Você está na página 1de 1

CARTA GEOLÓGICA

FOLHA PEDRO OSÓRIO SH.22-Y-C


ESCALA 1:250.000 - CPRM - 1999
MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA PROGRAMA LEVANTAMENTOS GEOLÓGICOS BÁSICOS DO BRASIL
SECRETARIA DE MINAS E METALURGIA CARTA GEOLÓGICA - ESCALA 1:250.000 - ANEXO I
CPRM - SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL
52º30'
45' 340
53º00' 320 31º00' 52º30'
300 54º00' DOMÍNIOS TECTONO-ESTRUTURAIS
280 15'
FOLHA SH.22-Y-C PEDRO OSÓRIO 260 30' 31º00' 31º00'
45' 240 RIO
54º00' W.GREENWICH 220 CA
MA

s
31º00'

ha
QU

Bica
rin
Ã

Arr
r
Ch

To

.
ico

Ola

so
ã

s
a
qu
TOCAS

da

no

Pedra
ria
iguan
ma

nta
r.
Ca

Ar

Pa
r.
Lech

Ar

r.
Ar

o
l
6560 6560

roi
nta
BR Fa

Ar

BR
-3 xin

l
92 al

-3
. S

92
das
Arr.

Arr

do
ici

l
CERRITO
ho

Bo
in
od

Arr
G Ar

l
l
r.

.
do
do

r.
Ar

Arr.
ra
Ser

Arr.
BR-29
3

o
irã
Ti

l
gr

Mo
e

Ba
rra

l
cão

Arr.
PANTANOSO

s
ro
Arr.

ei
lh
PEDRA

va
as

Ca
a
DAS TORRINHAS

dr
ieir

Pe

dos
Ca
Arr. PEDRO OSÓRIO

Arr.

Pe
6

o
-11

das
ac

Ar

qu
BR

da
15'

o
BR

ss
lh

r.

en
AS

Ve

Pa
Arr. UR IL 0 10 20km

o
6540 n ga 6540
UG
UA
Sa 32º00' I
32º00'

Guará
o

da

Farro
ss

so
.
15'

Arr
54º00'
Ba Pa COBERTURA SEDIMENTAR 52º30'

Pas
nh Gra COBERTURAS CENOZÓICAS DA BACIA DO PARANÁ
Arr. nde

upilh
Div
ad
o COBERTURAS SEDIMENTARES E

isa

a
Gra VULCANO-SEDIMENTARES
.
nde Arr

Barracão

Arr.
DOMÍNIO CENTRAL DOMÍNIO ORIENTAL
DOMÍNIO OCIDENTAL Cinturão Tijucas

Divisa
Cinturão Dom Feliciano
ho

ho

es
Moin
rac

ZCTDC Zona de Cisalhamento Transcorrente Dorsal de Canguçu

nd
eb

Estância Torrinhas

gu
Qu

Santa

Fa
Catarinha

ici
.
Arr

da

Arr.
s
COBERTURAS CENOZÓICAS

Bo
do
Vila
r.
Ar

Arr.
Lacerda
1 - Aluviões atuais (a) e subatuais (b)

CENOZÓICO
2 - Depósitos coluvionares

Arr.

a
QUAT.

lai
Jaíba 3 - Depósitos de tálus

Ata
r.
Ar
Vila Conceição 4 - Depósitos de planície lagunar (a, b)
Rio Arr. 5 - Depósitos de encosta e leques aluviais

Arr.
da 6 - Formação Santa Tecla
s CANGUSSU TERC.

Arr.
a

Ca Remanso
l

Pir
diot

l ne

Bon
Magmatismo Básico

ati
le COBERTURA SEDIMENTAR DA BACIA DO PARANÁ
Can

R
l FFSA BR-293 ira

ni
o
l l ira s g

ito
l Suíte Alcalina

MESOZÓICO
l e on CRET.
l l
l l l
P er d Grupo Rosário do Sul Passo da Capela
un
Estância Hulha Negra
l l l

o
l

M
Negro JUR.

lidã
Formação
a

m
Rio

en
nd
Arr.

