Você está na página 1de 45
Sinapse e Condução Nervosa Professora: Lívia Lins

Sinapse e Condução

Nervosa

Professora: Lívia Lins

Sinapse

Sinapse • Local no qual um neurônio encontra sua célula-alvo. • Cada sinapse possui três partes:

Local no qual um neurônio encontra sua célula-alvo.

Cada sinapse possui três partes:

Terminal axônico pré-sináptico;

Fenda sináptica;

Membrana da célula pós-sináptica.

Sinapse

Sinapse
Sinapse

Sinapse Elétrica

Sinapse Elétrica • O sinal elétrico ou corrente passa diretamente através citoplasma de uma célula para

O sinal elétrico ou corrente passa diretamente através

citoplasma de uma célula para outra através das junções comunicantes (gap junctions).

A informação pode fluir em ambas as direções.

Condução rápida de sinais.

Células da glia, músculo cardíaco e liso, células não excitáveis ( células beta do pâncreas).

Sinapse Elétrica

Sinapse Elétrica • O sinal elétrico ou corrente passa diretamente através citoplasma de uma célula para

O sinal elétrico ou corrente passa diretamente através

citoplasma de uma célula para outra através das junções comunicantes (gap junctions).

A informação pode fluir em ambas as direções.

Condução rápida de sinais.

Células da glia, músculo cardíaco e liso, células não excitáveis ( células beta do pâncreas).

Sinapse Elétrica

Sinapse Elétrica • O acoplamento pode ser modulado por parâmetros metabólicos, como pH, concentração de íons

O acoplamento pode ser modulado por parâmetros

metabólicos, como pH, concentração de íons Ca 2+ , despolarização da membrana.

Nas células acopladas não há processamento de informação.

Sinapse Química

Sinapse Química • Grande maioria das sinapses do SN. • Utilizam substância químicas (neuromediadores) para

Grande maioria das sinapses do SN.

Utilizam substância químicas (neuromediadores) para

transmitir informação de uma célula para outra.

Sinapse Química

Sinapse Química
Sinapse Química

Sinapse Química

Sinapse Química • Transmissão sináptica é unidirecional. • Modulação da transmissão • Conversão de

Transmissão sináptica é unidirecional.

Modulação da transmissão

Conversão de informação elétrica em informação

química.

Capacidade de alterar (modular) a informação transmitida entre as células.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica 1. Síntese, transporte e armazenamento de neuromediadores; 2. Deflagração e controle da

1. Síntese, transporte e armazenamento de neuromediadores;

2. Deflagração e controle da liberação do neuromediador na

fenda sináptica;

3. Difusão e reconhecimento do neuromediador pela célula pós- sináptica;

4. Deflagração do potencial pós-sináptico

5. Desativação do neuromediador.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Neuromediadores • Neurotransmissores = baixo peso molecular, ação rápida (aminoácidos,

Neuromediadores

Neurotransmissores= baixo peso molecular, ação rápida (aminoácidos, aminas e purinas).

Neuromoduladores= alto peso molecular (peptídeos e lipidios) ou moléculas muitos pequenas (gases), ação lenta.

Neuro-hormônios= secretados no sangue e distribuídos pelo corpo.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica
Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica
Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica
Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Polipeptídeos • Substância P • Endorfinas • Encefalinas • Colecistocinina

Polipeptídeos

Substância P Endorfinas

Encefalinas

Colecistocinina (CCK), vasopressina e peptídeo atrial natriurético: funcionan tanto como neuromoduladores como hormônios.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Liberação dos neuromediadores na sinapse

Liberação dos neuromediadores na sinapse

Transmissão Sináptica • Liberação dos neuromediadores na sinapse

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptores

Receptores

Transmissão Sináptica • Receptores

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptores sinápticos • Ionotrópicos • Canais iônicos dependentes de ligantes. •

Receptores sinápticos

Ionotrópicos

Canais iônicos dependentes de ligantes.

Canais catiônicos e aniônicos.

Ação rápida

Metabotrópicos

Efeitos mediados pela proteína G que ativa sistemas de

segundo mensageiro.

Ação lenta

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptor ionotrópico

Receptor ionotrópico

Transmissão Sináptica • Receptor ionotrópico

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptor metabotrópico

Receptor metabotrópico

Transmissão Sináptica • Receptor metabotrópico

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptores despolarizantes (excitatórios) no SNC • Abertura de canais de sódio. •

Receptores despolarizantes (excitatórios) no SNC Abertura de canais de sódio.

Condução reduzida pelos canais de cloreto ou de potássio.

Receptores hiperpolarizantes (inibitórios) no SNC

Abertura dos canais de cloreto.

