Você está na página 1de 2

5ª OFICINA DE AUDIOVISUAL

Argumento AS PAREDES QUE FALAM


A ideia é retratar em um vídeo de 3 minutos as intersecções entre arte, cultura e política a
partir das percepções de diferentes pessoas relacionadas às expressões visuais nas diversas
paredes.

Nesse grande corpo que é o Espaço, as paredes são a Memória, testemunhas do Tempo. Na
mudez dura do concreto, paredes que falam, gritam, resistem, paredes que lutam. Vozes e ecos
que reverberam no espaço-tempo sua não conformidade com o discurso vigente. Dialogando,
conversando, percebendo. Às vezes tem que gritar, calou-se por tempo demais. Pixos são
gritos. As paredes carregam consigo a memória cultural e política da dor e da batalha contra os
preconceitos, retrocessos e opressões; é palco e plenária. Provocação. É arte ou política? É
cultura? É possível que existam separadas? Soco no estômago ao ler TRANSFOBIA MATA e
UNIRIO RACISTA e que passe a primeira borracha quem se acha livre de culpa em relação a tais
preconceitos.

Mesmo com esse tapa na cara, essas estruturas também falam aos olhos com a beleza das
cores, do traço e do talento de Van Gord, o famoso pintor do primeiro andar da Escola de
Teatro. Van Gough e Monet, expostos orgulhosamente na recepção do prédio deixam claro que
na democracia desse concreto também há espaço para a arte clássica e erudita. De um jeitinho
bem brasileiro, claro.

Dan Martins e Diomar Nascimento são alunos do curso de Atuação. Dan é do Piauí, Diomar
vem de São Paulo. Fora de suas terras natais, tendo o objetivo em comum de tornarem-se
profissionais da sagrada arte da atuação, eles estão diante das paredes que envergam
memórias e falas de colegas, amigos e irmãos. O que as paredes sussuram aos ouvidos dos
veteranos?

Memórias de um passado de glamour, luxo e sofisticação na arte sobrevivem em meio às


ruínas do Cassino da Urca. No tempo presente, as paredes do bairro ostentam a moderna e
colorida arte da juventude que vem de outros espaços para ocupar a zona sul: é o grafite
enchendo de cor e personalidade a entrada do estacionamento do CCET.

Seguem os tópicos a serem abordados


1 - ABERTURA

PANORÂMICAS E TILTS
Panorâmicas e tilts das paredes escolhidas, começando pelas paredes em obras do CCET e
grafite do CCH. No sentido para dentro do campus. Panorâmica em movimento leve, para que
haja, na Edição, o tempo necessária para a transição leve entre as paredes.

2 – O QUE ESSA PAREDE ME DIZ?

DEPOIMENTO DOS ALUNOS DAN MARTINS E DIOMAR NASCIMENTO

Dan Martins – É do Piauí, veio morar no Rio há 3 anos para profissionalizar-se como ator.

Diomar Nascimento – Bailarino de São Paulo, Diomar mora no Rio há 3 anos e atualmente é
bolsista e pesquisador do NEPAA Núcleo de Estudos da Performance Afroamerindia.

3 - ESCREVERIA NA PAREDE

VAN GORD

Imagens das obras de Van Gord com depoimento de transeunte ((a confirmar) sobre suas
percepções em relação às obras na parede. Verificar possibilidade de gravar com Van Gord na
manhã da quarta-feira.

4 - E SE VOCÊ VOLTASSE AMANHÃ E ESSA PAREDE ESTIVESSE EM BRANCO?

GRAFITE NA URCA

Pessoas olham interessadas para o grafite, cochicham, comentam entre si. Materiais de pintura
estão próximos (a confirmar). Aos poucos, o grafite desaparece dando lugar a um espaço em
branco no centro da tela, os burburinhos crescem. Aparecem os dizeres: “E SE VOCÊ VOLTASSE
AMANHÃ E ESSA PAREDE ESTIVESSE EM BRANCO?

Fade out lento.

Interesses relacionados