Você está na página 1de 42

CALDEIRA DE

RECUPERAÇÃO
Índice

Objetivo

Licor negro
Regiões
Região de oxidação
Região de secagem e pirólise
Região de redução

Circuito de água e vapor


Índice

Circuito de água e vapor

Acessórios

Histórico das caldeiras de recuperação

Efeito da concentração de sólidos na performance da caldeira


Caldeira de Recuperação
• OBJETIVO

• Reator químico para produção de carbonato e


sulfeto de sódio através da redução do sulfato
de sódio;
• gerador de vapor como resultado do
aproveitamento energético da combustão,
oxidação, da matéria orgânica.
Caldeira de Recuperação
• Licor Negro
• região de oxidação
• secagem e pirólise
• região de redução
• Água e Vapor
• economizadores, tubulão
ou balão e parede d´água
• tubulão ou balão de vapor
e superaquecedores
Caldeira de Recuperação
Caldeira de Recuperação
• LICOR NEGRO

Existem três regiões distintas na caldeira;

• região de oxidação, queima de voláteis.

• região de secagem e pirólise;

• região de redução dos compostos inorgânicos e fusão


do leito (também chamada de camada).
Caldeira de Recuperação
Caldeira de Recuperação
Oxidação e queima de voláteis

• A região de oxidação localiza-se na parte


superior da fornalha, acima da pulverização do
licor.

• As principais reações nesta região são a de


oxidação do monóxido de carbono e dos gases
de enxofre para formar dióxido de carbono e
dióxido de enxofre, respectivamente.
Caldeira de Recuperação
• Região de oxidação
Gás de pirólise → produtos principais
H2 + CO + CH4 , ... + H2 → H2O + CO2 + SO2

• Principais reações:
Na2CO3 + SO3 → Na2SO4 + CO2
2Na2S + 3 O2 + 2CO2 → 2Na2CO3 + 2SO2
Na2CO3 + SO2 → CO2 + Na2SO3
2CO + O2 → 2CO2
Caldeira de Recuperação
Pirólise e secagem do licor

• Reações geralmente irreversíveis e


concernentes com a degradação térmica de
sólidos contidos no licor;
• as reações produzem gases combustíveis e
sólidos expandidos e porosos com diâmetros
médios de 12 mm.
Caldeira de Recuperação
• Região de pirólise
sólidos do licor → gases combustíveis + sólidos

• Principais reações:
Na2S + CO2 + H2O → Na2CO3 + H2S
Na2O + CO2 → Na2CO3
CH4 + H2O → CO + 3H2
Caldeira de Recuperação
Região de redução
Caldeira de Recuperação
Região de redução

• Camada
leito de carbono
+
fundido
Caldeira de Recuperação
Região de redução

• O carbono residual retido no material sólido


particulado, obtido na etapa de pirólise, inicia
sua queima na camada inferior da caldeira
(reações de conversão do carbono fixo para CO
e CO2), fornecendo o calor necessário as
reações de redução dos compostos inorgânicos.
Caldeira de Recuperação
• Região de redução
reações que ocorrem com o carbono fixo

• Principais reações:
C + 1/2O2 → CO
C + O2 → CO2
C + CO2 → 2CO
C + H2O → H2 + CO
Caldeira de Recuperação
• Região de redução
reações de redução

• Principais reações:
C + 1/2Na2SO4 → CO2 + 1/2 Na2S
C + 1/4Na2SO4 → CO + 1/4 Na2S
C + Na2SO4 → Na2O + SO2 + CO
Caldeira de Recuperação
• Parte superior da caldeira
Formação dos fumos

• Principais reações:
Na+ + H2O → NaOH + HCl → NaCl + H2O
K+ + H2O → KOH + H+ → KOH + HCl → KCl + H2O
2NaOH + SO2 + 1/2 O2 → Na2SO4 + H2O
2NaCl + SO2 + 1/2 O2 + H2O → Na2SO4 + 2HCl
Circuito de água e vapor
Circuito de água
e vapor

• Economizadores
• Tubulão de água
• Tubulão de vapor
• Superaquecedores
• Cortina de vapor
Circuito de água
vapor

Economizadores
Circuito de água
vapor
Bancada dos
tubulões
Circuito de água e vapor

Parede
d´água
Circuito de água
vapor

superaquecedor
Caldeira de Recuperação

• Parâmetro importante:

