Você está na página 1de 3

25 dicas e direitos

de quem contrata um advogado


Fonte: http://www.netlegis.com.br/index.jsp?arquivo=detalhesNoticia.jsp&cod=58471

A Advocacia exerce importante papel no acesso aos direitos e fundamentação dos mesmos, no
entanto quem contrata os seus serviços tem direitos, os quais precisam ser divulgados, afinal embora
sejam poucos os advogados que descumprem os seus deveres, como em toda profissão sempre há
problemas:

1) Em geral, para se ajuizar uma ação judicial no Brasil é necessário contratar um advogado, mas há
exceções (como na área eleitoral, trabalhista, juizado especial, Hábeas Corpus e Execução Penal).
Embora seja sempre recomendável a consulta a um advogado e até a mais de um.

2) O ideal é consultar o advogado sempre ANTES de fazer o ato, pois depois pode não haver uma
boa solução.

3) Existem escritórios que oferecem Planos de Assistência Jurídica com pagamento mensal, isto é
muito comum em vários paises, mas no Brasil forças ocultas tentam impedir este serviço.

4) O ideal é evitar o processo judicial, sendo que um acordo pode ser a melhor via, afinal raramente
alguém tem 100% de direitos, embora sempre ache que sim.

5) No Brasil existe uma tendência de priorizar a via judicial, mas existem várias formas de acesso ao
direito extrajudicial, embora alguns advogados prefiram a via judicial.

6) Via judicial é como cirurgia, ou seja, deve ser a última opção, pois tem riscos, é mais cara e
demorada.

7) É necessário verificar se o advogado tem eficiência naquela área, isto é, pesquisar na internet,
perguntar para conhecidos e verificar se o mesmo participa de congressos, observar se tem livros
novos na biblioteca e outros detalhes menos técnicos e mais práticos. Hoje não vale mais aquela
visão popular de que advogado bom é o mais antigo ou que grita mais. Advogado mal educado
tendem a ter os processos que demoram mais, mas isto não significa subserviência ou falta de
altivez, mas a busca da dose certa de bom senso. Ou seja, um bom relacionamento é necessário,
caso contrário é muito difícil.

8) Muita atenção ao outorgar (dar) procuração para o advogado, pois ele passará a ser seu
representante judicial, neste caso é preciso ter muita confiança. Existem dois tipos de procuração,
uma de foro geral (não permite ao advogado receber os valores) e outra de foro especial (que tem
vários poderes entre eles o de receber os valores pagos em juízo), os advogados costumam oferecer
apenas a segunda (e vem escrito procuração ad judicia com poderes especiais. Cabe a você decidir
qual vai outorgar ao advogado, sendo que no caso da segunda é preciso confiar no profissional, pois
irá receber os valores e depois repassar ao cliente.

9) Se o cliente quiser trocar de advogado no processo isto é possível, mas algumas regras da OAB
costumam dificultar isto um pouco, porém é pode-se passar uma nova procuração para outro
advogado e o ideal é fazer uma comunicação no processo informando a revogação da outra

1
procuração.

` 10) Hoje todo processo judicial pode ser acompanhado pela internet, mesmo se segredo de justiça,
basta ter o número e consultar no site do Tribunal, logo peça o número do seu processo ao advogado
(alguns não gostam disso, pois o cliente passa a controlar o processo).

11) O Judiciário intimará apenas o advogado e raramente o cliente, logo é preciso verificar se o
advogado está atento, se não faleceu, aposentou, mudou de endereço e outros dados. Importante
que o cliente também mantenha os seus dados atualizados no processo e junto ao advogado
também.

12) Um bom escritório de advocacia costuma ter boas secretárias e hábeis canais de comunicação,
logo isto é importante para ser avaliado. Há escritórios com atendimento 24 horas e outros em um
sistema mais antigo que fecha até para almoço.. Há advogados que ficam em filas para pagar taxas
(trabalho não jurídico) e outros que têm equipe de servidores e estagiários que fazem este serviço de
“apoio legal” como buscar processos, documentos e pagamentos. Cabe a você decidir qual lhe
atende melhor

13) Um segredo que faz os processos andarem mais rápido é ficar acompanhando quase que
diariamente os mesmos e pedindo informações educadamente no Fórum, afinal hoje no Direito são
poucos processos que são realmente teses, a maioria é uma massa de processos repetitivos que não
demandam uma genialidade para atendimento aos mesmos, mas quase que um trabalho hercúleo de
gerenciamento de trabalho repetitivo. Não raro folhas para serem juntadas desaparecem, processos
ficam em pilhas erradas, documentos são juntados em processos errados e muito mais.

14) Ou seja, você ou seu advogado precisam acompanhar efetivamente o processo, não basta
escrever bonito ou dezenas de páginas. Aliás, hoje não se tem como escrever mais muito, pois
dificilmente será lido, exceto se for algo que seja muito, mas muito complicado e inovador (se alguém
cria uma peça jurídica nova, logo ela será copiada), assim tem sido Direito, pouca criatividade e muita
cópia.

