Você está na página 1de 28

-

.- 0•
•__•'\ p. , -

Mo] -No.1 -Fozdo Iguaçu,de3a 10/12/1980

i'2Nosso
1'
(I
S-rl
Ilk
PCRS 20POO
Of

1': El

Ir
jF(1
Ov

do

4
• - -
[iaiRICA DE CO$th&s i 4 A
Foz do Iguacu,
ten ill PO de 03 a 10 de Dezembro de 1980
rn filOsofo grego da as, leitores e cola- Nós optamos pela liberdade. imenso, frio noticiirio desalma-
antiguidade estava boradores, chegou Consequentemente, buscarnos do; nem serà ele a vasta coluna
urn dia assistindo a as suas mãos a pri- a independncia. Resistiremos social dos que utilizam a baju-
M meira edição de urn ate o limite em que este ob- laçAo hipocrita como via de a-
U pena de morte. Na-
quele tempo, urn nümero mui- jornal novo em Foz do lgua- jetivo seja praticável, por mais - cesso is verbas dos ingnuos.
to grande de delitos eram pu- çu. Esperamos que não seja no. quimérico que posse ser. Nm- Ojornalisrno estéril dos re-
nidos corn a pena capital. Ven- vo apenas porque nAo é veiho, guêm poderá negociar conosco pórteres impass{veis ganhou no-
do o aparato da execucão, o mas porque e também diferen- nossa opção. Nossos prindpios toriedade, mas ninguéni pensa
filósofo desabafou para os que te do que se fez e se faz no Se- não tern preco. Jarnais faremos que este é mais urn ardil trama-
estavam ao seu redor: "Vede, tor entre nOs. Pensarnos que deste órgao de cornunicaçao do pelos dorninadores do povo
la vão os grandes crirninosos a urn esforço nesse sentido mere- urn carrasco de nossos princi- para sufocar a critica, o incon-
condenar os pequenos". ce ser feito, custe o que custar. pios. - forrnismo, a indignaçao.
E dificil e ate insensato dis- Nos ültimos anos a imprensa Utopia? Meihor. E ela que O jornalismo engajado, anali-
criminar grandes crimes e pe- proliferou em nosso muniëipo move os homens. Nós vamos tico e critico não é facilmente
quenos crimes porque 0 crité- e região. Fez-se de tudo urn nos mover dentro dela. digerido pelos privilegiados que
rio parece sempre muito sub- pouco. Tentou-se de tudo, in- A independência não signifi- não aceitam perturbaçtes a seu
jetivo, marcado pelas circuns- clusive enganar e mentir. Mui- ca o fechamento dentro de urn comodismo. Nem sempre o re-
tãncias culturais, histórias, ra- tas vezes a irnprensa ajudou; estreito circulo de uma deter- médio mais eficaz é o que rnais
ciais, variando de comunidade outras vezes prejudicou. 0 fa- minada faccão da sociedade, es- agrada ao paladar do doene. 0
para comunidade. to e que grandes e pequenos teja ela A nossa direita ou A nos- NOSSO TEMPO estarä sempre
As penas que a sociedade a- órgãos de imprensa acordaram sa esquerda. em busca do rernédio eficaz, te-
plica seguern o mesmo condi- para urn interesse muito grande Nossa liberdade nos darA con- nha o sabor ou o dissabor que
cionamento que determina a a- em relaçao a Foz do Iguaçu e a diçaes de falar de tudo e de to- tiver.
valiaçao dos delitos. Existern regiao Oeste do Paraná. dos, promover o que é vAlido e Acreditamos que esses pr9p6-
atitudes e comportamentos que Nós, do NOSSO TEMPO, combater o que nos pareça sitos sejam viáveis, porque en-
são considerados criminosos procuraremos fazer a nossa condenAvel - tendemos ser esta a expeccativa
par urn povo em certa ópoca, opcAo - NAo faremos do jornal urn da nossa comunidade.
enquanto entry outro povo ou
outra epoca con cebem-se os
mesmos cornportarnentos co-
rno virtudes.
0 rnenor furto é punido corn
pena de morte entre certos p0-
vos orientais, o que e inadmis-
sfvel, incornpreertsi'vel para os
ocidentais. E, por outra, certos
atos considerados normais a-
qui, são tratados corn repidio
W. Ha cornunidades que vern
o estupro cu o adultério como
atos hediondos, enquanto a
mesma 'imoralidade" pode ser
enaltecida e mesmo recompen-
da entre outros grupos hurna- FW EU
nos. CRU( Fi
As mesrnas razôes que no JESUS
EDITORA NOSSO TEMPO tempo da "Santa" Inquisiçao C 1isTO
CGC - 75.088427/001-92 podiam conduzir a pena de URO1
Rua Cndido Ferreira, 811, rnorte, hoje são motivos para e- /
Vila lolanda naltecer uma pessoa. E o caso,
(85890) Foz do Iguacu-Pr. par exempto, da atitude intele-
Telefone: (0442) 74-2344 ctual critica do estudioso ern /
Sócios proprietários relaçäo a determmadas teorias /
Alberto Koelbi e "verdades". Os inquisidores / dv
Evandro Stelle Teixeira medievais massacravam os crfti-
Eloy Adail Brandt cos e contestadores de suas
Emerson Wagner doutrinas; hoje, a atitude criti-
José Cláudio Rorato ca é considerada a isnica posi-
José Leopoldino Neto
Jesse Vidigal
cáo respeitável para o intelec-
tual.
NOV05 PREOS DO PORCO
Iw
JoAo Adelino de Souza
Juvencio Mazzarollo
Severino Sacornori
Urn aprofundarnento e uma
pesquisa histórica sobre os dife-
rentes critérios de valor para
SO IRRITAM PRODUTORES
Sérgio Spada julgar atos hurnanos em socie-
SOcio-gerente: dade promete conduzir a con-
José C1udio Rorato clusäo fascinantes
Tudo parece relativo, eféme-
ro, extremamente subjetivo e
circunstancial.

Nt,osso Em nossa época e em nosso


mcio é custoso estabelecer
empo quais são as medidas e os pesos
adotados para diferenciar mo-
ralidade e imoralidade. 0 que
ha de novo? 0 que ê estrita-
Edit ores: mente nosso? Em que são origi-
João Adelino de Souza nais Os criminosos e seus repre-
A1uzio Ferreira Palmar sores?
Juvncio Mazzarollo Realmente o ser humano mu-
Diagramação: da; as sociedades mudarn, mas
Jesse Vidigal parece que não é tanto coma se
Colaboradores: pretende. No que se refere a
Rainiides da Silva crime e puniçäo, é de atualida-
Santo Rafagnin de perene a frase do fil6sofo:
Antanio Vanderii Moreira Os grandes criminosos conde-
Moacyr de Souza narn Os pequenos.
Corn posi cáo:
Editora Nosso Tempo Esta edicão do NOSSO TEM-
Irnpressão: PO é urn testemunho nitido
J. S. impressora Ltda. da terrivel verdade constatada
pelo fitOsofo. Ela é eternarnen- 0
Rua 6, Jardim Maria Ro I V L.
de Fatima . Cascavel Pr. te atual.
Nosso
3
Foz do lguaçu,
de 03 a 10 de Dezembro de 1980 tempo
rarn pelas garras do policiabs tortura é uma fébrica do cd-
em nossa cidade. mlnosos,porque o torturado
Ha alguns meses, urn sai do sessão corn uma sede
rapaz foi preso pela Policia do vingança incontrolével;
Federal porque foi surpreen- enfim, escondern sua inabi-
dido corn urn cigarrinho de lidade, incompetència corno
rnaconha. Apanhou tanto investigadores, substituindo
qua ficou uns 15 dias prati- a inteligéncia pals bestia-
camente imobllizado, o lidade.
corpo inteiro esfolado pela No ano passado, em
de qua to! vitirna. converse corn uma autorida-
Ma
Para evitar complicaçOes do do Policia Federal de Foz
ainda maiores para si, o do lguaçu, este ascribe re•
rapaz recusou- se a cebeu o seguinte gula pars
denunciar o fato. Ele havia os interrogatórios levados a
sido arneacado de morte, eteito naquela repartição: se
segundo nos disse, caso re- vocé prender urn suspeito de
velasse algo dos tratos rece- ser ladrão do carro - explica-
bidos. Va o agente- e perguntr a ole
Os métodos so rouba ou não, ele vai dizer
inteligentes de investigação quo não e vocé não saberé
foram substituidos polo sim- fazor mais nada. Se, porém,
vocè der urn "arrocho" nob,
al voce val receber a confis-
são qua espera. 0 agonte
näo explicou o qua si9nifica-
FORAA TORTURA E va "arrocho", mas e facil-
mente comproensivel.
Precise mais?
As autoridades policlais

Os TORTURADORES! jé se convenceram de quo


são incapazes do investigar
corn sucesso sem torturar, e
querern confissOes a
o menlno Mlguelangelo
do Silva, do 4 anos de Idade,
nidade pars revelar todo o
seu estarrecimento, mostrar-
qualquer preco, sejam elas
verdadeiras ou fabricadas na
hora polo torturado. Munidos
estava desaparecido desde o so aberto pars sugestães, dessas informacOes, däo o
dia primeiro de novembro. faltando apenas chorar im- sou trabalho por bern sucodi-
Todas as buscas resultavam plorando compreensão, do. E a demonstração final
inUteis. Boatos levianos cor• perdão pars o terror implan- do burrice, do rnaldado e
dam do boca em boca. tado nas colas de sua Divi- desonestidade dos
A PoUcia Civil revelava•se irn são. Responsabilizou (pren- aparelhos do segurança.
potente pars elucidar o caso. deu) os trés torturadores Devo-se saber qua a
As autoridades estavam como primeira medida criminalidade em grande
comprimidas por uma cres- Inocentadora. A Imprensa
cents angustia da comunida- nacional fez patéticas repor.
de. 0 Juiz não podia confor- tagens exibindo fotos repu-
mar-se e resolveu Iançar a gnantes do morto e das ten-
Policla Federal a caca aos das dos sobreviventes da
bandidos. Este fol em busca chacina acontecida na
doles disposta a encontrà- masmorra qua è a Divisão de
los mesmo quo eles não Policia Federal de Foz do
existissern. iguacu. Os dias passaram e,
Seré verdade quo todos como tudo, o ruido dessa
os cam inhos levam a Roma? opera tragica foi ganhando
Para a Policla Federal pare- tons pianissimos caminhan-
ce quo sim. do pars o encerramento do
o Clrco Garcia estava concerto.
montado nas proximidades Mas é possivel deixar
da residéncia do menlno por isso e perder a oportuni•
desaparecido. Terla ele sido
dado como pasto as teras do
dade definitiva, deixar pas-
sar a prove final de qua Os
J uvencio
circo? A Policla Federal de
Foz do lguacu so convenceu
Orgãos responsáveiS pals Se-
guranca representam do
Mazzarollo J
qua a resposta a essa per. mesmo modo uma terrivel
gunta tinha qua ser necessa- ameaca a comunidade? La-
riamente positiva e fol bus- mentavelmente, parece qua
çá-la. mais esse tato val se diluir,
As 4 horas do tarde do dia 18 evaporar, e tudo continuará
de novembro os policials como antes. Não dá pars fastem de nOs mais essa plismo do pancadania. Os ha- pane é gerada polos pro-
foram buscar trés homens acreditar qua uma sociedade ameaca no melo de tantas beis interrogadore; capazes prios mecanismos do socle-
que tratarn os animals do qua se preze deixe algo tao em qua mergulhamos. do enliar o mais espento dade. Já quo ola gera o
Circo Garcia pare fazer-Ihes revoltante por isso mesmo e Seria urn risco afirmar crirninoso ou suspeito,foram crime, devo suporté-lo. Urna
algumas perguntas. As 7 nao decida sanear urn órgão qua a tort ura é uma constan- trocados pals brutalidade. vez esgotadas Infrutifera-
horas da nolte as "pergun. quo se degradou em niveis te, é urn método corisagrado Quem não sabe fazor pergun- mente as lormas sensatas 0
tas" jé haviarn felto urn rnor- tao baixos. pela policia em toda parte e tas procura as respostas quo investigação, é preciso ran-
to, urn ferido e uma comuni- o minirno qua em todos os niveis, mas ha espera cornetendo crimes der-Se o engollr o crime,
dade estarrecida. Para trans- poderia esperar saris o fe- evbdencias qua conduzem a piores qua os qua pretende jamais cometer outro a pre-
formar em verdade uma su. chamento puro e simples isso. Se pars desvendar uma Investigar pars punir. texto do primeiro.
poslcão, trés policlais dessa divisao do Policia por questão interrogando ole- Por asses métodos a po- Se não houvor outro
espancavam barbaramente estar tazendo extamente o mentos corn remotissimas licia chega a conclusOes que caminho senão o trilhado
dois funclonârios do Circo, contrárlo da finalidade pals possibilidades de fornecer não merecem o manor cré- pals Policia Federal do Foz
enquanto outro esperava sua qual existe. 0 absurdo já é pistas a policia utllizou-se a dito, porque sob torturas do lguacu ou em qualquer
vez, ate quo urn revolver supremo na medida em qua brutalidade extrerna, o bestiais o paciente é capaz outro lugar, é born rnolhor
nfiado na boca do Oziando urn orgão destlnado a prote- qua não acontece corn de confessor quo foi ate qua dispenser a ação nofasta,
Silva, disparou urn balaço ger o cidadão assume a suspeitos mais evidentes? c.rucificou Jesus Cristo. prirnitiva, incivilizada 0 COfl-
mortal. Corn urn morto e urn funçao de seu algoz. Infellzmente não tomos A torture institucionali• traproducente dessa institui-
ferido o n 'cjmorio fol sus- o assassinato de aqui fotos ou laudos me- zada pela repressão politica ção.
penso. 0 fato ganhou pu- Orlando Pereira apOs o bar- dicos pars mostrar hemato- policial p6s-64 proliterou e Dopois desse
blicidade nacional. baro espancamento de qua mas e ossos fraturados do hoje é tudo o qua os inves- inombnâvel crime, o povo do
foi vitima junto corn urn co- pessoas quo nos contam das tigadoros são capazes de Foz do lgua9u poderá sentir-
lega poj:ieria ser desprezado violências de qua já foram I azer pars desvendar crimes se bern mais seguro se so
Desta vez nio havla Co- so pudessemos ter a certeza vitimas nos cárceres aqub em ou afastar hipoteses. Não se Iivrar desse tipo do Orgão do
mo esconder a barbArle. A do quo so tratou de urn fato i- Foz do lguacu, mas essas dão conta de qua , por esse "segurança". Entregue-se o
Unica coisa ainda possivel solado, do responsabilidade pessoas existem e estão no rnétodo as informacOes quo servlco a Guards Mirirn.
pare a Policia Federal era a de urn ou outro policial oca- melo 4e-eOs. Este quo vos colhem näo rnerecem credi- Aquelas criancas talvez
tentativa de minimizar o sionalmente possesso do taladerá ser preso, tontu- bilidado e, pior, podem mais sejam Incapazes do
crime. 0 Delegado achou dernOnio. Mas, quando for• rado, morto ou processado facilmente incriminar urn combater o crime quo grassa
que Ihe cabla essa iniciativa. çosamente temos qua judlcialmente, mas nem inocente do qua descobrir a em nosso meio, mas urn
Fez uma note de esclare- concluir qua não se trata de assim so convencerá de qua verdade; não percebem qua coisa e carts: Elas, nem
cimento so pUblico compie- urn rnero incidente, são rnentiras as inümeras estão cometendo crimes nbnguém, jamais serão capa-
tamento esfarrapada. encontramos também os histórias tétricas qua jã para solucionar outros cri- zes do ser mais criminosos
Reunlu llderançs da comu- motivos pars suplicar qua a- ouvIu do pessoas qua passa- mes; não entendem quo a quo a Policia Federal.
Noo
teITflpO
Fbz do lguacu,
de 03 a 10 de Dezembro de 1980

Acendiam cigarros e apagavam dentro do meu ouvido.


A 4 de novembro ilti- dava uma paricada. Eram deprimenie do tratamento Ojornal Nosso
ma o delegado adjunto da uns 4 ou 5 que me bat/am e carcerário. Os presos quei- Tempo, ao invés de
Subdivisào Policial de Foz diziam A Policia vai Ihe xarn-seda comida:
do lguacu, Raimundo tirar o couro. Se eu näo —Uma bóia terrivel identificar
Nonato Siqueira, encami- assinasse a documento on- Näo dá para ser humano' crimes, pensou em
nhou ao iuiz da Vara de estavam meus corner. Somenteduasretel- investigarprimeiro
Criminal,. João Kopytowski, depoimentos, näo sei se cöespordia. o comportamento
urn relatório da investiga- näo teriam me matado Não ha cama Para to-
dos órgãos policiais
câo em que a Sr. Hercilio mesmo. Os homens dos. A maloria dorme sabre
Cardoso., vulgo "Tio estavam furiosos mesmo. urn colchäo ou urn cobertor encarre9ados da
Grandâo", 53 arios, taxista, Pareciam animals. Poxa!, no piso trio. Na época do repressao e
(I) estava sendo acusado de eu tenho 54 anos. tenho verão 0 calor é causticante. prevenção ao crime.
seviciar criancas no Aero- lam//ia, nunca f/z ma! a Eles so podem receber VSH Como era certo
0 Porto Internacional e proxi- n/n guem.
midades.
Eu tentava tas aos sábados. Aparelhos
explicar, e eles, cada vez de sam e TV foram tirados que as informaçoes
AprisãoeosprimeiroS mais pancada. Diziam: de seu usa Alguns tinharn pretendidas nao
interrogatôrios foram —Eu quero de f*dê a vida. radios. seriam
realizados pela Policia Quanta ma/s eu fa/ava, —Se alguém ligava a entregues pelos
Federal, apesar de uma ma/s me batiam. Entäo naite, a carcereiro tome va e próprios policiais,
atribuicao dessa ordem ser fique/ quieto, nâo falet mais quebrava all mesmo no piso
a reportagem foi
C) da cornpetência da Policia nada e deixe/ baterem. ou levava e náo devolvia
Civil. Assinei corn as mao reben- Dizem ainda que so consultar os presos
As declaraçOes dos tadas, rnas estou corn a tern permissão Para carni- da Delegaçao de
(I) denunciantes, das criancas
envolvidas e de testemu-
consciéncia tranquila nhar e tamar sal no patio Policia Civil de
As lágrirnas rolam pelo urna vez por semana. Nào Foz do lguaçu
Cl) nhas parecem conduzir a
incriminmaçào de "Tio
rasta de Cardoso. Ele canta praticarn ginástica: fazern
que o prenderarn, a artesanato, léem revistas e sobre o tratamento
Grandäo". Mas as laudos jagaram dentro da jornais, jagarn baralho Para quelhese
medicos dos Orgãos camioneta aos bofetOes passar o tempo. Se relacio- dispensado desde
genitais das meninas que Seu rasto sangrou. Chega- narn bern entre eles. Os que
teriam sido seviciadas nada ram ao rio Tamanduá, fize- sanitários, acusam as são presos ate que
0 acusam sobre a ocorréncia
de violentacôes. Par outro
ram-no descer, lavar as iou- presos, estão horriveis.
pas sujas de sangue e o —Se a/guém fe/a a cumprem a pena.
0 ado, o depoimento de "Tic amarraram a uma pedra ate noite, no dia seguinte a car-
Grandäo" a Policia Federal que a roupa secasse. cereiro encosta todo mundo O relato que
evidente que

Z também traz uma confissäo Chegando 'a cidade ainda na parede e desce paulada. segue não pode
levaram-no a urna farmácia Os carcereiros disse-
w de culpa do acusado.
Ate al tudo bern. Para fazer urn curativo no ram que sO estão presas
servir para
caracterizar todos
Cl) Mas as coisas pare
cern mudar completamente
rosta.
Conta Cardoso que
rneia dUzia de rnulhres e
que estas ajudarn na tim- os policiais de Foz
de ligura quando Hercilia por vàrias vezes implorou peza. Estäa là, Segundo do lguaçu.
Cardoso acusa ter sido Para que näo Ihe maltratas- eles, par vadiagern, prosti- 0 assassinato
vitirna da mais bestial sern antes de apurar a ver- tuiçäo.,. Os hornens presos.
agresso par parte dos dade. porérn, pediarn Para que os do
agentes da Policia Federal —Eu dizia que se de repOrteres fossem visitar as funcionário do
desde a momenta em que fato fosse cu/pado, eles pa- mulhres presas. Circo Garcia,
entrou na viatura policial no deriam ate mater-me. Mas —Väo là ver coma cometido
aeroporto. eles me levararn là embaixo elas estào todas por três torturadores
--A socos e pauladas me (no porao da DPF) para me rebentadas de tanta
levaram ate a Pa/ic/a Fe- bater. Quando va/tel pra pancada. nas celas da
deral. La con finuararn me c/ma sOonsegu/a arrastar Os guardas Divisâo de Policia
bater corn palrnatOria e pau- as pernas. Doia todo a car- despistararn e as mulhres Federal, em 18
ladas. Os agentes acen- pa. Ainda hole quase näo naa puderam ser visitadas. de novembro Ultimo,
diem cigarros e apagavam posse f/car deitado porque Estariam elas somente desmascarou tudo.
eles dentro do meu ouvido. me dOi uma coste/a. E1a "ajudando na lirnpeza?"
Eu implorava para que deve ester quebrada, mas Dizern ainda que Agora sabese que a
parassem, e as homens não me levam ao medico." chove dentra das celas. tortura não é
continuavam. Não teve Insistindo em sua Reclamam do pessoal da ocasional, mas
outra saida e assinei o de- inocéncia, "Tio Grando" Furtos e Roubos. sistemática,
poimento corn a mao incha- preocupa-se agora corn as —Aquele pessoal ë
ternive/. Esses dias fizeram Co iist ante,
da devido aos go/pes de consequéncias disso tudo.
palmatOria. Quern mandava —Jâ pensou? Coma O urn cara con lessen urn impiedosa.
dater era o de/egado que you encarar urn amigo roubo que e/e nào tinha Claro, cada um
Bocamino. meu depois que sair daqui? fe/to. procura so dizer
• 'Tic Grandäo", corn a Tudo isso por cu/pa de Ao lado, a rapaz confir- O que lhe interessa.
voz embargada, mostra as ca!Onias/. E pensar que ma:
costas, pernas e outras par- tudo isso aconteceu sO —Me quebraram duas Nem tudo o que
tes do corpo cam claris- porque uma vizinha minha, caste/as e, para e/es nao os detentos contam
clarIssimos sinais de vio- que tinha bronca de mirn me mata, eu disse que fui em
lentas agressôes. fez fa/sas denüncias... eu, mas näo fui suas versôes dos
- az bO dies gue Näo é so "Tic Gran- Outra preso canta del itos de que são
estou preso aqui e ainda dão" que tern esses sobre uma aventura acusados será
sinto dores em muitas par- horrores Para cantar. Urn amorosa que resultou em 3 verdade. Mas
tes do corpo onde me be- funcionàrio da Rodoviária anas de cadeia.
i'eram. local conta caisas do arco —Realmente, e isso não importa. 0
"Tio Grandâo" julga da vetha. tnansei corn ela, mas é urna que vale nesta
que, entre outras coisas, —Já cansei de ver puta conhecida da Pc/ic/a e matéria 6 relato de
teve vàrias costelas fratu- guardas pegarem a/gum de todo rnundo. Mas acon- brutais tort uras que
radas. suspeito ou a/gum tece que ela foi ao Juiz e me
faz urn grande
—Quando sal da Pci/cia bagunceiro na Rodoviá n/a, acusou de ten desvirginado
Federal para vir a Pa/ic/a Ievam-no para urn banheiro ela. Urn exame provou que nUmero dos presos
Civil, as agentes me diziam estreito e imurido e a eta ë puta ye/ha, mas a juiz mostrando inclusive
que eu v/na para cá, onde a enchem . de pau/ada a/i me condenou. Eu transei lesöes corpora is.
policia term/nan/a de me mesmo. E uma barbaridade. numa boa corn ela, näo na
ratar. Cada urn que Exciama horripilado. marra. Agora eu estou aqu/
assava perto do banco Não é so a castigo da tar- condenado a 3 anos e 4
de eu estava sentado me tura que campOe o quadra meses e e/a continua nas

