Você está na página 1de 11

INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO DE QUÍMICA, PRECISÃO E

EXATIDÃO DE INSTRUMENTOS DE LABORATÓRIO.

Gabriel Watanabe

Joyce Cavalcante de Lima

Natali Jubram

Vinicius Videira Corrêa


PRESIDENTE PRUDENTE

20/03/2018

RELATÓRIO EXPERIMENTAL

AULA 1

Relatório apresentado ao Professor:


Marcos Roberto Moreira da silva Júnior
da disciplina de Química geral da turma
xxx do curso física.

UNESP – Faculdade de Ciências e Tecnologia

Presidente Prudente – 20/03/2018


Sumário
1 INTRODUÇÃO 4

2 OBJTIVOS 4

3 MATERIAIS E METODOS 5

MATERIAIS UTILIZADOS 5

PARTE EXPERIMENTAL 5

Precisão e exatidão da balança: 5

4 RESULTADOS 7

a) Precisão e exatidão de balanças. 7

b) calibração de uma pipeta volumétrica. 8

c) calibração de uma bureta 9

d) Calibração de uma proveta 9

5 DISCUSSOES 10

6 CONCLUSOES 10

7 REFERENCIAS 11

8 ANEXOS 11
1 INTRODUÇÃO

Disciplinas como químicas são qualitativas e quantitativas, isto é, suas teorias


fundamentam-se muitas vezes em medições de grandezas. Medir uma grandeza física
significa comparar esta grandeza com outra grandeza do mesmo tipo.

Muitas vezes ao se medir uma grandeza consecutivamente os resultados não se


coincidem, mas raramente o valor é idêntico. Isso impede que saibamos o “valor
verdadeiro” ou o valor exato. As causas dessa variação são os “erros de medida”.

Precisão: indica o quanto as medidas repetidas estão próximas umas das outras.

Exatidão: indica o quão próximo do valor real (do valor normalmente aceito como
referência), está o valor medido.

A medida de uma quantidade numérica é caracterizada pela sua precisão e sua exatidão.

Os algarismos significativos são os algarismos que têm importância na exatidão de um


número, por exemplo, o número 2,67 tem três algarismos significativos. Se
expressarmos o número como 2,6700, entretanto, temos cinco algarismos significativos,
pois os zeros à direita dão maior exatidão para o número. Os exemplos abaixo tem 4
algarismos significativos:

56,00

0,2301

00000,00001000

1034

Nesta aula conseguimos estabelecer a precisão dos instrumentos de uso cotidiano em


laboratório com base nos erros de medida. O conhecimento do valor mais provável de
uma grandeza e do erro médio absoluto nos permite a chegar ao valor exato.

Já a precisão é dada pelo erro relativo, que é definido pelo quociente do erro absoluto e
pela própria medida.

2 OBJTIVOS

Aprender a calcular erros de medidas que são cotidianos no dia-a-dia em laboratório;


avaliar a exatidão e a precisão de alguns instrumentos de laboratório.
3 MATERIAIS E METODOS

MATERIAIS UTILIZADOS

Balança A (analítica)

Balança B (semianalitica)

Copo béquer – usado para aquecimento de líquidos, reações de Figura 1 Béquer


precipitação.

Frasco de Erlenmeyer – usado para titulação e aquecimento dos


líquidos.

Pipeta volumétrica – para medir volumes fixos

Proveta – usada para medidas aproximadas de volumes de


líquidos

Bureta- usada para medidas precisas de líquidos Figura 2 Erlenmeyer

Pisseta – contendo agua destilada

PARTE EXPERIMENTAL

Para a parte experimental

Precisão e exatidão da balança: Figura 3 Proveta

Nessa primeira etapa foi feita a calibração das balanças para tomar como referencia, a
fim de garantir exatidão e precisão nos resultados.
Balança A Balança B

Analítica Semianalitica

Pesar o béquer e Pesar o béquer e


Erlenmeyer (3x) Erlenmeyer (3x)
À partir do valores obtidos foram calculados os valores médios e o desvio padrão
médios, para assim conhecermos os valores reais.

