Você está na página 1de 3

Criando um coração puro - Parte I

por Rick Joyner*


28 de fevereiro de 2005

Como conversamos anteriormente, nas escrituras “a carne” é uma metáfora para a natureza carnal do homem caído que está
em oposição ao Espírito Santo. Os atributos dessa natureza carnal estão listados em Gálatas 5:17-21:

Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a sensualidade, a idolatria, a feitiçaria,
as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as
orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas
praticam não herdarão o reino de Deus.

É tão crucial que essa natureza básica seja superada pelos cristãos, que lemos no último verso acima que nós não herdaríamos
o Reino de Deus enquanto praticarmos essas coisas. A remoção dessa natureza é referida como nossa circuncisão espiritual,
que é a circuncisão do coração, como lemos em Romanos 2:27-29. Queremos dar uma olhada em cada um dessas obras da
carne e como elas devem ser arrancadas de nossas vidas. Após isso, iremos examinar como elas são substituídas pelo fruto do
Espírito, que é a natureza de Cristo. Esse é nosso alvo, não apenas para sairmos da trilha do mal, mas para encher de Deus
nossos corações.

A primeira obra da carne listada é ‘prostituição’. Isso inclui fornicação, que é ter relações sexuais fora do casamento, e adultério,
que é ter relações sexuais com alguém que não é seu cônjuge. Também inclui homossexualismo, que a Bíblia trata não apenas
como pecado, mas como perversão e abominação. Eles são pecados; são proibidos e sob nenhuma circunstância são
comportamentos aceitáveis para um cristão.

Isso significa que qualquer um que tenha caído em um desses não poderá herdar o Reino de Deus? Não. Há uma graça para
aqueles que tropeçam e o perdão do pecado se há arrependimento e uma busca pelo perdão de Deus através de Sua redenção.
Mas um caso diferente são aqueles que “praticam” essas coisas. Isso significa que alguém que peca continua e repetidamente,
não se arrependeu.

Uma segunda questão seria se um cristão que cai em casos repetidos ou um longo caso não poderia ser salvo em função de ter
praticado essas coisas. Essa é uma boa questão e por certo digna de ser examinada. Temos vários textos nas escrituras, mas
veremos Hebreus 6:4-6:

Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do
Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez
renovados para arrependimento; visto que, quanto a eles, estão crucificando de novo o Filho de Deus, e o expondo ao
vitupério.

Há obviamente uma linha que pode ser cruzada onde se torna impossível um renovo pelo arrependimento. Isso também implica
que se alguém ainda pode se arrepender é provável que não tenha cruzado essa linha.

A chave é se ainda pode se arrepender. Arrependimento é mais que um sentimento de pesar por comprometimento com o
pecado e é mais que pedir perdão – significa renúncia ao pecado e saída desse caminho, resolvendo não repetir o erro. Então
se alguém ainda pode se arrepender, ainda pode ser perdoada e ainda pode herdar o Reino de Deus.

Hebreus 3:13 diz:, “antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que
nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;”

O pecado endurece o coração para o arrependimento ou o faz mais duro para se arrepender. O pecado é também enganoso e
aqueles que o praticam, geralmente, se tornam tão enganados que não mais vêem como pecado e, portanto, não podem se
arrepender. Tenho testemunhado esse processo com muitos, mesmo com aqueles que têm uma unção extraordinária e são
usados poderosamente por Deus. Na verdade, parece que quanto mais unção você tem ao cair no pecado, mais rápido ainda
será o endurecimento e maior ainda o engano.

