Você está na página 1de 15

CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO

FARMÁCIA 5º SEMESTRE

DETERMINAÇÃO ESPECTROFOTOMÉTRICA DOS ÍONS MnO4- E Cr2O72-

FABIANA MARTINS

OSASCO

2008
Sumário

1. Introdução ............................................................................
..................................03

2. Materiais ..............................................................................
...................................04

3. Objetivo ...............................................................................
...................................04

4. Método
Experimental ........................................................................
......................04

5. Resultados ...........................................................................
...................................06

5.1. Gráficos de KMnO4- e


cálculos .........................................................................0
6

5.2. Gráficos de KCr2O72- e


cálculos .........................................................................1
0

6. Questões ..............................................................................
...................................14

7. Conclusão .............................................................................
...................................14

8. Bibliografia ...........................................................................
...................................14
1. Introdução

A espectrofotometria baseia-se na absorção da radiação nos comprimentos de


onda entre o ultravioleta e o infravermelho, quando uma radiação é incidida sobre a
amostra os elétrons movimentam-se entre os níveis energéticos e esta movimentação
emite uma radiação característica que é medida.
A capacidade de interação é proporcional ao tipo de substância e sua
concentração, que é dada pela Lei de Beer. De acordo com a Lei de Beer, a
absorbância está linearmente relacionada com a concentração das espécies
absorventes e o comprimento do caminho ótico, que a radiação percorre no meio
absorvente.
Quanto mais concentrada a solução maior será a absorção da luz enviada à
amostra, fazendo com que menor quantidade de energia atinja a fotocélula e,
conseqüentemente, menor valor de transmitância será demonstrado no visor do
aparelho.
A Absortividade molar é a capacidade que cada mol de uma substância tem de
absorver luz a um dado comprimento de onda.
Quando um feixe de radiação monocromática atravessa uma solução que
contenha uma espécie absorvente, uma parte da energia radiante é absorvida
enquanto a outra é transmitida pelo meio. Define-se como potência radiante de um
feixe de radiação colimada a quantidade de energia transportada pelo feixe por
segundo. A transmitância (T) é definida como a razão da potência radiante do feixe
transmitido (P) pela potência do feixe incidente (Po).
Cada substância apresenta um espectro de absorção característico e desse
modo é possível identificar um material desconhecido através de sua curva de
absorção comparando-a com curvas de substâncias conhecidas ou também através
do espectro de absorção de uma substância determinar a concentração desta em uma
solução analisada.
Para se realizar uma análise espectrofotométrica é necessário conhecer o
espectro de absorção da amostra que se quer determinar. Isto é feito para se definir
qual o comprimento de onda da radiação incidente que causará o máximo de absorção
pela espécie a ser determinada e assim obter-se a melhor sensibilidade na sua
quantificação. O espectro de absorção é obtido variando-se o comprimento de onda da
radiação que incide sobre a amostra e medindo-se a quantidade de radiação
absorvida em um espectrofotômetro.
Com este tipo de análise é possível avaliar por exemplo se um medicamento
contém os compostos descritos na sua composição, ou detectar a presença de algas
ou impurezas na água potável, estendendo-se às mais diversas áreas, devido sua
atuação em todos os comprimentos de onda.

2. Materiais

⋅ Espectofotômetro
⋅ Cubetas
⋅ Solução de KMnO4- 0,2500g/L
⋅ Solução de KCr2O72- 3,0000g/L
⋅ Balões de 50 mL
⋅ Pipetas Pasteur
⋅ Bécker
⋅ Pisseta com água destilada
⋅ Pêra
⋅ Pipetas graduadas

3. Objetivo

⋅ Aprender a manusear um espectrofotômetro;

⋅ Efetuar medidas de Absorvância em diferentes comprimentos de onda (λ) a fim


de se obter espectros de absorção;

⋅ Construir curvas de calibração para os íons MnO4- e Cr2O72- e utilizá-las para a


determinação da concentração de amostras desconhecidas;

⋅ Calcular as concentrações dos padrões.

4. Método Experimental

Preparo das soluções padrão KMnO4- e K2Cr2O72-

1. A partir de uma solução padrão estoque de KMnO4- 0,2500 g/L preparou-se 5


soluções padrão, pipetando para balões de 50 mL, alíquotas de 3,0; 5,0; 7,0;
8,0 e 10,0 mL. Completou-se o volume com água destilada. Identificou-se os
balões volumétricos.

2. A partir de uma solução padrão estoque de K2Cr2O72- 3,0000 g/L preparou-se 5


soluções padrão, pipetando para balões de 50 mL, alíquotas de 2,0; 3,0; 5,0;
7,0 e 10,0 mL. Completou-se o volume com água destilada. Identificou-se os
balões volumétricos.