Ca
or
l s Serra Geral

FANEROZÓICO
Fu

So
do

e
TRIAS.

nd
6520 l 6520

ra

r.
l Ar

da

Ar
G
r. Grupo Formação Rio do Rasto
l Ba
Trigolândia a ta Passa Dois
ng PIRATINI
San

Sa lha Formação Estrada Nova


l

do

rra

ado
Passo
l

PERMIANO
Lajea

Se
ga

Formação Irati
ha

do Funil

Arr.
Banh
otin
l

HERVAL
l

Formação Palermo

PALEOZÓICO
Grupo Olivina-diabásios
ndi
do

Guatá Formação Rio Bonito


l

Ca

l
l

Bu

30' Formação Rio do Sul


l l l Grupo Itararé
l

eiro

l
Arr.

Colônia
DOMÍNIO CENTRAL DOMÍNIO ORIENTAL
l

DOMÍNIO OCIDENTAL
Arr.
Maciel
l
l

Ar (Cinturão Tijucas) (Cinturão Dom Feliciano)


SEIVAL nta r.
l

30' Sa
l
Vime

SANTA
l

l COBERTURAS SEDIMENTARES E VULCANO-SEDIMENTARES


EULALIA Bacia
ORD.
l

l
Bacia Camaquã Cerro Chato
l

Inocência Arr.
i
atin
r.

da CAMB.
Ar

Cadeia
Pir
l

l a
Sang
l

BR
Riólito
l

Suíte Granítica Dom Feliciano


-39
l

Bacia Asperezas
do

2
Vila Matarazzo l io Arroio Boici
l

l R
Arfvedsonita-granito

iva
Jaguarão

Ar

Tupi Silveira CANDIOTA PINHEIRO

ra
r.

ASPE
Arr.

DAS

Sa
MACHADO MORRO
l

RA REZA
SER
l

Zona de Cisalhamento Transcorrente Dorsal de Canguçu


CANDIOTA l REDONDO
Ser

fácies
l

do

Granito

SUPERIOR
Vila Pereira sienogranito
ra

r.
l

Cerro das Marcas

Ar
6500 6500 Granito
Pires

fácies
do

Ar Passo do Coutinho Capão do Leão


monzogranito

PROTEROZÓICO
r. Suíte Granítica
Ve

Rio Suíte Intrusiva Encruzilhada do Sul Intrusivas


l

ho
led
Arr.

Piratinizin
Rio

Santo Afonso Granito Arroio Moinho Básicas


Freire

Serra
a

Ar
l

da

r.
Seqüência Suíte Granítica
s

iro
da

Metamórfica Cordilheira Sienogranitos


nia

ele
Pestan
l

Pi t a Arroio da Porteira Granito Porfiróide

rm
Libâ

an
Vista Chácara S. Jerônimo

Ma

Pinheiro Machado
Granito-Gnáissico
Asp
s

Faz. Boa Vista


l
gu

Passo
une

ere Alegre
l zas

Arr.
dos Pires
ra
e

da

Complexo
Ant
i

Granito-Gnáissico

Complexo
rr.
l

A
dos

l Complexo Metamórfico
Arr.

Porongos
l RFF Arr Quilimaco
S
l A . Arr. MÉDIO
Serra

l 3
-29
BR
l

l Estância das La
Pedras Altas jea 45'
l

l
do
INFERIOR
l

45' l Possibilidade de variação do posicionamento das unidades, em função das determinações geocronológicas disponíveis.
l

l l

Arr
Contato Sinclinal com caimento Lineação B com caimento medido

l
.
l

6480 PEDRAS ALTAS 6480 Contato aproximado

l
Sinforme Pipe
l

Lagoa Formosa

l
Falha ou zona de cisalhamento Antiforme Diques ácidos (riólitos, riodacitos,
l

Pa
microgranitos)

l
ss
Ar
Falha aproximada Antiforme inclinada

o
ALEGRIAS

r.
l

l
l
Diques básicos (db - diabásios
l RFFSA l Falha encoberta Antiforme inclinada com caimento
ARR. Cocuru PEDRO OSÓRIO l
l mesozóicos; b - olivina diabásios)
l