Conheço um homem muito ungido por Deus que se envolvido durante anos em relações homossexuais. Quando isso foi exposto
à profundidade do endurecimento do seu coração e o nível de ilusão era incrível. Todo ato homossexual foi praticado
repetidamente, mas como ele estava envolvido com apenas um parceiro por vez, ele se enfureceu quando ficou mesmo
entendido que ele era um homossexual! Ele começou a chamar seus atos pecaminosos de “sociedade” e a forma como ajudava
seus parceiros de “livrá-los de sua homofobia”.
Embora tenha esse homem admitido tudo quando foi confrontado com as evidências, há uma diferença entre admitir algo e se
arrepender. Ele foi um homem que ficou conhecido ao redor do mundo em função dos poderosos dons que operavam através
dele e seu conhecimento sobre o Espírito. No entanto, quando esse pecado foi exposto eu, sinceramente, nunca tinha
testemunhado um pensamento irracional maior do que o que veio deste homem. Nós nunca devemos subestimar o poder de
engano do pecado. Quanto maiores pensarmos estarmos no Senhor e quanto mais orgulho tiver nisso, mais vulneráveis
estaremos e adiante poderemos cair nisso.

Estou convencido de que a igreja hoje tem alguns dos maiores líderes que teve desde o primeiro século. Há grandes problemas
na igreja hoje, mas há também mais razões para se ter esperança. Tenho tido que lidar com situações muito feias na igreja, e
com alguns líderes, mas isso não tem servido para abalar minha fé em que irá se transformar enfim numa noiva sem mancha
nem ruga. À medida que formos examinando as obras da carne e o que elas nos levam a fazer, tenha em mente que nós
estamos indo em direção do fruto do Espírito e às grandes coisas estão acontecendo na igreja agora.

Precisamos ainda manter em mente Gálatas 6:1, “Irmãos, se um homem chegar a ser surpreendido em algum delito, vós
que sois espirituais corrigi o tal com espírito de mansidão; e olha por ti mesmo, para que também tu não sejas tentado“.
“Algum delito” cobre vários. Nós precisamos também ter como meta a restauração de cada um que caiu em qualquer pecado.
Como disse anteriormente, obviamente há uma linha que pode ser cruzada e é quando se torna impossível o arrependimento.
Contudo, em minha opinião, somente Deus pode saber quando isso aconteceu. Portanto, não obstante quão profundamente as
trevas estão naquele que caiu, minha decisão é esperar e orar por seu arrependimento e fazer o que puder para ajudá-los
enquanto o Senhor me dá graça. Tenho aprendido repetidamente que Sua graça e misericórdia alcançam muito mais além do
que a minha própria.

Para entendermos quão ilusório o pecado pode ser, compartilharei algumas das minhas próprias experiências. Aconteceu, uma
vez, de estar sobre um movimento que é muito grande e que aparenta ajudar a muitas pessoas, especialmente os pobres e
oprimidos. No entanto, os líderes criam que quanto mais ungido você for, mais concubinas você precisa, e o reivindicam porque
os reis Davi e Salomão tiveram tantas.

È claro que esse grupo afirma que somente os ‘maduros’ podem entender esse tipo de ‘revelação’, então isso não é falado
abertamente. O nível de imoralidade e perversão nesse movimento seria rival a qualquer culto. Esse engodo está tão escoado
em seus ensinamentos e práticas que eles podem agora ser um culto, renunciando ou pervertendo os princípios básicos da fé.
Minha impressão é que toda essa perversão começou com o líder caindo num ‘caso’, mas ao invés de se arrepender ele tentou
se justificar. Lembrando: o pecado é enganador e se você o pratica, serás enganado.

Conheço um grupo de atletas profissionais que têm desistido de ir à igreja por causa dos pastores que batem em suas mulheres.
O que esses pastores irão dizer ao Senhor no dia do julgamento por terem feito isso com Suas ovelhas?

Compartilho essas coisas aqui porque elas são tão comuns que acontece de muitas almas inocentes, na busca pelo Senhor,
algumas vezes caírem sobre esse tipo de tolice na igreja ou movimento. Se você o faz, fuja! Quando práticas estranhas
começarem a se manifestar num grupo, deixe-os o mais rápido que puder. Esses tais tentarão quase sempre te prender com um
espírito de controle, culpa e medos de que você estaria perdendo a vontade de Deus para sua vida, que você está “tocando no
ungido” ou outros jugos de escravidão. Não os ouça, não os tema e não os deixe te controlar – deixe-os o mais rápido que
puder. Não fique para tentar ajudar a outros. É muito improvável que você esteja capacitado a ajudar qualquer um, mas estará
pondo você e sua família em risco.