Os agentes diziam que a policia iria terminar de me matar


Foz do Iguacu Nos;o
de 03 a lOde Dezembro de 1980 tempo
Me quebraram duas costelas. Dal eu disse que fui eu mas nao fui
muquifas. E 0 juiz Kopyto- cdrrta, inas näo consegue Out ro rapaz
wski me ju/gou e condenou aceitar o tratarnento que ostentanao urn cone
árevelia recebeu. profundo no braco
Urn jovem, tentando —Depois de apanhar esquerdo, diz estar preso
brincar corn a desgraca na ha/pu levei ferro na porque discutlu corn o p,
afirma: Policia Federal e aoui na de quem sot reu aaressin - -
—Eu tO aqui por causa Civil também. —O rneu paIrne aqr e-

QUE
de uma bronca que não é 0 rnétodo tele tone, diu e eu vim parar aqui a
minha. Os p0/ic/a/s me leva- acusam os presos, e cadeia. Ele e meus
ram prum matáo ai e me utilizado largamente. parantes nem sequer vérn
fizeram con fessar, debaixo
de porrada, urn troço que
não tern nada a ver
Consiste o rnétodo em des- me v/sitar, mu/to menos
ferir violentas bofetadas
nos dois ouvidos da vitima
tentam me tirar daqui Eu
precisaria contratar urn
ACABAR
corn/go A socieciade nao pode
simultanearnente. Tal advogdo, mas nãotenho urn aceitar esse
Urn preso disse que prática, alérn de surna- Centavo para pagá-lo.
esta urinando sangue ha comportamento da p0/ic/a.
mente dolorida, pode corn Então, tenho que me Os prOprios setores e
tempo em virtude das tortu- facilidade conduzir a surdez con formar e f/car quieto agentes p0//cia/s näo
ras que sofreu. E urn colega pelo rompimento dos timpa- aquinestaporcar/a. corn promet/dos corn essas
de cela deste disse estar nos Urn assaltante conta
condenado a 4 anos de práticas diabOlicas e
Urn argentino preso que foi preso e escapou da pré-h/stOricas tern que
prisão por ter admitido sob acusacão de tráfico de cadeia. Voltou a ser preso
aceitar uma acusação assumir uma posiçäo firme
drogas admite apenas ser ha cinco rneses, mas ainda e eliminar essa vergonha
IIo Grandâo", depois de mentirosa sob a mais viciado e nao traficante. nâo foi julgado.
torturado e difamado, diz que severa tortura. de seus quadros.
Enquanto espera a —o juiz nao faz nada A final, urn crime näo
não tern culpa e que não saberá Urn rapaz que está
corn que care olhar pore os ami- desclassificacao da acusa- por rn/rn. justifica outro crime.
preso por ten sido apanhado cão de tráfico para a
gos.
na Itaipu corn uma carreta Alias, as queixas E uma suspe/f a näo
condição de viciado, diz contra o juiz da Vara Cri- pode ser mot/vo para
roubada, muito indignado que precisaria submeter-se
relata que foi espencado minal e de Menores são massacrar n/nguëm.
a urn tratamento de recupe- unissonas. Nota-se nos A tortura näo encontra
duramente pelos prOprios ração do vicio e näo conti-
funcionários do serviço de presos urn Odio sufocado ao just/f/cat/va nenhuma. Ela 665
nuar preso. Prefere ser dr. Joào Kopytowski. Eles antes de tudo, injusta,
segurança da Binacional. expulso do Brasil e voltar i
Ele admite o roubo da sentem-se perseguidos ilegal e contra producente,
Argentina. pelo juiz. A questão está
preocupando
sens/ve/menle a sociedade.
A Subse cáo da Ordem dos
Advogados do Brasil em
Foz do lguacu promele
Cumprimentamos os empreender urna
devassa nos presidios e urn
integrantes da equipe do combate cerrado contra a
tortura e todos Os maus

jornal Nosso Tempo Iratos aos presos.


O NUcleo de Foz do /guacu
da Cornissäo Ponlificia de
e desejamo-Ihes sucesso Just/ca e Paz,
juntamente corn o bispo

entre a coletividade. diocesano dorn


Ohivio A. Fazza,
também dispOe-se a entrar
nessa missão de
saneamento moral.
Urna campanha nesse
sent/do precisa ser
desenvolvida. Este jornal
esta iniciando e va/

o argontlno quo curtia urn


OFICINA
IN
dar continuidade. Ao
mesmo tempo, pOe-se a
disposiçâo dos órgão de
"basoado" sofre Os maus tratos
corn os cole gas no 6a. SDP e
pro fore set expu!so do Brash.
ZANIN Rua urn - Vila Pérola Segurança para ajudar
no cornbafe ao crime, mas
nao da maneira como estäo
procedendo em mu/tos
casos.
Reve/amos o f//me color/do e você Quando pensamos em
combater o crime
e os criminosos,
recebe outro f//me grát/s pelo queremos também
condenar os crimes da
' s/sterna Curt p0/ic/a.
Para esse
saneamento urgente, é
importante que as vilirnas
Especializadc de torturas náo
silenciem. E certo Que os
em posteres torturado
correm urn per/go mu/to

I!ifi
grande ao denunc/arem
2 co/or/dos Centro essas praticas policials.
Então, é preciso oferecer a

Colocaçao Fotogra'rfico eles garant/as por parte de


entidades - OAB, Cornissão
Just/ca e Paz e outras-
de qua dros BraNeiro para que possam
defender-se e ajudar na
eliminaqde disso que
Este diz ester pagando pot urn
crime que não corneteu. A rotina
e mo/durasj Rua Rebouças, 465
Forie 735163 sem a menor dUvida ëo
pi or erro que existe na lura
na cela é sufocante. A tortura, pela defesa da
mass ainda.
sociedade.
oo Foz do Iguacu,
- tE'iI'lpO de 03 a 10 de Dezembro de 1980 6
Uas poucos estão bern, mas a
maona, muito mal Os sofredores e c
sofrimentos são muitos na regiào c
Alto Paraná, a leste do Paraguai ate
tronteira corn o Brasil. Alguns dos cc
nizadores se frustraram porque n
encontraram as terras que esperava'
outros porque depois de traba!ha
vàrios anos numa chácara ficarn
sabendo que sua terra tern outro donc
Alguns softem porque là pagaram duas
ou trés vezes a terra e ainda não rece-
beram o tiWlo de p?opriedade. Hi
familias que tern medo do futuro cit
seus filhoS porque não podem ii -i
escota. Muitos estão carisados de ye
Os precos de seus produtos aumenu-
rem so depois gue entregarem c
comendo
mesmos aos compradores. Tambérn
estão cansados de buscar trabalho cu
uma terra Para arrendar e serern
amassou.
expulsos da terra pela mecanizacão ad
lavoura. Muitos sofrem perseguicOec
tnjustiças, abusos de autoridade. Ha urn
acelerado processo de pauperizacãc
entre Os camponeses do Departamen:c
de Alto Paianá.
ParaguaioS e brasileiros sofre-
mos por esses e outros problemas
Estamos vivendo juntos nesta regiào de
tanta riqueza natural. Mas, realmente
vivemos juntos? Compartilharnos
nossas preocupacOes?"
pela colonização espontaneil - aqueI- A •ndenizaçôeS cia laps au pd! Ti- na, mas a que exisie entre as que
Para responder a essas pérguntas dorninam e Os dominados. So secunda-
o 'Comité de Iglesias Para Ayudas de em que as pessoas não véem na terra urn cuta rmen t e I flj u st as, Co fl St it u n do-se
Emergéncia". do Paraguai. prornoveu valor comercial ou de especulacão, numa causa decisiva Para o abandono riamente a integração consiste em
mas aperias urna foote de subsisténcia. da terra polo agriculto. aprender a cultura alheia, a escolariza-
urn Seminãrio de estudos nos dias 24 a cao, a filiagão politica.
26 de novembro bit imo no Centro Dioce- de trabaiho. e não se sentem Por tudo isso. boa parte dos mi-
condicionadas a aspectos legais e buro grantes brasileiros estão retornando ao A integragao sO pode ser conce-
sano de Puerto Presidente Stroessner. bida sobre bases sôlidas quando se fun-
Depois de quase dois anos de cráticos corno titulos de propriedade. Brasil, piorando sua situacão. pois são
pagamento de Impostos. Os Os mais pobres quo voltarn. Alias, ebes damenta em interesses e vabores co-
pesquisas, o 'Cornilé de Iglesias' atra- muns corno a dignidade humana, a
y es de seu Departarnento de Estudos, colonizadores espontàneos sentem-se voltarn precisamente porque são pobres
corn direilo a terra na rnedida em que a e não encontraram solução Para seus solidariedadee o sentido de justica.
reuniu cerca de 50 pessoas, entre Não é tanto urn problema individual,
bispos, padres, pastores e agentes de ocupam, neta trabalham e dela fazem problemas no Paraguai. Apenas OS
urn meio de vida. agravaram. Voltam por frustraçôes de mas coletivo. "Pot tràs dos problemas
pastoral leiga Para discutir urn relatOrio
Os migrarites, brasileiros ou para- satras, sonegacão de pagamento dos coletivos. porém. existem estruturas
de 221 páginas e propor linhas de acào inumanas de organizacão social que
Para fazer frente a gravissima proble- guaios, estão afetados pelo rnesrno tipo produtos pelas firmas compradoras.
de problemas. embora corn caracteris- problemas corn a titutação da terra, per- pendem Para a exploração q domina-
mética dos camponeses da area. Aleri-
dendo a convite. participaram do ticas as vezes diferentes. A arbitrarie- seguicão policial que prende corn o cào" - afirma o documento final
Seminàrio o bispo de Foz do lguacu. Jade ocorre corn todos Os despossui- Unico objet ivo de tomar dinhetro do do- aprovado no Seminario
dos, mas as autoridades tendem a tento, vencimenlo dos contratos de ar- A exploração e a dorninacão
dorn Olivio A. Fazza 4e represenlantes da
Cornissão Pastoral da Terra e da Comis- aproveitar-se rnais dos indefesos rendameritO, etc. A ineticácia e a cor- constituern o maior confkto, que se
são Pontificia de Justica e Paz do Para- migrantes brasileiros. A maior rupcão da justica paraguaia é total. De reflete em sua maior gravidade na
quanticladedeproblemasestal entre Os outro lado, a inexisténcia ou precarieda- forma do ocupacão da terra, 0 caos
nã. fundiàrio quo gerou tantos conflitos no
0 'Seminário sobre migração bra- colonizadores expontãneos. de do obras de infra-estrutura. a falta de
sUera, forca de trabaiho, estrutura pro- Empresas ou colonos que ape- escolas, hospitais. esiradas pessirnas, Oesie do Parana repete-se no Paraguai
dutiva e orientacOes pastorais no Alto lararn Para o crédito bancario frequen- isolamento, falta de comunicacOeS em corn requintes de maldade. 0 caos pa-
Paraná" ocupou Os participantes ternente cairam nas malhas das hipo- distãncias muito grandes 0 alto custo rece pioposital. na medida em que ele
durante 3 dias corn a preocupacào vol- tecas e perderarn suas terras de vida, determinam uma nova migra- abre todos Os caminhos Para Os ex-
tada Para que haja terra e trabalho Vendedores e colonizadores privados. ção Ha tambérn cis que não voltam, pioradores devastarem os humildes e
Para todos. onde o povo não esteja divi- no Brasi l veridem e cobram terras no apesar de ludo isso. mas se tracos economicarnente, ou divorciados
dido entre paraguaios e brasileiros, ca- °araguai pelas quais eles rnesmos näo embrenham Paraguai adentro, celIa- da politica do regime de Stroessner.
tôlicos e evangélicos, grandes e peque- pagararn, rião sendo proprietãrios mente ao encontro de novas 0 mais
nos produtores, mas urn mundo onde A capacidade produtiva do campo- graves frustragOeS A dorninaçào é exercida pot urn
exista verdadeira fraternidade. solida- nés tende a deteriorar-se, A tendêrcia é grupo de rnigrantes e capitalistas urba-
riedade e justica. de Os que estão em boa situação irem nos do Brasil, quo controlam desde
se constituindo em pequenas ou gran-
des empresas agropecuàrias. e os que
A FRONTEIRA seus escritOrios em seu pals empreen-
dimentos no Paraguai: a social e politica
CONSTATAçOES estão em ma situacão tendem a se con- é comandada pot urn setor da popu-
verter em simples assalariados.
Isso se devë a modernizacão ca NAOE ORIO lação paraguaia. principalmente auto-
ridades,
E PROBLEMAS agricultura, a adocao da monocultura
de exportação visando prior itariamene Exinle a natural dificuldade de r ito-
Diversos fatores dificultam a inte-
gragáo , salientando-se uma atibude
A colonizacaO ao DepartarnerilO de ucros mats que alimentacão e tomes de gracão social entre povos de diferentes sectária de certos gr.upos religiosos. a
Alto Paraná, no Paragual. obedeceu a renda Para o povo. Sao distorçôes apro- paises, decorrentes de diferencas ra- torte predominância de brasileiros em
uma sstemãtica muito semeihante a o- tundadas gravemente no Brasil, agora ciais e culturais (costumes, idiomas, algumas colOnias, as imagens que Os
corrida no estado do Paranã, especial- exportadas Para o Paraguai. E uma cornportamento ... ), legais e de oara9uaios tern dos brasileiros,
mente no Oeste. E essa caracteristica agricultura a serviço do graride capital diterentes rnecanismos econOmicos e prejuizos e, inversamente, a que Os bra-
encontra uma razão simples: o fato de a internaCior'ial que especula e lucra em politicos. siteiros tm dos paraguaios como con-
fronteira do Paraguai corn o Brasil ter cima da progressiva pauperizacão dos Mas, de fato, não são bern essas sequncia da fraude a que estao sub
sido colonizada nas duas ültimas déca- agricultores. diferenças que determinarn prioritaria- mebidos frequentemente. a estafa e a
das por brasileiros em cerca de 90 0/ da A esses tabores somarn-se a rápida mente 0 mal-estar dos brasileiros no Pa- desconfiança generalizada.
Area. As estatisticas são claudicantes, super-valorizaQão das terras, raguai. Não fosse assim, seria de Dificultam a integracão tambérn
mas càlculos dignos de crédito assegu- inacessiveis as pessoas de baixa renda, esperar que os paraguaios não enfren- idioma - trilinguismo (portugués. Espa
ram que existem perto de 400 mil fami- e. momentanearnente, as expropria- tassern os mesmos problemas - o que nhol e Guarani) - a insutici6ncia,
bias brasileiras nas colOnias proximas a cr3es de 165 mil hectares do lena oe não é verdade Des-ce modo, a fronteira nexisténca e ineticàcia do sistema edu-
fronteira corno Brasil, - laipu Binacon.ci Si,: fl( :d(i() real colic eases Dc vu;', nao e 0 55 cativo, issrn corno a atraso paraguaio
A ocupação da região obedecei
inicialrnente a urn proleto geopolitico dc
governo Stroessner, na década de f31
Essa colonizacão estatal objetivou o es-
labelecirnerito de populacOes na
fronteira corn o Brasil, de certa forma
em resposta a ràpida aproximacão da
colontzação brasileira na fronteira para-
guaia at raves do Oeste do Paraná
Setia, entretanto. nas décadas do
60 e 70 o periodo de intensificação do
povoamento no Alto Paraná, através da
colonizacão privada, desenvolvida Dc-
empresas particulares e P01 infciatvas
iridividuais. As duas formas, estatal C
privada, expulsaram OS responséveL
Fozdo Iguacu, Nosso
de 03 a 10 de Dezembro de 1980 tempo
*criancas não podem ir a escoIa *pagam a terra e não recebem 0 titulo
nos meios de comunlcaçäo A Igreja. Se a mao do governo paragualo a- publico nmero urn do regime No egau;zacao da terra . ncer1var
ptr sua vez, näo logrou set elicaz er- arece no processo, o mesmo nào a- exisle inaepend6ncia para dar pasos agricultor a auto-abaslecer-se medidnl
seu intento pot estabelecer uma corn U- contece da pane do brastleiro - urres- significalivos. a diversificacao da produção, corlstmtul
nicação interpessoal corn grandes ponsaveimente ornisso na qustão par Resta uma esperança: a Igreja, ou as di- pequenos grupos em cada localidade
setores da populacão migrante mais que saiba dos problemas versasigrej as. para recolher e canalizar problernas
As migracOes destroem as lacos enfrentados pelos seus compatriolas no Sao padres e pastores as pessoas colelmvos venhilar publicamenle corn
amHiares or;gmnais, assim coma os de pals vizinho A Ernbaixada brasileira era em cantata permanente corn as mais insisténcla as problemas das
solidariedade aue caracteriza a Assunção é urn modelo perfeto desSa cOonqs A aceitaçao popular das gre- lerras: realizar urn trabalho de orde-
população carnpesina. Em rneio a tanta omissão. Os migrantes que a procuram jas é sensivel E bern verdade que a naçao da volta ao Brasil de muitos
aiilcuidades o colono é l evado a ern busca de socorro oatem invariavel- Igreja calOtica - par ser a mais imporlan- migrantes que querem laze-b, evitar a
assume urn cornportamento social que mente numa porta fechada e surda. 0 le - não tern as bros e a organicidade da assistencialismo e a palernalismo.
ye nos outros . inimigos reals ou poteh- mesrno acontece corn o Consulado bra- braslleira. 1 Propos-se tambérn "uma atitude de
ciats. Isola-se e resiste deliberadarnente sileiro de Ciudad Presidente Stroessner A Conleréncia Episcopal Paraguaia mu'- humildade da parte das igrejas instilu-
a ntegraco. Sornente experiencias co- Acontece que as dois governos estão to poi,ico se cam para as posiçôes da cmonais para clue - a luz cia realidade cia
rnunitárias iniciadas corn a consient- enliados dos pés a cabeca em pro jetos Conlerénca Nacional dos Bspos do regmo - questionem suas estruturs
zacao, uniäo e solidarjedade em torno de cooperaçäo, altamente suspeitos e Brasil. E Os padres se ressenlem de urn sua liturgia, - sua catequese, sua
de programas' coletivos poderäo des- discutiveis. dos quais Ilaipu é a grancie conservadorusrno e de urn cornodismo mensgem e sua prpm-ia prática" - en-
manchar essa postcao de confronlo exemplo. Desse modo, a desenvoliura conivente corn o regime da parle das taliza a relatôriç). "0 problema da terra
mais que de cooperação. para exigéncias da parte da duplomacia autoridades eclesiàstcas é passagemro E preciso fazer urn Ira-
0 Estado, par sua vez. pralicamen- brasileira se reduz a nada. Busca-se de Mesmo assim, as igrejas do balho que tenha cant irruidae".
te nada faz para alender as necessi- todas as maneiras evitar o menor Deprtamenlo de Alto Paranà, parlicu- Reclamam ainda a apomo dosbis-
dades do migrante, tanto no Brasil arranhâo nas relaçOes a nivel governa- larmente acionads pelo "Corn ité de Igle- pos para essa linha pastoral. porque a
como no Paraguai. E urn ressentimento mental. enquanto a povo sofresern ter a sias''. elaboraram uma linha de atuacao conduçào para a validade do trabalho "é
histôrico proveniente da Guerra da Tn- Juern r000rrc corajpsa e prática. - E necessãrio che- a respeilo e fidelidade a causa cia
puce Ahança também tern seu peso nos qar a tma pastoral profunda que aponle justiça clue está em jaga" - disseram.
entraves a integração.
A colonzacao do Leste paraguac SOAIGREJAE pa'a as causas dos problernas e qLie
não se fique tratando de paliatnios para
Par fm, definram as alividades
rnaus imediatas e praticas Foi criada
por brasileiros tern tortes indicios do sons efeutos Ha que se aponiar para as uma Comissao de 4 pessoas
que tern sdo atraida deliberadamente
pelo governo daquele pals, difundindo-se
CON FIAVEL cusas que produzem a pauporizacäo,
a concenhraçäo da riqueza', diz a ida-
encarregada cia caardenacão do
trabalho e sua planificaçäo. Sent u-se a
ate mesrno urna avaliaçäo de capac ida- L mtda a desp-ceção em clue se tOrio final do enconiro necessidade de ampliar a equipe do
des, segundo a qual Os brasUeiros tern encontram as migrantes brasileros no Os padres e pasrores - rnuitos de- "Comté de Iqlesias" do Porto Franca,
rnas experiência , mais dsposiçao para Paraguam. A Justiça paraguama, quando es estrangeros - definiram urna linha fazer urn esforço para captar lideres
o trabaho e, principairnente, rnais re- nâo é inoperante, é escandalosamertte efelivamente ecurnénica, que deverA in- entre as cabanas e editar urn bolehirn
cursos, o que nào deixa de set verdade. carrupta Advogados cant a yes sao lao clusive conduzir a urna malor coordena- mnformatmvo para a povo
Pot esses motivos, as empresas que raros quanta urn administrador on urn cao cam as instmiuiçOes do Brasul Os representantes cia- Igreja brasi-
venderam e vendem lerras as vezes politico competente. Orgaos de classe Vjsam eles a estirnular a organza- teira, através de Dam Olivcio Fazza,
sirnplesrnente negarn-se a negociar sáo impensaveis Sindicatos inexistem. cao dos mmgrantes campesmnos: desen- bispo de Faz do Iguaçu, propos-se a
corn paraguaios, preferindo vender ex- cooperativas, se existem, näo passarn volver urn processo de conscmentizaçào levar a CNBB a problernàtica do Para-
clusivamente a brasileiros, podendc de outro embuste para a Colono. A alravés do trabalha nas bases. coat guai e esta linha pastoral para desperta
cobrar urn preço muito rnais elevado. experéncia das Ligas Agrármas foi triste- uma mamor preserrça mnstitUcmonal das a soiidarmedade e convocar uma reurimào
Mats a situaçâo legal dos brasileiros mi- mente dolorosa pravacaram mais cha- igrea. destinar rnais recursos pars a dos bispôs cia região (Paraguai, Brasil
gr.antes é quase sernpre precária, e isso cinas e prisoos q ue sóuçOes Foram area, criar uma maior presença insli- Argentina) em Assuncao, em meados do
dá ampla margem de rnanobra, como a desmontadas a preco do luciortal ds igreas:continuar brindando prOxirno ano
que conduz o migranle a pagar duas ou sangue. a assisténcia nrilica do 'Comite do A Comissão de Justiça e Paz e a
mais vezes pela terra Iqlesca. '7:" - r:a camsania 1)1 Ctrn'sdo Pastoral da Terra manifes-.

