Você está na página 1de 10
‘CAP{TULO I ORIENTAGOES TEORICAS DA PESQUISA. 1. DESCRICAO DO QUADRO TEORICO DA PESQUISA: ENUNCIADO, FORMULAGAO, DISCURSO 1.1 O ntvez po exuncapo: DescHICKO Do INTERDISCURSO DE UMA FD 10 e saber. Diremos que & no interdi de FD ¢ de formagd que nio podeln Ele reali (0 conjunto mentos que! ¢ fundamentalment 109 Anilse do discurso politico can, mas seinscreve ett diversas FD como Hn front gue reais qazio dos jogos da lta ideologica, nas transformagbes da se desloca mentos do saber préprio a uma FD. ‘minar, no desenvolvimento b) O dominio de atualidade 1to de sequéncias discursivas que coexistem determinada: as sequéncias discur istdncia do FE formado por um conjun' com a sdr em uma conjuntura historica sivas agrupadas num dominio de atualidade acontecimento. A inscrigao do aconteciment suas relacdes o efeito de uma lembranga ou de uma refuragao im formulagées presentes em sequéncias discursivas que se respondem, © aspecto “dialogado” da constituigo num dominio de atvalidade a sequéncias discursivas que se citam, se respondem ou se refutam, N39 ee deixar esquecer que a produgito de efeitos de atualidade & a0 mes? emp se inscrevem na in: 0 dos enunciados confere as de Orientagées teéricas da pesquisa 13 uma resultante do desenvolvimento processual dos efeitos de meméria que a irrupgao do acontecimento, no interior de uma conjuntura, reatualiza (0 que tentamos mostrar anteriormente). ©) 0 dominio de antecipaao Compreende um conjunto de sequéncias discursivas que sucedem 4 sdr, no sentido em que certas formulagées que esta tiltima organiza em seu intradiscurso entretém, em relagéo a formulagdes determinadas no domi- nio de antecipagao, relagdes interpretaveis como efeitos de antecipagao. ‘A constituigdo de um dominio de antecipagio na forma de um corpus discursivo responde as seguintes preocupagdes: (1) acentuar o carater necessariamente aberto da relagao que uma sdr produzida em cp determinadas mantém com seu exterior no seio de um processo. Se existe um sempre-jé do discurso, pode-se acrescentar que se terd ai um sempre-aindas (2) nao marcar assim o término pelo processo discursivo; (3) preservar a possibilidade, deixando em branco 0 dominio de antecipacdo num plano de constituigdo de corpus discursivo, de fazer da construgao de um corpus a finalidade de uma AD; assim, poder-se-a tentar, a partir dos resultados obtidos no trabalho de andlise da relagdo de uma sdr com seu dominio de meméria, visar a construgio de um dominio de antecipasio (voltaremos a esse ponto no § 4.2). As nogdes introduzidas anteriormente o foram de maneira puramente definitéria, O capitulo IV ser4 consagrado 4 sua exemplificago, por oca- sido da constituigéo do dominio de meméria do corpus da pesquisa. Essas nogdes, por outro lado, nao tém outro estatuto sendo 0 empirico: elas s6 pretendem fornecer quadro empirico que permita mostrar, num corpus dis- cursivo, o interdiscurso como instancia de constituigao do enunciado em redes de formulages empiricamente determindveis. Restard elaborar teoricamente a articulagdo que todo processo dis- cursivo entretém com uma meméria, uma atualidade € uma antecipagio. ce 114 Anilise do discurso| ssa elaborasto nos parece uma questio importants Para & AD, tanto no estudo que ela pode pretender dos processos ideoldgicos que o discurso setico manifesta como raquele do processo de produsio dos cones mentos cientificos: 0 que representa em uma conjuntura histérica, em que posta a questo que Perse dt caracterizagio de um corte epistertoldgico ~ é, com efeito, uma tensio