Você está na página 1de 3

C.E.M.

COQUINHO
DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSORA: DANIELA SOARES
SÉRIE: FASE III
ALUNO(A):_______________________________________________________________

ALUNO(A):_______________________________________________________________

ATIVIDADE AVALIATIVA

A alimentação na Modernidade
Globalizando novos alimentos e hábitos à mesa

(Retirado de: http://www.planetaeducacao.com.br/novo/artigo.asp?artigo=659)

“A época chamada Moderna engloba os séculos XVI, XVII e XVIII. Tinha como características
demográficas a vida no campo de aproximadamente 80 a 90% das populações européias do período. A
população européia na modernidade cresceu de 80 para 180 milhões de habitantes. Isso acarretou uma
diminuição no consumo de carne e aumento no de pão.

A agricultura e a criação de animais eram, portanto, suas principais atividades econômicas. Devido à
rudimentaridade das técnicas agrícolas utilizadas até então a produtividade era baixa o que ocasionava
grande instabilidade quanto ao rendimento das colheitas. Isso ocasionava ciclos de fome, casos freqüentes
de desnutrição, epidemias e altas taxas de mortalidade.

As bases da modernidade começaram a ser definidas a partir das Cruzadas, dos renascimentos comercial e
urbano e da queda de Constantinopla.Também contribuíram decisivamente para o advento da
modernidade os investimentos de vários povos (como os portugueses, os espanhóis e os ingleses) na
conquista dos mares.

A expansão marítima tinha como objetivos iniciais a criação de novas rotas que permitissem aos europeus
superar o monopólio comercial exercido pelos árabes e pelas cidades italianas em relação ao Mar
Mediterrâneo. Esse movimento permitiu não apenas a conquista efetiva de rotas já conhecidas dos
europeus, como o trajeto ligando o Mediterrâneo ao Mar do Norte, mas também a ligação por via
marítima, através do cabo da boa esperança com os continentes africano e asiático.

Os investimentos na expansão marítima também permitiram aos europeus o aperfeiçoamento das técnicas
náuticas (com a incorporação de instrumentos como o astrolábio, a bússola e o quadrante, que
anteriormente eram utilizados somente pelos árabes) e a chegada às terras do Novo Continente, a América.
Todo esse intenso intercâmbio trouxe para o contexto mundial uma prematura globalização e, como
conseqüência disso, a alteração dos hábitos alimentares de todos os povos e países.

Durante a Modernidade, há de se ressaltar que ocorreram outros importantes eventos históricos que
contribuíram para a alteração da cultura européia e mundial. Esses acontecimentos também promoveram
modificações na alimentação. Entre eles podemos mencionar a Reforma Protestante, o surgimento da
Imprensa, o Renascimento Científico e Cultural e a Revolução Gloriosa na Inglaterra.
Inicialmente os europeus transpuseram os mares rumo à África e a Ásia, continentes por eles conhecidos,
atrás de especiarias, tapeçarias, perfumes, tecidos e outras mercadorias produzidas nessas localidades. As
especiarias compunham um conjunto de produtos de valor inestimável para os europeus ao final da Idade
Média em virtude de suas propriedades como conservantes, remédios e, evidentemente, temperos.

A concepção de alta gastronomia é erigida com a ascensão de monarcas absolutistas que empreendiam
regularmente grandes festas e banquetes e que, para ostentar riqueza e poder, consolidaram serviços,
hábitos e produções culinárias qualificadas que os distinguia do restante dos mortais. Esses hábitos foram
então sendo incorporados pela nobreza e, posteriormente, copiados pela ascendente burguesia.

Enquanto nos palácios as cortes desfrutavam de um notável aparato alimentar, aos camponeses e
trabalhadores urbanos restava uma alimentação muito mais simples. Há, evidentemente, diferenças claras
entre o que acontecia no campo e na cidade. Os habitantes da zona rural, por exemplo, ainda que atrelados
ao feudalismo, já podiam comprar e vender seus produtos em feiras próximas às terras onde viviam.

Servos e camponeses livres complementavam sua alimentação com frutos silvestres. A coleta era
considerada imprescindível em especial durante os meses mais frios do ano. Caça e pesca também eram
formas de obtenção de mais recursos para o abastecimento das necessidades familiares de um habitante do
campo. Isso acontecia porque essas pessoas ainda estavam submetidas ao pagamento de uma pesada carga
de tributos aos senhores feudais e a Igreja.

Os habitantes das cidades e vilas européias da Idade Moderna não tinham esse ônus das taxas feudais, no
entanto, dependiam de pagamentos ínfimos para conseguir se alimentar. Obtinham seus alimentos a partir
da compra nos mercados locais, em que regateavam melhores preços e adquiriam sempre os produtos
básicos para a manutenção de suas famílias, como os cereais, as hortaliças e, eventualmente, ovos,
laticínios ou carnes.

A cerveja era a bebida mais popular do período. Era consumida pelas camadas mais simples da população
e, também pelas mais abastadas. A nobreza, o clero e a burguesia, que representavam o equivalente a
apenas 8 ou 10% da população da época, preferia os vinhos e tinha poder de compra para adquirir esses
produtos. Entre os camponeses e os trabalhadores urbanos os vinhos eram raramente consumidos e, para
suprir essa ausência, era comum que fossem substituídos por variações baratas compostas a base de frutas
silvestres e/ou mel.

Durante a modernidade a afirmação da culinária e o amadurecimento da gastronomia entre os europeus


são também percebidas em virtude da revolução acontecida com o surgimento da imprensa, criada por
Johann Gutemberg. Entre os livros que passaram a ser editados no período constavam aqueles
relacionados à culinária, aos serviços/etiqueta na mesa e também, a relação entre alimentos e saúde.”

Após a leitura do texto, responda:

1- Como vivia a maior parte da população européia na chamada Idade Moderna?


2- Segundo o texto quais eram os objetivos da expansão marítima e o que foi de fato realizado?
3- Fale sobre as diferentes características alimentares (comida e bebida) da moderna sociedade
européia.
4- Sobre o texto “Globalização gastrômica”, responda:
A- Explique com suas palavras o título do texto.
B- Quais alimentos saíram da América e foram para a Europa?
C- Quais alimentos foram introduzidos na alimentação dos povos americanos?
FAÇA COM ATENÇÃO!!!