Cumprimentamos os
diretores dojornal
Nosso Tempo pelo Saudamos Nosso Tempo,
certeza de novos tempos p :
Ian çamento deste a imprensa de Foz do Iguacr,
e região.
semanãrio e Saudamos Nosso Tempo
jornal que se pro:-)be
desejamos a eles a ser realmento
independente
sucesso entre nos independente do SI tim. dos
grupos de poder e seu
bajuladores, compromeildo
exciusivamente corn as caitsas
da cornunidade.
Augurarnos sucesso.

gr P o 0 L f^ CRITORIO JURIDICO
Pua Benjamin Cons!io Foz do Iguacu,

Dr. Alvaro W. de Albuquerque


salvatti Hotel
Dr. Agenor de Paula Marins
Dr. Jose' Cláudio Rorato
Sauna Dr. Antonio Vanderli Moreira
Cinema
Disco teca Dr. Santo Rat agnin
Restaurante Dr. Ademir FIôr
Fozdo Ilquaqu,
de 03 a 10 de Dezembro de 1980
*
Perseguicão,
injustiça, abuso de AM, V-'
autoridade.
*A policia prende
para tomar
dinheiro.
*Ressentimento :,,
histórico da guerra ruLu ^*. IV

ram-se pela promoçào de urna integra- t


çao e uma troca de experiénclas corn
o "Comité de Igiesias Solictaram
mais uma compiiacäo de casos con-
cretos das in; ustiças e probiemaS dos
brasileiros no Paraguai, historiados corn
o IitIgio entre urn grupo de posseiros
o mâximo rigor para faze-los chegar ao
Itamarati através de uma audiència a
e Os herdeiros do ilustre
ser gestionada junto ao ministro das iguacuense Jorge Sch/rnrne/pfeng
sobre o dire/to a pro priedade de 54
Reiacoes Exteriores do Brasil. 0 mesmo
material seria utilizado para divulgacào
de denüncias peia imprensa brasileira
0 prazo para urn novo Seminaric
de avaiiacao e revisão do piano e sua
aique/res do Lote Grande, a uns 15
execucao foi rnarcado para daqui a no
máximo 6 meses.
quiiömetros da c/dade de Foz
Enquanto temem o tratarnento quo
o regime pode dar ao seu trabaiho, Os
do Iguaçu, estã
padres e pastores entregues a baibOrdia
dos migrantes brasiieiros no Paraguai chegando a urn
esperam criar uma forca de transfor
macao na triste situaQão dos colot il- f/rn bastante
zadores do Departarnento do Ai
Paranã no Paraguai.
melancólico-
Pessoas simples,
que não
sigma sabem, näO
In naO p recisaria m
azer outra coisa Posseiros derrotados na Justiça
Projetos Elétricos Ltda.

Pro jetos
elétricos em geral
senão cult/var a terra, estão as portas de salda do cerco
arquitetônlcos e hidräulicos que ihes fo/ arrnado no chão que sempre sonharam fosse seu.
Ainda no tempo do lmpero, urn em hugo Os derrrars 1a reairzararr ritmo. 0 JUtz cita novarnente Os CohOflOs
certo Sixto de Aquino embrenhou-se acordos corn a tamilra Schirnrnehpfeng para que apresentern sua defesa. Parte
Editicio Center Foz - Sala 211 nas selvas do Oeste do Paraná e e, bern ou mal. eslao livres da ação deles constituiu seu detensor o dr.
Fond 74-1446 acabou se instalando numa area de judical ora em andarnento. Nivaldo Luiz dos Santos e outra elegeu
terra bern prôxima do lugar que seria no Os que realizararn acerto e os que O dr Joran E. da Silva, que requereu a
tuluro a cidade tie Foz do lguacu, ainda estão na propriedade cornpraram titulação para OS posseiros junto ao
precisamente na localidade hoje conhe- o direito de posse a terceiros, que he INCRA. Sern exilo, porque a area estava
cida como Lote Grande, ou lrnóvei passararn precarissimos comprovantes em litigro e. pelos critérios do INCRA
Chu rrascaria Aiwin, no Rincão Sao Francisco, distan- (recibos ou contratos) do negócio não se justificava uma acão expropria-
tória, enquanto pelos critérios da
te cerca tie 15 quilómetros da cidade realizado.
Aquino recebeu do Ministério da Ern 1969 a tamilia Schirnmelpfeng Justiça não cabia o usucapião, ou pres-
Guerra, airavCs da extinta Colônia se tieu conta de que prati- crição aquisitiva.
Militar, urn litulo de propriedade sobre carnente toda a area estava sendo cult i- 0 dr. Joran, em outra ocasião,
1 000 hectares de terra. em 1850. vada por posseiros. rnoveu urna açäo rnpediu a realização tie uma audiência
Bite americano quente e trio Em 1913 Aquino vendeu a terra ao judicial reivindicantio a terra e pedindo em que, trente ao Juiz, as partes em
tradicional rodizio si Jorge Schirnrnelpfeng, que pôde a expulso dos "intrusos" Na detesa iitigio deveriarn realizar urn acordo ami-
escriturar a propriedade em seu nome. dos agricultores, o dr. Ney Wadison dos gavel. 0 advogado aiegou incornpetn-
30 pratos diferentes Corn a morte deste morador pioneiro de Santos con seguiu cancelar a acão judi- cia do Juiz para proceder a tal solução,
Foz do lguacu, a terra passaria a seus cial, garantindo a protelacão do despejo e. posteriorrnente, o prôprio advogatio
Av. das Cataratas, 11711 herdeiros, ticando reduzida de 1.000 dos colunos da terra que utilizavam preparou nova audréncia corn o rnesrno
para 728 hectares, ja que o restante for para sua sobrevivéncia. obetivo tendo sido Irustratio pelo Juiz
Foz do Iguacu - PR. dado como pagamento de dividas corn Passam-se mais algus anos. ate Corn isso Joran renunciou a causa e o
terceiros. que em 1975 Os Schirnrnelpfer'ig voltam Juiz considerou "deserta" a detesa dos
Hdje. corn 420 aiqueires tiessa a carga corn nova reivindicatória, posserros, que procuraram então 0 dr
area está em litigro: de urn lado estão Os conduzirido 0 então juiz da Coma rca tie Nivaldo Lutz dos Santos. Este assurniu
herdeiros de Jorge Schrrnrnepiteng, de Foz do iguacu a cilar Os posseiros para urn singular, estranho comprornisso: 0
outro estão 17 familias de posseiros - apresentarem detesa. Estes de conduzir a questão na Justiça, sern
estes Irabalhando a terra em questão contrataram o dr. Ilair Antonio Tumetero sentir-se no clever de fazer a defesa dos
aqueles procurando urn mero de ver a como seu advogado. Ele estudou o arneaçados de expulsão de sua terra.
area desocupada problerna e o processo, prorneteu con- TranstornadoS e ludibriadoS, os
IPROGRAMAqAo Jã na decada de 50 mas Qrtn-
cipaimente na tie 60-tempo em que se
seguir escritura aos agricultores. rece-
beu seu dinheiro para rnontar uma
posseioros não sabiam o que estava
sendo trarnado contra eles. Finatmente.
difundiu o hábito tie aproveitar o caos defesa que 0 juiz. dr Evaldo Seeling ern 31 deoutubrode 1979odr. Roberto
DE CINEMA fundiário do Paraná para a ocupacào de
terras por agricultores impossibrlrtados
sirnplesrnente não aceitou. Turnelero
assurnira urn cargo no serviQo pOblico e
Sarnpaio da Costa Barros, juiz da Co.
marca de Foz do lguacu, deu tiecisão
o Cine lguacu apresenta, quarta e de compra-las - o Lote Grande toi sendo teve que abandonar o exercicio cia favorável aos autores tia acão - a familia
quinta-feira: "Brudt Lee, o Animal". desbravado por posseiros. Ate 1962 advocacia. Os colonos estavarn nova- SchimrnelpfengTque tinha como procu-
Sexta-feira entra em cartaz "Inferno estavam instaladas no local cerca tie 80 mente desarrnados. 0 processo passou rador 0 dr. Arnauri Scriimrnelpfeng. Os
na Torre". Urn dos tradicionais fil - farniltas vindas de tiiversos estados do as mãos do advogatio tir. Antonio colonos teriarn 30 dias para apresen-
mes de tragédia. Urn elenco da pe - Pais. Dessas tamilias restam hoje 17, Vanderli Moreira pelo dr. Turnelero tarern sua defesa através do seu ativo-
num total tie ap r oxlrnadamente 100 Mas, como os colonos não haviarn gado. o dr. Nivaldo, que nada fez no
sada: Steve McQuen, Paul Newman, pessoas. As propriedades, ou posses, passado procuração ao dr Morerra, prazo hàbil. Quando Os posseiroS Sou-
Willian Holden e Faye Danawai. contérn uma media de 5 a 6 alque'res de este também não pode fazer natia. berarn da decrsão judicial atravCs tie
urn total de 54 que ainda perrnanecern Corn as coisas andanclo nesse terceiros, ja era tartie. Nisso sentiram-se
Foz do Iguaçu, Nosso
de 03 a 10 de Dezembro de 1980 ter npo
enganados por seu advogado possivel- --
mente mancornunado corn os
Schimmelpieng.
Dianie disso os posseiros const'-
tuiram advogado em Curitiba, o di.
Albino Brito Freire, indicado pelo depu-
tado Tércio Albuquerque (PDS de Foz
do lguacu) Sob a promessa de que o 0'
Albino Os defenderia sem Onus para o.
constituintes. 0 advogado porérn.
cobrou 10 mil cruzeiros para não faze
nada pelos transtornados posseiros.
Enfim, 0 Tribunal de Justiça de
Curitiba também julgou a acão e deu
ganho de causa a familia Schimmel-
pfeng.
Decepcionados reiteradas vezes
corn advogados. os posseiros sentiram- - I
se na contingéncia de terem que
abandonar a terra, restando-Ihes
apenas esperar P01 uma indenizacäc
Justa por suas benfeitorias e Delos cult
vos. Mas, conhecedores dos trabaihos
da lgreja através da Comissào Pastoral Os colonos do Lote
da Terra e de Justiça e Paz, os
posseiros jogaram uma Ultima cartada Grande estão sendo
procurando o bispo de Foz do lguacu
dom Olivio A. Fazza, e narrando-lhe Sua tirados da terra onde
situacao. 0 bispo comunicou c.
problema a Comissâo PontifIcia, 0': produzem. Talvez essa
Justiça e Paz do Paraná, em Curitioo
que se dispOs a procurar uma fórmulo terra não sera ma/s
que pudesse conduzir a uma solucac
satisfatôria para as duas partes cult/va da Contra diçao
objetivando, principalmente, garantir
tixaçäo dos posseiros na terra. sem, emque a terra passa
contudo, pretender negar aos Schim
melpfeng 0 direito 6 propriedade desd i ae urn melo de vida
que o Tribunal julgara justa a re
vindicação dos mesmos a urn negócio.
o NUcleo de Foz do lguacu da Co
missäo de Justiça e Paz fot designado
pela Comissäo Estadual para acompanhar nos planterorn quaiquor coisa.
a quest5o e auxiliar numa soIuço racional
e Justa. Através do NOcleo. os posseiros
PAGARAM, Afonso Lopes
Vieira:
Mas umes 60 families nogoclaram,
mas sairam tories muito ma!, segundo as
quo as acompenharam. Muitos fizerarn
foram orientados e decidiram passar
procuraçao ao dr. Alvaro W. de
Albuquerque para que este tentasse urn
MASO DONO Dos (rope ços?
gramaticals
contrato crim as Schimmelptong,
pagaram a terra em prosta coos sob a
pro messe do rocobo torn escritura, was ate
possivel recurso, ou, no minimo, proce-
desse 0 retenção das benfeitorias e
acompanhasse a peritagem que faria o
EOUTRO ao vocabuláric
tecnico-jurdico.
h ole estâo som documento. Eles pegarem
dues vazes pole terra (uma qua ndo all
aportararn o out ma no acomdo felto). Alguns
No exposiçio quo fez dos fatos 80 tiveram quo vender a terra porque não
levantamento e a avatiaçOo das me- Julz, a advogdo de femilla Schimmelp tong dotendorom sous interessos, ale, corn e-
mas. Enquanto isso, em Curitiba. o 0 podiarn pagé .la. Outmos pagaram, mas não
fez eos possoiros ecuseçOes NO graves xemplar core g.m e iniciativa, tanto poram- tern recibo ou documento corn provando a
Wagner Rocha D'Angelis, presidente ca quanta rnontirosas, coma ands escrove buiou do gabinote em gabinete quo hole é negócio teito (caso do Sr. Santo Buretti).
ComissOo de Justica e Paz do Paranà, quo "bodes ossas pessoes (Os colonos) capaz de user corn a maxima desonvoltura Outros cederam a famlile uma quints
advogou junto ao INCRA buscancio a vêrn pmaticando verded.iros atos preda- ate mesmo o hormético vocabuiário juridi- parts do sue minuscule propriedade pate
solução desaproprialOria por interesse tOrios em pro priedados dos automos (da co, mesmo quo as concordâncias sinti- qua Ihos fosse dada a escrilura, e ate hole,
social em vista das pessoas na açAo Judicial), all doirubando mates e ticas quo fez pouco tenham do obediéncie nada.
iminéncia de perderem sua fonte de desvlendo madeiras do 1.1, além do proc.. As regras do gramatica. Em sua case Stanislaw Obadoski, par exernplo,
derem plantaçOes e roças corn o objet/va som pro estâo as agricultores disc utindo a pagou tudo hi 4 anos. Ainde nëo tern
subsisténcia. preclpuo do invedirem, turberem o os pa- sltuaçio a pianejando passos Øoss!veis oscritura r a quo a Impede do filiar•se a
o INCRA. "preocupado" como Ilarom as frras". do dar. desde procurer urn advogado ate it cooperatives ou obter financiarnentos
sempre corn esse tipo de problemas, Na veraaao, as possoiros corn praram a ' Brasilia pare lalar corn a Sr. Paulo ban cirlos. "Pagou a terra e nëo é dono
lulqou impraticOvel e injustificAvel a de- a terra, pagaremna o, so estavam inabili- Yokota, president. do INCRA, coma dela' como elos so queixam.
sapropriacäo e consequente indeniza- tados pare receborem a oscrlturaçao, nio A tons oJill Fez. Amindio Antonio Delpiez comprou
çäo a fam(Iia Schimmetpfeng, o que slgnlf Ice quo o usa quo flzerarn do terra foi As hiatôrias quo osses sofridos agri- do tamllia Schimmeiptong 8 aiquolres,
garantirta a permanencia na terra a unlcamente urn ato de vandelismo e quo cultores contam sabre as sues poripécias rnas no escriture sO constam 7, a rnesmo
quem nela trabalha, vive e dela real- as rocas testes tlnham a oojetivo do epa. no busca do urn chio pairs cultivar são is acontecendo corn Otivio Antonio do
mente precisa. Alega o INCRA que o deter-se do quo n&o era sou. Talvoz em sue vozbes ontrlstecodores , quando nio revol- Maria, on quanta Pedro Avelino Flares es
boa. fi e Ingonuidade, so corn prerem a tantes. criturou 5 alquelres, rnas do tato existem
interesse social não justifica, sob 0 dlmoito do posse totem levados polo •n Contam quo entro 1973 e 1974 a
argurnento de que muitas famitias apenas 4 orn sue DtoDtiodade.
godo de quo a Area roalmente não tinha lamilia Schimmeipleng conso gulu con- Apos acordos era necessirio
haviam feito acerto e as que teimaram urn proprletimio devidamonto docurnenta vencer cerca do 60 families a rea!iizarem delimiter as propriedad.s e realizer o
em permanecer inflexiveis (17) nao do . corno acontocou. urn acordo. Assim: Aos fracas, através do memorial descritivo do cad. uma. 0 custo
representavam urn problema social E born sallentar, ellis, quo as egricul. intimida cOos; eos mais fortes, atravis do disso fai pjssado nos caIonos. Agri.
Resta saber qual o critério que o INCRA tomes do Lobe Grande cu!tivam exemplar. boas propostas, inclusive corn o film do men sores sucederarn-se no oxploraçio do
adota para caracterizar urn fato Social e mento a terra e duma Area diminuta estes ajudarom a demo vet as ronitentos cotonos na tare?a a. moalçeo. Hepeuem•
0 que entende por sociedade - quantas consoguom oxtrair condiçoos de vida do sues pc'siçOos contrárias a acoitação so as medlçOes o nada do memorial. 1330
digna. MaIs, vivem hermonbosarnonto em do acerto proposto. ao ponto do Jorge Duarte tor pago 3 vezes
pessoas precisarrn estar envolvidas e sua pequena comunidado. Eles mesmo Os prôprios soidados do 10 Batalhio
qual a situacão configura urna pro- pele medlcio sow qi,,o a oscrltuma tonha
constmulmam ume Igmeja e urn salio corn do Fronteira totem utilizados pare titer as chegado a sues mios.
blemOtica dessa ordem. sous recursos , aiim do terem construido posseiros do Late Grande. A missão dos Em 1977 estiveram ii agrimensotes
Evidentemente, a possibilidade de uma escola corn o material fornecido pale soldados era prossionar corn do INCRA, was as colonos, atrevés do
uma ação desapropriatória pelo INCRA Prof oitura. intimidoçOes o amoacas pare quo as advogado, as )mpeditam do rnedir par es
teria sido possivel principalmente se os Afonso Lopes Violra, urn dos colonos abandonassem a terra. Naquolas tarom fartos corn m.diçO.s mOtels e
primeiros advogados conslituidos pelos agmicuitoros, represents muito bern a ocasiOes, aconteceu do as soldedos de cares, não tondo lundamento a ins!.
posseiros näo tivessem sido tao sentido comunitirlo o de solidariodade foram urn dos co.lonos o rodarem urn die nuaçio ou acusaçio feita do quo as cob.
elapsos, quando nao mai- roinante ontre ales. Em sou bin guajar Inteiro corn o detido, sem darlho comlda, nos haviam am.açado corn vlolênclas.
ceboclo, Afonso se constltulu num com- amoaçando do espancamonto, entre as H ole he urne mdlçJo ap.nas sabre a
intencionados, 0 probierna foi sempre petent. lider .ntre as coleges. Sempre a moradores. Os militates lam fambém corn
julgado reveS a n o cono e nunca Area em Iitigio em tunço do direito I pro-
• .........:'a' (0518 das ges toes iovadas a oleito para proibiçOos n&o forrnaiizadas do as colo
abo-

lio0meihor e mais bern localizado


Porto o E3e
loteamento da cidade, Entre as
avenidas Paranáe Juscelino Kubitschek. Próximo a hospital e
repartiçäes pUblicas. C o rn p I e I a urbanização,
corn água, luz, esgoto, I vas asfaltadas e condução na porta.
V Preco fixo corn pagarnento facilitado. Venha hole mesmo ao nosso
escritório para fazer o meihor e mais seguro negócio imobi!iário. OR
nÔUCII AV Brasil, 7289- Foz do Igciaco
telfl60 Fezp ondoa 10 de DezembrO de 1980
c4 1
minavel
Eles so conhe
?pocameflt0 di
'rn a ci
Jusuca depois que Os prazos para con-
ce
- -------- ESPETACULAR ASSALTO
testaco estavam esgotados
Atualmente o INCRA mostra-s
empenhado em ajudar numa soluçc
Ladrôes sequestram taxista
amigâvel entre as partes, procurandc
influir para que Os vencedore
e passageiro levando dez milhöes
negociem corn Os posse ros de forma a Quatro homens fortemente at- seguiram alrâs no Passat. atras viajou corn dezoito milbOes de
evitar que eles saiam da terra sem uma mados corn armas curtas assalta- Motorista, passageiro e as dois cruzeiros. Ele trabaiha para uma
compensacão razoàvel. Os colonos näo bandidos viajaram pela BR 277 ate Agência de Cámbio de Assunção e
parecem dispostos a aceitar qualquer
ram no dia 19 o paraguaio Juan
proposta e acharn-se possuidores de Carlos Ramán Gonzalez e levaram a estrada para Missal. Ali entraram desta vez ref irou 0 dinheiro do
urn trunfo ponderàvel: pleitear uma dez milhôes de cruzeiros. 0 atraco e, chegando num lugar deserto,os Banco Real na mesma quarta-feira
Otima indenizacâo pelas benfeitor'as. o ocorreu perto de meio dia na amigos do alheio deram a ordem: em que foi assaltado. Foi ate o
cue poderia dificultar em mute as estrada das Cataratas, prOximo ao -Pare o carro e desçam os dois. ponto de taxi que fica em frente ao
pretensôes dos Schimmeipteng. rio Tamanduá. Gonzales ia para o Colombelli e Gonzales desce- Unibanco e mandou tocar para o
Se, ainda, houvesse sido dada aeroporto no taxi de propriedade de ram da Brasilia e ali ficaram planta- aeroporto.
oportunidade de delesa aos prejudu- lrineu Colombelli, quando, logo dos enquanto OS assaltantes volta- A policia näo possui nenhuma
cados eles possivetmente teriarn yam para a BR nos dois carras. pista a não ser o Passat dos assal-
anutado todo o processo sob o
depois de passar o rio foram
argurnento de que a area reivIndicada fechados pot urn Passat azul. Do Abandonaram o taxi logo depos e tantes clue foi encontrado alguns
pelos Schimmeipteng näo é aquela. carro saltaram quatro homens em- seguiram flQ Passat azul. dias depois e diz que não ha
E Os posseiros tern a mao mapas e punhando revOlveres e deram a tra- POLICIADESCONFIA nenhuma queixa de roubo de carro
outros documentos bastante con- dicional grito: 0 Delegado Germano estranha usadQ no assalto.
viricentes nesse sent ido - Istoè urn assalto. Botem as que ate a momento Os proprietä- E . sem dOvida alguma, urn
Eles se eforcam ao rnâximo para rnãos na cabeça. rios da grana, nâo tenham se esfor- caso bern misterioso na medida em
descobrirem pistas pot onde oossam Logo a seguir dois dos assal- cado para rev-la coma seria nor- clue tanto dinheiro é roubado e as
andar sem perder seu meio de vida. proprietarios da Casa de Cämbio de
Mas as perspectivas de uma reviravolta
tantes entraram na Brasilia de mat num caso desses.
Colombelli e deram a ordem: Gonzales está sempre transpor- Assuncao rtäo mostrarn gande inte-
que os beneticie parece cada vez mais tarido valores para Sâo Paulo.
-Toque em direção a Medianeira. resse pela investigaçäo. Gonzales,
tênues, eseufimserá mesmosuaexpul- sendo que ha -algurnas semanas a paraguaio que foi assaltado, está
sãoda terrade quetantoprecisameqUe Os out ros dais assaltantes .j
nm Ac-c.i in . ..-. -
ratam corn tanlo car iflflO porque cOflfl n,.a'J Jai 0 on Iut VIdJUU
cern seu valor corno fonle de socre- assim clue foi liberado pela policia...
vivènca e digrridade o que näo aconte- E uma nuvem de mistério rodeia
ce corn aqueles a quem essa terra n ao este caso que vern se somar a
faz fatta, rnas serve apenas como obje outros tan tos corn clue se defronta
de especuiacão e se constitu apena-
e' -nais urna desnecesSãna tonte cc
rca t-.r uxos e ehanrn''t
jornal Nosso T e m p a p0' 'cia

pro priedode. udo do irvo negociada. Os pos-


seiros náo sabern expflcar como e quando desejando aos seus ICLASSIFICADOSI
VEN DE-SE
foi felts a medicao que querem tazer vale,.
Ao menos é a qua aparoce no maps do
processo julgado.
Outro fato significativo é quo em
editores sucesso em Lote corn 14X24, situado no Jardim
America. Tratar na rua Rui Barbosa,
1978, através do presidents do Sindicato
Rural do Foz do iguacu, Cleodon Albu-
querque, roalizou-se uma reunião dos
seus objet ivos. 1701.
VEND E-SE
duos patIos em 1111gb. Os Schimmeipteng Uma televisäo preto e branco em
pro puseram vender as tetras poç_150 mil perfeito estado. Tratar a rua
cruzeiros a alqueire, localizando I todos
numa area contigua e ünica, ficando a Piquiri, 1091.
restante pars set loteado. COMPRA-SE
Coda urn ficaria corn urn quinto do
Area quo ocupava. Polo area Perdido 0 C0•
lono receberia a media em quo entrasse
POSTO __
Uma tele-objetiva 80/200 mm. Zoom.
Tratar neste jornal em horário
dinheiro c/a venda dos Fates Os colonos comercial corn Jesse.
perceberam a embuste: Quern garantiria
quo os lotes seriam vendidos e quo, em
caso positivo, a dinheito seria, repassado
INTERNACIONAL VEN DE-SE
Dois terrenos no Jardim Petrdpolis
aos colonos? Allés, foram propostos trés pela metade do preco corn asfalto pago.
projetos do loteamonto no area, sem quo
fosse aprovado algum. 0 local está muitQ
distante do cidade... Etas responderarn
Cumprimentamos a Urna barbada. Motivo de mudança.
Tratar no Center Foz, sala 211.
corn outra. proposta, recusada polos
Schimrnelpfeng: Venderiam todes as pro-
prledades 00 preço do 200 mil cruzeiros equipe do jornal Nosso Aceito carro no negôcio.
VENDE-SE

