreva, para além da letra, a
resposta que lhe corresponde; pode acontecer que se esqueça de escrever a letra e escreva
apenas a resposta; etc. Deverão ser consideradas (como certas ou como erradas) todas as
questões em que não haja qualquer dúvida sobre a alternativa que o examinando seleccionou,
mesmo que, formalmente, desrespeitem a referida indicação. Deverão ser anuladas todas as
questões onde existam dúvidas sobre a alternativa seleccionada.

As respostas certas são as seguintes:

Questões 1 2 3 4 5 6 7
Versão 1 B B C B D B A
Versão 2 C C B A C D D

Na tabela seguinte indicam-se os pontos a atribuir, no primeiro grupo, em função do


número de respostas certas e do número de respostas erradas.

Resp. erradas 0 1 2 3 4 5 6 7
Resp. certas
0 0 0 0 0 0 0 0 0
1 9 6 3 0 0 0 0
2 18 15 12 9 6 3
3 27 24 21 18 15
4 36 33 30 27
5 45 42 39
6 54 51
7 63

435/C/2
Grupo II

Critérios gerais

1. A cotação a atribuir a cada alínea deverá ser sempre um número inteiro, não negativo, de
pontos.

2. Se, numa alínea em que a respectiva resolução exija cálculos e/ou justificações, o examinando
se limitar a apresentar o resultado final, deverão ser atribuídos zero pontos a essa alínea.

3. Algumas questões da prova podem ser correctamente resolvidas por mais do que um
processo. Sempre que um examinando utilizar um processo de resolução não contemplado
nestes critérios, caberá ao professor classificador adoptar um critério de distribuição da
cotação que julgue adequado e utilizá-lo em situações idênticas.

4. Existem alíneas cuja cotação está subdividida pelas etapas que o examinando deve percorrer
para as resolver.
• Em cada etapa, a cotação indicada é a máxima a atribuir.
• Caso a resolução da etapa esteja incompleta, ou contenha incorrecções, cabe ao
classificador decidir a cotação a atribuir a essa etapa, tendo em conta o grau de
incompletude e/ou a gravidade dos erros cometidos. Por exemplo:
- erros de contas ocasionais devem ser penalizados em um ponto;
- erros graves, que revelem desconhecimento de conceitos, regras ou propriedades, devem
ser penalizados em, pelo menos, metade da cotação da etapa.
• No caso de o examinando cometer um erro numa das etapas, as etapas subsequentes
devem merecer a respectiva cotação, desde que o grau de dificuldade não tenha diminuído, e
o examinando as execute correctamente, de acordo com o erro que cometeu.
• Caso o examinando cometa, numa etapa, um erro que diminua o grau de dificuldade das
etapas subsequentes, cabe ao classificador decidir a cotação máxima a atribuir a cada uma
destas etapas. Em particular, se, devido a um erro cometido pelo examinando, o grau de
dificuldade das etapas seguintes diminuir significativamente, a cotação máxima a atribuir a
cada uma delas não deverá exceder metade da cotação indicada.
• Pode acontecer que o examinando, ao resolver uma questão, não percorra explicitamente
todas as etapas previstas nos critérios. Todos os passos não expressos pelo examinando,
mas cuja utilização e/ou conhecimento estejam implícitos na resolução da questão, devem
receber a cotação indicada.

5. Existem alíneas em que estão previstos alguns erros que o examinando pode cometer. Para
cada caso, é indicada a cotação a atribuir. O examinando pode, contudo, utilizar um processo
não contemplado nos critérios e/ou cometer um erro não previsto. Cabe ao classificador
adaptar as referências dadas a todas as situações não previstas.

6. Se, na resolução de uma alínea, o examinando utilizar simbologia inequivocamente incorrecta


(por exemplo, se escrever o símbolo de igualdade onde deveria estar o símbolo de
equivalência), tal deve ser penalizado em um ponto, na cotação total a atribuir a essa alínea.