Aumento da condutância dos íons potássio.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptores despolarizantes (excitatórios) no SNC • Glutamatérgico 3 ionotrópicos: -

Receptores despolarizantes (excitatórios) no SNC Glutamatérgico

3 ionotrópicos: - NMDA (Na + , K + , Ca 2+ ) - não-NMDA (Na + , K + )

1 metabotrópico

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Receptores hiperpolarizantes (inibitórios) no SNC • GABAérgicos Ionotrópicos: GABA A

Receptores hiperpolarizantes (inibitórios) no SNC GABAérgicos Ionotrópicos: GABA A e GABA C Metabotrópico: GABA B

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Potencial Pós-Sináptico Alteração no potencial da membrana pós-sináptica

Potencial Pós-Sináptico

Alteração no potencial da membrana pós-sináptica resultante a ação do neuromediador e seu receptor. -
Alteração
no
potencial
da
membrana
pós-sináptica
resultante a ação do neuromediador e seu receptor.
- Potencial Excitatório Pós-Sínáptico(PEPS)
- Potencial Inibitório Pós-Sináptico (PIPS)

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Inibição Pré-sináptica - Ocorre nos terminais pré-sinápticos antes que o sinal neural

Inibição Pré-sináptica

-Ocorre nos terminais pré-sinápticos antes que o sinal neural alcance a sinapse.

- Causada pela liberação de uma substância inibitória

(GABA).

-Ocorre em muitas vias sensoriais no Sistema Nervoso.

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Desativação do Neuromediador

Desativação do Neuromediador

Transmissão Sináptica • Desativação do Neuromediador

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Desativação do Neuromediador 1. Recaptação • A recaptação é realizada por

Desativação do Neuromediador

1. Recaptação

A recaptação é realizada por moléculas transportadoras presentes no terminal pré-sináptico e nos astrócitos.

A recaptação de neuromediadores é um mecanismo

drogas. Ex.: cocaína,

influenciado por antidepressivos.

várias

Transmissão Sináptica

Transmissão Sináptica • Desativação do Neuromediador 2. Degradação enzimática - Acetilcolinesterase - Peptidases

Desativação do Neuromediador

2. Degradação enzimática

- Acetilcolinesterase

- Peptidases

Funções especiais dos dendritos da

excitação neuronal

Funções especiais dos dendritos da excitação neuronal • A maioria dos terminais pré-sinápticos terminam em

A maioria dos terminais pré-sinápticos terminam em dendritos;

A maioria dos dendritos não pode transmitir potenciais de ação

- Possui poucos canais de sódio dependentes de voltagem;

- Limiar de excitação alto.

Transmitem correntes eletrotônicas em direção ao corpo celular.

Funções especiais dos dendritos da

excitação neuronal

Funções especiais dos dendritos da excitação neuronal • Decréscimo da condução eletrotônica nos dendritos

Decréscimo da condução eletrotônica nos dendritos

Condução

decremental:

redução

do

potencial

de

- membrana à medida que se propaga em direção ao corpo celular

- Maior efeito das sinapses localizadas nas proximidades do corpo celular.

Funções especiais dos dendritos da

excitação neuronal

Funções especiais dos dendritos da excitação neuronal
Funções especiais dos dendritos da excitação neuronal

Potencial de Ação no Neurônio

Potencial de Ação no Neurônio
Potencial de Ação no Neurônio

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Divergência

Divergência

Integração Sináptica • Divergência

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Convergência

Convergência

Integração Sináptica • Convergência

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Somação espacial Início de um potencial de ação a partir de vários potenciais

Somação espacial

Início de um potencial de ação a partir de vários potenciais graduados simultâneos.
Início
de
um
potencial
de
ação
a
partir
de
vários
potenciais graduados simultâneos.

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Somação espacial

Somação espacial

Integração Sináptica • Somação espacial

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Somação temporal Ocorre a partir da sobreposição de potenciais graduados no tempo.

Somação temporal

Ocorre a partir da sobreposição de potenciais graduados no tempo.
Ocorre a partir da sobreposição de potenciais graduados
no tempo.

Integração Sináptica

Integração Sináptica A somação de potenciais graduados demonstram uma propriedade fundamental dos neurônios: a

A somação de potenciais graduados demonstram uma propriedade fundamental

dos neurônios: a integração pós-sináptica.

somação de potenciais graduados demonstram uma propriedade fundamental dos neurônios: a integração pós-sináptica.

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Facilitação dos neurônios Geralmente, a somação do potencial pós-sináptico é

Facilitação dos neurônios

Geralmente, a somação do potencial pós-sináptico é excitatório, mas não se eleva a ponto de atingir o limiar de disparo do neurônio pós-sináptico neurônio facilitado.

O potencial de membrana está mais próximo do limiar de

disparo.

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Modulação pré-sináptica Ocorre quando um neurônio modulatório (inibitório ou

Modulação pré-sináptica

Ocorre quando um neurônio modulatório (inibitório ou excitatório) termina sobre ou muito próximo ao terminal axônico da célula pré-sináptica, influenciando a liberação de neurotransmissores.

Inibição pré- sináptica
Inibição pré-
sináptica
Facilitação pré-sináptica
Facilitação
pré-sináptica

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Modulação pré-sináptica

Modulação pré-sináptica

Integração Sináptica • Modulação pré-sináptica

Integração Sináptica

Integração Sináptica • Modulação pós-sináptica

Modulação pós-sináptica

Integração Sináptica • Modulação pós-sináptica

Transmissão Sináptica x Doenças

Transmissão Sináptica x Doenças • Depressão • Doença de Parkinson • Esquizofrenia • Doença de Alzeheimer

Depressão

Doença de Parkinson

Esquizofrenia

Doença de Alzeheimer

Miastenia Grave

Ansiedade

Dúvidas?
Dúvidas?