Você está na página 1de 6
Curso 223 - Engenharia Civil Ênfase Identificação Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino Disciplina

Curso

223 - Engenharia Civil

Ênfase

Identificação

Curso 223 - Engenharia Civil Ênfase Identificação Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino Disciplina 1149-SP2

Câmpus de Ilha Solteira

Plano de Ensino

Identificação Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino Disciplina 1149-SP2 - ISOSTÁTICA Docente(s) Haroldo de

Disciplina 1149-SP2 - ISOSTÁTICA

Docente(s) Haroldo de Mayo Bernardes

Unidade Faculdade de Engenharia

Departamento Departamento de Engenharia Civil

Créditos

Carga Horária

Seriação ideal

4

60

2

Pré - Requisito

900-S - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I

Co - Requisito

Objetivos Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino 1. Analisar e resolver problemas relacionados ao

Objetivos

Objetivos Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino 1. Analisar e resolver problemas relacionados ao equilíbrio

Câmpus de Ilha Solteira

Plano de Ensino

Objetivos Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino 1. Analisar e resolver problemas relacionados ao equilíbrio

1. Analisar e resolver problemas relacionados ao equilíbrio de corpos rígidos e aplicar os

conceitos em estruturas. Equacionar e resolver os movimentos de translação e rotação de estruturas.

2. Calcular os esforços e traçar diagramas de momento fletor, esforço cortante e esforço normal

de estruturas isostáticas.

3. Determinar os esforços em treliças isostáticas por diversos métodos.

Conteúdo

1. Introdução à Engenharia de Estruturas

1.1. Definição de estrutura

1.2. Tipos de estruturas

1.3. Tipos de elementos estruturais

1.4. Estudo dos vínculos e ligações

1.5. Graus de liberdade de corpo rígido

1.6. Determinação geométrica das estruturas

2. Noções básicas de estática

2.1. Definição e classificação de forças

2.2. Ponto de aplicação de forças: centro geométrico, de gravidade e de massa

2.3. Forças hidrostáticas

2.4. Momento de uma força

2.5. Forças equivalentes

3. Equilíbrio de Corpos Rígidos

3.1. Condição de equilíbrio

3.2. Reações internas

3.3. Reações vinculares

4. Esforço Solicitante

4.1. Definição de esforço solicitante

4.2. Determinação analítica

4.3. Relações diferenciais

4.4. Diagramas de esforços solicitantes

4.3.1. Vigas isostáticas

4.3.2. Pórticos isostáticos planos e tridimensionais

4.4. Determinação de valores máximos e mínimos

5. Treliças isostáticas

5.1. Hipóteses de cálculo

5.2. Métodos de resolução

- Equilíbrio dos nós

- Método das seções (Ritter)

Metodologia

A metodologia de ensino será da seguinte maneira:

- aulas teóricas;

- aulas práticas. Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino As aulas teóricas serão totalmente

- aulas práticas.

- aulas práticas. Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino As aulas teóricas serão totalmente expositivas,

Câmpus de Ilha Solteira

Plano de Ensino

- aulas práticas. Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino As aulas teóricas serão totalmente expositivas,

As aulas teóricas serão totalmente expositivas, sendo exploradas as habilidades de apresentação, envolvimento, participação, exemplos, etc.

As aulas práticas serão de exercícios resolvidos em salas informatizadas e do desenvolvimento de aulas de laboratório, parte em classe e parte no laboratório de estruturas.

Os recursos a serem utilizados são: quadro negro, giz, apagador, material didático impresso, recursos áudio visuais e recursos de laboratório para ensaios de elementos estruturais.

PODERÁ SER INCLUÍDO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA.

OBSERVAÇÕES:

Visando o atendimento dos compromissos com o TAC – Termo Ajuste de Conduta desta Unidade, na primeira aula de laboratório realizada o docente deverá realizar um Treinamento dos alunos no que toca ao uso, limpeza e armazenamento de EPIs, bem como colher as assinaturas nos formulários “TERMO DE RESPONSABILIDADE E RECEBIMENTO DE INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES (para uso individual)” e “TERMO DE RESPONSABILIDADE E RECEBIMENTO DE INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES (para uso coletivo)”.