V.S.F.F.
435/C/3
Critérios específicos

1.1. .....................................................................................................................................11

Este exercício pode ser resolvido por, pelo menos, cinco processos:

1.º Processo
D% œ • % (cálculo efectuado na forma algébrica) .............................................7
D%# œ % - 3 = a$ 1b ............................................................................................2
"

Conclusão .....................................................................................................2

kD" k œ È # ...................................................................................................2
2.º Processo

Determinar um argumento de D" (por exemplo, 1 )......................................2


%
D%" œ%-3= 1 .................................................................................................2
D%# œ % - 3 = a$ 1b ............................................................................................2
%-3= 1 œ % - 3 = a$ 1b œ • % ........................................................................3 (1+2)

kD" k œ È # ...................................................................................................2
3.º Processo

Determinar um argumento de D" (por exemplo, 1 )......................................2


%
kD" k œ kD# k e
Conclusão (como
$1 œ 1 € 1 ,
% % #
D" e D# são raízes quartas de um mesmo número complexo) .........................3

Número pedido œ • % ...................................................................................4

4.º Processo
D% œ % - 3 = a$ 1b ............................................................................................2
#
Escrever a expressão geradora das raízes quartas de D%# ..................................2
Verificar que
D" é uma das raízes .................................................................5
%-3= a$ 1b œ • % ........................................................................................2

5.º Processo
Evidenciar que as representações geométricas de D" e de D#
são vértices de um quadrado de centro na origem, pelo que D" e
D# são raízes quartas de um mesmo número complexo ...................................7

Número pedido œ • % ...................................................................................4

435/C/4
1.2. .....................................................................................................................................10

Indicar os comprimentos dos lados do triângulo ...............................................9 (3 ‚ 3)

Perímetro do triângulo œ # € # È #................................................................1

Notas:

1. Não se exige o desenho do triângulo cujo perímetro é pedido.

2. Se o examinando se limitar a esboçar correctamente o triângulo, deverão ser


atribuídos 4 pontos à sua resposta.

2.1. .....................................................................................................................................11

O examinando deve utilizar

• Leis de De Morgan
• Propriedade relativa à probabilidade do acontecimento contrário
• Propriedade relativa à probabilidade da união de dois acontecimentos
• TÐE•FÑœTÐElFÑ‚TÐFÑ

e deve concluir que

• TÐE • FÑœTÐEÑ•TÐFÑ€TÐElFÑ‚TÐFÑ

Na tabela seguinte, indica-se como esta alínea deve ser cotada:

Forma Nível 1 Nível 2


Conteúdo (‡ ) (‡‡ )
O examinando utiliza as quatro propriedades e conclui o pretendido. 11 10
O examinando utiliza as quatro propriedades, mas não conclui. 8 7
O examinando utiliza apenas três propriedades. 6 5
O examinando utiliza apenas duas propriedades. 4 3
O examinando utiliza apenas uma propriedade. 2 1

(‡ ) Nível 1 - Resposta bem estruturada e correcta do ponto de vista formal.

(‡‡ ) Nível 2 - Resposta mal estruturada e/ou com alguns erros formais.

V.S.F.F.
435/C/5
2.2.1. ..................................................................................................................................11

Este exercício pode ser resolvido por, pelo menos, quatro processos:

No que se segue, vamos designar por E o acontecimento «ter olhos verdes» e


por F o acontecimento «ter cabelo louro».
Como é evidente, o examinando poderá escolher outras designações.

1.º Processo

TÐEÑœ "
% .................................................................................................1
TÐFÑœ "
$ .................................................................................................1
TÐElFÑœ "
# ...........................................................................................2
TÐEÑœ $ ................................................................................................1
%
• FÑœ $
Aplicar a fórmula ( T Ð E
" " "
% • $ € # ‚ $ )............................4
( ........................................................................................2
T Ð E • F Ñ œ "#

2.º Processo

TÐEÑœ "
% .................................................................................................1
TÐFÑœ "
$ .................................................................................................1
TÐElFÑœ "
# ...........................................................................................2
TÐE•FÑ œ " ........................................................................................2
'
& .......................................................................................3
TÐE•FÑ œ "#
( ........................................................................................2
T Ð E • F Ñ œ "#

Nota:
Neste processo, o examinando pode utilizar um diagrama de Venn.

