Você está na página 1de 9

DST - DOENÇAS

SEXUALMENTE
TRANSMISSÍVEIS
PROTEJA SUA
SAÚDE
O sexo é importante na nossa vida. Ele nos
dá prazer e, às vezes, filhos. Sexo é sinal de saúde,
permite demonstrar carinho e confiança.
Existem, entretanto, inimigos de nossa saúde
sexual. Temos que conhecê -los para aprender a se
defender deles e ter uma vida mais feliz.
Os principais de nossa saúde sexual são
invisíveis, entre eles estão os micróbios que se
aproveitam de nossas relações sexuais para
transmitirem de uma pessoa para outras,
provocando doenças. Estas doenças são chamadas
doenças sexualmente transmissíveis.
Felizmente a maioria desses micróbios
morrem com os medicamentos corretos que são as
armas que temos para combatê -los. Mas, não basta
combatê-los, temos que nos prevenir.
Afinal, há um ditado popular muito
inteligente: Mais vale prevenir do que remediar.
c
c
Quem pode pegar uma doença sexualmente
transmissível?
Qualquer um pode pegar uma doença
sexualmente transmissível porém, o risco é maior
em pessoas que trocam freqüentemente de
parceiro(a) sexual e que não usam preservativ o
(camisinha).

| 
A sífilis é uma doença de transmissão sexual
muito traiçoeira, porque os sintomas podem
desaparecer, dando a impressão de cura; se não
tratada, a doença vai progredindo dentro do nosso
corpo. Depois de até vários anos pode aparecer
complicações nos ossos, no coração e no sistema
nervoso, podendo levar à paralisia, doença mental,
cegueira ou até à morte.
Principais sintomas:
*cferidas no pênis, no ânus ou na vulva;
*cverrugas no ânus;
*cferidas na boca;
*cínguas no corpo;
*cfebre e dores nas juntas;
*cqueda de cabelos.
Exame para confirmação: exame de sangue
para VDRL (positivo para sífilis).
Importante!
A sífilis tem cura. O tratamento correto evita
complicações. A pessoa que desconfiar não deve,
em hipótese alguma, tomar remédios por conta
própria, e nem procurar diretamente a farmácia.

c
c
Somente um médico pode diagnosticar
corretamente a doença.
Mulheres grávidas podem transmitir a sífilis
para o bebê, provocando abortos, doenças graves
ou a morte do bebê. Toda mulher grávida deve fazer
o pré-natal para evitar a sífilis congênita.

Além da sífilis, existem outras doenças de


transmissão sexual. As mais comuns são: Herpes
genital, Cancro Mole, Condiloma Acuminado e
Gonorréia, além de vários tipos de corrimentos.

´   
Sintomas: Coceira, ardor, dor local, bolhas,
feridas.
O herpes genital, até o momento, não tem
cura definitiva, contudo o tratamento correto pode
trazer grandes benefícios.


 
Sintomas: Feridas dolorosas que podem ser
acompanhadas de íngua na virilha.
O cancro mole pode ser curado facilmente
com o tratamento correto.
Enquanto você estiver com ferida no pênis,
vagina ou ânus, suspenda a atividade sexual, para
não transmitir para outra pessoa e se proteger.
Ferida pode ser porta aberta para a entrada de
outras DST, inclusive a AIDS.


 


c
c
Sintomas: Verrugas na vulva, no ânus ou no
pênis.
O condiloma acuminado é uma espécie de
verruga, de transmissão sexual muito comum e que
freqüentemente as pessoas tentam fazer tratamento,
por conta própria com aplicação de várias
substâncias. Este é um grave erro, pois pode
provocar queimaduras e ferimentos graves.
Estas verrugas, se não tratadas, podem trazer
complicações, especialmente nas mulheres, mas
também nos homens:
Crescimento exagerado da ver ruga durante a
gravidez.
Transformação para câncer.
Entupimento do canal da urina
Importante!
O exame ginecológico periódico pode
descobrir este tipo de verruga na vgina e no útero,
sendo importante, nesses casos, a prevenção do
câncer na mulher.
Toda mulher com atividade sexual deve fazer
exame ginecológico e de prevenção de câncer
(papanicolaou) pelo menos uma vez por ano.