. to da
iot
a Arr BA s l
l
PASSO DAS Falha normal Acamadamento com mergulho
nd SÍL l l l
l l l l l Corpos filonianos (qz -quartzo; gr -
l

Ca IO l l l l l Pe PEDRAS medido e indicado


Areia

l granito; mg - microgranito)
dr
Arr. au l Basílio
BASÍLIO l as Falha com mergulho medido
ARR.
do

M Acamadamento horizontal
l l l
jea

Desvio Mina em atividade


l Vila Falha contracional definida,
da

l l
La

Herval l
l aproximada Foliação com mergulho medido e
l

Cerro l l Abdom
ato l l

l
Chato l l l l l indicado Mina intermitente ou paralisada
Ch l
l

l
l
l l Falha com indicação do movimento
sso

es
RIO
l

r.

l
rro
Ar

aré relativo dextral Foliação vertical Lavra rudimentar em atividade

igu
l

Ce Aramb
Pa

dr
Arr.

Ro
l

Passo Zona de cisalhamento Foliação invertida Lavra rudimentar intermitente ou


ra

da Areia 116
BR- paralisada
Ca
Sanga

Zona de cisalhamento transcor- Foliação milonítica com mergulho


l

PIRATIN
Lagoa Arr. I rente sinistral medido e indicado

ia
da Rosa Ocorrência mineral
l

ar
S.

Reduzido

M
r.

M Lineamento obtido por magneto- Foliação milonítica vertical cv - carvão mineral


Ar

Lagoa Jo Cu - Cobre
metria
l

PASSO sé . F - flúor cm - caulim


Ana Arr Açude Lineação de estiramento com gr - granito
Correia SÃO DIOGO Pb - chumbo
l

dos Schuch Fotolineamentos estruturais caimento medido e indicado qt - quartzito


l

ag - argila
BRA ar - areia qz - quartzo
r.

SIL Anticlinal com caimento Lineação de estiramento horizontal


l

Ar

s - saibro
ico

Passo São Diogo cc - calcário


l

6460kmN 6460
Ch

UR Carvalho
UG Ri Ar
UAI o de Freitas
r.
r ão 32º00' Cidade Estrada pavimentada Estrada não pavimentada, Curso de água permanente
ua
l

Ja g 45' 340 52º30' tráfego periódico


Ja
l

gu l 53º00' 320 Vila Curso de água periódico


arã 15' 300 I I I
280 Estrada não pavimentada, Estrada de Ferro
l

o 30'
260
32º00' 240 45' Outras localidades tráfego permanente Lagoa
220kmE Limite internacional
54º00'
ARTICULAÇÃO DA FOLHA LOCALIZAÇÃO DA FOLHA
55º30' 54º00' 52º30' 51º00' 54º 50º
30º00' 30º00'
PARANÁ

COBERTURAS CENOZÓICAS Formação Irati - folhelhos e siltitos cinza-escuros a pretos, laminação paralela, com Membro Rodeio Velho - lavas básicas de cores cinza-escuro a amarronzado, afaníticas a DOMÍNO CENTRAL Granito Arroio Moinho - sieno a monzogranito porfirítico, róseo a cinza, com megacristais SÃO GABRIEL CACHOEIRA DO SUL PORTO ALEGRE ARGENTINA
10 SANTA CATARINA
intercalações de folhelhos pirobetuminosos e de lentes e camadas de margas 16 microfaneríticas, altamente vesiculares, composição toleiítica, contendo texturas de (Cinturão Tijucas) 31
de feldspato alcalino com tamanho médio de 3cm (até 8cm) imersos em matriz de SH.21-Z-B SH.22-Y-A SH.22-Y-B
Depósitos aluvionares atuais (1a) e subatuais (1b): areias e cascalhos imaturos, mal dolomíticas, localmente com marcas onduladas, laminação cruzada, oólitos, brechas extravasamento em ambiente aéreo. 28º
1 granulação grossa. Foliação pronunciada, marcada pela orientação dos fenocristais e 28º
classificados, ao longo das calhas dos cursos d'água; areias finas, siltes e argilas intraformacionais e laminação algálica. Suíte Granítica Encruzilhada do Sul - biotita sienogranito de coloração rósea com 31º00'
26 pontuações pretas, granulação grossa e textura porfirítica. estiramento dos minerais da matriz, principalmente desenvolvida nas porções externas 31º00'