Bibliografia

BÁSICA:

HIBBELER, R.C. Estática: Mecânica para Engenheiros. 12ª ed. São Paulo: Pearson, 2011. 512p. ISBN 9788576058151.

COMPLEMENTAR:

AMARAL, O.C. Estruturas isostáticas. Belo Horizonte: Edições Engenharia e Arquitetura, 1977.

267p.

BEER, F.P.; JOHNSTON JUNIOR, E.R. Mecânica vetorial para engenheiros: estática. 5ª ed. São Paulo, Makron Books, 1994. 804p. ISBN 8534602026. CAMPANARI, F.A. Teoria das Estruturas. Rio de Janeiro: Guanabara Dois S.A., 1985. 4v. DARKOV, A., KUSNETSOV, V. Structural Mechanics. Moscou: Mir Publishers, 1983. 646p. SUSSEKIND, J.C. Curso de Análise Estrutural. 7ª ed. Porto Alegre: Globo, 1984. v.3. TIMOSHENKO, S.P., GERE, J.E. Mecânica dos Sólidos. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1998. v.2.

Critérios de avaliação da aprendizagem

O aproveitamento (A) na disciplina é dado por:

Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino A = άP . MP + άT .
Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino A = άP . MP + άT .

Câmpus de Ilha Solteira

Plano de Ensino

A = άP . MP + άT . T maior ou igual a 5,0; onde:

de Ensino A = άP . MP + άT . T maior ou igual a 5,0;

- άP é o coeficiente que leva em consideração os resultados obtidos pelos alunos nas provas. Para esta disciplina, o valor deste coeficiente corresponde a 0,9.

- MP é a média aritmética ponderada das duas melhores notas:

MP = ά1 . P1 + ά2 . P2

- P1 é a nota da 1a prova e P2 é a nota da 2a prova.

- ά1 é o coeficiente de ponderação da nota da 1ª prova, que, para esta disciplina, corresponde a

0,4.

- ά2 é o coeficiente de ponderação da nota da 2ª prova, que, para esta disciplina, corresponde a

0,6.

- T é a média aritmética das notas de testes, listas de exercícios, relatórios, seminários, etc.

- άT é o coeficiente que leva em consideração os resultados obtidos pelos alunos nos testes,

listas de exercícios, relatórios, seminários, etc., que, para esta disciplina corresponde a 0,1.

A prova substitutiva visa atender ao aluno que, por qualquer motivo, tenha ficado impedido de realizar uma das provas.

OBS.:

A) Haverá PERÍODO DE RECUPERAÇÃO (aplicação de uma prova final),

B) A nota final que constará no histórico escolar do aluno será aquela obtida no período de

recuperação.

Ementa (Tópicos que caracterizam as unidades do programa de ensino)

Introdução à Engenharia de Estruturas. Definição de estrutura, tipos de estrutura, tipos de elementos estruturais, estudo dos vínculos e ligações, graus de liberdade de corpo rígido. Determinação geométrica das estruturas. Noções básicas de estática: definição e classificação de forças, ponto de aplicação de forças (centro geométrico, de gravidade e de massa), forças hidrostáticas, momento de uma força, equações de equilíbrio de corpo rígido, reações internas e vinculares. Definição de esforço solicitante. Esforços solicitantes: força normal, força cortante, momento fletor, momento torçor. Diagramas de esforços solicitantes para vigas isostáticas e

Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino pórticos isostáticos planos e tridimensionais, determinação de valores
Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino pórticos isostáticos planos e tridimensionais, determinação de valores

Câmpus de Ilha Solteira

Plano de Ensino

Câmpus de Ilha Solteira Plano de Ensino pórticos isostáticos planos e tridimensionais, determinação de valores

pórticos isostáticos planos e tridimensionais, determinação de valores máximos e mínimos. Cálculo de treliças por processos analíticos.

Aprovação

Conselho Curso

25/11/2014

Cons. Departamental

30/10/2014

Congregação

25/11/2014