Sintomas: corrimento no pênis, dor ao urinar,
corrimento na vagina, dor ao urinar ou nas relações
sexuais, corrimento no ânus.
A gonorréia é uma doença de transmissão
sexual muito contagiosa e facilmente curável.
Importante!
c
c
Na mulher, a gonorréia freqüentemente não
apresenta sinais aparentes, mas pode ser
descoberta pelo exame médico.
No momento do parto, a mulher com
gonorréia não tratada pode contaminar o bebê,
podendo dar problema nos seus olhos (oftalmia
gonocócica) que pode levar à cegueira.
Se não fora tratada corretamente, a gonorréia
pode provocar sérias complicações, como:
No Homem Na Mulher
>cinflamação na próstata >cinflamação nas trompas
e nos testículos
>cincapacidade de gerar >cNecessidade de
filhos (esterilidade) cirurgia
>cincapacidade de
engravidar (esterilidade)
Na mulher existe uma umidade vaginal
normal, que não provoca coceira, nã o tem cheiro, é
transparente e em pequena quantidade. Esta pode
aumentar, ou por excitação sexual ou no período
fértil. Esse corrimento não é doença.

?

Existem outras doenças de transmissão
sexual que podem dar corrimento no pênis ou na
vulva. As mais importantes são:

    ; corrimento claro,


freqüentemente com ardência ao urinar.


  : corrimento amarelo/esverdeado,
coceiras, dor.
c
c
  ; coceira intensa, corrimento semelhante
ao leite coalhado.

  
: corrimento com cheiro de
peixe podre, principalmente durante as relações
sexuais.
Essas doenças também podem ser curadas
se tratadas corretamente.

|
Se você tiver feridas, verrugas, corrimentos
no pênis, na vagina ou no ânus, o risco de contrair o
vírus da AIDS através do contato sexual pode ser
maior.
O vírus da AIDS pode ser transmitido de
uma pessoa contaminada para outra, através:
- das relações sexuais sem preservativo;
- do uso compartilhado de seringas e agulhas
contaminadas;
- da mãe para o filho, durante a gravidez, no parto
ou no aleitamento.
O sangue e seus derivados utilizados nas
transfusões, quando não testados, também podem
transmitir o vírus da AIDS.
O indivíduo contaminado pelo vírus da AIDS
pode ficar até vários anos sem apresentar sinais ou
sintomas, mesmo assim pode estar transmitindo.
Com o tempo, o vírus vai destruindo as defesas do
organismo e o indivíduo começa a manifestar uma
série de doenças, tais como: pneumonias, diarréias
graves, tuberculose, tumores, doenças d o sistema
nervoso, diversos tipos de infecção e outros.
c
c
Nestas condições de baixa resistência o
indivíduo não consegue sobreviver por muito
tempo.

Como prevenir-se das doenças sexualmente


transmissíveis.
Usar preservativo de borracha (camisinha)
em todas as relações sexuais que possam trazer
risco:
- embora qualquer contato sexual com qualquer
pessoa possa trazer riscos, é mais provável
contrair doenças sexualmente transmissíveis
caso não conhecemos o parceiro (a) ou ainda se
nós e/ou nossos parceiros não usamos
preservativos de borracha (camisinha).

 
Como Usar
- Puxe para trás o prepúcio (a pele que
recobre a cabeça do pênis);
- coloque o preservativo sobre a ponta do
pênis;
- com uma das mãos, aperte o bico da
camisinha, para tirar o ar; quando fica alguma bolha
de ar, a camisinha arrebenta com mais facilidade
durante a relação;
- com a outra mão vá desenrolando sobre o
pênis, até o fim;
- assim que ejacular e antes que o pênis
amoleça, retire cuidadosamente, sem deixar escapar
o esperma;

c
c
- embrulhe a camisinha em papel higiênico e
jogue no lixo.
Nunca reutilize a camisinha. Quando você
retira a camisinha nova da embalagem, se ela
estiver quebradiça, amarelada, danificada, dura ou
com qualquer outro sinal de estar estragada,
jogue-a fora e use outra.
As camisinhas devem ser sempre
conservadas à sombra e em lugar seco e fresco,
para que não estraguem. Observe sempre o prazo
de validade estampado na embalagem.
Lavar os genitais antes e depois das relações
pode ajudar na prevenção de doenças sexualm ente
transmissíveis, mas isto não dispensa o uso de
preservativo.

Como agir em caso de suspeita de doenças


sexualmente transmissíveis:
Se você tiver um desses sintomas
apresentados e/ ou exames positivos para doenças
sexualmente transmissíveis, mesmo sem sinais ou
sintomas, você deve:
- evitar a atividade sexual até esclarecimento;
caso não seja possível, usar preservativo de
borracha (camisinha) nas relações sexuais;
- realizar tratamento médico para evitar a
contaminação e outras pessoas;
- comunicar à/às pessoa/s com quem
manteve relação sexual e orientá -la para que
também procure um serviço de saúde, mesmo que
ela não apresente sinais e sintomas;

 c
c
pc seguir corretamente as recomendações
médicas para evitar complicações,
inclusive novas doenças sexualmente
transmissíveis.

Texto gentilmente cedido por Gisele K Pereira


(leleli@sti.com.br)

www.sti.com.br

 c
c