Eficiência de Redução =

Calor recebido na geração de vapor


Calor liberado pela combustão do licor
Caldeira de Recuperação

• Taxa de calor liberada da combustão do


licor deve suprir:
- as perdas usuais da caldeira
- a energia necessária para evaporar a água da caldeira
- energia requerida na reação de redução
- calor sensível do fundido
Geração de vapor
Caldeira de Recuperação

• Licor Negro
• região de oxidação
• secagem e pirólise
• região de redução
Caldeira de Recuperação
Acessórios

• Sistema de ductos dos


ares primários,
secundários e terciários
Caldeira de Recuperação
Acessórios

Ar primário Ar secundário Ar terciário


Caldeira de Recuperação
Acessórios

• Pulverizaçao
do licor negro
na caldeira
Caldeira de
Recuperação
Acessórios

• Pulverizaçao
do licor negro
na caldeira
Caldeira de Recuperação
Acessórios

• Pulverizaçao
do licor negro
na caldeira
bico do tipo
“Splasplate”
Caldeira de Recuperação
Acessórios

• “Flasheamento”
do licor na
caldeira de
recuperação
Tabela - Evolução de projeto das caldeiras de
Histórico das recuperação - Vakkilanen (1987)
Ano

caldeiras de
Condições de
Projeto 1980 1990 2000

recuperação
Capacidade de
sólidos secos 1700 2400 4000
ton./dia

Porcentagem de
sólidos secos no 64 72 80
licor de alimentação

Temperatura do
vapor gerado (oC) 480 480 520

Pressão de
vapor (Bar) 85 85 104
Dados simulados x dados de operação
Tabela - Comparação de dados simulados com os coletados na caldeira de recuperação
Parâmetro Valor na unidade Valor simulado
industrial

Vazão de vapor de 65 kgf/cm2 gerado (kg/h) 230000 239000

Temperatura do vapor final ( C) 449 - 453 460

Temperatura de saída do vapor no


superaquecedor secundário ( C) 419 - 423 425

Temperatura de saída do vapor no


superaquecedor primário ( C) 337 - 349 317

Temperatura dos gases de combustão nos


precipitadores ( C) 145 - 153 154

Temperatura dos gases de combustão entre o


economizador secundário e o primário ( C) 216 - 229 214

Temperatura dos gases de combustão entre o


superaquecedor primário e a cortina d’água ( C) 434 - 465 464
Efeito da concentração de sólidos
na performance da caldeira
Tabela - Efeito da concentração de sólidos no rendimento da caldeira de recuperação
Parâmetro Teor de sólidos Teor de sólidos Teor de sólidos Teor de sólidos
72% 80% 90% 100%

Vazão de licor total (kg/h) 75130 67617 60104 54094

Teor de sólidos (%) 72 80 90 100

Vazão de sólidos
secos (kg/h) 54094 54094 54094 54094

Fluxo de ar (kg/h) 294800 294800 294800 294800

razão de ar, 1, 2 e 3 (%) 46/42/12 46/42/12 46/42/12 46/42/12

Temp. de redução (C) 1269 1290 1302 1319

Temp. de oxidação (C) 1351 1415 1482 1515

Vapor gerado (kg/h) 239000 249000 257000 263000


Eficiência térmica (kg/h) 62,7 65,5 67,5 68,9
Redução da viscosidade do
licor
Estrutura Normal
do Licor Negro

Estrutura após
Estrutura após
Craqueamento
Adição de Sais
Térmico

Água Lignina Sal


Efeito do tratamento térmico na
viscosidade do licor

Figura - foto da autoclave utilizada nos testes de tratamento térmico.


Redução da viscosidade do
licor / tratamento térmico

Estrutura Normal Estrutura após


do Licor Negro Craqueamento
Térmico

Água Lignina
Efeito do tratamento térmico
na viscosidade do licor
600

500
Viscosidade do licor (cP)

400
Licor original

300 Após o
tratamento
200 térmico

100

0
55 60 65 70 75 80
Porcentagem de sólidos no licor (%)
Figura - Efeito do tratamento térmico na viscosidade do
licor de pinho "softwood", Kaila (1997)
Efeito do tratamento térmico
na viscosidade do licor
500
450 Antes do aquecimento
400
1h 4h
350
viscosidade (mPa.s)

300 6h
2h
250
200
150
100
50
0
55 60 65 70 75 80
teor de sólidos (%)
Figura - Viscosidade do licor "Hardwood" versus teor de sólidos secos
T=100 °C e D=100/s. O licor é aquecido a 140 °C por 1,2,4 e
6hs.
Redução da viscosidade do
licor / adição de sais

Estrutura Normal Estrutura após


do Licor Negro Adição de Sais

Água Lignina Sal