Você está na página 1de 4

Processo de Seleção

Objetivo
O processo de seleção de empresas tem como objetivo escolher, dentre as
candidatas, aquelas com maior potencial de sucesso. Apesar da aparente
simplicidade, o processo de seleção é altamente complexo, principalmente, porque,
nesse caso, o conceito de sucesso é relativo.

Cada incubadora possui suas especificidades, as quais são decorrentes das decisões
tomadas durante a modelagem e o planejamento da incubadora (consulte a área
Planejamento e Implantação de Incubadoras). Dentre estas decisões pode-se
destacar a definição dos parceiros, da missão, da visão, dos objetivos, do foco, do
modelo e do propósito da incubadora.

Dentro deste contexto, o processo de seleção deve estar em sintonia com o


ambiente interno e externo da incubadora. Adicionalmente, é importante que o
processo de seleção permita a escolha de empresas que contribuam para melhorar
os indicadores que serão utilizados para avaliar o desempenho da incubadora (ver a
área Avaliação da Incubadora).

Fatores Críticos
Para que o processo de seleção possa resultar na escolha de empresas de
qualidade, é importante garantir uma boa demanda, ou seja, ampliar o número de
empresas-candidata. Quanto maior o número de empresas que participam do
processo de seleção, maior a probabilidade de se selecionar empresas com maiores
probabilidades de sucesso.

Nesse sentido, a equipe de gestão deve implementar ações que resultem na


divulgação da incubadora junto à comunidade como um todo e, em particular, aos
candidatos em potencial (ver guia Gestão de Marketing e Relações Públicas).
Adicionalmente, devem ser implementadas ações que permitam a prospecção de
empresas/empreendedores para participarem do processo de seleção (ver guia
Prospecção de Novos Empreendedores).

Na elaboração do processo de seleção, pode-se destacar três aspectos críticos:

1. a definição dos critérios,


2. definição das fases
3. definição dos profissionais envolvidos:

1. Definição de Critérios: conforme ressaltado, a escolha dos critérios de seleção


deve levar em consideração as características e o sistema de avaliação de
desempenho da incubadora. Neste sentido, deve-se levar em consideração, no
mínimo, os seguintes aspectos:
• Estágio dos Empreendimentos: é importante definir claramente qual é o
estágio a partir do qual um empreendimento será aceito na incubadora.
Algumas perguntas precisam ser respondidas:
o O empreendimento precisa estar constituído juridicamente?
o É necessário que o empreendimento possua um Plano de Negócios?
o O empreendimento já deve estar comercializando seus produtos?
o O produto precisa estar concluído?
o O empreendimento pode ser um departamento/divisão de uma
empresa já constituída?
• Propósito da Incubadora: a definição do propósito da incubadora (ver guia
Definição do Propósito da Incubadora) condiciona e direciona a definição dos
critérios de seleção. Se a incubadora possui fins lucrativos, por exemplo, há
uma tendência de privilegiar aqueles empreendimentos com maior
probabilidade de retorno financeiro. No caso de incubadoras sem fins
lucrativos, dependendo de sua missão e objetivos, os resultados sociais do
empreendimento podem ser mais importantes.
• Foco da Incubadora: normalmente, a adequação do empreendimento ao
foco de atuação da incubadora (ver guia Definição do Foco da Incubadora) é
avaliada nas primeiras fases do processo de seleção. Se a incubadora apóia
empreendimentos de base tecnológica, propostas que não se enquadram
devem ser eliminadas do processo.
• Parceiros da Incubadora: é importante que os critérios de seleção possam
garantir a escolha de empresas que auxiliem os parceiros da incubadora
atingir seus objetivos. Nesse sentido, deve-se avaliar o que é importante
para os parceiros da incubadora:
o Número de empregos gerados?
o Inovações tecnológicas?
o Nível de faturamento do empreendimento?
o Sintonia com determinado(s) setor(es) econômicos?
Torna-se importante ressaltar que os objetivos dos parceiros condicionam os
critérios de seleção, mas não os determinam.
• Missão, visão e objetivos: é importante avaliarmos as questões envolvidas
na missão, visão e objetivos da incubadora de forma a criar critérios que
contribuam para a seleção de empresas "sintonizadas" com a incubadora.
Geralmente, essas informações influenciam todos os critérios utilizados na
seleção e condicionam o perfil do empreendimento a ser apoiado:
o Geração de inovações tecnológicas?
o Geração de empregos?
o Lucro para a incubadora?
o Diversificação econômica?
o Recuperação de um dado setor econômico?
o Consolidação de um dado arranjo produtivo?
• Características do Empreendimento: deve-se definir critérios que permitam
avaliar, no mínimo:
o Viabilidade do Empreendimento: independente do foco da
incubadora, deve-se avaliar a capacidade do empreendimento em se
desenvolver de forma consistente e sustentada. Alguns critérios que
podem ser utilizados são:
o Viabilidade econômico-financeira: deve-e avaliar se o volume de recursos
necessários são condizentes com o quantidade de recursos
disponibilizada pelos empreendedores ou que podem ser obtidas de
terceiros. Adicionalmente, deve-se avaliar, dentre outros aspectos, o
tempo necessário para o retorno do investimento, a taxa de retorno e o
nível de lucratividade.
o Viabilidade Técnica: é importante avaliar se a tecnologia necessária ao
desenvolvimento do produto está disponível e/ou se pode ser
desenvolvida pelos empreendedores.
o Grau de Inovação: em que medida o processo/produto proposta difere
das soluções existentes atualmente?
o Capacidade da Equipe: é importante avaliar se a equipe proponente
possui a experiência e conhecimento necessários para o desenvolvimento
do produto/ serviço. Nesse sentido, é essencial que se avalie se a equipe
possui um perfil empreendedor, o que é um fator crítico para o sucesso
do empreendimento. Isso pode ser feito através de entrevistas com
psicólogos ou da realização de jogos e dinâmicas.
o Impacto sobre a Sociedade: os empreendimentos incubados devem
contribuir para a melhoria da sociedade como um todo. Para isso, deve-
se avaliar:
o Impactos Tecnológicos: este critério avalia a contribuição do
empreendimento em termos de atualização tecnológica das
empresa/comunidade (ver guia Benefícios Tecnológicos).
o Impactos Sociais: potencial do empreendimento em melhorar a
qualidade de vida da sociedade como um todo (ver guia Benefícios
Sociais).
o Impactos Econômicos: este critério avalia a contribuição do
empreendimento para o desenvolvimento da região/país onde está
localizado. Nesse sentido, deve-se avaliar, dentre outros aspectos, o
potencial para:
o Geração de empregos;
o Nível de faturamento anual;
o Potencial de exportação;
o Potencial de geração de impostos.
o Impactos Ambientais: dependendo do foco de atuação da incubadora, os
impactos ambientais dos empreendimentos passam a ser muito
importantes. É preciso avaliar o grau de "agressão" ao meio ambiente
provocado pelo processo, produto e ou subprodutos do novo
empreendimento.