Tempo pelo
por alqueiro a vista pars poderem Se teas- Urna Variante, ano 71, cor bs-anca,
sentar.
Ha muitos fatos irnprossionantes. 0 em perfeito estado de conservacäo.
plot do todos, é, sern a menor düvida, a
inoperância e omissão do INCRA. Urn; e
outra causa somadas -as imputéveis aos
Iançamento de mais urn Tratar pelo telefone 74-1390.
EXCELENTE NEGOCIO
Terreno em Cascavel no Jardim
posseiros, aos herdeiros do Sr. Jorge
Schirnrnelpfeng, aos advogados 0 Juizes. e
so INCRA - esl8o a urn centimotro do semanário para Foz Brasilia. Otirna Iocalizacão, medindo
15X30. Vendo urgente por motivo
provocarem a expulsãode rnais uma
comunidade do sue terra, path Ian ca-la
infortunio.
Quo mais so pode esperar desta so-
so
do Iguacu de viagern. Tratar tone 74-1390.
VENDE-SE
ciedade quo parece dis pasta a vet o supli- Telefone comerciat urgente por
dO 0 0 exterminbo do grande maboria do mudança de rarno. Tratar neste jornal,
pobres e humildes em troca de comodi- Fone 74-2344.
dades, abusos e dosperdicios do uns
poucos ricos? 41^5111^ PR ECSA-SE
Exists a Lei e ensina-se quo eta dove Precisa-se de datilOgratas corn ex
set obedecida. Em quo podem as
leis set Uteis aos fracos e humildes so Escola experiència e born conhecirnento de

Rua Tiradentes, 578 Ortega


elas foram leitas. acima de tuda, pars português. Tratar neste jornal em
serem usadas sempre contra c/es.? horário comercial,

o objet ivo de urn


jornal: registrar os
bons e maus flagrantes de
nossa realidade. Esperamos
que "Nosso Tempo"
cumpra esses objetivos Hoa Xavier da Si/v, ;-.:.
Fozdo guaçu, Nosso
11 de 03 a 10 de Dezembro do 1980 tempo

PRESERVAR PARQUE NACIONAL DO IGUAU

OU DEPREDAR 0 lWiIIIIIII .L (L'.uA


It Ir,tVnQC.0roI

PARQUE NACIONA L? Po.0i.


U.r,,. 00
0o.0-10 63
::::::
I
Exislem no Brasil 18 naconats são a preservação e
conservacão, para fins cienti-

I
Porques Nacionais, dois deles
no Paraná - o lguaçu e 0 ficos, educacionais, estéticos
Guaira, Este ültirno, além de ou recreativos do patrimônio
estar invadido por uma cultural e natural da Nacäo.
guarniçao militar, será inteira- A utilizaçäo do Parque Na-- Ma
K
mente sepultado pelas Aguas cional do lguacu dentro desses
da represa de Itaipu em fins de objetivos parece questionável. Adlison Simâo: 0 Parque
1982. O máximo que 0 Instituto Nacional do lguacu nâo é )
O Paque Nacional do Brasileiro de Desenvolvimento da Prefeltura.
lguaçu é, por enquanto, a Forestal está conseguindo é a -
Unica reserva ecológica do preservaçao pura e simples,
Paraná realmente garantida, sem urn aproveitamento cienti- 4

L^-
porque outras areas aindadnao fico, educativo, estético ou re-
devastadas dificilmente serão creativo.
preservadas.
Mas o prôprio Parque do Alguns problernas para o Par-
lguacu tern sofrido investidas e que surgem corn sua delimita- 4
n3o faltam tentativas de vio- cäo e criacäo. Havia a propos- ^01 'i g U

Ientâ-lo a pretextos vários, __1


sempre escusos, porque não ta de faz6-lo estender-se ate a
visam a outros objetivos que linha que hoje se constitui a 4 A R A N
fläO Os econômlCOS. BR 277. Isso não
Corn uma superflcie de aconteceu e a dernarcaçao a.
154.500 hectares (corn perspe- obedeceu o traçado da estrada A R G E N T I NA
divas de ser elevado para veiha que ia a Guarapuava, o
156.000), o Parque Nacional do que reduziu a area e criou
lguacu e o terceiro instituido problernas de poluição pun- sada. A rnotivacão maior que nizaçôes que acabarão modifi- Queixa-se o administrador
no Brasil, através do Decreto cipalmente dos rios que levou a instituicão do Parque cando rnais e rnais o ambiente que a rnunicipalidade de Foz
n° 1.035 de 10 de janeiro de riascem bra da area do partiu da existéncia das natural. "0 Parque e as do bguaçu Jarnais contribuiu
1939, pelo então presidente Parque e correm dentro dee Cataratas. Cataratas - Diz Sirnão - cons- corn alguma coisa no Parque
GetUlio Vargas. depois de receberern todo o O problema que se coloca tituern urna atraçao pelo que e, mesmo que houvesse
Os primeiros dados sobre tipo de detritos. 0 Unico riacho é o de combinar a preservacäo se preservou da natureza, não razôes para ceder a ela urna
a presença hurnana no Parque que se conserva puro é 0 corn a utilizacäo. A conciliacão pelo que Os homens instalararn oportunidade de aproveitar o
estâo ligados a participação Floriano, que corre dos dois aspectos parece ser no local". local, os demais rnunicipios
religiosa jesuitica n inteirarnente dentro do Parque, cr(tica,, seja por falta de re- Recent err en t e adjacentes ao Parque
catequese guarani e a constrastando fortemente corn cursos ou de conhecirnentos. participantes de urn Seminário poderiam, corn razão, pleitear
explortaçâo de ervas ou mate. out ros . corno o Goncalves Existern Os que pregarn de Turisrno em Foz do lguiacu os rnesrno direitos.
No séculd dezoito registrararn- Dias, Benjamin e Silva Jardim, urna alteração rnais profunda propuserarn a adrninistraçao e A Prefeitura pode,
se fatos de ocupação escrava- que tern seu nascedouro .nas na infraestrutura da via de expboração econOmica das Ca- efetivamente, disputar a
gista e sangrenta da area, Areas povoadas das proxim acesso e da area prôxima as taratas pela Prefeitura concessão dos serwiços
en q uanto o povoarnento deu- dades. Cataratas, e existern Os que Municipal. "Esquecerarn -se de existentes nas Cataratas
se na época da Repüblica quando o IBDF prornover licita-
(1888), caracterizando-se pea
exploraçäo da madeira. Ma's "QU EREM condenarn tudo ou quase tudo
o que jã foi instalada no local.
O Brasil é sigriatarid de
que, antes de tudo, o Parque
nâo faz parte do território do
Municipio, pois ele é
cOes através de concorréncias
püblicas. Embora podendo
recentemente, uma parte havia
sido invadida por posseiros na
Area de Santo Alberto, inde-
DESTRUIR urn tratado internacional reali-
zado em Genebra no tim do s&-
culo passado que regulamente
patrimônio da Uniào,
administrado pebo IBDF, órgão
do Ministério da Agricultura".
participar de concorréncias, a
Prefeitura nunca o fez. No
prôxirno ano, praticarnente
nizados e afastados
inteiramente ha ooucos anos. AS Os parques nacionais. Corn
base nesse tratado. por
protesta SimOes.
Adilson SirnOes considera
todos os serviços entrarão em
nova licitação para contratos
Ao que se sabe, teriarn 'do
estes posseiros Os Unicos a ut-
izarem a area do Parque para
CATA RATAS
A regiäo do Parque
exemplo, a Argentina protestou
diante da construcão do Hotel
das Cataratas, do elevador no
tarnbém absurda a proposta
para que a CODER ou dire-
tarnente a Prefeitura adminis-
de concessão par 3 anos. E,
pois, urna oportunidade e uma
forma viáveb de a Prefeitura
a agricultuira. ado brasileiro. Essas duas trassern 0 turisrno rias Catara- tirar urn pouco do proveito que
A idéia de criar este Par- Nacional do lguaçu é significa- construçOes são as maiores tas, e mais absurda ainda a pretende das Cataratas.
que é atribu(da a André tivamente privilegiada, não so violéncias já cornetidas pelo tentativa de criar urn Parque Adilson faz outro reparo
Reboucas, inspirado na peias belezas naturais como Brasil no Parque Nacional do Municipal que abrangeria a que diz respeito as sugestOes
criaço do primeiro parque pela roqueza do solo, da flora e lguacu As outras (passarelas, Area a esquerda da estrada de de instalar ilurninaçao elétrica
nacional nos Estados Unidos fauna. Para a criação de urn anchonetes, etc.) são, talvez, acesso. 'Seria urn programa nas Cataratas p,ara sua
(1872), contrariando assim Os Parque o Governo tern crité- violências perdoáveis porque, perfeito para a exploração visitação a noite... E possivel
que atribuem a Santos Dumont rios, e estes são avaliados em afinal de contas, são importan- econórnica , e perfeito do que haja formulas para urna
a primeira proposta de criaço.. tuncão do que realrnente tes para o conforto do turista. ponto de vista da devastaçao", meihor uitilização daquele
Os objetivos dos parques existe a preservar na regiäo vi- Para Adilson Simão não é diz Adilson, quetemeria mais porno turistico e que o IBDF
justificãvel a existência do ele- que tudo a invasão de precise de sugestOes, rnas, se-

Discos vador , porque, além de estra-


gar a paisagem pela teição
desengoncada daquela torre, é
ernpresas no local corn
objetivos espürios de
expboração do turismo,
guramente, não é esse tipo de
idéias que farão nascer solu-
côes para Os problemas de

Cassetes urn ebemento completamente


estranho e feio. Além disso, a
tendéncia do elevador e se
instalando cornércio, hotéis,
parques recreativos.. A Dis-
ney-World seria a mais ávida
melhoramento da paisagern e
dos serviços para o visitante
ou para a efetivação dos obje-

Aaulhas constituir num eterno


problema, porque o visitante
passará a exigir urn serviço
para ver urn carninho aberto
para instalar urn monumental
parque de diversOes no local, e
tivos a que se destina urn
parque corno o lguacu.

L EIA
cristais sempre rnais confortável,
levando a ampliacOes, mode-
''isso é inaceitãveb''
a.resCenta Simão.
E PRESTIGIE
QSEU
Caixas acUsticas
'f'iLlIk4fl1, JORNAL

TeCnica em teleVisao a co r es e video-cassete:


Conversäo de sistemas NTSC e PAL M. N.

a discolandia VIDEO TEC—ELETRONICA L TDA.



Av. Brasil, Box 4 - Fone 73-4732 Foz do Iguaçu - PR Rua Edmundo de Barros- Galeria FIá via Noss
Sa!a 3- Fone 74-3553 FOZ DO IGUAU - PR
Foz do Iguacu,
le'IlIpOde 03 a 10 de Dezembro de 1980
padre italiano, e isso está dando injusto e contrário a tradição do desafetos do regime e do sisterna.
LEI tempo ao Governo para deixar as
coisas como estão, corn o debate
povo brasileiro.
0 que ocorre é que, a medida
pot mars que lenham afeiçao
do povo
FASCISTA parado, e a oportunidade de manter
o dispositivo legal inalterado,contra-
riando promessas de reformular a
em que se esquece o tema, a
realidade continua a rnesma e a
soluçäo será protelada ate onde for "A TAIPA
TEM QUE Lei antes mesmo de ela ter sido
aprovada pelo método leviano do
possivel. E o que interessa ao
regime. DA
CAIR decurso de prazo.
De fato, poucas pessoas
As criticas a essa Lei
procedem de todos Os setores da
I NJ usTIçA"
A Igreja Católica for o sensatas estão de acordo corn a sociedade. Recentemente, o
organismo nacional que mais se integfra dessa Lei do Estrangeiro, deputado Norton Macedo,
empenhou para impedir a mesmo nos circulos go- presidente do PDS no Paraná, Itaipu
aprovação da Lei do Estrangeiro, vernamentais. 0 que permanece in- arnentou que ainda não houvesse x Agricultores
mais ate do que os partidos politicos concebivel ridIculo, é o fato de o sido enviada ao Congresso
de oposicão - estes definitivamente Governo ter feito aprovar a Lei Nacional a mensagem governamen- Expropriados.
impotentes para fazerem valer consciente de que ela merecia tal que altera a Lei do Estrangeiro, Está sendo lançado em toda a re-
suas razöes no Parlamento ou na reparos. Na mesma ocasiäo, Macedo gino urn Iivro em que säo r&atadas todas
vida brasileira. A Lei do Estrangeiro em vigor disse que 'a atual Lei contém as lutas dos agricultores brasileiros e
Ironicamente, quem mais corn- tern urn nitido alcancepofitico, para muitas distorçOes e preceitos vagos paraguaios expropriados pela Itaipu
bateu essa Lei foi sua primeira pressionar,elirninara presenca de que, mal interpretados, podem Binacional. A publicação é da Comissào
vitima - a prOpria Igreja, pela refugiados politicos do Cone Sul, conduzir ao arbitrio". Pastoral da Terra, secretariado regional
recente expulsào do padre italiano quando esses fossern criminosos Nessa linha, oposicionistas e do Paraná, cujo lider rnãximo é 0 pastor
Vito Miracapillo. E é a mesma lgreja politicos ou elementos perigosos situacionistas elaborararn novos Werner Fuchs. de Santa Helena.
para a seguranca nacional, sem projetos de Lei, que estão na A CPT, que em 1978 assustou os
que tern outro ilustre candidato a homens da ltaipu corn a publicação do
expulsão - o bispo de São Felix do estabelecer,porérn, critérios para a Comissão de Constituicão e Justica "Mausoléu do Farao", repleto de
Araguaia, dom Pedro Casaldáliga, o distincao entre crime politico e da Câmara Federal, mas , depois de denUncias,encornendou agora urn novo
mesmo que ha uns anos seu colega crime comum, e sem definir o que mais de dois meses, a Comissão trabaiho ao professor Juvéncio Mazza-
de bispado, dom Geraldo Sigaud, representa segurançà e inseguran- ainda não designou o relator da rollo, de Foz do lguacu,
queria ver devolvido a Espanha, sua ca nacional. matéria - o que evidencia a intenção o livro parte de urna análise do que
pátria de origem. 0 Governo, certa- A Lei foi feita para desproteger de protelar a alteração da Lei em representa a Itaipu em sue origem,
mente, ficaria feliz se pudesse a familia do estrangeiro aqui vigor, pot parte do Governo. destinacão e em seus métodos de
livrar-se sem traumas da presenca residente; é urna Lei que esconde Norton Macedo, no projeto de tratarnento dos problemas pot ela
interesses politicos desonestos sob seu partido, disse que teve uma criados. Pot enquanto, o mais grave dos
desse bispo tao inteligente e intré- problemas é o das expropriaçOes e in-
pido quanto atuante na defesa dos o manto da protecão a mão-de-obra triplice intenção: "A primeira, ex- denizacoes. E é precisamente desse
oprimidos na Amazônia Legal. Mas nacional: ela confina o estrangeiro purgar do texto da Lei 6.815 as aspecto que se ocupa a publicação, fun-
a comocão nacional gerada pela numa regiao, violentando o direito normas autoritárias que contém, em darnentairnente.
expulsão do Pe. Vito é o fator que individual de it e vir: ela sacrifica o flagrante antagonismo corn o São historiados e anaIidos Os
deve estar detendo mars essa individuo na esperança de. assim, mundo moderno; a segunda, problemas criados pot ltaipu aos agri-
violéncia. As afirmaçOes que prover a seguranca coletiva. atender as reivindicaçOes da socie- cultores desapropriados,e são tracados
provocaram a expulsão do Pe. Vito 0 rosário de criticas a essa Lei dade civil: a terceira, apagar o cará- Os métodosde organização e luta dos
foram umas amenidades, se e extenso. 0 Pais espera para o ter xenôfobo que emerge da atual agricultores na defesa de seus direitos e
próximo ano, segundo promessas interesses.
comparadas as de dom Casaldáliga. Lei dos Est ranqeiros, incompativel o livro tern corno tinalidade maior
0 Pais, entretanto, parece do Governo, a mnudanca corn as tradiçôes brasileiras de re- re$ataras experiências de organizacão
refeito do trauma da expulsào do substancial desse aparato legal lacionamento corn estrangeiros". e luta popular para, possivelmente,
"0 projeto, disse Macedo, servir de indicativo para trabaihos nes-
procura eliminar da atual Lei o seu sa ordem em outras regrôes do pais ou
Part icipamos do caráter arbitrário . marcado pot
dispositivos de const itucionalidade
em novas situaçöes em que se apresenta-
rem empreendimentos do gènero Itaipu
e similares.
nascimento de duvidosa , embasados em
conceitos vazios, cuja interprelacão 0 autor. ao mesmo tempo em que
relata . analisa e critica seriamente a
poderá implicar em limitação das
mais urn jornal garantias individuais, asseguradas
pela Carla Magna indistintamente a
Ilaipu, enquanto defende e enaltece 0
trabalho de conscientização e rnobiii-
zacão dos agricultores, apoiados pela
para Foz do brasileiros e estrangeiros".
Enquanto issa o Pe. Vito foi
própria OPT, pela Comissão de Justiça e
Paz e Sindicatos.
expulso e o Governo saiu do o trabalho tern urn valor documen-
Iguacu, acreditando no episódio sentindo-se urn angelical
cumpridor da Lei, masincapaz de
tal e ao mesmo tempo é dirigido a
reflexáo sobre o tipo de progresso
perceber que a Lei é injusta e que, planejado e executado a revelia do povc
valoroso trabaiho apUcando urna lei injusta , estava
cornetendo urna injustica.
cont raele.
Desta vez, a publicaçao da OPT
não é apenas urn rol de protestos,
que ele venha De qualquer modo, seja qual
for o critério de justica do Governo,
denüncias e reivindicaçoes, mas e
tarnbérn. urn relato de vitôrias
ele continuará por muilo tempo corn conseguidas pot milhares de pessoas
prestar a o caminho aberto para novas inves-
tidas contra pessoas que poden ser
postas frente a urn gigante disposto a
devorá-Ias.
comunidade
como velculo
de cornunicação isu rp unrultholl I$*tI \ *Entregas
e expressão dos _JV\ a domicillo
anseios de nossa gente.
muttato
* Secos \Supermercados\
=dos