3. Foram determinados os comprimentos de onda de máxima observância das


duas soluções padrão.

Utilizou-se a solução padrão de KMnO4- de concentração intermediária.


Colocou-se a solução padrão preparada em uma cubeta, em outra cubeta
colocou-se água destilada que foi usado como o branco. Mediram-se os
valores de transmitância da solução usada em comprimentos de onda entre
400 e 600 nm (em intervalos de 10 nm). Repetiu-se o mesmo procedimento
para a solução padrão de K2Cr2O72- de concentração intermediária no intervalo
de 400 a 550 nm.

4. Obtenção das curvas analíticas

Ajustou-se no espectrofotômetro o comprimento de onda de máxima


absorvância encontrado no gráfico e, usando a cubeta com água destilada,
ajustou-se a transmitância em 100%. Foram enchidas 4 cubetas com as
soluções padrão restantes e, sucessivamente, mediu-se a transmitância de
cada uma, inclusive a da solução usada na obtenção do comprimento de onda
de máxima absorção. Converteram-se os valores de transmitância em
absorvância. Em papel milimitrado construiu-se as curvas analíticas para MnO4-
e Cr2O72- (Excel).

5. Determinação da concentração de íons MnO4- e Cr2O72-

Completou-se com água destilada, o volume de cada balão contendo a


amostra recebida. Homogeneizou-se e mediiu-se a transmitância da solução,
no comprimento de onda de máxima absorvância dos íons. Utilizou-se água
destilada como branco.
5. Resultados

5.1. Espectro de Absorção de KMnO4- e cálculos

λ %T Absorvância
400 70,6 0,151
410 74,2 0,130
420 76,3 0,118
430 77,6 0,110
440 77,8 0,109
450 77,1 0,113
460 74,3 0,129
470 68,8 0,162
480 62,5 0,204
490 54,3 0,265
500 46,4 0,333
510 38,8 0,411
520 34,5 0,462
530 31,3 0,504 λ máxima
absorvância
540 34,0 0,468
550 36,0 0,444
560 48,5 0,314
570 54,1 0,267
580 67,3 0,172
590 83,1 0,0804
600 87,9 0,0560
Fórmulas: T= %T / 100
A= log 1/T

Cálculo das Concentrações de KMnO4-

1) 0,25g/Lx3mL / 50mL = 0,015g/L


2) 0,25g/Lx5mL / 50mL = 0,025g/L

3) 0,25g/Lx7mL / 50mL = 0,035g/L

4) 0,25g/Lx8mL / 50mL = 0,040g/L

5) 0,25g/Lx10mL / 50mL = 0,050g/L

[MnO4-] %T – 530nm Absorvância 530nm


Padrão 1 0,015 60,7 0,217
Padrão 2 0,025 42,8 0,369
Padrão 3 0,035 30,1 0,521
Padrão 4 0,040 26,1 0,583
Padrão 5 0,050 19,1 0,719
Solução C x 22,4 0,649

Método de Interpolação Gráfica – Concentração da solução C

0,719 – 0,583= 0,050 – 0,040

0,649– 0,583 x – 0,040

X= 0,0448 g/L - concentração da solução de MnO4- desconhecida


Método dos Mínimos Quadrados - Cálculo para obter a concentração
da solução desconhecida através da equação da reta (também foi
feito pelo Excel).

[MnO4-] Absorvância
530 nm
x y X2 Y2 xy
0,015 0,217 0,000225 0,0471 0,00326

0,025 0,369 0,000625 0,136 0,00923

0,035 0,521 0,001225 0,271 0,0182

0,040 0,583 0,0016 0,340 0,0233

0,050 0,719 0,0025 0,517 0,0360

∑x= 0,165 ∑y= 2,409 ∑x2= ∑y2= 1,31 ∑xy=


0,00618 0,0900

X= 0,033 Y= 0,482

Sxx= ∑x2 – (∑x)2


Sxy= ∑xy– (∑x).( ∑y)

n
n

0,00618 – (0,165)2
0,0900 – (0,0165).(2,409)

5
5

Sxx = 0,000735
Sxy= 0,0106

a= Sxy b= y
– a.x

Sxx b= 0,482 – 14,4 . 0,033

a= 0,0106 b= 0,007

0,000735

a= 14,4

y=a.x+b

y= 14,4. x + 0,007
0,649= 14,4. X + 0,007

X= 0,446 g/L - concentração da solução de MnO4- desconhecida

Cálculo da concentração em mol/L da solução de MnO4-


desconhecida

M= C (g)L M= 0,0448 g/L =

Massa molar 158 g/mol

M= 2,84.10-4 mol/L

Cálculo da Absortividade molar da solução de MnO4- desconhecida

A= ε.b.c 0,649= ε.1.2,84.10-4=

ε=2285 L/mol.cm
5.2. Espectro de Absorção de K2Cr2O7 e cálculos

λ %T Absorvância
400 13,1 0,883
410 24,0 0,620
420 32,1 0,494
430 34,4 0,463
440 35,1 0,455
450 37,7 0,424
460 42,6 0,371
470 50,5 0,297
480 59,2 0,228
490 68,8 0,162
500 78,5 0,105
510 86,8 0,0615
520 92,7 0,0329
530 96,1 0,0173
540 98,3 0,00745
550 99,2 0,00349
Fórmulas: T= %T / 100
A= log 1/T