3.º Processo
(Através de uma tabela)

Preencher a célula relativa a TÐEÑ com o valor


" .......................................1
%
Preencher a célula relativa a TÐFÑ com o valor
" .......................................1
$
Obter o valor
" , da célula relativa a TÐE•FÑ ........................................4
'
Obter o valor
(
"# , da célula relativa a T Ð E • FÑ .......................................5

435/C/6
4.º Processo
(Através de um diagrama em árvore)

Preencher o ramo relativo a TÐFÑ com o valor


" ........................................1
$
Preencher o ramo relativo a TÐElFÑ com o valor
" ....................................2
#
Obter o valor
" , do ramo relativo a TÐE•FÑ .........................................3
'
Obter o valor
(
"# , do ramo relativo a T Ð E • FÑ ........................................5

2.2.2. ..................................................................................................................................10

Número de raparigas com cabelos louros œ%! ................................................2


Número pedido œ %! G# ‚ )! G$ (ver nota)....................................................7
Número pedido œ'%!)%)!! ........................................................................1

Nota:
Indicam-se a seguir possíveis respostas do examinando, com a respectiva cotação
a atribuir.
%! G ‚ )! G (número correcto)..................................................................7
# $
%! E ‚ )! E ............................................................................................2
# $

3.1.1. ..................................................................................................................................13

Identificar o pedido com Eˆ


"‰

Eˆ "% ‰ ¸!ß!& (ver nota) ...........................................................................6


...................................................................7
%

Nota:
Se o examinando não apresentar o resultado arredondado às centésimas, ou se o
arredondamento estiver incorrecto, deverá ser penalizado em 1 ponto.

3.1.2. ..................................................................................................................................14

Equacionar o problema ( % >$ / •> œ # >$ /•!ß(>) ..........................................3

% >$ / •> œ # >$ / •!ß(> Í / •!ß$> œ " ˆpara > ž !‰


#
ou
% >$ / •> œ # >$ / •!ß(> Í > œ ! ” / •!ß$> œ " ......................................5
#
lna"Î#b
Tempo pedido œ .......................................................................3
•!,$
Tempo pedido ¸#ß$" .................................................................................1
Tempo pedido ¸ # h "* m ..........................................................................2

V.S.F.F.
435/C/7
3.2. ...................................................................................................................................16

Apresenta-se a seguir um exemplo de resposta.

O nível máximo de concentração do antibiótico no sangue do Carlos


ultrapassa, em 0,3 miligramas por litro de sangue, o limiar a partir do
qual o medicamento pode causar efeitos secundários. De facto, como
se pode concluir da análise do gráfico da função G , o nível máximo de
concentração do medicamento no sangue do Carlos é de 7,8
miligramas por litro.
Por simples observação dos gráficos, verifica-se claramente que, no
caso da Ana, essa situação não ocorre.
A partir das abcissas dos pontos de intersecção dos gráficos com a
recta de equação C œ " , pode concluir-se que a Ana deve tomar nova
dose do medicamento cerca de 7,4 horas depois de ter tomado a
primeira, enquanto o Carlos deverá fazê-lo 4 horas depois, ou seja,
11,4 horas depois de ter tomado a sua primeira dose.

Esta alínea deve ser cotada de acordo com o seguinte critério:

Apresentação da informação recolhida na utilização da


calculadora (ver nota 1) .................................................................................6

Composição (ver notas 2 e 3) ...................................................................... 10

Notas:

1. Indica-se a seguir como deve ser cotada a apresentação da informação


recolhida na utilização da calculadora:

O examinando reproduz os gráficos obtidos na


calculadora e indica as coordenadas relevantes para
responder às duas questões colocadas .................................6

O examinando reproduz os gráficos obtidos na


calculadora e indica as coordenadas relevantes para
responder a uma das questões colocadas .............................4

O examinando limita-se a reproduzir os gráficos obtidos


na calculadora ........................................................................2

435/C/8
2. Na tabela seguinte, indica-se como deve ser cotada a composição.

Forma Nível 1 Nível 2 Nível 3


Conteúdo (‡ ) (‡‡ ) (‡‡‡ )
Analisa correctamente as duas 10 8 6
questões colocadas.
Analisa correctamente apenas a 6 5 4
segunda questão.
Analisa correctamente apenas a 4 3 2
primeira questão.

(‡ ) Nível 1 - Redacção clara, bem estruturada e sem erros (de sintaxe, de


pontuação e de ortografia).

