Você está na página 1de 3

SALOMAO, Thais, NASCIMENTO, Mari Clair Moro, A AVALIAÇÃO DA

APRENDIZAGEM NA PERSPECTIVA FORMATIVA E NA


CLASSIFICATÓRIA, 15 págs.
Izabel Grace de Souza: Mat: 2016211692
Isabelle Safira de Jesus: Mat: 2016270212
Maria Eduarda S. de Oliveira: Mat:
2014170189
Aurideia Pereira Sousa pinto: Mat:
2015200518
Rafael

Resumo

O texto “A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA PERSPECTIVA


FORMATIVA E NA CLASSIFICATÓRIA” tem como finalidade compreender os
processos da avaliação da aprendizagem na perspectiva formativa e classificatória. Mari
Clair Moro e Thais Salomão apresentam no texto as visões das avaliações da
aprendizagem classificatória e formativa com base nos autores Holfmmam, Luckesi,
Perrenoud, Vasconcellos entre outros. Sendo assim, Clair Moro e Thais Salomão na
introdução de seu artigo expressam, que o que levou a começar a pesquisa foi a
diferença entre a avaliação e a prova, pois não possuem o mesmo significado,

De acordo com as autoras este tema tem grande relevância para os futuros
profissionais de educação visto que é necessária a compreensão das concepções e
significados atribuídos ao conceito de avaliação, pois este ato estará presente nas ações
do cotidiano escolar.

Segundo as autoras os significados de avaliar são dos mais diversos possíveis.


As autoras passam então a colocar as idéias de outros autores sobre o que é avaliar, a
avaliação tradicional na perspectiva do Luckesi, a avaliação tradicional está baseada na
pratica de exames, verificando os resultados apenas por provas escritas e orais,
valorizando os aspectos cognitivos e a memorização de conteúdos, sendo assim o ensino
fica centralizado no professor e os alunos ficam na posição de receptores passivos, os
conteúdos acabam se distanciando da realidade do aluno. Seguindo a diante as autoras
irão trabalhar os diversos conceitos de avaliação segundo diversos autores, desde os
conceitos tradicionais, baseados na classificação até os conceitos de avaliação
formativa, segundo elas a diversidade de conceitos sobre a avaliação está
intrinsecamente ligada às formas de educação.

Elas passam então a trabalhar no texto as duas perspectivas, a classificatória e a


formativa a partir de autores, o Holfmmam um desses irá abordar que as escolas
brasileiras utilizam da avaliação classificatória, possuindo aspecto centralizador e
punitivo não possibilitando a reflexão sobre o processo de produção dos conhecimentos
dos educandos, não os ajudando a superar os seus erros e dificuldades, pois os
classificam e os comparam uns com os outros.

Logo a avaliação classificatória valoriza somente o aspecto quantitativo, o que


importa realmente é a quantidade de conteúdos aplicados e acertos mostrados pelo
aluno, nessa perspectiva não se tem o processo de construção das aprendizagens e do
conhecimento, como a nota é o resultado final a verificação da aprendizagem é
momentânea. Segundo Hofmmam a avaliação classificatória é um instrumento
autoritário e freador do desenvolvimento de todos que passam pela escola.

Segundo as autoras ao tratar da avaliação na perspectiva formativa destacam que


está se apresentam entre diversos autores, mas elas destacam em seu trabalho Haydt
(1997) e Loch (2000).

Loch vai partir do ponto onde a avaliação não é apenas o ato de dar notas, fazer
médias, reprovar ou aprovar os alunos, em que se destaca apenas o processo
quantitativo, e sim avaliar na perspectiva formativa é comprometer-se com o futuro com
a transformação a partir dos conhecimentos que se tem com a realidade, logo a
avaliação formativa caracteriza por estes pontos, a possibilidade que o professor tem em
refletir e analisar o seu trabalho pedagógico em sala de aula alem de rever e investigar e
aperfeiçoar a sua pratica segundo as necessidades dos educandos e para o alunos
proporciona informações sobre seu progresso, mostrando seus avanços e suas
dificuldades para poder superá-las, destacando os seguintes elementos auto-regularão da
aprendizagem e o feedback.

Partindo desses dois pontos, auto-regulação e feedback as autoras irão explicá-


los, sendo o processo onde se ajusta o ensino e aprendizagem, onde aparecem as
seguintes perguntas; “o que fazer e o como fazer para que os alunos aprendam, superem as
dificuldades e avancem no processo de construção dos conhecimentos e das aprendizagens?”(
SALOMAO, Thais, NASCIMENTO, Mari Clair Moro, A AVALIAÇÃO DA
APRENDIZAGEM NA PERSPECTIVA FORMATIVA E NA CLASSIFICATÓRIA,
p.23), essa ação é realizada pelo professor, no momento em que ele irá intervir na
superação das dificuldades dos alunos fazendo com que os alunos avancem no processo
de construção do conhecimento, o feedback é quando o professor mostra e esclarece aos
alunos os seus erros e os seus acertos sobre um conteúdo ou assunto que está sendo
trabalhado.

Segundo elas, o autor Ribeiro irá definir que o feedback proporciona fazer a
regulação do processo de ensino e da aprendizagem, para o aluno o feedback
proporciona a auto-regulação de sua aprendizagem. Ao trabalhar com a questão da
avaliação formativa os instrumentos de avaliação precisam ser os mais variados
possíveis, como provas, apresentações, entrevistas etc, conclusão que elas tem sobre a
avaliação na perspectiva formativa trata-se de, conhecer, contrastar, dialogar, indagar,
argumentar, deliberar, raciocinar e aprender .

Thais Salomão e Maria Clair Moro conclui que a avaliação da aprendizagem


pode se apresentar nessas duas formas, classificatória e formativa segundo vários
autores destacando que ambas estão nas instituições escolares, porem se faz necessário a
concretização da avaliação formativa na intenção de minimizar a classificatória, pois a
formativa tem como fundamento o olhar para a trajetória da construção da
aprendizagem dos educandos, como também o trabalho pedagógico feito pelo professor
em sala de aula, já a classificatória utiliza de instrumentos disciplinadores e punitivos,
não oferecendo a reflexão do processo de construção do conhecimento, não ajudando os
alunos a superar seus erros e suas dificuldades.