ICO
orgânicas nas planícies aluviais. Ortoconglomerados compostos por grânulos e seixos de riolitos, quartzo, feldspatos,
Grupo Guatá 17 do corpo.
granitóides e intraclastos de pelitos, associados a arcóseos grossos a muito grossos,

NT
Formação Palermo - siltitos e siltitos arenosos de cores cinza a cinza-escuro, laminação Complexo Metamórfico Porongos (indiviso) - seqüência supracrustal pelito carbonática BAGÉ PEDRO OSÓRIO PELOTAS
11 cinza-esverdeados a cinza-claro e a pelitos bordô a castanho (Bacia Cerro Chato). RIO GRANDE DO SUL


2 Depósitos coluvionares. plano-paralela ou ondulada, wavy e linsen, drapes, freqüentemente com fluidização e com vulcanismo subordinado e injeções e imbricações tectônicas de rochas graníticas
27 SH.21-Z-D SH.22-Y-C SH.22-Y-D

AT
bioturbação, com intercalações subordinadas de leitos de arenito fino a médio, cimento (ortognaisses). Deformação em regime tangencial e metamorfismo da fácies xisto-verde Zona de Cisalhamento Transcorrente Dorsal de Canguçu
carbonático e, eventualmente, com estruturas hummocky. 18 Formação Acampamento Velho - riolitos vermelhos na forma de derrames e diques.
inferior a anfibolito. Retrabalhamento em regime transcorrente com ampla milonitização. 32º00'

O
32º00'

N
3 Depósitos de tálus. cc - unidade calcissilicática constituída por lentes de mármores e rochas pelito-

EA
Formação Rio Bonito - arenitos médios a grossos, cinza-claros, arcosianos, localmente Formação Arroio dos Nobres.
cc carbonáticas, associadas a xistos pelíticos e quartzitos; p -unidade pelítica, representada Suíte Granítica Cordilheira - muscovita-biotita granitos, leucocráticos, coloração cinza, RIO GRANDE
12

C
Membro Vargas - ortoconglomerados polimíticos, róseos a acinzentados, com seixos de p 32 JAGUARÃO
conglomeráticos, com acamadamento normal e estratos cruzados de médio a grande 19a