15) Muitos operadores do Direito ainda estão na fase do Direito Artesanal, mas com o direito de
massas e processos repetitivos isto tem mudado, para se ter uma idéia, 50% dos 60 milhões de
processos judiciais no Brasil são execuções fiscais em geral ajuizadas com duas folhas padrão
apenas.

16) Uma das reclamações mais comuns em relação a advogados é que alguns recebem o dinheiro e
não repassam ao cliente. Neste caso é o crime conhecido como apropriação indébita (art. 168 do
Código Penal). Logo, o cliente pode optar por ir à polícia, ao Promotor ou à própria OAB, porém se
optar pela OAB o procedimento contra o advogado será em segredo (e você não acompanhará o
mesmo) e se for aplicada a pena de censura esta também será em segredo. Ademais raramente a
OAB informará a punição aplicada, ainda que não seja a de censura (e se foi aplicada), e nunca fiquei
sabendo de caso que a OAB tenha comunicado o fato à polícia, pois é crime de apropriação indébita
e de ação penal incondicionada.

17) No Brasil ainda não se tem aceito que a relação advogado/cliente seja relação de consumo, mais
isto já ocorre na Europa e nos Estados Unidos. Portanto, náo adianta ir aos Procons para reclamar de
serviço de advogado. Uma outra possibilidade é ajuizar ação de indenização no Juizado Especial (até
40 salários mínimos) ou no Fórum, se comprovar o erro do profissional.

18) No Brasil cada Estado tem uma tabela de honorários advocatícios publicados pela OAB, e
costuma variar muito de um Estado para outro. Também existe uma discussão se esta Tabela é
obrigatória ou apenas sugestiva (referencial), sendo que na Europa alguns países vedam a Tabela e
outros a aceitam como sugestiva, e praticamente inexiste a Tabela Obrigatória. No Brasil existe um
procedimento no Ministério da Justiça para definir se pode existir tabela de honorários.

19) No Brasil também admite-se que os honorários sejam contratuais e com base no valor da causa
vencedora (conhecido como contrato de risco). Alguns países como a Inglaterra vedam isto, mas o

2
Brasil permite e isto é bom para facilitar o acesso ao serviço jurídico. Não existe um limite legal, mas
alguns julgados da OAB recomendam que não se ultrapasse 30% da causa para evitar que o
advogado vire sócio do cliente.

20) Muito importante colocar na procuração o objeto a que se destina, isto evita que seja usada para
fins diversos. Por exemplo, uma procuração judicial para divórcio ser usada para ajuizar ação de
FGTS.

21) Há direitos que são tão específicos que talvez profissionais que não são da área jurídica tenham
mais conhecimento como direitos sociais, direitos humanos, direitos municipais, pois o ensino jurídico
no Brasil ainda tende a focar apenas no sistema judicial para uma espécie de guerra judicial e
processual com legislação federal. Logo, é sempre bom também pesquisar na internet e ouvir outros
profissionais.

22) Muitos atos podem ser feitos também nos cartórios extrajudiciais, como divórcio e inventário. E
até alguns casos de Testamento, e neste último caso evita muita briga familiar. Porém, é preciso
verificar se os valores cobrados pelos cartórios estão corretos, pois algumas vezes cobram escrituras
e procurações por instrumento público (mais caras) para atos que poderiam ser por documento
particular. Nesta área poucos entendem a legislação e acabam copiando procedimentos.

23) Estudos indicam que no processo civil, exceto ações por dano moral, o autor da demanda vence
em 80% das causas. Logo, o réu e seu advogado tendem a retardar o processo com manobras
processuais e legais que excessivamente protegem o réu.

24) Cuidado com a Justiça Gratuita, verifique se você realmente autorizou o seu advogado a pedir tal
benefício, pois pode haver multa se falseada quando você não comprovadamente carente.

24) Toda parte tem o direito de folhear o seu processo no balcão do fórum e não apenas o seu
advogado. Logo você decide se quer gastar este tempo ou não. O cliente também pode ler os
trabalhos feitos pelo advogado antes de este entregar no fórum. Neste caso pode concordar ou não
com o teor do texto.

25) O Estado oferece advogados para quem não tem condições de pagar, mas é sempre bom optar
pela rede privada, pois tem horários mais amplos de atendimento, permite uma confiança maior,
porém o Estado tem bons profissionais, embora esta relação de Estado acusar e Estado defender
seja muito complexa e perigosa em alguns sentidos. Portanto, é sempre bom propor um parcelamento
ou fazer um financiamento para o pagamento.

André Luis Alves de Melo, Professor Universitário, Promotor e Mestre em Direito Público
(www.direitomoderno.com)

Revista Jurídica Netlegis, 26 de Janeiro de 2010

Interesses relacionados