Cálculo das Concentrações de K2Cr2O7

1) 3,0g/Lx2mL / 50mL = 0,12g/L

2) 3,0g/Lx3mL / 50mL = 0,18g/L

3) 3,0g/Lx5mL / 50mL = 0,30g/L


4) 3,0g/Lx7mL / 50mL = 0,42g/L

5) 3,0g/Lx10mL / 50mL = 0,60g/L

[Cr2O72-] %T – 400nm Absorvância 400nm


Padrão 1 0,12 44,9 0,348
Padrão 2 0,18 29,8 0,526
Padrão 3 0,30 14,6 0,836
Padrão 4 0,42 6,30 1,20
Padrão 5 0,60 2,20 1,66
Solução H x 3,00 1,52

Método de Interpolação Gráfica

1,66 – 1,20= 0,60 – 0,42 X= 0,545 g/L - [Cr2O72-- ]


desconhecida

1,52– 1,20 x – 0,42

Método dos Mínimos Quadrados - Cálculo para obter a concentração


da solução desconhecida através da equação da reta.

Absorvância
[Cr2O72-] 400 nm
x y x2 y2 xy
0,12 0,348 0,0144 0,121 0,0418

0,18 0,526 0,0324 0,277 0,0947


0,30 0,836 0,09 0,699 0,251

0,42 1,20 0,176 1,44 0,504

0,60 1,66 0,36 2,76 0,996

∑x= 1,62 ∑y= 4,57 ∑x2= 0,673 ∑y2= 5,30 ∑xy= 1,89

X= 0,324 Y= 0,914

Sxx= ∑x2 – (∑x)2


Sxy= ∑xy– (∑x).( ∑y)

n
n

0,673 – (1,62)2 1,89 –


(1,62).(4,57)

5
5

Sxx =0,148
Sxy= 0,409

a= Sxy b= y
– a.x

Sxx b= 0,914 – 2,76 . 0,324

a= 0,409 = a= 2,76 b= 0,0198

0,148

y=a.x+b

y= 2,76. x + 0,0198 1,52= 2,76. X + 0,0198

X= 0,544 g/L - concentração da solução de Cr2O72—desconhecida

Cálculo da concentração em mol/L

M= C (g)L M= 0,545 =

Massa molar 294

M= 1,85.10-3 mol/L

Cálculo da Absortividade molar

A= ε.b.c 1,52= ε. 1. 1,85.10-3


ε= 822 L/mol.cm
6. Questões

1) Se a amostra contivesse uma mistura de íons seria possível


quantificá-los? De que forma?

Sim, isto pode ser realizado desde que não ocorra nenhuma interação
entre as espécies e que o espectro de absorção observado pela mistura seja
a soma dos espectros individuais que seriam obtidos caso cada uma das
espécies estivesse presente sozinha na solução e sob as mesmas condições
experimentais. Para cada comprimento de onda, a absorbância total devido
às espécies presentes na solução pode ser expressa como a soma das
absorbâncias de cada uma delas.

2) Cite um tipo de amostra na qual você poderia empregar o método


estudado.

Na análise quantitativa do princípio ativo de um fármaco presente em


uma solução.

7. Conclusão

Ao final deste experimento foi possível concluir que é possível


determinar a concentração desconhecida de um analito medindo a
quantidade de radiação que ela absorve e aplicando a lei de Beer-Lambert e
se o coeficiente de absortividade não for conhecido, aquela concentração
desconhecida pode ser determinada usando uma curva de calibração, isto
é, uma reta construída a partir das absorvâncias, a um dado comprimento
de onda, de várias soluções padrão, que contenham o analito adsorvente,
que represente a relação linear entre a absorvância e a concentração.
O gráfico 1 das soluções de KMnO4- mostra que as concentrações são
lineares enquadrando-se na lei de Beer, trata-se de soluções já diluídas.
O Gráfico 2 das soluções de KCr2O72- apresenta uma solução muito
concentrada cuja absorvância é maior que 1, a lei de Beer não é obedecida
para concentrações muito elevadas.

8. Bibliografia
SKOOG, D. A.; WEST, D. M.; HOLLER, F. J.; CROUCH, S. R. Fundamentos da
Química Analítica. 8ª Ed. Thomson. 2006.