Esses são exemplos extremos que tenho visto naqueles que eu encaro como tendo uma unção extraordinária vinda do Senhor.
E quando o pecado entrou, os levou a uma ainda maior profundidade e extraordinário engano e perversão. Eu posso
compreender o porquê de, ao ver isso, alguns escolherem não querer liderar ou crescer na unção. Essa não é a resposta, senão
o diabo já venceu. A resposta é prestar atenção ao chamado de I Coríntios 10:12 : “Aquele, pois, que pensa estar em pé, olhe
não caia .“

Se começarmos a pensar que estamos sábios e fortes, no Senhor, o suficiente para não cair, a queda é inevitável. Orgulho foi a
causa da queda de satanás e é a raiz da maioria das quedas desde então. Parece haver um orgulho que cai sobre muitos que
são usados com grande unção, fazendo-os pensar que são, de alguma forma, especiais e podem estar livres dessas coisas por
causa da forma que Deus os usa. Isso é uma terrível presunção que o próprio Senhor Jesus mostrou em Mateus 7:21-23:

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está
nos céus.

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos
demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

A ilegalidade é o resultado da racionalização da Palavra de Deus. É a tendência torcer as regras quando há o interesse de
conseguir algo. Essa tendência é chamada de “astúcia” nas escrituras e foi o principal atributo usado para descrever o diabo no
Jardim. Uma vez que você entre pelo caminho de torção das regras, você abriu uma larga porta para satanás e ele irá entrar por
ela.

Muitos líderes cristãos me contam que quanto eu prego essas coisas um grane medo vem sobre eles. E de fato espero isso.
Espero que isso venha sobre cada um que lê isso, para seu bem. Precisamos de uma boa e saudável dose de temor do Senhor.
Como dito em Provérbios 9:10, “O temor do Senhor é o princípio sabedoria; e o conhecimento do Santo é o
entendimento” . Como dito em Provérbio 8:13, “O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba, e a arrogância, e o mau
caminho, e a boca perversa, eu os odeio.” “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria”, E aqueles que estão no
caminho da vida nunca o perdem. Entretanto, não é a maior forma de sabedoria – é o amor.

Nós devemos temer as conseqüências do pecado, entendendo que o juízo de Deus está vindo sobre o mundo por causa dessas
coisas. Entretanto, devemos odiar pecado ainda mais porque o que ele faz aO que amamos – e o que o pecado fez a Ele na
cruz, onde ele abriu caminho para nossa redenção. Como pode alguém que em verdade olhou para cruz não odiar aquilo que
causou tanta dor ao nosso Rei?

Por favor, re-leia o seguinte trecho das escrituras e cuidadosamente leia todas as citações da escritura. As escrituras são a
Palavra de Deus e de longe é poderosíssima para mudar-nos do que qualquer coisa que escrevamos. Se qualquer um desses
versos falar especialmente a você sobre fortalezas em sua vida, escreva-os em cartões e leia-os tão freqüentemente você
precisar para combater as tentações em sua vida. É fato que a Sua Palavra nos liberta!

Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.

Porquanto o que era impossível ã lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em
semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.

para que a justa exigência da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Pois os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as
coisas do Espírito.

Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.

Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita ã lei de Deus, nem em verdade o pode ser;

e os que estão na carne não podem agradar a Deus.

Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o
Espírito de Cristo, esse tal não é dele.

Ora, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da
justiça.

E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo
Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. (Romanos 8:2-11)

Acredite em mim, nós vamos alcançar alguns mais encorajadores e edificantes princípios de como nossos corações são
purificados e mudados, mas isso é necessário para entendermos que o pecado é caminho para morte. Se você quer viver, saia
do pecado, e vá para O único que é Vida. Ele nos dará Seu próprio Espírito Santo para nos livrarmos do jugo do pecado e viver
em retidão, santidade e verdade.

*Tradução autorizada: Jônatas C. Damasceno