O
por uma associação de metapelitos onde predominam filitos, biotita-muscovita-granada granulação média a fina, composição de sieno a granodioritos, apresentando turmalina e 32º
quartzo , xistos, quartzitos e de granitóides; arenitos arcosianos médios a grossos, 32º
Depósitos de planície lagunar, representados por seqüência mista porte, que gradam superiormente para arenitos finos com ocorrências subordinadas de xistos e quartzitos, estando presentes de forma subordinada rochas calcissilicáticas; q - SI.22-V-A SI.22-V-B
4 conglomeráticos ou não, em camadas lenticulares com acamadamento gradacional granada como varietais. Foliação pronunciada, marcada pelo estiramento da URUGUAI
pelitos cinza-esverdeados, carbonosos; siltitos de cores cinza a preto, carbonosos, com níveis de quartzitos puros e muscovita quartzitos que conformam a estruturação regional
compreendendo areias finas e médias, mal classificadas, imaturas; depósitos síltico- mineralogia quartzo-feldspática e pela orientação dos filo e ciclossilicatos, desenvolvida
interlaminações de arenitos com wavy e linsen e de leitos e camadas de carvão. Arenitos normal e estratificação cruzada acanalada, subordinadamente camadas sigmoidais ou q do complexo; v - metandesitos e metadacitos compactos associados a rochas vulcano- 33º00'
argilosos e intercalações de argilas plásticas, formadas a montante da primeira (4a) e quartzosos, finos a médios, cinza-claros a esbranquiçados, silicificados, com gradação principalmente nas bordas dos corpos intrusivos. 33º00'
tabulares. clásticas (metatufos e metatufos a pó), com rochas epiclásticas subordinadas; 55º30' 54º00' 52º30' 51º00' 54º 50º 46º
segunda (4b) linhas de costa desenvolvidas no Quaternário. normal e estratificação cruzada de médio a grande porte, sobrepostos ao pacote v
metamorfismo da fácies xisto-verde superior; gd-ortognaisses granodioríticos Granito Porfiróide Chácara São Jerônimo - leucogranito cinza, variando em composição
carbonoso. Membro Mangueirão - ritmitos areno-pelíticos e arcóseos finos a médios, marrons e
Depósitos continentais de encosta e leques aluviais, constituídos por arenitos 19b gd
representados por rochas tonalíticas e monzograníticas com forte bandamento gnáissico 33 w de sieno a granodorito, textura granolepidoblástica grosseira, porfiróide, apresentando Base planimétrica e tema digitalizados pela Divisão de Cartografia/DICART, a partir da Autores: Gilberto Emilio Ramgrab e Wilson Wildner
5 amarelados, camadas tabulares com acamadamento gradacional normal, laminações e intensamente deformada plasticamente;og- ortognaisses leucograníticos
arcosianos, conglomerados e arenitos conglomeráticos fracamente consolidados, com Grupo Itararé uma fábrica magmática e deformacional (estado semi-sólido na fácies xistos-verdes folha SH.22-Y-C Pedro Osório, escala 1:250.000, 1a.ed.,1a. imp, DSG, 1981.
plano-paralela e cruzada cavalgante, interpretados como turbiditos. og representados por termos graníticos de cor cinza, textura porfiroblástica composta de
cores amareladas, acinzentadas e avermelhadas nas fácies laterizadas. Formação Rio do Sul - orto e paraconglomerados de seixos e grânulos, mal Dados temáticos e atualização da base planimétrica foram transferidos pelos técnicos Supervisores: Carlos Alfredo Porcher e Alfeu Levy da Silva
13 trama quartzo-feldspática contendo biotita, muscovita, turmalina e granada como superior), marcada pelo alinhamento de megacristais (até 8cm) fenoclásticos de K- da Superintendência Regional de Porto Alegre, responsáveis pelos trabalhos de Caldasso
selecionados, com matriz síltica, arenosa fina e argilosa, do tipo diamictito; arenitos finos Formação Hilário - Lavas e depósitos piroclásticos constituídos por tufos lapilíticos
Formação Santa Tecla - arenitos finos avermelhados, friáveis, com cimento esbranquiçados de aspecto porcelânico e, subordinadamente, ritmitos várvicos com 20 varietais. feldspato, acompanhados de estruturas lineares desenvolvidas pelo quartzo, biotita, campo, visualmente, a partir da interpretação de aerofotos e imagens de satélite.
6 relacionados a depósitos de fluxo, composição dominantemente andesítica de afinidade anfibólio e turmalina. São comuns enclaves gnáissicos (33w) com mineralogia Compilação e orientação na SUREG/PA: Gilberto Emilio Ramgrab e Wilson Wildner Colaboradores: Antonio Flávio U. Costa, Carlos Antonio Grazia e