\RAFAGNIN Rua das Missöes, 1803


Fone 73.3365
SUPERMERCADOS Jardim America

Foz do Iguacu.
de 03 a 10 de Dezembro de 1980

Cerca de 30% da população de


Foz do iguaçu, o que corresponde
a mais ou menos 50 mll
habitantes, residem em
irnóveis lie gals e em consequência disso não possuem 0 direito real
de propriedade.16 A disso, mais de 70 por cento da popuiação nao
usufrul de saneamento básico (agua corrente, esgoto, etc). E preciso gritar
bern alto para que a voz dos humildes se/a ouvida. "Pode-se enganar parte do
povo todo o tempo; pode-se
enganar todo o povo parte
NOSSO TEMPO abre suas páginas para que 0 P0 VA 0 do tempo; mas não se pode
enganar todo o povo todo o
den uncle todo tipo de injustiça a que se ye submetido tempo." Lincoln
. Peteuuia Mas algurn
.mpo depois urn cara do la
cegou e disse que era pra
Como se
Isabel odo mundo satr porque 0 0-
earnento nào estava liberado.
hace para Querem me
Cristina ;rnbargado. Distrtbuiram entre
Dsseram que estava tudo Ilegar jogar na
está na as'äomoradores urna carta, mas
set quem avtsou o dono do
hasta las rua da
geladeira ae'reno que veio aqui e tomou Cataratas? amargura
()
papel de todo mundo e
loe':: /aLe rasgou, dizendo que aqui a
Lsa Lrguna t. eta par Felicia Azevedo de Olt-
Cristina. antes espeiança de Prefeitura no mandava, quo .- upo de turislas argen- veira mora pouco adiante d
casa prôpria, so transforrnou ele comprou, pagou e fazia o ' s para o pessoal do posto tavela da Pluma e tern dots
riuma terrivel dor de cabeca Clue bern queria. Ninguérn tot 'a la Policia Rodoviaria na BR filhos para sustentar. Mora
para os compradores de lotes. Prefeitura", conctui Sebastiào. '77. Os platQfises desde que nurn barraco e lava roupa para
Aproximadarnente cento e 0 loteamenlo tern rnais de •" atraram no , Brasil pelo Porto fora e corn isso garante o
cincoenta familias foram viti- trés anos e atuarnente so - '- - .'eira, sairarn buscando rango. Faz dez anos que eta
mas de urna das rnais escan- -restararn uns vinte rnoradores - indicacôes Clue Os levassem ' vive ai no seu ranch inho. Todo
datosas especulaçöes irnobili- resisitinclobs pressOes do pro- -. nossa ma'or atraçao turistica. o transtorno da d. Felicia e
áriasde Fozdolguaçu prietário, Vetocino Pedro - Se houvessemtocadoprá If rente seus fithos começou quando o
Tudo corneçou corn urna Medeiros. quo inclusve tern - . , sem perguntar a Polcia Rodovi- propnetário da terra vendeu a
Ial de Irnobiária Chaparral Que arneacado de arar toda a area aria, estariam certamente em propriedade . 0 novo dono
estava inslalada na Av Repi- do frustrado loteamento como Cascavel buscando as chegou dando urna de
lica Argentina, em trente ao urna forma de botar o pessoal . Calaratas autoritàro e ameaçando.
Batalhao Oudndo Os para fora. ,' ______ E assim tern acontecido —Sat ou eu boto logo no
cornoracorea (Jaarn coma "Nôs fornos abandonados - corn a rnaioria dos turistas barraco.
de que o loteamento era frio, Ia por todos. A Prefeitura diz q. _____ Chegam aqu' e nao tern urn Sobreviver ja estã diticit,e
haviam conS tC casas C a gente não deve continua- guta nern placas indicativas. A corn tat probema em cima jä e
teio ouas nenteitorias, Mats pagando as prestaçoes, ma sinalização da cidade é dose pra leão. Felicia esta
de cern tamilias decidirani sair nao toma nenhum-i r , nv d1­ péssima. Em certas ruas desesperada e diz que não var
mesmo perdendo ludo Inctu- cia', comenta j-• sirnplesmente não ha. E sair sem indenizacào
sive firararn as casas 0 res- outro moradr- cornurn encontrar urn turista —Eu quero é urn cantinho
tante decidiu lutar e là estao . perdido pela city. para morar e nada mals.
ate hoje. Suspenderarn o paga- , 0 problema nào so k isso ai nosso oovo nào
memo das prestacOes e dizem t' ' resume na locaiizag5o das pede muito, mas pelo rnenos 0
que so vão sair se o dono do . atraçOes turisticaS . mas a essencial para levar uma vida
loternento devolver o Clue cbs ; I' . , cidade carece de sinalizacão decente, urn teto...
a pagaram corn juros e cone- n ara melhor andarnerito do
cào, aférn da ndenização. ' . , -' iánsito e preventiva para
Isabel Crisfina é urn l otea • i evitar acidentes quo podem
rnento "feito nas coxas" e hca : ser fatas 0 trevo do M Boicy,
no final da Av. RepOblica aue é urn dos mats
Argentina, depois do tamos movirnerriados da cidade. nào
Rincão São Francisco .-.• '-'-"--' - - ". posSui nenhuma paca que, pot
Sebastião Barbosa do - exemplo, indiqueonde ficamas
Santos, urna das vitirnas. d , Cataratas A 11tirna quo havia,
que a rnaioria dos que . urna paquinha indicando a
compraram lotes são pessoas direção para Cascavel e que
que sai'rarn do Campo Vieran - eStava tincada no canterro
de Itacorà. Dois Lapachos, centrat, urn carro em ala
Alvorada, etc Souberarn deste t velocidade levou, depots de
'oteamento e vieram paa - / , , , estragar várias plant as. E
conhecer. Vram Clue bavia ." . . preciso tomar rnedidas
ruas abertas e algurnas casas. . urgentes visando a cobocaçào
pensaram que aquilo de placas indicativas e deadver-
fLiTUtO Foram ate a imoh,à-a - ' ' k tCncia. Não auerernos ver urn
efochararnonegóc'o turista procuranCo as
Quem absu as ruas aqui . - Cataratas la em Ties Lagoas.

Esperamos que de nossa cidade corn


a equipe do jornal o mesmo carinho que
Nosso Tempo dispensarnos as nossas Av. Brasil.
registre Os fotografias. P1
acontecimentos aven 706
INiivipO
OO Foz do lguaçu,
de 03 a 10 de Dezern

Washington, Anésio, Ttucha. Djalminha e liza Maria Cacique Juruna vestudo a rigor Chico Menet
são os müsicos dos "Grupo Musical Sistema". para presidir o Tribunal Russel na Holanda. em recente

JL

I
-

-4

!L=---

Lâzaro dos Santos Costa (Inspetor da Receth


entregando o prêmio para Edilanda Begnini

• Juruna, de 38 anos, Ilder da tribo foi o vencedor do prograrna "Buzina do policial da City, Foi no dia 28 a
Xavante,finalmente conseguiu viajar Chacrinha", no ültimo dia 9 de novembro, cornemoraçäo em torno de uma farta
Holanda depois de vencer no Brasil urna domingo, na area 2 de Itaipu. Milciades churrascada regada corn chopp. Entre
batalha judicial Para obter seu passaporte. Salinas interpretou a canco "Bajo el outros registramos a presenca do Delega
Ele havia sjdo solictado pela fundaco Cielo del Paraguai". Germano e do pessoal do Foto Avenida,
Nacional do Indio (FUNAI) negava-Ihe • Aconteceu na sala de reuni6es da sob o cornando do nosso amigo Chico.
permisso Para viajar conforme disseram ACIFI (Associacão Comercial e • Corneca o Natal Fouad Center corn
seus amigos em Roterdã. Na Industrial de Foz do lguacu), a entrega ofertas especials em suas 14 secäes.
óltima quintafeira o TFR decidiu que dos pr'mios aos alunos classificados no Vale a Pena.
Juruna tinha o mesmo direito de viajar concurso de Redacäo e no Sorteio dos • Fim de ano. Férias. Menos Para o nosso
atribuido a qualquer cidadäo brasileiro. Questionários, referentes ao "Prograrna amigo EIoi e o pessoal da
Juruna disse que s as pressöes Contribuinte do Futuro". GELAUTO,que está preocupado em dar
exercidas pelos organizadores do Tribunal Receberarn prêrnios: lo. lugar, 0 rnâximo de conforto em sua viagem.

Russel foram decisivas Para a obtenço Kleber Gil Zeca (Colégio So José); Confira e instale o ar condicionado em
do passaporte e que "eles (governo) tern 2o, lugar, Ronaldo Aparecido Venturini seu carro.
medo de mim porque no sou urn indio (Escola Bark do Rio Branco); • A Cjltima novidade em Jean você
ignorante. Eu compreendo o problerna, 30. sugar, Edilanda A. Begnini (Escola encontra na Boutique Blue
a pobreza da comunidade indigena e Bartolorneu Mitre); 4o. lugar, Leoni Star ao lado do Acougue Lambari, na
peco que as autoridades e a imprensa Rospirski (Colégio So Luiz). Almirante Barroso.
ajudem os indios, que no t&rn terra e • No dia 28 estiveram reunidos no • Foi inaugurada em Assunço
esto rnorrendo de inanico". Restaurante do Hotel Salvati advogados. (Paraguai) a Maison I mobi liâria,empresa
• Saul Raiz,que alguns badalam Para o prornotor e Juiz. 0 motivo foi o do grupo Sé'rgio Dourado Irnôveis.
governo do estado,vai ser o titular de aniversário do Dr. Agenor de Paula • Acontecimento foi no dia 26 (jltimo e
uma nova secretaria, a ser criada Marins. Depois dos comes-e-bebes, contou corn a presença das mais altas
especialmente Para ele: a Secretaria de aniversariante e convidados baixararn autoridades, banqueiros e incorporadores.
P ara a discoteca e botaram prá quebrar A Maison já iniciou suas atividades na
Desenvolvimento Municipal. Ja se fala
de outras rnodificaçöes nos altos escalôes • Aconteccu no Restaurante Paiol capital guarani, corn vários
Fernando Fontana (Sec. Ind. e Corn.). do governo,acomodando arnbicöes e histórico encontro da imprensa de Foz. empreendimentos em lancamento.
Tércio Albuquerque, Ce'lio Serpa Ferraz Tirnparido o terreno Para o candidato do La estava o pessoal do Nosso Tempo Grandes transacöes irnohiliárias ii tiveram
(Pres. Kamby), e Roldäo Senger Ney Para a sucessão, do Hoje e 0 Paraná. 0 motivo, aniversário rc io.
(Pref. de Matelândia). • Urn garoto de Puerto Presidente de Cauby Silva, conhecido repdrter • 0 acontecimento social da semana
1980 15
Consertos de apareihos de some
Sisterna, a rua 95, Quadra 82, Casa 3, televisores preto e branco e a cores
Vila "A". 0 grupo foi formado em
tembro e sabe das coisas.
• 0 professor Fauze Kfouri está dando
urn curso de Parapsicologia no Floresta
Clube. C a segunda etapa ja que a
primeira foi em setembro no mesmo
Venda e instalação de apareihos de
local. A promoço é da Cârnra Junior
de Foz do Iguacu. Desta vez,além das
som para seu
palestraso professor Kfouri "ai brindar
Os assistentes corn experiênclas feitas
automóvel
utilizando o Aparelho Kirliar, para
fotografar a aura humana.
• Quem troca de alianças nesta
sexta-feira é José Claudio Rorato. A Materials eletrönicos
r,oiva ê Sônia Maria de Oliveira e a lua
de mel sera em Macei6 em geral.
Claudio Rorato, além de advogado e
exportador, é também gerente da
Editora Nosso Tempo - 0 retorno do Av. Juscelino Kubitschek, 863 Fone 73-4092 Foz uo lguacu - PR.
mais novo casal está previsto para o final

t4c do ano.
• Se é verdade ainda no se sabe,
ha comeritários de que o Batalhäo de
Fronteiras pretende instituir também,
além dos tradicionais almoços nas
quartas-feiras para convidados
especlais, urn almoção para o pessoal da
modas
LI favela. Se os boatos tiverern fundamento,
parabéns ao pessoal do lo. BFron pela
brilhante iniciativa.
CAM ISAS CAM ISETAS
• A Lacesa estâ lançando no mercado
uma nova linha de produtos frescos
derivados do leite, corn chancela de uma
marca mundialrnente famosa, Yoplait.
Atuando ha mais de 30 anos no
JEANS
mercado e conservando seu capital
ti, Gelsi Gelmini e Arnaldo Chemin,
ntro social.
inteiramete nacional, a Lacesa parte
agora para uma nova etapa de seu
desenvolvimento, procurando oferecei
LEVI'S ELLUZ STARROUP
- sempre o melhor ao consumidor

fri
brasileiro. Para tatnto firmou
recenternente contrato de fornecimento Duas bias na Aim. Barroso, 564 e 1062
de assistencia técnica e uso de marca
corn a Sodima (Societe de
Fone: 74-3438
Developpemens et d'lnnovations des
Marches Agricoles et Alirnentares), que

I
detérn a marca Yoplait, de alto
conceito no mundo inteiro.
Nesta nova linha, 0 primeiro

"I.
lançamento Yoplait que a Lacesa esté
apresentando so Os iogurtes corn
pedacos de frutas, os iogurtes corn polpas
de fruta e o iogurte tipo tradicional.
Todos eles somando duas garantias de
qualidacle: Lacesa e Yoplait,
^j
SOM AMB!ENTE
eraI) ACEITA-SE ENCOMENDAS PELO TELEFONE
lugar- Mitre).
Corn forno a Ienha
e corn a melhor variedade em massas
Matelãndia foi, sem sombra de
Chopp eletrân'c.o AR onda:ionado
idas, a inauguraçäo da Kamby SA.--
istria de Produtos Alimenticios que
:ende recepcionar e usinar o leite ,
uzido em nossa regio. 0 ato teve as quintas, sex [as e dam ingos
r as 15 horas de qurnta-feira, no
ue das lndjstrias, com a presença de
de nCimero de convidados.
)uem esteve a semana passada na
oxisto Av. Rrasil, 1275 - Telefone 74-1 346

J
o foi o ator Fu'lvio Stefanini,da TV CabeleireiroS Corrjdas
deirantes. Ele veio para a inauguraço Cc sea r
ial do Foto Coloreste em Cascavel, mas conhec;ido serv(:) em Locals
eriu dar uma esticadinha ate Foz do e viagens
cu. Aqul ele escolheu urn born local C,'itl)eIc m c.1rc ( r'mIflPflr
i seu jantar: Rafain Restaurante,
.2..
Entregamos
dm0 da Rodoviària. Foi quinta-feira Agora estética
ite e ele se fazia acompanhar por sua
E ncomendas
feminina mais F recados
her, Vera. corn p let a
or falar em Rafain, nosso amigo
io adquiriu a Churrascaria Rafain na Atendernos
3da das Cataratas. Ele pretende dar Rua Jorge Sanways, 469 24 horas
IS pinceladas e colocar a funcionar a
Sala 101- 1°andar Por dia
) vapor, Parabéns. Foz do !uac>4
rupo Musical SISTEMA, fazendo o A teeae

RADIO TAXI
or sucesso em suas apresentaçöes e Nao
COrn horn
nirnaço de festas dançantes na marcada Cobramos
o. Recenternante apresentaram-se em Tarifa
Miguel do lguacu e no Ad iciona
resta Clube do Conjunto "A" da
u. Quern estiver preparando uma
a muito bonita procure o Grupo
DISQUE 74-2530
Foz do Iguacu,
tefflPOA de 03 a 10 de Dezembro de 1980
cornecar ja a tazer urn ciesses
beleza
OPERAçAO FERIAS
exercrcios?

COMEA JA
Recomeca mais urn vero de
mu to sol; volta aquela vontade
(le deixar o corpo Iivre e
solto, de partit para o rnerecido
repouso das férias (ou, ao menos,
urn gostoso firn de semana na
praia). Isto evidenternente,
significa que voce vai expor
eu estou voltando; jornal no rnais o seu corpo e rosto. E claro
Leitores, cheguei. Estou de volta
da lucro para ninguérn, que você quer se rnostrar na
para matar a saudade. Alguns
amigos rneus se perguntaro, será principairnente a linha sua melhor forma, sern
que o "cheguel" no está independente a qual nos gordurinha extra, corn os
chegando para a RAY sobreviver? propornos. Mas tenho vocés, cabelos ( e urn corte novo,
leitores e anunciantes, e é para por que näo? ), a pele limpa e
0 "cheguel" alcança, mas so vocés que vamos existir. Todos. muito macia.
chegaria se o Delfim parasse. Toda sernana "NOSSO TEMPO" Aqui, sugestöes:
Crelarn, é por amor mesmo que vai parar, para seu alcance.
FAA UMA LIMPEZA
PR OF UN DA
Pele lirnpa e garantia para
urn brorizearnento uniforme. Por
isto, antes de sair de férias, faca

.1 #)
uma Iirnpeza de pele corn urna
difIcil falar sobre mulher esteticista profissional, que
ou pra mulher, hoje em dia, sem inclusive deixará seu rosto
cair nos rotineiros assuntoS sexo, hidratado em profundidade. E MAG RE A
feminismo. Tenho a impresso de
Depois, cabe a vocè manter a NO LUGAR CERTO
que podem adquirir,através do
reembolso postal, técnicas e pele assirn, usando produtos Cornbata a celulite e as
receitas infairveis para meihorar adequados. gorduras localizadas seguindo,
a vida amorosa Como se isto corn disciplina, urn tratarnento
bastasse para apagar séculos de EXERCICIOS LEVES fisioterápico. Massagens, placas
repressão, muitas muiheres PARA MODE LAR 0 CORPO eletnnicas e aparelhos de
imperceptivamente acabam No adianta comecar a vácuo fazern rnilagres em urn
condicioanando-se nisto. 0 prâtica de urn esporte muito rnês,
resultado é que passam a carisativo ou violento
perseguir o amor corn a mesrna exatamente agora, antes das O PEELING DO CORPO
intensa angCstia que recebiarn do
férias. 0 tempo é curio e vocé Antes do banho, umedeca o
preconceito que as sufocavam,
enfrentando nov05 focos de näo vai recuperar o tempo corpo e aplique urn produto
tensäo e insatisfaçäo. perdido. Mas existe urna sarda desincrustante (creme de silica
Eu absolutamente no para firmar a musculatura e da Natura). Faça suaves
proponho o retorno ao aurnentar suas energias: corrida massagens, especialmente nos
conformismo, a fwstarco dos parada, natacäo ou bicicleta so calcanhares, joelhos e cotovelos.
veihos tempos, mas bern que excelentes opçöes. Tudo isso A pele ficará lisa, pronta para
a alma humana no se tiansforma, ajuda a elirninar as toxinas do absorver rnelhor os produtos
nem se adapta as novas situacöes corpo e ainda por dma remodela para o sol. E rnesrno que vocé
corn a meleabilidade desejada;
suas pernas e ativa a circulaçäo. no saia da cidade, faca este
Nern os homens perdem certas
marcas culturais num toque de Nâo é urna boa razäo para tratarnento urna vez por més.
mágica. Por tudo isso, marchemos
devagar, sempre corn muita
firmeza. Para não deixar a
difundida agressäo pstcolôgica
corneter o miniassassinato
cotidiano a cada novo nascer
"QUE 0 JORNAL
de nossa personaidade. Para
tanto, tenhamos consciéncia de
nossos valores pessoais e
moda
CHARLES JOURDAN linha beachwear. Ela
NOSSO TEMPO TEN HA TODO 0
conhecmentos da
responsalibidade social, para que
Primavera-Vero - 1980/81
Em 1980, urn acontecimento:
acrescentará urna nota de humor
e de poesia nos assessOrios , 0
TEMPO NECESSARIO PARA
a vida seja leve e clara em sua
passagem . Ate a prôxima.
a Pret-à-Porter Charles Jourdan. frescor dos pequenos bobs de
couro e das luvas chelas de
INFORMAR NOSSA COMUNIDADE
Emana desta primeira colecäo
urna certa simplicidade, as linhas furinhos, de alegria nas echarpes
de algodäo, o brilho das jOias
QUANDO ELA NECESSITAR.
so despojadas e estruturadas,
porém sempre executadas em de ouro, Os reflexos insOlitos dos BOAS VINDASI"
material de primeira qualidade. Oculos escuros.
Ao escoiher trajes coordenados
ou desestruturados, a mulher E os calçados? em 1980 eles
adaptará seus trajes a serO assimétricos e se oporo ao
necessidade do dia a dia. conform ismo de sernpre. Se os

VIDRACARIA VERA
Ela se envolverá nurna segunda vestidos encurtam e as calcas se
pele largamente colorida: alaram, os calçados seguern a
spencer, blazer, shorts ou cadericia. E o ano do salto
carnizetas para jogar corn a alto conserva a sua elegância de
sensualidade de textura suaves e sernpre, ea tendència das
sandálias e escarpins classicos
RUA QUINTINO BOCAIUVA, AO LADO DA CODFI
maclas como 0 couro, Ou
transparente e leve corno a seda continua irnperando, Materials

t
em blusas, em conjuntos de trabaihados corn rnuita A VIDRAARIA VERA LTDA. ABRIU A FILIAL 1.
saia e blusa, em calcas usadas corn irnaginaçäo como 0 cetirn corn
bustiers, trajes para todo 0 dia ref lexos suáveis e a imitaco de COM NOVIDADES, SEMPRE.
ou para festas. Ela encontrará crocodilo, nova tendéncia alegre,
AJ /
..
29
Foni 74-3O3/
fantasias e conforto nas roupas forrnam corn a pelica cornbinaço TUDO EM LUSTRES, PRATARIAS E ARTIGOS PARA
de algodäo. Ela adotará a malha harmoniosa - Para a rnulher de
hoje, urn estilo cheio de
PRESENTES. AGORA
para as roupas mais amplas. Na
prala, ao sol, ela usará vestir a iniprevistos e alegria TAMBEM DEDICADA A EXPORTAçAO.