(‡‡ ) Nível 2 - Redacção satisfatória, em termos de clareza, razoavelmente


estruturada, com alguns erros cuja gravidade não afecte a
inteligibilidade.

(‡‡‡ ) Nível 3 - Redacção confusa, sem estruturação aparente, presença de erros


graves, com perturbação frequente da inteligibilidade.

Pode acontecer que uma composição não se enquadre completamente num dos
três níveis descritos e/ou contenha características presentes em mais do que
um deles. Nesse caso, deverá ser atribuída uma pontuação intermédia, desde
que respeite a indicação, dada nos critérios gerais, de que a cotação a atribuir a
cada alínea deverá ser sempre um número inteiro de pontos.

3. Pode acontecer que o examinando se engane a introduzir a expressão das


funções na calculadora. Nestas circunstâncias, cabe ao classificador adaptar as
indicações dadas na tabela acima, tendo em conta os seguintes parâmetros:
- plausibilidade dos gráficos obtidos, face à situação em estudo;
- correcção matemática das afirmações produzidas, face aos gráficos obtidos.

4.1. .....................................................................................................................................13

O examinando deve

• Mostrar que
"
G I œ sen B
• Mostrar que I F œ tg"B

• Evidenciar que EI œ " • I F

• Evidenciar que o perímetro pedido é igual a #‚EI € # ‚ G I

0 Ð B Ñ œ # • tg#B € sen
e deve concluir que
#
B

V.S.F.F.
435/C/9
Na tabela seguinte, indica-se como esta alínea deve ser cotada:

Forma Nível 1 Nível 2


Conteúdo (‡ ) (‡‡ )
O examinando percorre as quatro et apas 13 12
e conclui o pretendido.
O examinando percorre as quatro etapas, 11 10
mas não conclui o pretendido.
O examinando percorre apenas três etapas, 8 7
não podendo, portanto, concluir o pretendido.
O examinando percorre apenas duas etapas, 5 4
não podendo, portanto, concluir o pretendido.
O examinando percorre apenas uma etapa, 2 1
não podendo, portanto, concluir o pretendido.

(‡ ) Nível 1 - Resposta bem estruturada e correcta do ponto de vista formal.

(‡‡ ) Nível 2 - Resposta mal estruturada e/ou com alguns erros formais.

4.2. .....................................................................................................................................12

lim 0 Ð B Ñ œ % .........................................................................................7
BÄ 1# •

lim #
BÄ 1# • tg B œ ! (ver nota 1) ...........................................4
lim #
BÄ 1# • sen B œ # (ver nota 2) ........................................2
Conclusão ..............................................................................1

Interpretação (ver nota 3)...............................................................................5

Notas:

1. Se o examinando não explicitar este passo, estes 4 pontos não devem ser
atribuídos.

2. Se o examinando não explicitar este passo, estes 2 pontos não devem ser
atribuídos.

435/C/10
3. A interpretação deve ser cotada de acordo com o seguinte critério:

Interpretação correcta, utilizando uma linguagem


correcta (Exemplo: quando B Ä 1 # , o quadrilátero
tende a coincidir com o quadrado ÒEFGHÓ, pelo
que o seu perímetro tende para o perímetro do
quadrado) ...............................................................................5

Interpretação com incorrecções de linguagem


(Exemplo: a figura tende para o perímetro do
quadrado) ...............................................................................3

Interpretação incorrecta (Inclui-se o caso em que o


examinando obtém, para o limite, um valor menor
ou igual a zero, ou infinito, e tenta interpretá-lo) .........................0

4.3. .....................................................................................................................................16

Š tg#B ‹ œ
w •#
cos# B ....................................................................2
tg# B

Š sen# B ‹
w
œ •# cos B ...................................................................2
sen# B

Mostrar que 0 w Ð B Ñ œ # • # #cos B .........................................................4


sen B
Referir que 0 wÐ B Ñ ž ! (ver notas 1 e 2) ..................................................4

Concluir que a função 0 é crescente (ver nota 1) .......................................4

Notas:

1. A análise do sinal de 0 w e a conclusão podem ser apresentadas através de um


quadro.

2. Se, no quadro, o examinando não indicar correctamente o domínio da função,


deverá ser penalizado em 2 pontos.

435/C/11