Você está na página 1de 22

Parasitologia

Conceitos Gerais
Mutualismo

 É a associação entre indivíduos de espécies diferentes


na qual ambos se beneficiam. Esse tipo de associação é
tão íntima, que a sobrevivência dos seres que a formam
torna-se impossível, quando são separados.

 Ex: Cupins ou térmitas e protozoários Tryconinpha

Simbiose

Associação entre indivíduos de espécies diferentes, não


importando o tipo de relação entre eles
Forésia

É a associação entre indivíduos de espécies


diferentes em que um se utiliza do outro para
transporte, sem prejudicá-lo.

Rêmora ou peixe-piolho no
tubarão

Transporte de sementes
por pássaros e insetos.
Comensalismo

 É a associação entre indivíduos de espécies diferentes


na qual um deles aproveita os restos alimentares do
outro sem prejudicá-lo. 0 animal que aproveita os
restos alimentares é denominado comensal.

 Ex: Peixe-piolho e tubarão/ Hiena e leão / Escherichia


coli e intestino
Parasitismo

“Parasitismo é toda relação ecológica,


desenvolvida entre indivíduos de espécies
diferentes, em que se observa, além de
associação íntima e duradoura, uma
dependência metabólica de grau variável de um
com o outro, a ponto de prejudicá-lo.”

Ex: Ancilostomideos
Adaptações
parasitárias

 Órgãos de fixação:
ventosas, cápsulas
bucais, dentes, etc.

 Aparelho reprodutor

 Membranas

 Morfologia

 Aparelho de
locomoção
Especificidade Parasitária

Parasitas obrigatórios: Parasitas facultativos:

aqueles que são incapazes de aqueles que podem viver


viver fora do hospedeiro parasitando ou não, um
EX: Schistosoma mansoni hospedeiro e neste caso
quando não estão parasitando
são chamados de vida livre
EX: Naegleria fowleri -
meningoencefalite
Especificidade Parasitária

Parasitas eurixenos –
aqueles que habitam
vários tipos de
hospedeiro

Parasitas estenoxenos –
aqueles que se restringem
apenas a um tipo de
hospedeiro
Ciclo Biológico

Parasita monoxeno – aquele


que faz todo o seu ciclo de
desenvolvimento dentro do
mesmo hospedeiro

Parasita heteroxeno –
aquele que faz uma
passagem obrigatória por
dois ou mais hospedeiros,
sempre na mesma
seqüência e na mesma
fase.
Ciclo Biológico
Hospedeiro
definitivo – aquele
Hospedeiro intermediário
que alberga a fase
– aquele que alberga os
adulta do parasita
estágios larvários ou as
ou as formas
formas juvenis
sexuadas
Ciclo Biológico

Vetor
(1) Vetor mecânico = Transmissor
mecânico onde o parasito nem
sofre modificação e nem se
reproduz (rato, baratoa,
mosquito)

(2) Vetor biológico = transmissor


no qual o parasita se multiplica
e se desenvolve ( Anopheles)
Ciclo Biológico

Agente

É um organismo patogênico que


dependendo da sua virulência e
patogenicidade pode causar
uma patologia de menor ou maior
gravidade
 Zoonose

 Doenças e infecções que são naturalmente transmitidas


entre homens e animais vertebrados (Toxoplasmose,
Leishmaniose)

 Zooantroponose

 Doença primária no homem, que pode ser transmitidas aos


animais (Esquistossomose mansônica)
 Antroponose

 Doenças exclusivamente humana (Filariose bancroftiana,


necatorose)

 Antropozoonose

 Doenças primária em animais que podem ser transmitidas


ao homem (Brucelose – homem é um hospedeiro
acidental)
Reino Protista – Sub-reino Protozoa
Organismos unicelulares eucariotos
Reino Animalia – Sub-reino Metazoa
 Célula eucariota

 Cinetoplasto
 Corpúsculo basal
 Reservatório
 Lisossoma
 Aparelho de Golgi
 Retículo endoplasmático liso e
rugoso
 Mitocôndria
 Microtúbulos
 Flagelos, cílios e pseudópodes
 Axonema
 Citóstoma
Taxonomia
Categorias Usadas em sistemática, segundo o
Comitê de Sistemática e Evolução da Sociedade
de Protozoologia, 1980.)

Exemplos
Categoria Sufixos
Protozoário Helminto
REINO ... Protista Animalia
SUB-REINO -a Protozoa Metazoa
FILO -a Sarcomastigophora Platyhelminthes
SUBFILO -a Sarcodina Platoda
SUPERCLASSE -a Rhizopoda Acercomermorpha
CLASSE -ea Labosea Digenea
SUBCLASSE -ia Gymnamoebia Prosostomata
SUPERORDEM -idea - Fasciolidea
ORDEM -Ida Amoebida Schistosomatida
SUBORDEM -ina Tubulina Schistosomatina
SUPERFAMÍLIA -oidea - Schistosomatoidea
FAMÍLIA -idae Entamoebidae Schistosomatidae
SUBFAMÍLIA -inae - Schistossomatinae
GÊNERO ... Entamoeba Schitosoma
ESPÉCIE ... E. histolytica S. mansoni
Interação parasito hospedeiro
Susceptibilidade

Quando um parasito pode desenvolver-se no


organismo de certo hospedeiro, diz-se que
este é susceptível ao parasito
Fatores Determinantes

 Circunstâncias geográficas e
ecológicas

 Hábitos nutricionais

 Barreiras orgânicas e fisiológicas


O parasitismo configura sempre um quadro
de equilíbrio ecológico sem o qual ou a
espécie hospedeira ou seus parasitos seriam
eliminados
Resistência

A resistência é a resposta fisiológica desenvolvida pelo

hospedeiro, em função de um contato anterior ou atual com

espécies parasitárias, de tal maneira que impede ou limita a

implantação do parasita, sua sobrevivência ou sua

multiplicação exagerada
Poder patogênico dos parasitas
 É muito variável e depende dos seguintes fatores :

 espécie do parasita
 número de parasitas
 condições de resistência e imunidade do hospedeiro
 estado nutricional do hospedeiro
 localizações atípicas (não habituais)