Foz do Iguaçu, Nosso


17 de 03 a 10 de Dezembro de 1980
:i Santo Ratagnin, atual
T ROPA DO EXERCITO '
presidente, é quem responde: 'E a
grande pergunta que fazem Os

REPRIME SUINOCULTORES
%ijuua& V I II FIiiUlii Udidii(O
Forças mililares repi rmiram na piquete deironte 'a Frigrobras, sunocul-
tores e populares realizaram urna pas- publicado em jornat. Felizmente,
base cia baioneta cerca de 200 a chapa que venceu a elemcão no
suinocultores que bloqueavarn a estra- seata ate o centro da cidade, onde,
defronte 'a Catedral, realizou-se uma Paraná, "tern dentro da sua
da que Iiga Francisco Beltrào a Guara-
puava. Essa denüncia é ferta por Leonhl- assembléra plataforma idéias para meihorar
do Brustolin, da Cornissâo Pastoral da No firn da tarde, por volta das 17 -. . nesse sentido prestando conta aos
Terra t'oras, seis camrnhôes da 5 advogados e reivindicando urn
Durante a semana era ternido urn Companhia de Fronteira, de Guaira, ,.- .. rnaior retorno para cada sub-
confronlo mais sério eritre suinocul- entramam no centro da cidade de secão".
tores e forças repressivas. Feiizmente Toledo. Enquanto a assernbléia prosse- Além de procurar a integracão
os trabaihadores tiveram o born senso guia,as viaturas - cheias de soldados -
realizararn duas voltas em tomno da area, entre os advogados; 'pois hoje not a-
de recuar (evitando assirn derrarnamen- se aqui em Foz do lguaçu que a
fizeram demonstraçôes e marchas,
to de sangue) Para discutir novas
tormas de luta. Entretanto o clirna
esteve bastante tenso durante toda a
sernana principalmente na sexta-feira.
demonstrando claramente seu papel a-
medrontador.
0 advogado Mario Pizato, representante
F classe está se distanciando", Santo
Rafagnin pretende levar ao conhe-
cimento de todos a lei n o 4215 -
Em Cascavel urn pelotão da PM corn- dos colonos e da Comissão de Justiça e Estatuto do Advogdo - que prevé
posto de 30 soldados armados corn Paz, perguntou ao comandante da tropa / uma série de prerrogativas em
fusis e bornbas de gas lacrirnogénio se o Exercito pretendia intervir na reu- beneficio dos advogados. "Varnos
dispersou cerca de 60 suiriocultores nião, tendo recebido apenas utna fazer corn que todos tornem
que bloqueavam o acesso ao Frigorifico resposta lacônica: "Depende". conhecimento e exigir que essa lei
CascaveL Os colonos participam do Mo- Apesar da dernonstraçãc de força
da repmessão não houve nenhum mci- sea cumprida. Essa lei, entre
vimento Justica e Trabalho ) que visa Rafagnin: é preciso Integrar a classe.
dente. A Assembléha prosseguhu pacif i- outras coisas, visa garantir o direito
obter rnelhores preços Para o produto.
camente, defronte 'a Catedral e os do advogado 'para que
Os colonos dizern que estão sendo
ludibriados pelo governo federal,que ha-
via prometido urn preço rninimo de
militaresvoltaram eara Guaira.
E A LUTA CONTINUA
S U BSE trabalhar corn liberdade e
dignidade".
cerca de Cr$ 56.00 per quilo de suino
vivo e na sequnda-feira anunciava Para
Neste tim de semana Os colonos
discutirarn nas bases urn balance D A OAB . Santo Rafagnin citou casos
que tern ocorrido em Foz do lguacu,

T EIV1 NOVA '


a nacão 0 irrisOrio preço de 40 cru- complete da luta e OS próxirnos passos de autoridades (principalmente na
zeIros corno preço minimo. Os produ- a serem dados. Na ültima segunda-feira, Policia Federal) se negarem a
tores pedem 75 cruzeiros por quilo e dia primeiro de dezembro, houve uma

I °I ETO R IA
dernonstram que o custo da producäo e assernbléia em Toledo, quando todos
referendaram a decisão tmada em Estatudodo Advogadoreza
superior a 50 cruzeiros As - 1
reivindicaçOes do movirnento são: Francisco Belträo de colocar come data todo o militante, em pleno exerciclo
preço justo, crédito rotativo, incontinen- base o dia 6 de janeiro ,. como prazo Foi eleita no dia 28 Ultimo a de suas funçoes, tern o direito a
ti abertura da exportação, campanha Para o atendirnento das reivindicaçoes. nova direoria da Sub-seção de Foz examinar qualquer processo,
nacional de consume de came suina e Out ras medidas tomadas pelos do lguacu da Ordem dos Advogados " Normalrnente, (principalrnente o
criação do Consetho Nacional de suinocultores é o boicote h exposição do Brasil. A eleição foi as 9 horas no advogado novo), precisa rnendigar
Desenvolvirnento da Suinocultura. suinicola que está planejada Para inicio Forum local A üriica chapa con- inforrnaçaes junto a certOs orgaos,
Diante das arneaças dos colonos do ano que vem, 0 boicote sera total e corrente, e consequeritemente quando isto e detendido pela lei".
de bloquear tudo a partir da zero hora dizem que sern Os porcos a exposição eleita, está cornposta por Santo Ra-
será urn fracasso, A mesrna lei dá o direito ao advo-
do dia 30, o govemno recuou e apre- fagnmn (presidente); Adoipho Maria-
sentou a proposta de 55 cruzeros,o que Tern side intensa a solidariedade gado de entrevistar-se corn seus
està sendo discutido pelos produtores. aos suinocultores em sua luta per justos no da Costa (vice-presidente); Pedro clientes que estao presos ou
REPRESSAO EM MEDIANEIRA pieces. 0 governo,com as medidas que Paulo Fabricio de Moraes (SeCre- detidos em salas reservadas.
Já na quinta-feira a vizinha cidade estâ fernando em detesa dos frigori- tário), Evaldo Bittencourt Krás (te- Ouanto ao problerna do advo-
apresentava urn chirna usual. Cornentã- ficos. ameaçando e reprimindo Os soureiro). A nova diretoria caberá gado dative (aquele que é nomeado
rio de que tropas da PM e colonos. está dernonstrando o comandar Os destinos da Sub-secão pelo Juiz para defender alguém.
Exército iriarn intervir nos piquetes. Isso verdadeiro caráter de sua politica local no bênio 1981/82, sem rernuneração), "é uma batalha
vem acontecer ern frente ao Frigoritico econãmica, que é a defesa das multi- Da Sub-seção de Foz do nacional. Entendemos que a lei que
durante a sernana reivindicando preço nacionais em deprimento dos trabalha- lgüaçu ainda fazem parte Os munici-
domes. trata da justiça gratuita é incons-
justo Para o seu produto. A estrategia pbs de São Miguel do lguaçu, Me- titucional", desabafa Rafagnmn.
desenvolvida pelos suinocultores Os Suinocultores dernonstraram
consistia em impedir a circulação de que estão organizados e que a luta dianeira, Matelandia e Santa Hee- Embora ache urn tanto diticil,o
veiculos carregados corn produtos da continua em defesa dos seus produtos. na Aproximadamente 100 advoga- novo presidente promete dialogar
suinocultura, tendo montado barr ehras E demonstraram a justeza de suas rei- dos fazem parte desta sub-secäo, corn os colegas no sentido da
em rodovias e defronte aos frigor(ficos. vindicaçöes corn alguns dados: quando entre rnilitantes e não rnilitantes locação ou construcão da sede da
Os colonos tiverarn que recuar é discu- o quilo de suno vivo estava em 40 A anuidade que Os advogados Subseção local da OAB, inclusive
hr nas bases as novas medidas a serem cruzeires. 0 saco de cpncentrado pagam a seccional (Curitiba) é de dotando o local de biblioteca,
adotadas diante do forte aparato policial chegou a 200 cruzeiros. Agora o saco 1.230 cruzeiros. Isso, multiplicado màquinas de escrever e
que era colocado nas ruas. 0 bionicäo de concentrado estä em 700 cruzeiros por 100, que e o nUmero de advoga- funcionários, pama urn pert eito
e donatário Bonato, que o governo -urn aumento de 300%. 0 quilo de suino
vivo, conforme o novo aumento. teve dos, perfará urn total de 213 mil cru- atendimento aos advogados.
irnpds Para ocupar o Paco Municipal de
Medianeira, foi vaiado pelos colonos urn acréscimo de apenas 20%. "E zeiros Desta soma apenas 12 mil Sobre Os direitos humanos e
quando quis defender o governo sirnplesmente vergonhoso'.- c.ornenta cruzeiros anuais retornarn para a torturas que vérn ocorrendo corn
Os partidos politicos e o comércio de urn dos lideres do movirnento. 0 Sub-secão de Fez do lguacu (nas frequência nas detegacias, o novo
Medianeira esto dando todo o apoio aos govemno liberou o preço dos ihsrimos e outras sub-secOes 0 esquema é 0 presidente pretende fiscalizar e
suinocultores em sua luta por melhores tabelou o preço da came e derivados: mesmo). E o restante? denunciar qualquer arbitrariedade.
preços. näo podia dam oulra. A produçäo de
insurnos, em sua maiomia, é dominada
EM DEFESA DOS FRIGORIFICOS pelos grandes frigorificos. os quais 0
0 14 0 piquete des uinocultores tom governo estã -defendendo corn tropas
reprirnido em Trés Pinheiros, situado no contra os colonos que, corn muito suor,
entroncamento das rodovias que ligam lutam Para pmoduzir.
Palo Branco ao Oeste do Estado 0 OABAPOIA
Exército reprimiu corn 300 hornens A Subseçao de Foz do lguacu cia
forternente armados, que ameaçaram Qmderri. dos advogados do Brasil hi-
de atirar quando a Iiderança dos cob- potecou 'irrestrita solidariedade" ao Esperamos que o
nos quis dialogar corn os militares. Urn movirnento dos agricultores. Em
jomnalista que tentou servir de mediador manifesto de apoio aos suinocultores,a nascimento deste jornal
recebeifordem de calar a boca, num OAB afirm que "Tudo- acontece
flagrante desmesperto 'a liberdade de impunemente nesta Terra .de Santa venha contribuir na
imprensa. Em Cascavel os colonos que Cruz, quando os descalabros são
estavam acampados em frente ao Fri- praticados pelos poderosos e seus disc ussão e solução
govel abandonararn- o local pacifica- apadrinhados". E continua: "...invenla-
mente. Tarnbém em Marechal Cãndido ram-se pestes que acabaram corn a sui- dos problenas de
Rondon as tropas intervirarn. Jã em nocultura: os insumos, as raçOes, nas
Toledo, 30 soldados da PM ammados, màos das rnultinacienais, sobem a nossa gente
dispersaram cerca de 100 colonos que precos astronôrnicos. ate sementes são
bloqueavam Os acessos ac, Frigorifico importadas num pals onde a terra é
Sadia. Não houve nenhurn mncidente de fértil e abundante. Mas auando o
propomçOes, rnas pelo rnenos 60 es- produtor vai vender seu produto, irnpOe
tabelecimentos comerciais cemmararn o governo urn preço que não cobre
suas portas. em solidariedade aos cria- sequer o custo E ainda poe o Exército
domes de porcos. Urna vez dispersado o contra o povo'. IRMAOS RAFAGNIN
I4osso Foz do lguacu,
teflipO de03a 10 de Dezembrode 1980 18
1f1
1 2
CENSOE FALSOS
RECENSEADORES
Terminou a coleta de dados do corn carteirinha de recenseador e
Censo 80 em Foz do IguacLr l agora so formulários do IBGE. "Somos
resta esperar os resultados que no se recendeadores,.. A senhora sabe, a Campanhd eleitoral de 78,
Medianeira, 1968. Os
resumem simplesmente no total da televisäo est4a dando sempre, é prá David Cheriagatte. da Arena, e
politicos e autoridades dos
populaco. 0 Censo pode oferecer urn saber quantos somos e como somos"
Corn esta conversa os malandros
Ak estados de Santa Catarina, Tolentino, do MOB, faziarn
quadro bern completo de corno está Mato Grosso e Paraná, rnais os campanha em Cascavel,
distribuida a populaco em nosso entrararn na casa dos Bergarnasco,que
empresàrios de nossa regiäo se Cheriagatte entra num bar,
muniCipio, sua composicäo étruCa, fica là pela estrada Sanga Funda -
reCinern na praça principal da localizado no Jardirn So
determinacão das várias correntes Santa Terezinha, prôxirno 'a vita Bento..
vizinha cidade para Paulo, reduto operârio, e solta
migratórias, situaco sanitária, nCimeros Os caras estavarn bern inforrnadospois
reivindicarem conjuntamente o verbo:
por faixas etárias, mortalidade, e O fazendeiro tern algurn dinheiro.
urna estrada que tigasse a regio - O rneus companheiros,
principalmente de distribuiço de Sentararn e comecararn corn aquelas
aos centros consumidores. Findo tornando umas piniinhas, né?
renda. 0 Censo pode oferecer dados perguntas do questionârio: nome, mes
o encontro, Marcelo Miranda, Pena que eu no possa ficar pra
para urn compelto estudo sociológico e ano de nascimento, quantos anos
recenternente substitudo no beber corn vocês. A campanha
da populaco. 0 que já se sabe rnorando aqui e por aiafora,até
cargo de Governador de Mato poltica no deixa nem a gente
é que a situacäo näo está chegarem no que mais interessava aos
Grosso do Sul, e que na época tomar uns aperitivos corn os
nada boa para as populacöes de baixa gatunos. NCimero da conta bancâria.
dirigia a Secretaria de amigos Mas eu you deixar aqul
renda, principalrn&te aquela que vive A pessoa que estava sendo entrevistada
entrega para eles dois tales de cheques Transportes daquele Estado, umas cervejas pagas prà voces
na periferia. Esta faixa da cidadania
pediu urna carona ao tornarern em rneu lugar. Mas,
está submetida constantemente a todos buscando facilitar o trabaiho dos
extrovertido ernpresário näo se esquecarn, dia 15 eu
os tipos de violéncia, desde o recenceadores. Os caras tiram de cada iguacuensse Antonio Bordin, conto corn voCés.
econôrnico,que se manifesta através de talo urna folha, copiarn a assinatura do W Foz do lguacu, de onde Cheriagatte saiu, entrou
salârios humilhantes e alto custo de Bergamasco, terrninarn de preencher os pegaria urn aviäo para o Mato Tolentinho:
vida,afe'o cultural corn o choque de forrnulârios e se rnandarn para Santa Grosso. - Companheiros, gostaria
cultura do forte do pals e a desta Terezinha, Vão ao Banco e sacarn JS pronto para rurnarern para de tornar urnas pingas corn
regio do sul. Cr$ 60.000,00. Foz, Bordin, sern saber quern vocês mas no posso. Não tenho
Dentro do ponto de vista Quando o fazendeiro se deu conta era o seu convidado de viagem, dinheiro pra beber nem pra
antropológico se notará 0 surgimentO de que fora vftirna de falsos salu corn esta: fazer campanha. Por isso you
de urn novo homem - tenso, subnutrido, recenceadores,já era tarde. Deu parte - Olha aqui, nôs vamos dar uns bicos aqui nessa
cultivando subcultura e portanto na Delegacia e ate hoje nada foi fazer urnas maquinac6es ai' para cervejinha de vocês.
propenso 'a v ioléncia, que seria sua resolvido. Mas ele diz que espera construirrnos essa estrada Tomou a cerveja e os votos.
linguagem, sua forma de reaço. ganhar urna acäo que está rnovendo ligando Paraná e Santa Catarina. Foi o mais votado na regiäo.
Varnos portanto esperar Os dados contra o Banco, pois a assinatura Mato Grosso que se f( )da.
do IBGE para fazer urn estudo mais falsificada no era sua. Marcelo Miranda desceu
precisO. Este fato foi a nota rara no trabaiho e disse que naquele carro ele
FALSOS RECENSEADORES do censo em Foz,que transcorreu não vinha. E no veio.
EM SANTA TEREZINHA normal mente gracas'a esforcada equipe
do IBGE e a colaboracäo da
Apareceram em urn Fiat branco, populacäo.
Outra do Tolentino. 0
candidato fazia campanha na
Traga urn novo zona rural e entrou na casa de
urn lavrador.
- O,comadre, como vai
cl/ma para dentro do a senhora? Ainda faz daquele
doce de abôbora maravilhoso?
seu automável... Eta ainda fazia. 0 candidato
corneu e ficou corn uma dor
de barriga desgraçada. Conta-se
que ele parou uma porção de
RVINU4 nW1 duo gno,t.3
vezes na beira da estrada pré
dd fazer as necessidades.
d dd
I
cl
- R e g i s t r a m o s aqul Os
* PO44C04.
/=r-_.\ t===\
'-
nossos cumprimentos
J - a equipe do jornal
Nosso Tempo
que passa, a partir
esintaa
...
de hoje, a fazer parte do
sua v/dade dia-a-dia da nossa
próx/rna de você. comunidade

GeLauLo
AR CONOIC/ONADO PAPA AUTOS
Av. Prosidente Juscelino Kubutschek, 1959 BR 469 - km 1,5
T&efones: (0455) 73-4832 - 73-4783 - 734793
Cx. Postal 514 -85.890- FOZ DO IGUACU PR EI
Av. Jusce/ino Kubitschek, 1295
Foz do lguaçu, Nosso
19 de 03 a 10 de Dezembro de 1980 tempo
AINEFICACIA DOS PREFEITOS NOMEADOS
A Câmara Municipal de Santos, Säo dois vereadores afirmararn para o "Nosso adrninistracäo local, pals as nomeac6es,
Paulo, tomou a iniciativa de desenvolver Tempo" que "é preciso acabar de uma "longe de atenderem aos interesses da
urna campanha nacional organizada pela vez por todas corn esses interventores. cornunidade, recaern, quase sempre, em
aboliçao do que é considerado uma Eles trazern uma série de problemas, tanto pessoas estranhas,
"excrescência polrtica" par parte dos politicisos coma econOmicos, porque desconhecedoras dos problemas
vereadores daquele municfpio, que é a säo nomeades pessoas que näo tern municipais que, par favor governarnental,
questo dos prefeitos norneados Contato corn os municipes, n 5 convivem ..., iräo administrar".
("bionicos"). Santos é urn desses conosco e no sabern quais säo as ...
No Oeste do Paranâ, apontam Os
municipios, coma é também Foz do verdadeiros ariselos da comunidade. 'I..
I..
I..
vereadores - "corn alguma honrosa
lguaçu. Além do mais, acreditamos que todas I.. excesso, se lastirnam vozes rnais
Reun Ida em 16 de outubro deste ano, essas cidades devem ter seus auténticas de sua sociedade, pelos
as vereadores de Santos decidiram representantes eleitos livre e cons tantes desacertos a que so
promover urn Sirnpôsio Naiconal Pro- democraticarnente" submetidos, cassados que säo pela Lei,
Autonomia das cidades impedidas de 0 vereador Evandro Teixeira, além de dos instrumentos punitivos que a regra
eleiçöes diretas em Areas de Segurança urn documeno em que critica sob irnpöe ocomo medida coibidora de
Nacional e capitals, e marcaram para os todas as formas isso que considera urn abusos administrativos.
dias 28, 29, e 30 de novembro sua "intervencionismo inaceitável", apresentou Denunciarn ainda que as prefeitos
realizaço, onde cada delegaçäo também urn trabalho para exposico oral nomeados costumam desrespeitar as
apresentarja trabalhos sobre "autonornia no Simpósio sobre a lei que criou as leis inpunemente, uma vez que eles
polI'tica, economica e financeira dos ditas "Areas de Seguranca Nacional': esto praticamente
municipios", segundo circular enviada Pode haver pontos de atrito e imunizados contra a responsabi I idade
a todas as câmaras municipais onde as discordància entre as vereadores de Foz par seus atos. A medida em que ocupam
prefeitos não säo eleitos, mas norneados do lguacu, mas nessa questo, he urn cargos de confiança do governador e do
por ato da Presidencia da Repüblica após consenso entre todos: säo invariavelrnente Reconhecem que "par si sO, a presidente da Repiblica, seus desmandos
indicaco pelos governadores estaduals. contra a continuaçäo da norneacäo de declaraco do Municrpio coma area de so acobertados, estäo acima da
Prepararam a Simpôsio as Càrnaras prefeitos. No se definern, oorém, contra interesse da Segurança Nacional nao vigilancia do Legislativo e nunca as
Muncicipais de Cubato, Paulinea, a existéncia das "Areas de Seguranca impede a livre exercicho de sua autoridades que os nomearam se dispöe
Castilho e Säo Sebastio1 com o objetivo Nacional", embora no se conheca autonarnia constitucional" e vêem a a puni-los ou afastá-los.
expresso de fazer voltara "autonornia bern coma urn municl'pio pode ser inclusäo do Municipio nessas areas coma irregularidades administrativas, como
todos os municipios brasileiros". de seguranca enquento outro é fator de benéfica. 0 que näo aceitam é a manda a Lei.
Sendo Foz do lguacu urna dessas inseguranca. norneaçäo do prefeito. "Nos insurgimos, - "No Acreditamos que a nomeaco
areas de "seguranca nacional", a Câmara DIST0RAO DAS LEIS e a fazemos cam a experincia de quem de prefeitos seja fator eficiente de
local foi convidads. a participar do "Coma nos demais municpios do vive na poli'tica desde a criaçäo dessas manutençäo da ordem. Ao contrário,
Seminário, tendo sido enviados a Santos Brash, sofremos em Foz do IguKu as Areas de Segurança , contra a nomeaçäo gera o descontentarnento pblico" -
Os vereadores Evandro Stelle Teixeira consequncias diversas da distorcäo das feita pelo governador e referendada pelo insistern Teixeira e Freire. Par isso,
(PDS) e Francisco Foltrane Freire leis existentes", diz a documento levado presidente da RepCiblica". "propamos o pedido as autoridades
(PMDB). a Santos par Evandro Teixeira e "E nos insurgimos contra essa medida constituidas do Pals, a revisäo dos
Teixeira e Freire levaram para a Francisco Freite. ", porém, a pela sua demonstrada ineficécia coma dispositivos constitucionais e legais
Simpósio urn documento antes submetido amputaçO de membros de nossa instrumentos de coibiço de abusos" que determinam a nomeaçäo de
a apreciaco dos seus colegas de mandato. autonomia, motivo deste conclave, a que afirmam. Consideram as vereadores prefeitos fazendo retornar a essas
Antes de partirem para Säo Paulo, as mais gera problemas", acrescentam. "funestos" os efeitos para a comunas a autonornia" - concluem.

M111MMUI RLM A liberdade de


Arte e expressão, fator
estilo em fundamental no
móveis desenvolvimento
de uma comuna
Ala
Iprova do
desenvolvimento de
A AL nossa cidade.
Saudamos a chegada
do jornal
Nosso tempo
acreditando que
ele seja porta-voz
Export a ç.ão de nossos anseios
A. Almirante Barroso, 1237
Fone 742570
Vendas Para o Brasil /BU/DOR
MENEGHETTI DE
R. Almirante Barroso. Ed. Metro pole ALIMENTOS LTDA.
Fone 74-2310 Av. Iguaçu, 660
FOZ DO -PR.
t
Nosso Foz do Iguacu,
te'ITIpOde 03 a 10 de Dezembro de 1980 -. 20

POLICIA
ACUSADA
DEROUBO
DECARROS
Par que essa fila de carros
inteiramente depenados no patio - -
.
da Delegacia de Foz do tguaçu? A
fopto aqui publicada náo mostra
nem a metade dos carros neste
estadona6°SDP. -
A maioria desses carros, pelo
seu estado de decomposicaO,ateS-
tam estarem là ha muito tempo. São
carros roubados, cujo dana não fol
encontrado, Ou sequestrados aos
contrabrandtaSe traficantes de . .

Não e entretanto certo que

Ora, a usa dos carros nessas lguacu, estariam envolvidos nurna em Santa Helena, 30 mil cruzeiros
se, ao menos preservar urn condiçoesepurameflteilegal' certa indüstriadocarroroubado. por carro "resgatado".
princlpio de econornia e dar uma
Finalmente, uma pergunta se- A revelacão causou grande
destinaco 0tH a esses carros. As suspeitas e os boatos vem mal-estar entre as autoridades e na
Ao que se sabe, a obrigacão da faz oportuna: Quem levou motores,
de muito tempo, e agora adquirem mesma sessão a prefeito de Media-
Policia e entregar Os carros apreen- pecas e acessórios dos carros da
Delegacia? 0 que foi feito deles? contornos bern niticios corn a neira. Luiz Bonato, requereu a Casa
didos par irregularidades várias e denuncia do prefeito. que enviasse expediente a todos os
näo resgatados pelos proprietários, Quem mandou ? Quem permitlu?
Quem lucrou corn SSO? E, par juizes da comarca corn a flnalidade
a Receita Federal, e esta, por sua ultimo. quern vai ser penalizado par Os policiais. de acordo corn de tevantar o nUrnero exato de
vez, deve proceder a leilOes declaracoes do prefeito, estanam carros roubados nos 22 rnunicipios
periôdicos para liberar esse entulho essevandalismo?
0 prefeito de Santa Helena, ligados a quadrithas de ladroes que da micro-região".
de carros e mercadorias que simplesmente fariam desaparecer SO em Cascavel, de 10 a 12 de
circulam ilegalmente. Naudé Pedro Prates, deriunciou. du-
rante urna reuniäo da Associação Os carros par determinado tempo, novembro passado, foram
Conta-se que a Policia de Foz quando então entram em cena OS registradas 216 queixas junto a ib
teria adotado o método de dos Municipios do Oeste do Paraná,
"emprestar" carros apreendidos segundo a que elementos da 6a policiais que devolvem os carros. SDP referentes a carros roubados,
Subdivisão Policial de Foz do For este serviço estar am cobrando dos quais a Polica r ecuperou 141
hnm stado oara seus amigos.

a 000rtunidade em que este portentoso


MunicIplo é obsequlado corn mais UM
velculo decornunicação de massas, 0 jornal
Nosso Tempo, congratulamo-nos corn seus
ilustr e sciirigentes, em oarticular, e corn o
nossos munIcipes, de urn mbdo geral, pela feliz idéla,
almejando que os seus mais caros objetivos sejarn
piena m e n t e coroacios ce exito, em prol ca nossa
I

pujante comunidade e do seu crescednte desenvolvimento.