ferruginoso e arenitos esbranquiçados com cimento silicoso aos quais se associam laminação plano-paralela ou cruzada, por vezes com seixos pingados.
shoshonítica. SUÍTE GRANÍTICA DOM FELICIANO Tratamento cartográfico dos elementos da base e do tema sob a responsabilidade da Ricardo da Cunha Lopes
concreções silicosas mamelonares, formando um pacote homogêneo, sem dominantemente peraluminosa.
Magmatismo Básico DOMÍNIO ORIENTAL Divisão de Cartografia/DICART, Departamento de Apoio Técnico/DEPAT, Diretoria de
estratificação visível. Localmente, conglomerados róseos a esbraquiçados, com cimento Formação Maricá - arcóseos médios a finos de cor castanha, camadas lenticulares, (Cinturão Dom Feliciano)
Suíte Alcalina Passo da Capela - Chaminés e diques de rochas alcalinas representadas 21 Intrusivas Básicas - corpos com áreas expostas de 6 a 30km de gabros com níveis
2 Relações Institucionais e Desenvolvimento - DRI. O Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil- PLGB
silicoso ou carbonático, matriz arenosa ou caulínica envolvendo grânulos e seixos maciços ou com acamadamentos gradacionais normais, eventualmente laminação Riólito Asperezas - enxame de diques leucocráticos de cor avermelhada, composição Diretor da DRI: Paulo Antônio Carneiro Dias é executado pelo Serviço Geológico do Brasil - CPRM, através das
por termos leucocráticos de cor cinza-amarronzado a cinza-esverdeado, textura estratiformes de anortositos, hornblenda gabros e troctolitos, com mineralogia
arredondados de granito e quartzo. microporfirítica em matriz afanítica, onde dominam fonolitos. plano-paralela e ondulada. riolítica a riodacítica, textura porfirítica, com fenocristais de feldspato e quartzo em matriz Chefe do DEPAT: Giuseppina Giaquinto de Araujo suas unidades regionais, sob a coordenação do Departamento de
afanítica a fanerítica muito fina. Riólitos pórfiros subvulcânicos (a ) na região de Cerro fortemente toleiítica (Gabros Passo da Fabiana) e de granitóides composicionalmente Chefe da DICART: Paulo Roberto Macedo Bastos Geologia - DEGEO / Diretoria de Geologia e Recursos Minerais -
COBERTURA SEDIMENTAR DA BACIA DO PARANÁ Formação Serra Geral - diques de diabásio relacionados ao magmatismo toleiítico da DOMÍNIO OCIDENTAL Chato. diversificados desde dioritos a monzogranitos, com mineralogia calcialcalina (Diorito Planejamento e Edição Cartográfica: Wilhelm Petter de Freire Bernard, Marília S. DGM. Esta folha foi executada pela Superintendência Regional de
db Bacia do Paraná. Capim Branco). Salinas do Rosário, Maria Luiza Poucinho, Valter Alvarenga Barradas e Samuel dos Porto Alegre - SUREG/PA, tendo sido concluída em novembro de
Grupo Rosário do Sul Granito Cerro das Marcas - stocks e corpos filonianos de sienogranitos isótropos, Arfvedsonita Granito - Leucogranito de cor marrom, composição sienogranítica, Santos Carvalho 1996.
Arenitos finos a médios de cores avermelhadas, maciços ou com estratificação cruzada Diques de olivina diabásio - soleira (?) e diques de olivina diabásio, cinza-escuro a preto,
22 leucocráticos vermelhos, de granulação média a grossa com teores em máficos muito granulação média e aspecto brechóide, caracterizando-se por uma mineralogia Supervisão da digitalização: João Bosco de Azevedo Diretor da DGM: Luiz Augusto Bizzi
7 28 Sienogranitos - ortognaisses leucocráticos cinza, composição sienogranítica textura
tangencial, em camadas tabulares ou lenticulares de geometria sigmoidal, intercalados granulação fina a gabróide, de orientação geral NW-SE e grande extensão e possança. reduzidos. dominantemente peralcalina (piroxênio e anfibólio sódicos). 34 porfiroclástica dominante, intrusivos ao longo de extensas zonas de cisalhamento e Digitalização: Carla Cristina Martins da Conceição, Elcio Rosa de Lima e José Carlos Chefe do DEGEO: Sabino Orlando C. Loguercio
com pelitos também avermelhados, maciços ou com laminação plano-paralela. Ferreira da Silva Coordenador Nacional do PLGB: Inácio de Medeiros Delgado
representando as deformações finais do evento Pinheiro Machado. Revisão: Carlos Alberto Copolillo e Paulo José da Costa Zilves Coordenador Regional do PLGB: Eduardo Camozzato e Luiz