Em seguida realizamos a calibração de uma pipeta volumétrica, a calibração de uma


bureta e também de uma proveta.

Pipeta volumétrica: Para a calibração de uma pipeta, necessitaremos de um béquer e


uma pipeta volumétrica de 10 ml.

Primeiro pipitamos o seu volume no béquer e logo após pesamos. Repetimos os


procedimentos três vezes e após isso verificamos a temperatura da agua, obtendo os
devidos resultado os seguintes resultados.

Tabela 1

Peso(g) Temperatura da
H²O
Peso 1 58,6062g 28°C
Peso 2 58,5595g 28°C
Peso 3 58,5295g 28°C

Bureta: Para a calibração de uma bureta, necessitamos da mesma, com tamanho de 50


ml. Primeiro vamos enchê-la com agua destilada ate a marca de 30 ml e com a pipeta
calibrada vamos adicionar mais 10 ml de agua , em seguida fizemos a leitura. Logo após
esvaziamos a bureta ate o nível de 30 ml e repetimos isso por tres vezes, para obter os
devidos resultados.

Tabela 2

Leitura (ml) Temperatura da


H²O
Leitura 1 20ml 28°C
Leitura 2 18ml 28°C
Leitura 3 21ml 28°C
Proveta: Para a calibração de uma proveta, repetimos o experimento feito com a bureta,
porem utilizamos uma proveta de 25 ml e uma pipeta volumétrica de 10 ml já calibrada,
obtendo os devidos resultados.

Tabela 3

Leitura (ml) Temperatura da


H²O
Leitura 1 21,1ml 28°C
Leitura 2 22,1ml 28°C
Leitura 3 20,2ml 28°C

4 RESULTADOS

Na aula pratica em laboratório, foi realizado quatro teste usando uma balança analítica e
uma semianalitica, sendo possível chegar aos resultados apresentados nas tabelas
anteriormente apresentadas. Esses dados nos possibilitou analisar que mesmo diante da
adversidade do ambiente e possível obter resultados precisos, como pode ser visto nas
tabelas a seguir.

a) Precisão e exatidão de balanças.


Foram tomados dois objetos um Béquer e um Erlenmeyer, e pesados nas balanças A e
B. Fazendo os procedimentos de pesagem foram encontrados os seguintes valores,
dispostos na tabela1, referentes ao béquer.

Tabela 4

Béquer Balança A Balança B Desvio Desvio

(analítica) (semianalitica) Balança A Balança B

Peso 1(g) 48,6160 48,5000 7,86x10-8 7,07x10-3

Peso 2(g) 48,6156 48,4000 3,14 x10-9 0,00 x10

Peso 3(g) 48,6154 48,3000 5,03 x10-8 7,07 x10-3

Media (g) 48,6157 48,4000 4,40 x10-8 4,71 x10-3


Com esses valores encontramos na balança A, o valor médio de 48,6157g do béquer e
um desvio médio em sua pesagem de 4,40x10 -8g. E na balança B, encontramos um
valor médio de 48,4000g de massa e um desvio de 4,71x10-3g.

Tabela 5

Erlenmeyer Balança A Balança B Desvio Desvio


(analítica) (semianalitica) Balança A Balança B
Peso 1(g) 97,7032 97,1000 1,96x10-8 1,26x10-2
Peso 2(g) 97,7032 97,2000 1,96x10-8 7,86x10-4
Peso 3(g) 97,7037 97,4000 7,86x10-8 1,9610-2
Media (g) 97,7034 97,2333 3,93x10-8 1,10x10-2

Na balança A, encontramos um valor médio de 97,7034g e um desvio médio de


3,93x10-8g. E na balança B, encontramos um valor médio de 97,2333g e um desvio de
1,10x10-2g

Concluímos então que os valores obtidos com a Balança A e B, variaram 0,4701g de


massa. E tem seu desvio varia 2,83x10-10g.

b) calibração de uma pipeta volumétrica.

A partir da calibração das balanças, podemos calibras a pipeta volumétrica e desse


modo checar o volume. E seu respectivo desvio médio.