Foz do Iguacu,
em 26 de novembro de 1980
Eng° CIóvis CunhaVianna
RAE F E I T 0 MUNICIPAL

16friturn ±lluniripal hr Fn 1n 111iru


ESTADO DO PARANA
No0
21
Foz do lyuacu,
de 03 a lOde Dezembro de 1980 teii'iO

exportaçOes
CACEX PRORROGA PARA
10. DE FEVEREIRO A
OBRIGA TOR/EDADE DE
EXPORTAR EM DOLARES

Dentro da preocupaco do Governo raguaios näo tinharn dólares disponveis


corn o equilibrio da balanca comercial, no mercado para realizarern a operacäo
a Cecex (Carteira de Comércio Externo) de cámbio. Por outro lado, as
do Banco do Brash, surpreendeu os em- diferentes taxas de cárnbio, ou a
presários de Foz do lguacu dedicados a
exportacão, enviando urn telex do Rio
de Janeiro a filial do Banco em Foz do
diferente cotaco do dólar nos dois
paises, faria corn que os cornpradores
tivessem urn prejui'zo de 15 por cento em
AA
lguacu no dia 18 de novembro.
O Telex encontrou os funciondrios
da entidade e os exportadores completa-
suas cornpras - explica o presidente da
ACIFI.
Corn essas dificuldades, no podia
co
mente desprevinido para adotarem abru- ocorrer outra coisa senäo 0 que acon-
ptarnente a sistemtica da exportacäo
em dólares, no mais em cruzeiros.
teceu: a paralisac5o quase total dos
negócios por 5 dias, quando entäo, 4- LU

y
1
Antes de tudo, constata-se uma após intensas negociaçôes corn as au-
alta de born senso das autoridades que, toridades, os exportadores foram aten- O JORNAL
improvisadamente obrigaram a mudanca didos em sua reivindicaçäo justa, viável NOSSO TEMPO"
de urn dia para outro, sem dar tempo e necessaria do adiamento da implan-
para urn reestruturaçäo. Pior: a deter- taco da nova sister-nat ica. VEM PREENCHER
minacäo foi feita por simples comunica- A rnaioria dos exportadores nunca UM ESPA CO
do, através de urn instrumento insufi- havia cornercializado em dólares - e a
ciente para tornar obrigatório o seu Cacex devia saber disso, pois recebe NA IMPRENSA
cumprirnento - o telex. No entanto, o toda a docurnentacao que mostra como PA RA NA ENSE.
cornunicado recebido no dia 18 de-- ninguém tern prática nessa operacäo.
terminava a adocäo da nova sisterná- "Ninguém sabia como vender e como AFINAL,UM
tica já no dia seguinte. lrnposs(vel comprar", diz Wadis Benvenutti, ressal- JORNAL
cumprir urna ordem assim. vando que existe legislaco para a ex-
Todos os envolvidos corn exportaçães portacao em dOlares, rnas que, embo- DES VINCULADO
para o Paraguai e Bolvia (ambito de ra a ignorância não justifica o no cum- DOPODER
alcance da medida) ficararn desorien- primento da Lei, é preciso urn aprendi-
tados e imobilizados entre a impossi- zado para poder faze-b. PARA EXERCITAR
bilidade frsica de introduzir a mudan- GRAVES PREJUIZOS A VERDADEIRA
ça repentina. 0 movirnento de exportaçäo em Foz
0 resultado foi a paralizacão por do bguaçu atinge entre 200 e 250 mil LIBERDADE
5 dias de quase todas as exportacôes de dólares diários, informa Wadis; corn a DE IMPRENSA
Foz do lguaçu para o Paraguai. Mat vi- parabizacäo de 5 dias as exportadores
nharn os empresärios do setor se recom- em conjunto, deixaram de movimentar
pondo dos prejui'zos causados pelo fe- cerca de 1 milhäo de dólares - Além dis-
charnento da fronteira pot 15 dias,por so, Wadis julga que os importadores pa-
ocasiçäo do assassinato do ex-ditador raguaios, desprevenidos e des.abituados
da Nicaragua, Anastácio Somoza, ern ao comércio em dólares, näo tinham
Assuncao, ha pouco rnais de urn rnés, acesso fãcil a essas importáncias. Essa
agora se virarn as voltas corn novo en-
trave. A ameaça de faléncia pairava so-
falta, por sua vez, podia provocar uma
especubaçâo abtamente perigosa para
NA coND/cAo DE
bre muitas ernpresas. Era necessário
mobilizar a classe para sustar a aplicaço
a estabtidade de preços. Se bern que o
dObar seria negociado aos precos do REPRESENTANTE DO POVO
imediata da deterrninaçäo de so expor- cârnbio ouiciab, o desespero em busca
tar em dólares.
A Associaçäo Cornercia e Industrial
de moeda certamente provocaria a on-
da especulativa.
NA CA MA RA MUNICIPAL
de Foz do lguacu (ACIFI) assumiu Diante dessas dif iculdades, clara-
prontamente a defesa dos exportadores rnente levadas as autoridades, consegui- DE VEREADORES,
e, através de seu presidente, Wadis V. ram dernover a Cacex de sua deter mina-
Benvenutti, ernpreendeu urna rapida e
eficiente mobilizaço para conseguir
çâo. No dia 25 óttimo, novo telex da-
quele Orgo chegava a Foz do tguacu ESPERO QUE 0
junto as autoridades do Governo e do dando conta de que o prazo para o
Banco do Brasil a modificacâo da medi-
da.
incio das operacôes em dólares fora LANAMENTO D07VOSSO TEMPO"
prorrogado para o dia 24 de dezembro.
Wadis Benvenutti diz que apóia a
rnedida, mas no poderia aceitá-la na
NO dia seguinte, porém, novo cornuni-
cado prorrogava o prazo para o dia lo. SEJA RECEB/DO
forma improvisada como foi irnposta. de fevereiro de 81.
"Uma mudanca dessa natureza é corn-
plexa; é riecessário Certo tempo para a
Reconfortado, o presidente da
ACIFI acredita que ate aquela data é
PELA COMUN/DADE COM 0
reestruturacäo necessãria ao novo mode-
to de opera co, pois os dois sistemas de
possivel negociar uma irnplantaçao gra-
dual . para evitar uma solucäo de con- MESMO ENTUS/ASMO QUE
comércio exterior (em cruzeiros e em tinuidade. A ACIFI, juntarnente corn OS
dólares) diferem profundamente. Desde
a origern da mercadoria adquirida junto
empresarios, propôe que Os estoques'
compracbos para serem vendidos em cru-
AN/MA A EQU/PE DO JORNAL
ao fabricante, ha condicionamentos zeiros, sejam cornercializados em cruzet-
legais e toda uma estrutura que preci- ros - mesmo porque as compras feitas
sa de cer-to tempo para ser assimilada em cruzeiros vém corn o IPI cobrado, a
e praticada" - afirma Wadis. "Não Se que nao acontece quando a cornpra e
pode mudar as regras do jogo corn o feita em dolares junto aos tome-

Alberto Koelbi
barco andando", acrescenta. cedores. Mais: em 5 de janeiro entrará
Urna d iferenca significativa consis- em vigor a resoluco niimero 31/80. da
te em que, quando é feita em cruzeiros, Cacex, que crou a Declaraço de Expor-
a compra irnplica em pagamento do taco (DE) em substituiçäo a Guia de
IPI, enquanto a compra em dolares é Exportaçäo (GE). Dar ate 10. de feve- VEREA DO R
isenta desse imposto. reiro haverá tempo para uma adapta-
Havia entraves burocráticos e falta ço, espera Wadis, o que no seria
de conhecirnentos para acatar a deter- possvel dentro da primeira deterrnina-
minaçäo. Adernais. os compradores pa- ço vinda da Cacex.
rosso Foz do lguacu,
22
tenIpO de 03 a 10 de Dezembro de 1980

CvE*C *

I
0 CASCA VEL £ CAMPEAQ, APESAR DE BORBA FILHO
No ijltimo domingo aconteceU o que jogo, o tOcnico, que já tinha queimado nejar uma cilada contra a Cascavel, a-
ninguém teria imaginado quando come- a regra 3, colocou o Cascavel numa pes- brindo assirn uma chance para a Con-
cou o Campeonato Estadual de Fute- sima situaco: A partida foi suspensa, tiba preencher a vaga na Taca de Ouro
bol: 0 Cascavel Esporte Clube, surpreen- deu a vitória ao Colorado, sagrou assim e, o que é mais sensrvel, Borba FlIho,
dendo o Brasil inteiro, sagrou-se cam- mesmo o Cascavel como campeäo ao corn isso, estaria garantindo sua vaga
peäo estadual, corn direito a disputar mesmo tempo em que criou urn grave como técnico daquele clube da capital.
a Taca de Ouro no próximo ano. A fa- problema para a próprio. E larnentável que tenha acontecido
canha se torna maior quando se sabe tanta balbOrdia no jogo decisivo. Mais
que é a primeira vez que aquele Clube Agora, depois de feita a festa pela con- grave seria se a Cascavel ficasse alijado
participa do CampeonatO - uma coisa quista , o clube ainda tern que aguardar da cornpetiçäo nacional. Os torcedores,
certamente inédita no Pai's. o pronunciamento da justiça desporti- porém, ainda confiam que as autoridades
Em sua Cjltima partida, o Cascavel va para ser sagrado campeão. Urn incô- esportivas näo väo corneter urna injus-
enfrentou o Colorado, de Curitiba, na modo que empana o brilho de toda tica tao grossa. Os rnOritas do time são
Vita Capanema, na capital do Estado. 0 urna campanha brilhante. suficientemente consagradores para
Cascavel já era considerado campeäo an- não ser jogado as tracas par aconteci-
tecipadamente porque tinha o major Mota Ribeiro, presidente da Fe- rnentos tão desagradáveis como os do
saldo de gols. 56 perderia o titulo se deracäo Paranaense de Futebol, decla- tiltimo domingo. Essa trama precisa
sofiesse uma derrota por diferenca de 5 rou a imprensa que, se fosse par ele, serapurada.
o Cascavel näo entraria na Taca de impossi'vel crer que a Federação
go s.
Como isso era considerado imposs(vel, Ouro, da CBF, no próxirno ano e nem não pense nessa torcida que espera tao
o técnico cascavelense resolveu faze; na Taça de Prata. Realmente, deve ser ansiosamente para comemorar a tiuIo
uma palhacada: Como no final do pri- difrcil para as curitibanos sentirern-se paranaense de 1980, como é inadmissi -
meiro tempo seu time estava perdendo rebaixados enquanto urn time do in- vet, para as torcedores, perder a vaga
por 2 x 0, Borba Filho, que por sinai terior ascende ao lugar qie sempre foi no Nacional. A magnilica campanha
o o técnico do Cortitiba, resolve entrar dos "grandes" da capital. cascavelense justifica essa ansiedade.
em campo apenas corn 7 jogadores no A partida inacabada vai pot a ques- Näo 0 justo que urna equipe pague
segundo tempo de jogo. Dois de seus tao do campeonato no tribunal e, con- par uma burrada de urn tOcnico sus-
forme a decisão ou dependendo do pra- peito.
j ogadores haviam sido expulsos no pri-
meirO tempo e a coisa prometia pre- zo da solução,a participacão do Cascavel Para aquela partida interiompida,
tear mais no segundo tempo. Orientado na próxima Taca de Ouro, e mesmo na o regularnento do futebol é clara: em
par Borba Filho, logo no reini'cio do de Prata, fica ameacada. caso de paralizacäo da partida antes de
jogo, o goleiro Zico,do Cascavel, que sar- Muitos torcedores culpam 0 que seu final, prevalece o resultado de 1 x 0
ra contundido na primeira etapa, "no qualificam de "péssima arbitragem no para o time que estiver completo em
aguenta" e caj no gramado donde é jogo decisivo, claramente posta contra o campo. Desse modo, o Cascavel teria
retirado para näo voltar. Cascavel e descaradamente decidida a perdido pelo escore de 1 x 0 e seria o
Corn insuficência de jogadores em favorecer o Colorado". Outros preferern carnpeão paranaense de 80, de fato e
campo para a continuidade regular do culpar Borba Filho, acusando-o de pla- de direito.

NESTE VERA 0
A MODA
ESTA NA
TOSCANA.

Mundo
csJ dos
• Parabenizarnoso pessoal da COPE
pela excelente quadra de esportes que
QUE CADA DIA DO ANO Esportes
construiu. Agradecernos as convites NOVO LEVE 0 TEMPO DE Somando pata a
divulgacJo do espc'rte
que fizerarn e podem apostar que na ___ "UM ANO", PARA VOCE
primeira oportunidade irernos fazer AS GANDFS MARCA
urna part idinha de futebol. VIVE-LO BEM MA IS, COM
• 0 que realmente nâo dá rnais para
aguentar são os torcedores do Grrnio
SCA A L EGRIA, A PAZ E A Penalty
Portoalegrense. So porque a tirnäo (seA) FEL IC/DADE DO TAMANHO Rain ha
vermelho resolveu dar urna chance, DESUA IMAGINAçAO.
Os gremistas näo pararn corn as
gabolices. Ta born. 0 Gauchão.o Inter
Atleta
deixa prá vocs. 0 negôcto do "Papai"
é papar titulos nacionais. Por falar
(óse9 (OSCAW SAO OS VOTOS DA Adidas
nisso, que glórias tern a Grémio fora
das froriteiras da Provrncia de S. Pedro1
TOSCANA BOUTIQUE Camoeã
I E no futebol de salão ? A SIGMA näo
perde urna partida. Uma dica para as Rua 'eooucas, (48
irileressados na bola pesada: Quem
quser perder uma partida, aceite
urn desafio do time da SIGMA. BOUTIQUEiOSCANA
• Estivemos visitando a Mundo dos (c
Esportes. Uma beleza. Os desportistas
AV. BRASIL, 1235
estäo obrigados, par urna questäo de
gosto, a visitar a Mundo dos Esportes.
1NOSO
23
Foz do lguacu,
de 03 a lOde Dezembro de 1980 lenipo
VETERANOS
Aconteceu no ültirno sbado, dia 29
Perguntar
No
de novembro, o ericerramento do Cam-
peonato dos Veteranos de Foz do lgua-
çu, corn os jogos disputados no Estdio
Guairacá. KIHItI()S()
Na partida inicial, oCERP venceu
a AABB por 5 x 1, gols marcados por
Jorge (1), Canteiro (2) e Lauro (2).
Corn esse reultado, o CERP conquis-
tou o 3o. lugar no Campeonato.
Esse foi o 3o. Campeonato da Ca-
tegoria em Foz do lguaçu. Seu carnpeo
foi o Coroas Clube, que venceu a equipe
do Vasco por 4 x 1. Os gols da vitória
foram marcados por Lücio, André,
Coroas Clube, o tin-do vencedor do 3o. Canipeonato dos Veteranos.
Romeu e Cláudio; pelo Vasco, Antonio
Fava rnarcou a gol de honra.
A equipe do Coroas Clube formou
corn Vi'tor, Santo, Umberto, André,
Dorli, Romeu, Lücio, Claudia, Auril-
nor e Roberto.
0 Vasco jogou corn Ubirajara, Na-
tali'cio, Edflio, Antonio, Pedro, Gerson,
Pedro Cruz, Fava, José e Nestor.
0 trio de arbitragem foi formado Ilk
por Onofre (juiz), Santa Cruz (bandei- jP

4k
ra vermelha) e Tamaris (bandeira amare- 11,1 1
Ia).

4v
Os magniicos troféus foram fornecidos
pela Cârnara Municipal, Prefeitura, Bebi-
das Mezzomo e Mundo dos Esportes.
Encerrando a Campeonato, vence-
dores e vencidos reunirarn-se para a fes-
ti
Este e o Vasco (náo o do Rio, clam), vice-campeão da categoria "comas
ii
O povo da cidade está curioso
para saber quem faz as convites
ta do chooD comemorativo.
para os fartos almoços as 4as.
feiras no lo. Batalhäo de
ç,,CJ
Fronteira. Ele (povo) tambérn
4 quer participar. Alguém sabe
inforrnar?

2
Todos nôs sabernos que a
Constituiçäo da Repiblica
Federativa do Brasil, nossa Lei
Major, afirma que
impöe-se a todas as autoridades
o respeito a integridade tisica e
moral do detento e do
presidiârio. Será que nossos
Agentes da Policia Federal
sabem disto7

PAPELARIA
3No Foz do Iguacu Country
Clube, ha longa data, entra
presidente, sai presidente, sern
que as associados tornem
conhecimento. Quando
dizemos associados, queremos
dizer os associados que no
integram o Conseiho do Clube.
Os associados 'boleros'. Estes
o MA IS COMPLETO no tomam conheciinno,
CENTRO DE COP/AS DO QESTE porque a Diretoria, pelos
Estatutos do Clubo, é escoihida
pelo Conselho
Deliberativo (Art. 134 •, § lOo.,
—Xerox 7000 - Redutora dos Estatutos).Näo seria tempo
de mudar-se Os Estatutos e dar
ao Sócio-Acionista, pelo menos,
—Xerox 3100 - A me/hor cópia seu sagrado direito de votar, na
escoiha de seu Presidente'