Subordinadamente, arenitos muito grossos a conglomeráticos em camadas lenticulares, COBERTURAS SEDIMENTARES E VULCANO-SEDIMENTARES Suíte Intrusiva Santo Afonso - monzogranitos isótropos, leucocráticos cinza, granulação Fácies sienogranito-stocks alongados NE-SW de sienogranitos róseo-avermelhados,
23 média a grossa, texturas eqüigranular a porfirítica, contendo freqüentes xenólitos 29s eqüigranulares médios a grossos, localmente porfiríticos, compostos dominantemente Revisão do tema na DIEDIG: Antonio Lagarde. Fernando Fontes de Albuquerque
amalgamados e com intraclastos de pelitos.
Formação Guaritas - arenitos róseo-esbranquiçados, finos a médios com estratificação gnáissicos com até 1km de diâmetro. por feldspato alcalino (ortoclásio e microclíneo micropertítico), quartzo, plagioclásio e 35 Complexo Granito-Gnáissico Pinheiro Machado, compreendendo domínio de
CARTA GEOLÓGICA
14 cruzada acanalada de muito grande porte; subordinadamente, arenitos finos com biotita subordinada.
Grupo Passa Dois metagranitóides porfiríticos (35a), mesocráticos cinza, com foliação marcada pelo
Formação Rio do Rasto - siltitos e siltitos arenosos de cores avermelhadas, laminação laminação plano-paralela ou médios a grossos com camadas lenticulares de orto- Seqüência Metamórfica Arroio da Porteira - seqüência de ardósias e filitos com a
8 conglomerados polimíticos. Sedimentação em ambiente desértico (eólico + fluvial). 24 Fácies monzogranito-monzogranitos cinza-claros a levemente avermelhados, estiramento dos porfiroclastos e alinhamento dos constituintes da matriz, apresentando
paralela, lenticular, wavy, com intercalações de arenitos finos. quartzitos subordinados, que constituem uma sucessão de estratos pelíticos e areno-
29m ineqüigranulares, normalmente porfiríticos com a presença de fenocristais de feldspatos uma deformação semiplástica de fácies anfibolito; domínio de ortognaisses
Formação Santa Bárbara - ortoconglomerados polimíticos e arenitos arcosianos, médios
pelitos interestratificados; localmente, preservam estruturas sedimentares primárias.
alcalinos imersos em uma matriz média a grossa. Localizadamente, englobam xenólitos b granodioríticos a monzograníticos (35b), com bandamento gnáissico proeminente,
ESCALA 1:250.000
15 a grossos, em camadas lenticulares exibindo acamadamento gradacional normal e mesocráticos de granodioritos e tonalitos de grão médio a fino, normalmente com limites c 5 0 5 10 15 20km
Formação Estrada Nova - argilitos e siltitos cinza-escuros, maciços, com fratura Complexo Granito-Gnáissico - gnaisses granodioríticos a monzograníticos de textura composição quartzo-feldspática, contendo enclaves de dioritos, tonalitos e de gnaisses
9 conchoidal e intercalações de lentes e concreções calcíferas, que gradam superiormente estratificação cruzada acanalada, cores róseas a esbranquiçadas. Subordinadamente, 25 granoblástica grosseira, fortemente bandados, contendo intercalações de rochas difusos. anfibolíticos e calcissilicáticos polideformados, de formas e tamanhos variados (35w);
para arenitos cinza-claros, muito finos, com lentes e camadas de calcários com oólitos e arcóseos médios a finos associados a camadas de pelitos avermelhados. Sedimentação
em ambiente desértico (leques aluviais + fluvial entrelaçado, subordinadamente lacustre
calcissilicáticas e lentes de mármores, e intensamente injetados por sieno e
Granito Capão do Leão - sieno a monzogranitos róseos, de granulação média a grossa, w domínio de gnaisses de composição granodiorítica e tonalítica (35c), migmatizados, PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA DE MERCATOR
estruturas cone-in-cone. monzogranitos tardios. englobando xenólitos de extensão métrica de rochas de composição calcissilicáticas, Origem da quilometragem UTM: Equador e Meridiano Central 51º W.Gr.,
e eólico). 30 ocasionalmente porfiríticos, praticamente isentos de máficos e contendo granada do tipo
almandina como varietal. anfibolitos e de biotita gnaisses. acrescidas as constantes: 10.000km e 500km, respectivamente.
Datum horizontal: Córrego Alegre, MG.
Declinação magnética do centro da folha em 1998: 11º34'W, cresce 8,5' anualmente

CPRM
Serviço Geológico do Brasil
2000