Tabela 6

Béquer Balança A Desvio Volume

(analítica) Balança A 𝑴
𝑫=
𝑽
Peso 1(g) 58,6062 1,20 x10-3 5,86x10

Peso 2(g) 58,5595 2,19 x10-5 5,86 x10

Peso 3(g) 58,5295 8,94 x10-4 5,85x10

Media (g) 58,5651 7,04 x10-4 5,86 x10


Obtivemos então um valor médio do volume em 5,86x101 ml, e o peso do béquer teve
um desvio médio de 7,04x10-4g.

c) calibração de uma bureta

Para a calibração da bureta utilizaremos a pipeta calibrada anteriormente chegando aos


resultados a seguir em tabela.

Tabela 7

Bureta Desvio Volume (ml)

Leitura (ml) 20,0000 7,86x10-2 2,00 x10

Leitura (ml) 18,0000 1,96x100 1,80 x10

Leitura (ml) 21,0000 1,26 x100 2,10 x10

Media (ml) 19,6667 1,10 x100 1,97 x10

Obtivemos então um volume médio de 1,79x101 com a balança A, e um desvio médio


de 1,10x101 ml.

d) Calibração de uma proveta

Do mesmo modo trabalhado no teste no item c, identificamos os devido desvio médio e


a media do volume de agua em ml na proveta.

Tabela 8

Proveta Proveta Desvio Volume (ml)

Leitura (ml) 21,1000 7,86x10-4 2,11 x10

Leitura (ml) 22,1000 6,61 x10-1 2,21 x10

Leitura (ml) 20,2000 6,16 x10-1 2,02 x10

Media (ml) 21,1333 4,26 x10-1 2,11 x10


Obtivemos então um volume médio de 2,11x101 com a balança A, e um desvio médio
de 4,26x10-1ml.

5 DISCUSSOES

1) Quais os cuidados que você tomaria para que a massa determinada na balança A
fosse real?

2) Dar a ordem decrescente de precisão e da exatidão das balanças A e B.

3) De acordo com os resultados que você obteve, dar a ordem decrescente da precisão e
da exatidão dos instrumentos de medida de volume que você utilizou, com as
justificativas.

4) O que você entende pelos termos precisão e exatidão?

Com base na que foi trabalho em aula compreendemos como a precisão e exatidão,
importantes quando trabalhamos com algarismo significativos. Concluímos que são de
extrema importância para um trabalho com qualidade e coerência com os reais
resultados.

6 CONCLUSOES
Concluímos assim, de acordo com cada questão apresentada na aula que:

Devemos deixar a balança analítica limpa, com o objeto da pesagem centrado, em


temperatura estável e com menos interferências externas possíveis como correntes de ar,
vibrações, luz solar e calor.

No momento onde o professor nos instrui sobre precisão e exatidão, entendemos que: a
balança é precisa quando os resultados em sequência da mesma substância são quase
idênticos uns aos outros e que a mesma é exata quando encontramos resultados
satisfatórios com a realidade.

Todos os instrumentos são passíveis de erros mas o maior colaborador para que eles
ocorram ou não é o próprio experimentador.

Em nenhuma hipótese realizar experimentações sem o consentimento do professor e


orientador no laboratório.

Sempre que houver dúvidas coletivas ou individuais procurar exclusivamente respostas


com o orientador.
Sempre realizar o estudo prévio com roteiro e fluxograma e após a aula realizar o
relatório.

Devemos respeitar todas as regras de segurança e vestimenta, por nós e pelos outros.

7 REFERENCIAS

https://alunosonline.uol.com.br/quimica/exatidao-precisao.html

https://www.infoescola.com/quimica/material-de-laboratorio/

8 ANEXOS

Equações utilizadas
𝒏
̅ = ∑𝟏 𝑿𝒏
Equação média. 𝑿 𝒏

𝟏
Equação 2. ̅ )²
𝑺 = √𝒏−𝟏 ∑𝒏𝒊=𝟏(𝑿𝒊 − 𝑿

𝑴
Equação 3. 𝑫 = 𝑽