—Hello gräfica L EMA C


modelo 2520 (600 m2 p/ hora) 4
Os suiriocultores brasileiros
encontram-Se numa situaçäo
desesperadora. E-i MAI0/80
—Gravador elerrônico de stencil Gestetner dquiriam rnilho a Cr$ 250,00
a saca e vendiam o porco
—Mirneôgrafo elEtrico Gestetner CrS 40.00 00 kilb. HOJE,
comprarn a milho a CrS 650,00
e vendem a porco a Cr$ 48,00.
No seria o caso de mudar-se,
EM NOVAS INS TALAc0ES colocando-se as porcos para
planejar e Os responsáveis para
Av.Brasil, 805 - Fone 74-2166 outro lugar?
NOO Foz do Iguaçu,
IenTLpO de 03 a 10 de Dezembro de 1980
prielários estabelecidos naquea neste sentido.
cidade
NT - Por que a senhor não se fez NT- Pot que a EMBRATUR não tern
presenfe no seminário sobre (uris- uma agen
mo realizado em Foz do Iguaçu no da em Foz do Iguacu?
mêsdeagosto? COLASSLJONO - Como não pode
criar uma agen da em tOdas as
COLASSUONO - 0 mes de agosto cidades turisticas do Brazil, a
foi-me completamente loado em
funçao dos preparatrvos para 0 EMBRATUR abriu escritórios reglo-
Iancarnento do Programa Novos
nais. Para cuidar dos assuntos refe-
rentes a Foz do Iguacu e As de-
PortOes de Entrada do Norte e Nor-
deste em Nova lorque e da reaza- mais cidades do Paraná e de toda a
Regiao Sul do Brasil, está funcio-
ção do Encopntro Comercial de
Buenos Aires. Em relacão ao lança- nando urn :escritOrid em Porto
menlo de Novos PortOes, criterio- Alegre. Além disso, existe a
Delegacia Regional da EMBRATUR,
samente elaborado pela EMBRA-
que funciona em São Paulo.
TUR, houve a assinatura de urn
NT - Em Foz do lguaçu. muitas
convénio entre Os Ministérios da vezes, a turista é apenas explorado
Colassuono: a EMBRATUR não lndjstria e do Comércio e o da Aero- e pot isso d/ficilmente volta. Não ha
pode ter agências em todas as ci nãutica através da EMBRATUR e exploraçâo do (urismo mas do
dades turisticas. do Departamento de Avraçao Civil turista. Como inverter Ia! situaçäo?
(DAC) visando a reduzir as tarifas
Os empresários do ramo tu- aéreas . dos Estados Unidos e Euro- UOLASSLJQNO - E preciso que baja
ristico de Foz do lguacu espera- oa para as duas regiôes do Brasil. uma conscientizacao profissionai
ram em vão a presenca do presi- Também em agosto, foi organizado
e realizado o III Encontro Comercial do setor turislico, em qualquer ci-
dente da EMBRATUR, Miguel dade para que a exploracão tu-
de Buenos Aires, no qual a EMBRA-
Colassuono em agosto Ultimo, ristica nâo crie problemas para a ci-
TUR reuniu 300 empresários
quando da realização de urn se- brasileiros e argentinos ligados ao dade e para o prOprio visitante.
minário sobre turismo. setor turistico. A importância desse Afinal, quem dedica-se a atividade
Novamente ficaram frustrados encontro pode ser avaliada se con- em determinada região, deve cuidar
quando uma nova via gem de Co- siderarmos que ele deverá hazer para que o turista seja bern recebi-
lassuono a Foz, esperada para o 200 mil novos turistas do Cone Sul, do e não explorado. Urna vez errga-
ms de novembro,foi cancelada. gerando receita estirnada em 200 nado. dificilmente volta.
o pre.sidente da rnilhães de dólares em divisas para
EMBRATUR nâo vem a Foz do o Brasil. Dat a impossibilidade de NT - Que alternativas podriam set
'omparecer ao Seminário. adotadas para a turista permanecer
lguacu então o jornal NOSSO
TEMPO val ate ele consciente da NT - A EMBRATUR tern a/gum pro- ma/s tempQ'na regiâo?
necessidade de despertar aque- grama con/unto corn laipu no senli-
Jo de desenvolver pólos turist/cos COLASSUONO - Uma maior perma-
Ia entidade sobre o potencial tu- néncia no local depende do que a
ristico de nosso municlpio. 'a area do 'eservalOrio do hfdr'
'ca? iniciativa privada possa oferecer
A entre vista fol conseguida como atrativo aos turistas, cabendo
através de urn colaborador deste
COLASSUON( r Aé - aos órgão oficiais de turismo dar
n11i'; QC'r liu t-r-e'do
jornal no Rio de Janeiro. Algu-
mas das perguntas dirigidas ao
Sr. Colassuono s/rn plesmente
não foram respondidas, como as
referentes ao Par que Nacional Esperarnos que o
do lguacu, a possibi//dade de a
Prefe/tura de Foz do Iguacu
administrar o turismo nas jornal Nosso tempo
Cataratas pedágio. questöes
especificas em que Itaipu e registre corn isenção e
EMBRA TUR poderiarn con junta-
mente desenvolver projetos tu- irnparcialidade os fatos
rIsticos, o estado em que
está o Marco das Trés do dia-a-dia. Mais: que
Fronteiras... Outras perguntas
foram respondidas de modo eva- seja urn verdadeiro
S/Va. A constatação final torna
claro a isolarnento existente en- portavoz dos anseios da
tre o turismo em Foz do /guacu e
a Empresa Brasileira de NO' j.,u itMPO - L'ue prograrnas
Turismo. tern a EMBRA TUR em relaçáo a Foz população
Foz é o segundo pOlo do/guaçu7
wrist/co ma/s importante do Pals, COLASSUONO- Desde o ano pas- iguaçuense
este rnun/cip/o v/ ye assustado sado a EMBRATUR vemacelerando
corn as consequênc/as da era
o seu prograrna de descentrah-
zacâo de atribuiçOes, corn a inaIi-
pOs-construcão de Ita/pu; sente - dade de dotar as Orgaos oficiais de
se que a turismo continuará sen- turismo dos Estados de major mo-
do pot mu/to tempo o carro-- bilidade para atuar junto a infra--
chefe dos destinos do Municiplo estrutura turistica. Entre outras aIr I--
Tudo /sso levanta ide/as e preo- buiçôes destacamos 0 registro
cupaçdes. Elas devem se fazer classificacao e conroIe de Qualidae
sentir a/em dos I/mites deste re de hotels, Em todos estes casos, a
canto turist/co. Näo pode a atuaco da Paranatur é importanto
e eficaz, ficando aos seus cuidados
Embratur estar tao al/enäda em
todas estas atribuicoes Por outro
re/a çao a Foz do lguaçu tanto ado. colaborando corn o Governo farmacia
em vista das cond/ç6es atuais do Estado do Paranà, a EMBRATUR
como das que serão cond/c/ona- vern realizando cursos em Foz do
das pelo futuro reservatOrio de lguaçu destinados a contribuir para
It a/pu. o fortalecimento da pequena
0 Nosso Tempo nfl/a media empresas hoteleiras e dat
nesse debate logo em sua meihores condiôes para o
primeira adição, precisamente atendimento aos turistas. De'a telxeira
1977 passaram pelos cursos 45 pro
corn esta entre vista exciusiva
fissionais a nivel de gerência e cho
corn Miguel Colassuono. • fias T r odias de hote'., aem do prr-
Nosso
Foz do Iguacu,
de 03 a lOde Dezembro de 1980 tC1i1pO
seu apoio na implementaçèo e di-
vulgaçào dos projetos
NT Como eslb repercutindo no
tur/smo a presente cr/se as/Ieira CORRUPçAO NA EMBRATUR
COLASSUONO - Ha urn grande oti-
mismo na classe clue lida direta-
mente corn o turismo no Brasil. Isto A entrovista corn Colassuono, desonestidade comandada por Colas- Embrafur era contlé vol.
se deve principalmente ao apoio publicada aqui, diz pouco ou node suono.
que o Governo Federal, atravAs do qua entusiasme Foz do Iguaçu. Nes- Mario Ramos acusa a cfiação do Corn as manobras de Colassuon
Ministério da lndüstria e do se vazio está a importância da publi- no composiçao do sou quaaro do
cargos e fun çöes, confrataçöes do
Comércio, vem dando a iniciativa cação, pots dimensiona bern em que assessores evidencla-so uma Clara in
nivel està este Municipio tratado pela projetos sem a necessária licita cáo
privada e, basicamente ao tripe ten cáo politico •elitoreira, distribuin-
Embra fur. junto so Conselho Nacional do Turis- do cargos a seus correligionérlos nas
hotel atia-transportador es-agent es d Ademais, o qua so podoria mo 80 qua! a Embratur està subor- diversas regiöes do Pals.
viagens que vem acompanhando a esperar de mats este órgao püblico dinada. Alérn disso, não é fácil saber do quo
evolucão do mercado rnundial do tu- federal enlameado pals epidemia da 0 relato do Ramos mostra o grau se ocupa o presidents da Embra fur
rlsn)o. Em relacao ao Brasil, em ter- corrup cáo? do pormissividade reinante no ompre- pars não ter tempo do pass, mals qua
mos de turismo receptivo, gerador 0 lornal "0 Estado de São so através de alguns casos dos qua is sets horas pot somana em seu
de divisas, a situaçao é de norma- Paulo" do dia 23 ültimo traça urn tern proves, e permits porceber local do trabaiho no Rio de Janeiro,
lidade e podemos dizer, ate, de perf ii do "seriedade" e do "honestida- segundo Mario Ramos. Estaria Colas-
quanta coisa podro he pare set apu-
euforia, uma vez que o turismo. em do" quo tomou conta dessa Empresa
desde quo o ox-pro feito de São Paulo redo. Antes do demitir•se, onviou so suono fazendo turismo ole prOprio so
1979, alcancou a meta de 1 1 7 assumlu a presidéncia da entidade. presidents da entidade urn vasto invés do promover o turismo? Ou
milhOes de dOlares, clue estava pre Quom faz as denuncias so "Esta questionário pedindo escIarecimen estaria simplesmente fazendo cam-
vista para 1981. Recebemos mars dão" e o Sr. Mario ramos, ex-diret or los sobre a condu cáo dos nogócios, panho politics andando do urn lado
de 1 milhão de turistas estrangeiros de Planejarnonto da entidade, quo não recebendo resposta. Para outro eQ mosmo tempo em que
e o setor passou de quinto para o pedlu dernissão depois do so sentir Mas o qua Mario Ramos sabe 6 realize negôcios escusos.
tereceiro lugar na pauta das expor- mar ginalizado den tro do sue fun cáo e suliciente Para causer decepção em Nem é preciso voltar a là pUblica
taçOes, logo apOs o café e a mine! in depots do onvergonharse diante da todos os quo pensavam quo a e notória negoeiata dos hotels
de ferro. "Quatro Rodas", envolvendo o Grupo
NI - Näo e viävel urn convênio da Abril, ou a concorrência Para o
EMBRATUR, ou da Prefeitura de "Brasil Travel Mart", bone ficiando urn
Foz, ou do IBDF corn a Itaipu ox-assessor seu. Agora sabe-se mais
Binacional no sent/do de cr/at--urn qua não é so o presidents do Embra
zoolOgico no parque para salvar a tur quo não cumpre o seu dover, e que
fauna exputsa pelo futuro lago da hi- o chafe do escritôrio de Brasilia vive
drelétrica e outra da região, passi- permanontemente no Rio, enquanto o
vel de ser diversificada futuranen- diretor do invest imontos é mantido
te? em São Paulo he 4 moses as custas
COLASSUONO - 0 assunto foge da da Embra fur.
alcada da EMBRATUR e mesmo do Outra acusacao revels quo 0 Ot-
Ministéric da lndüstria e di Corner- çamento do Embratur começou a ser
cio, ao qual a Empresa esta manipulado aereamenfe, sem respel.
tar-se o orcamento aprovado".
subordinada, pois tratando-se de afirmar Mérlo Ramos. "R.t!rav.-se
zoológico numa reserva, as entendi- dinhoiro aqul e jogava•se pars 16, sem
mentos corkvém partir do Ministério satislaeção nenh urns, Colassuono
da Agricultung corn a Itaipu Binacio- recolheu arbitrarlamente todos os
nal.
NT - Por que Foz do Iguacu näo to
incluida no pro grama Novos
surgimente de urn recursos e colocou-o3 numa vala CO.
mum, não dando mats satlsfaçâo A
nlnguém.
Portöes de Enrada para a venda do
turismo bras/le/ro junto ao mercado
novo semanário Quanfo a cam pãnha "Portöes do
Nordeste", felts nos Estados Unldos
dos Estados Un/dos e Canadé e
tambérn no cardáp/o do Pro grarna local garante-nos a pars a trait os turlstas daquele pals,
Mario Ramos duvida do seriedade de
promoçao, achando quo ela tern urns
Brasil TurIstico?
COLASSUONO -0 Prograrna Novos
PortOes de Entrada do Norte e do
liberdade de fun cáo mals publicitérla e visual do
quo realrnente promover a vinda do

Nordeste loi criado visando a atrair


os turistas dos Estados Unidos e da
expressão e a divulgação turista norte-americano. A cam panha
cons umlu 1 milhSo do dôlares fll es
perança do urn retorno do 2 mllhO•s,
Europa em direção àquelas duas
regiôes do Brasil em funcao dos ideals de nossa o quo par.ce multo Improve vol.
Meis urn descalabro e represen-
da maior proximidade geográfica e
daipbter-se uma reicão conside-
ravel na tarifa aérea. Para Os tu-
comunidade. tado pot urn projoto do reforms
administrative encomendado pals
Embra fur a tis p. 0 trabalho, pago a
peso do ouro, rosultou em 4 ou
ristas norte-americanos, 0 roteiro volumes alnda hole abandonados
inioial abrange Manaus e Salvador porque in Weis. A mesma USP fol con
em excursães corn sete dias dedu- tratada pars realizar os estudos do
racäo. Mas para as eupeus,io programs "Portöos do Nordeste"...
entanto, a Programa oferece A final, a Ernbratur exists pars quê?
maiores opcaes porque tern a Essa contrataçao de serviços a
duracao de 14 dias, corn uma sema- terceiros parece tornar clara a Inton-
na em Recife e outra no Rio. Neste ção do Colassuono do buscar apenas
o favorecirnento do seus amigos ou
periodo serão oferecidas excursôes
opcionais. Assirn, por exerlo, fl cUmplices, là quo a própria empress
deveria ser capaz do roalizar seus
quem estiver no Rio poderã visitar
tarnbém São Paulo; Foz do Iguaçu,
as praias de Santa Catarina ou
cidades do Rio Grande W Sul.
AI E
M 16" 1 NALAA1 97, iTe
I
Rud Alinirante Barroso, 763 - Fone.' 74-3058 - Foz do Iguacu - Paraná
prôprios projetoS.
Ainda do acordo corn o relato do
Mario Ramos so "Estadão", uma
recente publicacao of icial do Embra-
fur continha uma palestra do Miguel
Colassuono e sua biografia,
contando so final oue ole gosta do Ca-
OCIL rogramacão Dezembr valos, apesar do seu esporle lavorito
ser o motociclismo.
Org i n zaCào Não bastasse lsso, Ramos
(.ontabji Iguacu Lraa
*Dja 12: Noite da Marinha adverts quo o CNTUR, "ôrgáo mais
importanto do setor, nAo tern a mi-
Contratos
Deciardcão de corn a cantora Janaina nima estru furs do funcionamenfo.
Enfim, conclui-se quo, apesar do
imposto de Renda
Con abilidade tan geral *Dia 19: Nelson Gonçalves Foz do lguacu for todos os direitos de
morecer apoio e ajuda do Embratur, 6
talvez preferivel tomar iniciativas lo-
Ed. Center Foz- Salas 5,6,7
*Dja 31: Reveillon cais ë conjuntas pare fazer frento as
realidades presentos e futures. Segu-
Fonte 74-2259 corn a Banda do Canecão ramonto, é muito pouco confortàvel
for urn aliado tao corrompido.
N OO Foz do lguacu,
1.ef11pO de 03 a 10 de Dezembro de 1980 26

cobrar da firma pela qual trabaiha. Se do INAMPS de Foz do lguacu. Alegou prxima legislatura 15vereadores. -
EST 41O NOS 0 gastO fol de 500 cruzeriros, pagase
nota de 1.000 crzuzeiros para embolsar
0 vereador que foi procurado por
populares que pediram providencia no
Como os maridatos foram prorrogados,
fica a pergurita: os primeiros seis
ENG,F 1 1IJ DO \j A 500.
E agora, Josh? E agora, você?
sentido de melhorar o atendimento.
Dobrandino entrou na fila do INAMPS
suplentes assumiriarn os cargos por urn
mandato de dois anos?
Se for verdade o que andou falando Outro detalhe quanto a prorrogacäo
e no foi atendido. Foi, ento,
o deputado federal Alceu Colares (POT dos mandatos: a mesa diretora da
queixar-se ao responsâvel pelo órgäo,
RS), a enrascada em que estamos não Câmara continua a mesma ou haverá
dizendo que iria denunciar o fato as nova elei ç o?
está muito bern avaliada. Ele jurou que autoridades competentes. A resposta
a divida externa do Brash näo é nada
do que estäo falando. Ela seria mais ou
,
-
do "home" do INAMPS: Pode
denunciar, Pois de nada vai adiantar.
'LJ',J ACABAR
menos a metade da propalada pelo
Governo e, portanto, se isso for
Bronqueado, Dobrandino pediu que a
Cãmara envasse expediente a direco
1A,1 VI AjVLA1TP1
verdade, ha urna jogada satinico dos
uti ii3
i 1 4O V IJO. '_"-. J .!''
/ - do ôrgäo denunciando as falhas. DO CHEQUE
divida externa é de 60 milhöes de
dólares, quando na verdade seria
ATE GIZ FRIO
apenas de uns 30 rnilhöes. Os outros
30 eles iriam embotsar. Parece que é VEREADOR PRECISA De acordo corn a nova legislacäo que
entra em vigor no dia lo. de janeiro, os
isso.
ENTROU ORDEM DO cheques no aceito pela cornpensaco
teräo urna multa de CrS 1.500.00. Apôs
Outra do Colares: Os gastos corn o
petroleo importado näo so nada do
que o Governo anda chorarningando. A NA FILA TIDrIr seis cheques devolvidos o cliente terá
a sua conta encerrada,seu nome
contará da lista do SPC- Servico de
jogada, do petróleo seria a mesma da
di'vida. E como atguém que vai corner no DO INAMPS Protecäo ao Crédito
Para combater o cheque sem fundo
restaurante e pega uma nota de Dobrandino Gustavo da Silva teceu e valorizar o uso de cheques, o governo
consurno superior ao real para depois severas criticas ao atendimento medico resolveu adotar urna campanha
publicitária a nfvel nacional. Por isso,
vocé deverá ver na TV, no radio, nos
jornais e revistas campanhas deste tipo:
"Cheque sem fundo: quern avisa amigo
é", ou "Na conta con junta ele sacou
de manh'e ela a tarde, o saldo fol e
AP LA U DI MOS 0 LAN AM E NTO eles ficaram dois anos sern conta".
Todos os anCincios teräo como
fechamento a frase: "Cheque é
DO JORNAL "NOSSO TEMPO". Nos meios politicos cornenta-se que
para a Inspetoria de Ensino conseguir
prá valer". 0 custo da campanha
publicitária: 300 rnilhöes de cruzeiros.
ELE VEM PREENCHER UM giz em Curitiba precisa antes passar
pelo crivo do deputado Tércio
AT6 que näo é muito, levando-se em
conta que no Brasil so emitidos

VAZIO NA IMPRENSA DE Albuquerque. Se o negôcio for


veridico, está registrada mais urna
diariarnente 46 mil cheques sem fundo,

FOZ DO IGUAU E REGIAO. banalidade dos charnados "comandos


politicos".

A COMUNIDADE ESPERA STA.


UM JORNAL QUE LUTE AO TEREZINHA
SEU LADO. 0 POVO PRECISA DESPR EZADA
Aldivo Wegner, vereador eleito por
DE UMA IMPRENSA QUE LHE DE Santa Terezinha, criticou o Executivo
Municipal, alegando que as suas
VEZ E VOZ. TEMOS A CERTEZA reivincJicacöes não foram atendidas
neste ano. Aldivo disse que se

DE QUE 0 "NOSSO TEMPO" houvesse eteiçöes hoje, certamente


a Oposico iria fazer o representante
por aquela distrito. "Se alguma coisa
SABERA CUMPRIR ESTA MISSAO. de grandiosa e importante foi
construido, foi as custas do sacrificio
da prépria cornunidade, pois näo
podemos contar corn o Executivo
Municipal, dado 0 seu desprezo e

SEVERINO desrespeito por Santa Terezinha,


apesar da grande contribuiço que
JUIZ NAO
damos aos cofres ptblicos. CONFIA
SACOMORI SUPLENTES NA POLICIA
EMPRESARIO
ASSUMI RAO CIVIL
Corn o aurnento do nimero de Para a prisao do "Tio Grando", o
eleitores, Foz do lguacu teria na juiz Joâo Kopytowski pediu auxilio a
Foz do lguacu,
Noso
de 03 a 10 de Dezembro de 1980 tEniTlP0
27 ,
Pol(c ia Federal. No caso da nvestigacão como alugar patrimonlO pCiblico, sem
do desaparecimento do garoto "Mique" antes fazer urna licitaçäo e concorrnca . f
(que cuiminou corn a morte de urn dos publica Cuidado corn isso, porque - • .•
funcionários do circo), idem. Ambas
as ocorréncias eram da competéncia da
no estamos aqui para esconder
falcatruas de ninguém.
•1..
. I.
Polrcia Civil. Será que o juiz no confia • •
na Policia Civil? 'Explicaçbes, please. '•
Como V Sawo 3dital de . 41
TERCIOLEVOU concorréncla para alugar urn imôvel
de urn certo ôrgo muito assustador,
na Av. Brash, esquina corn a Rua
- -. -

LIMA M( )JADA Edrnundo de Barros. 0 objetivo i:anico


eia criar urn estacionarnento no
•, a'
tj

DO terereno vazio e esse objetivo iá


estava no prOprio edttal de -
I
I..
,

GOVERNADOR concorrncia. Mas a picaretagern já


chegou ao local. Os "protegidos"
. I , - •

Circula nos meios politicos em -


Curitiba que o deputado Tércio
estäo construindo barracas para
comercializar moambas varlas. Sequer • ,,, .
I
Albuquerque teria levado uma
tremenda regadak governador Ney
Braga. Tudo porque Tércio fez urn
colocaram placas indicativas dos
responsaveis pela construco.
Olha al, senhor presidente e
d.e- 14-wil"
custico pronunciamento descendo o senhores vereadores. Vo deixar passar . I
sarrafo no prefeito (? ) de Medianeira, esa picaretagem? £
Luiz "donatário" Bonata, Ney teria
chamado Tercio e dito:
- Desde o comeco vocé tern me "A TAIPA
criado problemas. Eu no y ou tirar
alguém que é de dentro de minha casa. DA Weirich deve estar pedindo que tirern
Se vocé quiser, pode abandonar o PDS.
I NJUSTI cA'1 BADERNA NA o seu nornea Travessa Cristiano Weirich.
que a bagunca está demais: lixo do

CHUNCHO Nesta semana devera ocorrer o CRISTIANO restaurante Coluna, traias e bugigangas
da construcäo das Lojas Americanas e

COM IMOVEL lançamento do livro do Juvéncio,"A


Taipa da In justica' corn urn pau WEIRICH
outras "coisitasrnás". Como é, gente?
Se näo obdecem as norrnas da
Prefeitu ra ,varnos respel tar, pelo menos,
A CODEFI ja pode fazer transaçôes grosso contra Itaipu. 0 autor, ao lançar
La no ceu 0 falecido Cristiario a alma do seu Cristiano.
seu prirneiro Iivro, disse que no

CONCU RSO: prornoverâ a noite de autOgrafos porque


acha isso uma frescura, Mas ele jurou
ATRAPALHARAM A SESSAO
0 PIOR rogar urna praga a quem no adquirir
o seu "bookzinho' Por estarem conversando urn pouco Benvenutti que se retirarssem do

R ESTAU RANTE VEREADOR ES alto durante os trabalhos legislativos


da sesso do dia 11, o presidente da
plenérho e fossem acabar de discurtir
o assunto no Gabinete da Presidencia.
Em certos Restaurantes e Lanchone
Lanchonetes da cidade é comum ver-se
BIONICOS Càmara, Aguineto Fávero Haus,
solicitou a Alberto Koebel e Wadis
Ordem da Casa.

corn frequência as mais incriveis 0 ültimo dia 15 de novembro era


cenas dando conta de que a saüde da de eleiçOes municipais. Mas elas
pUblica està funcionando a todo foram jogadas là prá 82. Dernocracia
vapor. Por esse motivo nOs vamos é prá essas coisas, né Fig?
elaborar urn pleito Para escolher a Pois e, agora os prefeitos e vereadores Camara Municipal
lanchonete e restaurante mais porco da de todo o Pals passaram a condiçäo
cidzde. Para isso basta vocce fazer urn de biOnicos, uma vez que eles näo
no quadrinho d que achar que foram votados pelo povo para ficarem de oz do Jguaçu
merece o "honroso" titulo: mais dois anos no cargo.
LANCHONETE MAtS IMUNDA DA Senhoras e senhores bionicOes,
CIDADE. Pois, a fãcil você ver: renunciem e cornecern fazer voltar a Estado do Paraná
• o garçom metendo o dedo na decéncia neste Pals. S.
meleca do nariz e depois fazer belos
sanduiches.
- garçons pegando em dinheiro e
depois em comida.
ADO
Garçons cocando o Iolô e, logo
em seguida, sem lavar as moes, servir PORTUGUES SAUDO, EM NOME
comida.
• Os banheiros, entäo, so umas
Todas as semanas, nesta secão,
publicaremos duas piadas. Envie
DA CAMARA MUNICIPAL
gracinhas. 0 sujeito que entrar e
conseguir fazer suas necessidades
colaboraçöes e ganhe urn pirulito. DE FOZ DO IGUAQU,
fisiolOgicas tern que ganhar urn premlo.
Se alguérn colocar um posto de venda
dem mascaras em qualquer destes
O brasileiro ganhou na esportiva
e foi curtir umas férias em Portugal 0 NASCIMENTO DO JORNAL
(que mau gosto. so ). Em Lisboa,
e restaurantes, fica rico logo.
cozinheira ranhenta fazendo
corneçou a torrar grana pra todo lado,
ate que urn portugues, dono de urn
"0 NOSSO TEMPO", AUGURANDO
corn ida.
garcorn enfiando a manga da
restaurante, pediu a ele:
- O, meu chapa, já faz dias que eu
UMA LONGA E
camisa dentro da panela de sopa.
- copeiro abrindo uma garrafa e
passando o mo no bico da mesrna.
vejo voc e esbanjando dinheiro... Voce
nao trabalha, como é que vive? PROVEITOSA JORNADA NO
- lh, seu Joaquim (portugues ou
- cabelos em rnoscas dentro da
comida.
e Joaquirn ou é Manoel), IS no Brasil
a gente encontra dinheiro na rua.
CAMPO DA COMUNIDADE.
- Ah e? Ento you Para là.
Escreva o norne de 3 restaurantes ou E o portugus vendeu o restaurante
lanchonetes pela ordem de
emporcaiharnento, recorte e mande-nos.
comprou uma passagem ( o dinheiro deu
Para vir no poräo do navio BEN VINDO
descascando batatas) e veio Para o
Brasil.
Desnbarcou no Porto de
Paranáguá e, apOs andar algumas
quadras, encontrou uma valise cheia de
AGUINELLO FAVERO HAUS
dinheiro. Tudo nota de mu. 0
Joaquim olhou Para a valise, deu urn
PRESIDENTE
chute Para cima epensou:
- Vou corneçar a juntar amanhä
porque hoje estou muito cansado.
ENTREVISTA COM

mw
r5 r5i V.
..


ç
Y--^

F in,
Seu Sebasto,
1

urn

I
dos compradores de lote frio.
PAGINA 13. A(RI(1JI TORPR 1)(PIII SrIS nA TPRPA - PiI1JA P

lu PAGINAS 26 e 27