Você está na página 1de 3

Uma empresa com um giro de caixa de 4,5x (GCant) e desembolsos anuais previstos em $3.600 (Gastos), pode retardar o pagamento de suas duplicatas por 20 dias (PRODPatual). Calcule o efeito desta medida sobre o caixa mínimo operacional (CM), se a empresa pode ganhar 30% sobre seus investimentos (oportunidade) e sabendo-se que o custo de retardar o pagamento das duplicatas seria de $100 (custo). Verifique se é viável a medida. Calcule o custo de oportunidade mínimo para esta empresa de forma que a medida adotada seja viável.

Nesse tipo de exercício é necessário primeiro calcular a situação antes da mudança e após a mudança. Porque que fazemos? Pensem assim, tanto na situação anterior quanto a atual a empresa vai possuir

a mesma quantidade de dinheiro, talvez lucre menos, mas o dinheiro para manter as operações serão

iguais, sendo assim, quando altera o Caixa Mínimo é sinal que menos ou mais dinheiro é necessário para manter as operações do dia-a-dia da empresa, ou seja, este dinheiro que sobra ou falta

comparando as duas situações será financiado ou depositado no banco rendendo juros ou gerando juros. Dito isto vamos calcular a situação anterior da empresa:

. =

.

=

,

= $

. =

=

, =

Antes de passar para o calculo da situação posterior, acho importante salientar que em alguns exercícios não é dado o PRODR, PRODP e PROE, mas se é informado o CC qualquer alteração feita em um desses prazos é possível calcular o novo CC. Na equação do CC o PRODR e o PROE são valores positivos, sendo assim, se na nova situação aumenta esses prazos, é sinal que aumenta o PRODR e PROE e com isto aumenta o CC, um exemplo prático, se o CC era 20 e numa nova situação com tudo igual e aumento o PROE em 15 dias, o CC de 20 será 35 (20 + 15). Caso o PROD ou o PROE reduza o tempo, cuidem que ao invés de somar o CC será necessário diminuir. No PRODP a logica é inversa, como na equação ele é negativo quando aumenta os dias de PRODP, diminui o CC, conforme é calculado abaixo. Caso reduza o PRODP, vai reduzir o valor que subtrai

e consequentemente vai aumentar o CC.

= = − =

Neste caso como se retardou (atrasou) o PRODP em 20 é sinal que vai ele aumenta, e se o PRODP aumenta, o CC diminui na quantidade de dias dado no exercício. Com o novo CC, podemos calcular o novo CM para comparara-los.

=

=

= ,

=

.

=

,

= $

Este custo de oportunidade NÃO É ISSO, mas é como se fosse os juros que o banco te dá por ele (esta

é apenas uma das alternativas). Sendo assim se antes tinha um Caixa mínimo de 800 e agora precisa

de 600, esses 200 reais tu não queimaste ou jogaste no lixo, tu apenas vais pôr no banco e o lucro em cima do juros será o ganho com essa troca. Entretanto, alguns exercícios tem a contrapartida e para isto também deve ser levado em conta. Em alguns casos dando crédito para as pessoas ela podem

começar a pagar menos, sendo assim mesmo girando mais o dinheiro tu recebes menos no final e ai tu tens que ver se vale a pena esta medida. A mesma analogia vale para os fornecedores que estão ligados com o PROE e PRODP.

= ( . ) × −

A equação acima não está no material (se não me engano), é apenas uma forma de representar a Economia ou Ganho de Capital. Agora basta substituir o CM anterior, o CM atual, o custo de

oportunidade e o custo da nova medida (que neste caso são 30% e $100) e achar o valor. Se for positivo

é sinal que houve um ganho de capital, se der zero é sinal que não faz diferença e se der negativo é sinal que a nova medida gera menos lucro que a antiga.

= ( − ) × , − = −$,

Tendo em vista que a economia foi negativa, é sinal que a empresa perderá dinheiro com esta medida, sendo assim não é viável.

Não lembro de ter exercícios sobre isso, mas ele pode aplicar alguma medida que não gera custo e

sim um lucro, por exemplo, pagar adianto as PRODP e isto gera um desconto no pagamento de $50. Neste caso os $50 serão somados nesta equação da economia. Outra questão é que caso a medida antiga exija um CM menor que a atual, nesta equação da economia será comparado se essa perda de custo de oportunidade é mais favorável que o desconto ou o ganho de capital da medida.

Para encontrar o custo de oportunidade mínimo é necessário que a Economia seja zero. Após basta substituir os valores e isolar a variável do custo de oportunidade e encontra o valor mínimo. Isto ocorre porque ao saber o valor do custo de oportunidade para uma Economia igual a zero, qualquer valor acima deste irá gerar lucro (conforme demonstrado abaixo). Importante salientar que caso o

CM anterior seja menor que o atual este custo de oportunidade calculado no equilíbrio deixa de ser

mínimo e passa a ser máximo (conforme demonstrado abaixo). Primeiro vamos resolver o exercício

e depois mostro a questão do mínimo e máximo.

= ( . ) × − = ( − ) × −

=

( − ) = , = %

Para que a medida seja viável seria necessário conseguir um custo de oportunidade mínimo igual a

50%.

Prova Real:

= ( . ) × −

= ( − ) × , − = − = $ = ( − ) × , − = − = +$ = ( − ) × , − = − = −$

Viram? Se aumentar para 51% o custo de oportunidade deu lucro e se reduzir dá prejuízo. Agora faremos o mesmo caso, mas atribuindo o CM anterior menor que o posterior e que isto gerou um descontou (ganho) de $50. Vamos atribuir um CM anterior igual a $500 e um atual igual a $700. Vamos calcular o custo de oportunidade máximo (para isto também é necessário zerar o item Economia).

= ( . ) × + = ( − ) × +

=

− ( − ) = , = %

Neste caso qualquer taxa acima dos 25% irá gerar um valor negativo, logo será uma situação desfavorável para a empresa.

= ( . ) × −

= ( − ) × , + = − + = $ = ( − ) × , + = − + = −$ = ( − ) × , + = − + = +$

Conseguiram visualizar? Neste caso quanto menor o juros, melhor é para a análise.