2. Definição das Fases do Processo de Seleção: é importante


planejar um processo com crescente grau de seletividade. Para isso,
deve-se prever fases preliminares, onde os empreendimentos são
avaliados quanto à sintonia com as características da incubadora, e
fases específicas para a avaliação do mérito/qualidade do
empreendimento. Algumas questões importantes são:

• Avaliação Preliminar: é importante que o processo de seleção


contenha uma fase inicial que faça a escolha daqueles
empreendimentos mais bem sintonizados com as características da
incubadora;
• Capacitação: o processo de seleção incluirá curso para preparação
dos empreendedores;
• Entrevista: é essencial que seja prevista uma fase na qual a equipe
de gestão da incubadora (ou um profissional por ela designado)
possa ter um contato pessoal com os empreendedores;
• Comissão de Avaliação: o envolvimento de diferentes profissionais é
essencial para o sucesso do processo de seleção. Assim, deve-se
prever uma fase de avaliação/ apresentação do
empreendimento/empreendedores por profissionais externos à
incubadora.

3. Profissionais Envolvidos: é muito importante que os empreendimentos sejam


avaliados a partir de diferentes pontos de vista. Em termos gerais, podemos dividir
estes pontos de vista em quatro grupos:
• Academia: inclui os pesquisadores e professores que têm conhecimento na
área de atuação/tecnologia focada pela empresa.
• Mercado: envolve a participação de empresários, capitalistas de risco,
profissionais de marketing, os quais avaliam o empreendimento a partir de
uma visão de negócios.
• Governo e instituições de fomento: garantem uma visão "macro" do
processo de seleção, avaliando os impactos do empreendimento sobre a
sociedade como um todo.
• Representante da Equipe de Gestão da Incubadora: garante a integração
entre as diferentes visões envolvidas.
Responsáveis
Gestores da Incubadora

Indicadores e Metas
Número de empresas-candidata; Percentual de seleção/fase e Variabilidade das
avaliações.

Resultados
O resultado final esperado é a seleção de empresas com alta probabilidade de
sucesso. Em termos do processo de seleção em si, espera-se uma redução
na subjetividade e uma sistematização de todo o processo.